Home Marcas Fiat Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

vi140212 04 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir




Enquanto a nova geração não chega, a Fiat tratou de mexer no Punto europeu. O objetivo é manter atualizado o campeão de vendas em seu país sede, a Itália. O hatch, que já emplacou cerca de 8,5 milhões de unidades na Europa – mais da metade disso no mercado italiano –, ganhou mudanças sutis no visual e na mecânica para segurar a boa fase no combalido mercado europeu e continuar a ser um dos “best sellers” da Fiat.

O modelo se propõe a ser uma opção maior e mais requintada que o recém-renovado Panda – na Europa, não há o Palio no “meio do caminho” entre o modelo mais simples e o Punto. A maior novidade é a introdução do premiado motor TwinAir, de apenas dois cilindros e 875 cm³. Graças ao turbo, o propulsor gera 85 cv e 14,7 kgfm de torque, máximo a baixas 2 mil rpm, o que garante força suficiente para empurrar o Punto com alguma agilidade.

Apesar de ter o menor motor da gama, ele não é o mais barato, mérito que continua a ser do modelo equipado com o quatro cilindros convencional de 1.2 litro e apenas 69 cv. O mais simples sai por 11.650 euros na Itália – cerca de R$ 26 mil –, enquanto o TwinAir eleva o custo para 15 mil euros, aproximadamente R$ 34 mil. Além deles, há um 1.4 16V com potências entre 77 cv e 135 cv e o 1.3 Multijet a diesel com opções de 75 cv a 95 cv, que também ganhou mudanças para ficar mais econômico e menos poluente.

vi140212 01 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

O visual continua praticamente o mesmo, mas a nova reestilização deu ao Punto um ar mais sofisticado. Ele perdeu o “bigode” do primeiro facelift – quando também adotou o sobrenome “Evo” – e voltou a ter a frente limpa, apenas com luzes auxiliares e de neblina no parachoque dianteiro.

Laterais e traseira se mantêm inalteradas, o que não chega a ser ruim, já que o hatch tem um perfil esportivo e ainda se destaca entre os concorrentes com o “jeitão” tipicamente italiano dos traços originais de Giorgetto Giugiaro. As lanternas traseiras ganharam leds e as belas rodas novas compõem um conjunto mais requintado.

Por dentro, os novos revestimentos e materiais usados indicam a estratégia da Fiat de querer injetar mais sofisticação no modelo. A atmosfera ficou mais madura, com mais equipamentos e um refinamento inédito no Punto. As linhas do interior também continuam as mesmas, mas tudo foi retrabalhado para ao menos passar a impressão de melhor qualidade.

vi140212 02 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

Entretanto o navegador por GPS ainda requer um suporte específico que não se integra ao painel. É um carro bem equipado, com airbags frontais e laterais, controle de estabilidade, direção com assistência elétrica e até assistente de arrancada em ladeiras. Tudo de série em todas as versões.

No entanto o Punto já começa a entregar a idade do projeto – a atual geração é de 2005. Enquanto o restante do segmento já se renovou na Europa, como Volkswagen Polo e Ford Fiesta, o Fiat mais vendido no Velho Continente ainda deve manter a forma atual por mais algum tempo. Ao menos até que a marca se estabilize financeiramente e volte suas atenções para os modelos europeus.

vi140212 03 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

Primeiras impressões – Agradável surpresa

Balloco/Itália – Num primeiro momento, é difícil perceber as diferenças do novo Punto. O modelo manteve o mesmo desenho – muito bonito, por sinal – dos anteriores, e mostra o amadurecimento do carro que, em breve, ganhará uma nova geração. Ainda assim, o Punto permanece um carro de aura jovem e moderna.

O interior recebeu novos revestimentos, mais sofisticados que antes. O painel ganhou uma luz indicadora de mudança de marcha, que indica o melhor momento para as trocas, de modo a economizar mais combustível. Por dentro, o Punto parece melhor que nunca. As mudanças, ainda que pequenas, deram ao modelo um ar mais luxuoso, que deve agradar mais àqueles que procuram um carro maior que o Panda na Europa.

vi140212 05 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

O pequeno dois cilindros TwinAir de apenas 875 cm³ – realmente pequeno – é surpreendentemente capaz de levar o Punto, o maior modelo a usar esse propulsor. O bom isolamento acústico deixa de fora o ruído do motor, enquanto o motorista tem boa dose de força para empurrar o carro na cidade. O câmbio tem engates precisos e não cansa no dia a dia do trânsito urbano.

Os 14,7 kgfm de torque aparecem logo a 2 mil rpm e tornam o carro divertido de guiar. O ronco do motor lembra o de um antigo dois tempos e invade a cabine sem se tornar incômodo. Na estrada, as ultrapassagens pedem algum planejamento, mas nada que tire o brilho do TwinAir. O carro consegue tirar o máximo dos 85 cv disponíveis. O que deu um novo sopro de vida ao Punto.

vi140212 06 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

vi140212 07 Novo Punto europeu: impressões ao dirigir

Ficha Técnica – Fiat Punto Twinair 0.9 litro

Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 875 cm³, dois cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e sistema de abertura variável de válvulas. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.

Transmissão: Câmbio manual com seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.

Potência máxima: 85 cv a 5.500 rpm.

Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,7 segundos.

Velocidade máxima: 172 km/h.

Torque máximo: 14,7 kgfm a 2.000 rpm.

Diâmetro e curso: 80,5 mm X 86,0 mm. Taxa de compressão: 10,0:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson e amortecedores a gás. Traseira do tipo barra de torção e amortecedores a gás. Barras estabilizadoras na frente e atrás. Oferece controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 185/65 R15.

Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás. ABS e EBD.

Carroceria: Hatch em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. Com 4,06 metros de comprimento, 1,68 m de largura, 1,49 m de altura e 2,51 m de distância entre-eixos. Airbags frontais, laterais, para os joelhos dos ocupantes dianteiros e do tipo cortina.

Peso: 1.090 kg.

Capacidade do porta-malas: 270 litros.

Tanque de combustível: 45 litros.

Produção: Mirafiori, Itália.

Lançamento mundial: 2012.

Itens de série: Ar-condicionado automático, direção elétrica, trio elétrico, computador de bordo, volante multifuncional, partida por botão, rádio/CD/MP3/USb/iPod/Bluetooth, bancos dianteiros com ajuste de altura, airbags frontais, laterais e de cabeça, controle de estabilidade e de tração, ABS com EBD, assistência de frenagem de emergência e sensor de chuva com acionamento de farol baixo.

Preço na Europa: 15.200 euros (equivalentes a R$ 34 mil).

Por Auto Press


  • RodrigoBH

    Belo projeto, agora contando com motores realmente avançados. Espero que o seu substituto o faça à altura.

    • rajkoothra

      Pelo que andei lendo, a nova versao do Punto que sera lancada no Brasil nao e essa, mas sim a anterior (EVO – bigodudo e esquisito)….

      Baita barbeiragem da FIAT. Essa atualizacao alem de bem mais feia que a da materia, nao fez sucesso por la. Por que sera que acham que vai fazer aqui??? Vao matar o pobre Punto….

      <img src="http://carplace.virgula.uol.com.br/wp-content/uploads/2010/01/Novo-Fiat-Punto-Evo-2010-09.jpg"&gt;

      • erickloren

        creio que o nosso será esse pq vão dar alguma utilidade pro maquinário que os italianos estão descartando, aí continua usando as máquinas pra fazes esses evo pros coitados dos brasileiros assim eles não tem que jogar as maquinas fora

        • RodrigoBH

          Na verdade, a importação de ferramental usado não é permitido pela legislação do Brasil.
          Concordo que o carro atual na Europa tem visual mais limpo do que o EVO, mas se ganharmos as lanternas de LED e o interno muito mais caprichado que foi desenvolvido para o EVO, já será uma bela evolução em relação ao atual.

          • AutoIng

            Galera vamos raciocinar: pra que a Fiat faria o Punto desse jeito aí, se muda muito pouco em relação ao atual? Seria investir pra não mudar nada no mercado. A intenção em usar o visual do EVO é justamente pra mudar mais, pra chamar mais atenção (pro bem ou pro mal). O Agile é horroroso e vende porque é novidade, logo essa carinha aí do EVO pode ajudar a vender mais do que se adotassem o novo visual do europeu (pro meu gosto não, mas sejamos racionais).

            • danielGT

              Fora o belissimo interior que ele vai ganhar !!!!

          • canino_preto

            Nesse caso, só uma curiosidade, off topic: como que a CAOA produz o Tucson, já que ele era importado e saiu de linha no mundo todo? Com que ferramental, já que tem que atingir índices altos de nacionalização?

            • sergiopsy

              Nossa é verdade mesmo o que você está falando, como pode fabricar um carro descontinuado aqui no Brasil, uma vez que este não é mais fabricado em nenhum outro lugar lá fora… As formas que são utilizadas para moldar as peças da carroceria de qualquer automovel não são baratas, imagina só pagar para termos formas para estampar lataria so do Tucson brasileiro, não seria barato e deveria vender muito para ter o retorno somente deste maquinario.

          • hiperleo

            Rodrigo, acho que isso não confere. A GM trouxe o ferramental do Sail (nosso Corsa Classic) da China para o Brasil, quando o carro foi descontinuado por lá.

        • _biolog_

          Na verdade, há outras razões:
          - Identidade: o Palio foi feito à luz desse Punto Evo (ou ao menos a identidade dianteira), e o bigode é essencia disso;
          - O Brasil ainda não teve essa versão;
          - Quando decidiram atualizar o Punto, foi o EVO quem serviu de parâmetro para a produção. Não existia o "plano B", provavelmente.
          Mas acho que o primeiro item – identidade com 500 e Palio – são as razões mais fortes.

      • RodrigoBH

        Quando falei substituto, não quis dizer para o nosso Punto, mas sim para o projeto Punto na Europa, como diz o artigo.

        Eu também achei o carro atual na Europa mais bonito do que o EVO (parece mais com o original Giugiaro). Mas me surpreendi com o número de pessoas que preferem o EVO (acredite ou não). Um dos argumentos, que eu fui obrigado a concordar, é que o EVO tem mais cara de carro novo, ou seja, ele se distancia mais do atual, mesmo que o design divida opiniões…

        • AutoIng

          Você adivinhou em cheio o por que da Fiat preferir fazer essa versão EVO aí… É isso aí mesmo. Não é questão de ser mais ou menos bonito, é ser diferente. Além disso o brasileiro tem um gosto bem discutível pra carros mesmo.

        • danielGT

          vc se surpreendeu é ???? Surpreendente mesmo é ver alguem falando que o Agile é lindo !!!!! Pos mais que tenha perdido o nipe do primeiro Grande Punto, o Punto EVO e este da materia não são carros feios.

      • Filipe Augustus

        Eu ainda acho que o bigode vai vir pintado na cor da carroceria, no nosso Punto. E será um meio termo entre o Evo e o atual Punto euro.

      • pauloferrer

        se nao fez sucesso la é sinal q será sucesso aqui!!!! brasileiro adora uma esquisitice!!! hauahaiahuahua

      • D7V5

        Também creio que a Fiat vai por aqui.
        Neste ano haverá muita atualização nos hatch. E a Fiat não irá dar uma de VW com o Golf antigo.

    • canino_preto

      Esse bigode Fiat só combina, na minha modesta opinião, com o 500. Hay de ser retrô!

      • andre_0102

        Sem duvida, no Palio ficou horrível, mas aparentemente os italianos começaram a perceber isso, tirando nesse facelift; mas sabemos como funciona, em alguns anos talvez esta novidade chegue no Brasil…

    • BullittKowalski

      Não vejo críticas ao bigode. Aliás prefiro assim, sempre é bom ter uma parte preta no pára-choque em regiões onde há maior incidência de pequenos impactos, assim não aparece os riscados.

      Aliás, fazendo as contas se o novo Punto aparecer com o Multiair de 140 cv, esse novo painel lindo de morrer e com o já maravilhoso Sky Window, vou criticar o que? Vou é comprar um. Só falta ter a cor Azul Maserati pra ficar perfeito.

      • danielGT

        O bigode que o pessoal fala é a parte cromada, a parte preta é a boca do bagre rrrsrsrsrsrsrsrsr

  • CharlesAle

    Olha,se não fosse este carrinho,acho que a fiat hoje seria só história,ou estária na mão de chineses a preço de banana…tal qual a SAAB……..

    • Tripa-Seca

      E o que seria da VW sem o Sedan? A Ford sem o T? A Ferrari sem o 125? A Chevrolet sem o B?

      E o carro que levantou a italiana foi o 500 na década de 40/50…

      • CharlesAle

        Sim Tripa Seca,concordo com vc,ouve um tempo em que as maiores marcas dependeram de um carro só,mas isso faz um tempão,a Fiat ultimamente está andando na corda bamba no quesito solidez,é fraca na Europa,seu maior mercado,e se não fosse o Brasil…….e esse acordo com a Chrysler foi o abraço dos afogados,ou era isso ou já era,pior no caso da americana…..

        • AutoIng

          Acho que esse troféu vai até mais pro Panda viu, mas com certeza o Punto foi um dos que salvaram a Fiat na Europa na última década. Sempre figurou entre os top 10 mais vendidos da Europa.

  • Dragoniten

    Full torque em 2k RPM? Deve ser uma delícia de dirigir…

    Se quando vier pro Brasil, colocarem aquele bigodinho prateado do Palio/500, vão conseguir estragar o carro

    • mandabala

      Já o fizeram… mas o bigodá vem do Punto Evo mesmo, procure no site autosegredos

      • Dragoniten

        Que caral…amba… Esse bigodinho É MUITO FEIO!

        Será que a gente tem que fazer um abaixo assinado pedindo pra tirar essa joça, pra Fiat se tocar que tá estragando a estética do carro?

        • hiperleo

          Bigodinho de gigolô italiano, ahaha

    • R0CKERZ

      Mas essa (evo) será a 'nova' geração que virá para cá esse ano =P

    • Stark

      Deve ser delicioso mesmo!! Imagino!! Bem diferente de um 1.4 16V onde tem q ficar esgoelando até os 4.500rpm pra conseguir alguma força. Poderia vir esse motor pro brasileiro.

      • Dragoniten

        De fato, dirigi o 1.4, e vce pisa, pisa, pisa, e ele só faz barulho, hahahahah…

        • Stark

          Me referi aos 1.4 e 1.6 16V de outros modelos onde praticamente não se tem força abaixo dos 2.000 giros!
          O Punto 1.4 tem uma certa força até ali pelas 3.000 rotações e não é forte em nenhuma rotação.

          • Dragoniten

            É que sempre que eu dirigi tinham 4 pessoas no carro, mas sinceramente, não vi diferença entre esse 1.4 e o 1.0 do Fiesta Street 2006 do meu irmão :P
            Esse Rocam tem muito torque em baixa, adoro, hahahaha

    • andre_0102

      O Old Fit motor Itec1.35(1.4 p/ Honda), tem torque a 2k RPM, 80cv e pesa um pouco menos, resultado: é um dos carros mais econômicos do Brasil e embora não tenha chegue a ser "esportivo" é muito divertido na cidade, pode pisar s/ medo, que ele responde e não bebe muito.

      • Dragoniten

        Só tive o prazer de dirigir o Fit 1.5, mas o torque só aparece depois das 4k rpm (4800 é o máximo 14,2kgfm), é complicado quando eu pego uma rampinha de estacionamento. Adios embreagem

        • Edson Roberto

          Orraaaa mas ele tem o VTEC que auxilia e muito e entrega bom torque bem mais cedo que isso. Se tivesse que acelerar ele até os 4000rpm para ter uma condução boa, a Honda já teria tido problemascom esse 1.5!!!

          Quero ver é vc dirigir o Jetta flex… ai vc vai ver o que é "desempenho"….

          • Dragoniten

            HAHAHAHAHAHAHA, entrega a maior parte do torque começando nos 3k RPM, aí sim pode pisar que ele começa a puxar legal ^^

            Jetta flex é tão ruim assim? :o
            Vi um cara hoje numa Avenida aqui em Curitiba com um Jetta TSI andando a 40km/h, limite 60km/h, sendo que a rua estava LIVRE! Vá entender…

            • Edson Roberto

              Geralmente, os caras que possuem o TSI aproveitam mais na estrada. Não é porque é o modelo forte, que ele vai andar né…rs

              Ele sabe ser docil quando precisa. Já o flex… esse é horrivel!!! Pude dirigi-lo bem, ele é fraco em subidas, o cambio mesmo em S não retem marcha e as trocas em D são em rotações que não exploram o motor. Quando vc lê uma revista falando a respeito do Jetta Flex que anda proximo dos demais, isso é considerando efeitvamente pisando fundo e em uma condição que vc nunca faria no dia a dia. Nem mesmo na estrada. Para se ter ideia do que digo, andar em D a 50km/h e tirando o pé do acelerador, o Jetta joga SEXTA marcha. Tem noção? Ai vc precisa de retomada, tem que pisar no acelerador até o curso do acelerador atingir o seu nivel médio para ele reduzir uma marcha (que em uma situação de retomada não ajuda em nada) e ai vc pisa TUDO e ele diminui mais uma marcha! E falta!!! No S tem um pouco mais de vigor, só que assim… imagina que vc está na estrada (eu estive na Imigrantes para dizer esse exemplo….)

              Ai vc chega e digamos que irá realizar uma ultrapassagem porque a pessoa (ou caminhão como é comum) está em uma velocidade inferior ao que vc está rodando, ai vc engata o S, o carro nesse primeiro momento acerta a sua necessidade, ele reduz duas marchas e te dá a potencia que precisa… só que nesse momento, outro cara entra a sua frente e vc só tirando o pé faz o motor reter na rotação pouco mais elevada (algo entre 3500~4000rpm) só para ter ainda potencia para continuar a ultrapassagem… o que o Jetta faz? Ele TROCA de marcha para cima… ou seja, vc fica sem potencia e o cara da direita te ultrapassa e o cara de trás te joga farol alto como foi comigo. FIquei revoltado, tive que pisar TUDO para ele voltar denovo a marcha e a retomada foi horrivel, pois o motor não estava cheio e depois de reduzir e encher… foram alguns segundos que alguns vão achar que é exagero da minha parte, mas na situação que passei, é justamente isso que não deveria ter acontecido. Ou seja… o cambio é de 6 marhcas, mas o seu comportamento com a ajuda do propulsor que é fraco… fazem vc passar nervoso. É claramente feito para dar silencio ao carro, mas dificultam e muito um desempenho razoavel para o modelo.

              E ai, vc precisa utilizar os comandos sequenciais se quiiser fazer isso corretamente…. mas perai… se eu quis um carro automatico para evitar esse trabalhar, vou ter que semi cambear o modelo? odiei mesmo…. acho que algumas pessoas que inclusive andam devagar vão adorar, mas em uma situação de precisar de potencia, quem tiver um carro menor com cambio manual vai facilmente deixar o Jetta para trás. E muitos automatizados irão andar melhor também.

              Abraços!

  • Jr_Jr

    Eu acho o Punto um dos carro mai bonitos que temos por aqui. Peca no interior, de certa beleza, mas de baixa qualidade.
    Esse modelo "EVO" é bonito, mas ainda me causa certa estranhesa, creio que é questão de acostumar. O interior melhorou completamente, se vier assim para o Brasil seria ótimo. Apenas uma crítica, o GPS, poderiam integra-lo ao som, não vejo porque não, pois espaço há.

    • geoshina

      Então Jr_Jr, atualmente todos os carros da gama inicial da Fiat e Lancia possuem esse mesmo lugar, para que tu compres o GPS com o suporte, da TomTom. Realmente não é o ideal…

    • Leandro1978

      O "nosso" Punto não será este, segundo alguns sites, será o que acaba de sair de linha na Europa, o Evo com o "bigodinho". Quanto ao motor, poderia equipar muito bem o Uno, Palio e Punto.

      • AutoIng

        Por fora não, mas o interior será esse aí mesmo. Parece que a intenção é melhorar bastante o acabamento pra distanciá-lo do Palio.

        • thales_sr

          Legal, pois esse interior tá bem legal, no estilo do Bravo.

    • canino_preto

      Esse GPS tá horrível. Parece o boneco do BBB ou o E.T. do Spielberg. Já vi GPS xingling mais bonito e harmônico com o painel. Não tem desculpa que não dá pra integrar ou embutir. O que eles não querem é redesenhar o painel….novos custos, novo ferramental, de modo a maximizar os lucros.

  • deshifxz

    Gosto da traseira dele, mas a frente parece um rato… rs

  • DiMais

    fora o fato do grande preconceito do brasileiro, que compra carro por metro esse motor seria muito bem vindo aqui.. seria uma aposta melhor que o 1.4 EVO utilizado aqui, mas como sabemos.. tem que ter tamanho, não qualidade para ganhar respeito.

  • http://carplace.virgula.uol.com.br PauloRocker

    Tive um Punto HLX 2008, e o carro era muito bom, nunca me deixou na mão, comfortável, muitos ítens de série e o desempenho era muito satisfatório, o valor de revenda também não tive do que reclamar…Agora,,,se o Punto 1.4 e 86 cv já é triste no desempenho, imaginem então esse 1.2 de 69 cv em um carro desse tamanho e peso…Trágico…

    • Alex_JW

      Tive um 1.8 EtorQ, esse sim um motor à altura do Punto.

    • andre_0102

      Depende muito das outras características do motor, na verdade em carros de baixa litragem(até 1.8) o mais importante é o torque e quando está disponível, não adianta um monte de ponêis se p/ velos temos que levar o motor no limite. Claro que na estrada pode "faltar" um pouco, mas em boas estradas, c/ bom fluxo(+ de uma pista), s/ ter de traçar um "Telecat" c/ caminhões, buracos e pistas c/ Eng. Suicida, acho que dá p/ aceitar, na cidade pôneis só servem p/ gastar mesmo.

    • Edson Roberto

      E para vc ver… se vc ler as reportagens sérias comparando o motor 2 cilindros turbo e o 1.2, vc vai ler que o 1.2 dámais torque em baixa que o turbo!!!

      Ou seja, esse motor turbinado é girador. Enquanto o 1.2 é motor para uma condução mais tranquila e com muito menos giros, sem contar que vibra menos e é muito menos aspero.

      Porém o turbo ganha na economia, justamente por ter uma atuação em boa faixa de rotação (é linear) e por isso, girador.

  • Stark

    Tá aí um carro que me agrada muito no preço, no design, interior…. e ainda um ar de moderno!

    • andre_0102

      Verdade quando olhei pensei: Olha muito parecido c/ o brasileiro e quase o mesmo preço…. Ilusão
      A versão mais em conta custa 26k, aqui 38k, até ai quase dá p/ engolir, mas vc viu os equipamentos padrões em todas as versões, ESP, Hil Holder, 4 AB, ABS, aqui a mais pelada, é isso mesmo, pelada.

  • JCsr

    Podem me xingar, mas eu acho esse Novo Punto europeu HORROROSO, tal qual o Evo. O interior é bacana, mas externamente ficou intragável. O nosso atual é belíssimo e por mim esse seria um dos poucos casos em que eu prefiro que fiquemos desatualizados em design com relação a Europa, o que não impediria a Fiat de trazer esse painel.

    • andre_0102

      Posso estar falando bobagem, mas acho que a plataforma do EVO é mais moderna e melhorou em muito o aproveitamento de espaço, quem já andou no banco de trás do Punto, ou teve de carregar algo no porta malas, sabe que é um dos calcanhares do nosso Punto atual, quanto a questão de design, tb acho que perdeu, mas logo a FIAT lança "facelift" principalmente se as vendas caírem um pouco, ou se a imprensa cair em cima.

  • anderson_sp

    Se aqui no Brasil alguns reclamam do desempenho do 1.4, imagina os Europeus com este 1.2 ??? se fosse aqui rolava abaixo assinado para tirar de produção, lá tem Golf com motor 1.4, Focus capado com motor 85vc, e por aí vai, se tem lá é porque são aceitos, algumas pessoas compram o carro com certo motor querendo que ele potência de um modelo de patamar superior mais não quer pagar por isso, fulano sabe que motor 1.0 NUNCA foi voltado pra ter desempenho, mas a mula vai lá na loja compra o bendito em 60x, o carro nem amaciou o motor e daí dalhe criticas ao carro, "Pô esse carro não presta, comprei ele pensando que iria dar para rebocar um yate e fazer de 0 a 100 em menos de 10s, não consegui, enfim não comprem", é só ver pela internet comentários ridiculos como este estão cheios.

    • Corvo

      Mas a diferença que fazem os motores não é só cavalaria. Alias, está esquecendo do detalhe mais importante que é o torque. Em Europa, esses motores 1.2, 1.4 tem muito mais torque que nossos 1.6 ainda em 1500, 2 mil rpm no máximo aumentando o prazer de dirigir e tendo o motor sempre à disposição, por ex para fazer uma ultrapassagem

      • anderson_sp

        Olha desculpa ser controverso, motor é motor tanto aqui como lá, uns mais modernos outros mais velhos, mas se for dar uma pesquisada nas potência e torques de motores, não estamos atrás não, podem ser que a maior faixa de torque estejam disponíveis em menores rotações que alguns modelos aqui, mas irei passar uma descrição da Fiat com alguns de seus motores com potência e torque, as vezes o povo pode ver um motor 1.2 16v com torque de 17mkgf e achar que é aspirado, quando na verade é turbo.

        Grande Punto 2010 1.2 8v – Potência: 65cv – Torque: 10 kgf-m

        Fiat Stilo 1.4 16v – Potência: 95 cv -Torque: 13 kgf-m.

        Grande Punto 1.4 8v – Potência: 77cv – Torque: 11 kgf-m

        Grande Punto 1.4 16v MultiAir – Potência: 105 cv – Torque: 13 kgf-m

        Motores aspirados possuem alguns até torque inferiores aos modelos usados aqui, o porém é que lá usam motores a Diesel + Tubro e Intercooler como no caso do Linea 1.6 16v Emotion Multijet que tem quase 30 kgf de torque !!!! quase o mesmo de alguns V6, vendidos até pouco tempo atrás….

        • Edson Roberto

          Anderson vou escrever algo que algumas reportagens internacionais já disseram sobre esse modelo e o comparativo sobre o motor 1.2.:
          E para vc ver… se vc ler as reportagens sérias comparando o motor 2 cilindros turbo e o 1.2, vc vai ler que o 1.2 dámais torque em baixa que o turbo!!!

          Ou seja, esse motor turbinado é girador. Enquanto o 1.2 é motor para uma condução mais tranquila e com muito menos giros, sem contar que vibra menos e é muito menos aspero.

          Porém o turbo ganha na economia, justamente por ter uma atuação em boa faixa de rotação (é linear) e por isso, girador.

          • anderson_sp

            Sinceramente eu desconheço o motor citado, mas se vc tá dizendo isso blz.

  • Alex_JW

    Mesmo com projeto de 2005, trata-se essencialmente de um Giugiaro.

    Seu desenho ainda segue atual no meu modesto entendimento.

    Esse novo facelift, eliminando o indefectível bigodinho dianteiro voltou a dar harmonia à dianteira do carro.

    Já tive um Punto, deixou boa impressão, era um 1.8 EtorQ 130 pocotós com ar dh trio c/ one touch 4 vdrs, AB2, ABS, pc bordo, rodelas 16 liga leve, incluindo o estepe, som c/ comandos no volante, Blue&Me com Bluetooth, faróis neblina, etc…

    …foi o carro, inclusive, q me ajudou a superar o preconceito infundado q tinha em relação à Fiat.

    • Stark

      Eu também tinha um preconceito com a Fiat e hoje já não tenho mais pois ela é a que mais está atualizando seus carros, e tá me agradando muito em relação à preços e equipamentos. Eu mesmo não sabia que podia equipar um Linea com 6 AirBags por menos de 64.000 (exemplo).

  • PedroGeraldes

    Taxa de compressão 10:1 num motor turbo! Como nossos motores são atrasados e na base da gambiarra, tem Flex naturalmente aspirado com compressão assim por aqui, depois reclama que não rende nada com álcool!

    • AutoIng

      Não é tão simples assim Pedro. Ao contrário do que muita gente imagina, não dá pra ir aumentando a taxa de compressão ao gosto do freguês. A geometria da câmera e do cabeçote é determinante pra saber qual o limite de taxa que um motor aceita. Por exemplo, motores de curso muito longo em relação ao diâmetro são mais propícios à pré-ignição. Motores com cabeçote 16v também. São configurações em que você não consegue adicionar muita taxa, mesmo usando uma central rápida e enchendo de sensores de pré-detonação. Simplesmente não dá. Os motores "nacionais" que funcionam a 10:1 muitas vezes são projetos pra rodar com gasolina pura e que foram apenas adaptados pra flex. Não é questão de atraso, é falta de recurso pra reprojetar o motor todo mesmo. Além disso, quem disse que álcool é o futuro? Na maior parte do Brasil não compensa, logo pra que investir no desenvolvimento de um motor otimizado pra álcool? Muito dinheiro em uma aposta muito arriscada. É por isso que se usa a gambiarra mesmo (e TODOS os motores flex nacionais são sim gambiarra essencialmente, pois NENHUM deles foi projetado do zero pensando no álcool como combustível, alguns apenas tiveram a sorte de já terem anteriormente características que facilitam o emprego de taxas elevadas, como o 1.4 da GM que vem lá dos anos 80 na Europa).

      • PedroGeraldes

        Mas a questão que eu quis levantar não é da flexibilidade dos nossos motores, e sim do atraso deles em geral. Um motor a gasolina sobre-alimentado com taxa de compressão 10:1 é um sinal de avanço, progresso de engenharia. Eu comparei com os nossos motores porque algum possuem a taxa mais elevada, com foco no melhor rendimento rodando a etanol. E mesmo assim, não se compara ao TwinAir, demonstrando o nosso atraso e falta de investimento.

        Não sugeri aumentar a taxa dos motores aqui utilizados, e sim o investimento em novos e mais avançados, Flex ou não, que valorizem o consumo e potência devidamente, como na Europa. Eu defendo a flexibilidade pela liberdade de opção, para não ficarmos reféns do preço do barril de petróleo nem da tonelada de açúcar. Ou alguém aqui acha que se o petróleo disparar a Petrobras vai segurar o preço da gasolina e ser boazinha com o brasileiro?

  • koizo_nit

    brasileiro compra carro por metro? nao entendi esse senso comum furado que querem difundir

    • Alex_JW

      Acho q a galera quer dizer q cada vez mais compramos carros grandes, as vezes até sem essa necessidade toda de espaço.

      Um exemplo foi a minha amada progenitora, anda sozinha 95% do tempo, quase nunca carrega tralhas, mora aqui no Rio, onde o transito esta cada dia mais pesado e sem espaço, mas acabou comprando um Kia Sorento.

      O carro dela é excelente, sem duvidas, mas um Fiat 500 lhe serviria tão bem quanto, e ela ainda teria economizado bons 60 mil reais, fora a gasolina.

      • BullittKowalski

        Kia Sorento é uma tristeza. Mesmo se tu tivesse 5 filhos.

        Mas nada se compara ao Luciano Huck, um babaca que não entende nada de carros que roda (ou rodava) aí no RJ com um Chevrolet Suburban azul, um monstro gigante que nos EUA é quase um veículo comercial crasse média americana que vai todo dia ao WalMart.

  • koizo_nit

    agora que mania tosca esses jornalistas tem de chamar uma mudança de grade de novo carro

  • brnmilk

    e o consumo?? carro com 2 cilindros.. fiquei com vontade de saber quantos km/l faz

    • andre_0102

      Não lembro agora quanto faz, mas quando foi lançado no 500 europeu que é mais leve que o Punto, noticiou-se 4.1/100Km, ou seja um pouco menos de 25Km/Lt, trajeto misto., valores divulgados p/ Fiat, mas assim como no Brasil, os consumidores reclamam deste "otimismo" da fabrica.

    • giodoesitbetter

      Eu tive um Fiat 500 TwinAir na Irlanda. Fazia 23km/l na cidade e 26km/l na estrada.

      Hoje tenho um Corsa 1.4 conofréquis que faz 11,8lm/l. um 500 Cult 1.4 que faz 11km/l e uma Renault Grand Tour 1.6 fazendo 10,7km/l. Lindo, não?

      • andre_0102

        Testemunho interessante, fico feliz em saber que o TwinAir cumpre oque promete, um dos meus sonhos de consumo era um Fiat 500 desses c/ 1o carro, para usar todo dia, gastar mesmo, aproveitar, mas não p/ deixar na garagem e mostrar p/ vizinhos de vez em quando, como muitos usuários no Br.

  • MuriloSoares

    Vou esperar o lançamento do Punto reestilizado no Brasil, a diferença entre eles, é só o para-choque!!

  • zzzepa

    isso, siom é evolução, produto de primeira…espero esse nível no brasil um dia…..com preços pra baixo….né?…

  • AmmmmmP

    Gosto muito disso! tirar o máximo do mínimo… isso que nos faz ter orgulho de nossas capacidades intelectuais.

    Faltou o consumo, mesmo. Mas com 85cv e impressionantes 14kg de torque.. nao deve ser lá grandes marcas.

  • Renan21

    Aquela telinha ali é um GPS? já vem de fábrica é? Negoço feio, podia ser embutido ali no meio no painel

  • Corvo

    Sempre achei o Punto um carro bonito, mas tem 2 problemas cronicos: Acabamento e espaço interno ruim. Esse painel do europeu da 100 a 0 no brasileiro

  • Kleverson_G

    Eu sempre fale ique o Punto era o CARRO. pois mesmo sendo um projeto de 2005, quando passa um na rua, eu fico vendo: QUE CARRO LINDO.

    O design do Punto, pelo menos aqui, não cansou! Muito bem projetado pelo GG

  • Acacor

    Dirigi um punto com direção elétrica na Europa, e meu velho possui um nacional. São dois carros bem direfentes na condução, mas o fator de maior perca é, sem sombra de dúvida, o uso de direção hidráulica no modelo brasileiro, que perde muito em comodidade e conforto. Toda essa mesquinhez para gerar um pouco mais de lucro para a Fiat remeter ao exterior.

  • Readgis

    Por mais modernidade que aparente, eu não confiaria em um motor de dois cilindros num carro médio. Meu limite seria o três cilindros Ecoboost da Ford. Quem sabe dirigindo não se tenha outra opinião.

  • danielGT

    Torço muito para que, no campo das ganbiarras brasileiras, a Fiat traga esta traseira com led's…ficaria ainda mais show.

  • Riverraid2600

    Nunca fui bem atendido em concessionária Fiat por isto nunca comprei um! Eles preferam que parcelem os carros em várias prestações do que vender á vista sem carro na troca, vai entender…