_Destaque Mercado Toyota

Toyota tem o melhor índice de satisfação de vendas pelo 4º ano, segundo pesquisa

Pelo quarto ano consecutivo, a Toyota se posicionou em 1º lugar no índice de satisfação de vendas de veículos novos no mercado brasileiro. Na pesquisa “SSI Brasil 2016 – Sales Satisfaction Index StudySM”, realizada pela consultoria J.D. Power do Brasil, a montadora japonesa recebeu pontuação de 839 (de um total de 1.000 pontos), ficando à frente de marcas como Hyundai-CAOA, em segundo lugar com 831 pontos, e Jeep, em terceiro com 817.

Em quarta posição, a Chevrolet se posicionou com 811 pontos, enquanto a Nissan pulou da 11ª colocação em 2015 para o 5º lugar em 2016, com 809 pontos. A Jeep foi incluída no estudo pela primeira vez neste ano. O estudo, realizado em março e abril de 2016, tem como base as avaliações de 3.664 entrevistas online com os proprietários de veículos novos no país durante os primeiros 12 meses após a compra.

De acordo com o divulgado, as baixas vendas no mercado brasileiro – que registraram queda de 31% entre 2013 e 2015 – trouxeram um ponto positivo ao cliente. Como as concessionárias precisam trabalhar mais para o seu negócio com menos compradores no mercado, os clientes receberam atenção adicional. Diferente de alguns anos atrás, quando as vendas estavam em alta e as lojas estavam tentando acompanhar o volume de clientes, agora os concessionários têm como foco tentar transformar cada cliente em um comprador.

hyundai concessionaria

“O mercado continua caindo, mas isso cria novas oportunidades para que as concessionárias intensifiquem o foco em seu processo de vendas para agradar aos clientes; e aqueles que adotarem processos de venda mais favoráveis aos clientes provavelmente obterão ganhos de participação de mercado quando o mercado se recuperar”, explica Fabio Braga, diretor de operações da J.D. Power do Brasil. “Com menos compradores, as concessionárias têm mais tempo para atender a seus clientes, o que, em última análise, acaba compensando em termos de indicações e numa maior probabilidade de que os clientes farão a revisão de seus veículos na concessionária vendedora”.

A satisfação geral dos clientes com os processos de venda teve melhora, subindo de 774 em 2015 para 793 pontos em 2016. Os clientes que realizaram test drive ficam com o maior índice de satisfação, de 68% e 813 pontos, sendo que 29% foram acompanhados por um especialista em test drive e, com isso, a pontuação foi maior (841). Os 69% que estavam acompanhados por um vendedor tiveram uma satisfação menor, de 803 pontos, enquanto apenas 2% dos proprietários fizeram test drive desacompanhados, resultando em uma satisfação mais baixa (776).

Entre os proprietários que não fizeram test drive, a satisfação foi de 752 pontos. Entre eles, 4% disseram que não testaram o carro antes da compra porque não havia veículo disponível. Além disso, os clientes indicam que o tempo ideal para um test drive é de 28 minutos, em média.

concessionaria chevrolet

O uso da internet também aumentou a satisfação. Em 2016, 60% dos compradores declaram usar a internet para ajudar a escolher um veículo, em relação aos 51% de 2015. A satisfação geral de vendas é significativamente maior entre os proprietários que usaram a internet durante o processo de compra do que entre os não utilizaram (804 em comparação com 777, respectivamente).

O processo de entrega do veículo é outro ponto capaz de interferir na satisfação geral com a experiência de compra do carro. Em todas as faixas etárias, 66% dos proprietários dizem que preferem uma explicação detalhada do veículo durante a entrega, com média de 34 minutos, e a satisfação geral de vendas entre 84% dos proprietários que dizem que a concessionária gastou “exatamente o tempo certo” durante a entrega do veículo é de 808 pontos. Por outro lado, a satisfação entre os 12% dos proprietários que dizem que a concessionária “não dedicou tempo suficiente” teve queda de 96 pontos, passando para 712.

A pessoa responsável pela entrega do veículo também é importante. Com o gerente de vendas ou um especialista no momento de entrega do automóvel, a satisfação foi alta entre os consumidores, com pontuação de 826 e 805, respectivamente. Porém, com o vendedor, a satisfação cai para 796 pontos.

concessionaria jeep

Por fim, o estudo indicou que a confiabilidade do veículo e tecnologia são considerados mais importantes do que o preço. Confiabilidade, experiência anterior com a marca e tecnologia do veículo foram citados por 25% dos proprietários. Já o baixo preço ou pagamento/capacidade de financiar e desempenho empataram como o quarto motivo de compra mais influente, cada um selecionado por 7% dos proprietários.

Confira abaixo o ranking:





  • Louis

    Faz 10 anos que não piso em uma concessionária hihihihihi

    • Tosca16

      Vc tá com um Corolla 2006 e faz as manutenções em oficinas particulares; acertei ?

      • André

        Defensor oficial de carro xingling puxando sardinha pros japas? Traidor! rsrsrs

      • automotivo

        Mas é se for? Que há de errado?

        • Tosca16

          Estou tentando acertar, oxe rsrsrsrs …

      • Louis

        Pior que estou com um mal conceituado Peugeot! KKK Mês que vem vou fazer uma mega-revisão, pra ficar mais uns 4 anos com ele.
        E meu outro carro comprei usado de um conhecido, e sempre manutenções em oficina independente. Por isso faz teeeempo que não entro em concessionária.

  • Bruno Brasil

    Demora para GM estar a frente da honda/toyota

  • A Peugeot/Citroen nao parece nem no ranking. Que faseeeeeeeee.

    • Jackson A

      Agora que reparei…que fase em.

    • zekinha71

      Citroen aparece acima da VW.

      • Eh verdade, nao vi. Mas a Peugeot nao consta mesmo.

        • Eu analiso o ranking em questão pela diferença relativamente baixa da pontuação da melhor ranqueada para a última. 77 pontos em 1000 não chega a ser algo sequer próximo de ser definitivo na escolha de um modelo 0 km. Dá 7,7% com relação à pontuação total.
          Tem muita coisa mais importante na escolha de um carro que uma diferença relativamente baixa em qualidade de pós-venda, hein…

          • O calculo nao é assim. Voce tem que ver sao as estrelas. Eh como fosse a escala rischiter (escrevi certo? kkk). Um terremoto de 5 é muitooooo mais forte que 4.

            • As estrelas nesse caso são muito bem explicadas tecnicamente, Lucro:
              – 3 estrelas, na média das notas de satisfação;
              – 2 estrelas, abaixo da média;
              – 4 e 5 estrelas, acima da média.
              Nada de escala Richter, não temos aqui um gráfico exponencial. O pontos perdidos ou ganhos tem valor unitário inalterável, ou seja, todos os pontos ganhos tem valor unitário idêntico, tanto os perdidos quanto os ganhos.
              Pesquisando atentamente sobre esta pesquisa, não há outro significado: a Toyota tem média de satisfação 7,7% maios que a Fiat no que tange aos critérios estabelecidos para apurar o pós-vendas, sendo que muito dessa diferença se deve à experiências pré-recebimento do veículo, como test-drive e instruções de entrega.

        • CharlesAle

          Mas eu ainda a considero seus carros bem melhores que a Renault. Que aliás, não está tão bem no Ranking..Nenhuma Francesa, pela pesquisa, merce elogios em satisfação ao consumidor..Agora, a mais criticada das ex-quatro grandes: A Ford..Mostra que até que está bem razoável sua posição no Ranking.Mostrando claramente que coisas como os problemas do PS e criticas de montagem/acabamento muitas vezes são infundadas, pois os clientes aprovam a marca .. VW e Fiat são decepcionantes..

          • Edson Fernandes

            Pera… deixa eu ver se entendi…. a Ford, VW e Citroen estão na média… pode ver que há uma marcação que indica as realmente abaixo, as que estão na média e as que superam a média e a Ford junto da VW e Citroen estão juntas.

            Se vc alega ser bom o Ford, vc tem que dizer que VW e Citroen também o são. Caso contrário todas são ruins.

            • CharlesAle

              Não Edson..Apenas citei que a Ford, muito criticada, não é essa “desgraça” toda no pós venda que muitos escrevem.Mas é mediana..As Francesas, em especial a Peugeot, eu sempre digo que seus produtos são bons e até superiores aos da rival Renault. As Francesas sofrem mais de”fama” de pós venda ruim a ser realmente ruim..O fato das peças Francesas serem mais cara é confundida com pós venda ruim e isso q é o grande problema.

              • Edson Fernandes

                Só que a Peugeot está abaixo né? Ou seja, há o que melhorar. O problema que vejo na PSA é a falta demais produtos para vendagem.

                Concordo sim contigo quanto a qualidade maior de produtos, porém isso tem sido algo caro para elas: Poucas vendas. Hoje um consumidor vai olhar do produto mais simples até o mais caro e me parece que pelas poucas vendagens (ou visão menor de uma mpresa que vende pouco) parece tirar a confiança de ter o carro da fabricante.

                Eu tenho planejamento daqui uns 4 a 6 anos de trocar de carro… e considero o C4 Lounge uma opção, mas abaixo disso hoje eu não compraria carros da Citroen por exemplo. E no caso do 208, eu namoro a um certo tempo, mas reconheço que espero uma atualização do cambio para cogitar a opção por ele.

                Deixei de compra-lo por culpa do cambio que faz o carro ter um consumo maior (obvio que me refiro ao cambio automaitco de 4 velocidades, que apesar de suave, tem um consumo alto).

    • João Cagnoni

      A Citroen (PSA) ainda aparece acima da Volkswagen e Fiat.

  • zekinha71

    Nessa lista, quem comprou um Fiat não ficou nada satisfeito

    • Zé Mundico

      Quem compra Fiat deve ter algum problema.

      • Wagner Lopes

        Quem compra fiat pode ter vários problemas: mobi, uno, siena, weekend, etc…kkkk

      • Caio Ferrari

        Comprei um Mille novo há 10 anos e não me dá problemas até hoje.

        Deixe de ser um Hater e não fique espalhando preconceitos por aí.

        • Zé Mundico

          kkkkkkkkkk

        • Redpeak77

          A gente brinca, mas eu já tive um Mille também, que era um verdadeiro trator!
          Já botei ele na lama, areia, passava batido em lombada, coloquei 7 no carro, mandava ver mesmo… nunca fiquei na mão com ele.
          Lembro até hoje que troquei ele por um Corsa Wind… fui passar batido pela primeira vez na lombada que sempre passei com o Mille, quase desmontou o bichinho! hahahah
          O Mille certamente foi um dos carros que ajudou a alavancar a FIAT aqui no Brasil.

      • fbl

        Kkkkkk pensei o mesmo

    • CharlesAle

      A Fiat passa por um momento terrível. Palio e Uno lá embaixo nas vendas, Mobi, ao que parece, não vai emplacar grandes vendas..Só a Toro não é capaz de erguer as vendas..Isso sem falar de Linea, Bravo, Punto e Siena que estão mal pra caramba!! Ou seja, nem parece que foi uma líder de vendas até pouco tempo..E agora, a PIOR em satisfação pela JD POWER..O que vemos são, em fatos, aquilo que todos sabem na pratica: Fiat é ruim até em satisfação do cliente…

      • Edson Fernandes

        É uma realidade de mais uma que ainda é lider perdendo a liderança por ficar sem se atualizar.

        Repare que a Toyota é lider na linha de médios, porém sempre está atualizando. Não fica esperando todos atualizarem para ela dar a cartada dela.

        Claro que falo isso em relação ao planejamento previsto pela fabricante que não muda mesmo que ela venha a não ser lider. Já a Fiat? Ela lança atualização sem necessidade, lança N produtos que sempre achei que ajudou a confundir a cabeç do consumidor. Ainda que o Bravo tenha parado de ser produzido, hoje a fabricante tem hatches:
        – Mobi
        – Uno
        – Palio Fire
        – Palio
        – Punto
        – Bravo

        Por mais que o Bravo seja um médio, me parece uma quantidade absurda de hatches. O mesmo vale para sedans (ainda que todos já tenham praticamente mortos restante o Grand Siena apenas)
        – Siena
        – Grand Siena
        – Linea

        Já é percebido no mercado que não dá para ter um numero enorme dentro da fabricante para a escolha.

        E olha que eu achei impressionante por parte da Fiat ter mantido por muito tempo o Punto com versões 1.4, 1.6, 1.8 e 1.4 T.

        Para mim, a Fiat deveria ter mexido com o tempo. Ela insiste em algumas tentativas que parecem estranhas. O Uno com tantas versões especiais não decolou e isso já deveria ter acendido uma luz amarela de atenção.

        Ela deveria enxergar o que o mercado começou a fazer ou se tornar. Acho acertado que o Uno tenha dois motores, porém não concordo que o Palio tenha se mantido com o motor 1.0. A estrategia deveria seguir o que fizeam no Grand Siena.

        Isso estrategicamente posicionaria com facilidade acima do Uno e não criaria confusão com o Palio Fire. Ela em manter o modelo 1.0, cresceu os olhos com o 1.4 e 1.6 e está enxergando onde está.

        E o Punto depois do lançamento dos motores Etorq, ainda que o mix de versões 1.4 seja durante muito tempo a mais vendida, deveria ter sido abolida para esse posicionamento. Mas não, quem enxergava opção a um Punto 1.8 por R$60000 que é beberrão, anda menos e é menos equipado que produtos similares porém mais novos com motores mais novos e menores, além de mais seguros e mais equipados.

        Esse é o problema da Fiat e VW quando se fala de opcionais. No passado qdo o brasileiro se contentatva com vidros e travas eletricas, colava ter uma especie de opções que evitavam um aumento absurdo do carro “não equipado” por aquele já equipado, porem hoje, a separação de opcionais é prejudicial pq se vê que ele hoje o torna o produto mais caro do que deveria. E quem está colhendo frutos de eliminar esse tipo de coisa, tem ganhado mercado.

        Ou seja, a empresa precisa ter essa visão e começar a equipar os carros com coisas que ela até então deixava de fazer. Pelo menos é o que eu vejo e que me faz não sentir interesse em carros da Fiat.

        • CharlesAle

          Excelentes observações Edson..Sim, a Fiat hoje pode ser resumida assim: Variações do mesmo tema”.Ou seja, muita coisa semelhante e que no final confunde o consumidor..Mas se pelo menos fosse produtos superiores ou igual a concorrência, tudo bem, mas são carros defasados e inferiores a concorrência. Se a Fiat não mudar essa postura, vai cair como nunca antes no mercado. Pior que o Mobi é uma prova cabal que a marca ainda vai continuar insistindo em produtos inferiores ao meu ver..Mas o consumidor mudou, está mais exigente, e não aceita mais qualquer coisa..A Fiat que se adapte a essa nova realidade..A VW, com o UP, mesmo com críticas, já demostra, positivamente, uma mudança de postura e encarando que o consumidor quer carros mais modernos..Já a Fiat…

          • Edson Fernandes

            Porém se a VW não rever esse olho gordo que ela tem… continuará na mesma viu…

  • JAC

    Citroen,Volkswagen,Renault e Fiat, abaixo da média,Ford passou por pouco.

  • JAC

    Chama atenção a Hyundai-CAOA,acima da Hyundai Motor Brasil..

    • Leonardo M

      Eu pessoalmente nunca fui atendido mal.
      Tenho um novo Azera e levo ele numa concessionária que é só de HB20, por tanto seria a Hyundai mesmo, que faz as revisões. Sou atendido exclusivamente pelo chefe da oficina e/ou o gerente da loja, sempre. Nunca tive que esperar muito nem fui mal tratado. Agora não sei como é chegar com um HB20 lá, com certeza não serão os chefes que te atenderão, mas enquanto espero lá, não vejo ninguém reclamar.

      • JAC

        A avaliação da CAOA foi uma grata surpresa.

        • RTEC30

          Cabe uma delação premiada nesta posição?

  • sushiman

    pos venda da Toyota e Honda são bons

    • Honda está abaixo da Nissan no Ranking.
      Mas, mais importante que a classificação, é observar que a diferença entre a melhor ranqueada e a última está em 77 pontos em 1000.
      Convenhamos, é uma diferença em pontos que dificilmente vá justificar melhor relação custo x benefício na venda de modelos 0 km. Um modelo bem equipado e com preços mais baixos pode facilmente suplantar na preferência do cliente um pós-venda menos que 8% mais eficiente.

  • fbl

    Normal…. A melhor no topo como sempre. Já no pelotão da Serie B, a turminha ESP sofre pra nao perder ainda mais mercado.

    • A diferença de pontuação entre a primeira e a última (77 pontos em 1000) não justifica, a meu ver, a fama que permita a uma determinada marca abusar no preço de seus produtos com significativa restrição de equipamentos oferecidos em relação à concorrência, hein…
      Vale a pena uma análise mais acurada dos números em si. Não se pode só observar a colocação pura e simples dos oponentes, a análise fica muito superficial.

      • fbl

        Pq abusar nos preços? Quao mais baratos sao os concorrentes? Talvez maior liquidez, menor numero de reclamações de quebras, menor falta de peças, melhor atendimento no pos venda tenha algum valor tb, nao? Quanto custa ter seu carro parado com cambio quebrado ou falhando? Quanto valem esses pontos do ranking? Qual esforço pra ganhar cada ponto desses? Sera que esses 77 sao realmente próximos? Tirando obviamente um sarro no exagero mesmo, acho merecida a posição ja que é um pensamento bastante comum no mercado sobre essa liderança. Seria estranho se nao fosse esse o resultado ou algo muito diferente desse. Veja que nao so corolla desfruta dessa fama, como etios e hilux tambem. E se nao fosse real, as pessoas nao comprariam pela segunda, terceira vez, etc… Claro que tem coisas pra melhorar e o ESP certamente é uma delas, ja deveria ter a muito tempo, mas o mercado mostra que mesmo assim seus atuais clientes e muitos novos preferem a marca em detrimento da concorrencia que tenta brigar baixando preços e incluindo mais itens em seus produtos, que é o caminho natural pra quem vende menos tentar abocanhar alguma fatia do mercado.

        • Um Corolla XEi custa o mesmo que vários concorrentes top de linha no mercado de médios, sendo que nem mesmo o Altis tem nível de equipamentos igual ao dos top de outras marcas. É nesse sentido a minha crítica.
          Eu já tive convívio com todas as marcas, seja com cerro próprio, ou com carro de empresa. Olha, não há nada de “mágico” no pós-venda de nenhuma rede de concessionárias. No fim, não se sente muito diferente fazendo revisão em uma concessionária A ou B. Claro, a fama da Toyota não veio de graça, há uma história por trás disso, mas continuo dizendo: veja o exemplo da VW, que dominava o mercado e perdeu essa primazia em um processo histórico, cobrando valores sempre acima da média nos seus produtos – uma hora a casa cai. É ótimo para a Toyota poder cobrar 90 mil reais em um Corolla XEi (mesmo preço de Lounge, Fluence, Sentra, 408… todos top de linhas com uma lista considerável de itens a mais que o japonês), mas para o consumidor o melhor é um preço mais módico.
          Ok, quem vai comprar um sedã médio pensando em ficar com o carro até fazer 150 – 200 mil km, tem na confiabilidade um ponto preponderante. Quem vai ficar com o carro 50 – 60 mil km, pode tranquilamente ter outras características bem mais importantes para observar do que pensar nas 5 – 6 visitas que fará a uma concessionária da marca. Vale lembrar que nesse segmento de mercado, a maioria esmagadora dos consumidores tem um período de troca na faixa de 3 anos.
          Portanto, o ranking não deixa dúvidas: há diferenças nos atendimentos em concessionárias e com satisfação pós-vendas, muito amparados em experiências pré-compras, como test-drive e operação de entrega. Mas o ranking é de 1000 pontos, e nada indica que a diferença de 77 pontos entre Toyota e Fiat, por exemplo, seja algo além do significado matemático escancarado: uma satisfação de 7,7% a mais no pós-venda da Toyota que no da Fiat.

          • fbl

            Resumindo ne. Quem faz a fama e comprova a fama, tem demanda alta e quem tem demanda alta pode cobrar mais caro ate o mercado achar que nao vale a pena pagar mais caro pelas caracterisitas/qualidades de determinado produto, o que certamente ainda faz uma imensa maioria (tá humilhando-me o segundo colocado e os demAis nem existem ate o momento) comprar. Quando cairem as vendas, ou vierem concorrentes realmente fortes, os preços cairão obviamente e a tendencia é serem melhor equipados. Mais tem ainda levará para as redes concorrentes se compararem a toyota e honda. É mostra a diferença. Precisa conhecer bem todas pra julgar. E olha, pra rodar vinte ou trinta mil km, vender de ano em ano, qq maria fumaça aguenta e nao é mais que obrigação. Se bem que so de por exemplo forda powershift nos ultimos seis meses tive conhecimento de umas 5 pessoas de contato direto meu que se nao ja venderam, acabaram de anunciar seus carros (mais um ontem – fiesta sedan titanium) por inicio da trepidacao no cambio. Coisa nitida. Na media esses carros nAo tinha trinta mil km. Feio ne? Levados a ford e constatados. Uns trocaram e o problema nao tardou a voltar, outros ja se livrarm ou tentam se livrar. So um exemplo de uma marca qualquer. E ai vc nao quer que os carros da toyota e honda nao tenham valor a mais? Impossivel ne. Ó histórico de casos so nao é muito diferente pra quem nao quer exergar e obvio que reflete no peso e na satisfação dAs pessoas, que optam futuramente por seguir as marcas. Um movimento natural que comecou no eua a tempos e muitos outros países, vide a liderança global de montadoras e seus carros. Concordo plenamente que deveriam vir mais equipados mas nem pra todos esses botoezinhos todos sao o primordial num carro e na sua confiança nele e na marca.

            • Como você pode ver por minhas palavras, não é questão de eu achar ilegítimo a empresa equilibrar seu preço em cima da lei da oferta-procura. Ótimo para a Toyota, como empresa, poder vender seus carros com um plus na lucratividade mantendo vendas. Isso só não é excelente para o consumidor. Talvez se as vendas fossem mais equilibradas entre outros (ótimos) modelos que temos no mercado, mesmo o consumidor do Corolla pudesse se beneficiar com preços mais módicos e justos em termos de custo x benefício.
              Quanto à Honda, a mesma notícia a coloca em quinto no ranking, o que mostra que nem sempre a percepção do público é verdade absoluta.
              Quanto ao fato de se andar em média 60 mil km com um carro zero antes de efetuar uma troca (eu não disse 30 mil), é uma média retirada de estatísticas sólidas no mercado nacional. Proprietários de veículos da classe de sedãs e hatches médios costuma trocar de carro em uma média de 3 anos. Aí é que entra minha contestação sobre valores principais a serem considerados na aquisição de um carro: sim, até os 60 mil km é muito difícil encarar problemas significativos com carros de qualquer marca, podendo sim se afirmar que é quase uma obrigação um veículo durar este período sem dar “dores de cabeça”. Isso só reforça a minha tese de que em alguns casos é uma bobagem se considerar como principal argumento de compra de um modelo dizer que o carro dura “200 mil km sem dar problemas”, já que não se pretende utilizar o carro até lá ou sequer até próximo dessa quilometragem.
              Resumindo, onde quero chegar? Ok, preferir o Corolla por ele possuir um melhor pós-venda e boa reputação no mercado de usados é justificável e tem seu peso. Mas é necessário respeitar o fato de que há muitos outros consumidores que tem justificadamente outras prioridades ao comprar um carro zero quilometro. O que não acho correto é querer “impor” que a compra única possível é aquela que serve para mim, como muitos escribas aqui querem fazem crer: “ou você compra Corolla, ou você é um burro”. Não é bem assim. Se não compro é porque tenho preferências por outros designs, prefiro ter um período de utilização própria com um carro significativamente mais equipado e mais barato na aquisição, em carros que em muitos casos possuem uma dirigibilidade até melhor que a do Toyota, com mais desempenho ou espaço interno, com melhor acabamento, etc. Mesmo sabendo que na revenda vou ter um pouco mais de dificuldade e de desvalorização. É tudo questão de necessidade própria.

              • fbl

                É claro, é burrice absoluta quando se esta falando serio,m definir que somente uma marca, pode ser a toyota é a que serve, pq obviamente as necessidades sao diferentes e cada um faz oq quer, graças a Deus. Agora é tambem uma imensa burrice nao reconhecer as qualidades de um produto lider, seja qual for (carro, telefone, tv, etc) sem justificativas plausiveis, que também ocorre demais, ja que estamos principalmente num ambiente dominda por internautas que mal tem ocntato com os carros que comentam na vida real. E quanto ao preço, é preciso saber que fatores como confiabilidade na marca, no carro, nos pos venda, na desvalorização e liquidez pesam pra muita gente e de fato tem um preço pra cada um. Entao… Vida que segue e aqui repete a história que ja é velha em outros mercados como o maior do mundo por exemplo e muitos outros. Bastar ir la, conversar com as pessoas e ver as respostas. Fora os resultados das vendas globais que estao aí e são fatos. Aí nao tem conversa.

                • Então devemos estar falando a mesma língua… rs. Foi o que eu disse o tempo todo: não é questão de não reconhecer as qualidades do Corolla, por exemplo. É questão de também enxergar que o carro seus pontos fracos, e que estes podem sim ser incontornáveis na avaliação de outros compradores, com as qualidades de outros modelos do mercado sendo mais importantes na escolha de alguns do que a qualidade de pós-venda da Toyota.

                  • fbl

                    Sim, concordamos. No caso da toyota, nao acho que seja so o pos venda superior nao (ou pelo menos dos melhores em relação a maioria dos seus concorrentes) mas os carros sao melhores montados, tem mais qualidade construtiva, sao mais robustos. Isso eu tenho nao so como um historico meu pessoal, de 3 carros toyota proprios mas de tudo que leio e vejo no mercado. Nao tenho como nao achar essa superioridade, quando comparo com o restante que vejo e que tive. Mas claro, cada um tem suas prioridades, seus gostos e isso define aonde vai gastar o seu dinheiro com carro. A zueira aqui é pq estamos num meio que na maioria das vezes é passional mesmo e sempre é bom sacanear a galera dos super trunfos de ficha tecnica, aqueles campeoes de comparativos de 1 dia só, que pegam uma pilha forte quando começam a aparecer as zicas de suas marcas preferidas rsrsrs. Vlw.

  • Igor Vighi Viscardi

    eu não sei como alguém pode ter alguma satisfação andando nesse carro bisonho de feio kkk

    • Hélio

      quando a única reclamação é sobre embelezamento é pq o produto está fazendo seu papel corretamente de ser um carro.

  • Fábio

    Ué mas mas mas…cadê as queridinhas Ford e VW??
    Hahahahaha

    • fbl

      Efeito powershit nao falha.

  • Zé Mundico

    A Toyota fabrica os melhores carros do Brasil e oferece o melhor pós-venda. Simples assim.
    Custa aceitar isso?

    • Sem contar equipamentos design que é subjetivo e preço, o que um Étios tem superior a uma Hb20 ou Onix? E o Corolla em relação ao Civic, Jetta 1.4 ou 308? Estou falando do produto carro em si.

      • Cesar Mora

        Deixando a subjetividade do Design, o Etios tem o conjunto mecânico mais potente e econômico que o Onix, não conheço o o HB20 turbo, mas é melhor que os 1.0 aspirados da Hyundai também, em qualidade de equipamentos, vejo eles muito próximos, mas com uma durabilidade maior para o Toyota, ao entrar em alguns usados destes vc percebe essa qualidade…

        nos médios são perfis, o Corolla é mais macio, mais confortável que Civic e Jetta, e esse comportamento agrada a maior parte dos potenciais clientes, o Jetta assim como todos VW sofre um pouco pela politica de opcionais onde também erra a fiat, o que muitas vezes dificulta o comprador entender o que ele precisa, e fazer com que o preço caiba no bolso… o 308 seria preterido em grande parte pela revenda difícil e alta desvalorização, além de ser um carro envelhecido ( embora muito bonito sobretudo o anterior) e “esquecido” no mercado. o Corolla é um produto médio, mas que entrega o que o consumidor quer e sem surpresas ou riscos de problemas, o cara compra sabendo que vai ter um carro por anos e anos que só vai precisar trocar óleo, filtros, pastilhas….

        • Hélio

          esse negócio de opcional é um saco, você adicionando itens no carrinho e o carro só vai inflando…
          bem melhor você ter modelos fechados.
          só digo parabéns pra quem tem paciência para opcionais…

        • Cesar, parte do que disse são das “grandes lendas da internet”. Qual a durabilidade média do Toyota em relação ao HB20? Não conhecemos. Sabemos do Bandeirantes e do Corolla, porque mesmo muitos Camry’s, Lexus que rodavam por aqui estão tão acabados quanto os Excell, Sonata da vida… E de qualquer forma a comparação era apenas com o carro, sem contar com equipamentos. E me referia ao HB20 1.6. Você não conseguirá nenhum dado para mostrar que um Étios resiste mais ao tempo que o HB20, a não ser referência das duas marcas de 20 anos atrás. Enquanto a Toyota evolui gradativamente, A Hyundai praticamente se tornou outro fabricante no mundo inteiro.
          Os atributos que usou em relação ao Civic e Jetta são verdade, mas isso não os torna um produto pior que o Corolla. Apenas diferente. Até porque em termos de equilíbrio entre conforto e estabilidade os três perdem para o Focus. Política de opcionais, desvalorização e dificuldade de revenda são atributos de compra, estou apenas analisando o produto. Entenda, não estou dizendo que o Corolla é mais ou menos negócio que esses, acho que existe inúmeros motivos para escolher o mais caro, mas o amigo acima deixou claro que o carro Corolla é um carro melhor que seus concorrentes. E eu quis saber porque. Ele é um dos mais confortáveis senão o mais, e isso eu concordo. Mas como carro, na questão mecânica, não o vejo melhor que nenhum player concorrente. O que de forma nenhum justifica escolher um concorrente. Mas pelo menos podem levar aos clientes o questionamento do porque pagar mais. Caso eu fosse comprar o Corolla estaria na minha lista porque acho o câmbio dele mais evoluídos que dos concorrentes. Mas ele perde em motorização para todos os players.

          • Cesar Mora

            então, tentando se despir dos conceitos já definidos, quanto ao HB20 sou sincero, não entrei em nenhum um pouco mais rodado nesses 3 anos de mercado que ele tem, mas já entrei e etios dos primeiros com mais de 70.000 km e onix também por volta de 80.000 km, e sobretudo nos estofados o Etios mostrava mais resistência, e menos barulhos de acabamento ao andar… sobre deixar de lado os outros pontos inerentes é difícil né? porque por ex, o fato do Banco GM aceitar financiamentos que outros bancos não aceitam, ou ter uma taxa agressiva para o Onix será certamente um fator de escolha, como a garantia de 5 anos da HMB, e o ótimo atendimento do pós venda Toyota…

            porque o produto em si não é o suficiente para definir a compra se o consumidor não conseguir financiar, ou já teve dores de cabeça com o carro parado por defeito ou falta de peças de uma marca, em Resumo, no meu ponto de vista Etios e HB20 1.6 são empatados na maioria dos pontos, mas nessa comparação o Etios é um pouco mais barato para entregar o mesmo conjunto.

            sobre o Corolla, vejo ele como um melhor conjunto de tudo que envolve ter um carro no segmento, mas ele perde para alguns em espaço, para outros em motorização, mas não faz nada disso de forma ruim…

            • Sim, Cesar. Mesmo a questão de produto é questionável sobre o que é “melhor carro”. Se a pessoa precisa de espaço, o “melhor carro” dentro da comparação que propus é o Étios. Mas mesmo assim melhor produto não significa melhor compra, porque entra outros fatores como cobertura da garantia, preço de venda, valorização do usado, necessidade do cliente de um equipamento ou outro. Eu acredito que o HB20 é um produto melhor que o Étios, mas que o Toyota é uma compra melhor. Eu iria no Piracibano ou no Indaiatubense na primeira comparação, e no caso do Corolla ele seria meu escolhido caso o Focus não tivesse no comparativo.

  • Gian

    Tá aí uma coisa que realmente a Toyota é imbatível. Nisso eu concordo.

  • KT2000

    Tive mais de 10 anos de relação com a Toyota. Só alegrias e tratamento VIP. Agora, há duas semanas, estou com a Jeep… Vamos ver…

  • Paulo

    Nissan em 5º me surpreendeu, pois até pouco tempo atrás tinha um dos piores pós -venda existentes.
    Torço pra que realmente tenham mudado pois os carros são bons, mas o pós-venda era um lixo.