Elétricos EUA Vans

Amazon encomenda 100.000 vans elétricas para startup Rivian

Amazon encomenda 100.000 vans elétricas para startup Rivian

A gigante do comércio eletrônico Amazon fechou um acordo com a startup Rivian que deverá impulsionar o transporte de encomendas por meio de veículos eletrificados nos EUA. Nada menos que 100.000 vans elétricas serão compradas pela empresa de Jeff Bezos.


Recentemente, a Amazon investiu US$ 700 milhões na Rivian, que é uma startup dedicada inicialmente à produção de picapes e SUVs elétricos, tendo atraído inclusive o interesse da Ford, que também aplicou muito dinheiro. Nesse caso, foram US$ 500 milhões para desenvolvimento de um carro elétrico para o oval azul.

Além disso, a Cox Automotive aplicou mais US$ 350 milhões na Rivian. No caso da Amazon, o pedido será de um produto específico para entregas urbanas do site de comércio eletrônico, cujo protótipo deve ser construído e testado já em 2020, com início da produção em 2021.

Amazon encomenda 100.000 vans elétricas para startup Rivian


O programa de fabricação da Rivian para a Amazon vai durar até 2024 nesse lote de 100.000 veículos. Não se sabe se o sucesso do veículo atrairá outras empresas do setor como DHL e Fedex, por exemplo, mas se isso ocorrer, a empresa terá centenas de milhares de encomendas na próxima década.

Reproduções mostram como deverá ser essa van da Rivian para a Amazon, que deve ostentar a marca Prime. Sabe-se que a tecnologia a ser usada será a da plataforma skate, onde a base pode receber diversas carrocerias. Além disso, a empresa tem baterias de lítio com autonomia de 650 km.

Por ser um veículo de entrega urbana, o alcance das baterias deverá ser bem menor que isso, reduzindo assim o custo por unidade. Essa é uma das metas da Rivian para seus produtos, a redução de custo na produção de carros elétricos. A picape R1T e o SUV R1S serão os primeiros modelos próprios da marca, que já faz uma travessia das Américas desde a Terra do Fogo com alguns veículos em teste, a fim de demonstrar a tecnologia.

Amazon encomenda 100.000 vans elétricas para startup Rivian
Nota média 4.4 de 5 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • CanalhaRS

    “O programa de fabricação da Rivian para a Amazon vai durar até 2024 nesse lote de 100.000 veículos.”
    O que eu andei lendo por aí é que o contrato prevê a entrega de 10 mil unidades até 2022/23 e o restante até 2030.

  • vicegag

    Só não serviria no Brasil, com este entre eixos longo e estas rodinhas de patinete, enroscaria na primeira lombada da periferia.

    • Baetatrip

      … Teria botar salto alto e passa sem bater o fundinho…!

    • Fabrício Sanches

      Enrroscaria nos buracos da zona sul tbm…

  • Vinícius Sza

    A Amazon vai ser o que o Google é na década de 20 desse século.

  • carnero

    Ah, o desenvolvimento….
    “Enquanto isso na sala de justiça…”

  • New World

    Motores à combustão estão com os anos contados, eletrificação vai avançar com força nos próximos anos

  • th!nk.t4nk

    Lembrando que a DHL já usa vans elétricas na Europa desde 2014, mas eles tiveram bons problemas. No inverno, por exemplo, é necessário um sistema extra pra aquecer o interior do carro (e pra aquecer as próprias baterias). E adivinha, ele come uma bateria do caramba. Olhando esse projeto da Rivian, parece meio temeroso também, mas vamos ver no que dá. Seria melhor se fizessem um projeto-piloto antes de fabricar essas 100 mil unidades. Se até a Tesla passou vergonha no início (com múltiplos problemas no Model X), penso que a Amazon estaria arriscando demais entrar de cabeça sem testar exaustivamente esses veículos antes.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email