Europa Ford Hatches

Novo Fiesta 2017 deve evoluir na mesma plataforma e pode ganhar versão Vignale

novo-fiesta-1

A Ford está trabalhando para a chegada do Novo Fiesta 2017. De acordo com o site italiano Omni Auto, o compacto da marca americana não será um carro totalmente novo, mas uma evolução do atual.

Segundo o relato, a Ford pretende manter a atual plataforma do New Fiesta, mas este ficará alguns milímetros maior em largura e comprimento. Em termos de estilo, a abordagem será a filosofia de estilo atual, que o deixará muito próximo do Novo Focus.

Em termos de mercado, o Novo Fiesta 2017 tem boas chances de ganhar uma versão premium Vignale, o que o ajudaria a bater de frente com DS 3, Audi A1 e MINI Cooper, por exemplo. Parece exagero, mas para a Ford, o luxo está no conteúdo e não no tamanho.

Além disso, rumores dizem que a Ford deve finalmente abandonar o quatro cilindros 1.4 Sigma de 81 cv e troca-lo por um três cilindros 1.0 EcoBoost com potência similar, algo que a VW já está fazendo com seu 1.0 TSI de 82 cv em substituição ao quatro cilindros 1.2 TSI. O Novo Fiesta ainda deverá manter o 1.0 EcoBoost com até 140 cv.

[Fonte: Omni Auto]





  • Felipe

    “Novo Fiesta 2017 deve evoluir na mesma plataforma” : Ou seja, deve receber um facelift.

    • th!nk.t4nk

      Lembrando que a plataforma atual do Fiesta é excelente… É referência em comportamento dinâmico na categoria e bastante seguro. Só vão fazer o necessário, aumentar um pouquinho as medidas.

      • João Martini

        Igual do Focus mk2 pro mk3.

      • Andre Studart

        Olha, eu possuo um Fiesta e já dirigi alguns carros de categorias bem superiores, o Fiesta continua me surpreendendo em termo de dinâmica, é incrível o que um carro de 45mil consegue fazer..

        Não perde a composura nunca e sempre bem equilibrado, a traseira sempre conversa com a frente, com um motor 1.0T deve ser perfeito, tomara que venha com um preço justo

        • invalid_pilot

          Esse 1.0 Turbo vai chegar lá pelos 57k, pode anotar

          • Andre Studart

            Pois é, a ford estava cogitando, inicialmente, substituir o atual 1.6 sigma pelo 1.0T, o que seria ideal..

            Mas, ultimamente, rumores apontam que ela ira deixar o 1.5 e 1.6 e tratar o 1.0T como uma versão “esportiva”, ou seja, a topo de linha que provavelmente será muito cara.. O que eu acho um tiro no pé, seria a chance dela para recuperar parte das vendas perdidas do fiesta..

            É uma pena, ficar na torcida para de fato substituir o 1.6

            • invalid_pilot

              Eu acho que a o 1.0T deveria matar o 1.5 e deixar o 1.6 – porém só com o PowerShift enquanto o Turbo só manual

              • th!nk.t4nk

                Aqui na Europa foi o contrário, mataram o 1.6 e ficou o 1.5 com duplo comando variável de 112 cv, 1.0 turbo de 100 cv e 1.0 turbo de 125 cv. Não precisa mais que isso, tirando a versão ST.

                • invalid_pilot

                  É que o 1.6 é mais antigo em concepção que o 1.5, né ?

                  • Marcio Santos

                    Não, eles são contemporâneos, a diferença é que o 1.6 com duplo comando variável que o 1.5 não tem.

                  • Peuooo

                    não, esse 1.5 é o tal do dragoon! de 3 cilindros! Por isso que esta uma bagunça e ninguem saber qual motor, que chegará! e talvez se concretize o fato do 1.0T ser apenas pro “Esportivo” encarecendo o seguro e tudo o mais… enfim…

                • Guilherme Eduardo

                  É por que aqui no BR o 1.5 é mais simples que esse aí de 112cv, por isso falam em colocar o 1.0 Ecoboost no lugar dele.

              • Andre Studart

                Versao 1.0T manual seria bem interessante, algo como a Titanium manual que era vendida por 50mil, feliz quem comprou..

                O PS tem dado muito problema, tomara que a Ford aproveite o lançamento do Fiesta para ajeitar nele, muitos consumidores só olham para automatico/automatizado, deixar uma versão 1.0T sem essa opção, seria um tiro no pé, acredito eu

                • invalid_pilot

                  CVT é a transmissão automática do futuro, apesar de fazer o carro parecer uma enceradeira e ser meio morta de saída, julgo ser o sistema mais eficiente e de menor manutenção

                  • Andre Studart

                    De fato é eficiente, a única perda é pelo atrito das próprias polias..

                    O que eu nunca entendi em um cambio cvt, é que se o fato de ser solicitado uma aceleração, ele “cola” no limite de rpm, que em muitos carros é o ápice de potencia.. Então por que ele é um cambio considerado por “amansar” carros, que os deixa mais lentos?

                    • invalid_pilot

                      Que eu saiba ele é lento de saída, mas em alta rende bem

                    • Marcio Santos

                      A maior parte dos cvt escorregam no início da aceleração, a rotação sobe, o motor grita e ele leva um tempo até começar a acelerar, mas isso está mudando.
                      Os cvt mais atuais como os utilizados no civic e accord americanos praticamente não tem mais este delay, e só para constar, não é o mesmo cvt que temos aqui no fit e city, é bem superior, deverá vir com o novo civic.
                      Outro carro que tem um ótimo cvt é o nissan altima atual, superior ao do nosso sentra, o altima 4 cilindros de 192cv faz 0 a 100 em 7s baixos, é impressionante.

                    • José Eduardo D’Acampora Guazzi

                      Não amansa, ele passa sensação de. Veja que nenhum carro com CVT que alegam essa morosidade, quando medido o 0-100 tem realmente desempenho ruim. Como não se sente o motor enchendo, os “especialistas em esportivos” não gostam.

                    • Andre Studart

                      Exatamente que pensava, como o carro fica “travado”, você não sente o torque entrando, ao contrario do modo manual que sente, dando sensação que anda mais..

                      Mas é valido ressaltar que o CVT ,por si só, tem perdas só sistema devido ao atrito das polias, pelo fato delas ficarem se movendo, então no modo manual, onde elas tem um local “fixo” para mudar de marcha, esse atrito amenize e o carro fique mais solto..

                      Os 0-100 geralmente são ótimos, mas geralmente o CVT é associado a economia e não a desempenho, algo que muitos criticam pelo fato dele “amansar” o carro, é estranho

                    • Edson Fernandes

                      Para isso precisa-se estudar o funcionamento do cambio CVt.

                      O cambio CVT tem a acoplagem do conversor de torque que geralmente até essa entrada se sente que ele não passa para as rodas o que realmente tem de força.

                      A titulo de exemplo, a Jatco que produz os cambios para Nissan/Mitsubishi/Renault tem 3 versões do cambio. Sendo nos médio-grandes e superiores a versão mais atualizada e duas versões anteriores ons médios para baixo.

                      Isso é feito por questão de custo. E então falando do comportamento, até haver o travamento do conversor ele perde a possibilidade de força que poderia entregar. Não a toa, ele primeiro começa em 3500rpm, depois 4000rpm, depois pula para 5000rpm e finalmente entre 60000rpm e 6500rpm (ao atingir um ponto de segurança do cambio tbm).

                      Além disso, ajuda na questão de suavidade do cambio em respostas da imobilidade.

                    • Andre Studart

                      Entendi.. Então a sensação que ele “anda menos” é devido a utilização de conversor de torque mesmo durante a sua aceleração, enquanto no modo manual, ou em um carro manual (ausente do conversor), deixa o cambio trabalhar mais livre e passando o que tem para as rodas..

                      Seria mais ou menos nessa linha?

                    • Edson Fernandes

                      Não seria infelizmente. Eu tenho um Fluence.

                      E vou te dar o exemplo dele:
                      Até exatos 30km/h o conversor atua. Vc pode pisar até passar do limite (tem uma especie de limte que vc sente que ultrapassa qdo pisa que, deixa a relação da polia mais curta e adquire velocidade mais rapidamente, isso serve para situações de risco onde vc precisa de prontidão da maxima potencia disponivel) mas ainda assim ele seguro no conversro até lhe entregar o maximo de potencia para as rodas.

                      Fica bem nitida a sensação. Tanto que as pessoas dizem que o carro “patina” porque não é uma pronta resposta de fato. Vc vai subir a 2500rpm o que ele poderia fazer o mesmo se estivesse com oconversor travado a 1500rpm (situação que comparo pois, se vc mantiver o pedal com uma pressão maior do que o necessário, ele demora mais a travar o conversor… e um detalhe que faço por vezes é ao chegar aos 30km/h é tirar levemente o pé do acelerador e depois encostar… ele trava o conversor de torque e continua no mesmo ritmo em rotação inferior).

                      Dito isso, mesmo no modo sequencial a sensação é igual. Aí tem uma parte chata da operação sequencial do Fluence: Se vc usar para trocar as marchas aos 3000rpm é bacana…. ele funciona bem legal… troca sem qualquer tipo de tranco e vai muito bem. Se vc faz isso aos 1500/2000rpm, vc sente o conversor atuando mesmo no modo sequencial.

                      Como é isso? Vc vai lá e começa adquirir velocidade … e vc vê o marcador de rpm subindo, no caso do Fluence ele permite que vc já troque de marcha a curtos 1500rpm… só que aí que mora o problema… vc troca em 1500rpm e ele não cai de rotação, ele continua em 1500rpm e vc ve o numero das marchas sendo trocadas. O mesmo vale até 2000rpm. (atuação do conversor) Depois disso aí vc ve as “caidas” de rotação.

                      Tanto que por conta disso, eu não uso o sequencial na cidade ou em velocidades mais baixas, só uso em estrada porque comprovadamente é mais economico no sequencial.

                      Curiosamente, o sequencial deixa a relação de marchas bem curtinhas se vc pisar mais forte, isso é bem bacana. Fazer uma redução no sequencial é uma delicia. Vc cola no banco sem dó e vai muito bem.

                    • Andre Studart

                      Interessamte, cambio cvt realmente é algo a parte, é uma engenharia por si só, nao é atoa que dizem que você tem de reaprender a dirigir..

                      É o tipo de sistema que só convivendo para entender bem seu funcionamento, pelo visto, o cvt patina em baixo e depois desenvolve por si só..

                      Por isso que carros manuais andam melhor, por serem mais “soltos”, apesar que em alta rotação, o carro com cambio CVT talvez ande mais, por “travar” a rotação no corte, aonde geralmente ocorre o pico de potência..

                    • Edson Fernandes

                      Na realidade vai depender do tipo de carro…rs

                      O Fluence manual e CVT a diferença no 0-100 por exemplo é de infimos 0,8 de diferença. Considerando que é um cambio que tem conversor de torque, perda na transferencia de força as rodas, é muito aceitavel.

                      O que eu acho o maior diferencial no cambio CVT é… vc está em um subida muito ingrime… vc pode acelerar em 2000rpm ou em 5000rpm, ele vai variar as polias e fazer o carro seguir o percurso. Se for em um cambio convencional, por vezes vc tem que acelerar mais fundo para que ele consiga vencer aquele “obstaculo”.

                      E isso é prazeroso para mim. Saber que nem sempre é necessário acelerar muito para que ele se desenvolva muito bem. O lado bom que gostei do CVT é o fato do carro aprender a te entregar força conforme sua vontade e não o inverso. Rodar em 95% do tempo abaixo de 2000rpm é sensacional. O carro além de silencioso te mostra que tem um motor que o move suficientemente. Pena é o Fluence ser um carro pesado que acaba querendo ou não cobrando parte disso no consumo.

                      Agora, o cara que procura real esportividade em um cambio que dê sensações de troca, mesmo no sequencial achará ruim. O Corolla é muito melhor resolvido de fato nisso. As trocas são rapidas e com muito menos uso do conversor em seus arranques, além disso, consegue ser economico (há outras variantes).

                      Eu não trocaria o Fluence pelo Corolla pq gosto das respostas do Fluence, mas é fato que quem procura esportividade, não pode considerar o Fluence CVT a escolha correta. Não é por andar bem, porque isso o Fluence faz, mas o cambio é determinante para o gosto das pessoas.

                      Eu gosto de silencio a bordo e o cambio com esse tipo de funcionamento maximiza isso. Tanto que vc ouve outros barulhos, mas não é de motor…rs

                      Entretanto, tenho para mim que prefiro o CVT até mesmo a alguns automaticos de 6 velocidades. Porque muitos automaticos não trabalham em baixas rotações obrigando a manter o motor sempre cheio para entregar sempre boa potencia. Eu prefiro que as trocas sejam em regimes de rotação baixas e se for o caso, o condutor que possa acelerar se necessário.

                    • Andre Studart

                      De fato, é uma mão na roda e bem conveniente em situações que necessitam de força em variadas situações, como em subida de serra, a qual geralmente faz o carro “gritar” e o cvt fazendo que seja uma transição bem mais suave..

                      Valeu pela explicação e paciência, Edson!

                    • Edson Fernandes

                      Aí depende…rs

                      Se a pessoa não aprender a entender o funcionamento do cambio CVT vai fazer ele gritar tbm viu…rs

                      Nessas situações vc pode fazer duas coisas:
                      – Pisar progressivamente o acelerador
                      – Ou, pisar e manter um determinado nivel de giros (exemplo 4000rpm)

                      Vai depender da situação, mas se a pessoa pisar de uma vez por uma atitude normal de ganho de potencia, ele vai subir de giro pra valer e aí vai gritar sim. Mas dá para ter controle. Agora se a pessoa quer realmente lidar como é com outros carros aí ela pode usar o sequencial mesmo.

                  • Matthew

                    Mas ela tem passado por várias evoluções. O da Toyota que simula 7 marchas não passa essa sensação de enceradeira tão forte. E ouvi dizer que a do Civic terá um conversor de torque (acho que o Fit atual já tem) pra encher o motor na arrancada.

                  • ViniciusVS

                    Menor custo de produção e tamanho também :D

                    Gosto bastante de carro manual e se tiver que comprar um Automático por falta de opção ( versões completas já não tem mais opção manual) pegaria um AT5 ou AT6.

                    CVT só gosto se tiver simulação de marchas no Drive.

                    Acho que cvt com simulação(cambio curto) deveria substituir para ontem os cambios Dualogic, Imotion em carros populares.

                • Tygra

                  O problema do câmbio PS já foi resolvido nos modelos 2015, nos demais casos a Ford está fazendo a substituição dos câmbios com problema. Eu tenho um New Fiesta Sedan 13/14 com quase 30 mil e nenhum problema no câmbio, está do mesmo jeito que saiu da concessionária, ou seja, funcionando perfeitamente bem. Aliás, só tive dois problemas nesses dois anos e meio com ele, um foi a bomba de combustível (que não permitia que o tanque enchesse por completo) e o outro foi no motor elétrico do ar condicionado que quebrou uma engrenagem e começou a fazer um barulho na parte central do painel, nos dois casos a Ford substituiu as peças sem nenhum custo, tudo dentro da garantia.

                  • Andre Studart

                    Fico feliz em saber! Os PS deram uma dor de cabeça e tanto para alguns consumidores, bom saber que o problema já foi sanado

                  • invalid_pilot

                    Duro é que já ficou marcado como problemático e pra tirar isso do mercado vai ser dificil

                  • Marcio Santos

                    Em 2015 ele não foi resolvido, sei de alguns casos, no caso do focus os 16 receberam novas embragens e nova programação, parece ter sidos resolvido mas eu aguardaria para ter certeza.

            • rafa93

              acredito que este é o caminho, a volkswagen abriu as portas, a peugeot pela notícia também deverá introduzir.
              como a hyundai já trouxe o bad boy da família só com body kit, eu não duvidaria, mas ainda possuo esperanças para que a ford finalmente traga a versão st do fiesta para atuar como variante esportiva.
              entretanto, caso estes rumores se confirmam o motor turbo então entraria na versão sport? se esta for a estratégia da ford provavelmente será por um curto período, porque no longo prazo o turbo reinará até a invasão de elétricos.

              • Andre Studart

                Pois é, inclusive a Hyundai já está testando o motor 1.0T no hb20, foi visto em flagra esses dias, inclusive.. será que vem até o final do ano?

                Hb20 vende rios, com motor turbo então.. a Ford não pode subir o nariz, se não irá afundar ainda mais o Fiesta em vendas..

                O Futuro são os elétricos, sem dúvidas, mas ainda são muito onerosos e com problema de autonomia/logística, ainda irá demorar um pouco para se “popularizar”, acredito que a tendência agora são os turbos invadirem os modelos por aqui..

                A Ford tem uma arma e tanto em mãos, o 1.0T já ganhou prêmios por melhor motor do ano, é a chance dela de “chegar chegando” com o Fiesta, que é um dos queridinhos (agora não por conta dos preços atuais).. Existem duas romores para localização do 1.0T:

                A primeira seria matar os 1.6 e trocá-los pelo 1.0T, deixando o 1.5 de entrada, e a outa seria deixar apenas o 1.0T como uma versão “esportiva”, digo, não com body kit, mas o fiesta igual os outros só mudando a motorização, que no caso seria o 1.0T..

                Quanto ao Sport, creio que ela deva fazer a troca de motor, não faria muito sentido deixar uma versão Sport com motor 1.6 tendo uma versão “normal” com o 1.0T que ande mais

                • Jackson A

                  Vem…

                  • invalid_pilot

                    Dono de Hyundai reclamando de seguro caro kkkkk Conte uma novidade

                    E esse 1.0 T da Hyundai vai vir custando um rim, meio fígado e duas córneas

                  • Andre Studart

                    Hahaha, gostei do hyundai sua linda, eu ri!

                    Ótima noticia! vai fazer que a concorrência se mova, prevejo gol tsi vindo por ai

              • Matthew

                Todas tem tido cautela na introdução destes motores turboalimentados, a exemplo da VW que só o disponibiliza no Up por enquanto (o 1.0). Muitas pessoas podem não assimilar muito bem a ideia de pagar mais de 50 mil reais num carro “mil” e também temos que ver como ficará a questão da manutenção/durabilidade deste tipo de motor. Os T-Jet da Fiat têm apresentado vários problemas crônicos de trinca na carcaça quente e do sistema de exaustão, além do volante do motor que transmite vibrações. Toda cautela é pouca para não micar como o Gol turbo do início dos anos 2000.

                • rafa93

                  mas acredito que o único medo das fabricantes está no comportamento do motor frente ao suco de dinossauro oferecido no Brasil, porque estes motores já são consolidados no mercado europeu.

                  • Edson Fernandes

                    E pensar que, eu acho que seria mais interessante um Fox 1.0 TSI do que o up.Ao menos eu prefiro.

                    • rafa93

                      sim, concordo com você, neste sentido acredito também que a Volkswagen guardou esta carta na manga para concorrer com os novos motores turbos que devem vir pela hyundai e ford, pois querendo ou não, só pelo número de vendas já percebe-se que o up não consegue atrair público como fox e gol já conseguiram.

            • Filipo

              Penso que agora que o Fiesta no país é essencialmente “premium”, por conta do novo Ka, a Ford deveria deixar o Sigma de 1,6L junto com o Ecoboost de 1L, mesmo sendo parecidos em números de potência e torque.
              O de 1,5L não faz sentido, é muito próximo do 1,6L em desempenho.
              Portanto, o 1,6L ficaria como opção para quem ainda tem receio com motores turbo ou não tem tanto dinheiro para manutenções caríssimas de motores turbo.
              * Caríssimas sim, no Brasil. Não era pra ser assim, mas até a de motores comuns são.

              • Marcio Santos

                Nos EUA é assim, a linha continua a mesma e somente uma versão SE recebeu o ecoboost 1.0, para testar o mercado, e até agora continua nesta versão única.

          • Filipo

            57? O Sport com motor de 1,6L custa mais que isso!
            Palmas para a Renault e seu Sandero RS.

        • Daysan Medeiros

          Também tenho um Fiesta… e fico impressionado com a estabilidade do carro…

        • Oliveira17

          Preço justo no Brasil? Ta pedindo muito.

        • CharlesAle

          E é resistente também..Há um New Fiesta, dos primeiros nacionais, que já está com 85 mil rodados, é usado na empresa de um amigo. E roda como novo…

        • Guilherme Batista

          Falou tudo. Eu também possuo um, e na época que ia comprar eu poderia optar entre ele e um punto com com um descontão.
          Preferi o fiesta mesmo pagando mais. Não me arrependo de jeito nenhum.
          Segurança pra mim é primordial e igual você falou, tem carros muito mais caros que não tem comportamento dinâmico desse carro.
          Quase 2 anos com o meu e sempre que dirijo outro carro eu me surpreendo mais com o meu

      • Oliveira17

        Se nao derem o jeitinho brasileiro, diminuir a qualidade da liga ali e acola. Para terem maior lucro.

      • Daniel

        Acho que a referência atual nesse quesito é o 208. O Fiesta também é ótimo.

      • leandro

        Aumentar um pouquinho nas medidas é bondade… Precisava de uns 10 cm pra dar conforto pro passageiro traseiro, mas é justificável a Ford não fazer isso pois senão canabaliza o Focus

    • No_Name

      Não necessariamente. Pode se fazer um carro completamente novo. Exemplos: FIAT Stilo/Bravo.
      O Fiesta B479 será mesmo evolução do B299, tanto que a engenharia já estava desenvolvendo o novo na altura do lançamento do B299 MCA (facelift de 2012). Mas mudará bem, ganhará nova suspensão, novos motores (família Dragon), novas técnicas de construção com mais reforços estruturais e mais qualidade, tenho um amigo envolvido no projeto aqui no Brasil. Será apresentado na Europa no fim deste ano com vendas logo em seguida.

      • Oba

        Existem muito exemplos como 307 para 308, Corolla primeira geração nacional para segunda, Golf V para VI.

      • Edson Fernandes

        Se ganhar espaço interno será bem vindo.

    • invalid_pilot

      Vão alongar ele, provavelmente vai ganhar uns 3~5 cm a mais de entre eixos, ainda mais agora que o Ka chegando na Europa com mais espaço e sendo carro de entrada.

    • Gustavo73

      Não necessariamente, o Golf V para o VI foi a mesma coisa assim como o Focus mk2 para o mk3. Mas a nova geração normalmente é percebida pela chegada de evoluções além de um redesenho. Melhorias significativas na suspensão motores e ou câmbio, aumento da segurança e por aí vai. Outro exemplo é o Pólo europeu ataul frente ao que tínhamos aqui. A diferença na.plataforma (PQ24/PQ25) é a grosso modo a evolução nos materiais de construção e uma nova suspensão dianteira. Mas são tão similares que o Gol G5 que usa a PQ24 usa elementos da suspensão dianteira do Pólo europeu. A Ford deve ter analisado a concorrência é os custos de evolução para uma nova plataforma e que ganhos reais isso deveria representar. A plataforma não é nova (2008) mas ainda é referência na categoria.

    • Marcio Santos

      Felipe, nem toda evolução é troca de plataforma, esta atual é muito segura e atual, pelo que disse o texto receberá um facelift profundo e irá aumentar na largura e comprimento.

  • Vagnerclp

    A frente ficou muito parecida com o Focus mesmo. Eu gostei.

    • XandeeM

      Achei mais parecido ainda com o Fusion.

    • Gabriel

      na minha opinião, não deveriam se aproximar tanto visualmente, deixa eles com sua identidade propria, não como a VW em que a unica diferença é equipamentos e o tamanho do veiculo.

      • Vagnerclp

        É, realmente você está certo e os VW eu também acho que exageraram.

    • Diogo

      Na verdade a frente é igual, o que mudou foi a parte inferior do pára-choque que é realmente mais parecida com a do Focus, o atual parece com a do Fusion.

    • Yury Martins

      Fui olhar a fonte da notícia e parece ser projeção! Essa frente está idêntica ao do Fusion 2017, não acho que será assim, embora tenha ficado bem bonito!

  • Andre Studart

    O Fiesta atual tem uma proporção entre as linhas muito boas, modernizando ele e deixando uma mistura de fusion com focus, deve ficar ótimo, ansioso..

    Ford ultimamente tem acertado a mão em todos os carros, no quesito design

    • Gabriel

      a ford tem acertado a mão, na minha visão , apenas o ka que não é aquelas coisa (podia ser bem melhor esteticamente)

      • Andre Studart

        Concordo, dos hatches compactos, acho o hb20 o mais bem acertado

  • Ricardo Rangel Lirio

    Bom saber que crescerá, pois internamente o espaço é seu ponto fraco.

  • Gabriel

    A imagem ali em sima é uma projeção? ou um focus?

    • Diego

      Projeção

    • Denis

      ……

  • V12 for life

    Espero que com isso essa nova geração chegue mais rápido aqui.

  • pedro rt

    se vai continuar na msm plataforma entao vai ser mais uma evolucao em cima daquela do ROCAM 2002…

  • Humberto Ghirardello

    “Em termos de estilo, a abordagem será a filosofia de estilo atual, que o deixará muito próximo do Novo Focus.” – Preguiça desse excesso de padronização.

  • AlexM

    Dona Ford: por favor apresente versões com câmbio mecânico!!! Seja no Fiesta, seja no Focus!!!
    Automatizado é legal, moderno, mas, por favor, deixe a opção para o consumidor!

    • Diogo

      Cara, eu tenho uma versão rara de se encontrar, o meu é o 1.6 Titanium Manual!

  • Luis Burro

    Jah q mencionaram cambio cvt.Aquele cvt da audi(multitronic) era melhor q o atual dsg?

  • shdn2010

    E a ford queimada com os powershift, eu particularmente acho dificil quem teve problemas confiar na marca de novo.

  • Fernando

    Chega quando no Brasil?

  • Diogo

    O Fiesta 1.5 não faz muito sentido depois do Ka, também acho que não faria sentido esse motor 1.0T rendendo esses 100cv, deixa pro Ka e mantém o fiesta com o Sigma de 130cv ou uma versão esportiva maior que essa potência.

    Sou satisfeito com meu New Fiesta, ainda mais por ter conseguido comprar uma versão que ao meu ver, é a melhor já feita no Brasil, que é o Titanium Manual, raro de encontrar.

    • Andre Studart

      Seria interessante o Ka com o 1.0T de 100cv e o Fiesta com a versão de 130

  • AndersonRomeiro

    Esse fiesta hacth e sedam atual, deveria voltarem a ser o Fiesta Rocam, com versões 1.0 e preços mais em conta. Ja essa evolução do Fiesta, precisa de um bom espaço traseiro e ótimo porta malas, espero que a Ford ouça seus proprietários.



Send this to friend