Europa História Rolls Royce

Rolls-Royce, o suprassumo do luxo

rolls-royce-10

Rolls-Royce 10

Em 1904, Henry Royce constrói um veículo com motor de dois cilindros, chamado Royce 10. Ele apresentou o carro no hotel Midland, onde estava Charles Rolls, membro da nobreza britânica e dono de um concessionário de automóveis em Fulham, Inglaterra.

Charles-Rolls

Charles Rolls

A boa impressão de um carro com motor de dois cilindros, fez com que Charles Rolls – cuja preferência por motores de três e quatro cilindros era conhecida – financiasse a fabricação dos carros de Royce. Naquele mesmo ano, foram lançados quatro modelos baseados em potências de 10, 15, 20 ou 30 cv, sendo este último já com um motor de seis cilindros em linha.

Sir_Henry_Royce

Henry Royce

Com o sucesso, a dupla funda a Rolls-Royce Motor Cars em 15 de março de 1906. Decidiram construir uma fábrica em Derby, mas antes captou-se dinheiro com a venda de ações na Bolsa de Londres no mesmo ano.

Em 1907, a empresa fabrica seu primeiro motor aeronáutico. A produção começou em 1908. Já dona da concessionária que fora de Royce, a empresa começava a crescer, quando perde Charles Royce em 12 de julho de 1910.

Spirit_of_Ecstasy

Spirit of Ecstasy sobre o radiador do Corniche

Spirit of Ecstasy

No ano seguinte, uma variação da estatueta “The Whisper”, relacionada com um caso amoroso envolvendo a nobreza, surgiu a “Spirit of Ecstasy”, que se tornou o símbolo da marca inglesa, pois até então os radiadores dos carros da Rools-Royce recebiam apenas o logotipo e vários adornos inapropriados, talvez exceto o The Whisper, eram adicionados por seus donos.

Na Primeira Guerra Mundial, a Rolls-Royce passa a fazer parte do grupo de fornecimento de material bélico para as forças armadas britânicas, destacando-se na construção do primeiro veículo blindado do país, utilizando chassis do Rolls-Royce 30 Silver Ghost, bem como motores aeronáuticos, que seria especialidade de companhia nos seguintes.

rolls-royce-silver-ghost-40-50-limousine

Rolls-Royce 40/50 Silver Ghost Limousine

Depois da guerra, a Rolls-Royce emplaca o Phantom em 1925, enquanto o novo 40/50 é identificado como Silver Ghost. A robustez desse último fez a empresa vender 6 mil exemplares, fruto da experiência obtida na guerra.

Em 1931, a Rolls-Royce adquire a rival menor Bentley, que quase faliu após a Grande Depressão. A partir de então, os carros das duas marcas eram muito parecidos, diferenciando-se em pequenos detalhes.

rolls-royce-25-30-tourer

Rolls-Royce 25/30 Tourer

Nos anos 30, a marca continuou a elevar o status de carro de luxo. Em 1933, Henry Royce falece aos 70 anos. Com a Segunda Guerra, a Rolls-Royce atuou fortemente na produção de motores de aviões militares e outros materiais para a defesa do país.

rolls-royce-silver-dawn

Rolls-Royce Silver Dawn

Pressed Steel Company

Um ano após o fim do conflito, a Rolls-Royce lançava o Silver Wraith, uma releitura do modelo apresentado em 1938, mas que durou até 1939. A produção havia sido mudada para Crewe e um novo processo de fabricação foi introduzido, o Pressed Steel Company, um novo padrão de construção em aço. Três anos depois, surgia o Silver Dawn, acompanhando pela Phantom IV em 1950.

Em 1951, a Spirit of Ecstasy deixa de receber assinatura, enquanto inicia-se a produção de motores diesel para uso agrícola, industrial e mais tarde em caminhões. Os modelos Silver Cloud, Phantom V, Silver Shadow e Phantom VI foram introduzidos pela Rolls-Royce até o começo dos anos 70.

rolls-royce-corniche

Rolls-Royce Corniche

No final dos anos 60, a Rolls-Royce envolveu-se no desenvolvimento de uma turbina aeronáutica chamada RB-211, que deveria estrear no avião comercial Lockheed L-1011 Tristar. Mas os investimentos levaram a empresa como um todo à beira da falência. Para salvar a companhia, o governo britânico estatizou-a em 1971.

Como parte do processo de recuperação, a divisão aeronáutica foi separada. Assim, a Rolls-Royce Motors surge com o papel de vender os carros da marca e também da Bentley. Foi nessa gestão que surgiu o famoso Corniche, bem como o Camargue. Os modelos Silver Spirit e Spur tiveram similares na Bentley.

rolls-royce-camargue

Rolls-Royce Camargue

Vickers, Volkswagen e BMW

Em 1980, a Vickers adquire a Rolls-Royce Motors e sua gestão vai até 1998, quando a empresa decidiu vender a montadora. O comprador mais cotado era a BMW, que já havia fornecido motores para os carros de luxo, mas a Volkswagen fez uma oferta melhor.

O acordo foi inusitado. Até 2002, a BMW forneceria motores e permitiria que a VW usasse a marca Rolls-Royce. Em 2003, a marca bávara assume a marca Rolls-Royce e transfere a produção de seus modelos para Goodwood, deixando de fazer o Silver Seraph em Crewe, que fica com a Bentley, agora sob o controle da Volkswagen. A Bentley também leva o direito sobre o clássico motor V8 6.5.

rolls-royce-silver-seraph

Rolls-Royce Silver Seraph

A Rolls-Royce Motor Cars, que surgiu após a separação da Bentley, passou a fabricar os modelos Phantom de nova geração. A versão longa surgiu em 2005, enquanto a conversível Drophead apareceu em 2007. O cupê foi lançado no ano seguinte. O menor Ghost apareceu em 2010, tendo o Wraith (o mais potente modelo feito pela marca) em 2013 e o Dawn em 2015.

A empresa atualmente é conhecida por seu elevado nível de qualidade e confiabilidade, assim como por ser considerada o topo de linha entre as marcas de automóveis de ultra luxo. Seu status é reconhecido globalmente e seus clientes vão de famosos à anônimos.





  • Rude Voleur

    Eu provavelmente vou morrer sem nunca ter passado perto de um RR na vida… :/

    • Freaky Boss

      calma

  • Alfredo Araujo

    Parafraseando Zeca Pagodinho…
    “Nunca vi nem ANDEI eu só ouço falar… rs

  • Foxtrot

    Já vi e andei em 2 ^^

    • Aires Jone

      Kkkk

    • Bittencourt

      KKKK!!!

    • Alfredo Araujo

      Boa… rs

    • zekinha71

      Vc venceu kkkkkk.

  • Bruno Silva

    Preciso nem falar nada, basta ver minha foto de perfil kkkk. Foi o carro que mais fiz questão de conhecer na Europa, esse azul sem dúvida era o mais bonito, mas também em outras cores. Engraçado que preto, ele não chama tanta atenção, talvez pelas linhas do carro mesmo.
    Obs: tive que diminuir a qualidade da foto pq o disqus só aceita até 2Mb.

  • JoãoAVR

    Eu passei ao lado de um Phantom branco com um senhor bem de idade dirigindo em SP. É o tipo de imagem que marca a gente

  • Rafael Trindade

    Em 2008 vi o primeiro DropDead vendido no RS. Para familia dos Grendene;

    • Bittencourt

      Drophead, não?

  • vicegag

    Em 1904, no início da empresa foram lancados modelos de dois até seis cilindros, com potências de 10, 15, 20 e 30 cv.
    Hoje em dia a poderosa GMB (e outras aqui no Brasil), fica(m) décadas usando o mesmo motor.
    É uma vergonha.

    • Alfredo Araujo

      ????????

  • Bittencourt

    Nunca havia sequer ouvido falar nesse Carmague…valeu NA!