Manutenção Segurança

Pequenas batidas que podem dar grandes prejuízos

para-choques

Uma batida em baixa velocidade. O para-choque pareceu pouco danificado. Bom, olhando por esse lado, aparentemente um reparo de pequena monta resolverá o problema e o carro voltará a ficar novo.

No entanto, a pequena “lesão” no para-choque pode ocultar um dano bem mais grave, que pode comprometer não só o bolso, mas também a segurança dos ocupantes do veículo. O problema é que os protetores são feitos para suportar impactos de até 8 km/h sem distribuir a energia (e os danos) para outros componentes da estrutura do carro.

crash-box

Batidas no dia a dia que não deixam marcas ou são facilmente reparáveis escondem muitas vezes danos secundários à estrutura do veículo, que em primeiro caso ocorre na chamada crash-box, uma travessa colocada logo atrás do para-choque. O problema é que essa barra possui sensores do airbag.

Assim, em uma segunda colisão, se a travessa estiver danificada, as bolsas infláveis podem abrir mais cedo ou mais tarde, talvez nem mesmo abrir, por conta do dano anterior. Como o componente é um dos principais componentes que sofrem deformidade no impacto, a desaceleração medida pelos sensores pode ou não acionar os airbags.

longarinas

Com a crash-box danificada, os custos de uma nova colisão podem ser enormes. Só o acionamento desnecessário de airbag varia de R$ 3.000 a R$ 10.000, dependendo do modelo. Radiador e condensador podem gerar mais de R$ 1.000 em custos para substituição, pois a travessa deformada não evitará os danos nesses componentes.

Mas a conta não para por aí. Com a travessa ruim, um impacto que poderia ter sido suportado se a mesma não estivesse danificada, pode entornar as longarinas da carroceria e assim afetar outros componentes. Só o reparado custa acima de R$ 3.000. Se ainda assim houver um segundo impacto, os custos dobram e até triplicam com a substituição de componentes.

crash-box-1

Outro componente vital do automóvel que pode ser afetado por uma travessa deformada ou quebrada é o conjunto ótico. Além disso, o proprietário do carro com a crash-box danificada por estar passando o problema para um segundo dono, que nem desconfia do problema que está assumindo.

Mesmo na hora da reparação de riscos e pequenos amassados no para-choque, as oficinais reparadoras podem acabar nem vendo o dano na travessa e passam um orçamento da peça exterior, mas logo precisam alterar o valor do serviço quando se percebe que a barra precisa ser trocada.

O custo fica em torno de R$ 1.200, mas se o carro foi batido pela segunda vez, o valor pode subir para algo em torno de R$ 3.000, já que outros componentes podem ter sido danificados. Por isso, qualquer batida frontal que provoque pequeno dano ou mesmo riscos, precisa ser reparada em uma oficina especializada, pois a aparência ainda boa do para-choque pode ocultar algo muito ruim por dentro.

[Fonte: Revista Quatro Rodas]





  • Filipo

    E brasileiro sabe o que é “crashbox”? Brasileiro não sabe nem qual é o reservatório do fluido de freio!
    A maioria não está nem ai, vai ali na esquina, dá uma polida, cola o suporte do farol, que muitas vezes quebra e está “baum”.
    Preocupar com o possível comprometimento da estrutura? Não fazem sequer a manutenção preventiva.

    • João Cagnoni

      Troque a palavra brasileiro por consumidor, pois isso acontece no mundo todo.

      • Filipo

        Você está certo, porém por aqui o consumidor é ainda mais desinformado e desleixado.
        Não estou diminuindo nosso povo, mas é realidade que um veículo no Brasil, dura em média, menos, que veículos em países como os EUA ou qualquer um da europa ocidental.
        Sabemos que não é por conta apenas da falta de manutenção, mas ela é u dos principais fatores que levam nossos veículos a durarem menos, junto com qualidade das vias e preço de peças.

        • João Cagnoni

          Também discordo. É muito comum um americano comprar um carro e rodar até quebrar, já aqui no Brasil precisamos viver dentro de oficinas, pois carros aqui são um artigo de luxo. Civicão por 125 mil, my brother!

    • Blakinator

      Falou o gringo…

    • saosao

      Falou o cara que conhece a realidade de todos os outros países a fundo.

  • Gu.

    Impressionante como as pessoas falam “brasileiro isso” ou “brasileiro aquilo”, como se não fossem brasileiras também…rs Aí surge esses comentários genéricos, como se todo brasileiro não se preocupasse com segurança ou não fizesse manutenção preventiva em seu veículo. Nesse “brasileiro sabe o que é crashbox” , Falta de informação, talvez, mas há muita coisa envolvida nesse simples “não estar nem aí”. Será que ao levar o veículo na ccs para fazer a revisão, a ccs avalia se há comprometimento na estrutura? Será que há divulgação? É algo a se pensar.

    • Alberto Prado

      Exato. Fora o fato das nossas peças serem um absurdo. Minha irmã teve o para barro dianteiro direito do C3 dela roubado. Isso mesmo, roubaram um para barro. Uma nova? Trezentos reais na concessionária. Uma peça plástica injetada sem qualquer tecnologia.
      Se fosse considera tudo o que tem que fazer a risca só pessoas realmente ricas poderiam ter carro aqui no Brasil. Nem classe média aguentaria.

      • João Cagnoni

        Preciso duvidar desse preço, pois o para barro do meu C4 custa menos que isso.

        • Paulo

          Companheiro, leve em consideração que o amigo falou o valor na concessionário. Se custa metade em concessionária o valor pago em uma peça do C4 em lugar do C3. Tem realmente algo errado com o C3.

          • João Cagnoni

            Sim, me refiro ao preço em concessionária. Para o C4 ficava na faixa dos 200 reais, mas paralelo é bem mais barato. Provavelmente ele passou o preço errado, ou no mínimo o parabarro é daqueles que os 2 lados e o defletor da frente são juntos.

            • Paulo

              Bem lembrado, realmente não tinha me atentado a esse ponto.

      • leomix leo

        Rpz, em 2013, minha mãe tinha um Corolla e esse mesmo para barro custou R$ 150,00, e mais umas presilhas plásticas que custaram R$ 80,00. Não achei no mercado paralelo, tive que comprar na concessionária.

    • Blakinator

      Esses comentários são a demonstração perfeita dos casos onde a mão funciona antes do cérebro.

      • Aires Jone

        Kkkkkk.

    • Rodrigo

      Às vezes roubam pelo prazer de roubar, independente do valor.
      Quando tive um Tipo, nego roubava aquelas capinhas amarelas dos repetidores de seta. Custava R$15 na Concessionária e R$5 no paralelo. Tive que passar superbonder depois da 5a vez que me roubaram.

      • Eduardo Perrone Barbosa

        O mesmo comigo só que era o defletor do limpador de para-brisa.

      • Fernando Oliveira

        No meu caso, quando tinha o Fiat Tipo, estas tais capinhas não eram roubadas não, simplesmente ficavam “bambas” com o tempo e se perdiam. Percebi isso por caso, quando estava lavando o carro e uma delas se soltou facilmente na minha mão. Adotei a mesma tática sua e problema resolvido!

    • Luis Burro

      Eh,acho q mesmo alguns mecanicos nao estao familiarizados com estes termos.E a maioria de nos pouco sabemos sobre o funcionamento e a constituicao de qlqr objeto.Ex:tem uns q nao sabem afiar uma faca e precisem do servico de outros ateh para algo simples.E isto eh a nivel mundial.

    • E a generalização é tão burra por uma série de motivos. Primeiro: A população é de pouco mais de 200 milhões, onde temos crianças, idosos, deficientes, pessoas que não dirigem… Tão brasileiros quanto quem tem carro e dirige. Quem compra carro e dirige é bem menos da metade, logo, essa de “brasileiro é isso” quando aplicado ao mercado de automóveis não corresponde a verdade. Segundo: As vezes falta raciocínio lógico então. Tipo falar que “brasileiro compra Onix”, como uma forma de desmerecer a compra de alguém. Bom, temos 200 mil carro vendidos e uns 10 mil são Onix. Logo, o brasileiro não compra Onix. Quem compra é uma minoria. E como queríamos que o Fusion fosse mais vendido se 70% da população sobrevive com menos de um salário mínimo?

      • Pacheco

        A unica generalização que podemos fazer é: Todo o PT é corrupto. KKKKK

        • Hheheh… Boa!
          Mas falando sério, nem isso podemos fazer… Tenho certeza que nos diretórios municipais, longe do centro do partido, tem muita gente honesta… Inocentes? Não, de forma alguma. Não são inteligentes, são manipuláveis, massa de manobra, fazem mal a democracia por não pensarem mas não são desonestos. Mas essas pessoas não tem voz…. E ainda acreditam em duendes.
          E o certo no final seria falar “Toda a estrutura partidária é corrupta”. E olha que sou contra falar que “todo político é corrupto”. Afinal, eu imagino que se todo partido brasileiro fosse extinto… E que todo político atual ou quem já ocupou o cargo tivesse seu registro cassado definitivamente.. E que os brasileiros tivessem que recriar partidos e estruturas políticas do zero, a câmara, congresso, senado… Que nascesse seria tão corrupto quanto o que morreu. Você conhece algum funcionário público que concorreu ao cargo pelo que poderia fazer pela população e não apenas pelo que o Estado poderia fazer na vida dele? Em uma votação de condomínio você imagina o motivo para se escolher entre um candidato ou outro?

          • Pacheco

            Concordo contigo.

        • PtpBahia

          Tenho certeza que vc, o psdb, o pmdb são honestos!

          • Pacheco

            Eu sou.. agora os partidos sei que não.

          • Enquanto o discurso de vocês for o “mas os outros também fazem” em vez do “eu não vou fazer” jamais deixarão de ser considerados facção criminosa, escória da humanidade, lixeira, esgoto… Você é pai? Já pensou Em ser chamado na diretoria porque seu filho roubou alguma coisa e você justificar dizendo que o filho do vizinho que estuda na mesma escola também rouba, e rouba bem mais, enquanto seu filho rouba para dividir com os outros, mas os outro continuam sem nada e seu filho com tênis novo, camiseta nova, boné, bicicleta…. É assim que educaria seu filho? E responde uma coisa: O PM-Me Dei Bem ficou corrupto nos últimos 6 meses? E nos 13 anos anteriores que ele esteve Do lado do PT ele não era?

            • PtpBahia

              Este seu discurso está parecendo aquele discurso “contra a corrupção” como disfarce (de honesto) dos próprios corruptos para continuar corrompendo! Por aí ta cheio de gente como você, mas se pesquisar, acha alguma coisa podre!

              • Você só corroborou com meu comentário. Você falou da honestidade do Pacheco, da minha.. Da sua? Hehehe… Acho que nem teria o que falar, não é? Não preciso nem mais fazer propaganda para mostrar que meu comentário tem razão. Quem discorda dele já deixa isso bem claro. Vamos lá, fala que eu voto no Bolsonaro, fala que eu sou contra os gays, fala que eu, alvo como sou, quase albino, um nórdico, sou a favor da escravidão e contra os negros… Vocês petistas são tão previsíveis. Tem algum inteligente aí para discutir comigo? Mandar segundo escalão não vale…
                Sério… O xadrez com pombos talvez foi a maior contribuição do Lobão para o país… Depois da “Me Chama”, claro…

                • PtpBahia

                  kkk…seu discurso é que é o mesmo! Bjs

  • Bruno

    Quando li o título da matéria imaginei um JAC…. rs….

  • Ricardo

    Mão de obra absurda, preços de peças absurdas, brasileiro não entende nada, tudo isso colabora para uma grande merda!

  • Mauricio

    “Só o acionamento desnecessário de airbag varia de R$ 3.000 a R$ 10.000, dependendo do modelo.”

    Daqui uns tempos, cidadão vai começar a comprar “carro popular” usado, mas com essa “nova tecnologia” e vai se dar conta do quanto custa essa “inovação” obrigatória dos veículos a partir do momento em que precisar de reparos dessa natureza.

    • Rodrigo

      Trocar o deflagrador do airbag após a validade (em média 10 anos) sem que ele tenha sido acionado, não é tão caro (na Chevrolet cerca de R$600 cada lado). O problema é quando aciona. Nesse caso sim o concerto vai nas alturas, pois vai painel, volante inteiro, em alguns casos até os cintos de segurança.

      • Mauricio

        Na verdade, qualquer veículo, independentemente do modelo, necessita de manutenção preventiva ou “forçada” em caso de problema em alguma peça ou componente. A minha argumentação se dá no fato de que agora todos os modelos de carros vem com esses itens de segurança onde, acho correto serem obrigatórios mas, acredito que nem todos vão considerar esses custos na hora de aquirir um carro principalmente de modelo popular onde, por padrão, seriam de manutenção mais barata. Mas, caso haja necessidade de troca de um sistema de airbag por exemplo, muita gente vai ter uma bela surpresa. E por falar em Chevrolet, dias atrás precisei trocar a bomba de combustível do meu astra. Liguei na ccs. e o rapaz que me atendeu comentou que estava em falta. Mesmo assim pedi a cotação: mais de R$ 900,00. Aí fui numa loja de autopeças e comprei uma da Bosch por R$ 285,00!

        • Racer

          Vai ter é muito carro usado sem air bags…Vão trocar o volante e o painel, deixando sem eles.

          • Mauricio

            Também acho.

        • Louis

          Acabei de fazer uma boa revisão no meu usado popular. Conta: R$ 6k, em um carro que não vale R$ 15k. E não fiz em concessionária, comprei alguma peças depois de pesquisar muito.
          Peças são caríssimas, por isso tem tanto carro usado caindo aos pedaços.

          • Mauricio

            Exato Louis. Pessoal deixa acumular pequenos defeitos que vão aumentando em quantidade e, as vezes, em gravidade também. Aí o que acontece é exatamente o que você descreveu.
            E manutenções geralmente não são baratas, mesmo não sendo feitas na concessionária.

  • Ailton Junior

    o negocio é comprar uma T. Bandeirante e sai passando por cima tranquilo. KKKKKKK

  • Luis Burro

    Interessante esta materia!Sempre tive curiosidade em saber se os parachoques nao sao soh enfeite.Os da Ford sei q sao preenchidos com espuma,e as demais?Algumas parecem ser soh plastico msmo.
    Qual melhor material e desenho estrutural pra absorcao de impactos?

  • Zoran Borut

    NA tem que parar de pegar as matérias da 4 Rodas. Essa está tão mal escrita que nem acreditei de onde vinha. Tem leitor do site que escreve com muito mais coerência, objetividade e precisão de informações do que esse texto aí.

    • Louis

      Creio que a fonte seja 4rodas, mas foi re-escrita pelo site.
      De qualquer maneira, realmente está bem fraco o texto.

  • Zé Mundico

    Tecnologia tem preço e manter tecnologia também custa dinheiro. Infelizmente a grande maioria dos proprietários de veículos do Brasil não curte muito fazer manutenção preventiva, pois tem dinheiro curto e conhecimento mais curto ainda.
    Maioria acha que manutenção é esperteza da concessionária (ás vezes é mesmo), mas acha que a peça só deve ser trocada quando quebra, de preferencia no “entendido” embaixo do viaduto.

  • Gustavo Miranda

    Aí eu me pergunto se há necessidade de chapas conformadas custarem tão caro… sem menosprezar o setor, mas estamos falando de peças de ônibus espacial? Ou será que em nome da lucratividade o mercado desfruta de uma certa liberdade extrapolada de cobrar o que quer para inviabilizar a manutenção? O pior é que isso está generalizado, em todos os setores. Uma cafeteira custa 99 reais, mas a jarra original sai por 154… perca um acessório daquele juicer comprado no Polishop e se surpreenda com o preço de outro pedaço de plástico novo na assistência técnica… veja quanto sai para consertar uma TV led… O mercado é livre para cobrar o quanto queira, mas tudo precisa de um limite, principalmente quando se trata de um carro, onde há riscos maiores envolvidos. Realmente há necessidade se se cobrar um terço do valor de um carro por chapa conformada? Ainda se fossem peças de baixa produção… É por isso que ninguém arruma seu veículo, passa pra frente o pepino e compra outro, para a felicidade dos fabricantes…

    • Gustavo, você foi perfeito, até porque atirou no que viu e acertou o que não viu. Você foi no ponto nefrálgico da questão. E a resposta é NÃO, não precisa ser tão caro. Há até o exemplo daquele cara que foi comprar peça da Volvo para seu carro e importou via ebay por uma fração do preço… De uma peça feita na Bosch do Brasil! É um absurdo que ocorre por conta de protecionismo, cartelização do mercado e altos impostos de importação. No entanto tem o lado do empresário também. Muitas pessoas criticam a visão de curto prazo do empresário brasileiro, sem se dar conta de que isso é uma questão de sobrevivência. De qualquer forma, saiba que é comum no mundo todo determinadas peças de carros terem custo desproporcionais em relação ao veículo. Parte dos ganhos de auto-peças, e parte do desconto de quantidade que um fabricante tem.

  • saosao

    Se for o carro da foto, um Chrysler Stratus, a conta vai pra Lua!

    • Pacheco

      Se vc procurar esse carro na OLX, não encontra nenhum inteiro ou precisando de fazer doc e alguns detalhes. Nenhum carro desse está em boas condições. Hahahahaha

  • Retrato do Papai

    certa vez me envolvi em um engavetamento que ocorreu uma situação curiosa… no acidente um meriva bateu na traseira de um siena el, a traseira do siena ficou bem danificada (uma das portas traseiras nem estava mais abrindo direito), entretanto a frente do meriva visualmente não apresentava dano algum, tudo no lugar, mas… estourou o radiador e teve que ir pra casa no guincho… sorte que fui o menos prejudicado, saí apenas com um amassado no para-choque traseiro

    o engavetamento foi assim, começando do veículo que gerou o acidente: palio g1 -> meriva -> siena el -> eu (palio g3)