Antigos Conversíveis Europa História Sedãs

Sachsenring P240 foi um luxuoso da Alemanha Oriental

sachsenring-p240-1

Sachsenring P240 (ainda com a marca Horch)

Com o fim da Segunda Guerra e a derrota da Alemanha, as fábricas de automóveis sobreviventes no lado oriental do país, ocupado pela URSS, passaram a produzir veículos para o governo que passou a vigorar na República Democrática Alemã, a chamada DDR.

sachsenring-p240-cabriolet

Sachsenring P240 Cabriolet (Horch)

A antiga fábrica da Horch em Zwickau, passou para a produzir veículos a partir de 1954 sob empresa VEB Sachsenring, que começou com o modelo P240, considerado um carro de luxo. O propósito do projeto era atender os funcionários comunistas de alto escalão com um carro mais confortável e espaçoso.

sachsenring-p240-fabrica-horch

Sachsenring P240 na fábrica da VEB Horch em Zwickau, Alemanha

O Sachsenring P240 tinha 4,73 m de comprimento, 1,72 de largura, 1,60 de altura e 2,80 de entre eixos, pesando 1.480 kg. O modelo herdara um motor Horch de seis cilindros em linha 2.4 de 80 cv com 17 kgfm, suficientes para atingir 140 km/h. O consumo médio era de 8,3 km/litro. O nome Horch fora abandonado a partir de 1957 por conta de uma ação judicial movida pela Auto Union na Alemanha Federal.

sachsenring-p240-museu

Sachsenring P240 com sua própria marca

A fábrica já tinha experiência em carros de luxo da antiga marca germânica, mas agora teria de enfrentar um concorrente dentro do bloco comunista. Nem bem foi apresentado, o Sachsenring P240 encontrou o tcheco Tatra 603. A montadora da Tchecoslováquia foi obrigada a produzir somente 300 carros de luxo por ano.

sachsenring-p240-motor

Sachsenring P240 (motor Horch 6 2.4)

No entanto, a Tatra fazia bem mais que o estabelecido pelo Comecon (Conselho para Assistência Mútua dos países do Leste Europeu). Então, os dois países chegaram a um impasse, pois só poderia haver um fornecedor de carro oficial de luxo na Alemanha Oriental. Por fim, a disputa foi vencida pela Tatra.

sachsenring-p240-gagarin

Sachsenring P240 com Yuri Gagarin em Berlim Oriental

O P240, mesmo assim, foi fabricado entre 1956 e 1959, tendo sido feitos mais de 1.382 unidades do sedã, perua e conversível de quatro portas. A meta original era de 15.000 veículos. Após o fim de linha do modelo, a VEB Horch a fazer tratores e o simpático Trabant em Zwickau.

sachsenring-p240-reprasentant

Sachsenring P240 Repräsentant

Somente em 1969, cinco exemplares do P240 conversível foram produzidos com visual moderno, sendo chamados de Repräsentant e feitos para comemorar os 20 anos da DDR. Outro conversível, do modelo clássico, desfilou por Berlim Oriental em 1963 com o cosmonauta russo Yuri Gagarin.





  • Adriano

    Corrigir “empasse” para “impasse”.

  • Mr. Car

    “Atender os funcionários comunistas de alto escalão com um carro mais confortável e espaçoso”, he, he! É comunista sendo comunista: o comunismo é sempre muito bom… para ser aplicado aos outros. Cambada!

    • mjprio

      Essas pestes vermelhas sao piores que os ditos elitistas. Tratam o gado a pao e agua de graça pra gozar de regalias. Por isso esses imundos tinham que ser expurgados da face da terra

  • JAC

    “A amiga diz para a mãe que o menino está marchando com o passo errado. Mas a mãe responde: “O meu filho marcha certo! Errados estão os outros!”
    Corolla 55,13% Market Share!!! Vou para os comentários e o enfoque não é o que carro tem para tanto,e sim o que seus compradores não tem!!!

  • Freaky Boss

    Fui há um tempo atrás a Berlin (já depois da queda do muro) e alugavam-se os carros usados na época da parte socialista de Berlin, como o famoso TRABANT. (aliás que lugar interessante para se conhecer, recomendo!).
    Esses carros ficaram como relíquias de um passado. O carro é muito rudimentar, mas é uma experiência interessante olhar um carro desses de perto, transitando (com turistas) no meio dos golfs , mercedes e etc.

  • mjprio

    E isso ai brazucas. Se os milicos nao tivessem impedido os vermes de implantar o regime marxista, o maximo em termos de carro que teriamos era isso. E na famosa ditadura do proletariado o povao iria andar a pé. Nossas carroças ainda eram melhor que esse traste sobre rodas.



Send this to friend