PSA divulga dados de testes na vida real

01/03/2016

peugeot 308 gt 2016 2

A PSA divulgou alguns dos dados colhidos em testes de campo nos arredores de Paris. O grupo francês havia prometido testar seus carros em condições reais de uso, ao contrário do que fazem os demais fabricantes, que utilizam simulações em laboratório.

O circuito tem 80 km e foram testados três veículos diesel, sendo eles Peugeot 308, Citro6en Grand C4 Picasso e DS 3, todos equipados com motor 1.6 BlueHDi de 120 cv. Os testes foram executados pela PSA em conjunto com o Ministério de Transportes e as organizações France Nature e Bureau Veritas.

Os testes mostraram discrepâncias entre 30% e 40% com os valores homologados pelo método tradicional. O 308, por exemplo, teve consumo médio de 23,8 km/litro contra 23,4 km/litro obtido por proprietários e 37,5 km/litro do teste combinado da União Europeia.

A PSA diz que a preocupação dentro da empresa aumentou após o escândalo da Volkswagen e que decidiu partir para os testes de campo para não enganar os consumidores com números, que mesmo sendo oficiais e homologados, não refletem a realidade.









  • Felipe

    Interessante essa iniciativa da PSA.
    Pra que as aferições sejam feitas de maneira similar por aqui, o Inmetro teria que fazer as montadoras reinventarem a roda.

    • th!nk.t4nk

      O que faço é sempre o seguinte: vejo o consumo combinado que divulgam como sendo o consumo na estrada. Já o consumo na cidade costuma ser um pouco mais realista, mas tem que ter em mente que seria dirigindo no “modo tiozão”.

    • RVS

      Felipe, desculpe, mas acho que você deveria conhecer um pouco melhor como foi feito o programa brasileiro de etiquetagem.
      Vou te dar um panorama da situação: os números obtidos em laboratório, seguindo o ciclo EPA 75, aqui no Brasil são corrigidos por um fator significativo, com o intuíto de aproximar dos valores da realidade (ao contrári odo cliclo Euro e normas européias…). Portanto, acredito se qusier, estamos anos luz a frente deles nesse aspecto.
      Abraço!

      • Felipe

        – Inmetro: Números de laboratório “corrigidos por um fator significativo, com o intuito de aproximar dos valores da realidade”.
        – PSA: “Teste de campo para não enganar os consumidores com números, que mesmo sendo oficiais e homologados, não refletem a realidade.”

        – Inmetro: “Intuito de aproximar dos valores da realidade”.
        – PSA: “Teste de campo para não enganar os consumidores”.

        Ah, para!

        • radiobrasil

          Por mais TIOZÃO que eu dirija não consigo chegar PERTO dos numeros do Inmetro em relação ao consumo do Fusion 2.5 flex.
          Alcool – sem exagerar, ciclo urbano, ar – 4,2 km/l… modo TIOZÃO MUITO LIGADO chega a 5 km/l.
          Gasolina Estrada modo tizão 11,5, normal (sem exageros) 10,5 km/l

          • Felipe

            Pois é.
            Inmetro: Números de laboratório podem ter fatores significativos para aproximar as condições reais de uso que não serão iguais às maneiras que cada um tem de guiar um carro.

            Já pela forma como a PSA está trabalhando para aferir o consumo, fica claro que é possível guiar em condições reais e chegar a um consumo eficiente.

          • Guilherme Batista

            Não basta dirigir como tiozão, tem que ter outros varios fatores que influenciam no consumo, como ajustes do carro, altitude, vento, temperatura e etc, fatores que dificilmente conseguira reproduzir

        • RVS

          Bem, sinto que você realmente não conhece e não quis ler como se chegaram a esses fatores. Pois bem, te dou uma forcinha na preguiça: foram testados na rua veículos de diversos fabricantes, em diversas condições de rodagem. Com uma massa significativa de dados, e um bom conhecimento de estatística (que qualquer BOM engenheiro que se preze possui…), é possível estabelecer uma correlação bastante boa – e foi o que foi feito aqui.
          Normalmente não posto neste forum, embora o leia há muitos anos. Mas percebo que vira normalmente não se buscam dados e fatos para embasar as conversas. E acaba virando pessoal.

          • Felipe

            Depende de como cada assunto é abordado e da forma como cada participante dp debate reage diante do assunto. Li sim sobre o programa brasileiro de etiquetagem e busquei mais detalhes sobre a maneira usada pela PSA para classificar seus modelos e tw digo sem a mesma prepotencia do seu comentário e sem desmerecer o esforço do Inmetro que o método da PSA é mais coerente e eficiente que o adotado por aqui.

            • RVS

              Mas falta de conhecimento técnico (sem desmerecer de forma alguma ninguém), impede de fazer uma análise precisa dos fatos.
              Permita-me te fazer refletir um pouco sobre o assunto: Você saberia me dizer qual é o ciclo adotado pela PSA nos testes de campo?
              Mais uma pergunta: você acredita que, se dirigir o teu carro em uma cidade como São Paulo e depois dirigir digamos em Brasília o consumo será o mesmo?
              Meu ponto é: o consumo é altamente dependente do ciclo utilizado. Sem uma base sólida, fica difícil comparar as coisas.
              Abraço!

              • Felipe

                Sim, consumo é algo muito variável. Depende do ciclo, depende da forma de condução, depende das condições do automóvel, enfim…
                Vai variar, de condutor pra condutor de cidade para cidade…. Mas estamos falando em médias. Nenhuma montadora ou órgão regulador fala em números exatos. Para se chegar nesses dados médios é o X da questão.
                Você abraça o método do Inmetro. Eu, penso que o método da PSA é o mais próximo da realidade.
                Encerramos a discussão com cada um defendendo um ponto de vista. Um abraço.

  • Leandro

    A matéria está pela metade? Lendo dá essa impressão.

    • Guilherme Batista

      Tive a mesma impressão

  • Mr. Car

    Por isto mesmo não dou a mínima para este programa de etiquetagem. Carro eu sei quanto faz quando está na minha mão, na vida real.

    • invalid_pilot

      Pra ver… Testes padronizados são uma referência, sem dúvidas, mas em situação de uso real os resultados podem ser diferentes (pra mais ou pra menos)

    • th!nk.t4nk

      A etiquetagem é excelente. É que as pessoas entendem errado: o mais importante nao é o consumo em termos numéricos, mas a classificaçao em relaçao aos concorrentes. Se você comprar um carro “A”, terá certeza de que é o mais econômico do segmento, e que nao poderia ter feito melhor compra nesse aspecto.

      • Ricardo Soares

        Verdade… A maior utilidade esta nas letras. Consumo varia muito de pessoa pra pessoa. Será que nao seria mais util se o inmetro divulgasse o consumo maximo e minimo dos carros? Em vez de colocar estrada/cidade. Tipo, no new fiesta o maximo que consegui foi 17,4km/l e o minimo foi 8 e pouco, sempre na gasolina. Entao sei que meu carro vai ficar entre esses 2 extremos…. Assim o consumidor saberia a faixa de consumo do carro. Poderiam ate informar a velocidade média pra cada caso, pra ter uma referencia melhor de como alcançar estes consumos.

        • radiobrasil

          3 proprietários de Corolla 2.0 Multitronic estão com médias de 18 km/l na estrada!!! Um deles fez a conta ao completar o tanque e bateu com o CPU de bordo… que MILAGRE é esse ? No teste do Inmetro não passou de 13 km/l na estrada – gasosa.
          E meu carro Fusion flex 2.5, estrada segundo inmetro faz mais de 12 e eu só pisando MUUUUUUUUUITO leve chego perto disso.

        • Debraido

          Ricardo, com o Fiesta que temos, 1.6 PS (o cambio realmente da problema pra caramba). Fiz algumas viajens entre São Paulo e Indaiatuba, sozinho no carro, ar-condicionado desligado (à noite) e piloto automático travado em 110 km/h. Consegui média de 22,0 km/l. Uma viajem relativamente plana, estrada perfeita (Rodovia dos Bandeirantes e um pequeno trecho da Santos Dumont).
          Esse percurso tem aproximadamente 110 km.
          Veja, o consumo normal desse carro em estrada varia de 16 a 18 km/l, porém numa situação especifica consegue-se números bastante superiores. Entretanto não são regra.
          Números de consumo são bastante relativos, alguém que mora em São Paulo, nunca conseguirá os números de quem mora em Brasilia.

        • Guilherme Batista

          Não da pra fazer isso. Não tem como simular todas essas situações, os números seriam discrepantes demais.
          Tente imaginar o melhor caso: Carro vazio, estrada, a nível do mar, motor perfeito, calibragem perfeita, temperatura ambiente e com vento a favor.
          Aí depois teria que fazer a pior situação possível: Carro carregando o peso máximo, motor sem cuidados, pneus descalibrado, vento contra, calor infernal, e a mais de 3 mil metros de altitude, subindo uma ladeira…

          Não daria muito certo isso, até mesmo porque o próprio clima influenciaria .

      • Mr. Car

        O carro “B” do segmento pode se sair melhor que o carro “A”, dependendo de como se dirige na vida real. No “laboratório”, é tudo padronizado. Não me fio por ele.

    • Guilherme Batista

      O carro quando está na sua mão, não é igual quando está na minha mão, logo isso não é parâmetro pra nada.
      Além disso, não da pra testar bem o consumo de um carro antes de comprar.

      • Mr. Car

        E também não é igual quando está nas mãos de quem os etiqueta. Por isto, não me fio por estes programas.

        • Guilherme Batista

          É como já disse em outros comentarios, o programa serve para você comparar os carros e saber a classificação dentro do programa de etiquetagem, não serve para ser referencia em consumo, pois a quantidade de variáveis é muito grande.

          • Mr. Car

            É como já disse antes: não me interessa a classificação dentro do programa de etiquetagem, me interessa o consumo na minha mão. Depois, não deixo de comprar o carro que gosto e quero, se o concorrente supostamente faz mais 2Km/l.

            • Guilherme Batista

              Ai tudo bem, isso é uma coisa pessoal, não há como discordar.
              Mas tem muita gente que mudaria por causa disso, frotista principalmente.

  • invalid_pilot

    Cadê o cidadão fanboy fiateiro que jura que o 1.0 Fire é mais econômico que qualquer 3 cilindros só pq o Inmetro disse…

    • Artur

      Mas se todos os carros são testados pelo INMETRO sob as mesmas condições, não seria justo então compará-los?
      Pode ter certeza que esses “testes da vida real” tem padrões a serem seguidos. Caso contrário, não passará de especulação.

      • invalid_pilot

        O próprio caso da matéria diz que há diferenças gritantes… logo assumir que o Inmetro é a verdade absoluta é ser pouco inteligente.

        Talvez no teste padronizado o 1.0 seja mais econômico, mas com carro cheio e rodando em giro alto um 3cilindros ou 1.6 pode ser mais econômico, esse é o meu ponto de crítica.

        • Guilherme Batista

          Padrão é padrão cara, sobre isso não há argumentos. Existe uma série de coisas que afetam o consumo de combustîvel… peso, vento, calibragem de pneus, altitude, regulagem do motor, pé do motorista e etc.
          Não da pra simular todas as situações possíveis. O padrão pode até não reproduzir todas as situações, mas certamente é o melhor jeito de comparar consumos que temos até agora.

          • invalid_pilot

            No teste padrão os Diesels VW nem poluiam kkkk

            Não acredito nesse tipo de teste em carros, talvez funcione pra geladeira e chuveiro elétrico

            • Guilherme Batista

              Argumento bem ruim hein. O teste de poluição é diferente do teste de consumo. Um é feito em dinamômetro, o outro é feito em pista.
              A questão é. Não há ferramenta melhor de comparação.

              • invalid_pilot

                Argumento bom então: Gasolina do teste do Inmetro tem só 22% de álcool vs o lixo que vendem no posto com 27% batizado com outras coisas

                • Guilherme Batista

                  Mas é a mesma gasolina que eles usam em todos os carros deles

                  • invalid_pilot

                    Mas na vida real eu posso conseguir um rendimento melhor ou pior devido ao combustível.
                    Qual a validade da certificação então?
                    Não to falando que é algo mentiroso, mas é um método que abre N fatores pra ser contestado.

                    • Guilherme Batista

                      A validade é para você COMPARAR entre diversos modelos e saber a CLASSIFICAÇÃO dele dentro do programa de etiquetagem. Tanto quanto em relação ao consumo, quanto em relação a poluição gerada pelo carro. Tanto que o programa diz que é somente de etiquetagem e não um programa de referência em consumo. Você não pode, por exemplo, processar uma montadora por seu carro não fazer o consumo que está na etiqueta, justamente por ser uma medida subjetiva.
                      Essa coisa de querer ter uma referência em consumo é quase impossível, porque a quantidade de variáveis é grande demais.

                    • invalid_pilot

                      Mano, to falando a mesma coisa desse seu post acima…
                      Não é pra medir consumo através desse programa, mas sempre tem um gato pingado que utiliza as medias dele como sendo a verdade absoluta, sendo que isso varia…

                    • Guilherme Batista

                      Nesse caso, esses gato pingado não sabem de nada. hahaha

        • Artur

          Então você vai defender seu ponto de vista ante uma instituição independente, que adota os mesmos critérios para testar o consumo dos veículos para todos eles, porque esses testes não podem ser tomados como “verdade absoluta”?
          O seu ponto de vista, por um acaso, então seria a “verdade absoluta”? Ser inteligente é adotar o seu ponto de vista?
          Tá “serto”! :D

          • invalid_pilot

            Onde eu disse que sou dono da verdade absoluta ?
            E porque o Inmetro deve ser dono da verdade absoluta ?

            Não concordo com a metodologia usada simplesmente porque não pode ser a realidade do usuário, logo dizer que modelo X é mais econômico que Y por conta de um teste em ambiente controlado é ser no mínimo inocente.

            • Artur

              Você que mencionou verdade absoluta. Para mim ser inocente é utilizar argumentos destituídos de qualquer fundamento para tentar invalidar testes feitos por uma instituição respeitada (uma das poucas nesse país), realizados de forma padronizada de maneira que todos os veículos passem pela mesma situação!

              • invalid_pilot

                Você não entendeu onde quero chegar… O valor do Inmetro não diz a realidade simplesmente por ser em ambiente controlado. Vida real é totalmente diferente

                • Artur

                  Sim, mas serve como parâmetro. Se no INMETRO um carro gasta “x” em determinadas condições, gastará “y” no dia a dia em condições diferentes. Se outro gasta “z” no INMETRO, gastará “a” no dia a dia. Mas a proporção entre “y” e “a” tem de ser a mesma se no dia a dia as condições entre os percursos dos dois carros forem iguais. É pura lógica.
                  Não existe uma mágica que faça essa diferença inexistir ou, como você disse, na “vida real” seja completamente diferente.
                  Assim, se dois carros são utilizados nas mesmas condições, com as mesmas variáveis, a diferença de consumo vai persistir e no mesmo percentual, independentemente do cenário.

  • Bruno Wendel Marcolino

    Muito bacana a iniciativa da PSA.

    Eu gostaria de ter um carro com consumo de 23,4 km/litro….hehe

    • Lima Informática

      No Brasil e com motor 1.5, no momento impossível, primeiro que estes dos testes são a diesel, combustível proibido aqui, segundo que ainda que fosse a gasolina, quase 30% do combustível nacional tem etanol… obs, quase 30% homologado, vai saber na bomba se é só isso mesmo!!!

      • carnero

        Eu acho engraçado o pessoal falar que o consumidor tem que verificar no ato da compra pois passado o ato não há como provar…
        Como se a gente tivesse que andar com uma proveta graduada pra ficar medindo quantidade de etanol antes de abastecer….
        Vai saber….

        • th!nk.t4nk

          Quem tem que fiscalizar e punir os infratores é o governo.

          • Lima Informática

            Na verdade no Brasil ser desonesto é lucro… a maioria pensa assim, inclusive o dono do posto, a distribuidora… Aí compramos gasolina com 50% de Etanol e Etanol com 50% de água…

            • duduEAS

              E o carro flex serviu pra f*&der mais ainda isso. Nossa etolina vem com mais etanol e o carro aceita ja que é flex.

      • Minerius Valioso

        Na verdade são 27% homologados. Mas muitos postos adulteram e…

      • Bruno Wendel Marcolino

        Sem dúvida, hoje o único carro que chega “perto” desse consumo, porém ainda sim é longe, é o up!, mas eu particularmente não gosto do estilo dele, então fico com meu Peugeot atual que faz 11km/l na cidade hehe

        • Gustavo Lima

          Meu Sandero 1.6 faz 7 km/l na cidade com gasolina…uma vergonha! Ano 2012 com 35mil km

          • Bruno Wendel Marcolino

            nossa, ta alto ein.

            Mas não duvido de nada, meu Fox 2009 1.0 fazia 8km/l na cidade kkkkk.

            Pelo menos o teu é 1.6, ainda da pra ter “desculpa”

            • Gustavo Lima

              é ridiculo ne? É por isso que nunca se vendeu tanto Audi e BM…

  • Pedro Cunha

    Acho que é no mínimo excelente essa iniciativa da PSA, porém, é mais importante ainda que o consumidor não se deixe levar por números “oficiais”, já que por mais criteriosos que sejam os testes e até mesmo os institutos independentes, dificilmente vão conseguir refletir fidedignamente as condições de uso reais por usuários/motoristas reais.
    Acho inclusive, que deveria ser incluída a expressão “obtido em condições ideais” quando da divulgação de números de desempenho e rendimento.

  • João Cagnoni

    Também existe o método fanboy nas avaliações de carros, o mesmo consiste em descer a serra engrenado e aferir o consumo ou mesmo ligar o piloto automático a 60km/h em uma via urbana sem trânsito e divulgar como consumo urbano.

    • Artur

      Fato! Kkkkk

  • Túlio Leal

    23km/l é, literalmente, coisa de primeiro mundo.

    • RED883

      Esse motor é Diesel,não?

  • Vattt

    Me lembro dos quadros que decoravam as concessionárias VW do Golf (sapão) em 2009 e mostrava que ele fazia até 30 km por litro de gasolina!!! Entre outros, uns videos de youtube que mostram os testes em Fusca, Kombi e Gof.

  • Guilherme Batista

    Achei um pouco falho essa descrição da matéria em dizer que houve diferenças de 30% a 40% do consumo. A PSA apresentou um consumo médio baseado em um novo método. O método antigo não mostrava o consumo médio, mas sim o consumo combinado, que são coisas bem diferentes.
    Basta saber interpretar

  • DiMais

    “que mesmo sendo oficiais e homologados, não refletem a realidade”, é o que já falei sobre outras fabricantes que não usaram recursos como a VW para burlar o sistema porque a maneira de se conseguir homologação na Europa é muito branda, baseada em confiança.