Após críticas, Powershift começa a sair de cena na Ford

Após críticas, Powershift começa a sair de cena na Ford

A caixa automatizada de dupla embreagem é uma tecnologia que vem sendo aplicada em muitos carros de diversas marcas. Embora a popularidade de algumas seja maior que a de outras, basicamente todas utilizam o mesmo princípio: dois eixos com engrenagens de marchas separadas e que trabalham em conjunto com o uso de duas embreagens, ajustadas eletronicamente, que reduzem em muito o tempo de troca e as perdas, bem como tornam a condução mais suave e agradável.


Embora a mais famosa seja a DSG, ainda desejada por muitos, a que se popularizou no Brasil em realidade foi a Powershift, que a Ford introduziu em quase toda sua gama nacional. Esse câmbio de dupla embreagem sutilmente passou a ser oferecido em alguns modelos com preços mais acessíveis. A novidade que estreou nos New Fiesta e Novo EcoSport, logo passou para o Focus que, assim como o compacto premium, veio na opção hatch e sedã.

A promessa de agilidade, conforto e economia davam à Ford uma posição bem privilegiada, pois modelos mais acessíveis tinham a opção de uma caixa de mudanças no “estado da arte” em comparação com as marcas rivais. No entanto, os problemas não tardaram a aparecer. Superaquecimento, vibração, ruído, dificuldades nas trocas são algumas as reclamações. Elas geraram ordens de serviço para os distribuidores Ford e aumento da garantia, além de correções e reparações, que muitas vezes não davam resultado.

Assim, em 2016, com o caso do Powershift já no Procon. Com a notificação do órgão de defesa do consumidor, a Ford decidiu pela substituição do câmbio de dupla embreagem por uma caixa automática tradicional com conversor de torque. Nos Ford New Fiesta, EcoSport e Focus, a marca americana iniciou um processo de substituição do kit de embreagens, que mensalmente varia de 4 mil a 4,5 mil veículos. A cobertura pulou de 3 nos para 5 anos ou 160.000 km.

O Novo Ford EcoSport 2019 foi o primeiro produto da montadora a adotar uma transmissão automática normal após o Powershift. Mas não será o último. Em breve chegar o New Fiesta atualizado, que também vai explorar o “novo” câmbio. Também o Novo Ka e o próximo Focus deverão se beneficiar da experiência da marca com a caixa automática de seis marchas.

Mas, o movimento de troca do Powershift pelo câmbio automático com conversor de torque ocorrerá em todo o mundo. Desde a China até os EUA. A Ford diz que tem o componente para substituição em quantidade suficiente para atender a frota em circulação e que manterá a política atual “até termos todos os clientes satisfeitos”, segundo Antônio Baltar Jr., chefe de marketing, vendas e serviços da Ford.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.