Governamental/Legal Segurança

Obrigatoriedade do ESP em carros no Brasil deverá ser definida ainda em 2015

controle eletronico de estabilidade

Pelo menos ao que parece, os automóveis à venda no Brasil finalmente serão equipados de série com controle eletrônico de estabilidade (ESP ou ESC). De acordo com o presidente da Associação de Engenharia Automotiva (AEA) – responsável por fazer a proposta técnica da lei do equipamento para o Denatran –, Edson Orikassa, o assunto sobre a obrigatoriedade do sistema de segurança deve ser regulamentado no País ainda em 2015.

Segundo Orikassa, está sendo sugerido um prazo de cinco a sete anos para a implementação em 100% dos carros vendidos no mercado nacional, tempo necessário para a adaptação dos projetos, incluindo em automóveis que não dispõem desse sistema nem como opcional. Assim, a tecnologia seria oferecida de forma gradativa, a exemplo do que aconteceu com o airbag duplo e freios ABS.

Estima-se que o ESP esteja presente em apenas 5% a 10% dos veículos oferecidos por aqui. Ainda de acordo com o executivo, o equipamento oferece um custo adicional para o consumidor de R$ 1 mil a R$ 2 mil, mas o impacto da inclusão do dispositivo no preço final do carro será menor do que o registrado quando a indústria teve de oferecer airbags e ABS.

“Este é um item pelo qual a maior parte dos consumidores não paga mais para ter se for opcional. A partir do momento em que todas as empresas precisam oferecer de série, fica mais fácil. Nenhuma montadora vai sair em desvantagem”, analisa Orikassa. Para ele, os próximos passos para aumentar a segurança do carro brasileiro é exigir itens como proteção para as portas e airbags laterais.

[Fonte: Automotive Business]





  • Henrique Bittancourt Gouveia

    Vamos que vamos!

    • Se nao me engano, argentina apartir de 2018 será obrigatorio. Ou seja, se espera pro ano que vem algo de 20% da frota, 2017 de 60%.

    • DougSampaNA

      Considero uma vergonha pútrida qualquer carro com mais de 100 cvs não ter isso de série!!
      Verdadeiramente PORCO DA PARTE DE TODAS as montadoras que não oferecem de série em todos os modelos. Nojento!

      • Joao Cortes

        Montadora = Empresa = Lucros, quem tem que exigir é o consumidor BR Boçal.

  • Cleidson

    Por ter abs, o Classic poderá ter ESP?

    • Bruno_O

      até lá já morreu

      • PedroHMC

        Tomara, mas do jeito que a coisa tá indo Classic vai durar até 2030 kkkkkkk

        • pedro rt

          o classic sai de linha esse mes

          • PedroHMC

            Onde você viu isso?

      • Chicão

        Fossilizou.
        Pq morto já está há tempos hahaha

    • João Cagnoni

      ABS é um mecanismo extremamente simples. ESP é um pouco mais complexo.

      • Diogo Vasconcelos da Silva

        Complexo? Vejamos, vc ja tem os sensores do abs nas rodas,ja tem acelerador eletronico no Tbi, precisa so do modulo e de mais alguns sensores

        • Luis_Zo

          Cara, não é “só” mais alguns sensores. Quem dera fosse plug and play assim…

          Precisamos de direção elétrica com sensor de angulo, modulo de controle de tração, sensor de yaw e roll, uma arquitetura eletrônica pra ligar tudo isso e uma calibração adequada ao comportamento dinâmico do carro, que só pode ser feita uma vez ao ano quando um lago congela lá perto do polo norte…

          Novamente, quem déra fosse facil instalar um ESP no carro, ja tava vendendo junto com modulo de subida de vidros nas CCS.

          • Diogo Vasconcelos da Silva

            Você que ta colocando dificuldade…pode usar em uma direção nao elétrica..é so colocar o sensor na caixa de direção…ja que o ESP nao atua diretamente na direção…partes eletrônicas sao bem baratas de produzir..vide celulares..quanto a calibração existem pistas de testes especificas…O ABS é bem simples e não é vendido nas CCS, entao tem nada a ver o que voce falou

            • Luis_Zo

              “entao tem nada a ver o que voce falou” – é necessário essa falta de educação toda?

              Não estou colocando dificuldade, estou dizendo que não é tão simplório igual tu falou. Mas se realmente tu tem “a manha” de fazer um ESP/ESC plug and play, manda teu CV que estamos precisando contratar gente boa aqui…

              • Nismo

                Vc trabalha cm desenvolvimento pra hardware ou eletrônica? É uma área mt boa a ser explorada aqui no Brasil.

                • Luis_Zo

                  Na verdade trabalho com aerodinâmica e aerotermal em uma montadora… mas tomava café depois do almoço todo dia com os pilotos de testes/calibradores de freio/ESP, ai acabei aprendendo uma coisa ou outra :).

              • Ralph Minei Yamaguti

                É impressionante como é que pode haver gente mal educada nesse mundo doente: fico muito indignado e me solidarizo contigo essa grosseria que esse povo anda praticando, o que é extremamente surreal!

                Jamais podemos fazer aquilo que não queremos que façam conosco!

                • Luis_Zo

                  :) obrigado.

          • Marcelo Alves

            Tempos atrás eu achei um site alemão onde um alemão instalou ESP no Polo 2002 dele. Ele tirou de um Polo GTI 2007: Cilindro mestre, Central do ABS com função do ESP, EDL e monitor de pressão dos pneus, sensor da coluna de direção, sensor de aceleração lateral e rotação (é uma peça única, fica em baixo do banco do motorista), painel (o dele não tinha o LED do monitor de pressão dos pneus) e fez as ligações que faltavam no chicote do carro, como é tudo interligado via CAN-Bus, não deu muito trabalho pra fazer o chicote…

            Funcionou lindo! Não sei de onde você tirou que é necessário ter direção elétrica para ter ESP… O problema maior, creio eu, são dos projetos feitos para o Brasil, provavelmente eles não devem ter feito testes para implementar o ESP nesses carros, mas nos projetos “globais” certamente é tudo plug’n’play.

            • Luis_Zo

              Tempos atras eu vi um alemão que tentou conquistar meio mundo, e conquistou… lindo. Desde então nunca mais vi ninguém fazer igual.

              Cara, tu se baseia em um exemplo pra definir que é simples pra toda gama de outros veículos, de um outro país… sério, não funciona assim.

              Mas aqui, não quero ficar tentando te convencer do contrário, se tu acha que é plug and play mesmo, viva bem assim. Pesquise sobre dissonância cognitiva pra entender porque eu parei na discussão por aqui.

              • Thiago Sz

                Não é plug and play, mas tenho certeza que não precisa de direção elétrica amigo.

                • Luis_Zo

                  Sim, você esta certo, em teoria só precisa do sensor de angulo da direção… o trade off é o sistema não ter a capacidade de “travar” a direção no sentido que o motorista aumentaria o sub-sob esterço… ai só com a direção elétrica.

    • Luis_Zo

      Provavelmente não (99% de chance), pois depende de plataforma, e não de pré-existência de ABS.

    • DTF

      ….teria que possuir dir elétrica, no mínimo, mas como é jurássico e nem sua versão européia tinha esse equipamento, acho que a adaptação vai ser mais custosa…em 5 anos porém ele já morreu

      • Thiago Sz

        Não precisa de direção elétrica para ESP.

        • DTF

          Nao sabia…obrigado pela info

    • pedro rt

      o classic sai de linha esse mes no brasil

  • The Canadian

    R$ 1 mil a R$ 2 mil? Só se tiverem que fazer outra central eletrônica pro carro, deve custar entre 100 e 200 dólares pra colocar.

    • Guilherme Eduardo

      Esse preço deve ser projeção com base nos opcionais que são vendidos hoje.

    • Luis_Zo

      O custo pra montadora da central, se bobiar, é ao redor de 200-300 REAIS.. Repassado ao cliente, agrega os custos de desenvolvimento/calibração/garantia, o preço fica nos 1-2k mesmo.

      • dallebu

        Pois é, ainda tem o fator desenvolvimento, pois cada carro precisa de um ESP com calibração específica. Exemplo, uma Strada cabine simples que tem a traseira leve e rodas finas aro 14″ vai ter uma calibração diferente de uma Adventure cabine dupla com rodas de 16″, que vai ter uma calibração diferente de uma Fiorino, de um Uno, de um Palio, de um Punto, Linea, Doblò, Ducato etc
        Leva um tempo pra desenvolver os sistemas, instalação de acelerômetros, cabeamento, projetar novas colunas de direção com sensores de ângulo, novos dutos rígidos de freio, pois o módulo eletro-hidráulico do ESP tem um formato e fixação diferente, e por aí vai. Não é nada plug and play mesmo e desenvolver isso custa, portanto concordo com o orçamento maior do que o simples custo das peças, a final estamos falando de empresas cujo objetivo é ter lucro, logo não vão dar de brinde as despesas de desenvolvimento.

        • Edson Fernandes

          Nesse caso para se ajustar a cada modelo não seria ideal um software já trouxesse esses parametros ? Porque não faz muito sentido ter um hardware para cada modelo.

          • Luis_Zo

            Por exemplor, os acelerômetros (em teoria( têm que ficar no centro de gravidade do carro, ai varia de carro pra carro e acaba em alguns casos tendo hardwares específicos devido ao packging…

            • Edson Fernandes

              Então Luis, mas vamos pensar: Eu não teria um acelerometro para um carro e outro tipo para o outro (a não ser que a ideia seja ter um produto mais refinado, mas vamos pensar em produtos generalistas, então colocaria nessa leva os compactos do mercado, há exemplo na GM poderiamos ter: Onix, Prisma, Cobalt e Spin). Cada um deles tem uma dimensão diferente porém pensando no que é necessário para o funcionamento do ESP, considere os mesmos dispositivos, só que com uma calibração diferente.

              Pelo menos de forma pratica, deveria funcionar assim. O que deve ser mais trabalhoso é na parte da engenharia em realizar os devidos calculos (e testes) para que cada um desses tenha o ESP atuando em limite distintos devido as mudanças em altura, ponto H do carro, entre outros.

              Estou tentando simplificar o pensamento de deixar para um hardware ser obrigado a ter que mudar por modelo e sim colocar algo em comum que sofra ajustes para então cada carro ter o seu. Para o hardware, senão houver ganho em escala de produção (sendo exatamente o mesmo equipamento) será bem custoso e iremos pagar uma conta bem mais alta.

              Então porque colocar carros generalistas? Porque em via de regra não são carros que precisariam ter mais sensores para efetuar a mesma função. Vamos comparar então um carro como uma Tiguan: Ela possui mais sensores devido a possiveis outras formas de uso, tendo tração integral e então precisando de controles de rampa e descida. Ou seja, para esse tipo de veiculo há mais funções do ESP atuando também sobre o produto.

              Ou ainda: Ter um hardware capaz de realizar tudo isso em todos os carros e aumentando o numero de funções conforme necessidade da fabricante (como o exemplo que citei). A economia em escala seria incrivelmente alta a ponto de dizer que agregar o dispositivo permitiria um barateamento abrangente e ouso dizer que até global.

              Não sei exatamente se o que disse foi possivel de compreender de uma forma simples, mas espero que essa ideia seja a que tenha em mente das empresas. Isso significaria até mesmo para os consumidores um possível barateamento em uma possível necessidade de manutenção nesse dispositivo.

            • Edson Fernandes

              Poxa, mas esses sensores nao poderiam ser por aproximação? Assim conseguiria criar uma especie de compensação justamente em relação a altura… e novamente voltariamos ao software…rs

              Eu sei que as coisas não são faceis e simples assim, mas possivelmente para baratear custos, certamenta as fabricantes junto aos fornecedores devem pensar em uma solução assim, pois eu fico imaginando o custo de verdade por fazer algo especifico por tipo de carro.

  • V12 for life

    Por que cinco anos? Dois ta de bom tamanho e as montadoras que se virem para adaptar.

    • Luis_Zo

      Infelizmente não dá, muitos veículos vendidos ainda hoje são em plataformas que não suportam ESP/ESC. O tempo médio de lançamento de um veículo com plataforma nova é de 36 meses. Esse seria o “melhor caso”, mas nenhuma lei nova iria pedir isso, pois ainda tem a questão da estratégia de vendas dos modelos que tem que ser adaptada (ou seja, mais prazo).

      5 anos é um prazo razoável.

      • V12 for life

        Falou tudo, plataforma nova, nacionalizando oque existe lá fora como sempre foi feito, 24 meses é mais que razoável, com plataforma já pronto o Fusion de primeira geração foi projetado e lançado em 18 meses.

        • Luis_Zo

          Sim, com o projeto pronto e vindo de fora, da pra nacionalizar em até menos que 18 meses…

          Mas o tempo de desenvolvimento lá fora na grande maioria das vezes é até maior que 36 meses…

          Muitas montadoras estão revendo (aumentando) o tempo de “projeto padrão”, pois existia uma pressão pra diminuir cada vez mais, o que começou a comprometer a qualidade do veiculo… não faz sentido entregar em tempo recorde e depois ter que ficar fazendo “recall branco”, as vezes sai mais “barato” esperar um pouco mais pra lançar e lançar direito…

      • gveralonso

        Acho que deveria ser obrigatório para os próximos lançamentos, liberar 2 anos para carros lançados de 2012 até agora e 4 anos para carros com projetos anteriores a 2012. O Fox é datado de 2003 e ganhou ESP ano passado, não deve ser coisa de outro mundo para uma montadora adicionar ESP ao veículo, ainda mais sabendo elas que vão aumentar os preços do produto. Não que eu queira dizer que é fácil, mas, com as tecnologias de hoje em dia, e a qualidade da engenharia, tudo é possível com menos tempo.

        • Luis_Zo

          Sim, em questão de tecnologia/engenharia não é “o fim do mundo” (se a plataforma for moderna). Mas a obrigatoriedade tem que vir aliada também a realidade de mercado. 1k a mais, dependendo do segmento, é o suficiente pra diminuir consideravelmente as vendas…

          • gveralonso

            Sim, comentei sobre esse 1k ontem, onde um rapaz falou que entre o X1H da Fiat de 30 mil é melhor pagar 37 e levar o Uno completo. Comentei e disse que tem pessoas que pagam 30 mil em um veículo pois não tem 31 para pagar em outro mais completo, então, essa obrigatoriedade vai causar uma elevação que vai fazer uma parcela da população esperar mais alguns meses para comprar seu veículo novo. Se pensarmos em uma melhora do mercado, as reduções de preço daqui uns anos até compensaria em parte esse aumento.

    • DTF

      5 anos na melhor das hipóteses…as montadoras pedem 7!!!

      • Luis_Zo

        Se eu fosse montadora também pediria o máximo de tempo possivel, aumentar 1k no preço final do meu produto diminui minhas vendas ou margens…

    • CignusRJ

      Não se esqueça que a PF já tem em conta que três medidas provisórias foram vendidas a interesses da CAOA, da ANFAVEA e de mais um que escqueci, isso com a participação do filho do Lulla(este fez um copia e cola do wikipedia e vendeu à empresa do vice-presidente da anfavea por 2,5 milhões de Reais a título de consultoria).
      Quanto mais rola por aí? Então não me surpreende este tempo todo.

      O negocio é assim, já que será inevitável, a Anfavea diz que quer 7 anos o governo finge que pressiona e pede 5anos quando poderia estar tudo pronto em 1 ano.
      .

  • PedroHMC

    5 a 7 anos? 2-3 já seria o suficiente

    • Luis_Zo

      Infelizmente não dá, muitos veículos vendidos ainda hoje são em plataformas que não suportam ESP/ESC. O tempo médio de lançamento de um veículo com plataforma nova é de 36 meses. Esse seria o “melhor caso”, mas nenhuma lei nova iria pedir isso, pois ainda tem a questão da estratégia de vendas dos modelos que tem que ser adaptada (ou seja, mais prazo).

      5 anos é um prazo razoável.

      • Rodrigo

        Explica isso direito, pfv?
        Pois até onde sei o ESP pode equipar até moto, desde que o sistema de ABS esteja presente E seja de 6a geração em diante… Não tem nada a ver com a plataforma (vulgo chassi). Mas de repente estou muito por fora…

        • Luis_Zo

          Sem pobremas.

          Talvez sistemas mais antigos realmente só funcionem com o ABS, mas diria que os atuais são um pouco mais complexos… explico:

          Quando falo da plataforma, não é só o chassi mas principalmente a arquitetura elétrica.

          O ESP/ESC é composto de uma sopa de letrinhas – TC, ABS, EBD, ASR (e outras que não me vêem a menta agora). Ele basicamente faz uso de todas essas tecnologias pra diminuir o sob e sub-esterçamento principalmente. Usa também o angulo do volante e sensores de yaw/rolling pra entender se o carro perdeu o controle.

          Uma arquitetura elétrica desatualizada faz com que o custo de implementação de tudo isso fique muito caro…. tipo reformar casa velha que sai mais caro que comprar uma nova.

          Da parte de chassi, o ideal (mas não necessário) é que o carro tenha direção elétrica, pro ESC/ESP usar o angulo do volante como dado de entrada (pode ser numa direção mecânica), mas no caso de um sub-sobre esterço, a direção elétrica tem a vantagem do ESP/ESC “travar” a direção no sentido em que o motorista pioraria a cagada.

          Em moto, sinceramente, nunca vi ESC/ESP… vou pesquisar mais, fiquei curioso…

        • Luis_Zo

          Sem pobremas.

          Talvez sistemas mais antigos realmente só funcionem com o ABS, mas diria que os atuais são um pouco mais complexos… explico:

          Quando falo da plataforma, não é só o chassi mas principalmente a arquitetura elétrica.

          O ESP/ESC é composto de uma sopa de letrinhas – TC, ABS, EBD, ASR (e outras que não me vêem a menta agora). Ele basicamente faz uso de todas essas tecnologias pra diminuir o sob e sub-esterçamento principalmente. Usa também o angulo do volante e sensores de yaw/rolling pra entender se o carro perdeu o controle.

          Uma arquitetura elétrica desatualizada faz com que o custo de implementação de tudo isso fique muito caro…. tipo reformar casa velha que sai mais caro que comprar uma nova.

          Da parte de chassi, o ideal (mas não necessário) é que o carro tenha direção elétrica, pro ESC/ESP usar o angulo do volante como dado de entrada (pode ser numa direção mecânica), mas no caso de um sub-sobre esterço, a direção elétrica tem a vantagem do ESP/ESC “travar” a direção no sentido em que o motorista pioraria a cagada.

          Em moto, sinceramente, nunca vi ESC/ESP… vou pesquisar mais, fiquei curioso…

          • As motos top de linha da bmw possuem Esp. Agora como funciona nem faço idéia. Uma vez li numa avaliação que o ESP controla fresagem e aceleração numa curva , por exemplo.

          • Rodrigo

            Entendi, obrigado… No site internacional da Bosch tem bastante informações úteis sobre o ESP (que acredito ser patente deles).
            Um ponto que concordo contigo é com relação à arquitetura eletrônica.
            Com relação a ESP/TC em moto, foi apresentado em 2014 em uma moto KTM esse sistema. Ainda não está disponível em muitos modelos, mas acho que 3 deles já tem.

        • Luis_Zo

          meu comentario caiu no filtro do NA (!?)… vo tenta cola ele aqui de novo…

          • Edson Fernandes

            Pelo menos não consta restrição de comentários seus….

      • Zoran Borut

        “Muitos” veículos? Pelo menos entre os de passeio vendidos aqui, não creio que sejam “muitos” não. Tirando talvez os compactos da Fiat e o Classic, quais outros modelos seriam impossibilitados?

        • Luis_Zo

          Impossibilitados, diria que poucos, como tu mesmo falou. Difíceis de colocar, todos os que não nasceram com projeto pra direção elétrica. Na fiat mesmo, a Strada por exemplo. Aí a impossibilidade não seria tecnica, mas financeira, pois é algo muito caro pra “corrigir’.

          Pensando bem talvez não sejam muitos modelos mesmo, mas modelos com muitas vendas. A Fiat, por exemplo, tem muitos nessa categoria e é uma das “Big 3” brasileira, a obrigatoriedade tende a seguir “o pior caso”.

  • Mr. Car

    Se pode ser desligado, não deveria ser obrigatório.

    • Luis_Zo

      ESP/ESC só pode ser desligado em muitos poucos veículos. O Fiat 500 Abarth é um deles, em que para isso tu tem que segurar a tecla por 20s (ou algo parecido). Ou seja, a pessoa tem plena “noção” do que ta fazendo…

      O que se pode desligar em 99,9% dos carros é só o controle de tração (TC). O ESP/ESC continua funcionando.

      • Edson Fernandes

        E mesmo assim em muitos casos vc atinge uma determinada velocidade e ele volta a ficar ativo. Caso do Fluence que possuo. Passa de 50km/h ele se ativa automaticamente. Ele só permite rodar abaixo disso para que vc consiga passar em locais de baixa aderencia e precise de força nas rodas. Além disso, não é possível desativar acima de 30km/h.

    • Marco Antônio

      Rapaz. Acho que foi o único comentário sensato que li por aqui.

  • rafael

    Otima notícia…Espero que seja aprovado…

    Lembrando que apesar de ser 5-7 anos, a implantação deve ser parecida com o airbag / abs… isso é..por exemplo… em até 2 anos deve ter pelo menos 20% dos carros com esp… em até 4 anos, 50%… e por aí vai.

    • ViniciusVS

      Maioria dos médios tem suporte e acredito que na linha 2016/2017 praticamente todos os médios terão esp de série ( se aprovado)

      Os que ficam para a última hora são os populares compactos de entrada mesmo… e daqui a 5 anos boa parte vai sair de linha ou mudar geração.

  • Leandro Balmant

    5 a 7 anos? E isso porque não precisa mudar a estrutura dos carros pra comportar esse item.
    Outra coisa que deveria ser obrigatório e que não ia exigir mudanças estruturais seria a implementação de apoio de cabeça para todos, assim como cintos de 3 pontos e freios a disco nas 4 rodas.

    • Luis_Zo

      Precisa sim Leandro, muitos veículos vendidos ainda hoje são em plataformas que não suportam ESP/ESC. O tempo médio de lançamento de um veículo com plataforma nova é de 36 meses. Esse seria o “melhor caso”, mas nenhuma lei nova iria pedir isso, pois ainda tem a questão da estratégia de vendas dos modelos que tem que ser adaptada (ou seja, mais prazo).

  • David Diniz

    Mais uma inutilidade vinda desse país… Politico quando quer mexer com carro só faz caquinha

    • Renan Barbalho

      Por que, Popoto?

    • Diego Lip

      Como assim cacaquinha?

    • shdn2010

      Com certeza nao é algo inutil, pesquise que vc vai ver como pode ajudar a evitar muitos acidentes, eu mesmo já tive a felicidade de nao rodar para fora da pista em dia de chuva mesmo andando devagar por causa deste item.

    • Luis_Zo

      Inútil é a ignorância, apesar de ela ser “benção” em mentes menos instruídas/evoluídas.

    • Danilo Fernandes

      Inutilidade??? Esse cara deve estar brincando. Só pode!

  • BorisAWD

    Por favor, com o botãozinho de desligar

    • Luis_Zo

      hahahaha beeeem dificil desligar o ESC/ESP. O botãozinho em 99,9% dos carros só desliga o TC.

  • shdn2010

    Que duvida, isso ai deveria de ser obrigatorio vir nos carros como os cintos de segurança.

  • Cleidson

    A Toyota deve ser contra essa obrigatoriedade. Imagina, o Corolla, o melhor carro do mundo, ter que ter ESP. Pra quê? Não precisa disso.

    • Tygra

      Exatamente, ESP no Corolla só nos Estados Unidos e na Europa, onde os motoristas não sabem guiar como os brasileiros e onde a estrutura de construção é inferior aos Corollas fabricados aqui, que de tão estáveis e bem construídos não precisam dessas firulas tecnológicas que supostamente garante melhor segurança. Afinal, nada é mais seguro que um Corolla brasileiro sem ESP. Os japoneses morrem de inveja de não ter um Corolla assim.

    • Wellington Myph13

      Corolla 2017 ganha ESP. Isso já é certo. Só não se sabe se vai ser desde a Gli ou Xei…
      Opcional de Teto Solar.
      E também vai ganhar uma versão “esportiva” Xrs.

  • Alexandre Maciel

    Estou no grupo dos 5 a 10% há 2 anos e meio e, nesse período, vi a luz do controle de estabilidade acender uma vez numa situação em que realmente senti que ele me ajudou. Via de regra sou cuidadoso mas imprevistos podem acontecer com qualquer pessoa. Ademais, o item, assim como o TCS, foi fundamental para que eu adquirisse o veículo.

    Então, honestamente, quanto antes implementarem a obrigatoriedade do sistema, melhor.

    • Martini Stripes

      Minha esposa viaja todos os dias a trabalho, apenas 35 km, mas o suficiente para não abrir mao de controle de estabilidade.
      Peguei um Fiesta 1.6.

  • gveralonso

    A Ford e a VW se quiserem sair na frente teriam compactos já com ESP ano que vem, tendo os Ka/Ka+ e Fiesta hatch/sedan com os itens de série em todas as versões. O Gol com sua reestilização já poderia vir, o up! com projeto moderno deve ser só implementar. O próximo Fiat X1H já pode ser lançado com ele de série, assim como a Toro, e também as próximas gerações de Palio, Siena, Grand Siena e Punto. A Chevrolet tem uma plataforma moderna, seria fácil a implementação de ESP na gama, desde Onix até Spin, tendo como mais custoso a troca da direção hidráulica para elétrica. A Hyundai com o HB20 seria ainda mais simples, pois o HB20X já oferece a direção elétrica, sendo mais fácil colocar nos outros irmãos.

    Acredito que a lei poderia já vir causando obrigatoriedade nos lançamentos que acontecerem 6 meses após ser sancionada, prazo mais que justo para carros cujo projeto já estaria pronto e em testes finais tendo engenharia moderna suficiente para suportar tal dispositivo. Para veículos já vendidos e lançados de 2012 até o sancionar da lei, o prazo seria de 2 anos, visto que pode haver pequenas alterações a ser feitas e daria tempo para realizar as mudanças e testes necessários. Para os projetos anteriores a 2012 o prazo seria de 4 anos, tempo médio estimado para o desenvolvimento de uma nova geração ou para adaptações mais profundas.

    • Vinicius Vasques

      Realmente a maioria dos compactos mais recentes já estariam aptos a receber o sistema, uns por contarem com ele em versões mais caras e outros por já contarem com a solução fora do país. O movimento natural seriam Ka, NF, Up!, Fox, 208, C3, Sandero e Logan serem os primeiros a adotar o sistema.

    • Thiago Sz

      Não precisa de trocar direção para elétrica.

  • gveralonso

    E pensar que se for aprovada, você irá chegar para comprar um veículo e o vendedor já vai chegar: “Ele já vem de série com Controle de Estabilidade, ABS e Air Bag, é incrível…” Para que mora em interior, isso é coisa de outro mundo, maioria acha desnecessário pois “não compro carro para bater mesmo”.

  • Baetatrip

    Opa!
    Agora so espero colocar o SZK GV 4×4 com ESP!
    Existe la fora… o 2.0 com ESP!
    hehehhe!

  • saosao

    Só credito veno!!!

  • Felipe

    Uma grande evolução no mercado. Se no passado alguns “jurássicos” foram aposentados pelo custo ou dificuldade de instalação de air bags e ABS de fábrica… Será que devemos nos preparar pra uma linha mais enxuta das principais montadoras?

    • pedro rt

      dessa vez a lista dos fora de linha sera menor pq e mais facil por ESP nos carros mas pode apostar na saida de linha de carros de 2 ou 1 decada atras como o classic, clio, palio fire, montana…

      • Felipe

        E que venham então os lançamentos que vão substituir os veteranos!
        Justamente o pessoal da Renault e Fiat estão se mexendo nesse segmento e não é à toa, vide Kwid e X1H. Já a GM é que anda meio atrasada, se a intenção for mesmo acabar com o Classic, por que o Celta, esse já foi!

  • mauricio

    até que enfim corolla vai ter ESP

    • carnero

      melhor comentario ever!!!!111!!!onze!!!!11!!!!!!

  • DTF

    Ouvi falar que a Toyota vai entrar com uma representação contra já que é contra seus princípios oferecer ESP em seus carros…..segundo a Toyota, “o Corolla Altis precisaria ser vendido a R$200mil para oferecer tal equipamento e que já investe muito oferecendo relógio digital em seu modelo..” (ironic mode ON)

  • rgrigio

    As vezes, essa única vez que vemos o aviso acender (definitivamente o sistema entrou em ação) já paga o preço do componente (potencialmente te salvou de uma situação de risco). Isso falando apenas em bens materiais, nem precisamos tocar no bem de maior valor, a segurança de nossos passageiros. É mais ou menos igual o seguro, pagamos (eu, sem pensar duas vezes) pensando em não precisar usar… No mais, quanto mais cedo melhor, mesmo!

  • Fábio

    Apoiado!

  • Danilo Fernandes

    Vai chegar ao ridículo do ESP se tornar obrigatório no país e o Corolla, o sedã médio mais vendido do Brasil, com quase duas vezes mais vendas que o segundo colocado, não ter NEM COMO OPCIONAL, NEM NA SUA VERSÃO MAIS CARA!! E a culpa é de quem? Da Toyota? Claro que não! Se eles vendem muito bem sem o equipamento, pra que colocar? A culpa é do motorista brasileiro que em pleno 2015 tem a coragem de não valorizar um equipamento de segurança tão importante.

    Quem compra Corolla hoje em dia tinha que apanhar de gato morto. :)

  • Victor Hugo

    Acabo de trocar de Fox, entre uma telinha R$ 3.000,00 e o Esc por R$ 1.200,00, com auxílo de saida em rampa etc, preferi muito o ESC, item segurança importantíssimo, ainda que de série o Higline que comprei vem com controle de tração. Se o brasileiro pensasse mais em segurança do que em mimos, provavelmente seria normal os carros terem esse dispositivo.

    • pedro rt

      esta corretissimo!, brasileiro so pensa em itens tecnológicos enquanto países mais desenvolvidos q o nosso se preocupam com itens de segurança

    • Victor Hugo

      NA se quiserem conto como foi minha experiência na troca do fox. Negociação, valores, opcionais

  • Marco Antônio

    Sou terminantemente contra essa medida absurda.

    • Junoba

      Medida absurda !? Que !?

      • Marco Antônio

        Sim. Absurda.

        • kravmaga

          Por que ?!

          • Marco Antônio

            Restringe a liberdade de escolha do consumidor, e competição entre as marcas. Esse item de segurança é um diferencial importante no mercado atual, onde não é obrigatório. As marcas que hoje oferecem sem serem obrigadas perderão um importante diferencial de vendas. A obrigatoriedade vai fazer que todos ofereçam o item, adaptações, novas gerações, investimentos no produto surgirão como custo. O consumidor obviamente pagará mais caro. Eu tenho plena consciência de que com a obrigatoriedade essas marcas que hoje já oferecem ESP terão que arrumar novos meios de agregar valor ao produto, e as que se enquadrarem na lei a fará por obrigatoriedade, não por demanda de mercado. Essa medida só se justifica pela ótica do autoritarismo onde “a maioria dos consumidores não sabem o que precisam”. A lógica do raciocínio ainda vai longe, e não quero muito fazer um “textão” maior que esse.

            • Junoba

              Então a marca tem que ficar ´´acomodada“ com o ESP para não oferecer outro diferencial para os consumidores !? Sério isso !? A questão aqui é a segurança do consumidor, não se marca A ou B oferece um ´´diferencial“.

              • Marco Antônio

                Junoba, me desculpe. Gosto muito de seus comentários. Mas devo advertir que eu não disse isso, vc entendeu errado. Eu disse exatamente o contrário. As marcas que hoje tem o ESP como diferencial terão que arrumar outros diferenciais, e as que não oferecem esse diferencial terão que se enquadrar na lei. Isso gera carestia, pois os que não possuem terão que adicionar ESP, e os que possuem terão que equipar ainda mais seus carros para obter o diferencial que anteriormente tinham. Eu analisei na ótica do mercado. Agora se a questão for para o escopo moral, reafirmo: Moralmente essa medida só se justifica pela ótica do autoritarismo onde “a maioria dos consumidores não sabem o que precisam” Um carro sem cinto x com cinto. Carro com ABS x sem ABS, com ESP ou sem ESP, quem deveria escolher se quer andar mais seguro é o consumidor, e se está disposto a pagar por segurança. Novamente, ó se justifica pela ótica do autoritarismo onde “a maioria dos consumidores não sabem o que precisam” e o planejador central sabe o que todos precisam. Abraços.

            • kravmaga

              Então você é contra o ABS também ?!

              Note que isso não é algo não tão importante como uma direção elétrica, ar condicionado ou central multimídia, mas itens de segurança. Um carro sem cinto de segurança hoje seria ridículo mas durante muito tempo as pessoas dirigiram assim e sob o mesmo argumento de liberdade de escolha alguém poderia dizer que deveria ser oferecido hoje um carro sem cinto, sem protetor de cabeça e sem ABS.

              • Marco Antônio

                Sim, na época do ABS fui contra. Agora me diga. como surgiu a obrigatoriedade de conto de segurança? Antes de ser popular alguém teve a brilhante ideia de colocar cintos para segurar os passageiros. Não foi uma ideia dos governos. Hoje é obrigatório porque alguém primeiro criou e posteriormente o governo decidiu que os consumidores eram burros demais pra decidirem por si próprios. Assim como ABS, antes de ser obrigatório tinham modelos que ofereciam, o ESP também é assim. Mas é mais fácil nivelar a concorrência no planejamento central do governo, encarecer os carros e pagar de moralista dizendo que é “bom para o consumidor”. hoje o cinto é um item banal, assim como é o ABS, e assim como será o ESP. Só não acho que deveria ter a intervenção do governo, obrigando coisas por achar que é correto. Mas é só minha opinião.

  • Astron

    Se o Corola já vende o dobro da soma de todos os outros sedan, imagina com Controle de tração e estabilidade, não vai sobrar pra ninguém.

  • pedro rt

    deveriam exigir tmb airbags de cortina, de joelho e no cinto alem do controle de tracao

  • RAPHAEL ZANARDO

    Num país quente e inseguro como esse, seria de bom gosto tornar obrigatórios itens como Ar Condicionado, Sistema de Alarme e Travas Elétricas, pelo menos… Não vejo tanta obrigatoriedade do controle de tração, ainda mais em carros com motores de 1000 Cilindradas (Exceção para o 1.0 TSi da VW)…



Send this to friend