Home Europa Novo Mercedes-Benz Classe C vai de motor Renault

renault 16 dci motor 620x458 Novo Mercedes Benz Classe C vai de motor Renault




O Novo Mercedes-Benz Classe C está bem perto de chegar ao mercado mundial, trazendo consigo um estilo bem mais próximo ao do Novo Classe S 2014. O ex-modelo de entrada da marca alemã terá maior nível de sofisticação para se distanciar do bem sucedido CLA.

Entre as principais mudanças no Novo Mercedes-Benz Classe C está a incorporação de motor de origem Renault. A futura versão C200 CDI deverá ter motor diesel de quatro cilindros 1.6 com 130 cv e 32,5 kgfm, já utilizado nos Renault Megane Hatch, Renault Scénic e Nissan Qashqai.

Esse bloco diesel da Renault só estará disponível na versão de entrada do Novo Mercedes-Benz Classe C e deverá sofrer modificações para ser colocado em posição longitudinal, com transmissão manual de seis marchas ou automática de sete velocidades, despejando assim o bom torque fornecido nas rodas traseiras.

O 1.6 dCi da Renault não será o primeiro bloco diesel da marca francesa colocado em um Mercedes. O popular 1.5 dCi é utilizado atualmente pelo Classe A e CLA, bem como poderá ser usado também no GLA. Com isso, Renault-Nissan e Daimler aumentam o compartilhamento de tecnologia e reduzem os custos. Os demais motores diesel do Novo Mercedes-Benz Classe C serão feitos pela marca.


  • Gustavo73

    E o pessoal pira. Em 1, 2, 3…

    • Leandro1978

      é… para quem imaginaria o contrário… rs… Mas eles já possuem um modelo que nada mais é do que um Renault Kangoo, o Citan. Além disso, há boatos de uma nova família de compactos para a Mercedes-Benz. De acordo com informações da revista alemã Auto Bild, está nos planos da empresa lançar uma linha de modelos batizada de Classe X com base na plataforma do próximo Clio.

      • Gustavo73

        Verdade, mas não é só isso. Muitos aqui acham que o THP é um projeto BMW e que o Grupo PSA tem só a benesse de recebe-lo. A BMW sempre teve excelentes motores. Mas motores de 4 cilindros nunca foram seu forte, muito menos menores que 2.0. Quando a Tritec (aqui no Brasil, outra joint Venture da BMW e Chrysler) parou de fornecer os motores para os MINI. A BMW se juntou a PSA para produzir motores 4 cilindros pequenos e eficientes, o projeto é conjunto e os elogios e ou criticas devem ser divididos entre as duas.
        Em tempo, apesar da Fiat ter comprado a Tritec, ela não comprou a tecnologia ou licença para fazer os motores. Foi só a estrutura física.

        • Leandro1978

          Isto é algo que não sabia, achava que os motores Fiat de lá utilizavam a tecnologia.

          • Gustavo73

            Os motores Multi-air são 100% Fiat… A fábrica da Tritec era só no Brasil.

            • Matheus_P

              Gustavo, a base do etorq nao eh o tritec 1.6? ambos ate tem 16v com comando simples… Acho q eh praticamente o mesmo motor sim,,,

              • Gustavo73

                Para mim os chamados e-torq são nada menos que os motores 1.6 16b e 1.8 16v do Brava da década de noventa …

                • Hofmann

                  Na verdade não tem nada a ver, os E-Torq, tanto 1.6 quanto 1.8, usam o mesmo bloco dos Tritec 1.6 (o 1.8 aumenta o diâmetro dos cilindros em relação ao 1.6, é a única mudança), mas como não poderia deixar de ser, foram simplificados pela Fiat, além de virarem flex, para serem usados na linha nacional.

                  O 1.6 16v do Brava na verdade são 2 motores diferentes: Um deles (se não me engano o usado até modelo 2000) era brasileiro, o mesmo do Palio 16v, basicamente um Sevel 1.6 com 4 válvulas por cilindro. Tinha duplo comando de válvulas no cabeçote (E-Torq são comando único), não tinha um torque satisfatório em baixas rotações, além de ter só 99cv. Por isso, na linha 2001, foi trocado pelo 1.6 16v italiano, conhecido como Corsa Lunga, pelo fato de ter curso longo dos pistões, passando gerar 106cv e a ter mais torque em baixa. Já o 1.8 16v também era italiano, tinha variador no comando e no coletor de admissão, duplo comando de válvulas (relembrando, o E-Torq tem comando único). Portanto, nenhum dos 3 tem nada a ver com E-Torq.

                • Four Rings

                  Gustavo, a Fiat tem sim os direitos de produzir os motores Tritec. Aliás, os eTorq são os Tritec. Eles apenas foram convertidos para flex e ganharem updates, sendo que o 1.8 é uma versão de curso alongado do 1.6. A Fiat tem ainda direito de produzir a versão 1.4, mas optou por manter a unidade Fire em sua linha. Resumindo: os motores 1.6 e 1.8 da Fiat são sim de origem BMW-Chrysler.

                  • Hofmann

                    O 1.8 não tem curso alongado não, tanto 1.6 quanto 1.8 tem o mesmo curso, o que muda é o diâmetro dos pistões, apenas.

                    • Four Rings

                      Ops, tem toda razão. O bloco foi alargado. Aliás, é mesmo a melhor alternativa (evita tornar o motor ruidoso).

                • Edson Roberto

                  SE fosse, meu amigo… acredite… teriamos um motor muito SUPERIOR aos Tritec. Eram motores menos ruidosos, com mais disposição e elasticos. Não que os Tritec atuais não sejam elasticos, mas em comparação técnica eles são inferiores.

                  Além disso os "antigos" motores da Fiat são mais economicos.

                  • Gustavo73

                    O pessoal já mostrou que o motor Tritec ainda vive, alguns acham que só o 1.6 outros incluem o 1.8 é só uma versão "maior". Mas oque eu não entendo é por a Fiat preferiu mante-los ou invés de colocar os seus próprios, que muitos aqui dizem ser melhores.

                    • Leandro

                      Fabrica pronta, projeto pronto. Pra que adaptar toda a produção pra produzir um motor, que já não é um projeto tão novo (vem lá do início dos anos 90)? Além disso o tritec tem tamanho e peso bastante reduzidos. É um projeto simples e eficiente.

                  • dammota

                    Concordo com o Edson Roberto… antes fossem os mesmos motores… o 1.8 16v do brava hgt tem comando variável de válvulas… tenho um em casa… o torque dele é abundante em baixas rotações… só se percebe que é 16v, quando se "estica" na estrada, vc vê que o motor é muito "elástico"

                  • Nen

                    Motores antigos tem mais tendências de serem economicos por não serem Flex, tecnologia Flex é muito tosco para quem quer ter economia/autonomia.

                • Pneto

                  kkk nada a ver Gustavo, Etorq vem da Tritec

        • AF1979

          Pelo que sei, o único motor que tinha problema maior de patente na Tritec era o 1.6 com compressor volumétrico, que não foi feito. Os outros motores estavam autorizados de ser feitos (ainda que a Fiat tenha optado só pelo 1.6, uma vez que o 1.4 redunda com o Fire) e criou-se o 1.8 usando o mesmo bloco (basicamente a arquitetura do motor do Chrysler Neon com menor distância entre centros de cilindros, algo análogo ao que vemos nos Famílias I e II da GM). Fora isso, incorporaram a esses blocos tecnologias que a Fiat já usava em outras unidades (como as bielas fraturadas). Pelo que sei, entre os E-torQ e os Tritec, ainda que haja similaridades evidentes, há pouquíssimas peças intercambiáveis (aqui tanto sendo as melhorias que a Fiat aplicava em outras unidades como também pequenos redesenhos que poderiam ser tanto para dar maior eficiência como também caracterizar alguma patente exclusiva).

        • LTD1976

          Comprou sim os direitos do motor. Tanto que é o único motor Fiat com 16v e comando único e acionado por corrente. Características dos tritec.
          Quanto à reportagem, não deixa de ser estranha Mercedes, a mais tradicional e primeira fabricante de carros a Diesel usar motores de outro fabricante.

          • Gustavo73

            Vc tem certeza disso, para mim os 1.6 16v e 1.8 16v e-torq não são nada além dos motores do Brava da década de 90. O 1.8 inclusive tem a mesma potência. do antigo Brava…

            • TDRamos

              Não, o 1.6 16v do Brava não é o mesmo que o 1.6 16v usado hoje, que é da Tritec

              O 1.8 16v do Brava, acho que é o antigo 1.6 16v com a cilindrada aumentada, e que depois ficou conhecido como o motor 1.9 16V, que na verdade era 1.8 do Linea, mas que foi chamado de 1.9 pra diferenciar do 1.8 8v Powertrain da GM que a Fiat Usava

              • Gustavo73

                Valeu pela informação. Realmente achava eram todos os mesmos. Mas fica meio bagunçado isso 1.4 Fiat 1.6 Tritec e 1.8 Fiat…

                • Four Rings

                  O 1.8 é Tritec também. É o mesmo 1.6, apenas teve o curso alongado.

                  • Roms

                    Não teve curso alongado, apenas aumento do diâmetro dos pistões.

                    • Four Rings

                      Ops corrigindo, diâmetro alargado :)

              • pablostas

                O motor 1.8 16v da linha brava/marea, na verdade são os mesmos motores utilizados pelos alfas, porém com uma vela por cilindro ( não é twin spark ). A potência é a mesma, mas não existe mas nenhuma similiaridade entre ambos.

              • Leandro

                O 1.8 16v e o 1.6 16v não eram os mesmos motores. O 1.8 16v é de origem alfa romeo. O 1.9 do Linea é baseado no 1.6 16v.

        • gnloch

          BMW M10 e S14 discordam de vc quanto a bmw não ter bons motores L4. (Principalmente o M10 que na versão M12 de competição chegava a 1300cv na F1)

          • Gustavo73

            Realmente não conhecia estes motores. Mas não disseque ela não sabia faze-los. Mas a BMW é famosa pelos seu 6 em linha e não pelos seus L4. Mas tb não dá para falar que o THP é obra somente da BMW e a PSA não tinha nada a oferecer…

      • Gustavo73

        Inclusive há boatos que os Mercedes nacionais possam sair da fábrica da Nissan em Resende…

        "Nenhuma das marcas assume oficialmente o acordo, mas, segundo CARPLACE apurou junto a fontes ligadas ao governo, o novo Mercedes CLA será produzido em Resende (RJ) como resultado da parceria Daimler/Renault-Nissan. De acordo com gente ligada à empreitada, o projeto já tem até nome interno: “Kompressor”." Carplece http://www.novidadesautomotivas.blog.br/2013/05/m

      • CharlesAle

        pois é,é a economia total em lançar novos modelos,não há mais o "ego"de se ter um produto puro da marca,e sim,promover alianças com demais fabricantes para redução máxima de custos,até a Mercedes não pode se dar ao luxo de não economizar nesses tempos bicudos…

  • dudupruvinelli

    E aí? Cadê os que disseram que francês só sabe fazer perfume?

    • Rox_

      Que nada, sabem fazer também ótimos vinhos e queijos.:D brincando hehe

    • Brunocarro1998

      Motor é uma coisa, carro é outra. Não estou falando que francês seja ruim, mas tem problemas no pós-venda. A Renault tem um bom pós-venda, mas o Fluence por exemplo, tem uma montagem horrível, ou seja, só fazem carro bom mesmo, é entre os populares. Modelos caros da PSA tem desvalorização acentuada, e são "micos" de mercado, fora a manutenção difícil e caríssima.

      • netovski

        O fluence tem uma montagem horrível?

        Mas você já andou em um Fluence?

        Porque eu já tive oportunidade de dirigir um Fluence Privilége por 3 vezes e nunca notei isso, talvez porque eu tenha ficado tão impressionado com o carro que os detalhes me passaram despercebidos.

        • Felix_S

          Eu acho o Fluence o mais confortável dos sedãs médios. É um carro muito bom

        • Brunocarro1998

          Já andei diversas vezes em um, não acho esse tipo de "montagem" ruim. Me refiro ao encaixe de certas peças, o puxador lateral da porta é totalmente desalinhado. Fiquei um dia observando um em um estacionamento, as lanternas traseiras desalinhadas, capô com muito espaço para o para-choque, me dão uma impressão de falta de cuidado. Isso também foi criticado por alguns meios de comunicação; Não considero o Fluence ruim, pelo contrário, é uma boa compra, mas fechar os olhos, e falar que tem montagem no nível de um Jetta por exemplo, é exagero.

          • Edson Roberto

            Mas digo que, considerando os carros que são vendidos aqui, os unicos modelos que tem de fato montagem bem interessante são os que vem do México e também por questão de imagem (infelizmente para os brasileiros é) são os nacionalizados Civic e Corolla. Não deixam de passar uma boa impressão de montagem. Ainda que considere a escolha de materiais do Civic inferior aos concorrentes.

      • Tejolo

        Engraçado, tenho um fluence e um civic, e não percebo nenhuma diferença de qualidade de montagem entre ambos, a única diferença é que no fluence a qualidade dos materiais são bem superiores ao do civic. À não ser que o civic também seja mal montado…..

        • Oba_

          Ainda bem que tem alguém aqui com respaldo acima de qualquer suspeita para desmistificar lendas urbanas.

      • Oba_

        Mesmo que tivesse montagem externa inferior aos concorrentes pra mim pelo menos jamais será motivo para deixar de comprar um carro.
        Prefiro ter um carro com 6 air-bags, esp, ar bi-zone, gps, sensor de chuva e do retrovisor interno, rodas de liga 17, chave presencial do que um carro com montagem externa um pouco melhor e sem nenhum dos itens citados acima pelo mesmo preço.

  • acorda

    Logo aparecem os colegas para poluir os comentários com o mantra "dacia".

  • Matheus_P

    Taí algo inesperado. Sendo esse o motor de entrada, a mercedes ta enterrando o tao aclamado BlueEfficiency?

  • anderson_sp

    Na F1, o Renault é uns dos melhores motores junto a Mercedes, já aí no caso acho que a Mercedes não botaria o nome na vala pra escolher um motor ruim para seus carros.

    • Zergling

      Na F1 o Renault É o melhor motor.

      • artfukr

        Para mim, a Renault, a Mercedes e a Ferrari possuem os melhores motores na F1 e estes se equivalem. O que a RBR tem de melhor em relação aos concorrentes não é o motor, mas sim o piloto! :D

  • Tosca16

    Renault tem excelentes motores , pena que não temos as melhores opções da marca aqui no nosso mercado . Não vejo nada de mais , bela parceira e motorização bacana.

  • MajorAutomotivo

    Como podem, esses franceses não entendem nada de carros e motores.

    • CharlesAle

      Eu discordo,acho os motores Renault muito bons,o próprio CHT,que foi utilizado por Ford e VW(1.0 e 1.6)é de origem renault,e é um motor durável e resistente,não é potente e tal,mas dura muito……..

      • Elton Lopes

        Não é o CHT, é o motor fabricado antes dele, aquele pintado de azul, que sairam no corcel I e II, belina, del rey.

      • Edson Roberto

        Mas acredito não terem sido feitos para serem potentes e sim para o proposito de serem economicos e duraveis não?

        Só a Ford me inventou de colocar no XR3 por ser o motor "mais forte" da mesma na epoca.

        • Gustavo73

          E por coisas como essa, o XR3 não é lembrado como um esportivo, como os GT/GTS/GTI, Turbo da Fiat e GS/GSI da GM

  • Gustavo73

    Nunca existiu um Tritec 1.8.
    "A Tritec Motors foi uma joint venture firmada em 1997 entre a BMW e a então Chrysler. Ela é hoje resultado de um investimento de US$ 500 milhões em cotas iguais de participação, para fabricar no Brasil motores 1.4 e 1.6 litro. A fábrica foi instalada em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, no Paraná, em um terreno de 1,27 milhão de metros quadrados. Os trabalhos de construção começaram em 1998 e em Janeiro de 1999, a área de 40 mil metros quadrados da Tritec já estava construída.
    O primeiro motor foi fabricado em Setembro daquele mesmo ano e a Tritec chegou em 2003 com a capacidade de produção de 400 mil motores/ano, porém nunca fabricou mais do que 250 mil motores/ano.
    Os motores a gasolina de 4 cilindros 1.6/1.4 litro, ambos com 16 válvulas, são destinados ao mercado externo, equipando todos os modelos da marca Mini (exceto o modelo movido a diesel, cujo motor era fabricado pela Toyota), do Grupo BMW, fabricados na Inglaterra, o PT Cruiser fabricado na Europa e México, e também o Neon, fabricado nos Estados Unidos, ambos da marca Chrysler (hoje Cerberus Capital Management) pertencente à DaimlerChrysler (hoje Daimler AG).
    Em 12 de março de 2008, a fabricante de automóveis italiana Fiat assinou um acordo com a Chrysler para a compra da fábrica Tritec Motors em Campo Largo, no Paraná, onde produzirá um novo tipo de motores, com um investimento total de 83 milhões de euros, incluídos os custos de desenvolvimento. A operação foi feita pela unidade Fiat Powertrain Technologies (FTP), que reúne as atividades de motopropulsão.1 2"
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Tritec_Motors

    Pegue os motores do Bravo feitos aqui na década de 90 tanto os 1.6 quanto o 1.8 tem a mesma potência

  • Gustavo73

    Nunca existiu um Tritec 1.8.
    "A Tritec Motors foi uma joint venture firmada em 1997 entre a BMW e a então Chrysler. Ela é hoje resultado de um investimento de US$ 500 milhões em cotas iguais de participação, para fabricar no Brasil motores 1.4 e 1.6 litro. A fábrica foi instalada em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, no Paraná, em um terreno de 1,27 milhão de metros quadrados. Os trabalhos de construção começaram em 1998 e em Janeiro de 1999, a área de 40 mil metros quadrados da Tritec já estava construída.
    O primeiro motor foi fabricado em Setembro daquele mesmo ano e a Tritec chegou em 2003 com a capacidade de produção de 400 mil motores/ano, porém nunca fabricou mais do que 250 mil motores/ano.
    Os motores a gasolina de 4 cilindros 1.6/1.4 litro, ambos com 16 válvulas, são destinados ao mercado externo, equipando todos os modelos da marca Mini (exceto o modelo movido a diesel, cujo motor era fabricado pela Toyota), do Grupo BMW, fabricados na Inglaterra, o PT Cruiser fabricado na Europa e México, e também o Neon, fabricado nos Estados Unidos, ambos da marca Chrysler (hoje Cerberus Capital Management) pertencente à DaimlerChrysler (hoje Daimler AG).
    Em 12 de março de 2008, a fabricante de automóveis italiana Fiat assinou um acordo com a Chrysler para a compra da fábrica Tritec Motors em Campo Largo, no Paraná, onde produzirá um novo tipo de motores, com um investimento total de 83 milhões de euros, incluídos os custos de desenvolvimento. A operação foi feita pela unidade Fiat Powertrain Technologies (FTP), que reúne as atividades de motopropulsão.1 2"
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Tritec_Motors

    Pegue os motores do Brava feitos aqui na década de 90 tanto os 1.6 quanto o 1.8 para mim são estes os motores usados…

  • ocduarte

    Se a manchete fosse "Renault utilizará motores Mercedes-Benz" os comentários aqui seriam menos preconceituosos. Mesmo que a Renault mostre ter tecnologia suficiente para fabricar o motor que domina a F1 há meia década.

  • Renato_Dantas

    Quando uma empresa do porte da Mercedes une-se a outra para fornecimento de motores ou peças, entra em ação o rigoroso controle de qualidade da Mercedes, o exemplo foi a união da Chrysler com a Mercedes e a masma livrou-se dessa união mal sucedida.

  • oscar_fr

    E ainda tem gente que se surpreende, faz-se carros e motores bons sim no hexágono! Allez les bleus!

  • Froid_Dalton

    Carros franceses são maravilhosos, eles entendem muito de automóveis sim. O histórico vitorioso das 3 grandes fabricantes francesas no automobilismo fala por si. Eu tenho um Citroën e me apaixonei por carro francês depois de adquirí-lo. Antes, tinha preconceito contra carros dessa origem, devido à fama(mitológica, diga-se) de carros frágeis e difíceis de manter. Pra dar um exemplo, meu C3, hoje com quase 50 mil km, nunca queimou 1 lâmpada, só fiz a preventiva e ele está mais íntegro(no sentido de solidez, de ter menos barulhos e desgastes) do que o meu ex Corsa, que foi roubado com cerca de 20 mil km rodados e era um ótimo carro, mas inferior ao Citroën até mesmo em qualidade(meu Corsa já havia apresentado defeito no batente do amortecedor dianteiro).

    Portanto, a maioria dos que criticam, o fazem sem conhecimento de causa. Quem tem ou teve um Peugeot, Citroën ou até mesmo um Renault(marca da qual não sou muito fã, pois seus modelos defasados aqui demonstram a falta de respeito para com o nosso mercado) e se deu bem com ele, sabe o quanto carro francês pode ser prazeroso de se ter. Os franceses evoluíram muito em qualidade, são carros confiáveis e duráveis hoje em dia.

    MAS, não sou a favor de "misturebas" em excesso. Um Mercedes-Benz com motor Renault, do meu ponto de vista, soa um pouco bizarro. Só que quem sou eu pra argumentar contra um engenheiro da Mercedes ou da Renault, não é mesmo??rsrsrs

    Se a Mercedes, uma marca de tanto prestígio, decidiu por utilizar um propulsor francês, isso só ressalta ainda mais a qualidade automotiva dos carros da terra do vinho e da Torre Eiffel.

  • Filipe_GTS

    Basta olhar a fórmula 1, o sucesso dos motores Renault.

  • Brunocarro1998

    Que exagero falar que francês entende muito de carro. Até parece que vendem nos EUA! Você teve uma boa experiência, mas aqui em casa, dois "fraceses" que tivemos deram muita dor de cabeça. Fora que vários conhecidos também tiveram problemas com o grupo PSA em especial. Teve um que trocou uma Xsara Picasso em um March, de tanta dor de cabeça que teve.

    • Four Rings

      Menos preconceito Bruno. Você pelo visto não conhece a história automotiva da França, eles têm MUITA tradição em carros. Não vender nos EUA não tem nada a ver, é um mercado totalmente diferente e nem de longe é referência mais. Conheço gente que colecionou problemas com carros da GM e Ford. Então pela sua lógica eu deveria considerar que americano não sabe fazer carro. Tem tecnologia francesa em diversos carros de outras nacionalidades, e as pessoas nem sequer imaginam. É uma pena. Você pode criticara o pós-venda da PSA e eu vou apoiar, mas dizer que francês não entende de carro? Aí está muito enganado.

  • CharlesAle

    Renault tem muito know row para fabricar motores excelentes,tanto que se gabarita para fornecer a Mercedes,quando o reconhecimento vem de um concorrente,é que a coisa é boa…..

  • 3ic

    uma coisa é renalut, outra é PSA

  • alexhmoraes

    E os preços? vão ser de Renault também????

  • Lexus GS300

    Que necessidade tem uma marca de origem alemã cuja tecnologia é considerada a das mais avançadas do mundo para ir de uma marca que sempre passa uma imagem de produtos baratos na Europa? O que está acontecendo com os alemães? Seria uma espécie de desespero por conta da futura substituição do sistema de geração de energia nuclear pelas ineficientes alternativas visando o lado ecológico? Seria medo que a energia aumente absurdamente e se torne mais escassa já que a Mercedes começa a revisar seus planos de produção de motores por lá?
    Bom! Só o tempo dirá.

    • Four Rings

      O mundo mudou, foi isso. Hoje a Renault é referência em motores à diesel (junto com a VW e a Fiat). A Mercedes tem sim a ganhar com eles. O que não mudou foi a mente dos consumidores, ainda presa ao passado e tradições. O que interessa é o produto, desapeguem um pouco dessa noção de marca em primeiro lugar.

      • Edson Roberto

        Além do que, nada diz que o motor da mesma é ruim. Por outro lado, todo ano tem ganho premios de durabilidade, entrega de potencia e ser menos poluente.

        A Mercedes usar motores Renault é para uma unica relação: Cortar custos com um propulsor a altura do que a marca pode usar. Se o motor é interessante não ha nada que desabone e muito menos faça a Mercedes "perder" estrelas com isso.

    • Lexus GS300

      Bom! Nesse caso, não estou exagerando e nem denegrindo a imagem da Renault, mas é um passo futuro para vermos modelos Ford, Chevrolet, Fiat e até mesmo modelos alemães com motores da Lifan ou Chery.

      Tudo é possível.

  • Magnus

    mas brasileiro é chucro mesmo e acha que carro francês não presta . . . . bom mesmo é AP!!!!!!

    • Four Rings

      Triste mentalidade. Somos atrasados demais, e prova disso é a "qualidade" do nosso mercado automotivo.

  • Roberto

    acho saudavel. a Mercedes tava precisando de escala mesmo pra ganhar em custos (alem de modelos de entrada… soh perdeu market share aqui na alemanha nos ultimos anos). Lembrando o que o Marcchione disse poucos anos atras, somente ha espaco pra 9 grandes players globais no mercado automotivo.
    a especular olhando hj:
    1) GM+Suzuki
    2) Ford
    3) Fiat+Chrysler
    4) Honda
    5) Toyota
    6) VW+Audi+Porsche
    7) Renault+Nissan+Mercedes
    8) Hyundai+Kia
    9) BMW+PSA-Citroen

    provavelmente, mais sinergias virao nos proximos anos
    chinesas eu nem conto pq eles nao vendem expressivamente em escala global

    • zemarreta

      Dessas pelo que li, a BMW rompeu com a PSA, que está procurando o abraço de urso da GM.

  • Readgis

    Buenas, estão à frente da alemã no campeonato mundial de F1 com os Touros Vermelhos.

  • Adriano_Silva

    Não compro mais rrsrsrsrrs.

    • Carlao GTS

      RACHEI KKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • TDRamos

    Eu vi no mesmo dia essas informações, mas depois, Hofmann.
    Mas ae já não dava mais pra editar meu comment então deixei passar, mas de qualquer maneira é isso mesmo, você está certíssimo.

  • andrevidigal

    Entenda-se como Renault de verdade, e não Renault-like, leia-se Dacia!

    • Pereira_

      os duster / sandero usa na europa o motor dci 110, que poderia ter equipado o classe c (que esta com o dci 130), qual o problema de compartilhar motores? a Dacia tb usa motores renault….

  • zemarreta

    Já dirigi o 1.5dci e é um motor excelente, muito torque em baixa, pouco lag e ultra econômico. Se tem uma coisa que os franceses sabem fazer bem feito é diesel de baixa cilindrada. São décadas de tradição. Acho que a Mercedes só tem a ganhar usando o 1.6d nos carros deles.

    PS: para quem não sabe, e tem preconceito contra os franceses, o Freelander diesel tem coração peugeot…

  • mjprio

    Em que pese a linha dCi ser muito boa, a MB , bem como a PSA sempre foram conhecidas pela produção dos melhores motores diesel do planeta( lembra do saudoso OM 616 da Classe E, que duravam mais de 1 milhao de km?) Será que é necessário pedir a Renault pra fornecer motores?

  • Pedro

    Perguntem na França quem tem mais prestígio: carros alemães ou franceses?
    A resposta é óbvia e é um dos motivos das dificuldades das montadoras francesas.
    Pode ser preconceito com eles mesmos, mas é assim que o mercado francês pensa.