Volkswagen

Volkswagen deve atrasar correção de carros do dieselgate, diz CEO

volkswagen-amarok-dark-label-NA (15)

O Grupo Volkswagen realizou ontem (quinta-feira, 28) uma conferencial anual. Durante o evento o CEO da empresa, Matthias Müller, revelou que a fabricante está sofrendo atrasos no seu plano para consertar os carros envolvidos no escândalo dieselgate. A estimativa é que os trabalhos sejam estendidos para até 2017.

“Nossa prioridade é ajudar os clientes afetados, oferecendo soluções técnicas convincentes. Esta continuará sendo a nossa tarefa mais importante até que o último veículo seja posto em ordem. Admito que não estamos tão longe quanto gostaríamos de estar”, disse Müller. “Houve um atraso inesperado na implementação do plano”, completou.

O plano da VW para os carros do dieselgate, concluído no início deste ano, teve que ser refeito já que não foi aprovado pelas autoridades alemãs. Segundo o executivo, a marca vai trabalhar para finalizar o trabalho até o final deste ano, mas caso seja necessário, será estendido para o primeiro trimestre do ano que vem.

A empresa ainda desenvolve uma solução final para o Volkswagen Passat, que deverá ser concluída nas próximas semanas. Uma proposta de correções de software para o Golf já foi aprovada e tem previsão para ser implementada nos modelos envolvidos nos próximos dias.

O escândalo de fraude em motores a diesel causou um prejuízo de 16,2 bilhões de euros à VW, sendo cerca de 7,8 bilhões de euros para reparar os veículos afetados e outros 7 bilhões de euros para cobrir custos com multas e processos em todo o mundo.

Novos elétricos e híbridos

Além de falar a respeito do dieselgate, Müller revelou que o plano da montadora alemã é lançar mais de 20 novos modelos elétricos e híbridos até 2020. “Pretendemos fazer dos carros elétricos uma das novas marcas da empresa”, explicou o executivo.

A Volkswagen está desenvolvendo uma nova arquitetura exclusiva para carros “verdes”, batizada de Modular Electrification Toolkit (MEB). Acredita-se que os primeiros carros construídos a partir da nova base serão introduzidos no mercado no final desta década.

Com esses novos modelos, além de reestruturação em sua gestão, a Volkswagen quer se posicionar em uma base mais sólida após passar pelos seis meses mais turbulentos em sua história.

[Fonte: AutoExpress]





  • th!nk.t4nk

    Por incrível que pareça tudo indica que esse escândalo vai fortalecer a VW. É o empurrão que faltava para investirem mais no desenvolvimento de elétricos e híbridos. Como as vendas não foram tão afetadas, o planejamento ficou mais fácil.

  • thi

    Parece q a VW vai crescer ainda mais com isso .

  • Doccar

    Grandes evolucoes sucedem grandes turbulencias!
    Acredito que sera a alavancagem que os eletricos precisavam.