Argentina Montadoras/Fábricas Pickups Volkswagen

Alemanha deixará de produzir Amarok – Argentina será a única origem

Alemanha deixará de produzir Amarok - Argentina será a única origem

De acordo com o site argentino Autoblog, fornecedores locais receberam da Volkswagen a informação de que a planta de produção de General Pacheco será a única à fabricar a picape média Amarok muito em breve. A montadora alemã deixará de fazer o modelo em Hannover, na Baixa Saxônia.


O motivo seriam novos projetos industriais não especificados. Dessa forma, a planta de Pacheco voltará a exportar a Amarok para os mercados da União Europeia e outras regiões que são atendidas atualmente com a produção alemã. Embora inicialmente o projeto tenha sido executado inicialmente na Argentina, rumores de problemas de qualidade teriam feito com que a matriz alemã autorizasse a produção da picape em Hannover.

A Amarok terá a montagem em CKD no Equador mantida com peças e componentes importados da Argentina. Com a concentração de produção em Pacheco, a fábrica poderá aumentar a produção e recontratar funcionários suspensos, além de manter o ritmo de fabricação dos fornecedores.

Alemanha deixará de produzir Amarok - Argentina será a única origem


Isso também favorece o chamado Projeto Cyclone, que envolve o desenvolvimento da próxima geração da Volkswagen Amarok com base no chassi da Ford Ranger. A produção se dará em General Pacheco e provavelmente ambas serão feitas na mesma linha de montagem, visto que o complexo foi dividido quando da separação da extinta Autolatina.

A Ford está em processo de esvaziamento das operações latino-americanas, mas a unidade de General Pacheco deve ser mantido, pois, no acordo com a Volkswagen, a empresa ficará responsável pela engenharia e produção da próxima geração da Amarok. Além disso, a instalação pode receber ainda a produção do crossover Territory

Por ora, o projeto está gerando conversas divergentes dos dois lados, pois, a Ford comentou que a picape média da VW seria uma variante da Ranger, mas os alemães rebatem, dizendo que o projeto é mais complicado e que ainda está em sua fase inicial, com um chassi sendo fornecido para desenvolvimento da nova Amarok, que será diferente da rival.

[Fonte: Autoblog]

Alemanha deixará de produzir Amarok – Argentina será a única origem
Nota média 4.8 de 5 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Beto Jamaica

    Se copiar a receita do “sucesso” da frontier/classeX/alaskan e fazer o mesmo carro trocando “somente” a logo da marca, ja sabemos o resultado da fusão…

    • Hernan Carlos Granda

      em Europa em vehiculos comerciais é habitual que um projeito seja compartido.

    • V12 for life

      O problema com a classe X é diferente, ninguém quer pagar preço de veículo Premium em um Nissan com logo da Mercedes, Ranger e Amarok terão mesmo preço e nível de acabamento.

      • th!nk.t4nk

        O Classe X até que se diferencia bem, já que herdou todo o pack tecnológico da Mercedes. O problema nesse caso é só o preço mesmo. Na Europa a quase totalidade dessas pick-ups é vendida pra empresas do setor de construção civil. Os veículos ficam nas mãos de funcionários, logo nao vale a pena pagar caro (por mais interessante que sejam os recursos que a Mercedes adicionou, como por exemplo o excelente Command Online).

        • Leonardo M. G.

          Creio que o Classe X será destinado pra mercados diferenciados, tipo Oriente Médio…

    • Beto Jamaica

      Vide o estrondoso sucesso tambem da Mitusubishi l200 triton com as Fiat Fullback e Ram 1200.
      Este nicho de pickups querem produtos diferentes.

  • Cleidson

    Certo que tiraram de linha na Alemanha pra fazer um novo SUV

    • DiMais

      o foco são os elétricos.

  • Bruno Alves

    10 anos na mesma geração. Já ta na hora de atualizar esse carro…

    • Raimundo Nonato

      A Hilux está desde 2006 praticamente na mesma geração (só mudou carenagens) e vende igual pão fresco.
      Carro de apelo comercial quanto mais durar, mais fácil a manutenção

  • th!nk.t4nk

    A Amarok está muito defasada, perdendo de lavada em vendas pra Ranger na Europa.

    • Djalma

      Só se for em estilo, pois em mecânica e tecnologia não perde para ninguém.

    • Gabriel Loio

      Nunca vi uma Ranger sequer em Portugal ou Espanha. Quando pra trabalho, só vejo VW Caravelle ou a Citroen Jumpy. Quando é pra off-road, as vezes Hilux ou na maioria das vezes, camionetas leves mesmo, como a Sprinter pick up.

      • Fabiano Navas

        Sigo um link de veículos abandonados na Espanha, e esses dias um seguidor postou a foto de uma Hilux CD, citando como era raro ver esse tipo de automóvel por lá, ainda mais abandonado. O que você diz, parece ser a realidade mesmo, de um mercado que adora transformar qualquer tipo de hatch e perua em comercial (só com os bancos dianteiros). São inúmeros os modelos que têm ou tiveram esse tipo de configuração (procurem no google a interessante Fiat Marengo ou Corsa ou Fiesta Van).

        • Gabriel Loio

          Se estamos a falar de meio urbano, e isso vale para 90% dos países da Europa, não faz o menor sentido em ter uma Hilux ao algo de porte similar, pois ou as vagas são estreitas demais ou pequenas demais ou sequer tem vaga para este tipo de porte de veículos. Faz sentido ter, então, carros furgão, como você citou. Ultimamente, são usados carros como o Fiat Dobló 2 ou o Ford Transit Connect. Para meio rural, algumas vezes, o agricultor usa de Hilux CS, mas é realmente raro as CDs. Aqui, os carros são usados para sua devida finalidade e, se não tem sua devida finalidade, não vale a pena ter. Americanos que gostam daqueles carros enormes, beberrões… enormes V8. Na Europa, isso é uma verdadeira tralha, algo que ninguém quer. Para satisfazer a tara por veículos grandes é que está na moda agora os pseudo-SUVs (Para mim, não passam de hatchs bombados), mas a galera aqui que dirige mesmo, que pega estrada, usa principalmente as peruas – que, por sinal, estão em declínio por causa desses “hatchs bombados”

          • th!nk.t4nk

            Olha, tem um pouco de exagero nas informaçoes. Na realidade as pickups vendem muito bem na Europa sim. Aliás, vendem melhor do que no Brasil, pra você ter ideia. Dos Alpes pra cima se vê muitas. O setor que mais compra pickups é construçao civil (fonte: sou engenheiro do setor automotivo e tenho acesso direto a esses dados). Quanto a ruas estreitas, isso também nao é verdade. Você está falando do centro histórico das cidades, mas a parte nova destas cidades tem grandes avenidas e estacionamentos com vagas amplas. Digo mais: tem mais espaço pra carro grande do que no Brasil. Também é que peruas e vans grandes são super comuns (nos países acima dos Alpes particularmente). Essa ideia de ruas apertadinhas e necessidade de carros pequenos é lenda em grande parte (tirando regioes e cidades específicas). Enfim, Espanha e Portugal decididamente não representam bem o resto do continente.

            • Ricardo Alexandre

              mando muito bem no comentario obrigado….

            • Gabriel Loio

              A minha realidade é bem voltada para Portugal e Espanha (moro em Estoril, Portugal) e, frequentemente, vou a trabalho para Itália e Holanda e a realidade que eu vejo é essa que eu falei. Significa que não tem outras carrinhas? Não, só que não é frequente. Tem de tudo: já vi Amarok, L200… Assim como peruas também tem de tudo, mas o que mais vejo rodando é o Audi A4, Seat Ibiza wagon, Ford Mondeo e o Skoda Octavia Estate Wagon… Não tenho, realmente, nenhum dado oficial quanto a isso não e meu trabalho, tampouco, é do ramo automotivo, mas é a questão da realidade aqui, pelo que eu vejo nas ruas, mesmo nas partes novas de Lisboa, por exemplo.
              Eu msm, só tenho carro, pq eu viajo longas distâncias de carro de tempos em tempos, pq andar pela cidade de carro é um verdadeiro fardo.
              A Itália, de modo geral, é bem parecido em termos de carro com a península Ibérica. O que distoa é a Holanda, que usa como táxi o Tesla Model S, mas é uma fortuna andar de taxi lá kkkkkkkkk. O bom que tudo que eu faço lá eu uso trem xD

              • th!nk.t4nk

                Isso, você citou os países mais “apertados” do continente. A Holanda mesmo é um caso bem específico, com suas ruas estreitinhas mesmo no interior. Mas em compensação, as ruas são bem largas na França, Alemanha, Áustria, em grande parte do leste europeu, etc. A Itália varia: tem cidades bem modernas, e cidades apertadinhas também. E essas pickups tem pra todo lado. Sempre arranhadas, sujas, detonadas. Como falei, usam pro setor de construçao civil, e nao pro meio rural. É bem diferente da forma como os EUA e Brasil funcionam nesse aspecto mesmo. Enfim, só queria esclarecer que a Europa nao é homogêna, e que os mercados com maior poder aquisitivo têm uma estrutura viária muito boa, inclusive com vagas de estacionamento bem largas. E é nessas regioes que eles mais vendem essas pick-ups (e sempre nas maos de funcionários, entao nao é pra ser um veículo de luxo).

        • Gabriel Loio

          E para meio rural, as camionetas leves fazem um bom serviço para tal. Possuem 4×4, equipamentos de ponta… não é necessário o uso de pick ups convencionais

      • th!nk.t4nk

        A Ranger é disparada a pick-up mais vendida na Europa. Aqui na Alemanha tem aos montes, e praticamente todas são vendidas pro setor de construção civil (aprox. 78% em 2018). Portugal e Espanha a gente só vê carro velho, são países que enfrentam crise e infelizmente não representam muito bem a realidade do continente.

  • Djalma

    Não vejo muita justificativa de fabricar Amarok na Alemanha mesmo. A fábrica de Pacheco precisa de escala, e fazendo isso quem sabe o preço não dá pelo menos uma segurada.

  • Luis Mello

    Se Amarok ficar com dirigibilidade e estabilidade da ranger será seu fim. É reconhecida pelo comportamento similar de automóveis.

    • Paulo Lustosa

      só manter a tração integral da atual

    • Leonardo Silvano

      Eu nunca dirigi uma amarok, mas tenho Ranger, acho ela bem estável (mais que a ix35, que foi meu último carro antes). A Ranger pula um pouco em imperfeições, com caçamba vazia, mas acredito que isso seja comum em pickups.

      • Ricardo Alexandre

        achei a ranger um pouco mais macia…. com discreta rolagem de carroceria maior que na amarok…. que ja achei mais firme…. porem falto motor na ranger….

  • Domenico Monteleone

    Vão ter que melhorar muito a qualidade geral, já que a Argentina é sabidamente mal-feita.

  • Mario

    Xiiiiiiii….. mico vem ai….

  • Caio Elisei

    Uma curiosidade que sempre tive (coisa de Metal head) – As Amaroks feitas na Argentina tem VIN Code (chassis) começados com WV1 que é o código para VW Comerciais feitos na Alemanha e não 8AW, que são dos VW feitos na Argentina…

    • Ricardo Alexandre

      verdade…. quando fui no detran o cara pego o documento e falo que a amarok era feita na alemanha… eu ate teimei com ele… que era na argentina …. mas comecar com WV1 mesmo….. ai nao entendi nada…

  • Ricardo Blume

    O que salva a planta são as exportações por que se depender do comércio local, nem na Argentina a Amarok seria mais produzida.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email