Finanças Manutenção Mercado Preços

Pesquisa revela o custo real de propriedade de um veículo por três anos

mulher-comprando-eua

Muitos consumidores consideram somente o valor das prestações de um financiamento – para ver se cabe na renda mensal – ou o valor cheio do veículo. No entanto, o preço sugerido do automóvel ou o total do financiamento não é o único custo que o proprietário terá após a compra.

Uma pesquisa feita pela Jato Dynamics comparou os custos de aquisição em comparação com os de propriedade e financiamento dos cinco modelos mais vendidos de quatro segmentos do mercado nacional.

vw-revisão

Foram analisados os custos com financiamento (parcela mensal), combustível, seguro, revisões em concessionário, manutenção, pneus e impostos/documentação, sempre comparados com o preço médio do veículo. Os valores foram calculados em um período de 36 meses com quilometragem média anual de 10.000 km.

Na comparação entre custo de aquisição e custo de propriedade, um hatch de entrada com motor 1.0 tem preço médio de R$ 29.503, mas ao longo de três anos e rodando 10 mil km por ano, o proprietário terá um custo adicional de R$ 11.184 ou 38% do valor do veículo, por exemplo.

vendas-usa (2)

Nos segmentos de sedãs compactos com motor 1.6, sedãs médios e utilitários esportivos, o acréscimo do custo de propriedade foi de 16%, 10% e 17%, respectivamente. Ou seja, o consumidor de entrada tem custo proporcionalmente maior com seu popular que os dos demais segmentos citados, sendo que os dos sedãs médios terão o menor acréscimo em relação ao preço de compra.

No caso de financiamento em comparação com custo de propriedade, este último representa 80% da mensalidade durante três anos. Nos sedãs compactos 1.6, esse percentual é de 56%, enquanto nos sedãs médios e SUVs representa 50% e 54%, respectivamente. No popular com uma parcela de R$ 685, o proprietário terá um custo de propriedade mensal de R$ 548. Confira os números desses comparativos:

Aquisição x Custo de Propriedade

Segmento – Valor Médio do Veículo – Custo Médio de Propriedade – Custo Total de Propriedade

• Hatches 1.0 – R$ 29.503 – R$ 11.184 – 38%
• Sedãs Compactos 1.6 – R$ 48.371 – R$ 7.692 – 16%
• Sedãs Médios – R$ 65.247 – R$ 6.840 – 10%
• SUVs – R$ 80.283 – R$ 13.616 – 17%

Financiamento x Custo de Propriedade

Segmento – Parcela Mensal – Custo de Propriedade Mensal – Custo de Propriedade Mensal (%)

• Hatches 1.0 – R$ 685 – R$ 548 – 80%
• Sedãs Compactos 1.6 – R$ 1.123 – R$ 633 – 56%
• Sedãs Médios – R$ 1.514 – R$ 758 – 50%
• SUVs – R$ 1.863 – R$ 1.005 – 54%

Valores das comparações

Custos descriminados – Hatches 1.0 – Sedãs Compactos 1.6 – Sedãs Médios – SUVs

• Valor Médio do Veículo – R$ 29.503 – R$ 48.371 – R$ 65.247 – R$ 80.283
• Parcela Mensal do Financiamento – R$ 685 – R$ 1.123 – R$ 1.514 – R$ 1.863
• Combustível – R$ 173 – R$ 183 – R$ 176 – R$ 221
• Seguro – R$ 176 – R$ 214 – R$ 245 – R$ 378
• Revisões em Concessionário – R$ 39 – R$ 44 – R$ 44 – R$ 50
• Manutenção – R$ 32 – R$ 42 – R$ 40 – R$ 39
• Pneus – R$ 14 – R$ 19 – R$ 23 – R$ 35
• Impostos/Documentação – R$ 113 – R$ 176 – R$ 230 – R$ 282

Custo Operacional Mensal – R$ 548 – R$ 677 – R$ 758 – R$ 1.005
Custo Total de Propriedade Mensal – R$ 1.233 – R$ 1.800 – R$ 2.273 – R$ 2.868

[Fonte: Jato Dynamics]





  • Ramom Alencar

    “Foram analisados os custos com financiamento (parcela mensal), combustível, seguro, revisões em concessionário, manutenção, pneus e impostos/documentação”
    de fato PERCENTUALMENTE falando o gasto com os populares é maior, isso porque o carro é mais barato, mas em VALORES ABSOLUTOS que é o que realmente importa a história é outra, quem compra um jogo de pneus 165 de Uno não pode bancar um jogo de pneus 225 de um Cruze por exemplo, esqueceram também o principal gasto implícito que é a desvalorização do bem…
    é bom tomar cuidado com esse tipo de pesquisa pois pode alguém ler isto, achar um Fusion AWD V6 ou um Azera usadinho e pensar que é mais barato bancar um desses do que um Uno, quando na verdade o indivíduo mal conseguiria colocar combustível no V6…

    • kravmaga

      Mas você está comparando carros muito diferentes entre si.

      Esses números da reportagem só reforçam a escolha que fiz por sedãs medios. Já tive hatches populares (2 Gols), sedã popular Chevette), hatches médios (Kadett, astra), sedãs médios (Corolla, Jetta) e crossover médio (captiva). Os sedãs e hatches médios conseguem conjugar conforto e motorização decentes, custo médio, tamanho suficiente para a maioria e peso e consumo não tão maiores que os compactos de entrada.

      Uso o carro diariamente para me deslocar ao trabalho mas não dependo do carro para trabalhar. Nesses casos eu entendo a opção por pés de boi populares por causa do desgaste excessivo e baixo custo de aquisição, que nesses casos é mais freqüente.

      Pneu de médio é mais caro ? Não tanto a mais e quem roda como eu não troca de pneu a toda hora.

      Não tenho filhos e qualquer carro pequeno me atenderia, mas eu trabalho duro e mereço me dar o presente de rodar em um carro confortável. Se não tivesse dinheiro para comprar um médio 0 km, ainda sim compraria um usado não muito velho (hoje a depreciação está muito maior do que anos atrás e por isso não entendo como alguém compra “populares” 0 km de 40, 50 mil com tanto médio de 2, 3 anos valendo isso).

      • Ramom Alencar

        compreendo

      • Marcelo Ceno Dutra

        “Não tenho filhos e qualquer carro pequeno me atenderia, mas eu trabalho duro e mereço me dar o presente de rodar em um carro confortável.” concordo em gênero número e grau. Outro detalhe importante é que o Cruze é muito mais seguro que a maioria dos populares (principalmente o uno), em caso de acidente mesmo que um médio reduza em apenas 1% a chance de você sofrer um acidente já vale a pena, pois se trata do bem mais valioso para você sua vida.

      • Entendi seu ponto, mas “desgaste excessivo”. Você quis dizer que os populares se desgastam mais rápido?

        • Bruno Wendel Marcolino

          “Uso o carro diariamente para me deslocar ao trabalho mas não dependo do carro para trabalhar. Nesses casos eu entendo a opção por pés de boi populares por causa do desgaste excessivo e baixo custo de aquisição, que nesses casos é mais freqüente.”

          Ele quis dizer que se usar o carro to dia e tiver um gasto excessivo, as peças do popular pé de boi são mais baratas, pelo menos foi o que entendi. Porém ficou um pouco confuso já que ele citou que usa todo dia oO

          ou usa ou não usa hehe.

        • kravmaga

          Eu quis dizer que quem roda muito, como quem usa o carro particular para trabalhar (nao apenas se deslocar para o trabalho), acaba preferindo carros populares pois troca a cada 1 ou 2 anos devido ao uso excessivo anual.

      • João Cagnoni

        O custo dos pneus é o mesmo? Com o preço do meu sedan eu trocava os 4 pneus do meu compacto (215 R16 contra 165 R13, R$600 e R$150, respectivamente).

        • Edson Fernandes

          Hehehe estou na mesma turma. O mais barato e original do meu sedan custa R$620. O aro 14″ do meu pai que é 175/60 custa R$200. Só por aí temos 3 pneus…

        • kravmaga

          Pneu nao se troca toda hora. Eh um custo irrisorio perto de seguro, IPVA e combustivel.

    • leitor

      Pra mim você está certo. Embora não concorde com a afirmação de que quem compra pra Uno não pode bancar um Cruze. Depende de quem seja e do que que espere, pra onde vá, etc.

      • Zé Mundico

        Mas na essência ele está certo. Em linhas gerais quem tem Uno é quem não pode sustentar Cruze. Claro que existem exceções mas nesse ponto a generalização está certa, pois não dá para a gente ficar analisando caso a caso. De um modo geral a manutenção de um Cruze é plenamente inviável para quem tem um Uno. Já vi gente com Accord 2008 ter que fazer empréstimo consignado para consertar a suspensão……rsrsrsrs….e por aí vai….

        • leitor

          Por isso que escrevi que depende de quem seja. Tinha retirado a generalização. Tem quem tenha os dois. A depender de pra onde vá…

      • Rodrigo

        Vc está certo, tenho um amigo que tem um Audi A3 1.8 Turbo e não tem casa própria, tem outro que comprou agora um Corola 2.0 e mora com a mãe. E assim vai…. Cada um tem sua prioridade.

        Ter um Cruze ou um Jetta não diz nada sobre o “bolso” do cidadão.

        • Edson Fernandes

          Complicado isso. Eu particularmente teri aminha casa primeiro para depois ter um carro melhor. Na realidade foi oque eu fiz…rs

  • sigma7777777

    Essa matéria ficou muito boa, pois pretendia comentar que no segmento de sedans médios eu particularmente não gastaria aquilo que foi mencionado sobre o carro popular no início do texto.

    OFF: no atual cenário de dólar em alta vocês consideram que a oferta da imagem abaixo combinada com um cupom de R$ 2 mil de desconto é uma boa ideia ou o cenário tende a se agravar ainda mais gerando queda de preços em 2016?

    • Foxtrot

      Quanto ao mercado automotivo, acho que será sim pior a situação no próximo ano e não acho que os preços vão cair, pois as montadoras já sabem que o brasileiro esta disposto a pagar caro por carro, só não tem condições de fazer isso agora no mercado de populares. Acho que o dólar vai continuar bem valorizado no ano que vem e isso vai levar a uma escalada no preço dos importados.
      Essas promoções que você citou, ao meu ver, são “pega trouxa” pois nada é de graça. Cedo ou tarde o consumidor paga pelo cupom ou pelas vantagens, seja no valor do veículo, seja nas revisões e na manutenção.

      • sigma7777777

        Sobre o “pega trouxa”, o problema que vejo é que não há alternativa para quem precisa ou simplesmente deseja ter um carro. Ou há? Pelo o que vejo a única possibilidade de reduzir o problema de se pagar um alto preço em um carro no Brasil é tentar obter algum desconto e taxa zero (caso se opte por pagar parcelado) na compra.

      • Junoba

        Eles não reduziram os preços, apenas estão oferecendo uma vantagem. Isso no caso vai sair do ´´bolso“ da CSS, que prefere diminuir sua margem de lucro na hora da venda, para satisfazer o cliente e tentar segura-ló para ele não ir para a concorrência.

        A tendência é subir de preço a cada dia. As únicas que reduziram o preços de tabela, foram Chery e GM. O resto só reajustou pra cima. Claro, se um veículo tiver demanda, não tem o porquê reduzir o valor.

        • DougSampaNA

          Mas Junoba, GM subiu muito no 2o sem2014, prevendo que este ano a coisa seria muito ruim, justamente para fazer caixa antecipado e assim poder reduzir os repasses ou até pulá-los se fosse o caso, tá na cara que esta foi a estratégia adotada.
          Os carros vão continuar a subir pois dolar, energia, e outras despesas mais pesadas não tem como ser ignoradas na formação do preço final, isso é o preço dos Governos comunistas, enchem o povo de benefícios e não dizem de onde vai sair o dinheiro e assim arrebentam a nação a médio/longo prazo.
          Tenho certeza que 2/3 das pessoas nas filas de desempregados são eleitores de Lula e Dilma, a pergunta é…votariam neles hoje? Eu duvido.

          • Se tratando de indivíduos Petistas Roxo, cegos e desempregados…ainda votariam, não adianta falar que Lula/Dilma Roubou, está roubando, vai roubar. O eleitorado Desinformado é grande e nos Interiores onde não existe oposição FORTE, vixee. #TamoFullDido
            O que mais odeio nessas eleições é que eu não tenho um Opção. Aécio é outro queixo duro.
            Votei Nulo.

    • Pedro Henrique

      com toda certeza escolheria taxa zero
      o ipva dependeria do valor pra eu escolher, se for um veículo com ipva barato, optaria pela revisão grátis, se for um ipva caro (mais caro que a primeira revisão) optaria pelo ipva kkkkk

      quanto a sua pergunta, eu particularmente não trocaria/compraria um carro agora…
      se puder manter oque tem por mais tempo, melhor.
      mas é algo meio pessoal, depende dos seus fatores, pra mim não vale a pena mas para outra pessoa pode ser que valha a pena

      • Pipo pipo

        IPVA grátis no final do ano é brincadeira, eu quero isso em janeiro.

        • Pedro Henrique

          como vc vai comprar o carro final do ano, o próximo pagamento é no final do ano que vem, da na mesma… kkk

          • Comentarista

            Colega, vc esta equivocado. Se vc comprar um carro vc paga para emplacar o ipva proporcional até dezembro. Em janeiro paga integral. Ipva grátis em dezembro é a maior burrada pois vai te pagar só 1 mês isto é 1/12 avos do total!

            • Pedro Henrique

              mas se a placa é feita por exemplo em outubro a placa final é 9 então o próximo pagamento é em outubro do ano que vem, não?

              • Comentarista

                Não.

              • radiobrasil

                Depende o Estado. Tem lugares que é cobrado o IPVA no mes do numero final da placa, tem outros que cobram no início do ano.

                • Pedro Henrique

                  é oque acontece na minha região, o pessoal até corre de carro com placa final 0 porque o pagamento é no começo do ano…

              • Bruno Wendel Marcolino

                que eu saiba, todo “ciclo” de IPVA começa em dezembro, digamos assim e vai até o meio do outro ano mais ou menos. Pelo menos sempre foi assim comigo.

              • Roger Abdulack

                carro zero tem que pagar todas as taxas à vista para emplacar

    • Ramom Alencar

      quem escolhe tanque cheio? aqueles sujeitos que compra o carro mas mal podem colocar gasolina? me lembrou a promoção nacional que a ford fez pouco tempo atrás…

      • MMM

        Acho q depende do valor do carro. Estamos quase em Novembro, entao o Ipva de um carro barato pode custar menos do q um tanque de gasolina.

      • Bruno Wendel Marcolino

        a gasolina do jeito que tá, o tanque cheio deve ser mais caro que a 1° revisão kkkk

      • Edson Fernandes

        Quando a Toyota fez isso para o Corolla (mas eram valores tipo na casa dos R$3000 em postos credenciados) eu gostaria! Seria uma boa.

        tirando isso, apenas o tanque cheio eu acho besteira.

  • Rico & Orgulhoso

    As pessoas precisam abandonar um pouco a vontade de tentar transmitir uma posição social por meio do carro…
    Isso custa caro e muitas vezes tolhe aquisições mais importantes.

    Exemplo: um rapaz solteiro e universitário que dispõe de 40 mil reais pra comprar um veículo, em determinados casos (geralmente pessoas um pouco mais ignorantes), compromete sua renda com um veículo usado de igual valor (e melhor categoria), que exige intervenções mecânicas e gastos maiores, na tentativa de conquistar mais amigos/as, ser elogiado por pessoas tão fúteis quanto etc que consideram o “TER” um valor importante no inter-relacionamento humano.
    É notório que uma decisão racional é optar por um veículo novo, munido de ampla garantia, de motor econômico (1.0) e gastos contidos, por exemplo manutenções mais pesadas que só surgirão após longo prazo…
    Só que muitos têm vergonha de utilizar veículos comuns de entrada, acreditando que aquele meio de transporte indica uma posição social baixa (de fato é um indicativo – o problema está na dificuldade em aceitar a própria realidade). Há uma grande vontade de conquistar tudo de imediato (sem ter de batalhar) e já logo demonstrar que possui um patrimônio (que na verdade é fake) capaz de gerar respeito e admiração dentro daquele restrito campo social.

    Agora.. Se é um jovem filho de ricos nada disso tem valor, afinal estamos falando de objetos de consumo.

    • Vinicius

      Meu amigo, não adianta. Isso é cultural.
      Possuo dois apartamentos (térreos que fiz um só) no prédio de 8 apartamentos em que moro. Tenho um 307 2.0 04/05, um Punto 2010 (pau pra toda obra e só peguei porque era pagamento de honorários) e o Fit 2009 da patroa. Todos quitados.

      Tinha um vizinho que possuía um Civic 2013 e um Fit 2005 ou 06. Civic tirado zero.
      Fizemos reunião aqui para aumentar colocar uma taxa extra de 300,00 reais (eu ia pagar 600,00) e adivinhe quem reclamou?

      Quanto à comprar carros zero que, em tese, não deem manutenção, isso é relativo.
      Se o bolso do indivíduo pode comprar um carro usado, mas de categoria superior, e pode bancar a manutenção, um abraço.

      Eu mesmo estou vislumbrando a hipótese de vender o 307 de uso secundário e comprar um Audi A4 ou Passat para mim. Mas pesquisei bem e posso manter. Isso se eu não achar um 406 coupé.

      • Aristeu Junior

        o cara reclamou mas anda de civic. pior seria se andasse de uno mille
        haha

        • Vinicius

          Pois é. 300,00 reais a mais no condomínio, para modernizar a fachada, ia doer.

          • Edson Fernandes

            Mas acrescentar 300 numa cacetada só é pesadinho hein…

            Eu pagaria. Só que aumento de 300 reais de uma vez só …. poderia gerar problemas, porque há outros rateamentos que iriam vir no futuro.

            Talvez eu tenha mente fechada, mas eu iria cobrar sobre isso, porque sei que não seria a algo a curto prazo.

            • Vinicius

              Edson, mas era necessário. Aquela obra que já havia sido postergada ao extremo. E o valor do rateio é elevado em virtude do número reduzido de apartamentos. Prédio antigo, bom, com apartamentos de 95 a 115 m², e quando o tempo pede, não tem como fugir. E ainda bem que ninguém é inadimplente. rs.

              • Edson Fernandes

                Complicado. Acho que a sua vivencia é algo que realmente precisa levar em consideração. Só acho que postergaram ao extremo para isso acontecer, pq um acrescimo de 300 é bem sensivel.

      • Comentarista

        Amigão. Então só pq o cara tem civic ele pode aceitar pagar o que vier? Nada a ver. Conheço gente com grana porém não jogam dinheiro fora e o que puderem economizar o fazem.

        • Vinicius

          Ok, respeito sua opinião, mas vamos lá
          O prédio precisando de reformas e modernizar a fachada é o que vier? Não era futilidade, mas necessidade.

          O que eu digo é: andar de carro zero, financiado é melhor que modernizar, reformar um bom prédio com apenas oito apartamentos, na opinião dele. Então o cara tem grana para andar de Civic zero e não pode pagar oito parcelas de 300,00 reais para modernizar e restaurar o necessário no prédio que mora. E eu, que iria pagar 600,00 reais, pois os dois apartamentos do térreo são meus e transformei em um só, entendi o propósito. Ainda bem que conseguimos aprovar.

          Eu tenho amigos e clientes, aqui e em Portugal, que também possuem muito dinheiro (embora este conceito de grana possa variar entre nós dois), que priorizam muitas coisas outras coisas.

          Se for do Rio, o ex-dono de uma das padarias mais rentáveis aqui do Rio (dentre outros negócios), amigo da minha família e meu cliente, até pouco tempo andava de Santanão 2006. Outrossim, quando me chamava para ir à Cadeg almoçar, conversar, etc., deixava lá, brincando, mais de 5.000,00 em comestíveis. E andando de Santanão.

          Agora, esse mesmo senhor, que é meu amigo, possui, seguramente, mais de 250 imóveis, os quais quase 150 eu administro os alugueres, cujo valores médios dos contratos é de 2.100,00 reais.

          Mas voltando ao assunto, não querer pagar o que vier é diferente de pagar o que é necessário. Mas aqui na colônia, em grande parte, o mais importante é ter algo que possa demonstrar. Afinal, quando está na rua, dentro do possante, ninguém sabe onde o sujeito mora.

          Cada um faz o que quer com o seu dinheiro. Não critico isso, mas quando se mora em um condomínio, é complicado, existem despesas rateáveis. Além disso, sei de gente que anda com Bimmer e não paga condomínio há mais de dois anos e fica procrastinando na justiça.

          Por outro lado, tenho colegas de profissão, que possuem carros bem caros, porém, os ternos surrados, sapatos gastos, relógios réplica, não tem plano de saúde e não podem almoçar em um 00 Bistrô, por exemplo. E pasme: filho em escola pública. Um filho em escola pública!

          Prioridades, cada um tem a sua. Gosto de relógios e canetas. E ouço críticas por ter várias canetas e relógios. Dizem para mim que uma Meisterstück Legrand escreve a mesma coisa que uma bic, que um Tag Heuer Carrera Calibre 8 mostra as horas que nem um Invicta (que me desculpem, é um lixo). Concordo, mas é meu vício e não deixo de comer bem, consertar minha casa, fazer manutenção no que é necessário, nem de investir na minha qualificação para comprar uma caneta ou relógio mais caro.

          Ou seja, tudo se resume a prioridades!

          • radiobrasil

            Só não vai gastar 100k num “Apple Watch” dourado hein?! rss

            • Vinicius

              É, esse é para quem pode. E nem me apetece. Aliás, gadgets não me apetecem muito. Odeio celular! Tinha um BB Bold 9600 que durou quase cinco anos. Se a tela não apagasse, estaria com ele até hoje.

              Agora, somente agora, me rendi a um Iphone. E mesmo assim, por causa da operadora que me ofereceu e tal.

    • Vinicius

      Agora, um jovem universitário ainda pode cometer erros. O problema é não aprender com eles!

    • Franco da Silva

      Além do “conforto” no trânsito. Eu tinha um hatch médio, depois de muitos compactos. Sempre fiquei incomodado com o comportamento de motoristas que colam na traseira, forçam ultrapassagens em locais perigosos, não respeitam preferencial… E achava que era pelos meus carros serem pequenos e baratos ( não sou tranca rua, sempre ando ao menos na velocidade máxima da via). Quando fui para o hatch médio, não mudou muito.
      Logo, um amigo comprou um(a) simples Porsche Panamera. Tem só 500 cv o veículo. E ele me relatou que acontece o mesmo desrespeito no trânsito. E ainda mais! Ele fala que é incrível como tem alguns carros ridículos que, só pq o dono coloca um turbo na oficina da esquina, acham que vão acompanhar o Panamera! Sem falar que parece que o dono de um(a) Porsche parece ser sempre obrigado a andar em alta velocidade.
      Depois dessa, desencanei, voltei para um compacto. Pago e metade do seguro que pagava, gasto 40% em combustivel e sobra para fazer coisas legais, viajar, etc.
      Se houvesse transporte público de verdade nesse país, eu nem teria carro.
      Na minha família tem um monte de sedãs médios e SUVs. Todo mundo ficou louco com meu carrinho. Ninguém entende… É ridícula nossa cultura.

      • leomix leo

        O melhor investimento que vc faz é esse, viajar…

        • Ramom Alencar

          na europa tem muito dessa cultura, principalmente na alemanha, as pessoas moram em pequenos AP’s, andam de bicicleta (porque o transporte público é muito bom) comem bem e viajam bastante, afinal não se leva nada dessa vida…

          • Rico & Orgulhoso

            Aqui o que tem de mais comum é fazer um monte de economia na comida (comer só feijão com arroz e pão com margarina), viajar só 1x por ano (SE viajar) e possuir um auto de 70, 80, 90k (ou mais) na garagem

            Obs.: além de não ter convênio e só ir no médico quando tá quase morrendo, pra não quer que pagar os 250 da consulta (mas gasta 100 reais em porcarias tipo Militec hahah)

            • Ramom Alencar

              kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            • Gustavobrtt

              Também conheço gente por aí que tem volvo, mas o carro quase não sai da garagem. Mora em conjunto popular… Vai entender as prioridades…

    • Bruno Silva

      Aqui em casa, compramos um Ka, que será meu carro assim que tirar habilitação (falta pouco). É moderno, 3 cilindros, mas é bem econômico e tem custo relativamente baixo de manutenção. Podia ter comprado um Fusion 2011, um Bravo 2012, mas o gasto é muito maior, seja em consumo ou em peças.

    • Helio George Dantas de Aguiar

      não tem como julgar a racionalidade da sua colocação, afinal já esta provado que vale mais a pena andar de transporte publico e taxi do q comprar um carro. Então por mais barato e econômico q seja o carro, compra-lo já é uma opção de luxo.
      Agora porem entrando no argumento sobre qual carro comprar, também é possível verificar q apesar que de o custo de manutenção ser menor em um carro novo, o valor da desvalorização inicial é maior que os gastos com manutenção. Economia de combustível tb é questionável perto do valor do carro, ainda mais usando o seu exemplo de carros na faixa de R$40mil. ou seja são tantas variáveis que fica difícil avaliar. E não sejamos hipócritas, qual o problema em o carro ser mais uma extensão da sua personalidade, já q que tudo q compramos levamos em conta coisas q são valorosas pra cada um e tão particulares?

      • Ramom Alencar

        eu compreendi o comentário do amigo, tanto o seu como o dele estão corretos, o “q” da questão é o perfil da pessoa…

      • Rico & Orgulhoso

        No final das contas, o que faz a diferença (dentro do âmbito do mercado de consumo) é o dinheiro no bolso.
        A única coisa que eu critico é o fato da pessoa tentar COMPRAR uma posição social por meio dos bens.
        (Obs.: é muito comum ser melhor valorizado no meio social quando se ostenta)
        Pois bem, sendo essa posição social um mero fake, automaticamente essa pessoa estará abrindo mão de coisas mais importantes para sustentar essa imagem.

        • Um conhecido meu, comprou um C3 Usado FINANCIADO, sem ter condições de bancar manutenção, seguro, gasolina.
          Isso já tem uns 2 anos e pouco, acho que falta pagar umas 2 parcelas.
          Detalhe: O carro esta parado a meses e o cara esta desempregado.
          Só por causa da Posição Social

        • Helio George Dantas de Aguiar

          sim com certeza, se a pessoa pensa apenas nisso . porem eu sempre acho muito difícil de julgar sem saber oq as pessoas pensam, afinal o carro é mais uma extensão de tantas coisas q fazemos e compramos pra nos diferenciar das outras pessoas.

      • “…afinal já esta provado que vale mais a pena andar de transporte publico e taxi do q comprar um carro…”

        Provado por quem? Para quem?
        Não se pode pegar um estudo e generalizar e achar que “está provado”, “fato”. Há tantas variáveis. Aí a pessoa pega um trajeto casa-trabalho, faz as contas levando esse cenário e pronto! Está provado para todas as pessoas que também estudam do outro lado da cidade, que visitam os pais no interior todo final de semana, que a namorada mora há 40 km que é melhor você deixar seu carro de lado e usar o transporte público que é inexistente para onde quer ir. Você sabe quanto é o táxi em Campinas? E São Paulo? Rio? São de grandezas distintas saiba. E um estudo no Rio não serviria para Campinas. Fora aquilo que não tem como precificar. Quando tentei usar transporte público dei tanta “sorte” que a chuva que caiu em 5 minutos depois que saí do ônibus destruiu meu notebook. Ah sim, estava com um note da empresa em um ônibus. Como isso entraria nas contas? Entenda, já fiz o teste para minha realidade e é inviável para mim não ter carro. E não me considero exceção..

        • Helio George Dantas de Aguiar

          ??? não discordo do que vc disse, mas essas variáveis todas fazem parte do argumento. Era justamente o pto q levantei, o fato de q entrar apenas no mérito do custo/beneficio é muito pouco perto de todas essas variáveis.

          como vc colocou é bem possível fazer todos estes trajeto com transporte publico, porem dependendo do caso, pessoa, localidade, pode ficar complicado.. mas ai a medida não é apenas custo, mas tb umas serie de outros fatores muito pessoais de cada um… eu ja andei muito onibus, hj teria menos paciencia se arrumasse um trabalho muito longe da minha casa… ja me irritei muito com o transito, e hj tenho uma moto apesar dos riscos… enfim são todas questões particulares como vc tb colocou.. por tudo isso q eu disse q era irracional colocar q alguém q compra um carro usado com melhor status era futil

    • SDS SP

      Perfeito seu comentário. Confesso que no passado já tive a tentação de comprar um carro de categoria superior ao invés de comprar um popular novo. Mas no final das contas a razão venceu a emoção.

      Extrapolando o quesito carros, o que tem de classe média “pão com ovo” comprando Iphone de 4k não é brincadeira…

  • Percentualmente sim. Mas o salário só brasileiro em média, mal dá para manter o carro que possui.

    Montei para minha base, que para manter um carro da forma como deve ser, o valor do carro deve ser no máximo, 10 vezes o seu salário…

    • Franco da Silva

      Exato, 10 salários. Eu também sempre usei isso. Fica em um limite bom, sem exageros. Mas fiz um downgrade pra 6 salários agora e ficou mais fácil ainda.

      • Rico & Orgulhoso

        10 salários é muito.

        Dificilmente vc verá uma pessoa que ganha 15 mil reais por mês mantendo um carro de 150 mil reais. É um louco ou deslumbrado se fizer isso.
        Os custos de manter um carro desses são muito altos.
        Um carro de 80-100 mil reais já está mais do que razoável para essa renda.

        Ao mesmo tempo, é muito comum – infelizmente – ver pessoas com a renda na casa de 4 ou 5 mil reais sustentando um carro acima dos 50 mil reais. Muitos compram usado, é verdade, mas não raro financiam (acabam pagando muito mais. Um carro de 40 mil, financiado, arranca uns 60 mil reais EFETIVOS do patrimônio daquela pessoa) e precisam arcar com os custos de manutenção do usado, que, quanto maior sua categoria, mais altos são.

        • Franco da Silva

          Qlq Sw4 custa mais de 150 e os donos que eu conheço nem ganham 10 mil. Mesmo assim, usamos valores mais altos aí nesse exemplo.
          Quem ganha 6 compra um de 60, tranquilo. Só se programar. Mas como eu disse antes, um carro de cinco ou seis salários é mais confortável.

    • V12 for life

      Isso depende, meu carro custava na época da aquisição mais de 16x meu salário, porém o financiamento foi de 45% do valor do veículo e devido a isso além de no final não pagar mais que 3,5mil acima do valor total negociado, não tenho dificuldade alguma com os custos de manutenção, seguro ou combustível. Concordo com uma parte os custo com o carro não devem ultrapassar 10x o salário, embora meu carro ultrapasse consideravelmente isso os custos para mante-lo ficam dentro tranqüilamente.

    • C.A.

      Sempre ouvi da minha família que o gasto total com o automóvel não pode ultrapassar 20% da renda bruta do indivíduo ou da família, quando essa usa o veículo em conjunto.

    • bull_t

      Cuidado, tem gente que fica extremamente ofendida quando você diz coisas logicas e racionais. O maior motivo do desbalance entre qualidade e preço dos carros vendidos no Brasil é o consumidor ignorante.

      • Isso com certeza.

        Só para efeito de comparação (VW Polo 2007 x Vectra GT-x 2008):

        Palheta do limpador de Para-brisa Polo 2007: R$ 55,00
        Palheta do limpador de Para-brisa Vectra 2008: R$ 192,00

        Pastilhas/Disco de Freio Polo 2007: R$ 320,00
        Pastilhas/Disco de Freio Vectra 2008: R$ 950,00

        Pneus Michelin Primacy 195/55/R15 Polo 2007: R$ 1.000,00 o jogo
        Pneus Michelin Primacy 225/45/R17 Vectra 2008: R$ 1.800,00 o jogo

        Kit Embreagem Polo 2007 colocado: R$ 450,00
        Kit Embreagem Vectra 2008 colocado: R$ 800,00

        Seguro HDi Polo 2007: R$ 3.600,00 (solteiro, 28 anos, morador zona sul SP)
        Seguro HDi Vectra 2008: R$ 5.200,00 (o mesmo perfil)

        • Vinicius

          Seguro 307 2.0 AT 04/05, que é de uso secundário, no Hell de Janeiro, casado: 1.230,00 reais. (Azul Seguros) (bônus 2, porque transferi o outro de bônus 8 para o carro da patroa)
          Foi mal! rs.

          https://31.media.tumblr.com/984264ce7a20ea5cf9204248710c7c5a/tumblr_inline_mg25z6EwWw1rxis0k.gif

        • Rico & Orgulhoso

          Isso acarreta um monte de problemas.

        • Rico & Orgulhoso

          Quantos carros não vemos por aí com palhetas “no osso” (riscando o vidro), pneus remoldados, carecas ou de marca “sapo”, veículos alienados ao banco e sem seguro (!), etc…

          Gera um grande crescimento do mercado da pirataria (peças falsificadas) e da sonegação de impostos (que causa ainda maior rombo no orçamento público, ao lado da corrupção), pois muitas casas que vendem peças baratas de marcas paralelas o fazem sem nota, a fim de baratear os custos.

          Já viu mecânico dar nota fiscal? São raros…

          Aliás, tende a sustentar inclusive os furtos/roubos de automóveis, diante da enorme rotatividade de peças usadas, muito apreciadas pelos donos de “carrões” usados.

          • lightwz

            Na boa, uma palheta de vidro, genuína, e uma bosch, é certo que a genuína é um engana trouxa, tem que ser completamente alienado para morrer em peças apenas por serem “genuínas”, existem marcas iguais ou melhores, lógico que isso não abrange tudo. mas é possível economizar nas peças e ter qualidade idem.

            • Rico & Orgulhoso

              tem que ser completamente alienado para morrer em peças apenas por serem “genuínas”
              Repense isso, vc tá fazendo papel de trouxa falando uma besteira dessas

              • lightwz

                Interpretou direito o que escrevi?

                Partindo do princípio que existem peças “genuínas” e peças “originais”.

                Ex: você precisa de um kit de amortecedores.
                1 – pode comprar um kit Genuíno
                2 – ou um kit da marca “Cofap”(que é a distribuidora da própria montadora..)

                A diferença é que a genuína é apenas uma peça re-embalada.. em vários casos acontece que apenas por ter a margem de lucro do concessionário, acaba-se pagando mais pelo mesmo produto.

                Logo, re-afirmo, tem que ser completamente alienado para morrer em peças genuínas. Papel de trouxa é não saber do que está falando e vir dar pitaco,

            • Burnout

              To usando uma palheta Bosch no vidro traseiro e já está riscando, já a dianteira estou usando uma de marca pouco conhecida (VTO) há mais de um ano e ainda está funcionando. E aí, o que me diz?

              • Gustavobrtt

                Deixa eu adivinhar..
                A palheta Bosh é original do carro ainda.
                Aposto q vc não trocou, pq só vende na concessionária (não exise paralela), e deve custar uns R$300~400.

              • lightwz

                Usei apenas como exemplo a palheta, a gm no caso vende a bosh aerotwin, porém poderia ser qualquer outra coisa, velas/cabos, amortecedores, kit de embreagem, entre outro.. vários produtos são apenas re-embalados na caixinha escrito genuíno.

                Fico intrigado o porque das pessoas acreditarem piamente que só peças genuínas são boas.. quando na verdade alguém fabrica para a montadora as peças.. e essas empresas também vendem nas auto peças..

        • Burnout

          Irei adicionar mais dois exemplos de um carro “popular” e um “médio”. É íncrível como brasileiro é preconceituoso e burro! Não pesquisa e só compra m… achando que está fazendo um ótimo negócio!

          Palheta do limpador de parabrisa VW Up! (VTO): R$ 99,99
          Palheta do limpador de parabrisa Peugeot 307 (VTO): R$ 74,00

          Pastilha e Disco de Freio VW Up!: R$ 262,00
          Pastilhas e Disco de Freio Peugeot 307: R$ 256,00

          Pneu Continental PowerContact VW Up! 175/70 R14: R$ 1048,00
          Pneu Continental PowerContact Peugeot 307 205/55 R16: R$ 1344,00

          Kit embreagem VW Up! 1.0 (SACHS): R$ 467,39
          Kit embreagem Peugeot 307 1.6 (VALEO): R$ 333,26

          Lanterna traseira VW Up!: R$ 169,00
          Lanteira traseira Peugeot 307 (fornecedor original da peça): R$ 135,00

          Seguro VW Up! (28 anos, solteiro): R$ 1900,00
          Seguro Peugeot 307 (o mesmo perfil): R$ 3200,00

          Tem inúmeros outros exemplos que o Francês é mais em conta! Vou citar um, para não perder a graça. A bobina ORIGINAL do Golzinho 1.0 é bem mais cara que a do Peugeot 307 (Magnetti Marelli).

          É por essas e outras que só vemos nas nossas ruas, os mesmos carros! Pessoal vai muito pela fama! É só ir no nosso vizinho (Chile) e ver como lá tem carros muito diferente um dos outros.

          Isso que eu não citei que a embreagem do HB20 1.6 custa mais de 1000 reais, o jogo de amortecedor é quase o dobro do Francês. Pessoal, antes de comprar qualquer carro, pesquise! O “médio” na verdade pode ter o custo do de manutenção seu “popular”!.

          • Exatamente. Veremos o que vai acontecer quando o Cruze manual cair na mão dos manos e na troca de embreagem… Kkkk

          • Quando você vai precisar trocar essas peças que listou do up!? E do 307? A questão é que pegando um up! agora, não precisará se preocupar com esses itens agora.

            • Burnout

              A questão não é o “e se”, a questão é que quem roda, vai precisar trocar. Uns em pouco tempo, outros a medio prazo. Quem roda muito em um ano já vai precisar trocar pelo menos a pastilha. A diferença de preços é bem visível. Se for olhar na concessionária o Up! Tem uma das cestas de peças mais caras do segmento, é só olhar a quatro rodas de outubro de 2014. Temos um fox tec 1.0 aqui. O jogo de velas do 1.0 é mais caro que do Peugeot na concessionária. Mas o povo burro insiste dizer que francês tem manutenção cara, ah, vá! Rs

              • “..A questão não é o “e se”, a questão é que quem roda, vai precisar trocar…”

                Sim, mas tem outra questão: Quando? Quantos km tem esse 307 de 36, 37 mil (preço médio do up!?). Por favor, não vamos com o o velho 307 de mulher pouco rodado que o dono só estava esperando você aparecer para vender por 20% a menos da Fipe. A primeira constatação é que as peças do up! estão caras para categoria, mas a questão é outra. O pneu que você cotou talvez eu tenha que trocar daqui a 40, 50, 60 mil km no up!. E nesse 307 de preço similar? E esse dinheiro que você não gastará no up! aplicado renderia quanto quando chegar na hora de trocar?
                Quanto ao preço das peças dos franceses, minha experiência mostrou que não diferia muito de outros carros que tive (O meu era um 206). Mas e se quem falar nisso passou por um francês e está com um carro de uma marca que está aqui mais tempo? Você chamaria a pessoa de burra também? Pois bem, apresento meu tio, que amava o Logan dele, trocou por uma Zafira por necessidade e em um reparo similar gastou menos no seu carro 2.0 baseado em um médio do que no francês paranaense da Romênia. E detalhe que foi na suspensão onde a Chevrolet não é barata e a do Logan é baseada em um carro de 1972.

          • Marco Schneider

            Seguro do up parece compensar esses outros gastos, que demorarão para aparecer em um up 0km. Além disso, é até covardia comparar o consumo dos dois, e com combustível caro do jeito que está a diferença fica ainda maior. Eu rodo por volta de 1500km/mês e a diferença de consumo já faz diferença.

        • radiobrasil

          Vc está comparando preços de concessionárias, certo? Pq eu ja tive Vectra e pastilhas originais, palhetas originais conseguia pelo menos 30% mais barato numa oficina multimarcas da minha cidade. Eles compravam as peças de uma grande CSS, com preço para revenda e mesmo com lucro ainda assim sai bem mais barato.

    • Vinicius

      Eu ainda vou além. Tenho uma conta poupança mesmo, que deposito todos os meses entre 250 e 300 reais para manutenção e despesas extras do carro.

    • Louis

      No meu caso, ainda não tive coragem de comprar um carro que custe 10x meu salário. Acho caro. Mas prefiro comparar o valor do carro com valor de patrimônio pessoal.

      • Por isso que é no máximo 10 salários…

    • Comentarista

      Não acho isso, ou pode ser até determinado valor. Ganhando 10 paus por mês vc acha que pode ter um carro de 100 mil? Kkkk

      • Claro que consegue!

        Com 10 mil de salário, o cara não tem condições de manter carros como, HR-V, Corolla,Renegade, Civic, Cruze, Jetta, Golf, entre outros???

        • Comentarista

          Se for só ele é esposa, sem filhos, morar em bairro classe mais baixa, consegue. Ah! E tbm se não quiser fazer um caixa pra investimentos futuros e previdência privada, agora tendo filhos, pagando imóvel, escola, plano de saúde, previdência privada, lazer pra todos, conforto em casa, economia pra investimentos, jamais sobra pra ter carros assim.

          • Mas tudo deve seguir as regras.

            Com 10mil não queira morar nos jardins e adjacências…

            Convênio médico, plano de saúde, escola, condomínio, compras e lazer, a verdadeira classe média consegue.

            Um administrador e uma dentista conseguem, afinal são em teoria 10 mil para cada um e lógico no padrão Brasil, o esposo tem seu Corolla/Civic e a esposa HR-V/Renegade

  • RafaelC

    Esse blog ta precisando aprender a trabalhar com tabelas, extremamente desconfortável ler dessa forma.

    As matérias costumam ser boas, mas sempre que tem esse tipo de informações já surge o desinteresse

    • leomix leo

      Ficaria mais fácil de entender em uma tabelinha.

    • Rodrigo Pasini

      Isso que é uma página web, que dá um senhor trabalho em fazer uma tabela. kkk
      Não precisaria ser nada muito trabalhado, tendo as informações em formato de tabela só para organização já seria muito bom.

  • Junoba

    O que acaba mesmo com o consumidor, é a taxa de juros. Deixa alguém financiar um carro em 60 vezes, sem entrada. Vai pagar 2 carros pro Banco/Financeira.

    • Vinicius

      Mas essa mania de financiar em 60x é da cultura do brasileiro. A prestação cabe no salário, beleza!

      • Carioca

        Não vejo problemas em financiar uma compra, nem que seja uma “mania” de brasileiro.

        Nos EUA, as pessoas também financiam suas compras. A diferença entre lá e aqui é a taxa de juros. Financiamento existe em qualquer lugar do mundo, e independente da quantidade de parcelas.

        • Vinicius

          Desculpe, esqueci de mencionar o principal, que aqui se financia independente da taxa de juros, mesmo que ao final pague dois carros e não sobre dinheiro para outras despesas. Como você mesmo disse, é a taxa de juros.

          Porém, o que eu quis dizer, é que o importante é a parcela caber no salário. E não é comprometer 10% do salário, não. Então, aqui é cultural sim, no sentido de que não interessa a taxa de juros, vou parcelar.

          E mais, para mim, a melhor forma de comprar carro, é a que chamo de leasing operacional, que aqui seria impossível, devido à lei de Gerson.

          Em Portugal, o renting é a melhor forma. Você “aluga” o carro pagando uma parcela mensal e não gasta nada de manutenção. Nada. Ao final, pode comprar o bem por um preço ótimo ou devolver e pegar outro. Detalhe: toda a manutenção é por conta deles. Até troca de óleo, eles te avisam que vão pegar o carro um dia antes e te deixar outro igual. Pneus, também trocam. Emplacamento, etc. Você só gasta com diesel.

          Se fosse aqui no Brasil, muitos (não estou generalizando) iriam tirar as peças boas do carro “alugado” e colocar peças danificadas.

          Uma BMW 325d 0km em Portugal, está em média a 49 k euros.

          No renting, você paga 705 euros por mês em um contrato de 48 meses, podendo rodar com o carro 18.000 km ano. Ao final, sua opção de compra é de 22.000 euros. Somando tudo, temos, mais ou menos, 56.000 euros. 7.000 euros a mais em 48 meses.

          Agora, o melhor. Você não gastou nada em manutenção. E se não quiser comprar o carro, pega outro por este valor de 705 euros, em média.

          Esquece que o euro está a 4,50, etc. O salário mínimo em Portugal é de 589 euros.

          • Rico & Orgulhoso

            Logo vem um sabichão transformar esses Euros em Reais e dizer: “nossa, custa quase a mesma coisa que aqui… Do que estão reclamando?”

            hahaha

            • Vinicius

              Pois é, por isso que fiz menção ao salário mínimo. rs.

          • Carioca

            Entendi. Realmente aqui a galera só se preocupa com o valor da parcela e se consegue pagar, não importando quanto vai pagar ao final, mesmo que isso signifique 3x o valor do carro à vista. Típicas frases: “São só 200 reais…300 reais por mês…”

            Esse lance de renting é interessante, mas como você mesmo disse aqui é complicado.

      • Junoba

        Em alguns países de ´´primeiro mundo“, financiar em 60 ou 72 vezes é normal, porque os juros são irrisórios… Nem compensa comprar a vista. O problema no brasil, é que se você fizer isso aqui, vai pagar como se fosse dois carros. Além do custo ´´geral“ ser bem mais alto.

  • Thiago Porto

    Não vou falar mal pq não apresentei algo melhor.
    Mas tá simples pra caramba, pra dizer o mínimo.

  • Baetatrip

    Nao sou um consumidor que vive trocando o carro em 3 anos!
    Sou aquele que usa carros por anos anos!
    Gosto de “conhecer” o carro
    Tive a minha Tiguan por quase 5 anos e deu grande defeito e estou ajeitando para passar adiante (Quase 118 mil km desde 0km meu, pois viajo muito)
    Tiguan foi grande carro, o defeito e a VW que nao respeita consumidor….!
    Nao aceita a gasolina brasileira…. Colocando a gasolina premium imediatamente……!
    E voltei para SZK Grand Vitara e acabou problemas!

    • Louis

      Rapaz, vai ser apedrejado aqui, trocou um “endeuzado” TSI por um “defasado” Vitara… hehehehe

      • tjbuenf

        Já atirei uma pedra….. Considerei uma troca insana…

      • Baetatrip

        Nem to ae!
        Prefiro ter confiabilidade extrema do que “mimos” eletronicos!
        So para ter ideia: ultimo problema foi a parte mecanica (oleo e agua se misturaram e virou pasta so!) dando quebra o motor todo, E esta finalizando a troca para vender!
        Parte eletronica/ 4×4 eletronica/Suspensao nota 10! nunca falhou momento nenhum na minha mao!
        O carro me dava seguranca nas viagens… Ultrapassagens……. Prazer de guiar…!
        Curiosidade: Inicio de outubro fui a BH (RJ-BH) com a minha tia e malas, fui na media de velocidade media que usava na TIG (130/140), fiquei feliz com consumo, pensei que ia beber bem, se mostrou contrario!
        Bebeu bons 9,22km/l! (Usando a gasosa podium/ racing)
        BR 040 cheia de relevo, e o carro sentiu a vontade mesmo apesar que o cambio me tira do serio um pouco! eheh

  • Brenno

    Uma coisa engraçada é a ordem de prioridade. Você vê muita gente que tem Iphone e malemá consegue comer direito. O mesmo vale com carros. Temos o Fiestinha em casa, 1.0, popular, que atende bem. Tínhamos um Polo Sedan, excelente carro, mas enquanto colocava pneu de 150 no Fiesta, era 300 no Polo. Enquanto fazia 10 km/l na cidade, fazia 8 km/l no Polo, enquanto pagava quase 2000 de seguro, o Fiesta não tem seguro. Então, tem de entender as prioridades. Claro que qualquer carro é melhor que transporte público, mas dependendo, quem ganha salário mínimo não tem muita “lógica” ter um veículo. Todos temos direito de ter, mas lembre-se que carro é outra família para manter.

    • Exato. E o que me revolta e deu uma briga com minha ex, foi uma amiga dela ligando a cobrar. Aí fiquei puto e falei, tem 2 mil para um Iphone e não tem crédito para o celular???

      Acho que esse tipo de celular, não deveriam ser vendidos em planos pré-pagos, assim como a Nextel já faz com alguns aparelhos.

      • Vinicius

        Meu amigo, isso me deixa p. da vida. O cara tem Iphone, anda de Corollão zero, aí você chama para um churrasco, o cara reclama do rateio de 60,00 por casal mais bebida. Aí, ainda traz Itaipava.

        E o teu outro amigo que tem um carro mais simples ou usado, não reclama, traz 60 Super Bock só para agradar o anfitrião. Esse mesmo amigo viaja todos os anos duas vezes, etc. O outro do Corollão zero, vai para a Maricá e só!

        Esse amigo mesmo, já passou diversas vergonhas. Outro dia aqui no Boto Bar (quem é do Rj, conhece), a conta para quatro casais deu 1.100,00 reais. Só Coruja de 1 litro e tal, petisco. O cara, na hora de pagar, quase infartou. 300,00 conto por casal. Já chamamos duas vezes para ir lá novamente e adivinhem?

        Prioridades. Pior coisa é você chegar no restaurante e se preocupar com o lado direito do cardápio, dentre outras coisas.

        • Exatamente. Até porque existem várias formas de se economizar.

          Por exemplo, vou acabar fazendo a neura de comprar o Malibu (que eu acho lindo o ano/modelo 2012, na qual a seguradora quer 17k na cotação do seguro (tenho o Vectra, mas peguei mais para reforma do que pelo carro em si, mas como estou curtindo, acho que vou ficar um tempinho com ele também… rs).

          Simples, vou pagar 1,4 mil nesses seguros de rastreador que agora cobrem terceiros, aplico os 15,6 mil de diferença do valor e se der o azar de uma colisão, viajo aos “States” e compro as peças do “Prisma” deles… rs…

          • Vinicius

            Ainda faz um passeio! rs

            • Hahaha e ganha um dinheiro na muamba que a galera daqui quer… kkkkk

        • “…o cara reclama do rateio de 60,00 por casal mais bebida…”

          Cara, chama eu para o próximo churrasco?

          • Vinicius

            Pô, Alessandro! Esse valor tá incluído crianças e algum agregado que venha. E dura dois dias, pois tem sempre o enterro dos ossos! uhahuahuahu

  • FFS

    Já comprei carros 0km, depois de ter tido alguns usados….e voltei para os usados. Não tive problemas significativos com nenhum deles, que justificasse o valor pago a mais nos 0km e a perda na desvalorização instantânea. Manutenção preventiva sou eu que faço, não financiei nenhum deles…

  • Ediomar

    Pesquisa furada,cada caso é um caso,eu não gastei isso que estão falando na matéria( R$ 11.184) nem em 2 anos rodando essa KM com o meu carro,e antes que falem que nao cuido do veiculo,ele é mantido a pão de ló como costumam dizer,um jogo de pneus dura 50 mil KM tranquilo se bem mantidos,sempre na calibragem correta e rodizio periódico,faço duas trocas de óleo e filtro ao custo de R$120,00 cada por ano,separando uns R$1000,00 para eventuais paradas não planejadas.

    • Zé Mundico

      Leia de novo e com mais calma. A pesquisa foi feita levando em conta quem roda 10.000 km por ano, uma média bastante razoável para uso urbano. Se voce roda menos, ótimo. Se roda mais, melhor ainda.

      • lightwz

        Furada furada, não é, mas eles chutam beeem por cima..
        Eu tenho um sedan compacto 1.8, rodo 30mil por ano e não gasto nem 10mil por ano.. pago seguro, faço revisões e pneus.. alem de aprox 6mil r$ em combustivel.

  • leitor

    Com carros novos isso é uma questão até aparentemente fácil de resolver. Mas existem carros usados muito bons se considerar como fator a tabela de carros novos. Com os R$30mil de um hatch 1.0 pelado se pode ter um bem melhor com 3 ou 4 anos de uso. E se passar para os mais caros, esses que perdem mais ainda o valor, pode-se adquirir um belo sedan completão que é ainda mais resistente. Corrola ou Civic 2011 ou Golf 2012 na mesma faixa de preço dos 0Km de um Voyage, Prisma, Siena, mais em conta que Fiesta.

    • “Na mesma faixa de preço”…
      Carro não é só valor de aquisição…

      • leitor

        Sim, só se adquire um carro pagando preço. O resto se analisa, o que é mais interessante se é ter um carro novo ou outros atributos.

        • A questão passa longe de ser simplesmente “ter um carro novo”. O que um carro novo representa? Status? Ou tranquilidade? O que daria mais status: Um Gol 1.0 sem ar ou um Fusion 2008?

  • Renan Santana

    e essas fotos dos anos 90?

  • André

    Tem algo errado no cálculo.
    Na primeira tabela o custo médio de propriedade do sedan médio (R$6.840) é menor do que do hatch 1.0 (R$11.184), mesmo que na terceira tabela todos os itens do sedan médio sejam superiores aos do hatch 1.0.

  • Rodrigo

    Algumas conclusões:
    1. Carro (aqui no Brasil) ainda é luxo. Quem não tem condições de manter um, certamente não deveria se aventurar em tê-lo. Numa análise fria, a pessoa que compra um carro para ir trabalhar achando estar fazendo um bom negócio na vdd só está perdendo dinheiro pra satisfazer o ego, já que seria mais viável se usasse o dinheiro para morar mais próximo ao trabalho (seja alugando ou comprando o imóvel).
    2. Carro popular gasta mais. Já experimentei (e constatei por outras pessoas conhecidas) que o famoso 1.0 popular gasta mais. Seja pelo controle de qualidade mais permissivo (pra não dizer inexistente) seja pela forma que o condutor acaba dirigindo para extrair um desempenho minimamente satisfatório. Não são raros os relatos de pessoas que saíram do 1.0 para uma cilindrada maior e acabam gastando o mesmo ou menos.
    Mesmo propulsores aspirados mais novos e modernos ainda sofrem pra extrair um desempenho ótimo em regimes de baixa e média rotações, faixa na qual a economia de combustível é mais evidente.

    • G. Pierin

      O grande problema é que o custo de aquisição inicial de um 1.0 é mais atraente, mesmo que a longo prazo ele desvalorize o mesmo ou mais que o outro. A diferença entre 1.0 e 1.4 ou 1.6 (dependendo da marca) é gritante, chega a uns 6 a 8 mil reais. Assim acaba valendo pegar um seminovo com motor mais forte .

    • “… Carro popular gasta mais. Já experimentei (e constatei por outras pessoas conhecidas) que o famoso 1.0 popular gasta mais. Seja pelo controle de qualidade mais permissivo (pra não dizer inexistente) seja pela forma que o condutor acaba dirigindo para extrair um desempenho minimamente satisfatório…”

      Qual peça de um carro popular duraria menos que a similar de um carro de categoria superior?

      • Rodrigo

        Varias! :D
        No meu caso (um Palio EX 2001 tirado zero), o botão do vidro elétrico quebrava com uma razoável frequência, pelo menos uma vez por ano. No Celta 2008 da minha sobrinha teve que trocar o retentor do câmbio com apenas 12 mil km. E no caso de um Uno Vivace da minha tia foi trocada a embreagem com exatos 7 mil km.
        Todos os casos acima os carros estavam em garantia e não foi coberto, alegando desgaste natural. Logo, no meu universo amostral, a taxa de falhas foi 100%.

        • Seus casos pessoais quando muito permitem uma generalização para sua situação, agora propagar isso como verdade absoluta?
          Quantos carros mais você conhece que teve que trocar embreagem completa com pouca quilometragem? Todos eram populares?
          Já ouviu falar dos discos de freio do Corolla? Se fosse do Fusion durariam mais que 20 mil não é? E aliás, não era o Fusion que teve um lote com problema de câmbio?
          Acha que não tem Focus, Jetta, Civic… Com problema de botão de vidro? E o fato deles falarem que um botão de vidro elétrico e retentor de câmbio são coisas de desgaste natural não me surpreendem. Surpreende vocês aceitarem isso! Fora a embreagem, que ainda assim dá briga boa entrar nesse mérito, nada citado foi desgaste natural. Aliás, lembro de ter visto um problema parecido com Nissan Sentra….

          • Rodrigo

            Pois é, mas eu não estou dizendo que o que escrevi é uma verdade absoluta, muito pelo contrário é só minha opinião e não está baseada em nenhum estudo científico (apenas experiências pessoais).
            Também não estou dizendo que carros de outras categorias sejam inquebráveis, muito pelo contrário também.
            Teorias conspiratórias ou não, mas carros 1.0 populares representam (chutando baixo) cerca de 50% da frota de veículos de passeio nacional, estatisticamente são a base da pirâmide, tanto em termos de faturamento das montadoras quanto em termos de rentabilidade em pós vendo (isso por si só). Você acha mesmo que o Controle de Qualidade vai dedicar a mesma atenção que, como vc citou, um sedã médio (que é mais caro, complexo e tem um público mais exigente)? Até o senso comum parece dizer que não…

            • Eu não disse que o controle de qualidade é o mesmo, eu SEI que o controle de qualidade é o mesmo. Trabalhei 7 anos na área de fornecimento de auto-peças. E sabia que na ocasião um Celta tinha uma tolerância de PPM (Peças por milhão. A GM não só exige que você entregue todas as peças dela dentro das especificações, quando determina o máximo de peças que podem se perder em sua linha de produção) menor que da S10/Blazer?

              • Rodrigo

                Então, Alessandro, você está correto em termo de fabricação, só que não se esqueça que a montadora monta o veículo (com o perdão do pleonasmo, só pra deixar mais evidente). A esse CQ que me refiro… Produzindo mais de 300 carros por dia não me admira que passe um ou alguns B.O.s.
                E sendo do ramo você deve concordar que um erro de montagem pode danificar uma peça boa e comprometer não só seu desempenho quanto a vida útil, concorda?

                • Bem, eu não chamo fabricante de montadora. Quem projetou os motores? Sabe quanto Fiat, GM… Para dizer as mais atrasadas no mercado nacional gastam em pesquisa? Já foi a Betim? Aquele monstro que parece 01 da Matrix você chamaria de “linha de montagem”? Montadora é Foxconn!

                  E não acredite que a diferença está na montagem, mas nos materiais utilizados para o fim proposto. Para ilustrar, o fornecedor de amortecedor de um Fusion não irá receber um pedido “Capricha porque é do Fusion, viu? Do Ka você pode mandar qualquer um”… Tanto que a tolerância da distância das chapas do Gol G5 no seu projeto era inferior ao do Golf, Jetta, Polo, Vento, Bora, Tiguan… Só superior ao do Phaeton. Claro que não significa que era um produto melhor, mas necessitaria maquinário melhor que seus primos ricos.

                  “Então um carro melhor dará menos problemas que um carro de categoria inferior?”. Não. As peças são projetadas visando uma vida útil de acordo com o mercado em que os produtos estão inseridos. Um Fusion tem amortecedores mais fortes que um Ka? Sim, mas carrega peso e potência maiores. Pode ser que o fabricante veja que os concorrentes do Ka trocam os amortecedores com 60 mil e no caso do Fusion os mesmos costumam ser trocados nos 50 mil. Então a resistência do componente será projetada para atender o uso médio analisando os concorrentes e proposta do veículo. Pode ser que aconteça ao contrário. Mas garanto que independente da categoria e preço, as peças são projetadas para ter uma vida útil parecida. Mas fora problemas, eu pedi que me dissesse um componente de desgaste natural que tenha vida útil menor que um carro da categoria superior. A embreagem do Celta dura 7 mil? Não, não é? Então eu não poderia pegar um Cruze que dê problema aos 7 mil e falar que carros populares são mais resistentes. No uso normal qual embreagem irá durar menos, Cruze ou Celta? As duas terão vida úteis iguais ou próximas. Um botão de vidro elétrico não é item de desgaste natural e ter problema não prova que resista menos que de um carro de categoria superior. O que pode acontecer também é que peças mais exigidas dão mais problemas. A maioria dos Fusion’s anda com o ar ligado e vidro fechado. Naturalmente o botão do vidro será menos acionado do que em um carro que não tenha ar. A Ford tinha um problema de resistência da chave do Ka anterior. Ela fez uma chave mais resistente? Não, colocou trava elétrica de série no Ka.

  • Bispo

    Para PTistas credito para consumo é crescimento…… nunca dívida.
    Deviam mudar o numero 13 para 171.

  • Milton Quadros

    Muito bom artigo. Poucas pessoas se atentam para isso, mas tenho norteado minhas aquisições por esse parâmetro, o que me fez adquirir em 2012 um carro de uma montadora com três anos de uso em detrimento do de outra montadora zero quilômetro, mas com os preços iguais. Hoje, três anos depois, a pratica comprovou a teoria, e hoje o veiculo que seria comprado “zero” vale bem menos (30%) do que o que tem agora 6 anos de uso, além de ter tido um custo de propriedade menor mesmo quando retirada a depreciação.

  • Hugo Sousa

    Opa, tem que considerar também a desvalorização do carro e o custo de oportunidade. Com títulos públicos pagando 16% ao ano, custa muuuuito mais manter um automóvel por aqui!!!!

  • G. Pierin

    Um dos melhores carros que já tive em termos de custos foi um Uno Sx 1997.
    Adquirido por 8 mil reais há alguns anos atrás, fazia 12 km/l na cidade e uns 16 na estrada (nas ocasiões raras em que andava em uma), não pagava seguro, IPVA era em conta (não lembro se chegava a 300 ou 400 reais), manutenção super barata (com 5oo reais ao ano o carro era mantido 100%) . Custava uns 1000 reais ao ano pra mantê-lo, num pau bravo.

    Hoje tenho um mais velho (Monza GLS 93), sem IPVA, sem seguro, o consumo alto do carro e o conforto acabam se pagando.

    Carro 0km minha mãe tem um, e só de seguro já chegou a pagar quase 2 mil reais. Agora me pergunta se o próximo vai ser 0km….

  • Fábio Alisson

    Já tive hatch compacto, e fui para um sedan médio. Sinceramente não ví grandes diferenças nos custos para se manter o veículo, inclusive no consumo de combustível. Detalhe: o custo das revisões do sedan médio na concessionária é mais barato. Isso sem contar que o conforto, segurança, dirigibilidade muito superior.

  • FocusMan

    Pesquisa mais sem sentido…

    Jä fiz eu mesmo estudo bem melhores.

  • Rafael Kleinert Giovannini

    Tenho um Civic 95 coupe. IPVA = 0 (isento)…. Seguro contra 3º = 400 reais (34 mensais). Gasolina é o único gasto real que tenho com o carro. Valor pago pelo mesmo = 8 mil. Como é bom ser gearhead.