_Destaque Crossovers Lançamentos Peugeot

Peugeot 2008 Crossway será atração no Salão de SP, segundo site

peugeot 2008 crossway 2

Lançado há dois anos no Salão de Paris, o Peugeot 2008 Crossway passará a ser oferecido no mercado brasileiro. Trata-se de uma série especial do crossover compacto, que tem como base a versão de entrada Allure com motor 1.6 aspirado (oferecida por R$ 70,8 mil) e se diferencia do restante da gama por detalhes estéticos e de acabamento.

O 2008 especial vendido lá fora conta com rodas de liga-leve de 17 polegadas com desenho exclusivo, calçadas com pneus de uso misto, e suspensão ligeiramente elevada. No interior, há revestimento em couro e camurça sintética e costuras contrastantes na cor vermelha, sistema de navegação e tapetes com o logotipo da bússola, tratada como tema da variante.

peugeot 2008 crossway 5

A lista de equipamentos também poderá contar com novidades, como retrovisores externos com rebatimento elétrico, itens presentes até então somente nas versões mais caras da linha.

A Peugeot deverá apresentar o novo 2008 Crossway durante o Salão do Automóvel de São Paulo, entre os dias 10 e 20 de novembro.

[Fonte: Jornal do Carro]

Galeria de fotos do Peugeot 2008 Crossway





  • AlemãoMoreira

    Até onde eu sei o 2008 Allure já tem ar digital dual zone.

  • Legal, mas… e a reestilização, quando chegará no Brasil???

    • AlemãoMoreira

      Não deve chegar em breve não, só ano que vem.

      • Jurandir Filho

        Acho que a peugeot deve reestilizar e já apresentar o 1.2thp com AT 6 marchas, se isso ocorrer será meu próximo carro

    • Igor Pricandi

      Quando for tarde.

    • Elizandro Rarvor

      Nas concessionárias vi que tem um acessório que são estas molduras de para-lamas que o novo possui, vi um 2008 do showroom com eles e ficou bem legal, não sei porque não oferecer como item de série, deixou ele mais encorpadinho.

      Se bem que pedem 1750 maledetos instalado.

  • Leonel

    Duas belas novidades seriam a substituição do AT4 por um AT6 e a chegada do 1.2 Puratech. Nesse momento, o AT6 já estaria de bom tamanho.

    • Edson Fernandes

      Pra mim não. Só considero 208 ou 2008 se a versão 1.6 for trocada pelo 1.2 THP com AT6.

      • Leonel

        Então Edson, se eu fosse comprar, seguiria esse caminho também, o que quis salientar é que o mínimo esperado é o AT6.

        • Edson Fernandes

          Sem dúvida. Mas acho que devido a demora, acho que é mais factivel que ela lance logo o motor 1.2 turbinado, por já existir o puretech em nossa terra. Dessa forma ela economiza em custos com apenas um motor (eliminando da gama o 1.6 e poderia eliminar o 1.5 em alguns produtos e lançar o 1.2 amansado turbo ou aumentar a potencia do 1.2 aspirado) e dessa forma todos sairem felizes.

          Minha esperança é essa porque cai como uma luva no que gostaria de ter em um compacto (faltando o ESP apenas).

          • Leonel

            Concordo plenamente. Eu me colocaria como um futuro comprador do 2008 com essa combinação, diga-se de passagem. Seria muito interessante mesmo, como a Citroen fez com o C4L, agora, somente o THP.

    • Gran RS 78

      Pelo que saiu na Quatro Rodas, o 2008 já está usando o cambio automático de seis marchas na versão 1.6 aspirada.

  • José Eduardo D’Acampora Guazzi

    A noticia esta errada. No Brasil a Allure já conta com ar bi-zone.

  • Gustavo73

    Ar-condicionado digital dual-zone o 2008 já tem de série. Suspensão elevada também são 200 mm do solo um dos mais alda categoria. A diferença parece ser as rodas 17″ nem a THP tem e o acabamento interno que parece ser igual aos da versão top Griffe.

    • A Griffe não conta com esses bancos em camurça.

      • Gustavo73

        Verdade é couro e tecido.

  • pedro rt

    geralmente qdo começa a aparecer series especiais de um determinado modelo e sinal de q ele vai passar por uma reestilizacao ou ganhar uma nova geracao

    • Gran RS 78

      Nem sempre, o HB20 Ocean está aí para provar isso.

    • Gustavo73

      Facelift provavelmente o mesmo que recebeu na Europa.

  • DTF

    Essas rodas maiores, o cambio automatico de 6 marchas para o motor 1.6 turbo e a reestilização recente, qu eo deixou bem mais belo, são fundamentais para o 2008 ocupar o seu espaço no país…

  • Felix Sehnem

    Esse e um carro lindo.

  • carroair30

    A PSA é igual ao Rubinho (amigo meu aqui do predio) tenta,tenta e nunca chega a liderar nada…..

    • Raphael Pereira

      Ate porque, por enquanto esta nao é a estrategia do Grupo.

  • Debraido

    Não esperem nada parecido com o Europeu. Eu apostaria nas mesma rodas do “novo” 308 argentino. Nos bancos nada parecido com os da foto, com exceção ao logo nos bancos. Os da foto possuem Isofix e sistema de rebatimento aos moldes da Honda, onde se forma uma plataforma plana quando rebatidos. Nada disso é oferecido aqui, seria uma grande evolução caso trouxessem esses itens que, para uma carro que vende praticidade, são essenciais.

  • Mr. On The Road 77

    Acho difícil que venham esses bancos traseiros. São totalmente diferentes da versão brasileira: rebatem totalmente e têm isofix.

  • Marcos Roza

    A Peugeot tinha tudo pra fazer esse carro enplacar em vendas.

    • Um câmbio automático de 6 marchas para toda a linha já seria um ótimo empurrão. Uma versão sedã do 208 com cuidado no design do porta-malas também teria potencial para emplacar boas vendas, em minha opinião. Só não pode é fazer como fizeram com o 206 Passion, tentando aproveitar até as lanternas do hatch: ai não há designer que dê conta de fazer algo de bom gosto visual.

      • Edson Fernandes

        Para isso existe o 301 que inexplicavelmente a besta da fabricante não trouxe. E perde um filão de mercado.

        • Olhando pelo que vendem Prisma, Ka+, Voyage, Etios sedã, os dois Sienas e o Logan, dá pra ver o tamanho da falha de estratégia que é não ter um sedã compacto em seu line-up. A VW viu o tamanho da burrada que foi ter tirado o Voyage de linha entre a segunda e a quinta geração da família Gol.
          Problema é que fizeram um arremedo com o Passion, partindo-se da premissa do compartilhamento total de peças com o hatch. Aí fizeram um desenho que permitisse aproveitar portas, lanternas e vidro traseiro do 206 original e criaram um “frankstein” difícil de ser assimilado pelo mercado. Fazem a burrada, são premiados com um resultado negativo e acabam chegando a uma conclusão errônea de que não compensaria investir no filão. Tenho a impressão que seria possível gerar um belo sedã do 208.

          • Edson Fernandes

            Mas o que eu penso é… se vc já tem o 301 que inclusive foi feito para paises emergentes, qual a necessidad ede se tirar do 208 um sedan? Não tenho duvidas que seria bonito, mas o 301 já atende a isso.

            E apesar de tudo, não deve muita coisa para o proprio 208.

            • Vinicius Vasques

              Edson, eu tenho um 208 e já aluguei o 301 e ele deve muito ao 208, tanto que custa mais barato que o 208 onde é vendido. O acabamento está para o padrão, Renault e Ford. Quadro de instrumentos lembra muito o 207. O que ele tem de legal é adotar a mesma cara do 508, que era um #$% carro.

              • Edson Fernandes

                Então, mas se encaixaria perfeitamente no nosso mercado. Seria um rival a se considerar.

                • Vinicius Vasques

                  Sim, mas se encaixaria na prateleira de baixo pra brigar contra Etios Sedan, Ka+, Siena, Prisma, mas sem trazer os diferenciais que fazem o 208 ser interessante por exemplo.

                  • Edson Fernandes

                    Sem duvida. Mas essa é a ideia. Como por exemplo… o Grand Siena, Cobalt e Versa… tirando o espaço interno, qual o outro diferencial perante esses citados? Nenhum.

                    Ou seja, há espaço para ele também.

            • O 301 é um carro com a proposta do Logan, Cobalt e Grand Siena: um sedã médio com acabamento nível de acabamento dos compactos. Bom, seria sim uma opção, já que é construído sobre a plataforma do 208. Só acho que a Peugeot vai pensar muitas vezes antes de trazê-lo para cá com uma expectativa de volume de vendas que sem dúvidas será baixa.
              Um sedã com a mesma cara do 208 resolveria em parte esse problema do compartilhamento de peças, reduzindo muito custos de produção.

              • Jurandir Filho

                Acho que um investimento com a “cara” do 208 não valeria a pena, poderia trazê-lo do jeito que tá, com o nome 301 e tudo, ele não é fabricado na Argentina? é só trazer, a peugeot não gastaria um centavo a mais…
                A propósito, em janeiro vi um em gramado-RS, placa do uruguai, achei bem bacana, acho que faria sucesso por essas bandas

                • Vindo da Argentina, sem dúvidas que é uma ótima opção.

                  • Jurandir Filho

                    Pois é, não dá pra entender a Dona Peugeot

              • Edson Fernandes

                Só um detalhe: São sedans compactos esticados para dar essa impressão de espaço de médio.

        • Gustavo73

          Na terra dos sedans compactos realmente não dá para entender essa decisão.

          • Debraido

            É a mesma questão da Volks e FIAT sem crossover compacto.

            • Gustavo73

              O 301 foi lançado em 2012 chegou a ser cogitado para ser feito aqui e acabou não vindo. Usando a base do 208 não dá para entender a escolha da PSA. A Fiat tem o 500X na Europa que divide a base com o Renegade. A Fiat poderia lançar ele aqui. Mas a Toro vendendo bem deve suprir isso no grupo. A VWB não tem escolha tem que esperar o crossover compacto ficar pronto na Europa. Deve aparecer agora em São José ou Paris a Audi já tem sua versão.

              • fofis

                Trabalhei neste projeto na época, e o argumento foi que para um carro de baixo custo que era a proposta original dele, ele sairia muito caro para nosso mercado. Incrivel como a PSA gosta de desperdiçar oportunidades, não enxergando o mercado. O que mais me espanta é como a PSA mantem como CEO na AL o mesmo cara que a levou a perder quase todo sua participação, não melhorando do jeito que deveria sua rede concessionaria dentre outros erros…

        • oscar.fr

          O mais triste de tudo é ver o litoral catarinense e gaúcho repleto de 301 no verão, um carro muito bonito que a Peugeot poderia ter tranquilamente vendido aqui, nem precisava cobrar menos que o 208, como é em outros mercados, aqui ele venderia mesmo custando mais (a única mudança em relação ao europeu, seria a obrigação de ter uma central multimídia).

      • Samuka Sam

        Será que uma mudança de câmbio ajudaria nas vendas, eu que não, pois o 408 e 308 quando possuía a caixa automática de 4 velocidades não vendia bem e o povo reclamava, e aí a Peugeot colocou uma de 6 velocidades e não melhorou nada. O Etios usa uma caixa de câmbio automática de 4 velocidades e ninguém reclama por ela estar ultrapassada por ter somente essa quantidade de velocidades.

        • Problema da caixa de 4 marchas da PSA nem é tanto sua obsolência (Renault e Toyota ainda usam câmbios com número reduzido de relações), e sim a péssima fama que ela fez ao longo da década passada.
          Concordo que o componente “preconceito” pesa, mas o produto 208 já tem uma aceitação bem positiva no mercado, o que é bem diferente do produto 408.
          Bem, o grau de eficiência da adoção de um câmbio de 6 marchas nas vendas é bastante incerto no caso da Peugeot, mas por certo que mal não faria. O 2008 Griffe THP mesmo é um bom produto, mas com câmbio exclusivamente manual perde qualquer apelo. Modelo de quase 85 mil reais e câmbio manual não tem mercado, mesmo que se trate de um excelente carro. Que o diga o Fluence GT turbo que passou entre nós só no catálogo da Renault, porque nas ruas é impossível de se encontrar um.

  • Angelo_RSF

    Este painel do 208/2008 na minha opinião restringe as vendas da linha:

    Embora muito bonito, não é qualquer estatura de motorista que se adapta bem a posição do conjunto de instrumentos em que você os lê por cima do volante.

    Só nesta questão você já perde parte da clientela.

    • Raphael Pereira

      Nada aver

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      É pra isso que há regulagem de altura do banco e do volante, eu tenho 1,90, minha mulher tem 1,63, compartilhamos o mesmo 208 e ela enxerga perfeitamente os instrumentos e a rua.
      Esse conjunto é ótimo, agora eu estranho ter que olhar pra baixo no vão do volante pra ver a velocidade quando dirijo outros carros, vc tira o olho da estrada.

      • Angelo_RSF

        É…a questão é se todo mundo gosta do banco abaixado de tudo ou levantado de tudo…Legal seu depoimento, pois em várias publicações sempre foi colocada a questão de nem todo mundo se adaptar com este painel.

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Eu gosto de uma posição mais reta de dirigir, deixo o banco com encosto mais reto e a altura fica no meio, com um espaço suficiente da minha cabeça pro teto, pra não ficar ruim pra esposa eu baixo o volante, e trago mais para perto tb, eu gosto de dirigir com o banco mais afastado do volante e posso esticar as pernas, pra ela é só puxar o banco pra frente.

  • Diego Leonan

    o carro é bonito mais a suspensão baixa e essas rodas pequenas não me chamam a atenção o mesmo digo do fiat toro…

    • Gustavo73

      Suspensão baixa?

    • alexandre

      Vc quis dizer suspensão alta, não?

  • Igor Pricandi

    O 2008 é bonitinho, super bem acabado, mas peca no seu AT4 que faz o 1.6 ficar barulhento e beberrão. E quanto mais retardar um AT6 mais queima o carro. Esperar para oferecer o AT6 com o puretech turbo e facelift será tarde. Não só haverão mais concorrentes, como o carro já estará queimado no mercado. O mesmo vale pro 208. Uma versão THP com AT6 seria matadora. Outra mancada nessa versão Crossway é que o acabamento interno será superior ao da THP, vai entender. A peugeot não tem problemas para enfrentar a concorrência, ela tem problemas para tomar decisões adequadas ao mercado. O 207 vendeu bem, assim como o C3 quando tiham um diferencial de mercado que os colocava a frente dos compactos prêmios e tinham preço. Hoje são carros bem acabados e atrasados tecnologicamente a exceção do puretech 1.2 e do THP. Mas é aquele negócio, sempre falta algo, e algo importante. Não baste sem bonito, tem que ter conteúdo.

    • Gustavo73

      Nem acho que falte conteúdo. Principalmente o 2008 é bem equipado de série. Mas é aquela história, se fosse o queridinho do público a ausência d algum item seria relevada. Mas como não é vai sempre faltar algo.

    • Tomtilt

      Está longe de ser beberrão. Perto do Renegado EPORQ com as tão aclamadas seis marchas o 2008 AT parece um híbrido.

  • Duh

    Tem que por o AT6 isso sim e deixar ESP de série.

  • Diego Ávila Monteiro

    Câmbio AT6 e motor turbo por esse preço ia vender muito bem.

  • pedro

    Deveriam aproveitar e acrescentar o motor 1.2 e o AT. Apesar que o interior também merece materiais de mais qualidade, assim como câmera de ré de verdade.

  • Junior

    Seria bem melhor com o 1.2 turbo né peugeot, parece que vcs não aprendem.

  • RKK

    A roda de liga melhorou seu desenho, porém se não vier com o câmbio automático EAT6 permanecerá como mico nas concessionárias.

  • cepereira2006

    E a pergunta que não quer calar: caparam o reforço lateral dele também?

  • oscar.fr

    Pessoal reclama da falta de um automático de quatro marchas, mas economia e desempenho não parecem ser coisas importantes para o consumidor de SUV compactos, a julgar o sucesso do Renegade 1.8. O que adianta ser seis marchas se consegue consumir mais e ter desempenho pior que o 2008 4 marchas? 2008 poderia ser apenas um pouco mais barato, no mais não deve nada em relação aos concorrentes e não vende pois não caiu no gosto (talvez por ser o que disfarça menos que deriva de um compacto..)

  • Tomtilt

    Estou EXTREMAMENTE satisfeito com meu 2008 Griffe AT4. Tão satisfeito que, se hoje, fosse necessário comprar outro carro do segmento agora, eu iria novamente de 2008.
    Claro que um câmbio mais moderno seria excelente mas o que ele tem está muito longe de ser um lixo, como muitos falam. É normal, sem nada de especial, mas atende perfeitamente a qualquer consumidor, mesmo os que já tiveram contato com câmbios muito mais modernos. Um porém é apenas para o modo Eco, que realmente cumpre o que propõe, que é deixá-lo mais econômico, mas que insiste sempre em trocar as marchas para uma mais alta e as vezes não entende quando se precisa de mais força. No modo normal, uso tranquilo.
    Falando em consumo, com alternativas extremamente beberronas no mercado e que ainda vendem muito bem, não pode-se falar que esse aspecto é um ponto negativo do 2008 AT. O Renegade 1.8 é vergonhoso nisso. Perto do que meu antigo carro consumia, um Idea Adventure com peso próximo e o mesmo motor do Renegade que não fazia mais que 7km/l na cidade, sem ar e andando feito “moça que acabou de tirar a CNH”, porque se fosse pra pisar mais um pouco isso caía drasticamente, o 2008 é um híbrido, como eu brinco.
    Dois são os motivos de o 2008 não ter emplacado como queridinho do segmento, apesar de que ele vende o que a PUG projetava e o planejamento atual da marca não é vender grandes volumes e focar mais na experiência do consumidor (e tem conseguido me causar uma impressão bastante boa): ele é um francês (brasileiro ainda tem, INEXPLICAVELMENTE, preconceito com carros franceses; e ele é um carro “baixo”, não na altura livre do solo, mas na carroceria – é bem mais baixo que os outros “carros altinhos” que o povão tanto gosta e se assemelha mais em estilo a uma perua do 208 do que a um simulacro de SUV feito para quem quer chegar no shopping nas alturas mas que vai tão longe no fora de estrada quanto o 2008.
    Tem seus poréns? Tem. Não gosto da falta de abertura interna do tanque, um mal dos Peugeots, do botão de acionamento do forro do teto que poderia ser um toque, da central multimídia que não pode ser desligada com o carro ligado, apenas apagada e da falta de apoio de braço dianteiro, mas suas qualidades, para mim, fazem cada centavo ter valido a pena, ainda mais depois que eu analisei todos os concorrentes e não consegui pagar a mesma coisa por um concorrente bem mais pelado e com acabamento pior.

  • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Nenhuma versão do 2008 tem rebatimento elétrico de retrovisor, nem “as mais caras” como diz a matéria…



Send this to friend