Home Etc Qual é o melhor carro disponível hoje no mercado?

Lightning McQueen disney pixar cars Qual é o melhor carro disponível hoje no mercado?




Antes de tudo, o que é necessário para um carro ser considerado o melhor? Seria preço de compra? Preço de revenda? Manutenção barata? Bom conjunto de câmbio, direção e motor? Levar muitas pessoas? Economizar combustível?

Sinceramente, não tenho ideia de qual seja a melhor maneira de se enquadrar um carro como “O melhor de todos”, isso só é possível quando se estabelecem categorias ou focos específicos de avaliação, algo que um jornalista automotivo precisa ter como sexto sentido e estar afiadíssimo em suas percepções.

Aqui no Brasil a grande maioria irá dizer que o Volkswagen Gol é a melhor compra, outra grande maioria irá dizer que é o Fiat Uno, também existem aqueles que juram com os pés juntos que o Peugeot 207 é o dono do título de melhor carro comercializado no país.

Novamente trago outra pergunta: para qual finalidade você usará esse carro? Se for para carregar carga, podemos passar a régua em todos esses três e começar a falar da Chevrolet S10 ou Ford Ranger. Mas e se o consumidor precisar passar por um pouco de terra? Fazer uma pequena trilha, e ai? Teríamos que adicionar a Mitsubishi L200 e a Nissan Frontier nessa conversa.

Tudo perfeito, mas e essa pessoa também usa o carro diariamente e precisa de uma certa dose de conforto que seu bolso permita? Poderemos começar a falar de Land Rover Discovery ou Subaru Forester. Viu como chegamos tão rápido de Volkswagen a Land Rover só fazendo breves perguntas?

Isso mostra que, a princípio, não é possível dizer que um carro é melhor que o outro sem estabelecer alguns pontos primordiais para isso. Mas o que temos de concreto para julgar um carro como digno ou não de ocupar sua garagem? Lembrando que a preferência vem ao lado da necessidade e possibilidade, isto é, suas vontades e gostos teoricamente deveriam andar lado a lado com sua capacidade financeira.

Então, com isso em mente, papel e caneta na mão e cabeça para funcionar, eis aqui um pequeno teste para vocês leitores: comece pensando no seu carro favorito, ou na sua futura compra, primeiro de tudo vem o preço. Cabe no seu bolso? Marque um X nesse item então.

Mecanicamente é um carro difícil de manter? As peças são de fácil acesso? Caso afirmativo, marque X nessa alternativa também. E quanto as concessionárias? Tem na sua cidade? Quantas? Pode-se confiar no atendimento dela caso aconteça alguma coisa com o carro? Marque um X também caso afirmativo.

Relacionado à fama do carro quanto a sua confiabilidade, já pesquisou entre proprietários e análises jornalísticas se o carro tem algum defeito crônico ou tendências a dar problemas variados logo naquele dia que você precisa dele? A fama dele é boa? Marque um X nesse item se a fama também for boa, por que não? Caso tenha conseguido achar um carro que se qualifique positivamente em 100% dessas perguntas, creio que já temos um bom candidato para valer a pena cada centavo investido em sua compra. Mas ainda não acabou, vamos à segunda parte.

Quanto às suas necessidades, esse carro em questão é um veículo prático? Por exemplo, se você faz muitas compras ou viaja com a família, esse quesito é importantíssimo na hora de escolher o carro, pois movimentar crianças e malas pra simplesmente mudar uma coisa de lugar é algo que lhe fará tomar ódio pelo carro em menos de 6 meses. E se o carro for baixo demais e dificultar acessos que você faz constantemente?

Tudo isso há de ser levado em conta no quesito praticidade, caso o carro tenha respondido positivamente à suas necessidades, marque um X nessa alternativa. Um outro aspecto bastante importante principalmente entre aquelas pessoas exigentes é a qualidade não só da montagem do carro, mas do seu projeto como um todo. O plástico adotado é bom o bastante para aguentar o tipo de uso que fará do veículo? A suspensão dele é adequada para suas necessidades?

O carro tem bons freios e um bom motor que vá poupar o motorista de sustos e inconvenientes? E a segurança? Ele é capaz de salvar sua vida caso um bêbado atravesse o sinal vermelho naquela noite de sexta-feira? Isso tudo entra no quesito qualidade do carro, um ponto crítico na escolha do automóvel perfeito. Na sua análise ele foi bem nessa abordagem? Caso afirmativo, marque um X também. Para finalizar essa parte de “preferências e exigências”, o que você sabe da dirigibilidade do carro? Já fez um test-drive? Ouviu alguma análise ou alguém comentando do comportamento do carro na cidade ou na estrada, ou quem sabe, na pista de corrida?

Alguns veículos optam por uma suspensão mais dura e esportiva, outros já tem um pacote mais conservador e focado no conforto do motorista e seus passageiros. Isso engloba muito a questão do quanto tempo o consumidor usará o carro e em que ocasiões isso acontece, as vezes comprar um carro “esportivo” demais pode se tornar um fardo caso costume pegar trânsito pesado das 18h, novamente no prazo de 6 meses você arrependerá amargamente de ter feito tal escolha. Se o carro cumpre todas as suas preferências de condução, marque um X na questão dirigibilidade também.

Por fim, o último item mas não menos importante, consumo de combustível. É agora que as rotas se dividem e muitos ficam entre a tentação do carro desejado e o lado racional batendo na porta querendo te livrar de um mico. Convenhamos que os gastos mensais com combustível ficam mais evidentes dependendo das condições financeiras da pessoa, mas nem por isso é algo que pode-se deixar totalmente de fora na escolha de um carro para o dia-a-dia, acredito que nem um milionário gostará de ver seu dinheiro vazando pelo ralo porque ele não soube escolher o carro certo.

Para resolver isso, faça as contas, quantos km você costuma rodar por mês? Esse carro necessita de que tipo de combustível? Premium? Diesel? Qual a autonomia média dele? Quantos reais custa um tanque cheio de combustível? Talvez esse seja o lado mais matemático na escolha de um carro, e como disse, também pode variar imensamente de pessoa para pessoa até pelo tipo de condução no trânsito que cada um tem. Não tenha preguiça nessa hora, traga o orçamento mensal para o “campo de batalha”.

Parecia que não ia acabar nunca, mas chegamos ao fim desse texto que ficou semelhante a um desses “Guia de como comprar um carro” que encontramos por toda parte na internet. Embora pareça, o objetivo disso tudo – claro que um pouco sim – não foi exatamente ajudar as pessoas a escolher um carro a partir de 7 ou 8 questões de marcar X, mesmo que isso seja um exercício extremamente divertido. Eu garanto que se for olhar a fundo, nenhum carro hoje consegue unanimemente ser bem-sucedido em 100% das perguntas que levantei brevemente nos parágrafos acima.

Esse é um famoso teste que é utilizado em quase toda parte do mundo como forma de pesquisa de mercado, seja por parte das montadoras ou por próprias editoras de revistas automotivas. Eu gosto de pensar em toda essa lógica analítica como conclusão para algo maior, pois como é impossível escolher um carro inteiramente pelo lado técnico, por que não tentar se identificar com algum deles?

Pelo menos para mim e muitos ai fora, carro não é só um meio de transporte e mesmo que hoje seja algo caro para sustentar, de uma maneira ou de outra nós conseguimos achar um meio de ter na garagem aquilo que nos faz sorrir toda manhã, um motivo a mais de orgulho para sair com os amigos e contar histórias sobre como aquele pedaço de metal, plástico e borracha consegue mudar a vida de muitos apaixonados mundo a fora.

Por Julio Cesar Molchan de Oliveira



Notícias recentes
Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.