Argentina Brasil Europa Finanças Governamental/Legal Mercado

Acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia será anunciado em 10 de dezembro

Volkswagen-Up-exportação-Argentina-2 Acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia será anunciado em 10 de dezembro

Um acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia será anunciado em 10 de dezembro, segundo o site argentino Cosas de Autos. A intenção do governo vizinho é acelerar a abertura do país ao mercado internacional e por conta disso, as conversações entre os dois blocos teria sido impulsionada em grande parte pelo presidente Maurício Macri.



Após meses de negociações, finalmente o acordo poderá ser tornado público e envolverá naturalmente a indústria automotiva de Brasil e Argentina. As definições do acordo automotivo entre as duas regiões já estão prontas e passarão apenas por revisão obrigatória em 27 de novembro, na capital belga e sede da UE, Bruxelas. Caso não haja imprevistos, o anúncio será feito na data acima.

De acordo com uma fonte de montadora membro da ADEFA – A Anfavea da Argentina – a ideia do acordo é uma carta de intenções com objetivo de redução gradual do imposto de importação para ambos os lados até se alcançar tarifa zero “em alguns anos”. Funcionaria da seguinte forma: nos primeiros oito anos de vigência, a tarifa de 35% seria mantida e então, anualmente, haveria uma redução de 5% até zerar.

Se tal acordo livre de barreiras fiscais começasse em 1 de janeiro de 2018, a redução só começaria em 2026 e somente em 2032 seria zerado. Ou seja, haverá até lá um longo caminho para a importação zerada de carros europeus. Vale lembrar que, se o já empacado Rota 2030 tiver êxito em realizar as mudanças político-econômicas no Brasil para se alcançar a Indústria 4.0, o país poderá então exportar com mais vigor seus carros ao velho continente, especialmente com a tecnologia Flex, ainda que tardia.

No outro lado da fronteira, o governo argentino está buscando reformas fiscais e trabalhistas para tornar o país mais competitivo, incluindo uma eliminação de impostos nacionais para veículos automotores de até US$ 800 mil. Com isso, importadores congelaram suas operações de vendas no país por causa do temor dos clientes em perder dinheiro, já que muitos contratos tiveram que ser refeitos ou cancelados após o anúncio da medida.

Do lado de cá, o governo brasileiro ainda trata o acordo de livre comércio como algo muito distante. Desta segunda (6) até o dia 10 de novembro, mais uma reunião entre Mercosul e União Europeia ocorrerá em Brasília. De acordo com o próprio governo, há grande interesse europeu no acordo, visto que a região abriga 250 milhões de consumidores em quatro países. O MDIC diz que será um enorme desafio para a indústria nacional atingir um patamar equivalente ao do europeu através da Indústria 4.0.

[Fonte: Cosas de Autos/MDIC]

  • Jok Jok

    .”, o país poderá então exportar com mais vigor seus carros ” Sei… Ate onde fiquei sabendo, os carros made in Brazil sao mal vistos pelo europeus principalmente os paises mais ricos

    • Eng Turbo

      Não necessariamente. No passado já exportamos carros da PSA e Mercedes. Hoje mais de 50% da produção da Scania vai pra fora, a VW exporta mais de 100k motores EA211 1.4 TSI feitos aqui. Existem motores diesel que vão para toda a Europa e Africa. O que deve acontecer é que os carros “brasileiros” realmente não vão entrar nessa jogada, porém os modelos globais sim.

      • lheu

        Já exportamos vw Fox pra Europa. Isso lá em 2003-2007

        • ObservadorCWB

          E eram dados de “brinde” na compra de outros modelos. E isto LITERALMENTE.

          • cerberos

            começaram a dar de brinde na compra de um outro modelo e esse modelo despencou nas vendas, kkkk caso único na historia.

            • Deadlock

              Nem de brinde?

        • Eng Turbo

          Sim, hj a maior exportadora de veiculos no Brasil é a VW, com o Gol, Voyage, Saveiro e up na maioria. Estou falando de carro pra fora da America do Sul, não considero os carros enviados pra Argentina. Nós temos potencial e capacidade instalada, o que falta de intere$$se politico.
          OFF – Toda da engenharia da GM está sendo desfeita no Brasil e está migrando pra outros países, principalmente EUA.

        • Gran RS 78

          E foi um fisco de vendas por lá.

        • Marcus Mendes
        • No_Name

          A FIAT exportou muitos Uno sob a insígnia Innocenti, marca low cost extinta da FIAT e depois exportou Palio Weekend e Strada para lá.

        • th!nk.t4nk

          O Brasil tem potencial pra exportar muito. Ao contrário do que muitos brasileiros pensam, os europeus não são nem de longe tão nacionalistas quanto imaginam, quando se trata de carro barato. Quem tá com a grana curta, quer é pagar pouco, nao importa de onde o carro venha.

          • Deadlock

            O problema é que carro latino americano soa para eles que nem o chinês para nós…

          • Marcos Pastori

            Prova cabal do porquê a Skoda (Tcheca) e Dacia (Romena), marcas low-cost do leste europeu venderem tão bem por lá.

      • Marcelo Nascimento

        Teve também o Uno pra Itália, onde os italianos preferiam o Uno brasileiro porque a suspensão aguentava qualquer parada.

        • ViniciusVS

          É a famosa síndrome de vira lata…

          • vicegag

            O pessoal só comentou de motores e exportação do passado, atualmente, qual carro made in Brazil é exportado para mercados top?

      • Diego Lip

        A maioria dos blocos de motor da Ford e da GM nos EUA são fabricados no Brasil.

        • th!nk.t4nk

          Sim. Tudo que é tecnologia barata, e que demanda muita mão de obra (ou riscos, ou poluição) costuma ser terceirizada pra países subdesenvolvidos. Tá cheio de componentes mecânicos nos carros americanos produzidos no Brasil, e as pessoas nem imaginam. O problema é que infelizmente não é algo pra ser orgulhar tanto assim, já que o valor agregado a estes produtos é extremamente baixo.

      • Marcos Pastori

        Concordo. Há muita síndrome de vira-lata aí.

        Os 1.6 16v EtorQ nem são mais vendidos aqui e ainda estão sendo produzidos e exportados para a Europa, sendo utilizados em modelos com projeto novo, como o Jeep Renegade e Fiat Tipo. Os Firefly em breve serão produzidos na Polônia para substituir os Fire por lá. O design do Argo a Fiat estuda aplicar no novo Punto e em um SUV compacto para o público europeu. Isso para ficar na FCA por exemplo.

        A Ford já exportou o projeto da Ecosport para lá.

        Com um acordo deste, muitas soluções e tecnologias da indústria brasileira iriam ser exportados. Tem coisa boa aqui também.

        • th!nk.t4nk

          Olha, infelizmente quase tudo o que você citou é “refugo”. Não concordo que seja “síndrome de vira-latas” apontar a extrema deficiência da indústria automotiva nacional. Praticamente tudo que é citado como “projeto brasileiro” são na realidade adaptaçoes em cima de projetos europeus (o E-torQ 1.6 é o antigo Tritec 1.6 com leves atualizaçoes; o Ecosport foi feito em cima do Fiesta alemão, e por aí afora). No Brasil não se cria tecnologia relevante de fato, infelizmente, apenas adaptaçoes. Chamar estes projetos de “coisa boa” acho forçar um bocado a barra, embora exista sim mercado pra produtos baratos até em mercados desenvolvidos (o Sandero é o maior exemplo disso, porém está bem longe de ser um enorme sucesso). Em resumo: é extremamente limitada a capacidade de contribuição brasileira pra UE neste momento. O que resta é investir em educação e pesquisa pra ver se melhora dentro de algumas décadas.

          • fofis

            Trabalho na area ha algum tempo. Infelizmente ao meu ver temos perdido nossa relevancia em termos de desenvolvimento. Ja tivemos muito mais produtos projetados internamente, sejam eles bons ou ruins. Hoje em dia vejo as engenharias de produto apenas fazendo as adaptacoes necessarias para uso em nosso mercado, ao inves de uma participacao mais ativa. A realidade de nosso mercado tambem nao nos ajuda em termos de inovacao, ja que falando de tecnologias devemos estar pelo menos 5 anos atrasados. Nosso nivel educacional tambem em nada nos ajuda. E dessa maneira caminhamos para a mediocridade, sem inovacao, sem boa produtividade e cada vez mais dependente de tecnologias vindo de fora

      • Ricardo Barbosa

        Gostei da resposta! Provou que manja! Abcs

    • Hoffmann

      De carro fabricado no Brasil que era/é mal visto pelo mercado europeu eu só conheço o caso do Fox, que tem fama de lixo por lá e teve uma época que foi dado de brinde a quem comprasse um Touareg na Islândia. Certa vez eu li em um fórum automotivo de Portugal vários membros comentando que ficaram surpresos quando chegaram ao Brasil e viram muitos Fox “a rodar”, até elaboraram uma teoria da conspiração de que o Fox mandado para a Europa tinha qualidade inferior ao vendido no Brasil, pasme! Mal sabem eles que o modelo exportação tinha inúmeras melhorias e se ele foi tido como lixo de uma ponta a outra da Europa não quero nem saber o que acharam do modelo destinado ao mercado nacional.

      • Mr. Pennybags

        A Europa, como está acostumada com guerra, se vingou com maestria mandando pra cá os Dacia! rs

      • Marcus Mendes
      • Marcelo Alves

        O Fox que ía pra lá já tinha aquele painel melhorado, com porta-luvas, e se não me falha a memória também tinha ESP, enquanto aqui no BR eles vendiam com aquele painel que tinha umas prateleiras na altura do joelho…

      • Filipe Augustus

        Tem a Meriva, que foi o primeiro carro desenvolvido aqui com totalidade a ser vendido na Europa, foi um modelo com boa aceitação por lá, ganhando até a geração atual! Embora com algumas melhorias como teto solar duplo, faróis de xênon direcionais e acabamento melhorado, além de ter a primazia em ter o cambio Easytronic primeiramente na Europa desde o lançamento e chegando aqui somente depois e severamente criticado por todos!

        • No_Name

          Já não existe mais Meriva na Europa, então não é atual, mas entendi seu comentário.

          • Filipe Augustus

            O último modelo, esqueci que o Crossland X substituiu ela!

      • Jok Jok

        Tenho um colega que trabalhou na vw de sjp. Justamente na montagem do Fox. Ele comentava que devido a necessidade alta produção muitos Fox saíram sem barra de proteção lateral. Por outro lado o Fox europa era revisado com maior criterio de produção.

    • leitor

      Existem sensíveis diferenças entre carros brasileiros e carros para brasileiros.

      • Jok Jok

        Tenho um colega que trabalhou na vw de sjp. Justamente na montagem do Fox. Ele comentava que devido a necessidade alta produção muitos Fox saíram sem barra de proteção lateral. Por outro lado o Fox europa era revisado com maior criterio de produçã

        • leitor

          Por aí.

        • No_Name

          Que coisa, hein. Um CRIME isso!

  • Franco da Silva

    “ah, mas vai demorar!”
    Azar! Antes tarde do que nunca. Manda bala!

    • Freaky Boss

      também acho. se tivessem começado 10 anos antes já tava no meio do caminho.

  • No_Name

    Livre comércio com taxa de 35% nos primeiros 8 anos para só depois baixar? Kkkkk. Tanta coisa pode acontecer em oito anos… Estava bom demais pra ser verdade esse acordo, piada!!!

    • vicegag

      Quando estiver para completar os oito anos, eles inventam uma maneira para protelar, só quem não vive aqui, ou nasceu ontem para acreditar nestes acordos de livre-comércio com o Brasil.
      PS. O Brasil pode até fazer livre comércio, talvez com a Namíbia e Uzbequistão, nada mais além.

      • leomix leo

        Eu estava na dúvida, um iPhone X de 8k ou uma PCX, optei pela Motoneta, para poder economizar combustível. Rsrsrsrsrsrs

  • Luiz Felipe S. Silva

    Então: Vamos começar a exportar quando a maioria dos paises europeus começar a barrar a venda de carros a combustão?

    • Danillo Santos

      Bem observado

    • Zé Mundico

      Sempre existe a possibilidade de exportarmos os carros sem motores, que seriam montados lá, conforme o gosto do freguês.

      • leitor

        O Brasil exporta muitos motores, mais que os monoblocos ou carrocerias.

    • th!nk.t4nk

      Sempre resta algum mercado pra produtos baratos e com tecnologia ultrapassada. Nos países mais pobres da UE, tal como Itália e Portugal, a eletromobilidade ainda vai demorar muito pra se tornar o padrão do mercado.

    • vicegag

      Único veículo completo que exporta para mercados top, é Kombi velha, para colecionador.

      • No_Name

        Kkkkk! É um “negoção” isso. Eu que moro no interior to querendo começar a caçar Kombi pra mandar pra gringa kkk. Os motores boxer a ar e com
        carburador se estiverem perfeitos valem uma nota lá na Europa.

  • Mario

    Em 2036 a UE só terá carros elétricos, e talvez o Brasil nem exista mais.

    • Rodrigo Pasini

      Essa seria a chance de desenvolver a tecnologia aqui, mesmo que o governo não incentive as vendas locais, exportação poderia ser uma boa para desenvolver a indústria de carros elétricos.

      • Cosi fan Tutti

        O Rota 2030 nao saiu pq eles nao querem incentivar a industria dos eletricos, acha que as empresas vao procurar aqui sendo que varios países do mundo devem fazer isso? O Mexico é um que deve ta estudando um projeto bem “favoravel” às montadoras pra atrair mais investimentos. Como o pessoal disse acima, vai chegar 2032 e nao teremos nada pra exportar pra Europa, infelizmente.

  • João Cagnoni

    E quando será que vai surgir a nossa indústria 100% local? Não precisamos de protecionismo e sim da desburocratização ao empreendedorismo.

    • th!nk.t4nk

      Creio que essa oportunidade já passou. A janela pra novos players deve se fechar até 2020, mas pra isso teria sido necessário alguns anos de desenvolvimento já. Mesmo que começassem hoje, já teriam iniciado a largada muito pra trás. Vai ser Banânia pra sempre, infelizmente. Já o México eu diria que deve se descolar do resto da AL em algum momento, pois estão indo muito bem.

    • leitor

      Eu também faço essa pergunta. O pior é ver gente querendo privatização de Correios, Universidades, Bancos, Petrobrás, alegando benefícios. Sempre respondi que o desenvolvimento do país vem com indústrias, mas nessas horas querem trazer de fora com o discurso de fora. Por isso o País não se desenvolve. O único país que se desenvolve com fábricas da VW é a Alemanha. Os outros têm apenas um benefício mínimo e básico. Com a Samsung é a Coréia do Sul. E todos os outros são a mesma coisa.

      • Ernesto

        E por acaso você acha que Correios, Universidades, Bancos, Petrobrás administrados pelo Governo são eficientes? Acham que eles são a chave para o desenvolvimento do País? Sério isso?

        • leitor

          Na mão da iniciativa privada essas coisas não trarão benefício algum ao país. Assim como quase nada que está na iniciativa privada no Brasil. Pelo menos as Universidades e Bancos que existem públicos e privados, os públicos não devem absolutamente nada, muito pelo contrário, com todos os defeitos.

  • Estou bem curioso para ver como isso vai funcionar, já que a criação do Mercosul só fez explodir o número de papelada, desambiguações com as descrições de produtos nas tabelas TIPI, NALADI e exigências burocráticas com desembaraço fiscal…

  • Silvio Vasques

    Daqui há 8 anos a Europa só terá carros elétricos na grande maioria! Não conseguiremos exportar de novo para eles!

  • Isaac Ferreira Santo

    Tudo o que eu queria era um GOLF GTI alemão com preço justo

    • fnrocha

      Somos 2.

    • Zé Mundico

      Só na Alemanha mesmo……rsrsrs

  • Jefferson Ferreira

    Sinceramente não vai sair… o rota 2030 está completamente na contra mão do que a UE está implantando no setor automotivo. Não teremos o que exportar… simples assim! Aqui se quer temos carros híbridos, lá já estão exigindo carros 100% elétricos!

    • Ducar Carros

      O Mercosul vai propor essa abertura automotiva em troca da abertura da Europa para os nossos produtos agroindustriais. Ou seja: grande chance de continuar apenas nas intenções.

  • Marquinhos

    Escutei de um amigo que trabalha na fabrica de tratores e exportam escavadeiras para um outro país da America Central que eu não me recordo o nome do país . Quando souberam que as escavadeiras vieram do Brasil eles devolveram tudo, pois achavam que vinham dos EUA. Resumindo, se isso acontece com tratores imagine com os carros Made in Brazil ? pode esquecer, esse acordo é para ferrar nos brasileiros mesmo. Zera logo a bagaça da aliquota e que se dane o acordo com união europeia.

    • Marcus Mendes

      Trabalhei na Fiat Allis, hoje conhecida como New Holland Construction. O que a empresa mais faz é exportar para vários países do mundo.

  • Robison Adada

    Gente. Eu vejo como uma negociação política e nada mais. A quem interessa daqui a oito anos ser eleito e se beneficiar com estas reduções de impostos? Será um cálculo já feito pelos políticos, para os governantes que entrarem agora não terem esse gostinho? Tudo tem um jogo de interesse! Político não pensa no povo, não sejamos tolos de pensar isso.

  • ChalMust

    Quando é para baixar os impostos leva-se décadas … haja saco para essa bananalandia!!!!

  • Celso

    Vai demorar, mas estamos caminhando para um único Estado Mundial. É questão de tempo.

    • Zé Mundico

      Também acho, mas antes disso teremos uma terceira guerra mundial.

  • Bispo

    Será que finalmente verei a extinção dos carros tabajaras da Fiat..VW..& CIA…..quero a pílula vermelha Morpheus …rsrs

  • Cláudio Lima

    Porque a Vw brasil, Mercedes, Fiat, Ford, Citroen, Renault etc teriam algum interesse em exportar para a Europa se existem estas mesmas fábricas por lá?

    • Zé Mundico

      A mão de obra e matéria-prima daqui é mais barata que lá na Europa.
      Outro motivo é que a montadora poderia produzir aqui alguns tipos de carros (pequenos, compactos, etc) deixando os modelos mais tecnológicos para produzir lá mesmo.

      • th!nk.t4nk

        Seria isso. Mas vale lembrar que do ladinho da UE tem toda a europa oriental, onde a mão de obra também é muito barata. Ah e tem ainda todo o norte da África. Até pra produzir barato a competição é forte hoje em dia.

  • PCPartsFan

    O mundo inteiro está indo na direção do livre comércio, até mesmo os Países considerados mais “protecionistas” taxam no máximo em 30% os produtos importados.
    A importação de pequenos objetos pelos correios é de 100%, a classe média paga 80 a 90% de impostos diretos e indiretos, sem contar os impostos caríssimos que é preciso pagar sobre a transferência de imóveis. A união, os estados e municípios, todos querem seu quinhão.
    Esses parasitas representam 12% da força de trabalho e não produzem nenhuma riqueza a não ser criar novos regulamentos e regras para criar mais cabides de empregos.
    Isso é uma democracia ou é um regime ditatorial comunista disfarçado ?

    • Cosi fan Tutti

      Mas incrivelmente os impostos brasileiros de renda e herança estão entre os mais baixos do mundo, aliquotas na Europa chegam a 59% da renda, + de 30% na herança. Até os Eua tem IR de 40% pra quem ganha acima de 30 mil dolares/mes e de 36% pra quem ganha acima de 20 mil/mes, e imposto sobre herança 30%, e ainda pagam por saúde e universidade pública também não é de graça como aqui. O Brasil as aliquotas máximas é 27% de IR, seja vc dono da padaria da esquina ou o Neymar, e de heranças 8% apenas. Não é tudo isso que vc fala, principalmente para os mais ricos.

      • PCPartsFan

        A classe média paga 100% de imposto sobre toda riqueza que produz porque os impostos no Brasil estão pulverizados exatamente para que as pessoas não percebam que estão sendo roubadas o tempo todo, é um truque muito inteligente
        dos burocratas que montaram essa parafernália de impostos com o intuito de confundir as pessoas. Nos Países desenvolvidos os impostos estão mais concentrados porque a sociedade exige isso, é mais fácil fiscalizar.
        Políticos e Burocratas usam do mesmo truque dividindo seus rendimentos entre salários e bonificações para esconder seus supersalários da opinião pública.
        A melhor solução para isso seria federalizar e dar mais autonomia para os Estados gerirem melhor seus impostos.

        • Cosi fan Tutti

          100%???

          • PCPartsFan

            A classe média paga em média 40 a 50% sobre o consumo, paga mais 30 a 40% sobre seus rendimentos para contratar serviços que deveriam ser gratuitos já que o Estado esfola a classe média em impostos, paga mais 4 a 9% para transferir seus bens imóveis para seus filhos.
            No brasil tudo é 50/50 com seu sócio indesejado, isso é democracia ou escravidão ?

            • Cosi fan Tutti

              Em países desenvolvidos em sua maioria somente de IR se paga mais que isso, além dos impostos nos produtos que dependendo do pais também não é baixo, e também imposto sobre herança na casa dos 30% nos EUA e Europa ainda mais. Sobre servicos, pega o ex dos EUA onde o IR e maior que aqui e ainda assim se paga por saúde e universidade pública. Uma diferença seria segurança pública, mas nem tanto pela ação do estado e sim pq a população pode ter armas e se defender.

              • PCPartsFan

                Você só pode ser funcionário publico !

                • Cosi fan Tutti

                  Kra estou falando uma realidade. Nós precisamos de uma reforma tributária nos moldes dos anos 80 nos EUA. Mas não pense que os impostos na renda e herança vão cair. Na verdade pra corrigir a disparidade que existe tem de se aumentar estes e diminuir gradativamente no consumo, pra ter um equilíbrio, como acontece em países desenvolvidos.

              • PCPartsFan

                Quando você paga imposto o cidadão espera no minimo usufruir da infraestrutura e dos servições básicos de qualidade que o estado deveria oferecer, o estado brasileiro só pensa em usufruir das riquezas que o brasileiro produz. Pagar imposto para quê ?

                • Cosi fan Tutti

                  Isso é relativo. Na maioria dos países impostos e pra manter a sociedade equilibrada.

  • jkpops

    Ônibus e caminhões estão incluídos ? se a resposta for positiva a Busscar colombiana poderia livremente de impostos taxativos vender seus modelos por aqui…

    • No_Name

      Agora com a CAIO Induscar reativando a Busscar acho impossível a Busscar da Colômbia vender alguma coisa por aqui.

  • Fernando

    Em termos de grana, desconto, para nos consumidores, iria mudar quanto?
    E sob quais carros? Carros como Up, Polo, HB20 etc teriam impacto ou só “carroes” que nao sao feitos no Brasil?

  • leitor

    A Argentina quer produzir o Zonda?

  • Offshore LLC

    Pelo menos meus tataranetos terão tarifa zero.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend