Home Finanças Peça original para meu carro custa três vezes mais – por que?

crv2010 parachoque Peça original para meu carro custa três vezes mais   por que?




Todo proprietário de um carro, quer novo quer bem velhinho, sabe que comprar peça de reposição na concessionária é a pior opção possível, financeiramente falando. É claro que os componentes originais, feitos pela empresa contratada pela fabricante para fornece-las, são as de melhor qualidade, mas na maioria dos casos, isso não justifica um valor absurdo cobrado por elas.

O site UOL Carros fez uma matéria ontem falando sobre isso, e mostrando quais são os argumentos que os fabricantes apresentam para cobrar muito mais caro. Primeiro, temos que especificar quais tipos de peças existem no mercado.

Temos a original, feita por alguma empresa fornecedora e com a logomarca da montadora estampada tanto na embalagem quanto no produto em si, depois temos a chamada genuína, que tem a mesma qualidade, mas não vem com a marca do carro, e finalmente as paralelas ou genéricas, feitas por outras empresas, geralmente com qualidade inferior.

Entre a peça original e a genuína, que são as duas únicas que devem ser consideradas por alguém que quer cuidar bem de seu carro, existe uma diferença grande, que chega a ser de 200%. Se uma peça genuína sai por 100 reais, a original custa 300, por exemplo.

Os gerentes de marketing das fabricantes automotivas citam que as peças que não são originais tem menor eficiência e duram menos, mas nem sempre isso acontece. Um amortecedor por exemplo. Se você comprar um de marca boa, ele dura tanto quanto um original.

O discurso das montadoras costuma ser o mesmo. Fala apenas da qualidade das peças e também da garantia. Afinal, se você coloca um item que não é original, perde a garantia. Na prática, se você tem um sedã médio com garantia de três anos de fábrica, e coloca um amortecedor comprado na loja da esquina, todo o conjunto da suspensão pode estar perdendo a garantia, pois se você tiver um problema, a concessionária colocará a culpa na peça que você trocou, mesmo ela não sendo culpada do problema.

Mas nem sempre adianta cobrar muito caro. As fabricantes notaram que peças originais com preços menores seguram o cliente, e fazem com que ele faça a manutenção na rede autorizada por mais tempo, o que também é garantia de mais lucros para as concessionárias.

Segundo a Anfape, o faturamento do mercado paralelo de peças foi de R$ 70 bilhões no ano passado. Ainda de acordo com a entidade, 61% dos proprietários dos 27 milhões de veículos que circulam no Brasil recorrem aos serviços de oficinas independentes.

E nessa história toda, existe o outro lado. Se você precisa de uma peça que é pouco solicitada, ou se você tem um carro que foi vendido em pequenas quantidades, não consegue achar peças paralelas para ele.

No meu caso, um Ford Mondeo 2004 não tem peças disponíveis nem mesmo na rede de concessionárias. Você liga em uma concessionária de uma cidade pequena como a minha e só acha peça pra Ford Ka e Fiesta, nada mais.

Nesses casos, a pessoa acaba tendo de encontrar uma solução nas concessionárias, em cidades grandes. Ou acaba apelando para comprar componentes no exterior. Recentemente comprei 4 amortecedores e 4 molas para meu carro no eBay da Inglaterra e paguei 1.000 reais. Aqui no Brasil teria pago mais de 3.500. E olha que foram peças de qualidade, como amortecedores Monroe Gold sei lá o que.

Os exemplos de peças citados pelo UOL dão conta de componentes que não são normalmente comprados, como o vidro traseiro. Ao passo que o parabrisa de uma Hilux SW4 sai por 350 reais, o vidro traseiro custa 1.200.

O parachoque dianteiro de um Nissan Tiida custa 339 reais, e o traseiro 722. Tudo por causa da saída do item.

O que você acha desses preços? Como costuma fazer para conseguir peças mais baratas para seu carro?



Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.