Europa Tecnologia Volkswagen

Volkswagen estuda alternativas para corrigir os carros diesel afetados

vw-20-tdi-272

A Volkswagen um método para corrigir o problema de emissão excessiva de poluentes nos 11 milhões de veículos equipados com o motor diesel EA 189 e que possuem o software que adultera os dados durante análise.

Existem várias possibilidades e com custos bem diferenciados. Uma das alternativas é a introdução de um novo software que corrige as emissões de poluentes. Outra solução seria a instalação de catalisadores maiores para barrar o excesso de poluição.

Os custos para reparação dos veículos afetados pela emissão de partículas nocivas à saúde podem variar de € 20 a € 10.000 por carro. Substituir todos os carros ou mesmo só os motores EA 189 afetados seria o extremo das opções que estão sendo analisadas.

audi-14-tdi

Uma fonte familiarizada com o processo, diz que a correção não será igual para todos os carros. Comenta-se que alguns modelos 2.0 TDI possuem tanque adicional para o aditivo AdBlue, que elimina os óxidos de azoto nocivos. Com a eliminação do software, basta o proprietário utilizar mais o produto para manter as emissões dentro do limite. Nos motores TDI menores, não há espaço para adaptação, então a saída seriam conversores catalíticos maiores.

A Volkswagen tinha até esta terça (7) para apresentar um plano ao governo alemão para solucionar o problema. Do total, 8 milhões de carros com o software rodam na Europa. Os custos para reparação são enormes, tanto que a VW já anunciou cortes profundos em investimentos em todo o mundo. Além disso, anunciou que todos os carros diesel Euro 6 estão livres do software de adulteração, podendo assim ser adquiridos normalmente.

Desde o dia 18 de setembro, a Volkswagen viu suas ações despencarem 42% nas bolsas de valores, perdendo bilhões de euros. Dentro da montadora, vários engenheiros e gerentes responsáveis por motores foram afastados, incluindo Wolfgang Hatz, chefe de powertrain da VW entre 2007 e 2011. Uma investigação interna está em curso.

[Fonte: Bloomberg]





  • JAC

    “Além disso, anunciou que todos os carros diesel Euro 6 estão livres do software de adulteração, podendo assim ser adquiridos normalmente.”

    Mas………..

    Automotive News
    7 de outubro de 2015 – 15:11 ET

    WASHINGTON – Volkswagen of America retira a sua candidatura à certificação EPA que seus 2016 veículos de ano modelo a diesel em conformidade com as normas de emissões dos Estados Unidos.
    Sem certificação EPA, os carros não podem ser vendidos.

    • Osni Duarte

      Mas a Euro 6 regulamenta na Europa (suponho…). Portanto lá, que é o maior mercado, estão em conformidade.

      • JAC

        VW você confia.

        “BERLIM (Reuters) – Promotores alemães invadiram a sede e outros escritórios de hoje Volkswagen como parte de sua investigação sobre aparelhamento da montadora de testes de emissões de diesel.”

        • VW, você conhece e vai na concessionária mais próxima comprar… O Corolla! kkkkkkk

    • Guilherme Borella

      Sim, os carros estão sem o certificado EPA pq o governo americano trancou o processo de certificação para os novos motores até a VW consertar a M… que fez.

      • JAC

        O governo ameaçou não certificar veículos 2016 caso VW admitisse a frade veículos a até 2015.
        Mas agora foi a VW que retirou a candidatura à certificação.

        Automotive News
        7 de outubro de 2015 – 15:11 ET

        VW tinha sido aguardando para aprovação na EPA dos motores diesel de 2016, mas retirou o seu pedido como parte de suas discussões em curso com os reguladores dos EUA, na esteira de sua escândalo emissões.

        Em seu depoimento, disse Chifre parte da estratégia de controlo de emissões de VW incluiu um “recurso de software” que deve ser “divulgado e aprovado por reguladores” como um “emissões auxiliares controlar dispositivo”, que são legais sob regras de emissões norte-americanas.

        Não está claro o que esse recurso do software faz, exatamente, mas um porta-voz da Volkswagen of America disse que é diferente do software classificado como um “dispositivo manipulador” pelos reguladores que ativaram controles de emissões totais somente em testes de laboratório, enquanto desativando os controles na estrada.

        • Guilherme Borella

          Deve ter muito alemão de cabeça quente agora… Kkkkkk…

  • Junoba

    Lembro que a VW estava sempre fazendo o possível para reduzir os custos de predução, fazendo até mesmo metodos mais simples de fabricação para aumentar a lucratividade. Tudo isso foi por água abaixo.

    Como diz o ditado, você colhe o que planta.

    • afonso200

      era até 2018 queriam ser a maior do mundo, uahsuahsuahs

  • Tango

    Vamos ver como os “comentaristas” vão mostrar a sua indignação agora

    Pesquisa diz que motores diesel de BMW, Mercedes, Ford e Mazda poluem mais do que os limites europeus
    Estudo da Universidade de Leeds afirma que motores da VW infringem normas, mas que outras marcas poluem até 35% a mais
    abrir menu
    POR VITOR MATSUBARA – Sustentabilidade – 07/10/2015
    Diesel
    Parece que a Volkswagen não é a única montadora a superar os níveis de emissões de poluentes para motores a diesel. Segundo informações do jornal Daily Mail, uma pesquisa realizada por pesquisadores da Universidade de Leeds a pedido do governo britânico apontou que modelos de BMW, Ford, Mazda e Mercedes-Benz estão acima do limite de emissões de poluentes necessário para serem aprovados nos testes europeus.

    “Surpreendentemente descobrimos que até alguns motores da Volkswagen (que causaram todo o escândalo dos motores a diesel) estavam poluindo 35% a menos do que outros veículos de categorias similares, o que nos faz crer que todas as montadoras encontraram uma maneira de burlar os testes”, afirmou James Tate, pesquisador do Instituto de Estudos de Transportes da Universidade de Leeds.

    Na última terça-feira, pesquisadores já haviam afirmado que a enorme discrepância entre os níveis de emissões de poluentes dos motores a diesel e os limites estabelecidos pela Comissão Europeia eram “extremamente preocupantes”, sugerindo, então, que a Volkswagen não seria a única fabricante de automóveis a descobrir maneiras de passar nos testes laboratoriais.

    “Descobrimos alguns modelos compactos emitindo mais poluentes do que os ônibus de dois andares utilizados na Inglaterra ou caminhões de 40 toneladas. Trata-se de uma prática bastante lucrativa para elas (montadoras), já que assim é possível vender carros mais potentes pagando menos impostos e obtendo mais lucros”, declarou Tate, que afirma ter monitorado as emissões de poluentes de veículos a diesel na Inglaterra pelos últimos cinco anos, período no qual ele calcula ter avaliado mais de 1 milhão de carros.

    Para este estudo, Tate analisou 300 veículos novos movidos a diesel em seis localidades distintas da Inglaterra e Escócia durante 20 dias do verão europeu. Sua conclusão foi que nenhuma das montadoras avaliadas (cujos nomes não foram revelados) cumpre com as normas de emissões de poluentes Euro 6, que determina que os motores não podem produzir mais do que 0,08 gramas de CO2 por quilômetro rodado.

    Os motores da Mazda seriam os mais poluentes, emitindo 0,49 grama por quilômetro rodado – mais de seis vezes o limite do Euro 6. Um dos modelos da marca japonesa, aliás, teria emitido 1,1 grama por quilômetro, ou 13,75 vezes acima do limite. Em seguida apareceram BMW (média de 0,45 grama por quilômetro), Mercedes-Benz (0,42 grama), Volkswagen (0,41 grama) e Audi (0,36 grama).

    A equipe de Tate também avaliou o polêmico motor EA189 da Volkswagen, que fez a marca admitir que foi equipado com um sistema programado para identificar testes de laboratório e emitir menos CO2. Embora emita 4,2 vezes mais poluentes do que os limites europeus, motores fabricados por outras marcas superaram o limite estabelecido em até 5,8 vezes.

    • Supernescau

      Eu tirei vantagem em uma tributação ou negociação. Mas não tem problema, o molusco roubou muito mais do que eu. Na minha opinião, ambos os casos são vergonhosamente parecidos e comuns.

      • Tango

        Sim não duvido que sejam comuns. Mas o meu questionamento vai para como alguns irão lidar com os novos (nem tanto) dados. A BOSCH já disse ser responsável pelo tal software, mas diz que não era para ser usado. Mas como disse quero ver a atitude de algins “comentaristas” e se manterão a postura tão indignada se e quando suas preferidas estiberem na mesma situação da VW. Como me disse um comentarista em outro blog. Vai ter gente andando de bicicleta se realmente agir da maneira que falou. Em nunca mais na vida comprar carro desses fabricantes. E assim como quase não saiu matéria sobre a BOSCH no caso, não me surpreenderia que o foco mudasse em novas matérias em certos blogs.

        • Supernescau

          Também acho no mínimo estranho a Bosch quase não aparecer em tudo isso. Mesmo que estejam amparados legalmente com os avisos sobre a utilização, eles foram os desenvolvedores do software.

          • Tango

            Vamos combinar que ninguém desenvolve um sistema para burlar os testes e entrega para uma fabricante só por “curiosidade”. Seria a mesma coisa que eu dar uma arma para um criança carregada e depois dizer que não imaginava que ela poderia atirar em si ou em alguém. Mas como já imaginava desde o início, a história não está nem na metade. Já há acusações de vista grossa de agentes europeus. E nem sei até que ponto essa descoberta americana foi tão “inocente” assim. Agora é aguardar p desenrolar da história. Em tempo, acho que a VW é culpada e deve sofrer sanções.as vendo o caso da BP infinitamente mais grave nem de longe acho que as multas cheguem perto do que alguns imaginam. Se for algo corporativo então. Ainda mais se tivermos empresas de outros países envolvidos.
            Mas meu comentário inicial vai de encontro a alguns e seus comentários que com certeza vão mudar se o foco não for só a VW.

      • JAC

        Posicionamento da Bosch

        Na última quinta-feira (24), a Bosch divulgou um comunicado oficial afirmando que forneceu à Volkswagen tanto o sistema de injeção direta a diesel quando o módulo de dosagem para tratamento dos gases de escape. “Como costuma acontecer na indústria automotiva de fornecimento, a Bosch entrega esses componentes para as especificações da montadora. Como esses componentes são calibrados e integrados aos sistemas completos do veículo são responsabilidade de cada montadora”, disse a empresa em nota.

        • Gustavo73

          Bosch especificou que instalação nos veículos era ‘ilegal’, segundo o ‘Bild’. Montadora enfrenta escândalo da fraude de emissões de poluentes.
          26/09/2015 22h27 – Atualizado em 26/09/2015 22h27
          France PresseDa AFP
          A fabricante de equipamentos alemã Bosch forneceu em 2007 à Volkswagen o dispositivo que está no centro do escândalo dos motores fraudados, embora tenha especificado ao grupo automotivo que eram de teste e que sua instalação nos veículos era “ilegal”, noticiou o jornal alemão “Bild” em sua edição de domingo.

          Nesta semana, a Volkswagen admitiu que os motores a diesel de 11 milhões de veículos em todo o mundo estavam equipados com um dispositivo destinado a alterar os resultados dos testes antipoluição.
          Sediada em Gerlingen (sudoeste), a Bosch teria fornecido à Volkswagen este dispositivo, “previsto unicamente para testes [internos]”, reportou o “Bild”, citando um “documento explosivo” de 2007 procedente da fabricante de equipamentos.
          A Volkswagen tinha implementado naquele ano o dispositivo em motores a diesel com o objetivo de fraudar os resultados de testes de poluentes, acrescentou o periódico.
          No documento, a Bosch advertia na ocasião à Volkswagen que a sua instalação em veículos era “ilegal”, prosseguiu.
          Um porta-voz da Bosch, entrevistado pelo “Bild” sobre a reação da Volkswagen sobre estas advertências, apelou à “confidencialidade” nas relações comerciais com a automotiva alemã.

          • JAC

            Volkswagen reconheceu que modificou o software do motor para contornar as normas de emissões dos Estados Unidos. Na quarta-feira, a empresa não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

            Porque Bosch fornece o módulo de controle do motor, chamado EDC17, e software básico para quase todos os carros a diesel de quatro cilindros vendidos na América do Norte, legisladores sondando o escândalo Volkswagen levantaram preocupações de que seria fácil para os outros fabricantes também para contornar estadual e federal regras de emissões.

            A prova de que o software básico, tal como o fornecido pela Bosch pode ser facilmente modificado por um fabricante de automóveis para detectar condições de teste de laboratório também poderia levantar questões sobre se os EUA precisam mudar o seu regime de ensaios de emissões em laboratório, de acordo com um assessor do Congresso perto da Casa Energia e Comércio Subcomitê de Supervisão e Investigações.

            Um porta-voz da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, disse: “Não é verdade que o software automotivo padrão detecta quando um veículo está em um dinamômetro.”

            Automotive News

            • Gustavo73

              E como está na notícia que postei a BOSCH twria admitido ser a criadora do software, mas que seria para uso interno e não deveria ser utilizado nos carros de produção. Como colocado pelo colega acima, já existem testes contestando produtos de outras fabricantes. E na Europa já acusam os órgãos reguladores de já saber da fraude a mais tempo. Parece que era um segredo de polichinelo, mas todos faziam vista grossa (isso não confirmado ainda). E que os americanos teriam quebrado o silêncio. No caso da VW pelo que li mesmo sendo o mesmo bloco EA 189 dependendo das especificações a simples tica pelo software normal resolveria a questão. Mesmo que com prejuízo nos números de desempenho. Mas que em alguns casos nescessitaria de substituição de componentes. Agora a VW diz que são pouco mais de 9 milhões de motores do grupo. Essa história só está no começo. E se ela se mostrar algo endêmico vai demorar ainda mais.

    • Gio

      Informações interessantes, com certeza vale a pena a investigação. Talvez até o futuro dos “Diesel Limpos” esteja em debate agora.

      Mas nenhuma montadora é culpada até que se prove o contrário. O estudo da West Virginia University que iniciou o debate sobre os VW, por exemplo, testou simultaneamente Jetta, Passat e BMW X5 e só encontrou indices elevados nos VW. Haverão muitas teorias, estudos e indicios, mas precisam ser comprovados. E, até agora o único caso comprovado (e confesso) é o da VW, então vejo que é o mais válido de debate no momento. O importante é que este caso acendeu o alerta e agora, com certeza, a fiscalização será maior, inclusive nestes citados na reportagem.

      • Tango

        Já foi divulgado mesmo sem o mesmo alarde que a BOSCH é a responsável pelo programa burlador. A própria admitiu apesar de dizer que era contra a lei usar. Eu pergunto porque criar algo ilegal. E não é de hoje que existe essa desconfiança. Se a matéria está correta, já está provado inclusive com números. Esperar a admissão de culpa para mim é desnecessário.

        • Edson Fernandes

          Não é assim.

          Eu tenho um software que realiza testes de laboratorio. Esses testes são essenciais para se verificar o nivel de poluentes atmosfericos assim como testar diferentes configurações.

          É o mesmo que vc ter acesso a software que mexem com a ECU dos carros.É algo necessário que se depender de alguns, pode usado de má fé.

          Quer ver como as coisas pode ter dimensões menores, porém é motivo de enganação no Brasil? O cara vai lá, zera o registro de log do carro para sair todos os avisos, reduz quilometragem e te vende.

          “Mas como pode existir um programa assim?” desde que exista mecanicos para ter acesso a anomalias, isso existe. Isso não quer dizer que vc precisa ser um FDP, porém isso existe em qualquer situação como a exemplo da VW que programou o programa para mudar os parametros.

          • Tango

            Pelo que entendi a BOSCH assumiu a criação de um software justamente para burlar os testes. Já que seria esse que a VW usou nos carros de produção. Se for da maneira que você falou aí a coisa muda de figura. Só acho que temos que esperar cobrar de todos da mesma maneira. Não foi o que andei lendo por aí nos comentários. Esse é o meu questionamentos.

            • Edson Fernandes

              O que a Bosch assumiu, é que possui um software que serve para medição e parametrização do motor enquanto testa. Só que deve ser um parametro no mapeamento da ECU.
              Nesse caso vc se obriga a ter que criar uma mapa de injeçao que melhor se comporte em poluição, performance e consumo. Porém é possível nele também parametrizar e salvar algo além como foi o caso da VW. Vc tem como colocar profiles que possibilitem que o parametro mude ou que em um determinado periodo ele dure até que volte a ficar “normal”.
              E te digo mais: Eu acho que isso sempre aconteceu. eu pelo menos já ouvi falar de situações onde um mesmo motor, de um mesmo fabricante, onde um andava bem o outro andava muito mal…. ou que o cosumo era absurdo em um e no outro normal (falo por mim: Na Citroen com um C3 1.4 e eu fazia otimas médias e um cara que veio de São Bernardo a São caetano [coisa de 20km], gastava meio tanque).
              Sim!!! 20km em meio tanque!!! A Citroen chegou a reembolsa-lo do combustivel gasto por esse problema, no começo empurrando a culpa para o consumidor mas depois teve que trocar o motor.

              • Tango

                Ótimo esclarecimento, li em um site acho que o Automotive Business que a BOSCH era a responsável pelo software burlador, mas só. A sua explicação bem mais completa me dá outra visão do que pode ter ocorrido. Agora é aguardar o desenrolar. O Grupo VW parece estar se capitalizando para os ajustes e multas que vai ganhar fora o 6 bi já guardados. Agora é esperar as cenas dos próximos capítulos.

                • Edson Fernandes

                  Então, mas a Bosch assumiu isso de forma global. Ela desenvolveu o software, mas a manipulação do software foi feita pela VW.

                  A Bosch desenvolvedora do software inclusive coloca para tomar cuidado, pois com ele pode existir configurações inadequadas… só que nesse caso, a inadequação foi proposital por parte da VW.

    • Rodrigo

      Até então, só foi provado e anunicado o que aconteceu na VW.
      Ninguém é santo, mas a malandragem um dia é descoberta.
      Por enquanto, a VW vai sofrendo as conseqüências, e com razão.

      • Tango

        Está anunciado que outras fizeram o mesmo. A VW só se antecipou e admitiu a culpa. Não significa que as a outras seguirão a mesma linha.

        • Edson Fernandes

          Se antecipou???11 milhões de carros e ela se antecipou????

          Desculpa… pode haver exagero, mas dizer que isso foi uma antecipação é um absurdo.

          Se pudesse ninguem iria descobrir e ela seria aquela que tem o motor “limpo”. Ela nunca iria dizer se não descobrissem…

          • Tango

            Pode não ter ficado claro como falei. Se antecipou em assumir a culpa assim que foi acusada. As outras podem estar negando mesmo tendo culpa no cartório. Não seria a primeira vez que isso acontece. E claro que se ninguém descobrisse ficaria na mesma como ficou durante tanto tempo.

  • Pedro Henrique

    e a vw vai bancar o adblue extra necessário? não né…

    • Edson Fernandes

      Hhehehehehe pois é…. eu pensei exatamente nisso. Eu iria ficar PUTO de jogar a responsabilidade em mim. Com certeza uma historia como essa faria eu se fosse dono de um carro da VW nunca mais adquirir, seja ele qual for.

  • Freaky Boss

    essa história está para mim mal contada….. Não é possível que o negócio tenha sido tão amador assim, e que implementassem em milhões de motores sem achar que alguém (de dentro ou de fora da empresa) ia descobrir…..

  • Rodrigo

    Das Scheisse!

  • FocusMan

    “Amor diga-me algo bem sujo no meu ouvido…”

    “Volkswagem Diesel” disse…

    • Eduardo

      calma, que já tem Ford aparecendo no rolo também, vamos ver no que dá…

      • FocusMan

        Rapaz, se a Ford fizesse esse tipo de coisa, jamais você veria o motor Rocam trincando por ai e bebendo igual a motor V8. Praticamente passaram a dar o carro 1.6 pelo preço do 1.0 para sanar a reclamação dos consumidores pelo desempenho pífio do carro. O Fiesta Rocam 1.6 da última fase PROCONVE (tenho um tb) anda tanto quanto um Celta 1.0 e olhe lá.

        A GM por exemplo, ficou sem motor 2.0 16V pelo mesmo motivo. Seu carro não atendia mais as emissões.

        Ja, quanto a VW eu venho falando há muito tempo. Tem caroço nesse angu. Logo descobrirão a mesma palhaçada nos carros a gasolina…

  • RafaelC

    Azoto é português de Portugal, aqui é nitrogênio

  • Túlio Leal

    Duvido que isso fique restrito só a VW…

    • TNFRBT

      dois… em um mundo onde nada (ou quase) se cria e tudo (ou quase) se copia, outras montadoras fizeram a mesma coisa

  • Rodrigo

    N.A. Usem o termo “nitrogênio” ao invés de azoto. Essa ultima palavra é mais utilizada em português de Portugal, muita gente não a conhece no Brasil.

    Abs

  • p_churros

    A partir de hj vou começar a tomar o tal AdBlue quando quando minhass refeições forem pimentão. Assim diminui o azoto fedido.

  • Edson Fernandes

    Legal!!! E uma das soluções é enfiar na guela do consumidor que ele terá que adquirir esse adblue sabe-se lá onde e por qual valor.

    O mais legal: O consumidor que paga.

    Como eu disse antes, se eu tivesse um carro da VW nessa situação e a solução fosse essa, eu nunca mais compraria carros da VW.

    • Nada mais justo que a VW, inclua por conta esse Adblue nas revisões…

      Aqui no Brasil ela economizaria quase tudo, pois a maioria não leva para as revisões em concessionária mesmo… kkkk

      • Edson Fernandes

        Bem… se esse adblue for algo por iniciativa da VW em colocar sem custo ao consumidor tudo bem. Mas sabemos que não é bem assm que a banda toca. Só sei que vai ter gente que sequer vai levar o carro para fazer “ajustes”.

  • FABIANO SCHMITHE

    1..2..3..4 anos depois , e nada acontece !!!

  • JAC

    Automotive News
    7 de outubro de 2015 – 15:11 ET
    WASHINGTON – Volkswagen of America ter retirado a sua candidatura à certificação EPA para 2016 modelos com motores diesel de 2.0 litros

    VW tinha sido aguardando para aprovação na EPA dos motores diesel de 2016, mas retirou o seu pedido como parte de suas discussões em curso com os reguladores dos EUA, na esteira de sua escândalo emissões.

    Em seu depoimento, disse Chifre parte da estratégia de controle de emissões de VW incluiu um “recurso de software” que deve ser “divulgado e aprovado por reguladores” como um “emissões auxiliares controlar dispositivo”, que são legais sob regras de emissões norte-americanas.

    Não está claro o que esse recurso do software faz, exatamente, mas um porta-voz da Volkswagen of America disse que é diferente do software classificado como um “dispositivo manipulador” pelos reguladores que ativaram controles de emissões totais somente em testes de laboratório, enquanto desativando os controles na estrada.

  • afonso200

    isso vai demorar uns 5 anos para os europeus pegarem confiança e os americanos que na nao gostam de VW agora nem querem ver



Send this to friend