Brasil Gadgets Segurança Tecnologia Trânsito

Sistema de Cooperação no Trânsito vai permitir comunicação entre motoristas

estradas-NA-2

Promover a comunicação entre motoristas a fim de se obter mais segurança nas estradas é a ideia de Paulo Gannam, o inventor do chamado Sistema de Cooperação no Trânsito. Trata-se de um dispositivo que permite envio e recepção de mensagens pré-estabelecidas entre condutores no trânsito.

O dispositivo poderá enviar mensagens programadas através de botões numerados, identificando assim cada tipo de chamada, tais como neblina, acidente, pneu furado, porta aberta, passageiro doente, incêndio, problemas na rodovia, problemas mecânicos, entre outros.

A tecnologia terá baixo custo e não dependerá de aplicativos de smartphone, reduzindo assim a distração do motorista ao volante. O Sistema de Cooperação no Trânsito também vai permitir comunicação mais rápida entre órgãos governamentais e de segurança, bem como entre estes e o motorista.

Com custo estimado de US$ 20 por unidade em produção na China, o Sistema de Cooperação no Trânsito permite envio e recepção de mensagens somente por quem tem o dispositivo, mas para pessoas que não o utilizam, o aplicativo vai ser desenvolvido para que as mensagens e alertas sejam recebidos. Gannam já patenteou o invento e agora espera ajuda de investidores para colocar o projeto em produção.

[Fonte: Segs]





  • Boris

    O que é de graça ( waze ) agora custa 20

    • Mr. Car

      Aqui, 80. Isto até dobrarem a meta, claro, e o dólar alcançar R$ 8,00.

      • Boris

        isso sem impostos

        • Pedro Rocha

          Desse jeito, os caminhoneiros vão continuar com o PX.

  • Foxtrot

    Se isso chegar no Brasil é capaz de BRs usarem a mensagem “Pessoa doente” para dar uma de ambulancia e andar na contra mão, ultrapassar o limite de velocidade, furar o sinal vermelho e etc.
    Que bom que serao mensagens pre programadas, pelo titulo eu pensei que seria um radio comunicador ou algo do tipo.

  • Matheus

    Só esperando algum deputado criar um projeto de lei tornando isso obrigatório…

  • zekinha71

    Aqui só vai servir pra avisar onde tem radar e blitz.
    E depois reclamam dos acidentes e roubos.

    • Como se radar fosse para prevenir acidentes…

      • Brenno

        Parando pra pensar, se a Rodovia informa 110 km/h de máxima, vide 381, alguém fez testes e se mostrou “seguro” andar até essa velocidade. Contudo, como o pessoal vê pista dupla e senta o pé, colocaram radares, principalmente antes de curvas mais críticas ou problemas de construção da pista, como depressões.
        Mas, convenhamos, se a velocidade máxima é 90 km/h e o cidadão anda a 120 km/h, mesmo que a via permita, ele está sendo negligente com as regras que todos deveriam seguir. E como brasileiro só aprende quando “dói no bolso”, foi a solução encontrada. Claro que a “industria da multa” está aí no meio, mas te falo, só toma multa se a pessoa for desatenta ou se não haver sinalização na via.

        • Brenno, bom dia.

          Bom, antes de comentar só queria reiterar que não sou contra radar ou a favor de correr em vias públicas. Só questionei a função do radar nesse aspecto.

          Mas vamos analisar seu comentário:

          “…se a Rodovia informa 110 km/h de máxima, vide 381, alguém fez testes e se mostrou “seguro” andar até essa velocidade..”

          Sim, alguém andou e viu que esse limite era seguro. Esse é a velocidade natural da via? Certa vez li, e agora não lembro onde e por favor me corrijam se estou errado: Que no EUA a velocidade em algumas estradas é calculada medindo a velocidade dos carros em determinado trecho excluindo as duas mais altas. Assim você tem a velocidade natural da via. Não é raro circular por lá e reparar que naturalmente e sem preocupação a velocidade da via é a mesma do velocímetro. Assim deveria ser pensada regras feitas para o povo. Mas alguém anda, vê que é seguro andar a 110, coloca 80 para arrecadação.

          “.. Contudo, como o pessoal vê pista dupla e senta o pé, colocaram radares, principalmente antes de curvas mais críticas ou problemas de construção da pista, como depressões…”

          Bem, no país que eu vivo os radares são colocados nos pontos onde a velocidade natural da via, a velocidade onde se anda com segurança é maior que a que placa indica, que é diminuída artificialmente porque aquela multa tem que existir. Afinal, é preciso se pagar os funcionários das escolas, guarda civil, manutenção de parques e praças… Mas esses fazem greve porque não recebem, a manutenção não é feita… O dinheiro “some”… Mas que bom que você não mora no Brasil. Nesses lugares que você falou geralmente se coloca placas.

          “..Mas, convenhamos, se a velocidade máxima é 90 km/h e o cidadão anda a 120 km/h, mesmo que a via permita, ele está sendo negligente com as regras que todos deveriam seguir…”

          Todos deveriam seguir? De acordo. Sem questionar? Todos tem o direito de questionar se uma regra foi feita pensando na segurança. Obedecer uma regra apenas porque foi estabelecido… É dar um caráter divino a pessoas como Haddad, Alckmin, Dilma… No exemplo que você deu eu questionaria: É inseguro andar a 120 km/h? Se não, qual foi o sentido de baixar para 90? Segurança? Quem foi que atestou essa segurança? O serviço foi feito com meu dinheiro, tenho direito de saber! Quando contrato o pedreiro para um serviço em casa, não importa apenas se ele concluiu o serviço, mas quero saber o que ele usou, porque, se era o mais barato, o mais resistente, o mais fácil de dar manutenção.. Mas a questão aí é: O limite é baixado artificialmente para 90 não por segurança, mas para gerar arrecadação. Aí o pessoal anda a 120. O que se faz para resolver a situação? Pune quem anda a 120? Não! Baixa o limite para 70! A fórmula mágica de resolver as coisas aqui. Acho justo todos seguirem as regras, desde que elas sejam estabelecidas para segurança E bem estar da população. Não quero a segurança a base de obediência cega e que tire o sentido que deveriam ter todas as leis de servir ao cidadão. Mas colocou bons pontos!

          • Brenno

            Concordo contigo Alessandro. Um ponto a se tocar é a localidade: A quantidade/utilidade dos radares em um local pode não ser a mesma que em outro.

            Vamos imaginar uma coisa: Se não houvesse a arrecadação com multas, apenas pontuação na CNH. Haveria necessidade de instalar radares? Ao meu ver, sim. Mas é uma questão complicada de pensar. Se colocarmos radares seria para punir motoristas ou evitar mais acidentes pelo excesso de velocidade? Ou os dois?
            Vou citar um exemplo: Quando se vai para o Espirito Santo, boa parte dos veículos passam por BH e pegam a famosa 381, popularmente conhecida como rodovia da morte. Imagina um trecho de mais de 100 km de pista simples, onde o limite em teoria é 80km/h. Ocorrem muitos acidentes porque o pessoal não aceita andar a 80km/h e ultrapassa pela direita, em faixa continua, etc. E muito dos acidentes são colisões frontais. Ok. Então, vamos instalar radares de 2 em 2 km para ver se reduz os acidentes, pois devido a incompetência, a estrada ainda não foi duplicada. E isso se arrasta por anos. Resolveu, não. Mas ajudou.
            Outro ponto em questão é a educação dos condutores: a parte boa da Fernão Dias, que liga BH a SP é um tapete. Mesmo com radares, não é incomum vermos carros “voando” e piscando farol a todo momento. Mas, porque temos motorista que travam em 100 km/h e vão tranquilos, curtindo uma música, sem pressa e outros vão “descendo a lenha”? Prazer? Pressa? Adrenalina? Não sei.
            Já fiz algumas observações/cálculos: Varginha(MG) -> Itabira(MG), percurso que faço com frequência, algo como 450km, indo a 100km/h gasto em média 7h. Indo a 130~140 gasto 6h. Compensa “ganhar” 1 hora?

            • Eu conheço bem a Fernão Dias. Existe um trecho, um aclive bem acentuado onde tinha acidente em 90% das vezes que passava, pelo que me lembro um pouco para frente de Camanducaia. E tinha radar na descida, placas… Eu me perguntava: Caramba, tanto acidente aqui, o pessoal não aprende? Eu nem precisava de radar para andar devagar lá. Assim como a Dom Pedro tem trechos de 110 que não passo de 90, por não me sentir seguro na velocidade máxima permitida.
              Mas uma parte do seu comentário me chamou atenção, não pelo que você escreveu, mas por me lembrar do que vejo e leio principalmente das autoridades de trânsito: A mitificação do radar como solução única para acabar com os acidentes de trânsito. Como você bem citou: Ultrapassagens pelo acostamento, em lugar proibido e de forma imprudente… Eu ainda acrescentaria travar a esquerda, direção perigosa… Tudo que mata tanto quanto (Ou mais) que velocidade. Onde estão as câmeras, o patrulhamento? Voltando de Campos do Jordão fui jogado fora da pista duas vezes: Uma por uma Silverado e outra por uma Pajero. E lá na frente quem é parado pelo policiamento? Eu! Enquanto os dois projetos de assassino puderam prosseguir viagem tranquilamente… E tenho impressão que os dois estavam abaixo da velocidade limite da via quando tentaram me matar. Acho muito mais prático colocar câmeras nas rodovias que radares.

              • Brenno

                Ta aí uma ótima ideia. Câmeras. Na Fernão tem algumas, mas são poucas. Se tive uma de 1 em 1km ou até menos que isso, ajudaria demais na solução de acidentes/imprudências. Aliás, o Pedágio subiu por lá. Em compensação a rodovia é muito boa. Só não sei se por ser privatizada a única coisa que a mantém são os pedágios.

                • Essa questão de privatização é polêmica… Como sou adepto do Estado mínimo, acho que o governo não tem que cuidar de estrada. Mas por outro lado, porque funciona quando é privado e quando é público não funciona. Por corrupção! Aí não seria melhor punir os corruptos que simplesmente privatizar? Mas essa á uma outra questão…

                  • Daniel

                    Até pq, ao privatizar, aumenta a corrupção, pq aumenta os valores arrecadados. Só que é uma corrupção que não é investigada, pq agora é empresa privada (mas continua alimentando caixa 2 e bancando politicos).

          • sepchampions

            Eu duvido que façam alterações de velocidade se baseando em acidentes. Aqui em Salvador na Br324 que liga o bairro de Águas claras ao Iguatemi são 4 vias de cada lado com curvas abertas e eles reduziram a velocidadevelocidade de 100 pra 80lm/h. Isso acontecendo acidente uma vez ou outra. Os radares estão lá so nao entrou em funcionamento por causa de uma briga entre Estado e CSS de pedágio

        • Freaky Boss

          concordo Brenno. Outra coisa é a situação: avenida com limite de 60. Alguém vem a 100 e ainda fica bravo que vocÊ demora a dar passagem. Quem está errado? Brasil é inversão de valores a todo momento.

          • Se a pessoa estiver na esquerda, os dois estão errados. E não adianta falar em “quem está mais errado”. Porque não se corrige um erro criando outro. A pessoa pode estar sem cinto, com o licenciamento atrasado, com o braço para fora… Isso não tira o erro de quem não dá passagem. Você só estará acrescentando um erro e não diminuindo o dele… Isso prova que você não liga para lei, liga apenas para aquela que você não gosta e esquece a que você comete como se não fosse um comportamento ilegal.

        • Daniel

          Cara, uma multa chega meses depois… se o cara for fazer merda e matar alguem, não vai ressuscitar depois de 90-180 dias…
          Quer melhorar a segurança, coloque patrulheiros que parem os motoristas imprudentes (e motorista imprudente não é o cara que anda a 130km/h qdo o limite é 120km/h… muito mais imprudente é o cara que fica trancando a esquerda a 110km/h!) deem um bom sermão e apliquem a multa ali na hora…

          Isso também evitaria outra situação, cada vez mais comum… o cara tem uma empresa de pipoca na praça, dai registra os carros particulares dele no CNPJ… Quando a multa vem, vai para o CNPJ… o cara paga a multa em dobro (e o governo agradece), mas ninguem recebe os pontos, e o cara continua fazendo “M”… Agora, quando o policial para, não tem como negar quem estava dirigindo, e dai a multa e os pontos vão pra quem deveria.

          • Simples e funcional!

          • Thiago

            É assim que funciona nos Estados Unidos e funciona perfeitamente! As pessoas andando acima do limite, mas fluindo com o tráfego, não têm problemas, enquanto aqueles que saem cortando todo mundo, ultrapassando onde não devem, andando em ziguezague são parados rapidamente e multados.

      • Retrato do Papai

        em uma rodovia estadual perto da minha casa instalaram dois radares (um em cada sentido) de 50 km/h que reduziu o número de atropelamentos em 100%, antes dos radares os atropelamentos eram constantes, praticamente um por mês (inclusive uma senhora muito amiga de minha família faleceu em um destes atropelamentos)…

        em outro trecho da mesma rodovia, um cruzamento com semáforos bastante movimentado, instalaram três radares de 50 km/h e o número de acidentes foi drasticamente reduzido, não digo 100% pois é distante de minha casa e acabo não sabendo de todos os fatos, porém não tenho notícias de acidentes após os radares (antes dos radares presenciei várias colisões e um atropelamento)…

        então, sim, radar previne acidentes

        é muito comum ligarem os radares à “indústria das multas”, são os mesmos que andam a 80 em uma pista de 50 e se acham corretos… garanto que se passar a 50 (até a 57 por causa da tolerância) em um radar de 50 não será emitida multa… infelizmente a cultura do certo é ser errado, e ser certo está errado já está enraizada

        • Veja a resposta que dei abaixo (Na verdade acho que sairá acima). Diminuir a velocidade diminui acidentes? Sim. Não usar o carro também. Assim como não é necessário deixar de usar o carro para evitar acidentes, multar é a única solução? E olha que curioso: Duas pessoas responderam para mim falando em indústria das multas. Mas olha no meu comentário: Não citei esse termo. Por não concordar com ele.

          Onde estão as passarelas dessa rodovia? Se falar que elas existem serei obrigado a dizer que a questão vai além da velocidade. Afinal se as pessoas não usam a passarela…

          “…são os mesmos que andam a 80 em uma pista de 50 e se acham corretos…..”

          Posso falar uma coisa: Se todo mundo anda a 80, provavelmente o limite que esteja errado. Não sou a favor da desobediência, mas questionar sempre é saudável. Se é necessário 50 por hora pela segurança, que seja 50, mas se 80 fosse suficiente e colocaram 50, quero saber porque. Porque nesse caso a pessoa está fazendo algo com segurança e sem colocar a vida de ninguém em risco. Então sim, nesse último exemplo, a pessoa está correta. Incorreto é o Estado usar a prerrogativa de dar segurança para arrecadar.

          • Retrato do Papai

            a questão da “indústria das multas” eu citei apenas como complemento, não tinha algo a ver com o seu comentário, porém não deixa de ser uma situação que infelizmente existe, principalmente em contexto municipal…

            a via em questão é a RJ104, que começa em Niterói, passa por São Gonçalo e termina em Itaboraí… essa via passa por muitas áreas urbanas, vias de acesso, tendo alguns cruzamentos simples e grande movimentação de pedestres, existindo algumas (poucas) passarelas nos locais mais movimentados… em minha opinião os limites de velocidade (50~60) estão corretos, compatíveis com a via… eu ainda estava sendo bonzinho quando disse que passam lá a 80 km/h, a maioria passa a 100 km/h ou muito mais, principalmente nos trechos mais “tranquilos”… mesmo com a boa quantidade de radares nessa via (veja no Waze ou MapaRadar), a quantidade de acidentes é elevada… sinceramente acho que sou o único a respeitar o limite de velocidade nessa via, mesmo com a grande quantidade de veículos, até na faixa da direita (incluindo ônibus, caminhões etc), que ficam piscando farol para que você acelere, mesmo já estando na velocidade máxima permitida…

            mas a RJ104 ainda é tranquila perto de outra rodovia próxima (RJ106), esta possui um número gigantesco de acidentes, muitos com vítimas fatais… uma rápida pesquisa no google te deixará surpreso e talvez até assustado…

            em todos esses casos, a culpa é única: excesso de velocidade… acredito que os radares (desde que bem implementados) são uma ferramenta bem efetiva no combate desses excessos, já que machuca o bolso…

            e olha que aqui no br a maioria dos veículos são de baixo desempenho, com motores pequenos de baixa potência/torque, a grande maioria nem chega nos 140cv/20kgfm… imagina se estivéssemos no nível USA de motorização/desempenho!

            • Se o limite tiver que ser 30, que seja 30! Se tiver que ser 100, que seja 100! Concordo contigo em relação a isso. O que não concordo é que se pode ser 100, porque 50? “Estudos mostram que..” Que estudos? São assuntos públicos, quero saber. O estudo é o tanto de multa que precisa ser arrecadado para alugar tratores para colocar na periferia em época de eleição? Ou para pagar o funcionalismo público porque o dinheiro que era para isso sumiu? Se me provarem com dados técnicos e com histórico que é melhor assim, vou ser o primeiro a condenar a “indústria das multas”.

              “..em todos esses casos, a culpa é única: excesso de velocidade..”

              Aí discordo frontalmente de você, mas esse pensamento mostra a deusificação do radar como solução única para os crimes de trânsito. Assim como um fator sozinho não derruba um avião, a velocidade nunca é única culpada por acidentes, até porque velocidade não mata mas sua interrupção abrupta. Ela pode ser agravante, principal culpada, o pior fator… Mas única culpada é impossível pela própria natureza de deslocamento. E desafio você e qualquer um aqui me mostrar um caso sequer que a velocidade seja a única culpada. Pode pegar de casos conhecidos a outros anônimos. Mas lembre-se: Vai falar daquele caso que a pessoa perdeu o controle e estava correndo e atropelou as pessoas no ponto? A velocidade será a única culpada se a pessoa estiver sóbria, com as condições mecânicas/eletrônicas do Monza ou Camaro em dia, se ela respeitou as paradas obrigatórias e não fez nenhuma conversão ou ultrapassagem proibida. Eu acabei de exemplificar que fui jogado fora da pista por carros DENTRO DO LIMITE DE VELOCIDADE DA ESTRADA. Mas se eles estivessem acima e eu não conseguisse voltar para a pista, seria a velocidade causa única do acidente? Ultrapassagem proibida, mesmo a conservação mecânica do meu carro não entraria na conta?
              A única hipótese da velocidade ser a única culpada é se ela fizer o carro se desmanchar ou o motorista desmaiar como é comum ao se ultrapassar a velocidade do som… Ou seja, só veremos isso no EUA ou na Bolívia em seus desertos de sal.

        • Freaky Boss

          concordo com você. Nem todos os radares são instalados com o propósito de prevenção (alguns são para arrecadar $ mesmo) mas na essência radar ajuda, não atrapalha. É a velha mania de brasileiro não gostar de seguir lei e nem de ser fiscalizado que às vezes coloca birra na nossa cabeça.

          • “…É a velha mania de brasileiro não gostar de seguir lei e nem de ser fiscalizado que às vezes coloca birra na nossa cabeça…”

            Não, não é: Você viu o texto que gerou a thread? Pelo jeito não. É a velha mania do brasileiro de não ler tudo e tirar as coisas do contexto.

        • Efulefante

          Já vi radar de 60 em estrada de 110, achei um absurdo. Quando cheguei perto do radar (descida íngreme), a curva que o sucedia era MUITO acentuada. Neste caso, muito bem aplicado.
          Porém, aqui em BH tem uma avenida chamada Cristiano Machado que os radares são posicionados “preferencialmente” em pontos onde o carro embala naturalmente e onde tenha alguma árvore/passarela e coisas do tipo para ofuscar seu posicionamento. Requer tanta atenção ao velocímetro que chega a ser perigoso.
          Infelizmente, a indústria da multa é real (dispenso correções quanto ao termo “radar”).

          • Edson Fernandes

            E não só ajuda a piorar tudo, como o consumo (de retomadas) de um carro vem a piorar. Há bons anos atrás na Fernão Dias (até então em trechos de reta era costume ser a 110km/h) tinham dois radares, um na ida e outro na volta de 50km/h no termino de uma curva aberta.

            O problema: Todo mundo vinha embalado a 110km/h e tinha que frear forte para não tomar a multa, porque não havia sinalização te antecipando ao radar. O que aconteceu? No trecho que era para evitar mais acidentes com pessoas, piorou, porque então um carro começou a bater no outro.

            Isso era a coisa mais bizarra qque eu tinha visto e começava ali a mudar meus caminhos para não me dar mal.

            • Brenno

              Hahaha. Você vem embalado no milzinho pra subir e ai tem de frear, botar terceira e ficar igual uma lombriga pra subir.

              • Edson Fernandes

                Mas é ruim para todos os carros. Tudo bem, no 1.0 vc sofre na questão de precisar de um pouco de performance, mas o consumo para qualquer situação sempre piora. Muito ruim isso.

                • Daniel

                  Em algumas cidades dá vontade de mandar prender prefeito e vereadores por crime ambiental… Tem lugares que tem um poste deitado a cada 30 metros! pastilha de freio dura 3mil km e o consumo vai pra 3km/l sem contar danos aos amortecedores, molas e assoalho do carro…

          • Retrato do Papai

            acho que nesses casos (radares em locais onde o carro embala naturalmente) os radares são colocados justamente no intuito de evitar que ocorra o aumento de velocidade sem percepção do motorista, particularmente acho correto (contanto que a sinalização esteja bem visível, de nada adianta o radar para te “obrigar” a reduzir porém sem a informação, você só vai saber que passou acima da velocidade meses depois, caindo por terra a intenção educativa)

            e de fato essa atenção excessiva ao velocímetro é um pouco perigosa, em uma cidade aqui próxima existem vários radares de velocidade em uma única via, alguns inclusive próximos a cruzamentos (com semáforos) e vias de acesso, tirando a atenção que deveria ser dada aos cruzamento e vias de acesso…

        • Daniel

          Uma passarela e educação para os pedestres reduziria os atropelamentos a ZERO! Mas não geraria arrecadação.

          Foi feito um estudo na rod. W. Luis em SP. O numero de acidentes caiu no geral, mas aumentou nos pontos onde foram instalados radares.

          O que ninguem fala é que, mesmo com os motoristas despreparados, o aumento dos carros com ABS e airbag diminuiram o numero de acidentes e o numero de mortos/feridos.

          Sobre vc garantir que passar a 50 (ou 57 dentro da tolerancia) não toma multa, então me passa o numero da sua CNH e deposita 260 contos na minha conta. Recebi 2 multas no km96 da dutra… num radar movel da PF num ponto de baixada.
          Agora o detalhe… eu sei que sempre colocam radar ali, e em ambas as viagens eu estava com o waze, que avisou dos radares, e eu estava com o cruise control a 110km/h (limite da rodovia). Só pra constar, as multas que aparecem no sistema (não chegaram via correio, então não sei qual foi a velocidade considerada) estão como entre 20-50% acima do limite… ou seja, velocidade CONSIDERADA entre 132 e 165… para isso a velocidade medida teria que ser entre 141 – 176… TENHO CERTEZA QUE NÃO ESTAVA ANDANDO NESSAS VELOCIDADES!

          • Retrato do Papai

            rapaz, no trecho que há os radares eu não tenho notícias de atropelamentos… porém no trecho que possui a passarela, a uns 2 meses um senhor foi atropelado e faleceu, a um pouco mais de tempo uma pessoa embriagada foi atropelada e a mais ou menos um ano houve um atropelamento no ponto de ônibus, que fica em um nível de aproximadamente 20cm acima da rodovia…

            em relação às suas multas, somente o fato de não ter recebido a notificação já é um caso praticamente certo de ganho em um recurso, já que o CTB estipula um prazo máximo de 30 dias para sua expedição… e, como você está afirmando que estava na velocidade correta da via, então muito provavelmente o radar da PF não estava com a aferição em dia, caso consiga obter as fotos das multas, o próprio equipamento gerador da multa grava na foto a última data de aferição, sendo que esta tem validade de um ano…

  • Daniel

    Quer uma solução mais barata? Tirem a porcaria das peliculas escuras dos vidros! Dai vc pode ver o outro motorista e se comunicar com ele. Tambem permite que, seguindo um veiculo, vc veja o que acontece na frente dele (principalmente quando o carro mais a frente freia) e evite muitos acidentes!

  • Thiago Cesar

    Aqui nem ajudamos a própria mãe, quanto mais ao próximo!



Send this to friend