Europa Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Reino Unido: Ford pode cortar postos de trabalho e demais montadoras estão preocupadas

ford-reino-unido

O impacto da saída do Reino Unido da União Europeia continua gerando grandes discussões no mercado automotivo. Várias montadoras já se pronunciaram contra e algumas já falam que o governo britânico terá muitos problemas daqui para frente.

A Ford, por exemplo, já avisou que tomará todas as medidas necessárias para manter as operações na Europa rentáveis. A montadora americana emprega 14 mil pessoas em apenas duas fábricas, localizadas em Bridgend e Dagenham.

Ambas produziram no ano passado um total de 1,6 milhão de motores, mas com um detalhe crucial: todos foram exportados. Com volume 100% mandado para fora – especialmente para o continente europeu, que responde por 51% da demanda – analistas já falam em cortes nos postos de trabalho dessas duas unidades.

Isso pode acontecer por conta dos custos extras, já que a saída significaria o rompimento do acordo de livre comércio e a imposição de taxas aduaneiras e impostos de importação. A Ford já havia cortado 5,7 mil empregos com o fechamento de outras duas plantas na Inglaterra e outra na Bélgica. A empresa já vem falando em mais corte de custos pouco antes do referendo britânico.

mini-uk

Alemanha e Ásia

As montadoras alemãs já estão preocupadas com a retirada britânica da UE. A associação dos fabricantes germânicos advertiu que um conflito comercial com o Reino Unido resultaria em um dono enorme para o setor automotivo, em especial o alemão, que tem 100 plantas de produção, incluindo autopeças, na Grã-Bretanha.

A VDA fala em possível mudança de local de produção, o que seria desastroso para os britânicos. Além dos alemães, o Reino Unido terá de se preocupar também com os fabricantes asiáticos, que já sinalizam um atraso ou congelamento nos investimentos para o país.

Toyota e Nissan já haviam se posicionado a favor da manutenção do Reino Unido na União Europeia, por conta da preservação de suas operações. Com a saída, ambas afirmam que o setor automotivo britânico está em grande risco. Pelo menos 800 mil pessoas dependem dessa indústria no país.

Uma fonte anônima de um fabricante com planta na Inglaterra disse “que não há escolha. As decisões atuais são feitas com cautela e podem começar com o cancelamento de um novo produto ou atraso na atualização de outro”, completou. O motivo é simples, mesmo sem qualquer movimento nesse sentido, as ações das marcas asiáticas com fábricas no Reino Unido já caíram.

jaguar-reino-unido

Um acordo após a saída?

Metade da produção da Honda – Civic e CR-V – é exportada para a Europa continental. No caso da Toyota, 75% do volume cruza o Canal da Mancha. A Jaguar Land Rover produziu 475 mil carros em 2015 e a maioria seguiu para o continente e outros países. A empresa deve perder US$ 1,47 bilhão por ano com a saída britânica, mas ainda não sabe que tipo de acordo comercial deve surgir após o chamado Brexit. A situação da MINI, de propriedade da BMW, é outro exemplo.

Essa é a expectativa de muitos fabricantes com investimentos no Reino Unido. O problema é que não se espera boa vontade por parte de Bruxelas, segundo alguns analistas. O mesmo movimento foi observado no referendo sobre a independência da Escócia.

A saída dos escoceses significaria o rompimento com a UE e o país teria que entrar na fila para se candidatar para reingresso no bloco. A questão anglo-escocesa se complica ainda mais com o Brexit e o setor automotivo, por enquanto, não vê a situação com bons olhos.

[Fonte: Reuters/Financial Times]





  • DINEIROO

    A UE foi se tornando com o passar do tempo em uma organização insulada, dirigida por inúmeros burocratas que querem permanecer no poder indefinidamente. Mesmo para quem é do bloco econômico fica difícil negociar com seus “irmãos”. A Suíça, que fica bem no meio da UE, não faz parte do mercado comum e esbanja saúde financeira, tecnológica e desenvolvimento humano.

    O tempo tem mostrado que é melhor fazer vários acordos bilaterais do que ficar restrito a um pequeno grupo.

    • Tosoobservando

      Os países escandinavos que nao estao no bloco, acho que a Finlandia, ta muito bem obrigado tb.

      • oscar.fr

        A Finlândia, bem como a Suécia, é um país membro da União Europeia. Apenas a Noruega não o é. Além do mais, citar pequenos países com características únicas (paraíso fiscal, no caso da Suíça e um país montado no Petróleo, como a Noruega) não é muito conclusivo não. A UE foi positiva para todos os países que aderiram a ela, não bastasse sua contribuição econômica, a UE deu um aporte político gigantesco à Europa e ao mundo. Graças à integração europeia que países como França e Alemanha puderam se reaproximar e superar as richas do passado.

        • Tosoobservando

          Isso queria dizer Noruega. kkk a UE é tao boa que a Grecia quebrou, a ESpanha afundou, Portugal é super fraco no bloco, so resta França e Alemanha que nao se bicam tb. Italia sem comentarios.

          • Mas eles estariam melhores sem a união européia? Devemos considerar que países europeus são pequenos em termos territoriais. Adianta muito uma Alemanha forte e vizinhança pobre. É como morar no Rio de Janeiro em Copa cabana e ter favelas como vizinho. Talvez seja mais vantajoso viver em um bairro não tão rico mas com vizinhos também com melhores condições. É como a questão dos imigrantes na Europa, é óbvio que isso ia acontecer um dia devido a proximidade, talvez até consigam diminui lá por um momento, mas se esses países não crescerem economicamente a imigração vai continuar e aumentar. O Brasil é um exemplo, se nossos vizinhos fossem economicamente e juridicamente mais desenvolvidos muitos dos nossos problemas não existiriam.

            • Tosoobservando

              Pegue o ex dos países asiaticos, eles crescem pq manipulam sua moeda, foi assim com Japão, Coreia e agora ta sendo com a CHina. Com a UE, as imposições e a moeda unica, países mais pobres ficam engessados no bloco, sempre precisando da ajuda dos ricos. Veja o doc Brexit the movie full e entenda, tem no youtube.

              • CharlesAle

                Assisti e concordo com o que colocaram ali.

            • Tosoobservando

              Nao creio, o que ocorreria é igual o Mexico, imigração em massa para nossos “vizinhos”, se desenvolvidos fossem.

          • Luis Burro

            Mas tanto a europa oriental qnto Espanha,Portugal e ateh Italia,nunca foram pareos pra Alemanha,Inglaterra e Franca economicamente e tecnologico tbm.
            Alias,a unica pausuda msmo eh a Alemanha,q msmo pagando indenizacoes nas duas guerras ainda se mantem como a maior economia de lah.
            Entao nao se pode culpar o bloco com a incompetencia dos membros.Eh a msma coisa culpar o mercosul se os paises nao tiverem a capacidade de concorrer com o brasil.

            • Tosoobservando

              Pagando indenizações mas tu esqueceu do Plano Marshal?

              • Luis Burro

                Mas a Alemanha foi a q mais se lascou e menos recebeu em relacao a Franca e Inglaterra,e msmo assim tem uma economia maior.Alem disto,soh faz 27anos q ela foi reunificada.

                • Tosoobservando

                  Veja o doc Brexit the movie, tem no youtube, la eles falam do porque Alemanha bombou depois da guerra, e quem foi o responsavel.

          • Gustavo73

            Todos esses já tinham problemas antes de entrar no Bloco inclusive teriam quebrado antes sem a ajuda da UE.

            • Tosoobservando

              Teriam quebrado antes mas assim como o Brasil nao levariam os vizinhos junto. O problema aqui, a reclamação do RU sao as taxas que eles tinham de pagar pra um governo nao eleito por eles, o parlamento da UE, e o retorno era minimo, pois eles tinham de salvar estas economicas fracas do bloco.
              E vc nao tem como saber ate pq uma das coisas que salva economias sao as manipulações de moedas, se tivessem moeda propria, grecia, espanha, etc.. talvez estariam melhor exportando mais.

        • DINEIROO

          A UE é boa: para países em declínio (Grécia, Espanha, Portugal etc).

          São nações que sobrevivem devido o aporte financeiro dos membros do bloco.

          É tipo uma Bolsa UE – analogia ao Bolsa Família.

          Além disso, petróleo não resolve tudo, só olhar para o paraíso socialista Venezuela.

  • Tosoobservando

    Acho que os ingleses nao estao preocupados, eles querem talvez reativar sua industria automotiva?? Talvez isso aconteça, lembrando que na UE o Reino Unido caiu tanto que ate o Brasil chegou a ultrapassa-los antes dessa crise agora. Eles voltarao ao top 5 das potencias?

    • oscar.fr

      Reativar a indústria cortando o maior mercado consumidor dela? Well done, começaram bem os britânicos #ironia

      • Tosoobservando

        Existe China, existe India, Russia, Eua, etc… tem muito mercado ainda, so o bloco dos países da Comunidade Britânica é uma associação constituída por 53 países (Reino Unido e maioria de suas ex-colônias). Possui cerca de 2,2 bilhões de
        habitantes (aproximadamente 30% da população mundial).

        • Luis Burro

          Mas as marcas sao em sua maioria premium,com vendas e lucro menores por nao estarem ao alcance da maioria da populacao.

          • Tosoobservando

            Nada impede de, com essa saida, surgir uma marca popular, afinal agora UK é dominado pelos alemães, e isso pode mudar.

            • Gustavo73

              Como o ingleses vão competir em custos de produção com custos maiores qur Índia e China e etc?

              • Tosoobservando

                Competir onde? Pq pelo que sabemos, a inglaterra tem acesso a mercados que INdia e CHina ainda sonham entrar, como os Eua.

                • Gustavo73

                  E eles vão exportar o que para os EUA. Já que você deve estar falando de carros (afinal no resto China é o maior parceiro comercial dos EUA. A Ford não irá comprar Fiesta, Focus e Mondeo(Fusion) do RU se faz isso em cas e no México. Toyota ,Hinda e Nissan também não irão levar carros com custo em Libras. O maior mercado alemão também é a China r depois os EUA. Os Ingleses terão os mesmos produtos que já exportam hoje ,mas sem a força da UE. Afinal a União é um mercado bem maior. Fora isso não se engane a saída ganhoi e apertado não por questões econômicas. E sim pela imigração e questões de segurança. Quem encabeçou isso são partidos de extrema direita e ultranacionalistas. Isso nunca é bom, assim como o outro lado da moeda os de extrema esquerda. O fico é sempre o inimigo externo a culpa é sempre de quem vem de fora. E isso é perigoso a longo prazo.

                  • Tosoobservando

                    Estou falando respondendo ao comentario anterior que talvez algum ingles resolva criar carros “populares”, abaixo dos modelos premium dos grupos ingleses de hoje. Eles tem varios mercados fora da UE pra exportar se quiserem, alguns destes que China e India ainda nao tem acesso, por causa do preconceito contra eles, como Eua, Brasil, Canada etc..

                    • Gustavo73

                      Com tantas marcas não acho que exita espaço para uma surgir do nada na Europa. Ainda mais uma generalista. Ela teria que brigar com marcas bem posicionadas e estabelecidas. Não vejo ninguém gastando dinheiro neste sentido.

                    • Tosoobservando

                      Então mas esta é a questão, ela nao vai surgir na Europa, e sim no Reino Unido, e vai ter mercados no mundo todo pra exportar, fazer parcerias, alem de ter o proprio país como mercado, com as taxas que vao voltar, a venda de carros alemães e franceses la na RU vai diminuir.

                    • Gustavo73

                      Cara a Ford, Vauxhall , Toyota, Honda, e Nissan tem fabricas no Reino Unido. Se alguém vai ganhar as vendas serão esses. Inclusive Ford e Vauxhall dominam o mercado na região com os 4 maís vendidos. O resto fo mundo não irá simplesmente comprar uma nova marca. Não é assim que funciona. Fora que os custos são mais que proibitivos para lançar uma marca global. E não se esqueça que o custo seria em libras. E ainda existe o fato que os outros países da Gran Bretanha estão pensando seriamente em sr tornarem independentes. Escócia e Irlanda do Norte já começaram movimentos nesse sentido pois não querem sair da UE.

                    • Tosoobservando

                      Vcs confundem geopolitica com economia, sendo que pra uma empresa ser multinacional e operar em varios mercados nao precisa estar no país A ou B, mas ser bem administrada, em um ambiente livre pra negocios. É provavel que muita gente tenha falado exatamente isso para o Elon Musk na hora de criar a Tesla, que ja tem dominantes, que a Toyota ja faz hibridos e eletricos, Nissan, a GM é uma gigante e tb tem o seu e vai lançar, e todas as outras ja “estabelecidas”. Bom, o kra foi la e fez. Então nada impede de surgir marcas novas e a Inglaterra (ou Reino Unido se continuar assim) pretendem ter um ambiente mais aberto e livre para negocios, antes eles ja tinham pq mantiveram sua moeda, agora vao mexer nas leis e taxas. Pode saber que vao ter exito sem os custos de uma UE, e outra, é obvio que os países do bloco vao continuar comercializando com os ingleses. Tem varios países na Europa msm que nao estao no blogo e comercializam.

                    • Gustavo73

                      Meu caro geopolítica e economia estão intimamente ligados. E não irá ter uma fabricante inglesa porque tem uns 10 anos houve oportunidade de os Ingleses reverem várias de suas marcas como LR, Jaguar e MG. E não houve interesse de nenhum grupo da ilha. Ninguém está imaginando o RU sendo boicotado pela EU, mas é óbvio que quem está dentro tem mais privilégios. E.como eu disse essa votação apertada foi baseada no medo do terrorismo e dos imigrantes árabes. E já vou lhe dizer isso não vai impedir nada. Nas maiores cidades do RU quem ganhou foi o fica e não o sai.

                    • Tosoobservando

                      Meu caro ha 10 anos é outra historia, se vc fosse empresario num mercado dominado por americanos, alemães e franceses vc iria investir em alguma? É identico ao que ocorre no Brasil isso. O mais ironico disso tudo é saber que a VW por ex só é o que é hoje por causa dos ingleses. E a epoca os maiores fabricantes de carros populares eram eles.

                    • Gustavo73

                      Dez anos é ontem em termos de história e economia. Os planos sao feitos a longo prazo. Principalmente em economias estáveis. Quem pensa literano amanhã e quer ganhar tudo hoje é quem aplica no Brasil pois nada garante o dia de amanhã. Os chineses e indianos investiram e a LR e Jaguar estão bombando no mundo. A Chery comprou a Volvo e também colhe seus frutos. E não a VW não é o que é hoje pelos ingleses e sim.por.um inglês o oficial responsável pelo espólio da VW. Ele foi muito além do que eram as suas ordens originais, o cara tinha realmente visão. Mes se não fosse pelo carro em si (Fusca) isso não teria indo em frente. Na epoca cada um tinha seu popular. Os franceses tinham o 2cv os italianos o 500/600.

                    • Tosoobservando

                      Kra pelos ingleses é modo de falar, que seja por um ou varios (ate pq o governo ingles poderia muito bem cortar as asinhas desse tal oficial e mandar fechar a empresa, se fosse no Brasil tenha certeza kkkkk )
                      E como eu citei ex da Tesla e tem tantas outras que surgem, agora vao surgir novas e inovativas empresas com tecnologias de combustivel limpo, e nada impede de aparecer uma ou mais na terra da Rainha, so o tempo dira!

                    • Gustavo73

                      Mas o objetivo nunca foi fechar a fábrica. Os alemães precisavam de emprego para poderem se sustentar. E isso não aconteceu só com a VW assim como com MB, BMW, Bosch e todas as tem alemãs que estavam do lado ocidental da Alemanha. No caso do Fusca o que aconteceu foi que apesar de ter sido bombardeada várias vezes durante a guerra, a fábrica tinha plena capacidade de produção . Então ele “limpou” a fábrica e colocou o modelo em produção. Que já estava pronto mas nunca tinha tido a sua versão civil pois a guerra estourou basicamente assim que ela ficou pronta.

                    • Tosoobservando

                      É mas no Brasil mandariam fechar pra “economizar” pode ter certeza. Aqui ja fecharam fabricas desse tipo por bem menos, e olha que nunca tivemos guerras do tipo ou catastrofes pra justificar, era pq para as multi e o nosso governo vendido nao era interessante mesmo ter uma industria nacional. Quem dira que para os alemães fez toda a diferença, mas sera que agora eles vao conseguir sozinhos levar a UE nas costas (pq a França é outra que ta bem caida)???

                    • Tosoobservando

                      Ja ouviu falar da Tesla? Bom, mesma conversa, mesma ideia, países tambem gigante e dominado por “marcas” ricas e poderosas.

                    • Gustavo73

                      Tesla não é nem de longe é uma marca generalista. E RU não é os EUA. Lembrando que durante muito tempo (a Tesla não nasceu com o Model S) usava a base do Lotus e não foi criada pelo Elon. E para o sucesso da Tesla(que será posto a prova agora com o Model 3. Exitem 10 que não deram certo inclusive nos EUA.

                    • Tosoobservando

                      Pois é, no RU acontece o mesmo, varias marcas surgem, e somem, e vc citou uma, Lotus. O que impede uma marca com base nela ou na MG com parceria chinesa ou na TVR ate surge e faça carros genericos?? O que impede agora que Caterham, Morgan, Bristol, Ariel, LCC, pra citar apenas algumas de garagem se empenhem e se lancem mundialmente com carros eletricos ou outra variação e isso faça sucesso? Antes tinha concorrencia alemã, 30% do mercado britanico é dominado por eles, o resto pelos americanos como vc citou.

                    • Gustavo73

                      Meu caro o que impede é a dominância dos outros. Quem disse que essas marcas querem ser genéricas? A MG já é chinesa, e comoraram só a marca. Agora você está achando que o carros da UE vão sumir do RU? Se a RU quiser negociar com a UE você acha que ela só terá benefícios? Que ela não terá que ceder em nada? Você está imaginando que agora o RU irá só ganhar vantagens,como se negociar em bloco não fizesse isso. Achar que antes eles só tinham ônus é não vera realidade. O documentário que você citou era pró saida e focou só nesses pontos. Mas não é assim que acontece. Tanto que como disse os outros países do RU estão querendo a independência para ficarem na UE. Essa situação não é simples e vai demorar para se perceberem suas ramificações. Mas a primeira acho bem simples a ascensão de grupos ultranacionalistas que estão se aproveitando da situação de.medo da Europa para terem mais relevância. Na França, Holanda e Espanha esses movimentos tem cada vez mais força. E grupos assim não costumam ser bons em negociações e tem uma tendência de se fecharem.

                    • Tosoobservando

                      Vc falou tudo, dominancia dos outros que os ingleses agora podem impedir se quiserem, em seu mercado, assim como fez o Japao por muitos anos, como fez a Coreia do sul pra que florescesse la Hyundai e Kia, assim como esta fazendo a China agora pra fazer crescer suas marcas. Se tiver politica de governo pra isso no RU eles farao, pode ter certeza, pq dinheiro e know-how eles tem (o que falta por ex para o Brasil fazer o mesmo).

            • Luis Burro

              A nao sei se vao voltar a investir em uma,pq as q tinham antes,ou foram compradas ou faliram.

      • DINEIROO

        Um mercado restrito como a UE (500 milhões de habitantes) não vale apena ficar preso à ela.

        Só China e índia têm mais de 2 bilhões e a renda deles vem crescendo. Fora outros mercados: EUA, América Latina, Austrália e a Ásia.

        O ingleses que consomem mais do que vendem carros para os outros países, ou seja, quem perde é a Alemanha principalmente (as ruas da Inglaterra estão tomadas por carros alemães.

        UE não deu certo! Quem vive no dia a dia sabe e não é à toa que houve o Brexit. Outros países seguirão o mesmo destino.

        • Gustavo73

          Acho que você não leu que tem favricas na Inglaterra que exportam 100% da produção, que 51% dis Hondas feitos no UK são exportados e que os alemães tem mais de 100 fabricas no UK. Isso é ele exporta e exporta muito e agora isso será prejudicado. A UE tem tratados coma maioria das regiões você falou. E é muito mais poderosa negociando em bloco. Tanto Londres quanto as cidades mais industrializadas do Reino Unido votaram a favor de ficar na UE . Isso já diz muito.

        • th!nk.t4nk

          500 milhoes de pessoas de classe média é “restrito”? Caramba!

    • André

      Qual relação entre UE e ativar a industria automotiva? Um não impede o outro.

      • Tosoobservando

        Claro que impede, pensa numa coisa, pq o Brasil nao quis a Alca?

  • jfontes

    A situação inglesa ficará muito melhor. Não poderão mais ser forçados a comprar produtos mais caros, principalmente commodities de seus parceiros europeus, podendo buscar em outros países a custo mais baixo. Outro ponto positivo é o alivio de não precisar carregar um monte de países fracassados nas costas.

    • Tosoobservando

      O Brasil ja vai ganhar com isso entao, nossa especialidade sao as commodities.

      • jfontes

        Sim, já tem muita gente do agronegócio de olho no BREXIT.

  • celso

    Os britânicos fizeram uma bela c@gada.

    • Miguel

      Eu fico me perguntando se realmente eles precisavam mexer nesse vespeiro agora, com a economia mundial capengando, logo depois da crise de 2008, que pegou o mundo todo de supetão.
      Pra que essa instabilidade criada logo agora?

      • celso

        Nem eles (britânicos) sabem responder. Veja que já batem um arrependimento.

  • SDS SP

    Não sei, mas isso pode ser o começo de mais uma crise de proporções globais.

    Minha empresa (de origem alemã) terá que rever suas operações no Reino Unido…

    • Matafuego

      Começo? A zona do euro está com problemas financeiros já faz algum tempo. Fez certo o Reino Unido, caiu fora antes da bomba estourar de vez.

      • SDS SP

        Leia-se global…
        A empresa onde trabalho certamente vai rever suas operações, que culminará na demissão de muitos funcionários de origem local.

        Mas é cedo para falar se será bom ou ruim…

  • paulo sergio berezovski

    O Brasil também deve seguir o exemplo do reino unido e sair do Mercosul

  • Ramon Oliveira

    Maior porrada na esquerda globalista no século XXI. É o começo do fim dessa aberração chamada União Européia, que só serve pra empregar burocratas e passar regulações pra dificultar a vida do povo. Não é necessário participar dessa palhaçada supranacional para desenvolver um comércio internacional saudável, vide Suíça e Noruega.

    • Wolfpack

      Perfeito :D, mais um gênio da lâmpada. Quantas indústrias você conhece com sede nestes dois paises? Quantas montadoras gênio?

      • Tosoobservando

        O que a ver isso com UE? kkkk Na vdd a Inglaterra depois que entrou no bloco fez foi perder as suas, nao ganhar, quem dominou mais foi Alemanha e França.

      • Matafuego

        Nestlé, Novartis, Liebherr, Roche, ABB… Falando em montadoras, a Alemanha exporta 3 Bi de euros somente em veículos para a Inglaterra. É interesse da Alemanha ficar sem esse mercado?

      • Tosoobservando

        Das 500 maiores industrias, 7 sao nascidas na Suiça (nao multinacionais que tem sede la, que ae aumenta), e esse pequeno país fica logo depois de Canada e Brasil nesse ranking.

    • Zoran Borut

      Estou confuso. Livre-comércio agora é coisa de esquerda?

      • Ramon Oliveira

        Livre comércio não é coisa de esquerda, porém, a união européia serve como barreira para o comércio com o resto do mundo. E fora o ‘livre comércio’ da EU não é assim tão livre: são inúmeras regulações e entraves burocráticos que só dificultam o empreendedorismo e a inovação, há o sistema de cotas de setores entre os países, o que prejudica os paises com maior potencial, como a própria Inglaterra.
        Sem falar da face anti-democrática da EU, em que os tais representantes não são escolhidos pelo povo de maneira alguma, não há maneira de tirar tais figuras caso haja descontentamento, o parlamento n tem poder nenhum, enfim, é o sonho de qualquer socialista que ama o planejamento central.

  • Wolfpack

    Começo do fim para os Ingleses, pois em breve nem poderão se chamar britânicos mais, sem Escócia e Irlanda do Norte. Terão que abrir negociações bilaterais com todos os membros da União Européia, e ter sua validação por Bruxelas. Terão restrições e demora, burocracia alfandegária e estão em uma ilha, logo, que empresa que vive contando os centavos em seus processos logísticos vai se instalar na ilha?! Vocês acreditam que as grandes montadoras teriam transformado o México em um dos maiores produtos de automóveis sem o acordo de livre comercio com os Estados Unidos? É o fim para os ingleses.

    • Tosoobservando

      Nem poderao se chamar britanicos pq se a ilha se chama Gran-Bretanha é exatamente onde fica a Inglaterra? E onde vc viu que acabou o acordo de livre comercio?

      • Wolfpack

        Puts, com desenhos para explicar. Grã-Bretanha é o nome dado aos países que hoje formam esta união: Inglaterra, Irlanda do Norte, País de Gales e Escócia. Com a provavel independência de Escócia e Irlanda do Norte, o termo Grã-Bretanha terá que ser revisado. Okay, então a Grã-Bretanha vota pela saída do bloco econômico Europeu e na sua idéia, pensamento, permanecerá com todos os acordos de livre comércio? Que legal e interessante, genial por sinal, mas vc esqueceu de avisar aos operadores das bolsas de valores que derreteram do Japão à Bovespa. Quanta ignorância!

        • Tosoobservando

          O que vc citou se chama Reino Unido. Gran-Bretanha é so o nome da ilha onde fica Inglaterra, País de gales e Escocia. Esse nome é antigo, na vdd faz alusão aos bretões, o povo que colonizou, mas bretanha é a região norte da França, por isso a ilha inglesa se chama gran-bretanha. As Irlandas ficam em outra ilha nada a ver.

      • Pedro Ferreira

        O acordo de livre comercio é um acordo entre países da UE, se o Reino unido decidiu sair eles perdem o direito sobre o acordo

        • Tosoobservando

          Mas fazem novos, achas mesmo que a UE fica sem o RU? Ledo engano, e outra, eles vao ter muito mais liberdade pra negociar com o mundo todo, fora da UE. Assista o doc Brexit the movie full e entenda!

    • Leonve

      Eu só vou pôr mais uma peça nesse xadrez porque não pretendo continuar a discussão. É só que você e todos os que estão aí dizendo que Bruxelas não será amigável com o Reino Unido nessa aventura deles estão corretos, por diversas razões. A questão é que eles não vão ficar esperando apoio de onde não virá. Não é atoa que tanto se diz por aí que russos e chineses ganharam na loteria… e agora não digo mais nada.

    • João Paulo

      Suponho que Volks, Mercedes e BMW vendam bastante para o mercado britânico, será que os europeus irão ignorar o consumidor de alto poder aquisitivo da ilha ou tratarão de firmar acordos com Reino Unido mesmo ele estando fora da União Europeia? Outros países menores do velho continente já tem tratados fechados com o bloco, o mais natural é que aconteça o mesmo com a terra da rainha.

      • Tosoobservando

        A Suiíça é um ex.

  • Luis Burro

    Q ridiculo alegar sobre os estrangeiros.Se a taxa de natalidade e populacao ativa cada vz menor,qm sustentarah a previdencia se nao eles?
    E pior eh q na europa em sua maioria estah assim.O jeito eh importar gente!

  • Fabio Marquez

    Estão montando um cenário assustador para os próximos tempos. O resto da Europa parece ter tomado mágoa dos ingleses e se comportam como o ex abandonado e querem que o Reino Unido junte suas malas e vá embora logo, sem se importarem muito com as consequências disso, inclusive graves para o resto do bloco. O Reino Unido que se vire com outros mercados, pois pelo jeito as portas da Europa vão se fechar.

    • Tosoobservando

      Como se fechar se um dos maiores mercados para a UE é exatamente UK? Os carros alemães por ex, 30% são vendidos la, dominaram o Reino Unido.

  • animefriendsSP

    E o Mercosul?

  • Boris

    O Reino Unido nunca foi pobre e nunca será.
    Duvido que ergam-se barreiras alfandegárias.
    Deverá haver barreira migratória. É necessário

    • th!nk.t4nk

      É o contrário. Em relação a imigração nada muda. O que muda é justamente que agora retornam barreiras alfandegárias. Quanto a “nunca foi pobre”, diziam o mesmo de tantas outras potências milenares, e que hoje estão na lona (leia a história de Roma).

      • Boris

        É cara…. vou concordar pra não ter q ficar explicando.

      • Tosoobservando

        As tais barreiras alfandegarias que vc cita sao as mesmas que eles tem com varios países, incluindo o Brasil. Apenas se estendera aos países do bloco.

  • Rodrigo

    ;)

  • Lucas Furtado

    Estava usando o Park Assist no modo turbo.

  • EuMeSmObYmYsElF

    o que leva uma pessoa a fazer isso?

    • celso

      Imbecilidade e muito dinheiro.

  • João do Cão

    Acho engraçado povo falando de esquerda, de direita…
    Se perguntar uma definição técnica disso, 99% não sabe o que dizer (sem antes fazer uma bela consulta na Wikipedia, é claro).
    Essa geração OlaVVo de CarVValho é fogo (Vampiro da Virgínia), seguidora contumaz de gurus digitais Youtuberísticos.

  • Marcus Vinicius

    A União Européia poderia refazer um acordo comercial com a Inglaterra nos moldes de Turquia e Rússia que têm acordos comerciais com o bloco europeu mas não são associados !

    • Tosoobservando

      Suíça e Noruega tambem sao casos assim!

      • th!nk.t4nk

        Nao… Ler acima. É um caso totalmente diferente desta vez.

    • th!nk.t4nk

      Nao. É justamente isso que nao acontecerá, pois assim a UE se desmancharia por completo, entao jamais aceitariam isso. O que deve acontecer é que as barreiras alfandegárias retornam ao UK sim. Suiça nao é um país, é apenas um pedacinho de terra que se mantém como paraíso fiscal, com sua meia dúzia de habitantes. Nao dá pra citar como exemplo jamais.

      • Tosoobservando

        Kra serio que vc ta falando com tal desinformação sobre a Suíça, vc conhece a industria de la, vou te apresentar somente alguns: Novartis e a Roche, Nestlé, Credit Suisse, Swatch, UBS, ABB, Zurich Financial Services etc.. Na lista dos países com maiores empresas entre as 500 maiores do planeta, a Suiça vem em 9, logo após Canada e Brasil. E a Suíça tem um dos maiores pib per capita tambem, o dobro do dos Eua.