_Destaque História Mercado Sedãs Volkswagen

Voyage completa 35 anos de mercado com mais de um milhão vendidos

volkswagen-voyage-35-anos-4

Lançado em julho de 1981, o Voyage foi o primeiro sedã compacto da Volkswagen desde o famoso 1600L do começo dos anos 70, que teve vida curta. Pertencente à família Gol, de lá para cá, o modelo vendeu mais de um milhão de unidades.

volkswagen-voyage-35-anos-1

Exportado para 61 países, o Voyage teve mais de 410 mil unidades enviadas para fora, inclusive para os EUA e Canadá, onde era vendido como Fox. Na Argentina, foi chamado de Gacel e no México, de Gol Sedan.

volkswagen-voyage-35-anos-2

No Brasil, o modelo foi fabricado entre 1981 e 1987 e entre 1990 e 1996 na fábrica da Anchieta, de onde saíram 340.891 unidades. Nesse intervalo, a fabricação do sedã foi transferida temporariamente para Taubaté. Até junho, o Voyage acumula 14.602 unidades vendidas em 2016.

Galeria de fotos do Volkswagen Voyage:





  • Pacheco

    Perto de casa tem um Sport 1.8 lindo.

    • Jurandir Filho

      Voyage Sport era muito massa..

      • Pacheco

        Hoje custa tanto quanto um 2010 usado… kkkkk

        • Jurandir Filho

          Pois é

  • Tem um grande hiato entre o gol bolinha e o gol g5, que foi quando o Voyage voltou.
    Não foram 35 anos interruptos.

    • Pacheco

      Sim… e nunca entendi o por que da VW parar de fabricar na geração bolinha (dizem as más linguás que tem um Voyage Bolinha dentro da fabrica).

      • Eduardo Brito

        Isso aconteceu porque na época existia o Polo Classic e a VW não queria concorrência interna.

        • Pacheco

          Aquele lixo do Polo Classic? Oh carro ruim.

          • Eduardo Brito

            Sim. Se só não tivesse Voyage g2, dava ate pra entender, mas a VW ficou muito tempo sem um sedan compacto. Foi um dos piores erros da VW do Brasil. Ela ate capou o santana nos seus últimos anos de vida para tentar preencher essa lacuna.

            • Pacheco

              Exatamente… e aquele Polo Classic alem de feio, era um carro ruim.
              Engraçado que ela não queria concorrer nos Sedans e lançou uma infinidade de modelos Hatch. Tinha o Gol, Fox, Polo e Golf. Lembro de uma época que todos tinham opção 1.6 e os preços não eram tão distantes.

              Foi realmente um erro. A VW achou que não tinha mercado e viu o Siena chegar e decolar em vendas. Durante muitos anos foi o lider do segmento e referencia de Sedan Compacto.

      • Victor Oliveira

        Voyage bolinha acho que é o logus em ? !! kkkkkk

        • MauroRF

          O Logus foi um Escort sedã na verdade. O Escort “sapão” e suas variações. Tinha o Escort hatch 2 portas, o “Escort hatch 4 portas” (VW Pointer), o “Escort sedã 2 portas” (VW Logus) e o “Escort sedã 4 portas” (o segundo Verona).

          • Diego Amaral

            Faltou o Apollo.

            • MauroRF

              Então, o Apollo foi derivado do primeiro Escort (assim como o “irmão gêmeo” Verona). Os modelos que descrevi acima foram derivados do segundo Escort, do “sapão”.

              • Diego Amaral

                A sim, correto.

        • Pacheco

          Na verdade o Logus era um Verona da VW.

      • Renato Duarte

        meu sonho ver esse voyage.

        • Pacheco

          Se não me engano, esse site é do Eber tbm.

  • Ricardo Blume

    A matéria diz em 35 anos mas o Voyage teve um longo período de férias, voltando a ser fabricado em 2008 após sua descontinuação em 1995 (me corrijam se estiver errado).

  • fbl

    Isso humilhou muito fiat premio e corcel nas estradas. Saudoso voyage gls 1.8.

    • João Cagnoni

      Nunca vi um Premio pegando de primeira sem enxer a rua de fumaça de álcool.

      • fbl

        E motor cht precisava puxar o afogador 4 horas antes de tentar ligar

        • MauroRF

          Ô loco, cara, não era assim não, rs, meu pai teve um Escort Ghia 88 que pegava sempre de primeira (era a Álcool), e era econômico para a época, segundo os relatos do véio. Já um Chevette 86 que ele teve, esse sim era dose de dar a partida, foi resolver só quando levou no terceiro mecânico, que conseguiu regular bem o carro. Eu acredito que deixando bem regulado um motor na época, dificilmente dava problema. Eu mesmo, tive um Escort GL 92 1.6 a álcool (já chamavam de motor AE, mas era o velho CHT) com 10 anos de uso (foi meu primeiro carro em 2002) que pegava sempre de primeira, bastava deixá-lo bem regulado. Só para você ver, em 86, no prédio em que eu morava, tinha 2 engenheiros da mesma empresa, com dois Gols S “a água” movidos a álcool iguaizinhos (ainda que deram para eles um Gol a água, pois na época ainda tinha o BX com aquele motor boxer de batedeira), um deles tinha que descer bem antes para fazer o Gol funcionar (eu morava no primeiro andar e escutava o coitado bombando gasosa e tentando dar partida, dava dó), o outro, conseguia fazer o Gol funcionar de primeira, na primeira virada de chave. Veja, era exatamente o mesmo carro, inclusive a mesma cor (brancos). Eu acho que é mais questão de regulagem.

          • Robinho

            Tive um CHT, era ótimo, alias para mim daquela época carro a álcool bom era CHT.

          • fbl

            Rsrsrs zueira, eu tive um gol AE 1.6 92 e era tranquilo (nos padrões da epoca). Mas nao andava nada perto dos AP 1.6. Se bem um colega da faculdade tinha um escort gl 1.6 a alcool que o cara levava um tempo. Era ate engraçado.

            • MauroRF

              KKKKKK, sim, o AP era mais torcudo, digamos assim, o AE era um motor mais de “vovô”, para condução mais econômica. O bom do AE/CHT era a economia. Mas, por exemplo, para andar na cidade, o AE não era ruim não, no Escort 92 que tinha, ele era bem ágil no trânsito urbano. Você falou do AP, conforme comentei em um post anterior, um tio meu teve um Voyage GLS 88 com o 800S que deixava o carro “nervoso”. O XR-3 1.8 teve esse motor, e ficava igualmente forte, porém, não existe milagre, o consumo era alto. Se não me engano, o Passat Pointer também teve esse motor. Lá nos anos 80, a referência em desempenho ou era VW ou era GM, com a Ford chegando em 89 com os motores AP. A Fiat só foi ter motor mais potente mesmo com o Tempra e depois Uno Turbo, embora o Uno 1.6R fosse bem espertinho também.

            • MauroRF

              Ah, sim, o AP 1.6 voltou ao Gol em 93 (chegou inclusive a ter alguns CLs 4 marchas em 93, raro de encontrar hoje).

      • Zé Mundico

        Cara, eu viajava com aquele cheirinho de vodka no ar…delícia…….

      • Felipe

        Ahhh mas naquele tempo não havia tanquinho de partida à frio, huehue.
        Brincadeiras à parte, a safra de VW AP à álcool não foi muito grande. Fiat, Ford e GM tinham uma gama maior de automóveis com motor à alcool.
        Nos tempos da Autolatina, os motores à àlcool na linha VW eram os Ford CHT.

        • Zé Mundico

          Até onde lembro, os motores CHT eram feitos pela Renault.
          Tive uma Belina Delrey a álcool cujo motor CHT parecia um foguetinho.

          • Felipe

            A concepção é Renault mas a Ford aprimorou e usou por um período. Algo como a Fiat fez com os Tritec, que hoje atendem por E-Torq.

  • Eng Turbo

    Esse foi meu primeiro carro – Voyage LS 1.6 1983 Alcool com carburador mini progressivo!

  • Wagner Lopes

    Parabéns VW Brasil!!!! 35 anos se passaram e continua a mesma carroça exclusiva para emergentes…kkkkkk.

    • João Cagnoni

      Se cada carro custasse 30 mil, tiveram receita de 30 bilhões vendendo Voyage.

      • Marcus

        Oi João, mas teria que considerar que desses R$ 30 Bi precisariam ser abatidos os impostos (representam de 10 a 50% do valor, dependendo do país), o custo de produção (variando de R$ 10K a 15K por carro), os custos de toda a fase de projeto (valor indefinido), dentre outros. Não que a Volks tenha ganhado uma merreca, mas também não seria esse montante todo. Eu estimaria algo entre R$ 1 e 3 Bi de receita líquida no período.

        • João Cagnoni

          10k a 15k por carro? O custo de produção do up era de R$ 3500 no momento do lançamento, o custo do Voyage deve ser menor ainda o no mínimo a mesma coisa. A VW faturou de maneira geral 21,6 bilhões somente em 2014.

          • Jurandir Filho

            1000 dolares pra fazer um up??? que custo é esse?

            • João Cagnoni

              900 euros. Você acha que é mais? De onde a VW tira o lucro bilionário dela no Brasil? Vendendo pastel?

          • Marcus

            Pode ter certeza de que é muito mais. O Up, apesar de ser subcompacto, não é um projeto barato e de baixo nível. Só a adaptação do projeto dele pra fabricação no Brasil custou quase R$ 1.5 Bi. E o valor de US$ 5K/carro é meio que uma média de mercado. E esse faturamento que você falou deve ser do grupo todo, somando todas as marcas e seus respectivos modelos. Considerando que o grupo vende cerca de 10Mi carros/ano, e a receita, como você diz, foi de 21 Bi, vender 1Mi Voyages deve ter dado a ela realmente aquele lucro que falei, entre 1 e 3 Bi. As contas batem…

            • João Cagnoni

              Não estou chutando um número, isso já foi divulgado. Eu ainda me confundi com os R$ 3500, o correto é R$ 2500. Veja o link que vou colocar no final deste comentário. O faturamento que falei é de somente 1 ano, se for multiplicar por 30 (idade do Voyage), este número sobe para 648 bilhões. Será que o Voyage só deu 1 ou 3 bi de lucro?

              • Marcus

                Meu caro, você está misturando as coisas. Sua conta está furada. Vamos lá: em 1 ano o grupo vende 10 Mi de veículos, o que gera um lucro de R$ 21 Bi (como você falou). O Voyage vendeu em X anos o equivalente a 1 Mi de unidades. Se com 10 Mi vendas a VW recebe R$ 21 Bi, quanto ela recebe vendendo 1 Mi? Seu erro foi que você focou no tempo em que ele foi vendido e não levou em consideração o principal, o volume de vendas.

  • thi

    o atual evidence é lindo.

    • João Cagnoni

      Como alguém gosta de um carro desses?

      • Gosto, ué. Eu gosto de Tempra..

        • Rafael Yashiro

          Você não está sozinho.

        • MauroRF

          Tempra Turbo Stile 97, na minha opinião, o melhor de todos. Meu irmão teve um, vendeu e se arrepende até hoje, mas não tem uma vez que ele não lembra e se arrepende, rs. E era aquele vinho lindão.

      • Leo

        Eu gosto de FIAT 147 e Omega 4.1…
        Carros totalmente distintos, mas gosto é gosto, cada um tem o seu

        • João Cagnoni

          Omega 4.1 acho massa!

    • Wagner Lopes

      Só Jesus salva esse dai…..kkkkkkk.

  • MauroRF

    Se alguém souber, que símbolo é esse que vinha nos volantes desses VWs de 80 a 84 (porque na linha 85 vinha o símbolo “VW”)? Na minha opinião, um dos melhores Voyages foi o GLS 88/89, era bem forte, um tio meu teve um e eu achava um carro forte, de bom desempenho.

    • Louis

      KKK verdade, desde criança olho esse símbolo no volante. Alguém sabe o que é ?

      • MauroRF

        Pode reparar, toda a linha VW praticamente, até 84. De 85 em diante, era o símbolo VW no volante, na mesma cor do volante (quase nem aparecia).

    • rodrigosr

      é o simbolo de Wolfsburg, cidade da VW

      • MauroRF

        Ahhh, boa, valeu!

      • MauroRF

        Interessante foi a VW ter abandonado esse símbolo em seus volantes de 85 pra frente.

      • zekinha71

        Tanto que quando lançaram o Logus Wolfsburg ele vinha com esse símbolo na lateral.
        Foi uma tentativa de emplacar o carro, mas mesmo assim não deu.

        • Zoran Borut

          Não foi uma tentativa de emplacar o carro. A denominação Wolfsburg Limited Edition é usada mundialmente pela Volkswagen para designar edições limitadas (ou pacotes) com maior sofisticação de seus modelos.

      • Não era de São Bernardo não?

  • zekinha71

    Lembro quando foi lançado e a minha tia queria um preto, não tinha.
    Naquele tempo carro preto só do governo, encheu tanto na ccs que conseguiram vender um preto pra ela.
    Depois quando ela foi vender saiu até briga pra comprarem.
    Um dia dei uma bronca nela, que lea que inventou essa moda dos carros pretos e pratas.
    E por coincidência ela saiu do Voyage preto e foi pra um Monza prata que era raro na época.

  • Ricardo

    Eu já tive um GL 1.8 1990 pretão, apelidado de Interceptor. Hehe. Aliás, foi meu 1º carro.

  • Mr. Car

    E aí, NA, não pode colocar vídeos do “Youtube” aqui? Onde está minha mensagem onde coloquei o vídeo do primeiro comercial, o comercial de lançamento do Voyage 1981?

    • João Cagnoni

      Acho que o carro era tão pelado que sensuraram…

    • Marcelo Nascimento

      Não sei se mudaram, mas o vídeo tá aparecendo…

      • Mr. Car

        Agora está, he, he! Valeu.

  • João Cagnoni

    Está na hora de aposentar!

    • Zoran Borut

      Ah, sinto muito, agora só aos 75 anos! rsrs

  • Gustavo Miranda

    Faltou imagens das duas versões mais bonitas do Voyage, de 87 e de 91. É uma pena que a tentativa das montadoras de forçar o público a abandonar os sedãs nos anos 90 tenha resultado na ausência de um Voyage bolinha em favor de um enjambrado Polo Classic…

    • Artur

      Deram uma manolada nesse da segunda foto! Rsrs

  • Gabriel Mariano

    Faltou falar das versões, séries especiais (caso teve), enfim, faltou conteúdo.

  • Zé Mundico

    Lembro que em 1984 teve a série Los Angeles, devido ás Olimpíadas. Não tinha nada de mais, apenas um adesivo furreca na tampa traseira.
    Lembro porque meu cunhado comprou um apenas para ser roubado com 3 mêses. Devem ter levado para Los Angeles…..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Navaman

      Lembro dele. A cor era bonita, bem como as rodas,

      • Zé Mundico

        Isso, era um azul metálico bem bonito.

  • Rodrigo Dani

    o VW Fox 1987 exportado para os EUA foi o primeiro caro fabricado no Brasil com injeção eletrônica.

    • MauroRF

      Além disso, o Fox precisava atender a uma série de exigências da legislação norte-americana, não me lembro agora quais, mas eram muitas alterações no Fox para ele poder entrar lá. A imprensa inclusive comentou isso na época.

  • CanalhaRS

    Tenho um comfortline 2009 igual ao da foto. Carro bonito, razoavelmente equipado, dá pouca manutenção, anda bem e, por incrível que pareça, muito econômico (em torno de 11km/L na cidade e 15km/L na estrada – a gasolina). De negativo eu diria o interior simples demais (apesar de ter boa qualidade), bancos pouco confortáveis e suspensão um pouco dura e barulhenta (acredito que pela escolha da VW em pneus 195/55 15).

  • Interessante que 41% dos carros foram exportados.

  • Navaman

    O que nunca entendi era a raposinha no volante do Gol/Voyage/Parati dos anos 80. O Gol tinha desde 1980, quando lançado. Certamente há alguma história por trás.

    • Eu acredito e é apenas um palpite, que trata-se do nome do projeto: Fox. Fizeram a plataforma do Passat em cima do Audi 80 e a simplificaram para o Gol. O Voyage foi vendido para o Eua como Fox. Mas provavelmente do modelo vendido aqui só sobrou a raposa! Hehehe

  • vi.22

    Tive um fox nos EUA…sem duvidas o carro mais duro q dirigi em 6 anos nakele pais. N me lembro exatamente mas axo q ele era 4 marchas. .

  • André Martani

    …e continua sem graça e sem atrativos. Minha opinião!

  • Bruno Silva

    Temos um 1.0 Trend comprado 0km em 2011. Até agora não nos deu dor de cabeça, já está chegando nos 60mil km rodados bem saudável. Acho inclusive a traseira mais bonita que do modelo novo.

  • DiogoFVargas

    Voyage é o sedan compacto mais sem graça dos atuais, tipo mulher de calçola bege! perde pra prisma, hb20s, sienas, logan, j3 sedan, acho que só é mais bonito que o ka+ (por causa da traseirinha mesmo)

  • Leonardo Lucas

    Tinha um LS 1.6 1984, carrinho bom na época, aguentou algumas centenas de milhares de km rodados. Só tinha que andar com alguns cabos de embreagem e algumas garrafas de água no porta malas e tudo certo haha

  • Jackson

    Caramba que reportagem fraquinha, muita pouca informação.

  • Vitão

    Quando comecei a ler, já estava imaginando as fotos com as várias gerações do Gol, a história, as mudanças e do nada… ACABA… huehuehuehue…

  • Pedro Evandro Montini

    Moro na região das três fronteiras no oeste paranaense e lembro que há uns 20 anos tinha um Voyage quatro portas argentino que vinha pra minha cidade e ele era chamado de VW Senda.

  • Igor Pricandi

    Pois é, 35 anos de trabalho. Já está na hora da aposentadoria.

  • onecastellano

    Nosso mercado era estranho mesmo, um carro sedan duas portas, hoje e dia é impensavel.