Etc Longform Mercado Populares

O dia-a-dia com um carro pelado (pé de boi)

fiat-uno-vivace-pelado-1

Ao ir comprar um novo veículo, muitas vezes o consumidor ainda não sabe qual modelo optar, mas já está convicto dos opcionais que seu carro deve ter. Itens como Ar Condicionado, Direção Hidráulica, Vidros e Travas Elétricas se popularizaram e hoje estão no gosto do brasileiro. Portanto, possuir um carro pé-de-boi significa ficar longe de tecnologias e itens de conforto presentes em outros carros e versões.

Nesse relato, vou contar como é o dia a dia do proprietário de um Uno Vivace 2011, 4 portas, pelado.

Itens de série

O carro veio com alguns poucos itens de fábrica. O desembaçador e limpador traseiro me são bastante úteis em dias de chuvas. O aparelho de som não é o original do fabricante, mas é um de melhor qualidade. Fones nas portas e o aparelho com entrada para iPod servem para trazer alguma distração nas viagens. Ausência de Bluetooth, entrada SD e USB incomodam. Desde que estou com carro, instalei apenas um bloqueador, pois o mesmo não tem seguro.

fiat-uno-vivace-pelado-2

Estética

Para-choques, retrovisores e maçanetas desprovidos de pintura conferem um aspecto empobrecido ao carro. Pneus finos contribuem com essa sensação, ficando inclusive subdimensionados para o tamanho da caixa de rodas.

Falta de alças de apoio para mão no teto, assim como ausência de iluminação nos parassóis e no porta-malas mostram que as montadoras levam a sério a expressão ‘básico’. Definitivamente, para quem gosta de atrair olhares por onde passa, um carro básico não é o recomendado.

Pneus

Os pneus originais de medidas 165/70 R13, não propiciam uma boa estabilidade ao carro. Em altas velocidades eles não passam a sensação de segurança e é preciso uma atenção a mais em dias chuvosos e curvas acentuadas.

Dirigir carros calçados com pneus de aro e largura maior traz uma sensação de mais aderência e estabilidade. Em contrapartida, os pneus originais conferem mais economia de combustível e têm um custo menor de substituição, se comparado a pneus avantajados.

fiat-uno-vivace-pelado-3

Ausência de trio elétrico e alarme

Esticar-se para regular os espelhos retrovisores não é algo muito prático. Quando o carro está em pleno movimento e eu percebo o retrovisor direito apontando pra baixo devido a minha última manobra de estacionamento, a solução mais segura é parar o carro e fazer a regulagem. Se tiver um passageiro no banco do carona, não me envergonho de pedir ajuda. Ainda bem que o carro tem regulagem manual interna, não sendo necessário baixar o vidro para literalmente empurrar o espelho.

Não ter vidros elétricos em um carro que também não tem Ar Condicionado significa que regularmente fico subindo e baixando o vidro para controlar a entrada de ventilação. Em momentos de chuva corre-se o risco de molhar um pouco o carro até que todos sejam erguidos. Quando estou sozinho, e com o carro em movimento, o ato de fechar o vidro do passageiro devido à chuva, por exemplo, é um tanto perigoso. Quando dou carona a duas ou mais pessoas, no final, sempre perco um bom tempo levantando todos os vidros, pois os amigos nunca lembram de contribuir voluntariamente comigo.

O que foi dito sobre os vidros elétricos também se aplica à falta de travas elétricas. Ao estacionar o carro não posso esquecer-me de verificar todas as travas, fazendo isso internamente ou externamente. Não ter alarme no carro significa sempre evitar estacionar em locais ermos e maior dificuldade de achar o carro em estacionamentos de shopping.

Ausência de ar condicionado

A falha mais grave em um carro ‘pé-de-boi’ é a ausência do AC. Penso que nenhum carro nesse país tropical deveria vir sem esse item, principalmente na atual década com sucessíveis recordes de temperaturas. Não possuir esse item de conforto significa passar calor constantemente. Soma-se a isso a insegurança, pois no trânsito dos grandes centros urbanos, todos os carros que estão à minha volta ficam com os vidros erguidos e AC ativados, enquanto estou com os vidros abaixados, ficando assim mais propenso a investidas criminosas. Estar com as janelas abertas significa que todos os gases provenientes do escapamento dos carros alheios em um engarrafamento invadirão meu habitáculo – que sensação horrível.

Como utilizo o carro mais à noite para ir à faculdade, não caindo em engarrafamentos nesse trajeto, e como não faço viagens longas com ele, consigo suportar a falta desse item.

Ausência de direção hidráulica

A direção não tem assistência. Qualquer descuido na calibragem dos pneus reflete no aumento do esforço necessário para manobrar o veículo. Na cidade é onde se percebe a falta que esse item faz. Estacionar o carro ou fazer manobras em baixas velocidades é penoso.

A falta do Ar Condicionado e o trabalho para estacionar um carro sem Direção Hidráulica me faz suar facilmente, mesmo o clima não estando tão quente. Ao meu ver, uma pequena vantagem na ausência desse item seria a maior firmeza da direção em altas velocidades, se comparado a um carro que contenha o item. Isso, se o carro que servir de parâmetro não tiver a direção progressiva.

Ausência de computador de bordo

Para um carro que tem como objetivo ser econômico, inclusive vindo com um ‘econômetro’ no painel para auxiliar tal feito, acho um equívoco a ausência do computador de bordo. Sem esse item, eu perco dados importantes como consumo médio e instantâneo, autonomia, tempo e distância da viagem, temperatura externa, velocidade média e instantânea, dentre outras funções.

Bancos e volantes sem regulagem

A falta de regulagem do volante, tanto em altura quando em profundidade, dificulta o acerto da melhor posição de dirigir. Mais grave que isso é a ausência de regulagem de altura do banco do motorista. Tenho 1,75m e tenho dificuldades em ver alguns obstáculos no solo quando muito próximos do veículo. A sensação de estar enterrado no banco é horrível, e por isso, usar uma almofada para tentar elevar a posição é algo comum.

Péssima revenda

Ainda não tentei vender o carro, mas sei que quando esse dia chegar, a tarefa não vai ser das mais fáceis. Pelo fato de não possuir ao menos AC e DH, creio eu que poucos particulares comprariam o carro. Na troca por outro carro, creio que as lojas aceitariam o meu, porém com uma avaliação lá em baixo. Pesam a favor do carro o estado de conservação e baixa quilometragem (48.000km).

Conclusão

Possuir um carro com essas características não é uma boa opção. A falta de conforto provocada pela ausência de itens essenciais desagrada. Naquele momento foi, pois o carro tinha apenas um ano de uso, era de procedência, baixa quilometragem, condições facílimas de pagamento e estava em um preço muito abaixo do valor de um novo.

Recomendo pegar um carro um pouco mais usado, porém recheados de itens, a um carro desprovido de mimos. Mas se você não liga para esses opcionais e quer pegar um carro o mais novo possível, vá em frente, pois o meu até hoje não troquei um único parafuso.

Por A. Queiroz





  • Guilherme Gimenes

    putz..nem sei o que comentar.. acho que prefiro um chevette velho.

    • André

      Percebe-se que nunca andou em um.

      • Tosca16

        depende, eu já rodei num Chevette 1.6 Álcool de um vizinho … ele era borracheiro, bom era um carro com pouca quilometragem e nem era ruim de partida mesmo à álcool… prefiro o que ele teve depois, um Del Rey acho que 1.8 mas é divertido sim, tração traseira … hoje ainda vejo alguns, a maioria modificados quando estão em bom estado, o pessoal coloca rodas esportivas, mexe na carburação; é um carro bom de mexer, não teria para o dia dia mas para sair fim de semana ele modificado ao meu ver é mais atrativo que Corsa Wind, aqui tem muitos destes até fã clube do Corsinha kkkkk .

        • 4lex5andro

          um adendo, quem tinha traçao traseira era o chevette (o que permitia um otimo jogo de direçao em manobras), e nao o del rey (esse era traçao dianteira mesmo) ..

          e sim, o chevy era um bom carro , na sua epoca, bem superior ao que é o prisma no seu segmento hoje, como paralelo..

          • Tosca16

            Eu disse que o Chevette tem tração traseira, se ficou a entender que o Del Rey tem também me desculpe, não tem … só disse que mesmo com o prazer que é a tração traseira do Chevette o Del Rey é mais carro, mais conforto e melhor desempenho, especialmente o prazeroso câmbio para sua respectiva época …

            • 4lex5andro

              entao tá certo, e fato, o del rey tinha um acabamento primoroso , ponto que os ford eram referencia de conforto ..

              • Tosca16

                Eu vejo alguns em bom estado de conservação, é outro nível … por mais que hoje tênhamos melhores motores, mais tecnologia e etc não vejo um Ford KA da vida melhor que um Del Rey em acabamento e alguns cuidados como forração do teto e etc… Um carro como esse na sua época era bem acima do que temos hoje num KA que passa dos 50 mil reais, não sei fazer a conversão mas quanto custaria um Del Rey Ghia se fosse hoje ? E automático ?

                • 4lex5andro

                  no site calculoexato, convertendo pelo inpc, o delrey ouro pelo preço de lançamento cobraria quase 100 mil reais ..

                  nesse valor é algo como um sedan top de linha atual mesmo, como um corolla, civic ou focus titanium da propria ford ..

                  • Tosca16

                    iria chutar bem isso, não me recordo a versão mas tem uma com uma forração do teto que é bem clara, um tecido macio que não ví em carros de 100 mil reais hoje em dia …

      • Guilherme Gimenes

        Claro que ja andei! o que quis dizer eh q NUNCA compraria um carro pelado assim. Com o valor, vc compra um usado, de baixo de custo de manutencao tb, mas que proporcione algum conforto, o minimo pelo menos. Essa mania do brasileiro de querer carro zero, que pra mim eh so pra ter o plastico nos bancos e o cheirinho de novo.. pq nao vejo vantagem alguma.

        • Caio Ferrari

          Claro, o carro é horrível. Longe de mim querer defender um carro tão pelado, ainda mais um Novo Uno. Mas cara, chevelho não dá não rsrsrsrs

        • danielgermano lopesmoreira

          Olha gosto cada um tem o seu . Mas teria um uno desse tranquilamente , esta bom d mais para o trabalho um carrinho de segunda a sexta não vejo problema algum . O cunhado do meu pai foi proprietário do Fiat Mille 2005 4ptas com kit visibilidade e nada mais , o Mille ficou com ele ate 2009 e usava para trabalho / lazer e viagens a trabalho e não reclamava de nada. Agora em termos de carros 0km isto é relativo , eu mesmo teria um 0km sem problemas ate pq a vida toda meu pai teve carro antigo e possuir um GM opala a 13 anos que esta precisando de vender .

      • Lorenzo Frigerio

        Chevette é uma tranqueira. Refiro-me especialmente àqueles mais antigos, antes dos motores 1.6. Duros, direção pesada, levavam uma hora para esquentar e não saíam do lugar. Tinha que afundar o pé. Consumo de óleo, comando de válvulas que não durava nada. Sem contar o barulho da gasolina chacoalhando no tanque, e a alavanca de câmbio também chacoalhando para tudo quanto é lado. E para completar, o barulho de escapamento mais asqueroso que já ouvi. Vai comparar com um Corsa…
        Um Fiat desses é um carro bem na mão, só falta mesmo o ar condicionado.

    • Revoltado

      Caraca… além de tudo que ele relatou, falou ele dizer que o carro é um FIAT que tem acabamento bem pobre, desalinhado, bebe muito e etc etc

      • danielgermano lopesmoreira

        Em comparação com outros carros esta uma beleza . Já andou no Gol pelado ?? , a volks so falta colocar os bancos como opcionais .

        • Revoltado

          Caraka lembro demais, teve uma versão do gol bolinha que nao vinha nem com retrovisor direito, sem contar que eles nao tinham controle interno kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Marcos Souza

            Gol special que eles colocavam painel da versão anterior que era mais barato. Era um puro frankstein.

            • Leandro Balmant

              Meu irmão tem um Gol Special 1999 1.0, e o carro é bem pelado mesmo, mas o mais engraçado é que no lugar do conta giros vem a medida de pressão dos pneus. Mas ele nem sente tanto a falta de opcionais, já que tem rodas 17″ e som.

            • Castle_Bravo

              Eu tive um G3 “pelado” com o painel do G2. Horrível!

          • danielgermano lopesmoreira

            Putssssssss!!! . E não duvido nada que vinha com a escola de samba junto , a Unidos do plástico ruim .

          • pedro rt

            pior eram aqueles q vinham com o retrovisor do lado do passageiro menor q o do lado do motorista… achava aquilo o fim da picada

          • Guilherme Batista

            Eu lembro em 2012 quando eu cogitei comprar um Gol. Naquela época o acionamento manual interno dos retrovisores ainda era opcional. kkkk

        • Gol BX, início dos anos 90.
          Quebra-vento colado.
          Sem retrovisor direito.
          Nem o carpete vagabundo tinha entre o banco traseiro e o assoalho. Era lata exposta ali.
          Acho que foi um dos campeões na peladice.

          • danielgermano lopesmoreira

            Ohhhhhh pobreza esta Volks kkkk.

    • Minerius Valioso

      Vindo de uma família com um Corsa Sedan pelado que se arrasta em subida, não recomendo carros pé-de-boi para ninguém.

  • Bruno Leite

    Eu sempre me perguntei quem eram as pessoas que compravam carros pelados em pleno seculo XXI. Eu imaginava que seriam carros de empresas e autoescola que não ligam para quem vai dirigir. Não vale a pena, melhor ir num usado com AC e DH que é o mínino que um carro deve ter!

    • celso

      Acho que o mínimo que um carro deveria ter são 6 Airbags, ABS, ESP e 5 estrelas em Crash test.Segurança é imprescindível, claro que estamos longe de termos esses itens em carros de entrada, aliás muitos carros de R$ 100 mil não tem alguns desses itens.

      • Franklin Diego

        Eu acho que você precisa é acordar desse sonho, rsrs.

        • celso

          Realmente é um sonho, mas enquanto for de graça, por que não sonhar.

        • Revoltado

          Tbem acho. Tem um pessoal ai que insiste nisso tudo ai, e a maioria nem sabe pra serve ou nem sabe usar e etc etc… e sem contar que aqui no Brasil onde um simples repetidor lateral nao tem vai ter isso tudo ai

          • Paulo

            Cara repetidor tinha q ser obrigatório em todos os carros. Meu carro tem e tenho reparado pela direção do olhar como pedestres e ciclistas usam ele como referência.

            • Gustavo Cruz

              Literalmente. Se for no retrovisor então melhor ainda. É infinitamente mais fácil de perceber.

      • Junoba

        Até em carros de entrada básico, de 2 portas, possuem 9 Airbags, ESP e muitos outros itens de segurança que nem vemos falar por aqui. Estou dizendo do Yaris, da Toyota nos EUA.

        • celso

          Esse Yaris a que você se refere deve ser o pé-de-boi por lá.

          • Junoba

            Mas é mesmo. Carros pequenos não tem muito mercado por lá. Então que vir recehado de equipamentos de segurança. É aqui que aceitamos qualquer tranqueira. Só pra você ter uma ideia, o carro de entrada da VW nos EUA é o Jetta. Então dá pra ter uma noção de uma mercado sério.

            • celso

              Perfeito.

            • Caio Ferrari

              Primeira: Coisa, o mercado dos EUA é melhor do que o brasileiro em tudo o que se refere a carro. PONTO.

              Dito isto, o mercado sério ou não, de nada tem a ver com o tamanho dos carros.

              Os Yaris vem com 9 AirBags aí porque num mercado de carros enormes, um carro pequeno SEMPRE vai se ferrar. Então o carro tem que ter 358 air bags mesmo, pois a probabilidade de um Yaris bater em outro Yaris (ou equivalente) é quase zero. Se bater, vai bater em alguma barca enorme.

              No mais, comprar mercado Brasileiro de carro com americano é covardia. Aliás, acho que os EUA são o melhor país do mundo para carro, talvez somente a Alemanha seja igual ou melhor.
              Comprar Brasil com EUA em carros é a mesma coisa que comparar a Finlândia com a Somália.

          • Paulo

            Nissan versa o carro mais chulé e barato dos EUA tem 6 air bags e ESP de serie eu acho.

          • Thiago

            Pe de boi la são civic e corolla
            yaris é aquele segundo ou terceiro carro da família so pra quebrar o galho

      • iCardeX

        “A Origem” – Este filme explicará bem todo o seu pensamento.

    • Revoltado

      Em pleno século XXI… os carros populares estão na casa dos 40mil reais completos

      • iCardeX

        Não no Brasil.

    • Guilherme Batista

      Eu sempre achei que era só frotista e empresa que comprava esses carros

  • André

    Para mim, pode ser pelado de tudo, só tem que ter uma direção assistida e ar condicionado, isso é o minimo dos mínimos.

  • Rodrigo

    É serio isso? algum brasileiro precisa saber como é ter um pé de boi????

    Sinceramente qualquer pessoa sabe que um carro sem (kit dignidade) Ar, DH, vidros elétricos. é mais difícil de vender

    • Gian

      kkkkk!

      “Kit dignidade” foi ótimo! Vou usar essa agora!

    • Vanderley Almeida

      Concordo com vc, mas tem umas coisas que acho desnecessárias. No meu carro por exemplo tem sensor crepuscular e de chuva que acho as coisas mais inúteis.

      • Teste

        Deve ser porque você não passa por situações onde eles são utilizados. Aqui no Rj existe N túneis, você acaba de entrar no túnel, o farol já está ligado, saiu ele desliga. Se fosse manual, você poderia esquecer de ligar ou apagar. Ai quando você estacionar, poderia “arriar” sua bateria e te deixar na mão na hora de sair. O mesmo acontece em garagens de prédio. O sensor de chuva, utilizo menos. Mas em viagem é um equipamento interessante. Imagine você entrando numa curva e a chuva de repente aumenta e você tem que aumentar a velocidade do limpador, isso irá tira um pouco de atenção da estrada. São equipamentos que de modo geral aumentam a segurança e depois que você acostuma, fica difícil aceitar carros sem essas comodidades

        • Stark

          Acho que a maioria dos carros modernos avisa se esquecer o farol ligado. O meu não é automático, mas avisa se eu deixo ligado. O maior benefício do automático é menos gente andando com farol apagado na rua. Canso de ver carro nessa situação, e me pergunto como o cara não percebe uma coisa tão essencial, que é a iluminação.

          • iCardeX

            O Golf tem umas frescuras até legais com o sistema de luzes quanto o botão “auto” está ativado, inclusive ativando as luzes de painel de instrumentos e dos botões de controles automaticamente. Do lado de fora, o mais curioso é que o se o veículo atingir os 140km/H (ou superior) os faróis acendem-se sozinhos, e só voltam a apagar quando o veículo atingir os 65km/h (ou velocidade inferior) durante alguns minutos. Se o sensor de chuva entrar em ação, o comportamento da luzes externas também é modificado.

          • Guilherme Batista

            Vejo muitas pessoas idosas e mulheres(sem preconceito) que se esquecem de acender o farol, principalmente quando estão dirigindo carros nos quais o painel fica sempre iluminado..

        • Vanderley Almeida

          É verdade, único tunel que passo as vezes é na Fernão Dias próximo a Mairiporã quando vou a São Paulo. Mas nas rodovias eu ja ando com os faróis acesos, seguindo uma recomendação do CONTRAN. Mas no seu caso deve fazer diferença msm. Já estive no Rio, mas, normalmente não dirijo na capital e somente na baixada, nunca prestei muito atenção nesse detalhe. A questão de descarregar a bateria também é valida.

        • iCardeX

          O Golf tem umas frescuras até legais com o sistema de luzes quanto o
          botão “auto” está ativado, inclusive ativando as luzes de painel de instrumentos e dos botões de controles automaticamente. Do lado de fora, independente se estar em “auto ou desligado”, o mais curioso é que o se o veículo atingir os 140km/H (ou superior) os faróis acendem-se sozinhos, e só voltam a apagar quando o veículo atingir os 65km/h (ou velocidade inferior) durante alguns minutos. Se o sensor de chuva entrar em ação, o comportamento da luzes externas também é modificado.

      • Marcelo Alves

        O sensor de chuva eu sempre uso e acho muito bom, só regulo a intensidade que quero que ele funcione e pronto, não preciso mais mexer nos limpadores, ele controla tudo. É mais útil quando a chuva está fina já que ele regula o intervalo de passada dos limpadores e você não precisa ficar desligando e ligando como em um carro que só tem um temporizador.

    • Filipe Machado

      Eu tive sorte pq vendi meu antigo carro pé de boi relativamente fácil, porém valor abaixo da Fipe e bem acima do que loja estava me oferecendo

    • Kadu

      Pra que alguém precisa de vidros elétricos tão desesperadamente? Não é como se girar uma manivela fosse um ato indigno para um ser humano.

      A única coisa minimamente necessária, em termos de conforto, é AC. O Brasil é desumanamente quente, no verão é possível passar mal sem AC dentro de um carro. E talvez DH. O resto dos itens é frescura. Não sou uma princesa, posso subir meus vidros manualmente e trancar meu carro na chave.

      • Eduardo

        Já andei bastante em carro pé de boi, hoje não mais. O que acontece é que nos acostumamos com certo conforto, e regredir é visto como inconcebível.
        Mas o pessoal faz muito drama, como se fosse o apocalipse manobrar um carro sem DH ou baixar um vidro manual. A/C ainda se justifica em boa parte do Brasil, na minha região dá pra viver sem.

      • Romulo Moreira

        Como o dono do artigo disse, se seu carro NÃO tiver o AC, o ato de subir e descer os vidros se faz necessário, e quando tá muito calor abre-se o do passageiro geralmente, aí pra fechar em movimento, ou quando subitamente começa uma chuva, é complicado…Acredito que o AC > VE

  • Marcos Lopes

    sessão nova:
    em vez de relatos do comprador: Relatos do Sofredor !

    • Rodrigo

      hahahhahhaha……….

    • SDS SP

      Boa kkk… Mas eu ainda acho que os verdadeiros sofredores são aqueles que dependem do transporte público.

      • le0gt-r

        Bem lembrado…
        Ruim com ele, pior sem ele!

        • SDS SP

          Pois é. Com toda a derrota, o pé de boi te leva para qualquer lugar. Uso transporte público combinado com o carro, mas em dias frios e chuvosos eu passo longe do ônibus e metro.

      • danielgermano lopesmoreira

        Concordo com vc plenamente ou melhor assino em baixo !!! . Pq dependo de ônibus e ninguém merece, estaria super feliz com o Fiat Uno na minha garagem pq vc pagar 3,10 ou 3,75 todo dia é F&%@A .

      • Lucas Rizzo

        Total. Até comecei a sentir um pouco de tristeza pelo cara, mas aí lembrei que passei a vida toda ralando em ônibus sem ar e lotado. Um carro pé de boi é luxo para quem depende de transporte público em cidade onde ele é ruim. Paguei todos os meus pecados chegando atrasado e molhado na faculdade e no trabalho – depois de pegar muita chuva ou de tanto suar no ônibus. Fora os assaltos frequentes, né. haha

      • Alex RB

        Com o transito de São Paulo e dependendo dos horarios, o transporte público vale muito mais a pena. Principalmente agora que existem onibus com WiFi e AC, o ruim é ter que depender exclusivamente do transporte publico, mas eu tenho carro na garagem e muitas vezes opto por deixar ele parado e pegar um onibus, gasto 7 reais de passagem, o que dá um terço do estacionamento sem contaro conbustivel.

        • Ernesto

          Verdade, às vezes uso metrô quando preciso ir à Av. Paulista. Como moro na Mooca, deixo o carro próximo da estação Vila Prudente e de lá é rápido chegar à Paulista. Agora, todos os dias, não sei se aguentaria. Até porque quando pego o metrô, normalmente não é em horário de pico. Se fosse, seria uma tortura.

          • Filipe Machado

            Zona Leste é complicado, mas eu moro na Zona Norte e trabalho na Berrini e é MUITO SUSSA trem e metrô, se bem que moro próximo ao metrô e o trabalho é do lado do trem

            • Ernesto

              Aí é beleza. Moro relativamente perto do metrô Belém, posso até ir à pé, mas a linha vermelha do metrô é a pior de todas, por isso prefiro ir até a estação Vila Prudente, que também não é assim tão longe, mas aí preciso ir de carro mesmo. Tenho cliente na Berrini, a Telefônica, mas quando vou pra lá, vou de carro mesmo. Andar com notebook em transporte público eu acho um tanto arriscado.

        • Filipe Machado

          Mesma coisa aqui, pra trabalhar todo dia vou de metrô e trem, carro só pra lazer e mesmo assim se for lazer em lugar de fácil acesso vou de transporte público.
          Adoro colocar carro na estrada e sair daqui da Capital

    • iCardeX

      Bem observado! Segure esse like aí!

  • Mr. Car

    Nos anos 70, quase todos os carros eram pé de boi, he, he!

    • Rodrigo

      Até os anos 90 a maioria era pé de boi!

      80 à 90 – AR, DH, trio elétrico=> Elite branca dominante
      90 à 00 – AR, DH, trio elétrico=> Classe media alta
      00 à 10 – AR, DH, trio elétrico=> Classe media
      10 >> – AR, DH, trio elétrico=> Classe media baixa parcelado em 100x

      • Mr. Car

        Sim, mas já havia mais opções com algum conforto extra. Nos 70, era raro mesmo, he, he!

        • Carlos Pinto

          Ar e direção só existiam nos mais tops nacionais, Galaxy, Dodge, Opala, e os vidros elétricos e travas só foram aparecer em nacionais no começo dos anos 80, no Del Rey Ouro

      • Lu RS

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk muito bem colocado!!

      • Revoltado

        Até hoje tem muito

      • David

        Direção Hidráulica é tão arcaico que você não faz ideia. Dirija um carro com assistência ELÉTRICA na direção e volte para escrever a experiência.

        • Fernando S.

          Não tem lá muita diferença entre hidráulica e elétrica

          • danielgermano lopesmoreira

            Tem muita diferença sim . Dirige um Honda com DE é uma maravilha !!!

            • Filipe Machado

              Direção elétrica da VW eu acho excelente, ótima progressividade, não é muito leve quando em baixa velocidade.
              Honda Fit antigo me.dava agonia de tão leve que era

              • danielgermano lopesmoreira

                kkkkkkkkk !!!.

          • ViniciusVS

            Os carros atuais com direção Hidráulica tem sim diferença para elétrica, porém os carros mais antigos não existe diferença nenhuma. temos um Santana ano 2000 com direção Hidráulica Progressiva e um Civic EXR 2014 com Direção Elétrica Progressiva e por incrível que pareça o Santana tem a direção mais leve. o que é positivo no civic é o volante menor e mais confortável do contrário de fato não é essa revolução toda mesmo.

          • Minerius Valioso

            Acho que depende muito da calibração da fabricante. Por quaisquer que sejam os tipos de assistência, o ajuste tem de ser adequado as rodas e ao peso do carro.

          • Marcos Souza

            Tem sim…já tive um com de e agora tenho um com DH. A diferença da saudade…

          • Gustavobrtt

            TAmbem não noto muita diferença

          • Romulo Moreira

            O lance é que a DE é progressiva, pode-se ter uma configuração muito leve para cidade e mediana/pesada para estrada, pode não fazer diferença pra força em si, mas é um item de segurança….uma vez que a calibração da DH seja “leve” demais, em alta velocidade é meio tenso….

        • Lorenzo Frigerio

          A única vantagem da elétrica é um óleo a menos para vazar, e um acessório a menos no motor – ou seja, economia de espaço.
          Quanto ao resto, questão de calibragem da fábrica.

      • Minerius Valioso

        Vish, trio elétrico e ar condicionado eram opcionais em carros considerados luxuosos.

        • 4lex5andro

          eram opcionais em carros medios e poucos compactos tinham, o que começou a mudar (nesse quesito, dh e ac) na epoca do plano real …

  • Maycon Farias

    Quando eu vendi meu primeiro carro um Uno somente com vidro, encontrei na mesma loja um Corolla 99 com ar, direção, regulagem, bancos de couro, vidros elétricos nas quatro portas, air-bag frontal, retrovisor elétrico, cambio automático, rodas de liga leve por apenas 18 mil. Andei com o carro por 3 anos sem problemas, baixo consumo, potente, confortável. Honestamente tive o uno quase totalmente pelado apenas para sair da moto que tinha. Mas com grana na mão jamais teria pego ele. Sofri tanto quanto o relato do colega. Deus me livre de andar num carro pelado assim hoje em dia.

    • Fernando S.

      Eu entendo quem o faz. Carro usado é sempre uma loteria, especialmente quando vc é jovem e não tem ainda os macetes de mecânica. A pessoa prefere a solidez da manutenção de um carro popular do que pegar um carro usado que pode ser uma bomba e com manutenção mais cara.

  • Carlos Morano

    Reforço a importancia do AC nos dias de chuva, quando os vidros embaçam.
    Usar a ventilação normal direcionada para o vidro faz piorar mais ainda.
    Nesse sentido considero o AC um item de segurança.

  • Bruno Brasil

    Sé loko…vai para o céu sem escala rsrsrs

  • leomix leo

    Guerreiro…

  • Marcos Wild

    Alem de pé de boi esse Uno ai obteve apenas 1 estrela nos testes de qualidade de carroceria, colisão e impacto do Instituto LantinNcap.

    E detalhe, 1 estrela com ressalvas.

    Resumindo: carro assassino.

    • Lu RS

      Este já tem de série:

      AirBag duplo e Freios ABS com EBD de série…então deve ter as 3 estrelas…

      • Stark

        Eles também testaram o Uno com airbags? Porque ter airbags não é garantia de 3 estrelas, vide Nissan March.

      • Ernesto

        Hoje sim, mas o do relato não, é pelado.

  • Luccas Villela

    É muito tenso, é horrível. Já aluguei carro assim e percebi o quanto a gente se acostuma com o conforto. É inadmissível um carro não ter trava. Sair fechando as mil portas é algo que acaba com a alegria de qualquer dia na vida de um ser humano… Ficava muito irritado. TUDO é insuportável… Viveria sem DH, mas sem AR/VE/TR não dá, principalmente AR e TRAVA.

    • Ernesto

      Olha, eu acho que até a DH é essencial. Uma vizinha tem um Uno igual ao do relato e eu já o dirigi. A direção é muito pesada nas manobras! Fico até com dó da minha vizinha.

      • Sério? Já tive muitos carros básicos com e sem direção e em todos achei desnecessário. Fiesta tristonho/Gatinho, Gol a Ar/Bola/G5, Mille, Uno, Palio…

        • Ernesto

          Sim Alessandro, acho item necessário sim, principalmente para manobras de estacionamento. Com o carro andando, não há problemas. Também já tive carros sem D/H (tenho 40 anos), mas depois que se acostuma (meu caso), não dá para comprar um carro sem esse equipamento. Até porque é cada vez mais raro carros sem D/H. A VW mesmo, se não estou enganado, todos os carros já vêm de fábrica, isso já há algum tempo.

          • Eu entendo e respeito isso (Não é, Regina? heheheh), mas para mim não vejo muita utilidade (E olha que manobro em estacionamento de prédio, e até na minha casa pela posição do poste é complicado manobrar). A questão é gosto mesmo. Tanto que as minhas direção assistida preferida é da Peugeot (Pelo menos até o 206) que era mais dura.
            Também estou chegando nessa idade, mas encaro a direção sem assistência (Encarava. Agora meu carro tem) como parte dos exercícios físicos diários. Que nem a caminhada que faço todo dia de manhã.

            • Ernesto

              Alessandro, comentei da minha idade não para dizer que prefiro D/H por causa disso, mas comentei porque quando comecei a dirigir, era muito comum carros sem esse equipamento. Rsrsrs. Minha saúde e condicionamento, graças a Deus, estão ok. Rsrsrs

    • Filipe Machado

      Amigo eu vivi 5 anos num Celta pé de boi, é uma experiência boa quando se é molecao,. Hoje mais velho prefiro conforto. Prefiro ficar sem carro a andar num pé de boi novamente, pelo menos economizo dinheiro sem.carro

      • Luccas Villela

        Olha, eu tive meu primeiro carro, um Clio/11 quando tinha 18 para 19 anos e escolhi com AR VE DH e TR desde o primeiro. Não dá pra viver sem isso, é muito ruim mesmo… Hoje tb estou sem carro e prefiro andar de bus do que andar em algo sem esses itens, é questão de opinião mesmo, hehehe. Se for pra se fu*** que seja gastando quase nada, rss.

        • Filipe Machado

          Deu sorte amigo !

          Mas o Celtinha foi baita escola – vendi o carro com o coração apertado e peguei algo mais novo e com os itens básicos de sobrevivência rsrsrsrs

          • Luccas Villela

            Nem fala, meu coração bate mais forte quando vejo um Clio 11 vermelho DUAS PORTAS, UHSUAHSUASUAS, acho que sempre é o “meu”, mas nunca o revi :(

  • Marcos Wild

    Alem de pé de boi esse Uno ai obteve apenas 1 estrela nos testes de qualidade de carroceria, colisão e impacto do Instituto LantinNcap.

    E detalhe, 1 estrela com ressalvas.

    Resumindo: carro assassino

    • Junoba

      Lembrando que por pouco ele não levou 0 estrelas, mesmo sendo que naquela época as exigências do Latin Ncap eram menos rigidas.

  • Fabiano/MG

    É, dias difíceis, já tive um palio que ôôh como era triste !!! Sem nada, nem gasolina no tanque, rsrsrs. Aliás, coincidência né, a foto ser um Fiat também… oh montadora viu !!!

  • BillyTheKid

    Ainda bem que o consumidor brasileiro está deixando pra trás esse tipo de carro, quem sabe em alguns anos até o Gol, up! e cia. recebam AC de série…

    Todo mundo reclama dos carros hoje em dia (e com razão), mas pensar que há uns 5~10 anos mais da metade dos carros vendidos eram 1.0, sem airbags, ABS, e raramente com ar-condicionado, direção assistida e trio elétrico… Pelo menos hoje em dia a situação não é mais tão feia!

    • Filipe Machado

      Up do Move pra cima.já é de série A/C e Direção no 15/16, Take foi feito pra ser opção pé de boi tem jeito não

  • Franco da Silva

    Eu já tive um assim, mas era um Corsa, e lá pelo final dos anos 90. Aguente campeão, logo passa!
    E pros sabidões que adoram um carro usado, quando tu depende do carro ligar 100% das manhãs para sair pra trabalhar, tu não arrisca com essas porcarias de usados que tem por aí.

    • Fabiano/MG

      Falou tudo Franco !!!! Já tive um palio 0km (entre as décadas de 90/00) que era de chorar, mas nunca fiquei na mão com o carro. Batia uma vez e pronto, tava lá a enceradeira funcionando.

    • Fernando S.

      Muito bem dito. Sempre tem o pessoal do: “Ah, por 30 mil vc pega um Corolla 2010”, eu sempre contra-argumento dizendo que com os mesmos 30 mil dá pra pegar um Audi 2002, uma Mercedes 99… também dá pra pegar uma BMW 96.
      O problema não é “pegar”, o problema é manter.

    • Minerius Valioso

      Já tivemos um Mille Economy 2009 só com kit visibilidade (comprado zero Km), e hoje temos um Corsa 2001 pé-de-boi, na época com 48 000 Km rodados (está 3 anos conosco).

      O carro pode ser pé-de-boi, mas pegamos muita estrada com ele e nunca nos deu problemas mecânicos, a ponto de nos deixar na mão. O problema mesmo, é ele ser pelado e com motor 1 litro… hehehehe…

  • iago

    Também já tive meu Celta 1.0 2008 meio pé-de-boi
    Mas ele tinha ar quente, limpador traseiro e vidros elétricos… Aí coloquei um alarme por fora. Mas DH e AC nem pensar.

    E saí de um Gol quadrado 1.8 1991 na época… (deixei ele com 298.000km – sim o painel tinha 3 dígitos) – obs ja comprei usado, obvio. Aquilo sim é sofrimento.. carro duro, liga de manha se arrastando todo.. leva em oficina sempre tem 200 coisa pra trocar

    Aí de repente um Celtinha zero… Meu Deus, parecia outro mundo… Evolução de uns 2 mil anos…

    Sem contar que aquele caixote retorcido (essas nabas depois que trincam o túnel não prestam mais… em vez de andar reto pra frente, anda de revesgueio) fazia 5 por litro na cidade

    • Alex Dusfri

      Gol quadrado ninguém merece. Entre um Gol quadrado 91e seus concorrentes eu prefiro um Escort ou um Chevette do mesmo ano. Nem vou citar o Kadett, pois este está um nível acima (hatch médio).

      • iago

        Pois é, na época tinha um Kadett bem mais novo, acho que 97, modelo GL, prata, 1.8
        só não lembro se era EFI ou MPFI, mas era bonitão
        O cara queria 14.500 e no golzinho eu paguei 10.000 (era bonitinho também, gl 1.8)…
        Mas me arrependi amargamente… Mas a gente aprende né.

        O engraçado é ver molecada na internet (que muitas vezes nem tem carteira) dizendo que sonha com um carro carburador, que limpar carburador é cool, que nao sei oq e o karaioa4

        falta de laço nessa piazada tonta de hoje em dia

    • Marcos Souza

      Da pra ver alguns carros e camionetes na estrada que andam “meio de lado” a traseira querendo ultrapassar a frente do carro… Me deixa até nervoso de ver.

      • Ernesto

        Carro caranguejo! Um colega tinha um Fiat 147 assim. Dava medo! Rsrsrs

  • Fernando S.

    Me solidarizo ao criador da matéria. Já tive um Mille entre 2007 a 2013 cujo únicos opcionais eram o limpador/desembaçador traseiro + preparação para som (antena e fiação) e as 4 portas. O carro não quebrava, rodei com ele 98 mil km até a venda só com troca de óleo, filtros e manutenções básicas de desgaste natural. Mas vou te contar, não tenho nenhuma saudade dele. Na época comprei pq realmente não tinha dinheiro para coisa melhor e sempre tive medo do mercado de usado, aliado com a época em que tinha 20 anos e seria meu primeiro carro, fui na solidez de um carro barato e de manutenção fácil. Graças a Deus, com muito trabalho, consegui trocá-lo em 2013 por um carro 1.6 com ar, direção, vidros, travas, alarme, abs, ab2, abertura elétrica do porta-mala (acreditem, eu odiava ter que desligar o carro para levar a chave e abrir o porta-mala) etc.

  • Luiz

    Sei bem o que o autor do texto está passando, meu primeiro carro foi um Pailo Fire 2003 pé de boi, sofria muito nos dias de chuva no verão. O meu era aquele que só tinha o velocímetro e o marcador de combustível que quando chegava a 2/4 já acendia a luz da reserva. Tristeza, mas aprendi qual o valor de um ar condicionado. hehehe.

  • Davidsandro18

    Cara juro que a cada linha eu sofria junto, também passei por isso com o meu primeiro carro, depois de 1 ano com o mesmo, que instalei os kits originais de alarme, vidros e travas elétricos, coloquei um jogo de rodas 14 isso em 2010/2011 no meu celta tirado zero no fim de 2009, em 2012 peguei outro celta mas com ar e direção, itens esses que são indispensáveis em um carro por mais básico que seja!

  • Gian

    Nessa situação (de preço baixo ser primordial), eu optaria por um usado.
    Por menos de R$25.000 dá para, por exemplo, comprar um Fiesta Rocam 1.0 2013 em ótimo estado com ar, direção e trio. Ou até um Fiesta Rocam 1.6 2012 com os mesmos ítens.

    Falei do Fiesta porque foi o primeiro que me veio na mente e que sei que tem custo de manutenção razoável. Mas tem exemplos ainda melhores de todas as marcas.

    O que importa é que, procurando bem, dá pra achar carros melhores que um zero pé de boi.

    É horrível estar em um congestionamento no verão, pára um caminhão fumacento do lado e você se vê obrigado a fechar os vidros e ficar na estufa sem ar condicionado.

  • Greice Maria

    Achei super bacana o relato…Conta a historia da turma que comprou seu primeiro possante, isso a pelo menos 5 anos atrás..Todo mundo começa de algum lugar. Principalmente aqui no Sul onde o clima era mais “ameno” e os engarrafamentos menores..E como o amigo disse nos comentarios, quem depende de um carro confiavel e que não te deixa na mão, exige certos sacificios. Hoje com a graça divina os pé de bois estão mais raros e os com AC mais em conta =)

  • Rafael Barroca

    Cara! Já passei por isso, mas ao menos você o comprou novinho. Tive um Uno 2000, em 2004. Neste mesmo ano, pesquisei por carros mais equipados e mais baratos. Achei um Fiesta 99 com ar, dh e vidros. Como meu pai iria financiar no nome dele, nem me deu ouvidos. Comprou o pé de boi do Uno. Cinza ainda por cima, horrivel. Naquela época, o Fiesta custava 7 ou 8 mil. Lembro que sem entrada e financiado em 36x a parcela ficava em 285. Ja o Uno era 9.500. Acabei com uma parcela de 385, carro pelado e muito barulho dentro da cabine. O bichinho parecia um fenômeno natural, pois ao passar por ruas de paralelepípedo rolava um som de trovão vindo do teto. Bati duas vezes ainda com aquele coitado. Depois da primeira batida, não importava o quanto alinhasse sua direção, ela nunca mais ficaria reta novamente.
    Todavia me sobraram muitas lembranças engraçadas. A primeira foi de um roubo próximo à um shopping da minha cidade. Levaram todos os meus cds. 48, originais e umas carcaças originais do 3310 (era promotor de merchandising da Oi naquela época e elas serviam de brindes) e outra em que subi num canteiro, sem consequências. A pior foi quando estava em Mossoró e comecou a chover. O desembracador não funcionava direito. Parei o carro no canteiro e comecei a chorar de desespero porque não via nada, estava quente e ainda por cima temia pela minha vida já que não via nada.
    Nunca o achei muito econômico. Uma pena não ter voz ativa naquela época. Depender de favor dos outros para realizar os sonhos dá nisso.

  • Vitão

    Sei mto bem a sensação de se andar num carro pelado “pé de boi”, pois estava com um até o início do ano passado (Corsa Maxx 1.0)…

    As calhas de chuva eram feias no carro, mas te quebravam vários galhos em dias de chuva, pra quem não se tem um AC… E questão de segurança?! Pois parecia mostrar que os vidros estivessem fechados huehue… Coisa de pobre…

    A pior coisa era qdo alguém parava ao seu lado direito pra pedir informação… Putz, ou ignorava o cara, ou tinha que me esticar todo pra baixar os vidro na manivela (tinha q baixar por causa do insufilme, não dá pra ver nada)…

    Em dias quentes os amigos evitavam o meu carro, por não ter AC kkk… Poxa, fui discriminado várias vezes hehehe…

    Pior era sair com mina, ela suando e te diz: “Nossa, hj tá quente né?!” hahahahahaha…

    Pelo menos o meu tinha DH e o som era um Kenwood com MP3, o q salvava… Computador de bordo acho dispensável, pq fazia as médias pela bomba…

    Cara, dps q pulei para um sedan médio (Civic), te digo… Fiquei uns 3 meses com hábitos do carro popular, pois ao chegar na guarita do estacionamento ficava procurando a manivela dos vidro kkkkkkkkkkkkkkkk…

    • V12 for life

      Kkkkkkkkk realmente é engraçado se acostumar, em 2004 troquei meu Vectra 97 por um Classic 0km só com trio elétrico, nos primeiros 15 dias parecia que estava dirigindo um caminhão, musculação pra que? Kkkkkkkk o meu hoje tem computador de bordo mas também não acho muito útil sempre marca bem abaixo do que calculo se levasse em consideração o que marca o computador o combustível devia acabar uns 100Km antes.

  • Peraldiano

    Amigo, seu comovente relato quase me levou ás lágrimas.
    O que tenho a dizer é para você não desistir e perseverar pois um dia você vai superar isso.
    É uma fase da vida pela qual todos passamos. E de Fiat é pior ainda….
    Você que acorda cedo para ir trabalhar, nunca esqueça das sábias palavras do Tio Peraldiano:
    O problema não é acordar cedo, o problema é acordar pobre.

    • Zé Mundico

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Junoba

      O mano. Que coisa mais chata é acordar cedo todo dia. É pra deixar qualquer um cheio de raiva, e pronto pra descontar em alguém… kkk

  • Leonardo azevedo

    Me vi nesse texto… tenho um Clio 2012/2012 “pé de boi” e passo por tudo isso… agora vc exagerou na economia SEM travas elétricas e alarme kkkk
    No meu instalei som pionner, insulfim, travas e alarme assim que tirei da concessionaria.

  • V12 for life

    Já trabalhei com um desses, para meu cargo só os pé de boi, em curvas a 40Km/h ele canta pneus a falta de estabilidade da medo, passei muitos apuros com ele nas rodovias nunca recomendei e ainda não recomendo o Uno Vivace, logo depois dele me deram um Celta igualmente pelado, mas na estrada onde passava 60% do meu tempo ele era muito melhor, as mesmas curvas que o Uno cantava pneus a 40Km/h o Celta as vazia a 60Km/h sem se quer inclinar.

  • Caçador de homens marciano

    Pra mim o que faz falta é a direção e o ar condicinado. E mesmo assim, sou da época do FUSCA. MESMO PELADO CARRO EM SÍ JÁ É UM CONFORTO.

  • Bruno Wendel Marcolino

    esse painel ardeu meus olhos…kkkk

    • Alex Dusfri

      Dá a maior tristeza olhar pra esse painel. Até o painel do Classic que tem 22 anos de concepção consegue ser mais simpático.

  • Frederico Chaves

    Enfrentar um congestionamento no sol do meio-dia, num carro pé de boi, é uma AMOSTRA GRÁTIS DO INFERNO.

    • Mr. Car

      Podia ser pior: congestionamento, sol do meio-dia, ônibus lotado sem a/c, você em pé, e um animal achando que está abafando ouvindo funk em alto volume ao seu lado. A amostra grátis acabou de ficar interessante, he, he!

      • Frederico Chaves

        Aí é o Satanás te lembrando que a coisa sempre pode piorar! kkkkkkkkkk

        • Rodrigo

          Hoje ônibus tem ar-condicionado, prefiro ir ao trabalho de ônibus que num carro sem Ar.

          Aqui no RJ no VERÃO nem o capeta entraria num carro sem AR.

          • Frederico Chaves

            Aqui em goiânia os ônibus comuns não tem ar, são extremamente lotados nos horários de pico, não possuem conforto nenhum, e grande maioria das vezes você vai em pé, e “os manos” ouvindo funk ou rap.
            Ainda temos o City Bus, que são micro-ônibus com ar condicionado, porém custa o dobro da passagem do ônibus comum e não atende a todas regiões…
            Resumindo, andar de ônibus em goiânia é uma merda e não é por nada que todos que tem condição possuem veículo próprio.

  • Junoba

    Caros leitores. As montadoras ( principlamente as ´´pioneiras“ ) deitam e rolam com o consumidor. Entregam carroças motorizadas totalmente fora da realidade da renda do brasileiro. E ainda quem for financiar, vai pagar um dos juros mais elevados do mundo.

    Deixam o preço o mais alto possível, e se tem alguém quem for pagando e levando pra casa, vão continuar oferecendo lixo.

    • Porque as pioneiras são piores? Se você pensar em termos de tecnologia, responda: Qual o carro mais barato com mais de dois airbags?
      Qual o carro mais barato com câmbio automático moderno (Não de 4 marchas)?
      Qual o carro mais barato com injeção direta?
      Qual o carro mais barato com turbo?
      Qual o carro mais barato tri cilíndrico?

      Conseguiu responder as questões com alguma chinesa, Nissan, Peugeot.. Nas questões acima? Lembrando que as mais velhas são Chevrolet, Ford, VW, Toyota, Renault e Mercedes. Depois a Fiat.

  • Mauro Schramm

    Pior do que estar mal equipado é ser inseguro e mal construído. E quando as duas coisas estão juntas…

  • BAYMAXX

    Deveriam censurar essa matéria…
    Ficar colocando essas imagens explícitas, carro pelado….

    • 4lex5andro

      falando em materia, no 11o paragrafo ..

      ”..principalmente na atual década com (b)sucessíveis(/b) recordes de
      temperaturas. Não possuir esse item de conforto significa passar calor
      constantemente…”

    • Rodrigo R

      Sua geração nunca vai entender o que é se aventurar nessas estradas Brasileiras a bordo de um Fusca 66 ! pura emoção.

      • BAYMAXX

        Tá por fora, minha tia tinha um, faz mais barulho que anda… motor 1300, ela me levava do sítio para escola de vez em sempre…
        PS.: Tenho quase 30 anos…

  • celso

    O painel desse Uno pelado é medonho.

  • Andei por muito tempo com um carro pé de boi, só que era um Ka que nem tinha ar quente ou desembaçador traseiro. Andar com ele em dia de chuva era um sufoco. :-(

  • Andei por muito tempo com um carro pé de boi, só que era um Ka que nem
    tinha ar quente ou desembaçador traseiro. Dirigir em dia de chuva
    era um sufoco. :-(

  • Lu RS

    Carro pé de boi não rola…ainda mais hoje em dia, segurança…..

  • Luis_Zo

    “Bem-aventurados os motoristas de pé-de-boi, porque alcançarão misericórdia”, já dizia a bilbia…

  • V.mario

    Sei bem como é isso, em 2010 vendi minha moto e comprei meu 1º carro, um Gol Special 2002 “super básico” com retrovisor “toch screem/digital” rsrsrsrs. Estava iniciando um novo trabalho em uma outra cidade e um carro tornou-se necessário. Não podia (R$) comprar um carro mais caro porque estava prestes a casar e construindo uma casa, por isso não queria financiar. E quem compra carro usado sabe, deve-se aproveitar as oportunidades que aparecem, nem sempre dá para comprar o carro ou equipamentos que vc quer.
    Comprei ele com 40.000 km de um segundo dono, o carro estava inteiro, paguei 10 mil na época, fiz uma revisão geral e pronto, nenhum problema (mecânico). Fiquei 3,5 anos e rodei 54.000 km com o Golzinho, depois passei para um Prisma 2010 completo (ar/ve/te/dh) (também já vendi este) nossa “era outro mundo” rsrsrsrsr.

  • Leonardo C.

    Sei muito bem como é isso, temos um Corsa Hatch Joy 2008 pelado também, comprado 0KM, mas pelo menos tem o trio elétrico. A falta da direção hidráulica nem é tão sentida quanto a do Ar condicionado, esse realmente faz muita falta. Depois de 91 mil km e 7 anos de uso, os barulhos são diversos e os vazamentos começam a surgir aos montes, mas o bichinho é guerreiro.

    • Revoltado

      Esse carro tem a manutenção tranquila e esse motor VHC é muito valente, só voce ter cautela e fazer uma manutenção em todo o motor, tem carro ai pra mais uns 7 anos tranquilamente.

      • Leonardo C.

        Esse carrinho é valente mesmo, cada nova manutenção que aparece já faço logo, na maioria das vezes só novas abraçadeiras e juntas acabam com vazamentos, troca de óleo sigo a risca, assim como os filtros, nunca usei e espero nunca usar o guincho do seguro.

        • Rodrigo

          Como vc faz seguro de um carro velho? Nenhuma seguradora aceita aqui no RJ

          • Vinicius

            Meu 307 2.0 AT 2004/05 está segurado pela BB seguros. E agora devo renovar com a Tokio. E mais, vou pagar 1.750,00.

            • Rodrigo

              Nessa crise, vou ficar com o meu uns 7 ou 8 anos, vamos ver, espero que o seguro não crie problemas.

              • Vinicius

                Rodrigo, meu carro do dia a dia é um Punto que peguei em um negócio. Minha esposa anda de Fit. E esse 307 vai ficando porque entregar por 16, 17k eu não entrego. Bem manutenido, todas as revisões na Peugeot, e perfeito. Ah, trocar de carro aqui em casa, só com intervalos maiores. E sempre pego com dois, ou três anos de uso.

                Agora, se eu trocar o 307 pode ser por um 307CC ou 407 V6. Só casamento! rs.

          • Leonardo C.

            O mesmo seguro que ele tem desde zero, da Porto Seguro, só renovando todo ano, o de 2015 ficou em 1534,00 (meu pai roda mais de 1200km/mês, eu uso o carro pra ir à universidade e fins de semana)

            • Rodrigo

              Aqui no RJ bateu 8/10 nos de uso ou a seguradora não faz ou o valor é absurdo. Triste!

              • Leonardo C.

                Acho que pro ano que vem já começa a resistência, completando 8 anos de uso, mais de 100 mil km, mas talvez nós iremos trocar o Corsa por um carro 0KM, pois apesar de todo o mimimi que falam pra não comprar carro zero, no nosso caso é preferível, visto que ficamos muito tempo com ele.

                • Marcos Souza

                  Carro zero é bom pq tem garantia de no mínimo 3 anos. E apesar de tanta gente falar mal da GM, considero os carros mais duraveis.

                  • Leonardo C.

                    Olha, eu considerava os carros da GM duráveis (quando eram projetos da Opel), agora não me arrisco a comprar GM, vou partir para outras montadoras.

          • Rodrigo R

            Se você tem o carro com seguro, é só renovar ano a ano, não é necessário vistoria, independente da idade do carro.

            Agora se você é adepto do ‘semi novo’, ai corre o risco de ficar sem seguro.

      • Kkkkk

        Vamos ver se o 2.0 da linha vectra/zafira vai ser assim também…

        Depois da troca dos anéis é claro…

    • Vitão

      Cara, tbm tinha um Corsa, mas o meu era o Maxx 1.0 ano 2007… Te digo q o carro era econômico, valente e nunca me deixou na mão… Era bem melhor q o carro anterior q era um Gol G3 e tive vários problemas…
      Vendi com 68 mil Km… Únicos problemas q tive foram na bomba da DH, q saiu uma nota… E os coxins q teriam de ser substituídos, mas repassei para o novo dono fazer…
      Fiquei 7 anos com o Corsa, o motor msm sendo 1.0 andava bem, era só saber trocar as marchas no tempo certo… Ainda tenho boas memórias dele…

      • Leonardo C.

        Esse Corsa 1.0 anda bem mesmo, aprendi a trocar as marchas no tempo certo com ele, e é até bem equipado para um carro de entrada.

        • Alex Dusfri

          Acho esse Corsa C hatch muito bonito. Quando vejo um com as rodas de liga leve originais impecável e na cor vinho ou verde fico admirando.

          • Leonardo C.

            Eu também acho Alex, ainda não desisti de encontrar um dos últimos 2012 completo + airbag duplo pra passar mais alguns anos.

    • Freaky Boss

      O Corsa é um dos melhores populares da nossa história (claro, relativizando para a época de seu lançamento).

      • Leonardo C.

        Corsa abalou no lançamento, tipo o que aconteceu este ano com o HR-V

  • Gustavo Guto

    é um carro honesto para trajetos curtos e andar dentro da cidade, que não seja uma cidade grande e de transito pesado. Carro bom para empresas, que os empregados gostam de dar pau e ferrar com eles. Agora pro meu dia a dia jamais compraria um carro assim, ainda bem que sabendo pesquisar se encontra carros muito melhores de até 4 anos de uso, e bem novos e num preço bem similar a esse ai. Na minha opinião é o que realmente vale a pena.

  • iCardeX

    Lembrei da vez que precisei alugar um Pálio PE (pé-de-boi Edition). Tudo pronto, eu já dentro do carro para sair, e aquela dureza extrema para girar a direção, pensei: “Pootz! Que azar!!! Algum pneu da frente está furado!” Desço do carro e analiso tudo, e o pneu estava intacto, então, conclui: “A direção está quebrada!” Chamo lá o consultor para dar uma olhada, ele também verifica e solta: “Ué! É assim mesmo! Carro sem direção-hidráulica é perfeitamente normal essa resistência.” Tive que me conformar. Eu girava o volante, com certa brutalidade de força, e ficava com o maior receio do mundo de quebrar a direção.

    • Zé Mundico

      Na maioria das vezes esse problema se resolve apenas calibrando os pneus com a pressão recomendada, coisa que o pessoal das locadoras nem sabe que existe….

    • Rodrigo R

      é que você aprendeu a virar volante sem movimentar o carro, se você movimentar o carro, e depois girar o volante, fica muito mais leve.

      • iCardeX

        Aprendi aonde essa maluquice aí com o volante? Amigo, esse não foi o primeiro carro que eu dirigia sem direção hidráulica. Antes dele eu já havia ficado quase 3 meses com um celta PE, e não verifiquei aquela dificuldade absurda com o sistema de direção.

        • Então deve ser o sistema de direção com problema. O Palio, mesmo sem direção hidráulica, não tem uma direção pesada… Pelo menos com as rodas originais.

  • EJ

    Poxa, já tive um Uno Mille Eletronic 93/94 (Itamar), cujo único luxo era ser 4 portas. Não tinha limp/lav do vidro traseiro nem desembaçador, não tinha tampa de porta-luvas, não tinha retrovisor direito, e não tinha as saídas de ventilação laterais (só as centrais). Os bancos tinham tecido só no meio, pois nas laterais eram de curvim. Como foi meu primeiro carro, e não morava em uma cidade tão quente como moro agora, convivi bem com ele. Muita coisa mudou da década de 90 pra cá. Foi o carro em que menos perdi dinheiro. Muito dono de Celta 2000 pelado também conseguiu passar seu carro pra frente sem perder dinheiro (sim, sem depreciar), devido as circunstâncias econômicas da época. Hoje em dia o pessoal chora de um carro não ter conectividade bluetooth… acho isso sei lá…não posso falar a palavra…tempos modernos…

    • 4lex5andro

      de fato tem algumas coisas até superfluas nos carros atualmente, como rodas de liga, som bluetooth, e mesmo, direçao eletrica , enquanto faltam outros itens que deveriam ser imprescindiveis ..

      como por exemplo, uma qualidade de montagem que muitas vezes nao se encontra em carros abaixo do segmento dos sedans medios ..

    • Comentarista

      Minha mãe teve um eletronic desses verde. Não tinha nada mesmo, só carroceria 4 portas, rodas e powertrain, rsrs ela comprou por 10200 zero e um mês depois passa um garageiro na portador casa e oferece 12500. Vendeu na hora. A Fiat não dava conta de entregar, tinha filas de 6 meses pra receber o carrinho. E quem conseguia compra um zero revendia mais caro mesmo.

  • Paulo

    Ê…. sofrência…..

  • Osni Duarte

    Nossa Grand Tour precisou de reparos devido a uma colisão na traseira e o carro reserva do seguro foi um Uno pé-de-boi. Foi desesperadora a sensação de estar num caixote duro, instável, lento e barulhento por uma semana! A coisa mais próxima em sensação que tive parecida foi uma Kombi 75 que meu pai teve!

    • CorsarioViajante

      Quando bati meu carro tbm passei por isso. É um choque tenebroso mesmo, especialmente se está acostumado com um carro de outra categoria E projetado para o mercado europeu como a Grand Tour.

    • Rodrigo

      Adoro esse carro queria muito compra uma mas a desvalorização, dificuldade de venda e de encontrar peças me fez desistir.

    • Leandro

      Meu primeiro carro foi um Gol e ele não tinha nada, mas me deu várias alegrias, na época realmente era luxo ter direção e ar.Quando bateram no meu carro anterior aluguei um Fiat uno, mas pelo menos tinha ar condicionado… pra uma emergência não dá pra se exigir muito do carro básico, só não recomendo a compra atualmente, acredito que a venda será difícil. Abçs

  • CorsarioViajante

    O “meu” primeiro carro, que na verdade era o “último carro da família”, era um gol city peladão assim tbm. É engraçado ver como subiu o nível de exigência, lembro que nesta época (em torno de 2001) tínhamos este gol, peladão, um outro, que só tinha DH sem A/C (tivemos que escolher, ou um ou outro), e um golf, que era “completo”, ou seja, DH, A/C e trio elétrico. Isso para uma família classe média. Hoje estes itens já são praticamente “obrigatórios” em todas as categorias, mas bem pouco tempo atrás eram um tremendo luxo e a regra era o peladão mesmo. Que bom que evoluímos.
    O contraponto é que é muito fácil manter, pois, como diz o velho ditado, só não quebra o que não tem. Por isso muitas vezes é melhor aceitar com humildade que a grana está curta e encarar um desses que arriscar num usado mais equipado. Vai de cada um. No caso do meu gol a manutenção era irrisória.

    • Caio Ferrari

      Concordo com você. Em algumas cidades, o carro é obrigatório! Em SP, dependendo da região, é possível viver sem.

      Sou muito mais um popular pelado mas com manutenção em dia e bem cuidado do que um completão usado que, quem tem só 30k no bolso não vai conseguir manter.

      • CorsarioViajante

        Pois é, depende muito.

  • Jorge

    A foto é do painel do carro? Ele sai assim de fábrica?
    Este painel é de assustar…

  • Bruno Medina

    Enquanto meu carro está no estaleiro, estou com um Gol CL 1990 carburado e pelado(como era o padrão da época) e digo, é infinitamente melhor do que andar de ônibus lotado numa grande metrópole!

    • Rodrigo

      É não amigo, aqui no RJ ônibus agora tem ar-condicionado, ônibus tem FAIXA EXCLUSIVA, (num trajeto de 1h para um carro um ônibus leva 30 minutos no máximo.) Para ir ao trabalho e voltar, o ônibus hoje lhe oferece uma qualidade de vida melhor.

      • Bruno Medina

        Só se for aí no Rio mesmo…hehe

        • Rodrigo

          Acho que São Paulo também tem Ar e faixa exclusiva.

          • Fernando S.

            Diga-me onde tem ônibus com ar-condicionado em SP que eu largo meu carro em casa

            • Rodrigo

              Em SP é somente faixa exclusiva?

              Aqui no RJ não tem como no verão 40º a SOMBRA ônibus era insuportável.

              • Fernando S.

                Em SP não deve ter 10% da frota com ar-condicionado (isso se existirem, pois eu nunca vi)

                • Rodrigo

                  Depois que deu aquela merda dos R$ 0,20 o transporte publico aqui ta melhorando. primeiro veio as faixas exclusivas para ônibus e agora ar-condicionado.

                  To andando de ônibus de boa, o problema são os assaltos, violência aqui no RJ é inacreditável.

      • Rodrigo R

        Não tem como achar nenhuma vantagem em andar de ônibus, nem se ele pudesse voar.

        Com ou sem faixa exclusiva, você ainda esta sujeito ao ônibus não passar no horário, estar cheio e você ir em pé todo o trajeto, além de ter um horário estabelecido para o fim de ônibus na rua.

        Eduardo Paes pode fazer o BRT que for, que não vai mudar nada.

        Metrô é muito mais caro e é tão ruim quanto trem da SuperVia.

        Você diz que ‘agora o ônibus tem ar condicionado’, pois bem, era meta da Prefeitura ter 100% dos ônibus com ar condicionado.

        O que o excelentíssimo prefeito fez para atingir essa meta ?

        “Prefeitura vai tirar 2 mil ônibus das ruas para garantir meta de 100% com ar-condicionado”

        Para cumprir a meta de 100% dos ônibus refrigerados até o fim de
        2016, a prefeitura vai retirar das ruas cerca de 2 mil veículos comuns
        sem ar — sem substituí-los —, o que corresponde a 25% da frota atual,
        que é de pouco mais de 8,5 mil. Segundo o secretário municipal de
        Transportes, Rafael Picciani, a previsão leva em conta a “racionalização
        das linhas”, que acompanha a expansão do BRT.

        — Em 2016, com o
        aumento das redes do BRT e a racionalização do sistema, a frota dos
        ônibus comuns será reduzida em cerca de dois mil. Com isso, esperamos
        alcançar a meta — diz o secretário.

        Nada esta tão ruim, que não possa piorar.

        Por isso que venda de carro bate recorde todo ano, pois o povo, assim que pode, anda de pé de boi para não sofrer em transporte público.

  • Julio Cesar Jasserand

    kkkkkkk, me diverti com esse relato… boa ideia fazer um relato assim, em pensar que há uns 10 anos atrás a maioria dos carros eram vendidos sem ar/direção assistida… pelo menos nesse ponto evoluímos um pouco.

  • Wagner Lopes

    Não vejo qualquer problema pois continua sendo um meio de transporte que dá certo conforto e comodidade frente a qualquer transporte público. Na minha opinião a direção hidráulica é obrigatória pois a direção é o principal “ponto de contato” seu com o veículo e nada justifica este esforço extra. O ar também aumenta MUITO o nível de conforto. Em seguida as travas elétricas por questões de segurança e esquecimento de portas abertas. O resto vem depois.

    • Rodrigo

      Tá errado amigo ter carro não trás qualidade de vida.

      Na vida real, hoje no RJ o ônibus supera muito o carro em qualidade de transporte. Como disse ao amigo acima.
      Aqui no RJ ônibus agora tem ar-condicionado e o melhor de tudo tem FAIXA EXCLUSIVA, (num trajeto de 1h para um carro, o ônibus leva 30 minutos no máximo.) Para ir ao trabalho e voltar, o ônibus hoje lhe oferece uma qualidade de vida melhor.

      Pra maioria aqui no RJ o ônibus é um transporte melhor e mais eficiente que o carro. (Graça a Deus o transporte publico esta melhorando aqui no RJ)

      • Wagner Lopes

        Eu não falei exatamente em “qualidade de vida” e outra, você relatou uma situação SUA. O correto seria então escrever: “carro não ME trás qualidade de vida” na minha necessidade diária. Não devemos generalizar pois são muitas as situações deste nosso país…

  • FerSaccon

    Desde o meu primeiro carro que o requerimento básico é >1.0/AR/DH/trio e air bags (estou no 5°, sempre usados). Acabei pegando um Siena Fire pé-de-boi no rolo quando estava vendendo o Sandero Privilège. E pra vender aquela tranqueira? Os Renaults que tive foram 10x mais fáceis de revender do que o Fiat 1.0 pelado. Sem contar que fiz uma viagem até a praia e na subida da serra os caminhões colavam na traseira, mesmo reduzindo marcha, para tentar fazer aquela coisa andar. Rodava a 5000 rpm pra conseguir algum torque. Quando cheguei em casa depois de 150 km, parecia que eu tinha levado uma surra, tão cansado que estava.

    • Caio Ferrari

      Esse motor Fire 1.0 brilhou até 2005, no máximo.

      Hoje em dia, é um dos piores, se não o pior motor 1.0 a venda no BR.

      • Rodrigo

        Ele brilhou no Uno pq era leva.

  • Tosoobservando

    Isso sem contar que em materia de segurança é zero, ou seja, bateu morreu. Nao basta ser básico, tem de ser inseguro tambem!

  • Stark

    Olha só, não é apenas no meu Fiesta que falta alça de apoio no teto (seria cômico se não fosse trágico).

    E sobre dirigir enterrado no banco, eu gosto. Não sei como é o Uno, mas meu Palio tinha uma altura confortável do banco, mesmo sem regulagem.

    • Assuero Queiroz

      pra minha altura, acho baixo o banco desse carro.

  • Freaky Boss

    Carro padrão locadoras da banânia. E ainda sim caro que é um absurdo.

    • 4lex5andro

      um fiat que nao roda nem em ruas italianas, pra se ter uma ideia do quanto deve ser seguro ..

      • Rodrigo R

        No pais em que você mora, a sua segurança e conforto é diretamente proporcional a quanto você tem no bolso.

  • danielgermano lopesmoreira

    Cara teria um carro desses tranquilamente, pra uso de trabalhado não vejo problema algum , eu iria sofrer com a falta de DH mas carro para trabalho . O cunhado do meu pai mesmo em 2005/2006 comprou o fiat Mille 4ptas pelado , o único Kit era visibilidade e alarme genuíno fiat . O carrinho andava e o melhor econômico, foi proprietário do Mille de 2005 a 2009 era usado para trabalho / lazer e viagem a trabalho .

  • Rômulo Júnior

    Esse relato fez lembrar um tempo q eu tinha um gol g3 16v pelado nem desembaçador e limpador traseiro tinha.ôôôôôôô sofrencia.!!!kkkkkk

  • jjmarcio2

    Ando em um UNO 2013 da empresa que trabalho pé de boi também.

  • Thales Sobral

    Pneus mais finos, ao contrário do que pode parecer, são mais SEGUROS em pista molhada do que as “patas largas”. Menos risco de aquaplanagem.

    • Rodrigo R

      Antigo Uno Mille Fire vinha com o um pneu salsicha 145, parecia bicicleta Caloi na curva.

      • Thales Sobral

        Lembro deles, 145/80R13. Depois aumentaram pra 155/80R13. Fininhos, nada de alto desempenho. Mas pra buraqueira, era uma maravilha. Tem horas que eu fico desejando uns pneus assim no meu carro…

    • Assuero Queiroz

      nunca li a respeito…
      Não consegui criar aqui na mente nenhuma razão para esse argumento…
      Acrescente-me fonte, se possível

      • Thales Sobral
      • Stark

        Pneus mais largos aumentam o risco de aquaplanagem, pois a área de contato com a lâmina d’água aumenta, e o pneu faz menos pressão no solo, pois tem uma área maior. Mas isso não significa que devemos usar pneus finos. O ideal é um meio termo, para se ter aderência tanto no seco quanto no molhado.

        Pesquise na internet sobre isso, há muita informação. Tem uma matéria da quatro rodas muito interessante, eles comparam a diferença do aro 15 e aro 17 no comportamento de uma Saveiro. Não coloco aqui pois demora um tempinho até a moderação aprovar comentários com link.

  • XXRS

    Tá aí uma coisa que eu não entendo, alguém que não é frotista ainda comprar um carro peladasso. Deve gostar de sofrer, só pode.
    Eu não sou da turma do “semivelho completão” mas não pensaria duas vezes e pegaria um usado com um ou dois anos de uso mas “completo” se tivesse condições apenas de comprar um carro pelado zero km, tipo move up, Palio Fire, Uno Vivace e Clio, todos pelados e que custam aproximadamente o mesmo.

    • Rodrigo R

      DINHEIRO, caro Chapolin.

      Quando não se tem dinheiro para comprar o que se quer, se compra o que se pode, ou você recarrega o cartão da passagem e continua andando de ônibus.

      Se você ler o relato inteiro, o rapaz completa: “o meu até hoje não troquei um único parafuso.” Essa é a vantagem do carro zero, a não necessidade de grandes reparos a curto prazo.

      Ter carro não é só parar um na garagem, todo ano tem IPVA, todo ano tem seguro, ou conta com a sorte e proteção do Santo Positron como o rapaz esta contando.

      Com 40 mil, hoje, compra um movie up, Ford Ka, uno Attractive, tudo completo, ou com o mesmo você compra um Sedan Médio com uns 6 anos de uso. Ai vem os custos da idade do carro, fora que o carro pode ser barato por ser usado, mas os custos continuam sendo de carro caro.

      • Assuero Queiroz

        Você expressou bem muito do que pensei ao comprar esse carro.

      • Fernando S.

        As pessoas não conseguem entender isso, Rodrigo. Esse papinho de “vc compraria um carro X 2010 completo” é um dos papos que mais me irritam. A pessoa está comprando um carro pelado porque está com pouquissimo dinheiro e quer fugir do transporte público ridículo que temos. Comprar um carro vai muito além de assinar o cheque e licenciar o veículo. Carro antigo exige manutenção mais frequente. Um pé de boi zero é certeza de, no mínimo, 3 anos sem precisar mexer em nada além das trocas de óleo.

  • JoãoAVR

    Esse novo Uno ainda vem com alguma coisa, quando comprei meu Mille Fire ele não tinha sequer a tomada 12v (apenas o chicote e um tampão no lugar) e comando interno do retrovisor.
    Os únicos diferenciais são a direção que é leve por natureza, então DH não faz falta, e as portas que são revestidas em tecido. Inclusive isso vai contar quando eu comprar outro carro, porque porta toda em plástico é muito ruim.

    Alguns acessórios são tranquilos de instalar como alarme, trava, vidros, iluminações no porta luvas e porta malas, além de ajudar na revenda.

  • Whering Alberto

    É…carro “pelado” é mico na certa. Melhor é pegar um mais antigo mas que traga o mínimo em conforto e conveniência. No tocante à revenda, se já era difícil antes (quando haviam mais modelos “pé-de-boi”) nas concessionárias), hoje será ainda mais, uma vez que os populares de entrada estão (quase todos) oferecendo de série ar condicionado e direção assistida, no mínimo.

  • Thiago_NCO

    Otimo texto, mas discordo da revenda. Tive um Mille 91, completamente capado (meu primeiro carro). Foi vendido em menos de uma semana de anúncio. E ainda pude selecionar a melhor proposta.
    Vender pé de boi é fácil. Mico são os modelos de categorias superiores sem A/C…

    • Whering Alberto

      Também…como no caso dos FIAT Stilo de entrada dos primeiros anos, que vinham com CD Player mas não tinham A/C. Mas no caso do Mille, creio que pesa a seu favor o fato de ser ele um carro muito robusto e barato de manter, o que lhe dá grande liquidez.

      • Thiago_NCO

        Extremamente robusto, confiável e barato de manter. O Uno (geração anterior), quando analisado dentro do seu contexto histórico, foi um dps grandes carros deste pais.
        Ah:excelente exemplo do Stilo. Houve Astra sem AC também, salvo engano.

    • Assuero Queiroz

      Depende do ano que você vendeu esse carro, e também da faixa de preço.
      Vender um carro de R$4.000 pelado é diferente de vender um de R$17.000 nas mesmas condições.

  • André Maia

    Meu deus que sofrimento, nem me lembrava desses pequenos detalhes que acabam com o prazer de se ter ou dirigir um carro.
    Acho que você deveria investir num módulo de conforto. Trava elétrica e Alarme com subida automatica dos vidros.

  • João Santos

    Eu dirijo um Uno igualzinho a esse, só que ainda por cima é duas portas. Em termos de conforto péssimo como se vê, a Fiat fez uma economia porca nele, falta de tudo, por exemplo: ao abrir a porta do passageiro a luz de interna não acende, 10 reais de custo? Até a distribuição de ar do ventilador no habitáculo só tem duas opções, saídas frontais no painel ou desembaçar parabrisa, nada de ventilar pés. Um ponto positivo é que esse carro nunca deu qualquer tipo de problema, nem precisou de nenhuma peça exceto a espuma do banco do motorista que cedeu até encostar na ferragem e uma lâmpada do farol que queimou. Hoje ele está com 145mil km rodados, é usado intensamente, roda mais de 200km por dia, faz 12,5km por litro de álcool e eu não suporto mais ele.

  • Roger Bersch

    ” Para-choques, retrovisores e maçanetas desprovidos de pintura conferem um aspecto empobrecido ao carro ” Olha, tem gente que paga mais caro por isso, se a fiat chamar esse aí de adventure pode cobrar até mais caro.

  • zeuslinux

    Eu já tive carros pelados no passado, até porque naquela época esse era o padrão. Carros com mais conforto eram vistos como carro de luxo.

    A gente comprava depois no comércio até espelho direito para colocar no carro. Comprar rádio e toca-fitas para colocar no carro era então de praxe. E as pessoas ainda colocavam em bandejas para remover quando estacionassem e ficavam carregando os toca-fitas enquanto passeavam a pé.

    Eu até poderia voltar a comprar um carro pé-de-boi se precisasse, mas uma coisa que não compraria de jeito nenhum é um pé-de-boi com motor fraco (tipo um 1.0). Um pé-de-boi 1.6 ou 1.8 é o tipo da coisa que infelizmente nunca mais veremos. Hoje, nos tempos de gasolina cara e impostos que punem motores maiores, motor mais forte é que virou “luxo”. Multimídia, bluetooth e essas coisas eletrônicas é que passaram a ser comuns e inclusive são o principal apelo de vendas no segmento popular.

  • Camilo Varotto

    Aqui em casa ainda temos um gol 97/98 172 mil km e a unica coisa que tem nele é a pintura perolizada, pois de equipamento nem retrovisor do lado direito ele veio, muito menos regulagem interna. Todo mundo falando pra gente trocar de carro, ainda fizemos uma viagem de mais de mil quilômetros para Porto Seguro sendo 5 pessoas e mala cheia, Saímos de Rio Novo MG 3 da manhã e chegamos lá por volta das 6 da tarde. Assim enquanto os outros trocavam gol por gol parcelado, nós juntamos o dinheiro mais uns bois e compramos um corolla xei 13/14 0km há vista em dezembro quando estava pra mudar custando 68 mil, e o golzim tá ai firme e forte para o dia a dia. (eu também suo para estaciona-lo rsrs)

  • Ediomar

    Meu primeiro carro foi um Mille fire 2002 sem nenhum opcional,fiquei 5 anos com ele,nossa lembro que quando chovia era um desespero,embaçava rapidamente,não tinha kit visibilidade era horrível,mas me ajudou muito o carrinho,foram pouquíssimos problemas,ai vendi ele e pulei para um Vectra CD 2003,nossa me sentia em outro mundo que diferença,tudo o que se espera de um veiculo estava lá,tenho ele até hoje(3 anos) e recomendo pra quem não depende exclusivamente de um veiculo para se locomover,é como o Mille nunca me deu dor de cabeça,mas lembrem-se:procurem um bem conservado,independente de marca ou modelo de carro,é difícil mas existem as moscas brancas.

  • pedro rt

    nao consigo nem imaginar eu tendo um carro tao simples assim, qto mais completo melhor pois facilita em todos os sentidos principalmente na revenda e liquidez. eu tive um classic e um prisma e hj dou graças a deus que faz tempo q nao os tenho mais apesar de serem “completos”

  • Romulo Moreira

    Hoje já não tenho carro….
    Em minha última viagem pra Floripa, peguei um carro alugado, e foi imprescindível que o carro viesse com AC e DH, como geralmente quando o carro tem esses 2, o trio vem por tabela, acabei não tendo problema…o carro no caso foi um Clio 1.0 4p. O carro me supriu até que satisfatoriamente por 9 dias.
    Acredito que DH e AC sejam imprescindíveis em uma condução aceitável. Até mesmo considero-os como itens de segurança.

  • PEDRO CUNHA

    Na verdade, um carro nessa configuração(rodas+carroceria+motor+vidros+bancos), se presta muito bem ao uso “frota”, veículo de empresa(múltiplos motoristas, ausência de cuidados básicos de manutenção/manutenção mínima) ou mero 2º carro ou carro-de-trabalho, já que não tem nada além do motor para suscitar alguma preocupação em funcionamento, caso esse onde um 1º carro se faria presente para suprir passeios agradáveis com conforto e viagens. Eu diria que um carro assim é o tipo que deva ser adquirido para ser utilizado á sua exaustão máxima, ou seja, até literalmente se desmanchar, pois a revenda é muito difícil e perde valor muito rápido, mesmo quando mantido em condições impecáveis. Não chamaria de “mau negócio”, apenas uma versão que deve ter sua compra muito bem planejada e estudada e, como disse antes, não pensar em vendê-lo á curto prazo mas sim dar-lhe a devida manutenção e utilizá-lo o máximo possível.

  • Thiago

    Vi o painel e pensei que era o duster

  • Magno

    Eu tive um gol G4 2012 pelado , eh tbm foi chato .. mas peguei ele sem juros em 24 parcelas , então tava ótimo , peguei com 38 mil kms e vendi com 42 mil kms , depois de 13 parcelas pagas . Agr sai dessa vida de carro pelado pra nunca mais voltar , troquei ele numa Strada completinha , particular , peguei tabela dele . kkkkkkk

  • Vinicius Vasques

    Arriscaria ter um pdb apenas fazer o trajeto do trabalho e sítio. É por isso que vejo um Palio Fire, Uno e Up! peladões como alternativas para quem precisa rodar gastando pouco – o maior conforto acaba sendo ter que preocupar com manutenção de motor, suspensão e apenas isso. Quanto à revenda, não vejo tantos problemas, afinal sempre haverá alguém precisando de uma carro para a mesma função – transporte.

  • Sanderson Fromohls

    Esse review é uma ode ao fracasso do consumidor brasileiro.

  • Fábio Alisson

    Tá aí o tipo de carro que jamais compraria: popular, zero e pelado. Prefiro um usado bem conservado e equipado com 4 ou 5 anos que um desses.

  • Ricardo

    Só no Brasil mesmo… Discutindo equipamentos de conforto quando surge um “não tenho seguro” no meio do discurso. Espero, sinceramente, que ele tenha, pelo menos, seguro de responsabilidade civil contra terceiros, o que seria o mínimo, para cobrir os prejuízos que ele possa eventualmente vir a causar a terceiros em um acidente que ele eventualmente. Em países sérios, nem sairia da loja sem esse seguro…

  • David Nobre

    Kit dignidade. Como bem disse outro participante aí embaixo, a indústria deveria ter vergonha de comercializar carros sem o mínimo dos mínimos, segurança, conforto, dignidade mesmo. Como se pode pagar 30 mil reais por automoveis como esses? Perigosos, desconfortáveis, feios, a volks por exemplo tem os modelos mais desprovidos, o Gol BX dos anos 80 (também já mencionado por outro participante) e a Kombi, cujo interior não contava nem com forro nem com carpete para proteger o passageiro do contato com a lata pura do carro. Será que contar com isso é ostentação? Isso era compreensível no pós guerra europeu ( década de 40/50), onde a indústria estava destruída. No Brasil o consumidor foi submetido a isso por décadas depois, por falta de opção, por não termos uma indústria automobilística própria, com produtos competitivos, somos até hoje vítimas do Lucro-Brasil, em que as multinacionais sob a desculpa esfarrapada de impostos altos só nos oferece tecnologia considerada obsoleta fora daqui.



Send this to friend