História TAC

TAC Motors, a catarinense que apostou no utilitário 4×4

troller-t4-tac-stark-2

A Federação das Indústrias de Santa Catarina decidiu, no início dos anos 2000, fomentar a criação de uma montadora com o objetivo de aproveitar o potencial das empresas de autopeças presentes na região do Vale do Itajaí e Grande Florianópolis.

Daí, surgiu em 2004 a TAC Motors (Tecnologia Automotiva Catarinense), uma empresa de capital misto. O desenvolvimento de seu primeiro produto demorou cinco anos e resultou no utilitário 4×4 Stark.

troller-t4-tac-stark-4

Stark

O jipe Stark surgiu como um competidor direto do também brasileiro Troller T4. O utilitário catarinense apresentava um estilo mais moderno, além de soluções técnicas de relevância, tais como suspensão independente nas quatro rodas.

A TAC utilizou um bom número de peças e componentes de origem Fiat, inclusive parte do acabamento. Mas, o principal era o motor. O propulsor da FPT 2.3 de 127 cv e 30,6 kgfm, por exemplo, era o mesmo usado na Fiat Ducato. O preço era perto de R$ 100 mil.

tac-fabrica

Ceará

Logo no início da operação, a TAC Motors decidiu-se mudar para o Ceará, alegando que a região Norte-Nordeste detém os maiores mercados para jipes como o Stark. O governo cearense entrou com R$ 30 milhões na obra de construção da fábrica, que foi instalada em Sobral.

A ideia inicial era ter uma produção mensal de 3.000 unidades, muito maior que a da rival Troller, que fazia 160 T4 por mês. Em 2012, a TAC anunciou uma versão militar do Stark. No entanto, com o passar do tempo, as vendas não acompanharam as qualidades do produto, enquanto a rival cearense – sob controle da Ford – lançou uma nova geração do T4, ganhando destaque no segmento.

zotye-z200-oficial-1

Zotye

Em 2015, a chinesa Zotye anunciou a aquisição da TAC Motors e um investimento de R$ 190 milhões na planta de Sobral. O objetivo da empresa era exportar o Stark para o Oriente Médio e África, além de lançar uma versão Flex.

Mas, prioritariamente, a Zotye pretendia utilizar a fábrica cearense para fabricar seus próprios veículos, que no caso seria o T200 Hunter (foto acima), um Daihatsu Terios da primeira geração. A chinesa anunciou uma fábrica nova em Goianésia/GO, onde montará automóveis. Agora, o destino da TAC depende exclusivamente de sua nova controladora.





  • Marcus Vinicius

    Tanto a Troller como a Tac Motors e a Agrale não tem uma rede de concessionárias muito extensa em algumas regiões do Brasil não existe sequer um ponto de venda como em Brasília !

    • Tosca16

      Agrale mesmo só se vê chassis e ônibus, utilitários Marruá nem nas revendas da marca se acha a pronta entrega. Caminhões também se tem poucos nas revendas, e tratores acho que fora os ônibus é a de maior representatividade para a marca, entretanto no Norte e Nordeste a participação da Agrale neste segmento é fraquíssima .

  • vi.22

    nunca consegui os numeros de vendas do stark..achando ate estranho na ver ele no grafico de vendas ..

    • Tosca16

      Não sei a TAC mas me recordo uma vez mostrando a linha de produção do Agrale Marruá e a média era de 18 unidades por dia, sendo que a maioria era para a versão militar .

  • Mr. Car

    Fico com a velha e boa Toyota Bandeirante, he, he!

    • Gilberto Silva

      Pois é, os JAPONESES também! se nem nós acreditarmos no nosso país, quem acreditará?

      • Mr. Car

        Que eu saiba, o Bandeirante era fabricado aqui, dava empregos aqui, gerava impostos aqui. E eu gosto dele. Para mim, é o que basta. Dispenso ultranacionalismos.

  • Alvaro Guatura

    O novo Troller faz o TAC sumir, infelizmente.

  • 1945_DE

    Amigos, Por que a noticia do capotamento do Fiat Mobi não abre aqui neste site? Todas as outras noticias abrem normalmente. Só a do Mobi não. Estranho não é?????

    • Se fosse alguma coisa, eles nem teriam publicado, não é?

    • GPE

      Abri normalmente ontem

    • Ediomar

      Aqui no Chrome simplesmente trava o navegador estranho não é…

  • Lukoh

    E assim morre mais uma fabricante 100% nacional…

  • Eduardo Brito

    Não sabia que a Zotye tinha comprado a fabrica da Tac no Ceará. Estanho ela não querer fabricar seus carros lá.

    • Gabriel Mariano

      Talvez não tenha espaço para comportar 2 linhas de produções, ou até mais.

  • Nicolas Negri

    parece um carro chines dos anos 2000… Por isso que as marcas brasileiras não vão pra frente, o projeto é bom, mas a estética deixa sempre a desejar. Vide lobini, gurgel, entre outros

    • Guilhermo

      Esse Stark é bem interessante ao vivo! Aqui em Floripa, não é raro ver um! Eu mesmo compraria se não fosse a insegurança em relação a montadora!

    • DiMais

      porque ele surgiu no início dos anos 2000 e como no Brasil nunca incentivam a produção de um carro 100% nacional, ele parou no tempo.. na verdade parou quando foi para o Ceará, já que as modificações em parceria com a Fiat foram feitas ainda nos tempos de SC.

  • TijucaBH

    Imagina o arrependimento de uma pessoa que acreditou na marca e pagou a mais de 2 anos 100 mil reais no jipe. O problema é justamente o que o pessoal falou, rede de concessionárias quase inexistente (nunca vi uma) e marca sem tradição. Tinha que ter um produto de referencia no mercado, com preço abaixo dos concorrentes e pelo menos umas 30 concessionárias, além de manutenção barata, bom pós vendas, etc.

    • Tosca16

      É nicho, compraram o produto em específico por suas características off-road e facilidade em manutenção, vide o motor ser um conhecido no mercado; o resto se adapta com o tempo se for necessário. Quem compra um veículo destes não necessariamente usa os serviços da concessionária, aliás boa parte já perde a garantia com as adaptações que fazem ao tirar o veículo . Igual meu colega que tinha um Marruá, mesmo sem ter nenhuma revenda próxima; mas a mecânica era MWM na época, tinha eixos Dana não sei se é assim que se escreve e muitas outras peças de marcas conhecidas.

    • Tosca16

      Nunca ví um TAC mas duvido que metade hoje esteja rodando com a mecânica original, não duvido ter muito motor Cummins no lugar deste FPT, ou até mesmo downgrade usando o conhecidíssimo AP da VW; ficou cara a manutenção ou não se achou peça já empurram estes AP’s da vida kkkk . No clube do jipe aqui perto quase todos Niva por exemplo estão com o 1.8 do antigo Santana .

      • Eduardo Gregório

        Tenho quase certeza que inicialmente era usado o motor 2.0 8v da VW nos Stark, um pouco depois que botaram o FPT.

        • Tosca16

          Hum, interessante .

        • DiMais

          exato, a primeira versão tinha componentes VW incluindo aí o 2.0 flex, a primeira revisão trouxe os componentes e motor Fiat, depois foi para o Ceará e o sonho morreu.

  • Zé Mundico

    No mercado automotivo, quando um produto sai de cena, não volta mais. Portanto, tirem o cavalinho da chuva, pois se a Zotye comprou uma fábrica, foi para fabricar os carros dela e não um jipinho furreca que quase ninguém sabe que existe.

  • Alvaro Arvrim

    Conheci o projeto desde o início que partiu de um escritório de design de São Paulo. Já nas mudanças para a produção o carro começou a desvirtuar e a mudança para o Ceará em busca de “benefícios” fiscais foi o fim. Bem ao estilo de empresário parasita que busca sugar o que pode e depois vende o projeto em uma apresentação de powerpoint. Acredito que os chineses apenas compraram os benefícios de instalação no nordeste para lançar seus próprios veículos e só.

  • GPE

    Dizem que esse é problemático. Conheci um ex-proprietário de um, e foi só reclamações. Uma bomba, segundo ele

  • André Pessimista

    Opa! cadÊ o Vorax?

    • Holandês Louco

      Morto e enterrado.

  • A título de mera curiosidade o governo cearense investir R$ 30 milhões em um projeto que eu consideraria de alto risco (empresa nova em um ramo de grandes multinacionais ) não é mal uso de dinheiro publico? Ou esse valor foi abatido em pagamento de impostos. O que deu a entender é que o governo injetou a quantia na empresa.

    • Felipe Alfano Perrone

      Talvez seja empréstimo com juros baixos e facilidade de pagamento

  • Luís Gustavo de Barros

    Sempre quis um Daihatsu Terios… esse Zotye é a versão pobre ou só um clone do Terios?

  • Holandês Louco

    Ceará fica no Nordeste, não no Norte, meu amigo.

    • arzanette

      pra quem mora no sul do Brasil como eu moro ….. passou da divisa com sp e norte…. e tu acha que o nordeste fica aonde no sudeste ou no norte ?

      • Vinicius Gomes Sentinela

        O Nordeste fica no…. Nordeste!

  • Tiago

    Melhor dar 30 nesse coupe 96 da tua foto, heheh

    • Diogo Oliveira

      Se duvidar ainda por cima tu acha uns por 25 Mil kkkkk

  • Mario

    Este jipe é igual cabeça de bacalhau. sabemos que existe, mas nunca vimos uma.

  • Mario

    Alguns ‘pseudo-empresários’, usam os projetos de carros, para conseguirem empréstimos junto ao BNDES e assim, fingem que fazem carros e usam o dinheiros para outros fins.

  • Tosoobservando

    Aqui no Brasil é complicado mas o ideal era um grupo so tipo JBS (Friboi) do carro, tipo varios empresarios destes se unirem, irem ate o governo, pegarem os emprestimos necessarios, etc.. e fazerem os projetos, talvez com ajuda ou know-how de alguem consolidade (tipo juntar Agrale, Tac e Troller em um projeto so). Talvez assim teriamos chance de ter pelo menos uma montadora 100% nacional e diversificada.

  • DiMais

    Joinville e não Itajaí e Florianópolis, o desenvolvimento e pólo de autopeças foi/fica no norte do estado e a fábrica só foi pra Ceará por conta da guerra fiscal e incentivos do governo federal (os mesmos que motivaram a Ford a comprar a Troller) que nem Joinville nem Santa Catarina tinham condições de competir. E a primeira versão utilizava componentes VW, incluindo aí o motor 2.0 do Santana (flex).

  • João Silva

    Em 2004 a ideia da TAC era usar o 1.8 ap flex e o diesel da fiat.

  • Rafael Santos

    Tb né, um jeep dessa qualidade beirando 100 mil… Deve custar uns 20 mil pra ser feito.