Novo Jeep vai aparecer primeiro no Brasil, segundo revista

17/03/2016

novo-jeep-flagra-7

O novo crossover da Jeep, conhecido como Projeto 551, deve estrar primeiro no Brasil, de acordo com a revista Quatro Rodas. O modelo será o terceiro carro a ser feito na fábrica de Goiana/PE, embora também venha a ser feito no México e potencialmente na China.

Em um evento da Jeep nos EUA, a marca americana teria confirmado a apresentação do novo crossover no Brasil. Com chances de ser chamado de Compass, ele substituirá o modelo de mesmo nome, além do utilitário esportivo Liberty/Patriot. A empresa tem dois nomes já consagrados e um será escolhido.

O novo Jeep seria apresentado em Nova Iorque, no final do mês, mas foi adiado para o último trimestre de 2016, na fábrica de Goiana. Havia até a expectativa de ser mostrado em Paris. O modelo terá motor diesel 2.0 Multijet de 170 cv ou 2.0 Tigershark com algo em torno de 160 cv. No mercado americano, pode mesmo receber o 2.4 Tigershark com 184 cv.

[Fonte: Revista Quatro Rodas]













  • Bruno Silva

    Espero que venha competitivo. Na faixa dos 100-150mil vai estar bem posicionado.

    • Bruno

      Concordo com você, mas no cenário econômico e político atual, o futuro está imprevisível.

      • Matheus Conrado

        No Andar de cima o mercado não encolheu tanto..basta ver que o Sedan mais vendido nos últimos meses é o Corolla,que Parte de 70 mil..

        • Bruno

          Eu respondi seu comentário mais o NA apagou, não sei o motivo. Mas repito meu comentário, com as constantes mudanças nas taxas de importação e a alteração/criação de impostos se torna praticamente impossível de estimar os preços pra qualquer coisa mais futuramente.

    • Hugo Borges

      Na mesma estratégia do Outlander. Essa fatia de até R$150.000,00 quase não tem opções a diesel

    • Gran RS 78

      Pensei o mesmo que vc. Se a Jeep lançar nesses preços, acho que a marca terá mais um forte concorrente no segmento que mais cresce no mundo.

  • The Monster Man

    Por favor, só não coloquem o e-torq nele, esse motor não foi feito para motorizar veículos pesados sem ter a adoção de turbo compressor.

    • Artur

      Acho que não farão isso, até porque o Etorq já quase não dá conta do Renegade, que é menor e mais leve do que esse! Rsrs

      • oscar.fr

        Mas o novo Jeep também não vai poder se permitir ser muito mais pesado que o Renegade, com uma tonelada e meia, o Renegade já é extremante pesado para a categoria.

        • Artur

          Mas virá numa faixa de preços superior, o que justifica a escolha de um motor mais potente – e mais caro. Duvido que venha com o Etorq. Se vier, vai concorrer com versões mais caras do próprio Renegade e vai ser ainda mais lento do que esse com motor flex. Simplesmente não faz sentido!

          • oscar.fr

            Lógico que não faz e que não virá. O eTorq está no limite do aceitável no Renegade tanto por razões técnicos, quanto de imagem mesmo. Nenhum carro de 100 mil reais poderia ter um motor eTorq.

            • Artur

              Também acho. Resta saber se virá com o Tigershark 2.0 ou 2.4.

              • oscar.fr

                Um chute: virá com o motor mais fraco destes dois e, daqui há algum tempo, o mesmo motor passará a ser oferecido na Renegade, provavelmente durante alguma reestilização e possivelmente no lugar do 1.8 eTorq.

                • Artur

                  Ou em uma versão intermediária entre o Etorq e o Multijet, no caso do Renegade.
                  Fato é que a Fiat bem que poderia trocar o Etorq pelo futuro 1.4 GSE turbo que está previsto para chegar ano que vem, ficando, portanto, com o 1.4 GSE turbo na versão de entrada, 2.0 Tigershark flex na intermediária e 2.0 Multijet diesel na top – o que considero um line up ideal.

  • oscar.fr

    Liberty e Patriot são bem mais consagrados que o Compass, este não tem uma fama muito boa de fiabilidade mecânica.

    • DiMais

      Liberty e Patriot soam como excessivamente nacionalistas para os EUA e mundo afora pode não ser uma opção tão neutra como Compass.. é possível que o mesmo carro receba nomes diferentes para mercado norte americano e global.

      • oscar.fr

        Mas ser nacionalista não é nenhum problema na América do Norte. Americanos, canadenses, quebequenses todos bastante nacionalistas e olha que este é meu assunto de pesquisa na academia.

        • DiMais

          mas é isso que digo LÁ na América do Norte são nomes fortes, fora do cercadinho nem tanto.. Por isso que o nome mundial dele pode ser Compass, mais neutro, mas lá nos EUA ele pode receber os nomes nacionalistas assim como o slogan que a Chrysler utilizou recentemente “imported from Detroit”.

          • oscar.fr

            Nem sei se o Patriot foi vendido no mercado internacional. Ele é o mais acessível da linha Jeep, mais barato inclusive que o Renegade. Até sob esse ponto de vista Compass faria mais sentido. Mais repito, foi um carro que não ficou com uma boa fama mecânica. Começou com cãmbio CVT e depois retornou ao automático tradicional. A Jeep, aliás, não tem uma fama super boa em termos de fiabilidade nos EUA. Vamos ver como os Renegade se sairão no Brasil ao longo dos próximos anos.

  • Matheus Conrado

    Realmente, na parte econômica a situação está desastrosa, porém as montadoras ainda tem muita gordura pra queimar, o próprio exemplo é A FCA, que trouxe preços bem agresivos…

    • Bruno

      Mas na contramão disso temos toyota e honda com preços astronômicos, sem falar nas ditas “nacionais”, a exemplo temos a Fiat strada aventure na versão extreme completa que beira os 75 mil reais.

  • DiMais

    ele ser apresentado no Brasil seria uma grande recompensa para a equipe de desenvolvimento local que tem feito um excelente trabalho com os modelos saídos da fábrica de Goiana.