Listas Top 10

10 carros que não valem o que custam

10 carros que não valem o que custam

É fato que praticamente todos os automóveis 0 km comercializados no mercado brasileiro são oferecidos com preços acima do aceitável, na maior parte das vezes pelo lucro exorbitante das fabricantes e, sobretudo, pela elevada carga tributária do nosso País. Hoje não é possível levar um carro com bons equipamentos de conforto e segurança por menos de R$ 40 mil.


No entanto, a situação é um pouco diferente em diversos casos. Muitos modelos têm preços absurdos, sobretudo em comparação com seus rivais. Selecionamos abaixo alguns dos 10 carros que não valem o que custam no Brasil:

1) Volkswagen up! pepper 1.0 TSI – R$ 59.240

10 carros que não valem o que custam


O primeiro carro dessa lista é o Volkswagen up! em sua versão mais cara. Tudo bem que o carrinho surpreende pelo motor TSI, dotado de turbocompressor e que se posiciona como o mais moderno da categoria, além da lista de equipamentos mais recheada que a dos outros subcompactos (mais baratos, inclusive) e a estrutura digna de nota que aumenta a segurança. Mas R$ 60 mil por um modelo desses é demais, não?

Para se ter uma noção, o Volkswagen up! tem acabamento interno predominantemente em plástico (com algumas variações de textura) e com lataria aparente nas portas, algo que o consumidor não espera ao desembolsar tal quantia por um carro. Há ainda alguns outros vacilos, como a saída de ar central fixa. Além disso, ele deve recursos como vidros elétricos traseiros e central multimídia com tela sensível ao toque.

O grande destaque, como citado anteriormente, é o motor 1.0 TSI que rende bons 105 cavalos de potência e 16,8 kgfm de torque. Com este conjunto, o up! TSI vai de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos.

2) Toyota Etios Sedan Platinum 1.5 AT – R$ 69.990

10 carros que não valem o que custam

A Toyota vende a versão mais cara do Etios Sedan por nada mais, nada menos que R$ 70 mil. Um preço extremamente elevado se formos considerar o fato do Etios ser um carro de baixo custo – ele foi projetado na Índia e é oferecido somente em mercados emergentes. Embora tenha uma mecânica de qualidade, boa dirigibilidade e estrutura sólida, o Toyota Etios Sedan Platinum é um carro caro demais pelo o que oferece.

A lista de equipamentos de série do carro fica devendo recursos como airbags laterais, controle eletrônico de estabilidade, assistente de partida em rampas, ar-condicionado digital, vidros elétricos com sistema “um toque” em todas as portas (há somente para o motorista), sistema multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, entre diversos outros. Boa parte desses recursos já são ofertados pelos rivais.

3) Hyundai HB20X Premium 1.6 AT – R$ 70.860

10 carros que não valem o que custam

Outro modelo de porte compacto que aparece neste ranking é o Hyundai HB20X em sua versão mais completa, a Premium. Assim como soa absurdo pagar R$ 70 mil por um carro tão simples quanto o Etios, também não é nada convidativo desembolsar quase R$ 71 mil por uma versão “de salto alto” do HB20, sendo que o hatch em sua versão civil em configuração equivalente custa R$ 4 mil a menos (ainda assim, caro).

Não dá para negar que o HB20X oferece design moderno, interior com acabamento considerável e desenho bacana para a categoria e boa motorização. Porém, entre os recursos, embora tenha itens legais (como ar-condicionado digital, airbags laterais e faróis com projetores e LED), deixa de fora cinto de três pontos e encosto de cabeça para o ocupante do meio traseiro, controles de estabilidade e tração e assistente de partida em rampas.

4) Honda WR-V EXL 1.5 CVT – R$ 83.400

10 carros que não valem o que custam

O Honda WR-V também aparece nesta lista pela sua “deficiência” na lista de equipamentos e também pelo preço acima do ideal. Este modelo nada mais é que uma versão aventureira do Fit, com visual exclusivo e algumas alterações mecânicas para oferecer uma robustez extra. Por conta disso, deveria custar menos que um crossover “de verdade”.

Mesmo na versão topo de linha, o WR-V não oferta equipamentos como controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, ar-condicionado digital, bancos com revestimento em couro, sensores de luz e chuva, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, entre outros. Diversos desses itens já equipam o novo Fit EXL, que custa R$ 2,5 mil a menos.

5) Kia Soul 1.6 AT – R$ 87.990

10 carros que não valem o que custam

Este é um dos carros mais indefinidos à venda no mercado. Não dá para chamar o Kia Soul de minivan, nem de crossover e nem de hatch. A verdade é que ele tem um visual interessante e uma série de boas soluções. Porém, parece demais desembolsar R$ 88 mil por um carro com motor 1.6 aspirado de 128 cv e sem uma série de equipamentos importantes.

Você pagar este valor pela única versão de acabamento do Soul, que não oferece controles de estabilidade e tração e assistente de partida em rampas, entre outros. Além disso, ele é pouca coisa maior que um Chevrolet Onix, por exemplo, com 5 cm a mais no entre-eixos.

6) Honda HR-V Touring 1.8 CVT – R$ 107.900

10 carros que não valem o que custam

A Honda cobra R$ 5 mil a mais pelo HR-V Touring em relação ao EXL por recursos como faróis e lanternas em LED, sensor de estacionamento traseiro, airbags tipo cortina, sensor de chuva e retrovisor interno fotocrômico. Ou seja, recursos que já deveriam estar presentes no EXL, sem a necessidade de uma versão ainda mais cara.

Além disso, o HR-V Touring “engana” por trazer o mesmo sobrenome do Civic mais caro, que se diferencia pelo motor 1.5 litro turbo de 173 cv – o crossover usa um 1.8 flex de 140 cv. Faltam ainda recursos como destravamento das portas e partida do motor sem chave e teto solar elétrico, que já são oferecidos por alguns rivais.

7) Volkswagen Golf Highline 1.4 AT – R$ 109.370

10 carros que não valem o que custam

O Volkswagen Golf de sétima geração foi lançado em nosso mercado custando R$ 75 mil na versão Highline 1.4 com transmissão DSG de dupla embreagem. Hoje, cinco anos depois, esta mesma configuração custa absurdos R$ 109,4 mil, ou seja, praticamente um up! de entrada a mais. E para piorar a situação, o modelo perdeu uma série de recursos, como o freio de estacionamento elétrico, câmbio DSG para receber um Tiptronic e suspensão traseira multi-link para adotar uma com eixo de torção.

Fora isso, o Volkswagen Golf Highline 1.4 AT não traz itens que os concorrentes oferecem. Para se equiparar ao Chevrolet Cruze Sport6 LTZ 2, com equipamentos como destravamento das portas e partida do motor sem chave, rodas aro 17, central multimídia com Android Auto, Apple CarPlay e GPS, teto solar elétrico, alerta de colisão frontal e de ponto cego, assistente de permanência em faixas, farol alto adaptativo, banco do motorista com ajustes elétricos… o Golf pula para nada mais, nada menos que R$ 140,5 mil, ou R$ 21,8 mil a mais que o Chevrolet, embora o VW ofereça alguns equipamentos opcionais a mais.

8) Toyota Corolla Altis 2.0 CVT – R$ 117.900

10 carros que não valem o que custam

O Toyota Corolla se posiciona como líder isolado no segmento de sedãs médios e também como um dos carros mais vendidos no Brasil. Entretanto, ele é um carro caro e pode-se dizer que, considerando o custo benefício, não vale o que custa. No caso da versão topo de linha Altis, a situação do Corolla é ainda pior.

Em comparação com a versão intermediária XEi, o Corolla Altis se diferencia pelos faróis em LED, ar-condicionado de duas zonas, banco do motorista com ajustes elétricos, detalhes visuais em LED, bancos em couro claro, sensor de chuva, entre outros. Ele cobra expressivos R$ 13 mil a mais por esses recursos. Fora isso, ele dispensa itens como alerta de colisão frontal e de ponto cego, farol alto adaptativo e assistente de permanência em faixas, que são encontrados no Cruze LTZ 2 (e com direito a motor turbo).

9) Mercedes-Benz A 250 Sport – R$ 210.900

10 carros que não valem o que custam

Tudo bem que o Mercedes-Benz A 250 Sport é um modelo premium, recheado de bons equipamentos e com motorização potente. Entretanto, R$ 210,9 mil por um hatch médio é bastante salgado. Ele traz itens como detector de fadiga, faróis em LED, ar-condicionado de duas zonas, navegador GPS, entre outros. O motor é um 2.0 litros turbo de 211 cv.

Porém, por R$ 20 mil a menos há o Volvo V40 T5 R-Design Safety, que tem um motor mais potente (245 cv) e mais itens como sistema City Safety, alerta de ponto cego, reconhecimento de pedestres, assistente de mudança de faixa, controle de cruzeiro adaptativo, leitura de placas e até airbag externo para pedestres.

10) Toyota SW4 SRX 2.8 Diesel AT 4×4 – R$ 254.060

10 carros que não valem o que custam

O último modelo da Toyota que aparece nesta lista é o SW4, que inclusive se posiciona como o SUV mais vendido da categoria. A versão mais cara do utilitário-esportivo é também mais cara que os rivais. Para efeito de comparação, o SW4 2.8 Diesel AT 4×4 é absurdos R$ 41 mil mais caro que o rival Chevrolet Trailblazer LTZ 2.8 Diesel AT 4×4, que oferece uma lista de recursos equivalente e ainda um motor turbodiesel mais potente.

10 carros que não valem o que custam
Nota média 4 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email