Android Auto: o que é, carros que usam, aplicativos, espelhamento

Android Auto: o que é, carros que usam, aplicativos, espelhamento

O Android Auto teve seu desenvolvimento anunciado pelo Google em 2014, mesmo ano em que o Apple CarPlay foi apresentado ao público no Salão de Genebra, na Suíça.


A fase final de testes ainda levou alguns meses, com o lançamento ocorrendo apenas em março de 2015. Com isso, o mundo passou a conhecer o que seriam os principais sistemas para as centrais de multimídia.

O objetivo era aumentar a interação entre motorista e carro, sem causar tanta distração como um celular ou outro aparelho.

Conheça todos os detalhes do Android Auto!

O que é o Android Auto?

O Android Auto é um sistema do Google, principal concorrente do Apple CarPlay. Ambos são usados em praticamente todos os veículos lançados no mundo desde 2015, quando passaram a se popularizar.

Seu objetivo era integrar os principais aplicativos do celular à central multimídia do veículo, tornando a condução mais segura. Uma parte importante do sistema era o comando de voz, o que reduzia ainda mais qualquer distração do motorista.

Depois de ser apresentado mundialmente, o Android Auto chegou ao Brasil em março de 2016. Na época, mais de 1,5 bilhão de dispositivos móveis usavam o sistema Android no mundo, com 300 milhões de novos usuários apenas em 2015.

Tudo isso tornava o sistema muito mais popular que o concorrente da maçã, sendo usado por diversos fabricantes de smartphones.

Como o Android Auto funciona?

Android Auto: o que é, carros que usam, aplicativos, espelhamento

Inicialmente, o funcionamento do Android Auto exigia a instalação de um aplicativo no celular. Essa foi uma grande diferença para o Apple CarPlay em suas primeiras versões, já que o sistema concorrente funcionava simplesmente ao ser conectado ao veículo.

Disponível a partir de abril de 2016, o aplicativo tornava a central multimídia uma extensão do celular. Eram exibidas cinco telas: navegação (sempre exibindo o Google Maps), chamadas, Google Now (onde era possível controlar músicas e ver notificações), música (onde também era possível usar o Spotify ou similares) e a tela do sistema nativo do carro.

É importante destacar que, de início, a interface do Android Auto não permitia usar o celular enquanto ele estava plugado via USB ao carro, o que visava aumentar a segurança.

Além disso, a exibição do teclado no próprio Android Auto só aparecia quando o carro estivesse parado, podendo ser usada para digitar um endereço no Google Maps, por exemplo.

Como usar o Android Auto?

Como citado acima, o Android Auto exigia a instalação do aplicativo de mesmo nome em suas primeiras versões (a partir do Android 6.0). A partir do Android 10, porém, isso mudou, e o sistema passou a funcionar automaticamente com a ligação via cabo (ou sem fio) com o carro.

Para usá-lo atualmente, o primeiro passo é verificar se seu veículo ou sistema de som é compatível com esse sistema. Já são mais de 500 modelos compatíveis (veja a lista completa abaixo) e uma lista enorme de sistemas de som (com aceitação bem mais ampla que o Apple CarPlay).

Após ter certeza que seu carro é compatível com o sistema do Google, o segundo passo é verificar se ele funciona em seu smartphone (a grande maioria dos aparelhos no mercado já tem essa possibilidade).

Finalmente, basta conectar seu celular com o carro, o que pode ser feito via cabo USB ou com a tecnologia sem fio.

Após seguir todos esses passos, você poderá controlar o sistema de várias formas. Uma delas é pelo volante, usando os comandos de voz integrados com o Google Assistente para definir rotas, escolher uma música ou até ouvir a previsão do tempo em locais específicos (basta apertar o botão e dizer “Ok Google”).

Outras formas para usar o Android Auto são os comandos na tela sensível ao toque, disponível na grande maioria dos modelos, ou usando os botões físicos da central multimídia.

Aplicativos do Android Auto

Android Auto: o que é, carros que usam, aplicativos, espelhamento

A lista de aplicativos que podem ser usados com o Android Auto é enorme e cresce a cada dia. Mesmo de início, o Google já permitiu que mais aplicativos fossem compatíveis com o sistema, além dos seus próprios.

A lista atual inclui apps mais populares em diversas categorias, como Waze, Messenger, Spotify, Deezer, WhatsApp, Telegram e Hangouts. Mas existem diversos outros aplicativos em cada categoria:

  • Música – Amazon Music, Músicas (Sony), Music Player (Foguete), jetAudio HD Music Player, 7digital e Stingray Music
  • Esportes, rádios e notícias – BBC Sounds: Radio & Podcasts, Sveriges Radio Play, Audioburst: Personalized talk audio, MLB, ABC News – US & World News, NPR One, Anchor, TuneIn Rádio, Simple Radio, myTuner e App de Podcast Player FM.
  • Bate-papo – Hangouts, Kik, WeChat, textPlus, ICQ Messenger e Nextplus.
  • Audiolivros e podcasts – Google Play Livros, Audible Amazon, OverDrive, Podcast Addict, LibriVox, Stitcher Radio, Audiobooks.com, Podcast Republic, BeyondPod e Smart AudioBook Player.

Como baixar o Android Auto

Para usar o Android Auto não é preciso fazer o download de nenhum aplicativo, sendo necessário apenas ligar o smartphone ao veículo através de um cabo USB de boa qualidade ou simplesmente estar conectado sem o uso de fios, em modelos mais recentes (leia mais no próximo tópico).

Essa facilidade veio com o Android 10, o que colocou o sistema do Google em pé de igualdade com o Apple CarPlay, seu principal concorrente. Antes disso, a partir do sistema 6.0 e antes do 10, era preciso fazer o download do app Android Auto na Google Play Store.

Usando o Android Auto sem fio

Android Auto: o que é, carros que usam, aplicativos, espelhamento

A grande inovação de sistemas como o Android Auto ainda exigia o uso de cabos até pouco tempo atrás. Ao passo que esse tipo de ligação ainda carregava o celular durante a viagem, o fio gerava um certo incômodo para alguns.

A chegada dos primeiros aparelhos que poderiam fazer o mesmo sem nenhum cabo foi uma novidade muito bem aceita. Dentre os primeiros aparelhos com essa tecnologia estavam o Galaxy S8, Galaxy S8+ e Note 8, todos da Samsung e rodando com Android 9.0.

Depois disso, quase todos os lançamentos da Samsung e Google com Android 10.0 poderiam usar o Android Auto sem qualquer conexão física. Atualmente, qualquer smartphone com Android 11.0 oferece essa possibilidade (com Wi-Fi de 5Ghz).

Para realizar essa conexão, basta fazer o pareamento via Bluetooth e seguir os passos de configuração descritos na tela do celular. Após isso, dependendo do modelo, o smartphone sempre será conectado automaticamente ao ligar o carro.

Junto com essa novidade, muitos veículos passaram a oferecer o carregamento de smartphones por indução, o que ainda resolve o problema de usar o aparelho e não ver a bateria ir embora ao final de seu trajeto.

As novidades do Android Auto

Após seu lançamento, o Android Auto foi se popularizando e aparecendo em cada vez mais sistemas de entretenimento e navegação das montadoras.

Uma das primeiras foi a Ford e seu SYNC 3, que estreou no Fiesta e Escape nos Estados Unidos. A Volkswagen também entrou nessa lista com o Fox, que teve o Android Auto por aqui antes mesmo de vários modelos nos EUA.

A Chevrolet também não perdeu tempo e lançou a nova multimídia MyLink2 no Cobalt 2016, novidade que depois se espalhou por toda a sua linha.

Outras marcas que seguiram o mesmo caminho em 2016 foram a FCA, com a quarta geração do Uconnect, a Honda, que colocou o Android Auto inicialmente por aqui no sedã de luxo Accord, e a Hyundai, que hoje usa o sistema de forma bem ampla.

Um caso curioso em meio a tudo isso ocorreu com a Toyota, que em 2015 anunciou que colocaria outro sistema (Scout GPS Link) em seus lançamentos. Mesmo funcionando com iOS e Android, a japonesa apostava em um sistema bem menos conhecido.

Depois disso, ela cedeu em relação ao Apple CarPlay, mas ainda resistia em adotar o Android Auto. O motivo, segundo a própria marca, era evitar a coleta indevida de dados de seus clientes por parte do Google, que não negava de forma clara essa acusação.

Isso só mudou em setembro de 2018, quando a Toyota não resistiu ao fato de que 80% dos smartphones usam o sistema do Google. Deixar de colocá-lo em seus modelos estava fazendo a gigante japonesa perder vendas em todo o mundo.

Outra novidade importante em relação ao Android Auto veio em julho de 2017, quando o aplicativo Waze foi incorporado ao sistema do Google. Antes disso, a navegação era feita apenas com o Google Maps, mas o Waze (que foi comprado pela empresa em 2013) tem uma popularidade maior no Brasil e em outros países.

A maior novidade, porém, foi a reestilização do Android Auto anunciada em meados de 2019, depois de cinco anos de sua chegada ao mercado. O visual melhorou bastante, abandonando as cinco páginas e adotando ícones para cada aplicativo.

Além disso, em qualquer tipo de visualização o sistema exibe uma aba na parte inferior da tela para informar qual música está tocando ou os detalhes da rota de navegação.

Visualmente, o Android Auto também se aproximou do Apple CarPlay e passou a ter cores mais chamativas e um modo de visualização escurecido, além de se adaptar melhor a diferentes tamanhos de tela.

Quais carros tem o Android Auto?

Android Auto: o que é, carros que usam, aplicativos, espelhamento

Desde o seu lançamento, o Android Auto tem aparecido em cada vez mais modelos no Brasil e no mundo. Segundo o Google, já são mais de 500 modelos compatíveis, numa lista que não para de crescer.

Confira abaixo os principais fabricantes que oferecem esse sistema (clique aqui para ver a lista completa):

AUDI – A1, A3, A4, A5, A6, A7, A8, Q2, Q3, Q5, Q7 e Q8.

BMW – Série 1, Série 2, Série 3, Série 4, Série 5, Série 6, Série 7, Série 8, X3, X4, X5, X6, X7 e Z4.

CHEVROLET – Camaro, Cruze, Cruze Hatch, Equinox, Malibu, Onix 2022, Onix Plus, Prisma, Sonic, Trailblazer e Volt.

CITROEN – C3, Aircross, C4 Cactus, C4 Picasso, Grand C4 Picasso, C5 e Jumpy.

FIAT – 500, Argo, Cronos, Toro 2022, entre outros.

FORD – EcoSport, Edge, Fiesta, Focus, Fusion, Ka, Ranger, Territory e Bronco Sport.

HONDA – Accord, Civic, CR-V, Fit, WR-V, HR-V e City.

HYUNDAI – Azera, Creta, Elantra, i30, Santa Fe, Sonata, Tucson, Veloster e HB20 2022.

JEEP – Renegade e Compass.

KIA – Cadenza, Rio, Sorento, Soul, Sportage e Cerato.

LAND ROVER – Ranger Rover, Range Rover Sport, Velar, Evoque, Discovery e Discovery Sport.

MERCEDES-BENZ – Classe A, Classe C, Classe E, Classe S, CLA, CLS, GLA, GLC, GLE, GLS, entre outros.

MITSUBISHI – ASX, Pajero, Pajero Sport, Eclipse Cross, Outlander, Triton, entre outros.

NISSAN – Altima, Kicks, Leaf, Sentra, March e Versa.

PEUGEOT – 208, 2008, 3008, 5008, Expert e Partner.

RAM – 1500 e 2500.

RENAULT – Captur, Kwid, Duster, Sandero e Logan.

TOYOTACorolla Cross, Corolla, RAV4, Hilux, SW4 e Yaris.

VOLKSWAGEN – CrossFox, Fox, Gol, Golf, Jetta, Passat, Polo 2022, Saveiro, T-Cross, Tiguan Allspace, Virtus, Voyage, Amarok, entre outros.

Quais sistemas de som aceitam o Android Auto?

Uma clara vantagem do Android Auto em relação a seu concorrente Apple CarPlay é a lista bem maior de fabricantes de sistemas de som que oferecem essa conectividade. Isso ajuda aqueles quem tem modelos mais antigos, sem uma central multimídia compatível vinda de fábrica.

E não pense que tais aparelhos são difíceis de manusear ou tem baixa qualidade, pois as principais marcas investem pesado em centrais completas e com ainda mais funções que as originais.

Boa parte dessas marcas estão presentes no Brasil, sendo possível comprar sistemas de som com uma central multimídia bem completa. Uma rápida pesquisa na internet revela preços partindo de R$ 600 reais, mas com marcas menos conhecidas.

Fabricantes mais conhecidos oferecem produtos na casa de R$ 1 mil a R$ 1,2 mil, mas sistemas mais avançados e com telas maiores podem custar entre R$ 7 mil e R$ 10 mil.

Confira abaixo a lista completa de marcas que podem oferecer aparelhos com a conexão para Android Auto:

AAMP, Adayo, Alpine, Axxera, Bauhn, Blaupunkt, Boss Audio Systems, Caska, Clarion, CVTE, Dual, Evus, iNav, JBL, Jensen, JVC, Kenwood, Macrom, MMAUTO, Nakamichi, Norauto Sound, Panasonic, Pioneer, Planet Audio, Prology, Skypine, SmartAuto, Sony, UniMax e Zenec.

Quais celulares rodam o Android Auto?

Diferente do Apple CarPlay, que funciona apenas nos aparelhos da marca, o Android Auto está disponível numa quantidade muito maior de smartphones, o que o torna um sistema bem mais popular.

Ele já está disponível a partir do Android 6.0, mas nesse caso ainda exige a conexão via cabo USB. Todos os celulares com o sistema operacional atualizado (o que hoje significa ter a versão 11 na maioria dos aparelhos) tem o Android Auto sem a necessidade de instalar outro aplicativo.

Confira as principais marcas que divulgaram o cronograma de atualização para a versão 11 do Android:

Asus, Google, Huawei, LG, Motorola, Nokia, OnePlus, Oppo, Realme, Samsung, Sony e Xiaomi.

Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 17 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.