Home Hatches Novo Hyundai i30: impressões ao dirigir




Novo Hyundai i30 – Ao contrário do que ocorreu no Brasil, a primeira geração do Hyundai i30 nunca foi um grande sucesso na Europa, apesar de ter qualidades louváveis dentro do segmento de hatches médios. Agora, a marca sul-coreana praticamente recriou o modelo, que entrou de vez na mais recente filosofia da marca, tanto em design – adotou o estilo “escultura fluída” –, quanto em refinamento técnico e em conforto.

Com isso, a Hyundai espera ter um concorrente à altura do Volkswagen Golf, eterna referência do segmento no mercado europeu, que vai receber nova geração no Salão de Paris, no último trimestre do ano. O carro cresceu em todas as dimensões e ganhou propulsores aprimorados. Serão cerca de sete opções de motorização, oferecidas de acordo com cada mercado onde o novo Hyundai i30 será vendido.

Na Europa, o foco é nos diesel de alta eficiência, com um novo 1.6 CRDI de potências entre 90 e 128 cv. Há ainda um 2.0 a diesel com 140 cv. Todos receberam melhorias para reduzir o consumo e as emissões de poluentes. Os propulsores a gasolina têm 1.6 litro – que no Brasil virou “flex” para equipar o Kia Soul e rende 130 cv com etanol – e 2.0 litros do atual i30, de 145 cv, que também deverá se tornar bicombustível no mercado brasileiro.

O design do novo Hyundai i30 foi bem mexido, e o hatch ganhou linhas mais elegantes e modernas. O visual lembra bastante o do Hyundai Elantra ­ tanto que nos Estados Unidos ele se chamará Elantra GT – e também remete bastante ao Kia Cee’d, com quem compartilha plataforma. A linha de cintura alta começa ainda na dianteira, e segue por toda a lateral do carro até terminar nas lanternas traseiras. É clara a intenção de dar um ar mais esportivo ao carro.

Por dentro do novo Hyundai i30, mais semelhanças com o Elantra e com o i40, o maior Hyundai de passeio vendido na Europa. O painel mantém a iluminação azulada e ganhou mais tecnologia. Como um sistema de entretenimento integrado com tela sensível ao toque, que mostra informações de todos os sistemas do carro, inclusive do navegador por GPS.

A marca sul-coreana realmente quer fazer do i30 no mundo o sucesso que ele foi no Brasil, com uma nova geração inteiramente revista e elaborada para mirar diretamente a próxima geração do Volkswagen Golf. Tanto que chegou a até impressionar o presidente da fabricante alemã, Martin Winterkorn, durante a apresentação do modelo no último Salão de Genebra. A nova geração do i30 deve chegar ao Brasil ainda em 2012.

Primeiras impressões – Surpresa do Oriente

Sevilha/Espanha – A segunda geração do i30 surpreende pela maturidade. O modelo recebeu acabamento de ótima qualidade dos novos Hyundai e em nada lembra os antigos modelos da marca, que primavam pelo baixo custo e simplicidade extrema.

A sensação é de se estar num carro perfeitamente capaz de concorrer em pé de igualdade com os rivais alemães. Os revestimentos agradáveis ao tato e à visão, assim como todo o arremate da cabine, passam a impressão de algo bem elaborado.

Dinamicamente, a direção precisa e rápida chama atenção. A frente do carro aponta para onde o motorista quiser com facilidade e o comportamento é quase esportivo. A suspensão se encarrega de segurar o carro nas curvas com competência e ainda assim lida bem com imperfeições no solo. Certamente irá agradar aos donos do antigo i30, que já continha características positivas nesse aspecto.

O motor 1.6 CRDI a diesel de 110 cv tem rendimento condizente com a proposta do carro e baixo consumo de combustível tanto com câmbio manual de cinco marchas quanto com o automático de seis. O propulsor vibra pouco e entrega boa dose de força em baixos regimes, o que contribui para um rodar agradável e elegante. É visível o investimento da Hyundai na nova geração do i30. É maior e – substancialmente – melhor.

Ficha Técnica – Hyundai i30 1.6 CRDI

Motor: A diesel, dianteiro, transversal, 1.582 cm³, quatro cilindros em linha, turbo, quatro válvulas por cilindro e sistema de abertura variável de válvulas. Injeção direta e acelerador eletrônico.

Transmissão: Câmbio manual com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.

Potência máxima: 110 cv a 4 mil rpm.

Aceleração de 0 a 100 km/h: 11,3 segundos.

Velocidade máxima: 185 km/h.

Torque máximo: 26,5 kgfm entre 1.900 e 2.750 rpm.

Diâmetro e curso: 77,2 mm X 84,5 mm. Taxa de compressão: 10,5:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson e amortecedores a gás. Traseira do tipo barra de torção e amortecedores a gás. Barras estabilizadoras na frente e atrás. Oferece controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 215/55 R16.

Freios: Discos ventilados na frente e discos sólidos atrás. ABS, EBD, assistente de frenagem de emergência e controle de frenagem em curvas.

Carroceria: Hatch em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. Com 4,30 metros de comprimento, 1,78 m de largura, 1,47 m de altura e 2,65 m de distância entre-eixos. Airbags frontais, laterais, para os joelhos dos ocupantes dianteiros e do tipo cortina.

Peso: 1.245 kg.

Capacidade do porta-malas: 378 litros.

Tanque de combustível: 53 litros.

Produção: Nosovice, República Tcheca.

Lançamento mundial: 2012.

Itens de série: Ar-condicionado automático, direção elétrica, trio elétrico, computador de bordo, volante multifuncional, partida por botão, rádio/CD/MP3/USb/iPod/Bluetooth, bancos dianteiros com ajuste de altura, airbags frontais, laterais e de cabeça, controle de estabilidade e de tração, ABS com EBD.

Preço na Europa: 16.300 euros (equivalentes a R$ 37 mil).

Por Auto Press



Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.