Peugeot Citroën comemora 15 anos de produção no Brasil

01/02/2016

PSA_15anos

A PSA Peugeot Citroën está comemorando 15 anos de produção no Brasil. A empresa francesa começou a fabricar carros no país a partir de 1 de fevereiro de 2001 em Porto Real/RJ.

A fábrica franco-fluminense começou fazendo os modelos Peugeot 206 e Citroën Xsara Picasso. De lá para cá, a planta produziu um total de 1,3 milhão de veículos e 1,8 milhão de motores. A PSA investiu R$ 30 milhões em um laboratório de emissões dentro da instalação.

Atualmente, a PSA fabrica em Porto Real os modelos Peugeot 208 e 2008, bem como os Citroën C3 e Aircross. Recentemente, foram investidos R$ 550 milhões para o lançamento dos modelos 2008 e Novo Aircross.









  • zekinha71

    Tem uns manés que até hj acham que C3 é importado.
    Pouco tempo atrás li a reclamação de um ex proprietário de C3 reclamando um monte do carro e que nunca mais ia comprar outro importado.
    Se o cara não sabe nem de onde vem o carro dele (sinal que nunca olhou o documento do carro) como sabe que se o carro presta.

    • Tosoobservando

      Deve ser por isso que a Hyundai chamou o HB20 com esse nome, em vez de i20, como la fora, e enfatizava sempre nas propagandas que ele era nacional.

      • fbl

        ate pq o i20 é realmente outro carro, melhor tecnicamente que o hb20, que é um projeto mais simples para rodar basicamente no Brasil.

    • A PSA tambem nem se esforça. Fica fazendo comerciais com aquele slogan na lingua francesa. Até parece que isso dá algum status. Coisa mais brega.

      • Cara, e os “find new roads” ou “das auto” da vida? E são só alguns exemplos, e ninguém acha que o Onix é fabricado nos EUA ou que o Gol vem da Alemanha (até pelo contrário, tem um fuá de pessoas que jurava de pé junto que o Jetta mexicano era feito aqui no Brasil).
        Todas as montadoras reforçam as suas origens em suas propagandas. Acho que não é muito por aí, não.

        • João Cagnoni

          O problema não é a escolha de um comprador, é essa crença nas marcas populares. Muita gente nem considera um PSA, nem ao menos se informam se essa questão da manutenção e pós-venda é real, não fazem nem um test drive gratuito. O engraçado é que eu tinha esse pensamento, e hoje tenho um Citroen. Nenhum arrependimento, muito pelo contrário, é um carro excelente. Mas se eu for trocar, não vou de olhos fechados pra outro Citroen, vou reavaliar a situação do mercado em todas as marcas.

        • Clovislauro

          Gosto do “Go further”, mas desde que não seja com Powershift, rsrsrs

          • pedro rt

            ja eu gosto da rival “FIND NEW ROADS”

            • Lima Informática

              Tenho um “Passion for life”

        • André

          Ubaldir, lembro que há muito tempo, concluímos que tínhamos o mesmo carro, um Jetta 2.0 Flex, aquele que todos metem o pau, mas ainda é um ótimo carro. Sei que voce já trocou o seu e agora é a minha vez. Sempre achei que ia seguir a sua escolha, mas agora com o lançamento do Jetta 1.4 TSI, fiquei bem em dúvida, Civic e Cruze com turbo não vou esperar porque virão com preço nas alturas. Rigorosamente não teria motivo para trocar de marca, uma vez que o meu Jetta está quase com 200mil Km sem ter tido nenhuma dor de cabeça, gosto muito dele. O novo seria o mesmo carro que já gosto, apenas com a melhoria do motor, apesar de deixar de ser flex. Mas enfim, o seu é um belo carro também, não tenho dúvida disso, o fato de ser francês, não me incomoda em nada, já tenho um em casa, que eu não curto muito, exclusivamente por ter aquele cambio CVT chato.
          O que voce me diz?

          • André, quando eu fui trocar o carro tinha muitas esperanças de que a VW lançasse o Jetta com motor 1.4 TSI por aquelas épocas. Se tivesse lançado, confesso que dificilmente teria me decidido pela troca de marca, já que tive um ótimo relacionamento com os carros dela. Mas, como isso ocorreu a quase 2 anos atrás, e na época ficou claro que a montadora alemã não providenciaria a troca do motor aspirado tão cedo, me recusei a pagar mais por um Jetta Comfortline aspirado que por um C4 Lounge Exclusive THP. Era isso, se eu fosse colocar todos os opcionais para aproximar o Jetta do pacote do C4 (ainda ficaria devendo dois airbags, sensores de presença lateral, saídas de ar dedicadas para os bancos traseiros e um banco de couro de verdade), eu pagaria uns 5 mil a mais pelo VW. Se fosse para a versão highline, para equipá-la de forma a equipará-la ao Lounge, seria um desembolso de cerca de 105 mil, o que seria 15 mil a mais que o que me pediram pelo Lounge. Aí não tive dúvidas, fui de Citroen.
            Bom, são quase 30 mil km rodados, e o carro está em grande forma. Nada muito diferente do que o que tive no Jetta. Mesmo as revisões (caras) são em valores compatíveis com os que eu desembolsava no caso do VW.
            De diferente mesmo, só o gasto dos pneus, que foi rápido: troquei dois com 27 mik km (a despeito de o gasto ter sido perfeitamente regular), e os outros dois vão demandar troca por vota dos 30 mil. Mas isso é mais fruto da força de tração do carro. Tínhamos um Jetta turbinado na empresa que demandou troca dos 4 pneus logo após passar dos 20 mil km. Os do Jetta aspirado troquei com 37 mil km (os 4), se não me falha a memória.
            No mais, minhas queixas mais ferrenhas ao C4 estão no consumo (7 km/l na cidade e 12 km/l na estrada – os do Jetta ficavam em 8 e 12 respectivamente, sempre na gasolina – esperava mais do motor downsizing do C4) e ao sistema de direção eletrohidráulica. Não que atrapalhe a estabilidade do carro, mas esse sistema é reconhecidamente pouco preciso, parece carecer de um amortecimento de direção mais eficiente, o volante “dança” muito em suas mãos para um lado e para o outro ao se passar em irregularidades, o que passa uma sensação que não é boa, em especial em rodovias com alguma irregularidade. O tamanho exagerado da peça também não é o que se pode chamar de agradável quando o assunto é agilidade na direção. Espalhar o sistema elétrico do 208 para o restante da linha seria uma ótima pedida. O carrinho dá show no quesito direção nos irmãos maiores. Acho que nunca dirigi nada mais divertido em termos de direção que o 208.
            No mais, o acabamento interior do C4 repassa muito mais aconchego que o do Jetta. Visualmente é bem mais agradável e passa uma sensação superior de requinte.
            Quanto ao atendimento em concessionárias, até agora foi pacífico. Até me impressionei com algumas gentilezas que providenciaram.
            A primeira foi quando deram um “totó” na traseira do meu carro em uma faixa de pedestres, o que acabou por quebrar um dos sensores de estacionamento, desligando o sistema. Levei o carro na concessionária e trocaram o aparato em garantia, mesmo com eu relatando que se tratou de um acidente.
            Na segunda, tive que fazer a primeira troca de bateria esses dias (durou mais ou menos o que durou a do meu Jetta), sendo que pesquisei o preço na concessionária e no mercado. O resultado foi óbvio: 500 reais de diferença ($880 contra $380) para a compra em lojas especializadas, que aceitavam a antiga na base de troca. Problema é que a loja especializada não tinha know-how para fazer a troca no Lounge THP, que tem um volume plástico na frente da bateria por onde se aspira ar. Tive que acabar levando na concessionária para a troca. Só que para a minha surpresa, me atenderam rapidinho na hora do almoço, sem agendamento e não me cobraram o serviço. Sinceramente, achei que iriam me cobrar a diferença entre as duas compras… rs.
            As revisões foram ok, acionei a garantia por um batido no amortecedor dianteiro direito que passou a ocorrer após a passagem um um “senhor buraco”. Providenciaram a troca do par de amortecedores dianteiros, sem custo. A chegada das peças demorou um pouco, mas como o carro não estava mobilizado, foi só aguentar a “batedeira” na suspensão por esse período, mesmo (60 dias).
            Para a próxima revisão tem um rangidinho bem discreto que escuto ao manobrar o carro em ambientes fechados vindo da frente. Nada mais a relatar.
            Hoje eu confesso que não sei qual seria minha escolha em caso de nova troca. Acho que daria uma boa olhada em uma Golf Variant. No Jetta eu tenho minhas dúvidas, pois pelo que vi a Comfortline com um nível de equipamentos próximos aos do Louge vai beirar os 100 mil reais, e o Golf com sua plataforma MQB está um passo à frente do sedã. Mais iria ficar entre esses aí, dependendo das condições ofertadas: Jetta 1.4, Golf Variant e Lounge. Algo diferente disso para fazer eu pensar em outra coisa só com a chegada dos novos Cruze e Civic, dependendo muito do que vão cobrar em suas versões turbinadas.

            • André

              Ubaldir, agradeço seu relato. Até pensei na Golf Variant, mas as css estão metendo a faca, muitas vezes com ágio. Quase peguei uma com cambio manual que estava abaixo da tabela, mas em casa houveram muitos protestos. Não entendem o prazer de se dirigir um carro manual que tem bom acerto de motor/cambio/suspensão/direção. Só fico de pé atrás com a Variant por causa do DSG, costumo ficar com o carro uns 5 anos e rodar 200mil, não sei se não terei problemas com o cambio. Justamente melhoraram no Jetta o que eu não gostava muito no 2011, agora tem direção elétrica, a antiga era hidráulica e pesada e agora vem com ESP, motor turbo e saídas de ar atrás. Vou esperar Jetta 1.4 chegar de fato nas revendas para ver quanto será a diferença de preço. Que bom ter me alertado da direção do C4, pois de direção imprecisa já me basta a do Fluence que temos. Como antes do Jetta tive Focus, estou “mal” acostumado com boas direções.

              • É, para quem se acostuma com a precisão da direção dos VW (mesmo a hidráulica antiga do Jetta dava ao carro uma pegada muito boa), estranha-se mesmo o modo de ser da direção eletroidráulica do grupo PSA. A posição de dirigir do Jetta também é um show a parte: os bancos muito próximos do assoalho com as pernas saindo em um ângulo bem obtuso em direção aos pedais me agrada muito (no C4 ela é mais tradicional, com o banco mais elevado).
                Tinha me esquecido de falar do ESP, que era uma ausência considerável no Jetta até algum tempo atrás.
                Quanto ao câmbio manual, assino em baixo da sua opinião: meu Jetta era MT, e a diferença de pegada dele com relação à versão automática era fabulosa. Mesmo com o velho 2.0 aspirado, dava pra tirar diversão do carro, o que era impossível com o câmbio automático (como troca de marchas o Jetta 2.0 AT na faixa de velocidade urbana).
                Grande abraço!

            • duduEAS

              Tbm tenho um thp e esperava mais do consumo. Ta fazendo os mesmo 7 , 8 ma cidade.

        • A volks já tem mercado e historia consolidado no Brasil, logo ela faz o que quiser. Nao me interessa o que acham os fissurados em foruns automotivos, e sim a percepção do brasileiro normal. Se a Chery colocar slogan em chines, vai sumir do mapa. kkkkkk Povo do sites automotivos tem que entender que o mercado de automoveis nao é feito por net users. Se nao fosse assim, o Sentra, UP, Sandero RS, seriam lider de vendas.

          • André

            Lucro Brasil, a Citroen nasceu bem antes da VW, nos anos 10 e sempre se caracterizou pela sua criatividade na tecnologia de seus lançamentos. Foi ela que lançou o primeiro carro com tração dianteira (Citroen Traction Avant), suspensão hidropneumática e a direção hidráulica(Citroen DS), carro extremamente barato, confortável e robusto (2CV) e mil outra inovações que agora não vem ao caso nem eu as conheço. Então, o slogan dela faz total sentido, em função de sua história e tradição, muito mais que “find new roads” na chevrolet, alías deveria ser “Keep always the same road, never change” e a VW com a “Das Auto” é uma falácia, ela mesmo admitiu e está mudando para “Think New” (tipo, esquece as merdas que fizemos no passado e pensa de um novo jeito)

            • Tudo isso ai que vc falou aparece no comercial? O pessoal está é comentando que muita gente acha que é importado. Se a marca nao enfatiza, dá nisso.

      • Renato Dias

        Das Auto pode, né?
        Creative Technology, não?
        Beleza, muita coerência.

        • Darlon Anacleto

          Há, boa!

        • A volks já tem mercado e historia consolidado no Brasil, logo faz o que quiser. Nao me interessa coerencia ou o que for, e sim a percepção do brasileiro ao ver. Se a Chery colocar slogan em chines, vai sumir do mapa. kkkkkk

          • Renato Dias

            Palavras de um sábio. A VW faz o que quiser. Tá se dando bem né?

      • arzanette

        e óbvio a companhia e francesa vc queria comercial em língua árabe ? para né …….

    • Ancelmo Henrique

      Pior que tem gente que acredita que o 207 é.

  • Cyro

    Só falta agora reabrir as concessionarias do meu estado.

    • Leandro

      Mas não existe nenhuma concessionária da psa no seu estado????

      • Cyro

        não… fecharam as 3 que tinham…
        hoje se quiser fazer revisão tenho que levar meu carro na citroen…
        ps: Espirito Santo

        • Leandro

          Ah sim, mas pelo menos tem da Citroen, menos mal

        • Lobo

          Não sei se vc é de Vix, mas aquela css que era da Peugeot na Av. Vitória vai virar css Jeep.
          Ou seja, sai uma que tá em ladeira abaixo e entra uma que está em ascensão.

          • marcosgbm

            Abriu uma loja compartilhada Peugeot/Citroen na Serra. Mas pra quem mora em vix não é conveniente levar o carro pra lá quando precisar

        • marcosgbm

          Abriu recentemente uma loja Peugeot/Citroen na Serra, na 101.

        • augusto lino

          Tenho um excelente contato de um ‘peugeologista’ aqui em Vix. O cara era chefe das oficinas Vienne e saca muito. quem for de Vix e quiser o contato, me falei ;)

  • Filipo

    Infelizmente é a única coisa que o grupo PSA pode comemorar no país no momento.

    • Pedro Rocha

      Melhor garantir e comemorar 15 anos, já que não se sabe se chegam aos 20…

    • pedro rt

      vc se esqueçeu q o 1° carro a rodar no país foi um PEUGEOT

      • Filipo

        E qual a relação da importação por Santos Dumont de um Peugeot, com o que eu disse sobre o momento do grupo PSA no país?

        • duduEAS

          Deve ser os tóxico

  • Gambaleão O Camaleão Daltônico

    Do jeito que anda duvido que chegue aos 16…

    • João Cagnoni

      No Brasil talvez não, mas lá fora estão vendendo bem.

      • Pedro Rocha

        Na França, diga-se, já que até na Argentina, onde a Peugeot está para eles como a VW está para o Brasil, a marca está perdendo market share.
        Perda merecida por sinal, já que os franceses tratam o mercado latino-americano como as demais marcas faziam antes da chegada dos japoneses: empurrando refugos do 1º mundo.

  • celso

    Comemora 15 anos de fiasco no país. Isso sim.

  • Darlon Anacleto

    Os argentinos, neste ano especialmente, tomaram conta das praias aqui de SC e, disparado, a marca de carro que mais de vê, é justamente Peugeot. O volume de 207, 308 e 408 é absurdo! Lá vende muito bem.

  • Felipe

    É… Quatro modelos que vendem relativamente pouco por aqui. (Boa) Parte da produção deve ter a exportação como destino.

    • Newton Freitas

      Lembro que a psa aqui no brasil exportava grandes quantias para a Argentina e Uruguai. Mas como a Argentina esta em crise a demanda diminuiu e como aqui no Brasil eles não vendem em altas quantias. A empresa fica com uma certa crise.
      Fechar a fábrica no brasil seria mais caro que abrir uma fabrica.

      • Felipe

        O cenário tende a mudar com a chegada do Macri à presidência dos hermanos. Como o Darlon disse, os hermanos já voltaram a frequentar em peso as praias brasileiras em SC com seus 207, 308 e 408…

        • Newton Freitas

          Verdade parece que o macri tá fazendo um bom trabalho.

    • pedro rt

      o 208 e 2008 mereciam vender muito mais do q vendem no brasil

  • Chicão ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    2 anos atrás, na minha cidade tinha 3 css da pug.
    Hoje só tem 1 css que funciona junto com uma da Citroen.
    Mas se eles querem comemorar, faz o que…

  • Não tem muito o que comemorar.
    Não mostrou a que veio até hoje, e a participação está cada vez menor.

    • Pedro Rocha

      Começaram bem (trazendo carros importados com padrão europeu), mas aprenderam mal (tropicalizações e venda de produtos defasados).
      Enquanto as tais “4G” estão atualizando seus modelos no Brasil (em maior ou menor velocidade), os franceses ainda estão usando uma política atrasada de empurrar produtos obsoletos ou de 2ª linha na América do Sul, por isso a PSA perde market share e a Oroch baixou para menos de 1000 unidades/mês depois do “fator novidade”.

  • Fernando S.

    Carro francês? Só pra quem não tem muito apreço ao dinheiro. Pior que francês, só Chinês… Aí sim o cara é completamente fora da casinha

    Obs -> e que venham as pedras

    • João Cagnoni

      Concordo na questão da revenda, pois o carro perde mais valor acima da média. Quanto ao restante, é uma excelente marca. Tenho um e não me arrependo.

      • Fernando S.

        É nesse ponto q toco, mas sabia q ia me colocar em meio a pedras. Não duvido q sejam bons carros, apenas acrescento q eles precisam ser mais baratos q os rivais pois todo mundo uma hora vai querer vender e é sempre ruim perder ainda mais dinheiro. Abraço

        • Felipe S. Rangel

          Vou ser sincero: Tive 05 PSA. Na época eram modernos, com muita tecnologia e achava que acabamento e mimos compensavam o sacrifício de ter que lidar um pós-venda complicado e dificuldades de revenda, liquidez e desvalorização. Precisei cair para um carro de entrada de outra marca e descobri a concorrência estava acompanhando as evoluções do mercado e, por fim, acho que hoje tem carros com nível de tecnologia, acabamento e recursos próximos, mas sem doer demais na revenda ou na manutenção. Hoje, não sei voltaria a ter um PSA, apesar de achar que são bons carros.

          • Fernando S.

            Bom relato, Felipe. Acho q é isso q tentei explanar, mas q poder ter parecido agressivo a quem leu. A revenda precisa ser levada em conta, assim como o conforto. Não deixaria de comprar um Sandero 1.6 completo em detrimento de um carro 1.0 de outra marca no mesmo valor, jamais. Mas provavelmente trocaria por um 1.6 da concorrência (leia-se 4 grandes + HB20) se estiver no mesmo patamar

            • Felipe S. Rangel

              Exatamente! A PSA evolui pouco e deveria oferecer mais para poder competir de maneira mais agressiva. São bons, mas não são os melhores. Até hoje, o melhor carro que tive foi um C4 com tudo a que tinha direito. Mas era um carro de R$ 70.000 que hoje vale R$ 35.000,00 e poucos querem, apesar de ser excelente. Isso precisa entrar na conta, assim como os itens de série. Tentei comprar um 208 antes de adquirir um Onix, mas a negociação não foi boa. O relato de problemas são muitos e, de lá pra cá, nem concessionária existe mais no meu estado. Nesse mesmo período não tive qualquer dor de cabeças com o chevrolet, o pós-venda é melhor, o carro se tornou lider de vendas, tem concessionária na minha cidade (no interior do ES), tem boa liquidez e é o que apresenta menor índice de desvalorização. Será que eu tentaria ainda comprar um 208? Teria que compensar muito, mas nem um cambio automático compatível com a concorrência a PSA oferece para essa categoria…

              • Paulo

                Sua colocação é interessante. Você ponderou os pros e contras e fez a escolha que melhor lhe convêm. So não acho acertado um consumidor que todas as opções e possibilidades fechar a cabeça e levantar critérios que não são tao significativos, principalmente quando falamos de bem de consumo.

                • Felipe S. Rangel

                  Verdade, por isso, em cada momento de compra vale uma avaliação das opções sem preconceitos. Talvez teria outro PSA, quando achar muito vantajoso.

              • pedro rt

                tmb acho o onix uma otima compra, tao boa qto o etios e hb20, mas ha de se concordar q o 208 e um carro superior ao onix, fiz hj uma pesquisa e vi q o 208 tem um valor de revenda melhor q o onix

                • Felipe S. Rangel

                  Mas o 208 é bem mais caro que o Onix, por exemplo, nas versão Top que,
                  claro, apresenta muito mais itens e é sim um carro de categoria
                  superior. Na época, comprei um Onix por quase R$ 16.000 a menos. O
                  negócio é a liquidez que pode fazer com que a venda seja por valores
                  abaixo da média pesquisada. Moro numa cidade de interior onde há poucos
                  Peugeot e atualmente não há concessionária no estado. Durante muito
                  tempo só havia 01 único Peugeot 206 Moonlight e 01 único 206 Allure, que
                  por acaso, foram os meus. Então, aqui, muitos torcem o nariz. E veja
                  que teimei e tive 05 PSA…

              • duduEAS

                Peugeot so compensa usado. O segredo é comprar barato pra quandofor vender vende barato. Isso q eu fiz.

            • pedro rt

              pesquisei hj o valor de revenda de um 208 assim q ele sai da css e ele tem um valor de revenda melhor q o punto, sandero, onix, etios, march, new fiesta, gol, palio… so perdeu do hb20

              • Felipe S. Rangel

                Mas o 208 é bem mais caro que o Onix, por exemplo, nas versão Top que, claro, apresenta muito mais itens e é sim um carro de categoria superior. Na época, comprei um Onix por quase R$ 16.000 a menos. O negócio é a liquidez que pode fazer com que a venda seja por valores abaixo da média pesquisada. Moro numa cidade de interior onde há poucos Peugeot e atualmente não há concessionária no estado. Durante muito tempo só havia 01 único Peugeot 206 Moonlight e 01 único 206 Allure, que por acaso, foram os meus. Então, aqui, muitos torcem o nariz. E veja que teimei e tive 05 PSA.

              • Fernando S.

                Tem valor melhor de tabela, se vai conseguir vender são outros 500. Meu pai anunciou um Palio 1.4 e vendeu em 4 dias pelo valor de tabela na OLX

        • Paulo

          Entendo seu pensamento. Contundo carro na grande maioria dos carros é um bem de consumo. O valor de revenda não era para ser critério de escolha. Considere que adquiriu um carro usou por 3 anos rodou 150 mil km não vejo valor de revenda como ponto importante.

        • Rude Voleur

          Antigamente, minha filosofia era “eu compro o carro pra mim, não pros outros”. Eu não pensava no fator revenda, até que os preços dos carros dispararam e agora a gente precisa contar os centavos e esticar o máximo o preço na hora de revender. No momento, não compraria um PSA 0km justamente pelo fator revenda

    • Darlon Anacleto

      Tenho um 307 (antes um 206 sw) e acabou de vir da revisão, já que a última foi há quase 3 anos. Só gastei com o trivial, sem sustos. Uma bieleta e uma bucha trocados e voltou a ser aquele carro super silencioso de sempre. Devo trocar por um 308 em breve, me habituei à marca, outra não rola.

      • Fernando S.

        Como disse anteriormente, se cuidar bem, dura. Disso eu não duvido. Só bato na tecla de revenda pq é ruim de revender, mas não duvido q seja um carro bom. Abraço

        • Felipe

          “Se cuidar bem, dura.”
          Ora, mas isto vale para qualquer carro.
          Desde os chineses (com algumas ressalvas) até os japoneses, inclusive aqueles que muitos classificam como “inquebráveis”. Vale para os alemães, entre eles o “The very best!” e americanos também.
          São tão carros como qualquer outro carro vendido no Brasil, com exceção a alguns chineses. No mais, na revenda, alguns carros de marcas mais “novas” e até outros de marcas mais tradicionais também se perde.
          Falo por conhecimento de causa: Tive um C4 VTR e um 308.
          Reclamam do pós venda: Há pós vendas bons e ruins, como em qualquer marca. Uma ressalva pra Honda, que é muito elogiada.
          Reclamam da manutenção cara: Outro ponto questionável… A única coisa que troquei fora do trivial, foi uma máquina de acionamento do vidro elétrico no 308, que me custou um pouco mais caro que uma máquina do Bravo, mas um pouco mais barato que uma máquina do Focus e do Golf (perguntei valores de máquinas de carros de outras marcas só pra desencargo). De resto, tudo sempre dentro da média de valores para hatches médios. Na cesta de peças, só filtros, luzes, fuzíveis, buchas e o óleo. Não tenho conhecimento de causa pra falar de peças fora da “cesta básica”.
          Reclamam da desvalorização na revenda: Não é um degrau… mas não é um abismo comparado às outras marcas. Dá pra revender bem. Não é como revender um popular, cujo segmento tem uma liquidez muito maior. Mas não é nada exorbitante. Normalmente os proprietários baixam o valor pra vender mais depressa. Eu, como não a tive, vendi muito bem os dois PSA que passaram pela garagem de casa.

          • Tosoobservando

            O problema é que tem pouquissimas concessionarias PUG e Citroen!

            • Felipe

              Essa reduzida no número de autorizadas só fez queimar ainda mais o filme da PSA. Dizem que agora, ao menos depois dos descredenciamentos, o atendimento das que restaram melhorou.

        • pedro rt

          qualquer carro q seguir as revisoes recomendadas DURA a unica excecao no momento sao os chineses q estao melhorando mas ainda vem cheio de defeitos de fabrica, nao os feitos no brasil, mas os importados do uruguai e china… alem dos modelos indianos da mahindra q abandonaram o brasil

      • pedro rt

        sempre gostei dos peugeot mas do trio frances oq sinto mais confiança em comprar sao os RENAULT

    • pedro rt

      discordo, ate q o 206, 207, 208, 307, 308 e o 2008 sao bem procurados no mercado de usados, seminovos e 0km ja entre os citroen somente o c3 e aircross

    • Aristeu Junior

      Se não quer perder dinheiro em desvalorização, compre carro usado.
      Compare o preço de um Fiesta com o de um 208, ambos com 3 anos de uso. Será mesmo que o Peugeot perdeu tanto valor se comparado com Ford?
      Será que o Civic e CRV não tiveram desvalorização?
      Claro que tem exceções, como o 407 que despencou de mais de 100 mil reais pra menos de 40 mil reais em 4 anos, assim como tem o EOS da VW que desvalorizou quase nada nos últimos anos.

  • Fernando

    O marketing, pós vendas e promoções que a Hyundai vem fazendo desde 2010 ou pouco antes com seus i30 e Azera, os melhores carros do mundo, a PSA nunca fez com suas marcas e carros. Tantos anos no mercado brasileiro e nao sabe fazer um trabalho eficiente de pós venda e retenção de cliente.

    No caso da Peugeot, o caso é pior ainda. Há diversos relatos por ai falando bem do carro, mas pós venda, manutenção e outras coisas com serviços a desejar.

    Até sonhava com um 208, belo carro, belo preço, mas tantas reclamações desses pontos que citei que… passo!

  • Leonardo Teixeira

    Parabéns ao grupo, carros seguros, completos e bonitos. Não saio da PSA tão cedo.

  • Marcos Medeiros

    E ae Peugeot como anda o PureTech Flex? Vi em 2012 que a PSA tinha planejado um investimento no Brasil na casa do 500 milhões e nele estava incluso o puretech flex para 2015 e desde lá não ouço mais nada sobre o puretech, alguém sabe de alguma noticia relevante sobre os PureTechs aqui no Brasil?

  • Leandro

    Quando a PSA completou 10 anos, em 2011, contava com 8 modelos em produção. 5 anos depois, apenas 4 modelos. Aos poucos a PSA some do Brasil.

    • Raone

      Some??? PSA não vai deixar o Brasil amigo!

      • Leandro

        O market share do grupo está cada vez menor. Até a Nissan está aumentando seu market share.

        • Renato Dias

          Market share não é sinônimo de lucro. Depende da estratégia.
          Se fosse assim, Mercedes fava ferrada por aqui.

          • Leandro

            Peugeot e Mercedes estão em posições diferentes. A peugeot tem que fazer volume de vendas. Não é uma marca premium como a Mercedes.

            • Renato Dias

              Quem te disse que a Peugeot quer fazer volume? Esse não é a estratégia da Peugeot.

    • Zé Mundico

      Não seja por isso:
      Toyota tem apenas 3 modelos nacionais, Corolla, Hilux e Etios.
      Honda tambem só tem 3 nacionais : Civic, HRV, Fit e City.
      E a Hyundai sobrevive apenas com 1 modelo nacional: o HB20 hatch e sedã, mas no fim das contas é o mesmo carro.

      • Leandro

        Mas a Toyota e a Honda aumentaram seus line up e o grupo PSA reduziu.

        • Zé Mundico

          Reduzir nem sempre significa diminuir. Ter muitos modelos pode até atrapalhar, o melhor é ter uma oferta de modelos enxuta , diferenciada e mais focada.

          • Leandro

            Um cara que vai comprar uma Hilux não é o mesmo que está interessado em um Etios. Quanto mais opções melhor.

      • Romualdo Vieira

        Hilux é importada.
        Hyundai tb tem o Tucson e IX35 nacionais.

  • Raone

    Não vejo a PSA tendo que reduzir carga horaria em suas fabricas para reduzir custos, nem vejo grande redução significativa nas vendas de seus modelos no Brasil. C3, Aircross e C4 Lounge vende quase o mesmo todo os meses, na verdade “SITE:Fenabrave, caso queiram verificar”, Acredito qui que a maioria nem deve conhecer esse site =/. Tirando Toyota e Honda, a PSA é a que melhor estar se re-estruturando para enfrentar a crise. Sim! Fechando algumas Css e unificando outras. Resumindo, as vendas da PSA no Brasil pagam seus custos da fabrica nacional. Duvida para o futuro são todas as chinesas que aqui estão, essas sim estão tremendo bastante com a crise. E vejamos por outro lado… Eu tenho 34 anos, e a PSA Brasil SOMENTE 15, Aos poucos irão amadurecendo, e percebendo que brasileiro em sua maioria “Não todos claro”, gosta é de carro caro e pé de boi, feito Corolla!

    • João Cagnoni

      Espero que não percebam essa nossa realidade. É discrepante a diferença do Corolla pra um C4 Lounge, o Lounge é muito melhor, me refiro até a versão 2.0, pois no caso do THP essa diferença é um precipício. A única vantagem do Corolla é o valor de revenda. Não adianta procurar uma lógica pra isso pois não tem, quem deveria perder menos valor é o Lounge, pois o carro é superior e vai demorar muito mais pro carro “envelhecer”, já que o carro é muito mais modernizado. Idem para o Sentra, que também é muito melhor que Corolla/Civic.

      • Filipo

        Não, a principal vantagem do Corolla chama-se pós-venda!
        E nisso está incluso bom atendimento, baixo custo de manutenção e disponibilidade de peças de reposição.

    • Lexfamulus

      Segundo consta, trata-se de reformulação do Grupo. Talvez a eliminação de css, embora diretamente relacionada à crise do setor e um market share bastante modesto, possa ter sido, mesmo que de forma quase simbólica, sofrido a influência desta reformulação.
      O fato é que cogitei trocar meu palio em um 208 ou HB20. Descartei a francesa, pelo menos por enquanto, pois quero carro automático (o câmbio de 4 marchas não me convence) e pelo fato da concessionária mais próxima da fábrica (em Resende-RJ), ter fechado e dado lugar à uma Renault. Temos aqui somente uma concessionária na região, em Volta Redonda.
      P.S.: depois disso, e de ver um HB20 automático ultrapassar a marca de R$ 60.000,00, o palio acabou de ganhar uma sobrevida na minha garagem.

    • Felipe

      Boa parte da produção de Resende atende a América do Sul.
      Em geral, as marcas francesas tem boa aceitação nos países vizinhos ao nosso.

      • Raone

        Exato Felipe! Por esse motivo eu acredito que a PSA não sai do mercado Brasileiro. Doideira de alguns achar que as francesas irão deixar o pais assim, ou que elas estejam morrendo.

        • Felipe

          Ingenuidade mesmo.
          Apesar do cenário atual penso que dificilmente alguma montadora iria desistir do Brasil, especialmente por que os outros países do Mercosul vivem um momento econômico/político diferente do nosso.

          • Raone

            Sem contar que as investigações da PF estão demonstrando quanto o governo federal manipula a maquina publica para favorecer as montadoras! Agora elas estão com baixas vendas, ainda lucram e já lucraram bastante. Logo o governo abre as pernas novamente e percebe que terá que reduzir impostos. Se nem as Chinesas recem chegadas estão saindo do pais imagina a PSA que tem decadas aqui.

  • Zé Mundico

    A PSA tropeçou no início mas hoje oferece bons produtos e até superiores a muitos do mercado. O problema é que a PSA nunca quis ter carro “popular”, tipo Gol,Uno ou Celta, pois sempre soube que não adianta bater de frente com a baixa situação financeira da maioria da população e com os hábitos atrasados do brasileiro médio. Daí optou por modelos mais completos e obviamente mais caros, preferindo um público com melhor poder aquisitivo. Errou por não oferecer um pós-venda decente e parece que ainda está longe de aprender a lição.

  • Jose Silva

    Eu vejo muita crítica em cima de carro Francês mas ao mesmo tempo fico pensando, duvido que um carro Francês que roda na Europa é pior que esses carros que tem no Brasil. Qualidade de construção, segurança os franceses humilham esses carros brasileiros porcos mal feitos. Já guiei um c4 thp na rodovia e gostei muito do carro, muito superior a corolla e civic 1.8 e 2.0. Brasileiro não sabe escolher carro, não sabe votar, não sabe protestar a favor dos direitos básicos da vida que são saúde, educação, segurança, qualidade de vida e etc. E fica querendo dar pitaco em carro que marca tal é boa e marca tal é ruim… Brasileiro tem moral nenhuma para dizer nada não, povo mais burro e idiota do planeta terra. Acho bom que desvalorizam os verdadeiros carros bons e completos, assim fica acessível a todos no usado.

    • Romualdo Vieira

      O problema é que uma imagem negativa é difícil de apagar. A PSA pecou no passado (creio que já esteja resolvendo a questão) com o pós-vendas. Embora tenha bons produtos, ela assustou clientes no passado, que tiveram atendimento porco e com isso perdeu a marca como um todo em satisfação. Uma marca se mata nisso a longo prazo. Não basta bom produto, precisa ser confiável, per bom atendimento e principalmente transparecer isso ao mercado. Atender o cliente como rei, como a Toyota e Honda fazem. E veja o índice de satisfação destas japonesas. Elas oferecem menos que a concorrência no quesito produto, e muito, mas muito mais nos quesitos confiabilidade mecânica e atendimento na rede de concessionárias.

      • Em 2001/2002 o amigo do pai do meu primo, comprou um 206, deu um problema não sei qual na época, não tinha a peça para substituir. Lembro que a 15 anos atrás, o problema era a falta de peças. Mas os atuais carros, são bonitos e bons, claro, existe um problemático que pode sair da linha de produção e dar aquela dor de cabeça, a qual torna-se pior com o mau atendimento na Css.

      • MauroRF

        É o caso da Ford, tem bons produtos, mas pós-vendas ruim no geral, e o mercado não percebe melhora. Isso vai queimando o filme dela.

    • Bruno Silva

      Brasileiro não sabe escolher carro: igual mundo, pq o Corolla vende bem no mundo todo, e francês nem nos EUA vende…

      • invalid_pilot

        Como se os Estados Unidos fossem o Centro do Universo…

        • Bruno Silva

          Não são. Eu nunca fui pra lá nem pretendo ir, já fui a 4 países fora do Brasil e nenhum deles foi USA. Só que o mesmo pessoal que gosta de fazer comparações falando que Brasil é lixo perto do EUA, que lá eles vendem carro de verdade, são os mesmos que gostam de puxar sardinha para PSA. Sobre o Corolla, a mesma coisa, o carro é o mais vendido no mundo, um dos líderes da categoria nos EUA (segundo maior mercado do mundo), e aqui no Brasil é lixo, porcaria, não presta, quem deixa de comprar C4 Lounge é burro etc.

          • invalid_pilot

            Corolla nos Eua é tipo um Cobalt aqui… O C4 THP ao menos tem mais refinamento mecânico do que o Corolla e pessoalmente acho muito mais bonito tbm.

            Carros Europeus sobre tudo os franceses não são e nunca foram best sellers no mundo mas dizer que não tem qualidade discordo veementemente

            • Tosoobservando

              Cobalt? Ta mais pra Prisma, sendo o 6º mais vendido.

            • Bruno Silva

              Tá, mas lá o Corolla ao que me lembre, compete com pelo menos 14 carros, mesmo assim vende mais que todos, ou quase todos. Isso demonstra que o carro tem sim muita qualidade, independente de que as pessoas gostem ou não.

              • invalid_pilot

                Onde disse que não tem qualidade ?

                Só afirmei que o C4 é mais refinado, desde motor a acabamento

                • Bruno Silva

                  Acabamento eu acho subjetivo. Já entrei nos dois carros e não notei nenhuma superiodade do Citröen. O Toyota tem painel e portas emborrachados, o couro do Corolla é excelente (basta ver os antigos como estão hoje). Além disso, o japonês não é monocromático igual ao C4, que de quebra tem aquele volante horroroso.

                  • invalid_pilot

                    Acho Corolla mais sem graça que dançar com a irmã no baile de formatura

      • Jose Silva

        Ué ! o que tem haver vender no EUA e não vender no EUA ? Tem um monte de carros que vendem no EUA e não vendem fora do EUA. Isso não tem nada haver, cada mercado com suas particularidades. Se for nesse pensamento aquele carro que só vende no EUA e não vende na EUROPA é ruim porque só existe no EUA…. Não é bem por ai, mas que os carros Franceses são muito melhores que os Brazucas em tecnologia, segurança, conforto e etc não precisa nem discutir. Duvido muito que até os franceses equipados com motor 1.6 THP sejam piores que seus concorrentes diretos, isso é papo de gente conservadora de que nunca dirigiu um.

  • HENRY ME

    Psa poderia contratar um consultoria com a Hyundai.

  • pedro rt

    parece q a NOVA PSA q começou a chegar em dezembro passado vai passar por uma ampla reforma nao so de visual como de treinamento do marketing, vendedores e todos os outros funcionarios. parece q vai ser padrao TOYOTA agora em tudo no pos-venda com essa nova presidente. todas as CSS vao ser divididas em 3 marcas, citroen, peugeot e DS

  • Tosoobservando

    Se a PSA tratasse o Brasil que nem a China, talvez, tivessem mais participação aqui.

  • Don Ramón

    Que tal comemorar trazendo o 1.2 turbo, o câmbio AT6 para o lugar do AT4, o 308 de verdade?

  • Meus Deus. A Hyundai sempre enfatizou que o HB20 é nacional, alem do fato que os coreanos nao sofrem com o conceito que os franceses sofrem. Me fale dos comerciais da Renault, ai eu me calo pra sempre.

  • Nissan Sentra

    Realmente a PSA merece respeito por ter carros maravilhosos e bonitos, quem fala que as duas são ruins são os papagaios que ficam de disse-me-disse só por que “tem um amigo que se deu mal” com PSAs e fica assim sem nem ter pago para ver. Aqui em casa temos um 206 SW Escapade com 132.000 Km e até hoje tá inteirinho, salvo o recall do vidro basculante, fora isso nada anormal, o Pós Venda e o preço das revisões é justo e na média das outras, em particular Hyundai BR e GM, com toda certeza, acho que um PSA faria um dono de Fiat, Ford ou VW bem mais felizes.