Europa Renault Sedãs

Novo Renault Fluence tem detalhes revelados

Renault_Megane_Sedan_Detalhes_1

O Novo Renault Fluence está bem perto de ser lançado na Europa, sendo agora derivado direto do Megane. Imagens de perfis do novo sedã estão circulando pela internet e revelam alguns números do modelo.

Renault_Megane_Sedan_Detalhes_2

Em termos de tamanho, o Novo Fluence ou Megane Sedan terá 4,63 m de comprimento e 2,71 m de entre eixos, representando aumentos mínimos em relação ao modelo atual. Já em termos de estilo, o sedã será baseado completamente no Novo Megane, voltando a ser a opção três volumes do médio europeu.

Renault_Megane_Sedan_Detalhes_3

Comenta-se que o Novo Fluence terá mais de 530 litros no porta-malas e uma opção GT equipada com motor 1.6 Turbo de 205 cv. No Brasil, a marca francesa deve manter o perfil do modelo atual, focando mais em conforto e consumo do que em performance.

[Fonte: RNews.cz]





  • edgar__rj

    … uma opção GT equipada com motor 1.6 Turbo de 205 cv. No Brasil…

    Quando elas (montadoras) vão nos tratar com igualdade?

    • Pedro Henrique

      Edgar acredito que talvez ocorra quando o zé povin rejeite a compra de um zero KM menos equipado do que tem direito, as montadoras vendem e lucram muito com as carroças aqui, para que dar ideia do que poderíamos ter? quem manda é o consumidor mas tenha certeza que pra maioria do povo que tem carro, o seu veículo está bom, anda, é mais novo que do vizinho, é de marca mais conceituada na américa latrina e assim seguimos, à pouco tempo atrás tinha Monza, Del Rei, Opala, Santana e achavam que eram carrões (alguns saudosistas ainda acham mas não são) e hoje com uns painéis multimídia, abs e ar com direção ta legal !! É a triste realidade do nosso povo, das nossas escolhas, assim eu acho.

      • O mercado caiu, ou seja, paramos de comprar e fomos inundados por carros parelhos com os países desenvolvidos, e nossas opções ficaram parelhas com o que tem na Europa, não é?
        A questão é muito mais complexa do que simplesmente deixar de comprar carro zero km. Até porque, não sei se leu a matéria onde o preço dos usados subiu…

        • Pedro Henrique

          O mercado caiu (parou) porque quem tem dinheiro não quer comprar? ou porque o povo ta sem dinheiro? são coisas bem diferentes cara mas se vc aceita pagar é isso que será ofertado!

          • Independente do motivo, a condição que você supôs que faria o mercado melhorar se apresentou e ele não melhorou. Mas na verdade, agora que me dei conta: Você não apresentou nenhuma idéia de mudança.

            • Pedro Henrique

              Não se faça de tonto! vc sabe bem o que eu comentei acima e sabe que são coisas distintas, quer justificar seu carnê (dicionário) com seus comentários? segue em frente kkkkk

              • Bom, você ainda não respondeu sua fórmula para o mercado melhorar. Mas vá em frente, estamos precisando de ministros de planejamento, os atuais se não foram serão presos! Hheheh…
                Ou não sabe responder?

                • Pedro Henrique

                  É tão óbvio quanto as asneiras que vc retrucou, volte ao meu 1º comentário desta página e leia novamente, se não gostou ou acha que não daria certo grave sua opinião em um DVD e me envie, se eu quiser saber dela eu assisto beleza?

                • MaCaRyS

                  Entrando na conversa alheia você Alessandro não acha que se fizer a escolha do mais bem equipado semi novo ao invés do zero pelado ajuda a mudar o mercado? eu vejo assim mas posso estar errado.

                  • MaCaRys, eu entendo isso como uma escolha pessoal que pode ser revelar um bom negócio ou não. Não rotulo a escolha das pessoas, acho que o certo ou errado depende do que a pessoa quer e precisa. Você tem essa preferência e ela te atende? Então está certo! Eu já prefiro, quando vou comprar não me prender a dogmas, verdades pré-estabelecidas. Quero o melhor negócio, independente de se for usado ou novo.
                    Sobre mudar o mercado: Não, não acredito que isso ajude. Primeiro a questão básica: Só existe usado porque alguém comprou o novo. Não dá para dissociar uma coisa da outra, como tentam alguns. Segundo: Lei da oferta e da procura. Se os usados começarem a serem mais procurados, naturalmente subirão de preço. Isso acontecia muito aqui antigamente. Talvez isso funcionasse para as fábricas como um sinal de “Olha, eles querem carros mais equipados”. E aí, o que eles fariam? Trariam carros mais equipados como os europeus? Não, recheariam nossas jabuticabas para que as pessoas continuassem comprando os mesmos carros com estrutura aquém dos europeus, mas com mais penduricalhos. Essa é minha opinião, claro.

                    • MaCaRyS

                      hahahaha curti o “nossas jabuticabas” pois é Eu ainda acredito nesse conto de fadas do semi novo e me atende no momento, não consigo aceitar pagar o preço dos carros zero km com o que nos é oferecido, mas é coisa minha mesmo, realmente como vc disse cada um com sua verdade e com seu melhor negócio.

                    • O problema que eu vejo com o carro pouco usado, é que excetuando os top’s que caem bruscamente de preço (Quer um Porsche? Dá para comprar com 60 mil! Uma Cayenne usada), um pouco usado fica muito próximo do preço do zero Km. Aí não compensa. Mas como te disse, não deprezo nenhum tipo de negócio. Dependerá de como chegar e o que precisar na época. Abraço!

                    • MaCaRyS

                      Verdade, falando da Cayenne usada tem um canal no Youtube que se chama “Amigos por carros” onde tem um bloco chamado restos de rico, Carrões que os ricos não querem mais por estarem velhos para seus padrões e o pobre não quer pois não pode manter, os caras viajam mas é legal de assistir, abraço.

                    • Opa! Valeu pela dica! Abraços!

    • Tereso

      Pra começar, nós não temos poder de compra pra ter igualdade.
      O nosso é menos de 20% do norte-americano.
      A Coréia do Sul tem praticamente 70%, tendo em vista que investiram pesado na educação nos anos 60 (e hoje são hiperindustrializados) — educação técnica, científica, com 8h de escola e bolsas integrais. Nos anos 60 nós tomamos o rumo da ditadura militar… Coisa medieval… (filosofia do tiro, porrada e bomba, literalmente) E a nossa redemocratização (85) também tem se mostrado fracassada, vide os escândalos de corrupção ano após ano (algo enraizado no nosso povo, Vejo ladrões todos os dias na fila do mercado, estacionando na vaga do deficiente, nas prefeituras etc).
      A nossa moeda vale um quarto. Como vender aqui o mesmo carro vendido na europa?
      Em suma: não temos qualificação, não produzimos nada, exportamos muito pouco… O que nós exportamos, pra crescer internacionalmente? Frango, suco de laranja, soja e minério — ressalve-se o belo exemplo da Embraer (dentre outros, como armas fabricadas no Rio Grande do Sul).
      E o que nós importamos? Tudo: roupas, relógios, celulares, carros, comida, vinhos, perfumes, brinquedos, gasolina, etanol, peças automotivas de reposição etc.
      Temos que ter crescimento internacional. Modo de fazer isso? educação. Os recursos naturais já temos de sobra (embora já tenhamos vendido grande parte a preço de banana, cujo lucro foi direcionado sempre para o bolso de pequenos líderes, isso desde 1500).

    • SDS SP

      Até deixarmos de ser considerados como um mero “país emergente”, ou seja, daqui há vários anos ou talvez nunca rs…

      Mas considerando que até pouco tempo atrás as chamadas “quatro grandes” deitavam e rolavam por aqui, vejo que houve uma certa evolução…

    • Gustavo73

      Quando nos dermos o respeito. Exitem vários casos de carros mais equipados e até baratos vendendo bem menos que outros menos equipados e mais caros. Logo se quem compra aceita isso é isso que será ofertado.

      • Pedro Henrique

        Exatamente o que eu penso Gustavo, como podem achar que com essa queda de venda de zero km iria afetar a oferta de produtos se está assim pra geral?, quero ver é com mercado estável e as compras dos zerokm pelados empacarem, mas brasileiro é pacato, tá tudo bem, é culpa do salário sul americano, blábláblá, mimimi desculpa de quem comprou um zero pelado em um zilhão de vezes pagando 3 carros com os juros !!

    • Edson Fernandes

      É que não sabe que nosso Fluence é menos completo que em outros países destacando Turquia (onde vende muito bem) e Chile.

      Lá ele possui bancos eletricos (que tem inclusive ajuste de aumento do assento como em BMW), aquecimento dos bancos e freio de mão elétrico (com auto hold como na VW).

      Não ficou feliz? Ele tem luzes EM LED no interior do carro (aqui é lampada comum).

      Sabe porque ele não recebeu tais itens? Porque na epoca em que ele foi lançado, isso não era exigência do mercado. Talvez no novo seja.

  • oscar.fr

    Para mim é papo furado que o Fluence voltará a ser o três volumes do Mégane, ora ele sempre foi isso, basta ver o painel idêntico do Fluence e do Mégane III. O Fluence até chegou a ser vendido na França (e oturos países da Europa Ocidental), mas seu preço era muito próximo ao do Laguna e, portanto, não conseguiu ter sucesso e foi logo retirado do mercado. Esse novo Fluence parece ser lindo, pena que aqui no Brasil bastaria ter um único sedã no mercado, o Corolla. Consumidores são muito bitolados.

    • Mr. On The Road 77

      Só era esteticamente diferente do Megane III europeu. Aí vinha aquele monte de gente dizer que não era Renault e sim Samsung…

  • Vattt

    Jeitão de Nissan Sentra e C4 Louge!!!

    • Leonardo

      A vista lateral traseira eu visualizei um Sentra e a frente lateralmente um C4

  • Ricardo Santos

    Achei as lanternas em filete mais interessantes no sedan que no hatch.

  • fschulz84

    Só não concordo que nosso atual Fluence é focado em consumo. Só se for em consumir muito hehe

  • fbl

    Bagaça

  • Diogo Oliveira

    Parece que vai ser bem mais bonito e empolgante que o atual, só espero que não tenha aquele Tablet TV de 50 Polegadas dentro…



Send this to friend