Governamental/Legal Trânsito

São Paulo: Mais de 3 milhões de multas geram alta de 86% no primeiro trimestre

radares-sp1

A CET em São Paulo divulgou o balanço do primeiro trimestre de 2016. O resultado foi que mais de 3 milhões de multas foram aplicadas na capital paulista, representando alta de 86% em comparação com 2015.

O volume é relativo somente à fiscalização eletrônica feita por radares fixos e móveis. Boa parte dos equipamentos estão ocultos em pontes e viadutos, além de agentes da CET e guardas da GCM.

A maior alta foi registrada em radares no final de estradas, onde o condutor tem de reduzir a velocidade para o trecho urbano. No viaduto de acesso ao São Paulo Expo, onde será realizado o Salão do Automóvel 2016, há um conjunto de radares de 70 km/h.

Os dispositivos fiscalizam a velocidade dos veículos provenientes da rodovia dos Imigrantes e foram os que mais registraram alta nas autuações por excesso de velocidade no primeiro trimestre: 71.706. São Paulo tem 926 pontos de fiscalização em 2016 contra 808 de 2015.

[Fonte: G1]





  • Diego

    Haverá eleições municipais, uma cobrança devida é a diminuição desse sistema que nada tem de educativo ou sirva para conscientizar, fato que é para arrecadar, gostaria muito que os recursos tivessem destinação exclusiva para a secretaria de educação.

    • João Cagnoni

      Podem até ser destinados para a secretaria de educação, mas lá o balde também é furado.

      • MauroRF

        O balde é furado em qualquer coisa pública, João. Infelizmente, essa é a realidade do país. Não há nada que não seja feito sem superfaturamento, sem esquema, sem desvio, ou seja, sem corrupção. Do vereador da menor cidade do Brasil ao Presidente da República.

        • João Cagnoni

          Infelizmente a maioria da população ainda acredita que um candidato aparecerá para salvar o país. Não sabem como funciona um órgão público.

          • MauroRF

            Não tem salvação. O esquema político corrupto é tão sólido que qualquer um que entrar nele terá que se corromper ou dança. É cultural o problema. E foi o que eu disse, vai desde o vereadorzinho daquela cidadezinha no interior até o presidente da república, não escapa um. Só para você ter uma ideia, eu morei numa cidade do interior de SP e conheci bastante gente, até gente que conhece políticos e eu soube que, sim, havia alguns vereadores honestos mesmo. Mas são a minoria. E eles querem trabalhar, ter seus projetos aprovados, mas sabe o que os vereadores maiores corruptos (e geralmente a mando dos grandes empresários, políticos e fazendeiros da região) fazem? Obrigam esses caras a entrar nos esquemas. Se não entrar, essa maioria sempre votará contra os projetos dessa minoria, que ou vai ter que renunciar ou não vai conseguir fazer nada. Veja, estou falando de uma cidade, imagina todas as outras, todos os governos estaduais, repartições públicas etc. etc. etc. Por isso que o Brasil nunca sairá disso. Você disse bem: o povo fica esperando esse candidato, mas ele nunca aparecerá porque isso não é possível.

          • Artur

            Eu até acredito que exista algum político que, no fundo, seja honesto. Mas, mesmo assim, o cara é obrigado participar dos esquemas, pois se não participar, corre risco de morte! Rsrs

            • paulo sergio berezovski

              Não existe político honesto,imposto é roubo e eles vivem dos nossos impostos portanto são parasitas,ladroes,temos que acabar com os políticos senão nunca vamos ser prósperos

        • Hélio

          se fosse só coisa pública…. com essa crise tem muita empresa privada em busca de enxugar as contas, tá achando cada desvio, superfaturamento, etc… bem-vindo a cultura da corrupção

    • Blessa

      A partir do momento que se coloca uma velocidade de 50 km/h nas marginais e avenidas de toda a cidade, já fica claro a intenção de aumentar a arrecadação para os ” BOLSOS PÚBLICOS ” , mesmo com o pior carro 1.0 fica complicado manter essa velocidade, olhamos mais para o velocímetro do que para o trânsito em si, pior que o próximo prefeito não vai mudar absolutamente nada, a educação no trânsito fica longe da cabeça deles, o negocio é encher os bolsos.

      • MauroRF

        Mas é justamente nessa tecla que bato, a prefeitura dá a desculpa de segurança, mas isso é equívoco porque mesmo que você coloque limite de 100 km/h, sempre vai haver vários espertinhos correndo, colando, costurando, dirigindo bêbado, fora as outras atrocidades no trânsito, como pedestre tentando atravessar Avenida dos Bandeirantes fora de faixa (tem um monte) o problema é de educação. E 50 km/h é um limite muito abaixo do que seria a velocidade ideal normal da via. E aí vem alguém e diz que é mais seguro, que reduz acidentes. Pode até reduzir, mas, repito, estamos atacando os sintomas e não a causa. Se tivéssemos um povo educado e civilizado, garanto a você que o limite poderia ser de 80 km/h que teria muito, mas muito menos acidentes do que hoje com 50 km/h.

        • Blessa

          Concordo.

  • Zé Mundico

    Enquanto houver motorista cometendo infrações existirão multas.

    • MMM

      Negativo. Ano passado um motociclista caiu na Anchieta e para desviar dele entrei na faixa de ônibus e fui multado. Recorri da multa e foi indeferido. Por essa lógica eu deveria ter matado um motociclista para não cometer uma infração.

      Enquanto isso, todas as manhãs, vários “espertos” trafegam no acostamento da mesma rodovia, E para a prefeitura e o DER, eu sou um infrator e eles não.

      • Zé Mundico

        Seu caso é só um caso. Claro que nem todo mundo vai ser punido , mas de um modo geral a multa é a confirmação de uma falta.

    • !Marcelo Surf!

      A CET é a única empresa que dobra o faturamento todo ano independentemente de qualquer crise.

      Não existe crise para a Indústria das multas.

      Quer um exemplo:
      Na época do Paulo Maluf, antes de começarem a multar por falta do uso do cinto de segurança, houve pelo menos seis meses de campanhas e campanhas de conscientização, com agentes do transito distribuindo panfletos, e abordando os motoristas sem cinto, mas com apelo educativo, comerciais no globo em horário nobre, etc etc etc.

      Por que agora, saiu a lei do farol alto da estrada, e em menos de 2 semans que a lei entrou em vigor, as policias rodoviárias já estão multando a todo vapor, sendo que nenhum mísero panfletinho nos pedágios foi distribuído para conscientização. Isso é ou não é a indústria das multas?

      • Zé Mundico

        Não, é a indústria da displicência e do descaso. A multa é o preço disso.

  • MauroRF

    Radares escondidos e radares logo no final de rodovia, onde ocorre uma grande variação da velocidade máxima permitida. Depois vem um monte de gente dizer que não é para arrecadar. É o fim da picada.

    • Hiboria

      Simples, só respeitar o limite.

      • T1000

        Não é tão simples.
        Você vir de algumas horas dirigindo a 110, 120km/h e ser informado por 1 única placa que o limite reduziu, e logo depois o radar, é muita sacanagem.
        Se tinha um caminhão ou ônibus cobrindo a sua visão da placa, você se ferra de graça.

        • Zoran Borut

          Somente com sinalização repetida no solo isso poderia ser evitado.

          • MauroRF

            Tem lugar que é assim, Zoran, aí até posso aceitar.

        • Hiboria

          Olha, hoje um aplicativo ajuda a saber a velocidade. GPS em celular ou portátil…..
          Pelo que sei, ignorância não pode ser utilizada em defesa perante a lei.

          • MMM

            O problema não é ignorancia, mas falta de fiscalização efetiva aonde precisa e “pegadinhas” para multar.

            Várias infrações não são fiscalizadas pq não existe pessoal para isso. Então isso é compensado nas pegadinhas.

            Na Via Anchieta marginal você vem a 90km/h e em uma das saídas a velocidade vira 60km/h. Você entra na alça de acesso que é uma curva fechada e já existe uma placa que muda para 40km/h e sempre tem um radar. Resumo da história, quem não conhece ali, entra, vê o radar e enfia o pé no freio. Várias vezes presenciei quase acidentes por causa disso. Resumindo, você tem um radar que diminui a segurança ao invés de aumentar.

          • T1000

            cara, , numa situação onde você está rodeado de carretas e todo mundo andando chutado, eventualmente com chuva e nebblina, que são as condições das entradas de sao paulo, a ultima coisa que vou olhar vai ser para um celular ou gps

            • Hiboria

              E acredito que estará abaixo da velocidade máxima.

              • T1000

                você já dirigiu alguma vez na vida?

          • T1000

            Não só na capital paulista, mas em várias rodovias do interior, como a Washington Luiz, Anhanguera, Marechal Rondon, etc, você tem limites de 100 ou 110km/h e em certos trechos retos e duplicados, a velocidade automaticamente é diminuída para 80, 70, 60 ou 50km/h, mesmo sem ter cidade alguma nas margens, você olhando só mato. Na maioria das vezes, há uma única placa indicando e logo depois, o radar. Se você dá uma bobeada, passa lotado. Se tiver um caminhão de cana tampando a sua visão da direita, também. Com chuva, à noite, neblina, também.
            É muita sacanagem.

          • Fernando S.

            Vc está dizendo que pra andar em SP devemos usar aplicativos… Mas e a sinalização básica, cadê?

            • Edson Fernandes

              Isso não importa, passa a ser um problema seu. Alias o que depender da prefeitura ou estado, é o que eles irão preferir, que eles criem uma obrigatoriedade que você nao a respeite e ainda você que tenha jeito de saber dessas coisas.

      • MauroRF

        Isso, respeitar limite bem abaixo do que seria ideal. Qualquer idiota sabe que 50 km/h em um monte de avenida de São Paulo é forçado, até uma vovozinha, caso se descuide um pouco, passa fácil disso, e isso prova que esse limite de velocidade está bem abaixo do ideal. E é essa a finalidade da prefeitura, que o cara estoure com facilidade o limite. Todas essas avenidas eram antes 60 km/h, que antes eram 70km/h. Os 70 km/h de antes eram muito bons, o carro ainda gastava pouco e era uma velocidade natural de ser atingida, não essa aberração de 50 km/h. E outra, como bem colocou o T1000 abaixo, é muita sacanagem essa redução abrupta da velocidade, com radar logo em seguida.

        • Hiboria

          Não sou especialista, portanto não tenho bagagem para discutir a viabilidade técnica, porém com um ano de redução os acidentes graves foram bastante reduzidos e isto é fato.
          Sei que muitos aqui me chamarão de burro, idiota, ignorante, mas para mim 70 ou 50, pouca diferença, o impacto serão poucos minutos, mas uma vida vale muito mais.
          Também tenho pressa, também canso de andar com carro devagar, mas se pode evitar acidentes acho mais importante que meu tempo.
          Enquanto a sinalização, concordo que deve ser muito melhorada, mas para regiões como as marginais, imigrantes, bandeirantes, Anhanguera, todos sabem a velocidade.

          • MauroRF

            Mas é óbvio que com limite menor ia diminuir o número de acidentes, mas a grande maioria deles não ocorre porque o cara anda a 70 km/h, ocorre porque tem bastante gente que anda muito mais do que isso, eu me canso de ver. Para essa gente, limite de velocidade não existe, o cara freia apenas perto dos radares (daí eu achar que o radar móvel, desde que corretamente usado, sem truques, faz sentido). Qualquer avenida de SP, principalmente com trânsito livre, geralmente de sábado de noite, domingo, permite que se atinja qualquer velocidade. E a molecada, geralmente bêbada, corre mesmo. E o que tem de pedestre que atravessa fora da faixa. Aí vem muita gente dizer que é melhor então baixar para 50 por hora porque reduz o número de acidentes. Ok, mas essa velocidade está abaixo do ideal, e o erro não está aí, o erro está na educação do brasileiro em atravessar fora da faixa, em dirigir muito rápido, em dirigir bêbado, costurando, sem repeitar faixa. A gente tem a velha mania de atacar os sintomas e não as causas. Baixar limite para 50 por hora é atacar o sintoma. A prefeitura disse que a finalidade era essa, mais segurança, mas tá na cara que é pra arrecadar mais, e os números não mentem. Some-se a isso os truques de radar logo depois da placa, a busca desenfreada pela arredação via multas e fica essa bagunça toda.

            • Hiboria

              Concordo com vc, mas já desisti de esperar a “educação” do brasileiro.
              Você atacou os pontos fundamentais!

              • MauroRF

                Eu também desisti. Como não me canso de repetir, o problema é cultural, o Brasil é assim desde 1500. Somos minoria nesta terra.

                • Hiboria

                  Pois é. Tenta andar a 100Km/h na Anhanguera, não dou 15 minutos para te empurrarem ou levar xingamento.
                  Concordo quando dizem da sinalização ou mesmo pegadinhas, porém não acho que esse seja o principal problema, a população tem que parar de terceirizar a culpa e tomar maiores atitudes cívicas, agir pelo exemplo.
                  Coloquei na minha cabeça que cuidarei da minha vida e farei minha parte, fora isso, esquece!

              • Edson Fernandes

                só um detalhe do que vc citou antes: A redução de velocidade causou um aumento do estresse… já que quem mora em SP agora não consegue rodar em vias livres em qualquer hora do dia. (iinclusive a noite)

          • Walter Augusto

            Sim, houve redução, mas poderíamos reduzir em 100% as mortes. Sabe como? Proibindo os carros de andarem nas ruas. Quer uma justificativa melhor ? Zero mortes no trânsito !!!! Vamos todos andar de bike.

            • T1000

              bicicletas também geram mortes.
              acho que deveriam ser proibidas, como carros e motos.
              só se pode andar a pé.

              • MauroRF

                Nem a cavalo, senão dá morte também, rs.

          • Gustavo73

            Segundo quem houve redução dos acidentes? Quem fez as estatísticas? Alguém isento fiscalizou? A indústria existe a maior prova é que enquanto alguns lugares são super fiscalizados outros são abandonados. O dia que as empresas de radares pararem de ter um percentual do valor das multas isso acaba. Um aumento no índice de multas nessa proporção mostra que tem algo errado.

      • Fernando S.

        Sim, reduza bruscamente de 110 para 70 e corra o risco de ter a traseira do carro enchida em cheio.

        • Edson Fernandes

          E na Fernão Dias há alguns anos atrás que o limite era 110km/h e tinham dois radares NA CURVA de 50km/h? Mais matava que ajudava aquilo…

          • Fernando S.

            Tem um na Raposo, saindo do interior sentido SP, que é nesse naipe. A velocidade é 90 e num trecho (SEM CURVA) cai pra 60, tem radares a rodo e depois volta a 90.

            • Edson Fernandes

              Sei bem onde está falando! Ao menos não é uma supresa de radar, ainda que a via comportaria numa boa uma velocidade maior.

    • Zoran Borut

      Bem, qual o sentido de haver um radar com aviso de que ali haja um radar, se o objetivo é forçar todos os cidadãos a cumprirem a lei independente de fiscalização? Seria como colocar uma placa num bairro dizendo: “aqui não tem polícia, pode roubar”. Enfim, você involuntária e inconscientemente expressou bem como é a mentalidade de nosso país, criado na base da exploração de tudo e de todos desde a época de colônia, uma cultura de tirar vantagem sempre que surge oportunidade, e que nos deixa nessa situação catastrófica de não se reconhecer como um povo.

  • Snoop Dogg

    SOMOS LIVRES E VIVEMOS EM UM PAIS DEMOCRATICO! #SOQUENAO

  • Victor Hugo

    Radar deveria ser item de segurança. Em trechos de acidentes, próximo à escolas, hospitaits ect e com placas de aviso, sinalização, farolete, e tudo mais que obrigasse o condutor a reduzir a velocidade. No mais, só serve para arrancar uma grana mesmo.

    • MauroRF

      Hoje mesmo li uma reportagem de um caminhão desgovernado que atropelou um monte de gente em uma avenida da zona norte de SP, teve até morte. E os moradores vivem exigindo providência da prefeitura, como lombada ou radar naquele trecho, pergunta se eles foram atendidos. Claro que não! Vão colocar radar onde pode dar grana. Isso prova que a máquina é feita para arrecadar, não para educar. Este país não tem jeito mesmo, o problema é cultural.

  • Fanjos

    Nessas eleições vamos ver o quanto as urnas podem ser fraudadas. Se o Vagabbundard tiver mais que 10% dos votos, estará comprovada a fraude. É o pior prefeito de toda a historia de SP, a cidade esta abandonada, caindo os pedaços, suja, invadida, cheia de buracos, placas cobertas, tudo caindo os pedaços, “ciclovias” que começam no nada e terminam em lugar nenhum que nunca foram e nunca serão utilizadas, outras super faturadas, corredores de ônibus que são apenas uma faixa na rua, vixi se for escrever todas as desgraças que esse monstro causou, acho que ficou até amanhã escrevendo

    • delvane sousa

      Prefeito ruim em SP é igual aumentos no preço dos veículos. Vc sempre sabe que vai ter. Os Paulistas sempre se superam em se tratando de eleger prefeito ruim. Basta ver os últimos cinco eleitos. Cada um pior que o outro.

  • delvane sousa

    Vale lembrar que parte das Marginais é Rodovia. Com a lei do farol baixo durante o dia as multas tendem a aumentar. Os seguintes trechos: Marginal Pinheiros de interlagos até ponte Eusébio Matoso (SP-015), Av. Eusébio Matoso, da Regis Bitencourt até a Marginal Pinheiros (ROD. 116), Marginal Pinheiros, da Ponte Eusébio Matoso até o Cebolão (BR-116) e Marginal Tiete (BR-116). Dentre outras….
    Então se liga ai quem transita no entorno de SP.

    • MMM

      Isso é falso. As marginais tem administração municipal, logo não se configuram como rodovias. É o mesmo para Avenida Brasil no Rio de Janeiro.

      • zekinha71

        Já reparou que os smurfs só multam na via local, nunca eles estão na expressa.
        Dá a entender que as vias expressas são rodovia.
        E caberia a polícia rodoviária fiscalizar esses trechos, mas é terra de ninguém.

        • MMM

          Pois é, mas só pra esclarecer as dúvidas:

          “A Avenida Brasil, no Rio de Janeiro é o maior trecho urbano da BR-101 e sua administração foi municipalizada, por isso ela não é oficialmente uma rodovia, e sim uma via rápida. O mesmo vale para a Linha Vermelha, que apesar de atravessar três municípios é uma via rápida administrada pela Prefeitura do Rio De Janeiro. Nesses dois casos o uso dos faróis não é obrigatório durante o dia.

          As Marginais Tietê e Pinheiros de São Paulo são outro exemplo: embora sejam parte da rodovia SP-015, elas são oficialmente vias rápidas, assim definidas pela Portaria Municipal 21/2002, de 25 de maio de 2002. Dessa forma, o uso dos faróis também não é obrigatório durante o dia. Mas fique atento: nos trechos urbanos de rodovias estaduais e/ou federais — caso da Raposo Tavares, Anhanguera, Ayrton Senna, Bandeirantes, Régis Bittencourt, Castelo Branco etc — o uso dos faróis é obrigatório durante o dia.

          Em Recife a Prefeitura publicou uma nota em seu site oficial esclarecendo que as rodovias com trechos administrados pela CTTU são consideradas avenidas, e por isso não há a necessidade de usar os faróis durante o dia.

  • Hiboria

    Sou do interior de São Paulo, morei 4 anos na capital (nenhuma multa), depois morei 3,5 anos em Uberlândia (3 multas, 2 por semáforo e 1 por estacionamento), morei em São Carlos/SP (6 anos 1 multa de estacionamento em via contrária), 6 meses em Salvador, nenhuma multa e 4 anos no Rio de Janeiro, também nenhuma multa.
    Reconheço que todas as que tomei eu estava errado.
    Para mim se obedecer a regra não tem que pagar multa. Trabalho em uma área de logística (pessoas e materiais) e uma das maiores reclamações dos motoristas que tenho é de que são ofendidos por andar no limite da via.
    Gente, não nego que seja uma indústria de arrecadar, mas cai quem entra no errado, não sou contra radar e ainda acho que deveriam ser surpresa sem essa de aviso antes.

    • MauroRF

      Sim, mas desde que os limites sejam condizentes com a via e que não haja mudanças abruptas do limite, com radar logo em seguida. Eu já tomei multa na Castello Branco por isso, muda de 120 para 100 km/h e bem depois (coisa de poucos metros mesmo) tinha lá o danado, eu estava reduzindo, e ele me multou a 112, não é sacanagem? Fora isso, nunca tomei multa de nada, eu sou contra é essa esperteza do brasileiro (principalmente do poder público) de querer levar a melhor em tudo. Agora, se a velocidade máxima da via for indicada à exaustão (não precisa indicar que há radar), sem esses truques, concordo.

      • T1000

        esse da Castello é sacanagem

  • MalcriadoPR

    Acho é pouco. Bem feito. Sinalização não falta nas vias, toma multa quem quer.

  • Mr. Car

    Não existe uma indústria das multas. Só que SIM!

    • Mumm Rá

      Multaddad aprova essa notícia ( independente da Cidade ou Estado São Paulo )

  • zekinha71

    Passo sempre nesse trecho final da Imigrantes, e abaixo a velocidade para 70 e toda hora ficam dando farol, cortam pela direita, sendo que sempre estou na 2ª ou 3ª faixas e lá são 4, saem xingando e mandam vários dedinhos feios.
    Daí em vez de me estressar dou risada das multas que esse idiotas vão levando, e ajudando o pinta faixas.

    • Fernando S.

      Mal sabem eles que você, ao fazer essa redução, está ajudando eles a escapar do lápis implacável da prefeitura kkkkkk

  • mauricio

    FDP DESGRAÇADOS

  • Fernando S.

    Esse radar aí é o mesmo que foi falado no SPTV de ontem? Que sobe a Imigrantes a 110, em seguida tem uma placa de 70 km/h e nem 50 metros adiantes tem 4 radares escondidos no viaduto?

    Mas indústria da multa não existe [/alienado

    • zekinha71

      A Imigrantes é assim, nos tuneis subindo, 100, depois da interligação, 120, chegando em Diadema 110, na divisa Diadema com SP, 90 e quando deixa de ser Ecovias e passa para os buracos da PMSP cai pra 70(acabou o asfalto, começou os buracos é 70), e lá adiante quase 2 km que tem esse viaduto com os radares.
      Se seguir essa sequência direitinho, só vai tomar multa se quiser.

      • Fernando S.

        Se realmente for 2km e tiver sinalização, concordo contigo. Mas o SPTV mostrou que esses radares escondidos ficam a cerca de 100 metros de placa. Aí é absurdo.

        • Edson Fernandes

          Na verdade essas placas aparecem e vc tem que usar os freios para não tomar a multa. Se nõa frear é certo a multa. Não dá tempo do carro no embalo sem aceleração vir nessa velocidade menor.

          Já de 110km/h a 90km/h já é possível. Só acho que deveria existir a possibilidade de desaceleração natural já que são realmente poucos metros. Eu fiz isso na sexta por exemplo.