Renault Kwid aparece em testes na Europa

29/01/2016

Renault-Kwid-spotted-testing-in-Netherlands

Esperado no Brasil, o Renault Kwid foi visto em testes na Europa. O subcompacto de acesso da marca francesa na Índia estava parcialmente camuflado em flagra na Holanda.

Embora a Renault tenha dito oficialmente que ele não seria vendido no velho continente, as suspeitas de que venha a ser um produto da Dacia ainda são grandes.

O Kwid também pode acabar sendo feito no Magreb, tanto no Marrocos quanto na Argélia. Com a crise do mercado russo, ele poderia acabar atendendo o Leste Europeu no máximo.

Aqui, o Kwid deve chegar com motor 1.0 de três cilindros de origem Nissan, tendo talvez uma proposta aventureira com o nome Stepway, assim como o Sandero. O preço na casa dos R$ 30.000 é atrativo.

[Fonte: IAB]









  • Giovani

    “sub-compacto”. Quando leio isso começo a pensar nos padrões mundiais… afinal se um Fusion lá nos EUA são considerados médios, o Corolla compacto e o Sonic sub compacto imagine uma miséria dessas seria um sub-compacto mini? igual ao Celta?

    Outro assunto era as fotos desse kwind que parecia um carro bem maior agora que mostrou a sua cara é um sub-compacto.

    Será que vem pro terceiro mundo das americas?

    • edgar__rj

      Amigo, bem vindo ao NA.

      Se olhar as postagens anteriores sobre o Kwid, verá que tem até data de apresentação ( Salão do automóvel ). O veículo inclusive já está em testes aqui no HUEsil.

    • automotivo

      Na boa cara, os americanos tem um poder de compra maior, a cultura deles é diferente, eles gostam de carro grande mesmo. Possuo uma picape, mas todo mundo sabe que não legal pra dirigir dentro de nossas cidades. Então, nosso mercado é sim, a nível de India, Rússia, etc. China já tá um pouco acima. mas mesmo assim, lá também tem mercado pra esses ´´caixotes´´. No mais, é complexo de vira-latas mesmo.

      • EJ

        Além da cultura ser diferente, tem a questão (física mesmo) do espaço para os veículos circularem. Nos Estados Unidos a maioria esmagadora das cidades possui vias e espaço de sobra para que o consumidor passeie de Hummer H1 ou F-350 (ou nomenclatura similar atualmente em uso pela Ford por lá) com eixo de rodagem dupla no centro da cidade sem causar caos, pois há espaço. Salvo raras exceções como a cidade de Nova Iorque, uma ou outra.

      • Minerius Valioso

        Mas na Europa também a classificação é a mesma dos norte-americanos. Como exemplo da Ford, Fiesta é subcompacto, Focus é compacto e Fusion é médio.

    • oscar.fr

      Esta denominação que tu trouxestes é a norte-americana, perceba que na Europa ela é diferente e bastante semelhante a nossa. Sub compactos: Up, 500, Twingo, 106, etc. Compactos: Polo, Punto,Clio, 208. Médios: Golf, Bravo, Mégane, 308. Grandes: Passat, Talisman, 508 e por aí vai. Nosso mercado não segue de maneira nenhuma a classificação norte americana, ele é mais próximo a européia.

      • Rodrigo

        Exato. E há lugares onde nem subcompacto entra, daí é a pé ou de lambreta / scooter

      • CignusRJ

        Ao ler seu exemplo fiquei com uma dúvida.
        Médio peugeot 308
        grande Peugeot 508
        onde entraria o 408?

        • José Eduardo D’Acampora Guazzi

          Médio sedã é o 408, o 308 é o médio Hatch. Grande é o 508 (sedã)

        • oscar.fr

          O 408 é um médio. No caso um sedã médio, tipo de carroceria que não emplaca na Europa Ocidental. Por exemplo, a Renault lançou o Fluence na França, mas logo tirou do mercado, pois ele ficou com preço bem próximo ao Laguna III e, logicamente, não vendeu nada.

      • Minerius Valioso

        Segundo a classificação do EuroNCAP o Up é um city-car, o Polo é um supermini e o Golf um small family car. Tem alguma diferença?

  • Rodrigo

    Ué, não é na Europa que os carros da Dacia estão fazendo o maior sucesso justamente pelo baixo custo? Por que não um Renault?

  • Gavlan The BeerMaster

    Pra mim esse vai ser o novo carro da Renault de 35k…
    Essa história de abaixo dos 30 ou até 30k era viável antes da crise, agora o mais barato pode ser tornar o antigo muito caro, conheço muita gente que dava (lê-se: financiava) 60k num Corolla mas não dava 32k em um Gol, hoje em dia ele nem tem os 32k para dar no Gol (até mesmo por que um Gol decente custa 54k) e nem os 60k para dar no Corolla.