*Destaque Manutenção

Ar condicionado de carro: como fazer a manutenção?

Ar condicionado de carro: como fazer a manutenção?

Até pouco tempo atrás, o ar-condicionado era considerado um equipamento “de luxo” entre os automóveis mais em conta no mercado brasileiro. Para usufruir de tal recurso, o interessado por um veículo 0 km precisava partir para um modelo de categoria superior ou optar por versões mais caras de carros compactos. Hoje em dia a situação é diferente, embora haja veículos de entrada que ainda ofereçam versões sem o ar-condicionado ao menos como opcional, sendo que tais configurações costumam ser as menos vendidas – vide o Renault Kwid Life e o Fiat Mobi Easy, que custam na faixa dos R$ 30 mil.


Sendo assim, ficou ainda mais fácil adquirir um ar-condicionado de série, item que acaba valorizando o automóvel no momento da revenda, por exemplo. Entretanto, você sabe como usar o equipamento e fazer a manutenção de forma correta? Assim como o ar-condicionado de uma residência, o item automotivo também precisa ser checado sempre que possível para evitar futuras dores de cabeça e até mesmo complicações na saúde dos ocupantes do veículo.

Separamos abaixo algumas boas dicas que podem te ajudar nessa. Confira:

Quais os itens do sistema de ar-condicionado que precisam passar por reparos?

O sistema de ar-condicionado é composto por uma série de componentes, sendo que boa parte deles precisam passar por pequenas ou grandes manutenções. Entre eles há o filtro de ar-condicionado (ou filtro de cabine), que é responsável por reter as impurezas e assegurar a qualidade do ar da cabine e se posiciona atrás das saídas de ar no painel. Todavia, não dá para especificar um intervalo correto para a substituição do mesmo, visto que sua durabilidade vai de acordo com o uso e também os trechos por onde o veículo passa. Recomenda-se checar as condições de tal item a cada 20 mil quilômetros – ou quando você notar um mau cheiro na cabine.


Há também o compressor, que é um dos componentes principais do aparato. Ele tem como função aquecer e refrigerar o ar. Tal item comprime o gás refrigerador e manda para o condensador do veículo, promovendo o arrefecimento e, consequentemente, “refrigerando” a cabine. Ao contrário do compressor de um refrigerador residencial, que é movido a eletricidade, este é movido pela rotação do motor do automóvel. Ele é também o único componente do sistema que conta com peças móveis, o que inclui pistões e válvulas, além de um óleo lubrificante, de baixa viscosidade e com características especiais. A manutenção completa, incluindo todos os itens internos, deve ser promovida a cada 30 mil km.

O evaporador, que é responsável pela retirada de calor da cabine do veículo. Ele se posiciona normalmente atrás do painel de instrumentos e tem formato parecido com um radiador de menor porte. Este item não costuma apresentar problemas como vazamento de gás, mas caso este defeito apareça, você deve encaminhar o seu veículo a uma oficina especializada para promover o reparo ou troca do componente.

Há ainda o condensador e o eletroventilador, que formam um conjunto nas proximidades do radiador, na parte frontal do carro. Eles reduzem a pressão do gás que sai do compressor. O condensador também não costuma ser alvo de defeitos, a não ser devido a furos e danos provocados por colisões e má instalação, bem como o eletroventilador. Porém, caso sejam afetados, podem provocar o funcionamento do sistema e fazer com que o compressor deixe de funcionar.

Já as tubulações aparecem como os principais componentes que precisam de manutenção periódica. Ao trocar o filtro de cabine, deve-se promover ainda a higienização das tubulações com o uso de um spray capaz de matar fungos e bactérias. Por fim, as mangueiras de borrachas e tubulações metálicas, que conectam o sistema de ar-condicionado, podem apresentar rompimento e provocar o vazamento de gás – logo, inclua esses itens na manutenção do sistema.

Ar condicionado de carro: como fazer a manutenção?

Como fazer a manutenção do ar-condicionado?

Como esclarecemos no tópico anterior, toda a manutenção mais “delicada” do sistema de ar-condicionado deve ser feita por um especialista em uma oficina. No entanto, caso você seja uma pessoa curiosa e tenha uma certa habilidade em promover pequenas manutenções no seu veículo, é possível fazer a manutenção do equipamento por conta própria.

Para fazer a troca do filtro de ar, por exemplo, pegar o manual do proprietário para descobrir onde o equipamento está posicionado e desmontar as peças do painel para localiza-lo. Após isso, verifique as condições do filtro: se ele estiver intacto, terá o branco como cor predominante. Porém, se ele precisar ser substituído, irá apresentar pequenas manchas (acumulo de bactérias), aspecto acinzentado e até acúmulo de poeira. Aí, basta adquirir um novo filtro de ar e promover o processo inverso.

Você pode fazer ainda a higienização do sistema com o uso de um spray capaz de matar fungos e bactérias acumulados na tubulação do ar-condicionado. Esse item pode ser encontrado facilmente em supermercados e lojas do segmento. Normalmente ele deve ser aplicado no carro fechado com o ar-condicionado ligado no máximo, no modo frio e recircular. Esses produtos custam em média de R$ 15 a R$ 40.

Ar condicionado de carro: como fazer a manutenção?

Como usar o ar-condicionado adequadamente no dia a dia?

Algumas práticas no dia a dia também podem colaborar para que você mantenha o sistema de ar-condicionado do seu carro sempre em boas condições e em pleno funcionamento. A primeira delas é: use o ar-condicionado com certa frequência (pelo menos uma vez por semana). Pode parecer estranho, mas há muitas pessoas que contam com tal equipamento no veículo e não o usufrui, seja pelo consumo de combustível elevado ou por medo de manutenção. Entretanto, o ar-condicionado parado pode ocasionar o acumulo de poeiras (e, assim, fungos e bactérias) ainda maior.

Além disso, é recomendado você ligar o ar-condicionado após retirar aquele “mormaço” do interior do carro – quem nunca entrou no veículo após ele passar horas sob o sol e ligar o ar-condicionado no máximo? A prática de usá-lo com a cabine extremamente quente pode fazer com que ele trabalhe ainda mais, exigindo uma força extra dos componentes e diminuindo a sua vida útil. Assim, antes de entrar no carro, abra as janelas e espere que pelo menos parte do ar quente seja removido do interior.

Ar condicionado de carro: como fazer a manutenção?
Nota média 5 de 1 votos

  • T1000

    Não usar pq consome mais é pra matar o peão

    • Ricardo

      Com gasolina à R$ 4 reais é de dar pena mesmo em ligar o ar.

      • leandro

        Onde tem gasolina de 4 reais?? Aqui em MG já tá 4,50

        • Ricardo

          R$ 3,9 em Curitiba e R$ 3,7 em Brusque-SC.

          • leandro

            Ou o imposto aqui é 10% maior ou o quartel envolve todo o Estado

            • Ricardo

              No RJ acho que são os dois!

          • Paulo Lustosa

            Aqui tá 4,35 o litro

      • Edson Fernandes

        Olha…. entendo a questão de consumo, mas na boa… vc tem o dispositivo para te dar o conforto e vai abrir mão por conta de consumo? Do meu carro ele consome no maximo 1km/l. Uso 100%do tempo.

        No meu carro anterior era exatos 0,4km/l a mais. É o tipo de consumo que eu pago feliz. Outras coisas seriam ruins, mas o ar não.

        • Fábio A.

          Penso o mesmo. Uso mais de 95% do tempo.

        • Deadlock

          É, mas cada um está numa situação ou tem as sua preferências e muitos não entendem isso. Respeitar a escolha dos outros faz parte da democracia. Além disso, muitos não suportam o ar condicionado.

          • Edson Fernandes

            Por isso que eu baseei minha resposta.

            Não gostar é uma coisa, mas mesmo essa pessoa que não gosta ou tem até problemas com ele, em situações de muito calor, vai usar para melhorar a temperatura para depois abrir os vidros.

            Curiosamente eu tenhho um amigo que é alergico a ficar no ar em ambiente fechado, no carro dele, ele usa o ar ligado, mas com vidro aberto. Ao menos não fica ruim.. mas é esquisito e no caso dele, poderá trazer problemas a longo prazo no ar porque não é ideal usar com vidros abertos.

        • José Barbosa

          Exatamente. Uma coisa curiosa, que nunca li numa reportagem, é quanto a direção hidráulica significava de aumento de consumo, que acredito que não seja muito diferente de um ar condicionado.
          Quanto à ligar uma vez por semana, outro ponto muito importante (se não for lenda), é que é preciso ligar para que evite o ressecamento das mangueiras.

          • Edson Fernandes

            Então, mas a direção hidraulica trás mais gastos na ordem 0,3% de todo o sistema. O pessoal fala em perda de potencia do motor, mas é infimo.

            O ar condicionado já pode a depender do carro (e ano) até 5% da potencia. Na real… eu acho muito pouco para justificar manter ele desligado. Me lembro por volta de 2006 que eu ia muito para o Rio de Janeiro, que os taxistas que tinham GNV em carros 1.0 não queriam ligar o ar porque deixava o carro ainda mais fraco (eram GNV de primeira e segunda geração…), tanto que nessa epoca, eu começava a qdo via um taxi 1.0, já perguntava se o ar estava quebrado(que era a desculpa deles), se estivesse eu costumava pegar santana, meriva, zafira, astra… entre outros.

            Felizmente hoje isso ficou praticamente para trás, mas era um saco o cara vir com essa. Eu era o cara de dispensar o taxista e pegar outro.

          • Edson Fernandes

            Sobre ligar uma vez por semana é uma realidade.

            O gas que o ar condicionado usa para converter em ar frio, também serve de lubrificação. No passado , era muito comum carros do RS terem problemas no Ar devido ao não uso. E acredite… a depender da falta de uso, vc compromete todo o sistema.

    • FearWRX

      O que vejo de carro “caro”, diga-se: Civic, Renegade, Sportage e afins em pleno calorzão de 30, 32°, as janela aberta e todo mundo passando calor.
      É triste de ver cena assim, fico pensando pra que comprou um carro “chique” se regula um ar condicionado.

      • FPC

        Mas isso é de se esperar de um povo que vive de aparências, carrão na mão mas o pneu tá careca, óleo vencido e o ar nunca ligado.

        • Tiago Borges

          Verdade. Sou pobre, tenho um Vectra que bebe pra krlh mas é bem cuidado e eu não passo calor tendo ar no carro. Quando quero economizar ando de moto.

        • FearWRX

          É a infeliz realidade, vivemos justamente na era das aparências, o quanto mais você mostra que tem, melhor você é, por mais que você tenha que se afundar pra mostrar que pode.
          Enquanto isso sigo contente podendo dar Motul, Pentosin, Goodyear e etc ao meu japonês de 10 anos que é o que cabe no meu bolso no momento, é velhinho, mas tá pago e manutenção sempre em dia e ar condicionado sempre gelando quando o calor bate.

          • ObservadorCWB

            Quando vejo alguma linhas: Honda, Hyundai, GM “Opel”…. vejo que as mudanças estão concentradas em penduricalhos, design e um ou outro avanço tipo turbo e injeção direta. Então acho que não precisamos de carro ZERO para muita diferença não. Na família temos uma VeraCruz de 2012 que não perde em nada para uma SW4 infinitamente mais cara atual. E o que falra dos Vectras GSi com radiador de óleo ? etc etc Um Azera 2009 tinha 8 Air Bags.. quantos tem um sedã médio atual ?

            • José Barbosa

              Esta observação é bem pertinente observando veículos intermediários e “topo” de linha, para padrões nacionais. Se você remontar no início dos anos 2000, com o fracasso de mercado que foi o Mercedes classe A, verá inúmeras tecnologias que ainda não foram adotadas em carros do mesmo padrão. Houve alguma significativa evolução nos compactos, que eram verdadeiras carroças. Em muitos casos, mudanças de geração vieram em termos de lucro para as montadoras, e não em benefício do consumidor.

              • ObservadorCWB

                Seu exemplo é perfeito. Tinha uma Elegance 190 com o câmbio tiptronic by McLaren. O conteúdo eletrônico ainda não é visto por aqui HOJE. O peso reduzido (paralamas de plástico e ausência de barras de proteção lateral – pois os dois chassis do carro tornavam o piso elevado). Deslocamento programado do bloco do motor. Nichos que faziam o carro ser muito confortável e acomodar bagagem (tendo em vista ter o tamanho de um Ford Ka)…etc etc etc. Na época me criticavam pela compra (caro e pequeno), mas eu falava que era carro 10 anos a frente dos nacionais….ERREI…e errei feio…era um carro VINTE ANOS a frente: é apenas em 2018 que os carros compactos viraram moda, se “gourmetizaram” e encareceram.

                • José Barbosa

                  Há pouco tempo, comprei um carro para a minha esposa. Infelizmente não foi o favorito, que era a classe A, considerando custo benefício. Era bastante específico quanto a ser uma 190 Elegance automática. A única que achei estava num estado de manutenção deplorável, mas lembro que o carro, que tinha má fama quando estava no mercado, era elogiado por proprietários, que realmente conheciam. Enfim, acabei desistindo quando vi que os bem cuidados eram o xodó da casa, e muito raramente alguém venderia um bem cuidado, justamente por causa do preço.

        • Franco da Silva

          Sem falar que, se o carro tiver mais de 2 anos, é capaz de já ser uma recompra. O cara paga dinheiro que não tem para comprar um “carrão” usado e, se o ar condicionado vier com problema, não tem $$ pra arrumar.

      • Rodrigo

        Se a pessoa fuma ou peida muito no carro, faz como?

        • FearWRX

          Se peida no meu, eu chuto pra fora HAUHAUHAUHAUA

        • Edson Fernandes

          Eu tive um ex chefe que fumava com o ar ligado e vidros fechados. Pensa num fedor dentro do carro cheirando a cinzeiro… aquele carro eu nunca compraria pra mim.

          Mas quem peida (eu faço isso…rs), o cheiro vem e vai embora. …rs

          • Deadlock

            Se o chefe fuma, não tem problemas. Peidar é desagradável, mas às vezes inevitável, é só abrir as janelas e o dano será minimizado…

            • Edson Fernandes

              No meu caso, eu só o faço no meu carro e sozinho…

      • NAndreotti

        Nunca passou pela sua cabeça que tem pessoas que simplesmente não gostam de ar condicionado?

        • Ia falar isso. Meu sogro é um destes que anda sempre com carros novos e nunca usa o ar.

          • Robson

            Meu pai é desses. Até estragou o compressor pq ele simplesmente não ligava o ar condicionado, mesmo com todos os meus avisos. Já no meu Corsa (alou GM, em 2008 o Corsa 1.4 vinha com o filtro de cabine e bem fácil de trocar), tenho por habito quando troco o óleo a cada 6 meses, pois estou usando pouco o carro atualmente, trocar todos os filtros, inclusive o de cabine, eu sei parece exagero mas minha esposa tem rinite/sinusite de grau muito sério e não pode nem sonhar com sujeira no sistema.

        • Edson Fernandes

          Pessoas com alergia e que não gostam ok. Mas duvido que essas pessoas nas duas condições num sol a pino ao menos nao liguem o ar para deixam o ambiente ameno e depois desliga.

          Pelo menos é o que eu vejo dentre os que não gostam.

        • José Barbosa

          Mas estas matérias são importantes para quem não gosta saber que é recomendável ligar ao menos uma vez por semana, para depois não ter um custo muito maior.

          • NAndreotti

            Com certeza, mas o meu post foi em relação ao comentário e não a matéria.

      • Franco da Silva

        Errou na prestação, né. Aí precisa economizar cada centavo. Vai ver se tem seguro…

      • Louis

        Mas em alguns casos pode ser porque o percurso é curto, e é mais rápido abrir a janela…

      • leandro

        O meu funciona assim: liga o carro ele liga junto, desliga o carro ele desliga junto… Como é digital eu só vou mudando a temperatura

        • Edson Fernandes

          Até porque, ligar o carro junto do ar não estraga.

          E essa de “forçar componentes” … eu que uso 100% do tempo (em viagens a mais de 10 horas dirigindo com ele ativo, só que o meu carro depois de algumas horas desabilita o recirculador) nunca tive problemas. O forçar é usar além da capacidade que nenhum ar faz. Faria se tiver alguma anomalia.

          O compressor tem uma tensão, voltagem e força de trabalho, vc pode aumentar ou reduzir o ventilador que impulsiona o ar, o compressor vai trabalhar igual, seja no “lo” ou no “hi”. Exceto obviamente quando o mesmo atinge a temperatura que aí ele fica variando entre liga e desliga o compressor. Mas o meu uso é identico ao seu e nunca tive problemas com nenhum carro por conta disso. O que conta mais é como vc cuida dele.

          • Fábio A.

            Inclusive certa vez quando fui trocar o filtro do ar condicionado numa loja especializada, o técnico me falou que o que “estraga” o ar condicionado, e provoca a recarga precoce do gás é a FALTA DE USO. Disse ainda que usando regularmente o ar condicionado, se os componentes e a tubulação não sofrerem nenhum dano físico, não há necessidade de recarga ou troca do gás.

            • Edson Fernandes

              Isso é uma realidade qto a não necessidade de recarga.

              Mas na pratica o que mais força o sistema é não trocar regularmente o filtro. Ali vai juntando particulas que vão criando uma dificuldade maior de circulaçao do ar. Nessas condições, o sistema que tem um sensor que identifica a vazão, entende que precisa ter de fato mais força para refrigerar a cabine.

              Mas na pratica apenas do compressor não. O que pega é o fato de forçar um ar que não chega a cabine, isso pode trazer a longo prazo problema real.

  • Alvarenga

    Havera alguma polêmica mas aqui vai uma recomendação mais completa, ja que a materia foi um tanto deficiente:
    1-Ligue o AC ( botão que aciona o compressor ) no mínimo por 5 minutos pelo menos uma vez por semana – o motivo é que o lubrificante circula junto com o gas, então é necessário circula-lo periodicamente para manter as conexões oleadas e os componentes tambem.
    2-Ao chegar no carro que esta derretendo sob o sol, abra todos os vidros, ligue o AC na sequencia e ja movimente o veiculo para circular o ar interno e trocar por ar externo que estara bem mais frio que o interno. Após cerca de 1 minuto de movimento, quando o principal da caloria interna ja tiver sido trocada, então feche todos o vidros para manter a eficiência do sistema.
    3-Se voce for muito, mas muito cuidadoso, desligue o AC 2 minutos antes de chegar ao seu destino, desta forma a umidade que esta acumulada no interior da caixa do evaporador diminuira, o que reduz a chance de maus odores com o tempo.
    4-Essa é polêmica – nem os fabricantes fecham posição – Eu jamais ligo o compressor quando o motor esta em alto giro. Fabricantes alegam que os compressores são desenvolvidos e testados para acoplar desta forma sem problemas, mas sabendo que é uma embreagem que faz o acoplamento, e que esta cheio de partes moveis dentro do compressor, e que é uma velha e boa correia que transfere a força, eu prefiro liga-lo apenas com o giro de medio para menos.
    OBS: Compressores de veiculos mais sofisticados normalmente são variaveis e menos suscetiveis a esta questão de ciclar ou não em alto giro.
    ….sera que esqueci de algo ????

    • Retrato do Papai

      sobre o item 3, eu costumo fazer um pouco diferente… assim que estaciono o veículo, eu o desligo, coloco a temperatura no mais quente e deixo a ventilação ligada no máximo por uns 30 segundos… creio que o ar bem quente agilize a remoção da umidade, além de evitar rodar sem o ac (aqui no rj é muito quente e mesmo um minuto com o ac desligado faz diferença)

      • Faço isso também. Li em algum lugar e vi muito sentido.

    • Geraldo Xavier

      O item 4 não concordo. Carros 1.0 que quando se pisa forte o carro desliga o compressor e religa assim que a pressão no pedal do acelerador é diminuida. Ele sempre religa o compressor com o giro do motor alto e nem por isso o compressor se danifica

      • Wagner Lopes

        A situação que isto faz diferença é a seguinte. O compressor é um sistema mecânico complexo e preciso que trabalha com óleo em circulação para sua lubrificação. Quando você desliga o carro na garagem ao fim do dia por exemplo, o óleo para de circular e desce. No dia seguinte, a primeira partida do compressor, a lubrificação será deficiente por alguns segundos até o óleo atingir sua plena circulação e pressão. Assim, na primeira partida do dia eu só faço em marcha lenta. Depois, ao longo do dia/funcionamento do veículo, já não importa mais. Resumindo, é mais ou menos como partir um motor pelo primeira vez no dia com o óleo todo no cárter. É um pouco de preciosismo? Sim, mas se sei que faz bem ao sistema, porque não seguir.

        • Geraldo Xavier

          Também acho preciosismo. Só sei que raramente deixo de usar o ar condicionado. Mesmo no inverno aqui no rj faz calor. Fora o conforto que andar de vidro fechado me proporciona. Eu tenho só uma opinião a respeito. Quanto mais se usa o ar menos problema ele dá. Nunca nenhum ar condicionado de carro meu deu problema. Nem carga de gás nunca fiz. Já tive uns 9 carros em casa com ar condicionado e já andei 270mil km em um corsão em 7 anos e zero de problemas no ar. Hj tenho 2 carros ambos 2013 e zero de problema no ar.

          • Wagner Lopes

            Exato. Não usar o ar, faz com que o óleo não circule pelo sistema e as vedações vão ressecando e perdendo capacidade de vedação a ponto de um dia simplesmente deixar o gás vazar. Como disse o Alvarenga, mesmo quem não usa ar, tem que acionar o sistema pelo menos uma vez por semana ou 10 dias e deixar funcionar pelo menos uma meia hora.

    • Jacarandá Mimoso

      É verdade que deve-se evitar ligar o AC com o motor ainda frio?

      • Edson Fernandes

        Isso é mito. Isso indicava antigamente o motor trabalhava “forçado” por exigir mais força.

        De fato o uso de maior força existe, mas quem usa ar em carros mais fracos, aumenta no maximo o regime de rotação em 500rpm a mais. Não é o suficiente para que o motor sofra com isso. A não ser que a pessoa já use carro normalmente a 4000rpm e aumente por conta do ar, aí pode trazer problemas.

        Mas no uso comum em que a pessao troca de marcha entre 2500 a 3000rpm é normal. Pode usar normalmente. O que não se pode com ar ou sem ar, é ficar usando o carro em altos giros. Isso que danifica o motor, porque ele iria trabalhar fora da zona da temperatura ideal, sem ter total lubrificação e podendo reduzir a vida das peças moveis.

      • Fábio A.

        Não procede.

      • Alvarenga

        Eu não vejo problema nisto. Nos antigos veiculos carburados complicava a dirigibilidade mas em qualquer motor atual não sei de problemas nem para o motor nem para o sistema de AC,

    • Wagner Lopes

      Perfeito. Concordo e executo todas estas recomendações inclusive não acionar o ar com o motor em giro alto. Com certeza, fazê-lo em marcha lenta no primeiro acionamento do dia prolonga a vida útil do compressor. São pequenos detalhes que quem conhece o sistema sabe que ajuda. Eu também troco o filtro de cabine de 10 em 10.000 km pois, com esta quilometragem, já sai preto de pó de asfalto.

    • Junio Tavares Silva

      referente ao numero 4, talvez essa pratica até ajude na durabilidade do conjunto, eu particularmente acho que não faz diferença, uma vez que, na maioria dos carros mais novos, o sistema desliga o compressor quando a temperatura no evaporador cai em demasia, sem assim, ele pode ligar e desligar varias vezes durante a condução sem que vc ao menos perceba.

  • vicegag

    Vi um vídeo no qual uma destas “granadas”, de higienização explode dentro do carro, alguns fabricantes alertam para deixar os vidros abertos em 5 cm, pois o produto é inflamável.

  • Retrato do Papai

    “(…) Entre eles há o filtro de ar-condicionado (ou filtro de cabine), que é responsável por reter as impurezas e assegurar a qualidade do ar da cabine e se posiciona atrás das saídas de ar no painel.”

    seria bom se vocês enviassem isso pra gm, pois agora eles inventaram uma porqueira tremenda de vender carros (onix, prisma e afins) sem o filtro do ac…

    • Anderson Lopes

      Pois é. E não fazem questão nenhuma de avisar na venda, porque ,como desculpa, não é item obrigatório.

    • vicegag

      Meu Fiesta também estava sem, agora eu não sei se foi quando saiu de fábrica, ou em alguma revisão na concessionária.

    • Best Comment

      Normal (infelizmente). Os Gols também saem (ou pelo menos saíam) sem filtro

      • Ramon Grigio

        Meu gol 09/09 e meu voyage 13/14 vieram com filtro. Isso é recente?

        • Best Comment

          O meu Gol iTrend 2012/2013 veio sem

    • Edson Fernandes

      E a Hyundai que diz que tem ionizador no sistema?

  • Ricardo

    Perfeito, pena que essa manutenção nesse período recomendado se torna inviável, pois como tudo no Brasil cobram pequenas fortunas por pequenos serviços!

    • Gil de Piento

      Para a troca do filtro de cabine e a higienização interna com spray, há bastante vídeos e tutoriais na internet ensinando a fazer em casa mesmo.

      • Ricardo

        Mas para trocar o gás já cobram R$ 100.

        • Edson Fernandes

          Não há necessidade de troca de gás. Isso acontece apenas qdo tem vazamento, indicando que há irregularidades no sistema. E isso tem como o local medir antes de tomar qualquer ação.

          • Ricardo

            Mas que eu saiba mesmo sem vazamentos com o passar dos anos a pressão do gás vai diminuindo e tem que ser trocado.

            • Edson Fernandes

              Não pois o sistema é totalmente fechado. Inclusive sob alta pressão.

            • Junio Tavares Silva

              Isso não procede, o fluido refrigerante tem longa validade, muito mais ate que a vida útil do automóvel, estima-se 140 anos. Se não houver vazamentos, não haverá necessidade de troca.

              • Ricardo

                Estão a loja “especializada” em AC me enganou!

  • Retrato do Papai

    aqui mesmo fazendo higienização a cada 3 meses, troca do filtro a cada 6 meses e (nem sempre) remoção da umidade do sistema ligando o ar quente após o uso do ac, ainda assim noto um levíssimo cheiro desagradável caso fique alguns dias sem utilizar o ac, acabo tendo que recorrer aos odorizantes… mas aqui no rj é complicado, a umidade relativa do ar sempre fica na casa dos 80~90%, o ar puro já entra saturado no sistema… tá faltando pouco pra aparecerem brânquias no povo daqui, pq praticamente já respiramos água

    fico imaginando o povo que só descobre que o carro tem esse filtro (e imundo) após vários anos de uso

    • Rodrigo

      Pra quem tem rinite e sinusite (como eu) o lembrete vem bem rápido. No manual do meu carro atual recomenda a troca do filtro a cada 20 mil km ou dois anos, nem completou um ano ainda e já tive que trocar pois fica quase insuportável dirigir. E olha que nem estava tão sujo… mas acho que já estava impregnado de ácaros e bactérias.

    • Edson Fernandes

      E pra quem negligencia e só percebe que o ar ficou ruim de tanta restrição que tem no filtro?

      Curiosamente, minha ultima troca em todos esses anos de carro com ar, foi a mais suja. E quando digo de suja, tinha AREIA no filtro. Nunca tinha visto isso. Eu comecei a rodar em cidades do interior que levantavam mais poeira mesmo… e se continuasse assim, eu iria reduzir minha manutenção de, a cada 20000km para a cada 10000km (na verdade eu sempre troco com menos… porque eu trocava a cada duas trocas de oleo que eu rodo entre 7000 a 8000km).

  • CanalhaRS

    Um técnico em ar condicionado me aconselhou a usar sempre o ar condicionado com a recirculação de ar ativada. Ele me disse que o sistema trabalha com uma pressão bem menor assim, ao contrário da circulação externa aberta que faz o sistema trabalhar na carga máxima. Até onde isso é verdade não sei, mas tenho feito assim.

    • Franco da Silva

      Sempre usei a recirculação pois acho insuportável usar a circulação normal captando toda a fumaça de ônibus e caminhões. Os manuais recomendam o contrário, mas nunca tive problemas e realmente passo a maior parte do tempo com o ar no mínimo.

    • D136O

      É verdade, a diferença está que ao invés de resfriar o ar externo o sistema usa o ar interno que esta a uma temperatura já mais baixa, isso diminui a carga térmica. A desvantagem é que tratasse de um ar “viciado” que não se renova.

    • Zé Mundico

      Pode ser, mas o ar constantemente recirculado acaba ficando viciado e em longas viagens com muitas pessoas pode tornar o ambiente meio “carregado”.

      • Edson Fernandes

        Meu carro depois de 2 horas (conforme manual) se desabilita automaticamente. E se vc não reativar, ele o faz depois de 15 minutos. Te digo que faz diferença e é bacana tal item automatizado.

  • D136O

    “gás refrigerador” kkkk

  • Zé Mundico

    Pois é, como já diziam os antigos romanos: a melhor maneira de conservar uma coisa é usando-a.
    Se está lá, use corretamente, usufrua com prazer e não tenha pena.

  • Louis

    Meu carro com 180 mil km, 12 anos, ar condicionado sem manutenção alguma e gelando muito ! Só troco o filtro de ar.
    Tem muito de sorte também, de não ter vazamento do gás.
    Ah, e faço algo não recomendado sempre: quando não está tão calor, sempre ligo no máximo o termostato, e fico ligando e desligando o compressor manualmente conforme meu gosto kkkkk

  • Junio Tavares Silva

    Únicas manutenções que recomendo o proprietário fazer no sistema de ar condicionado são, troca de filtro e uso do higienizador. O sistema trabalha fechado e sem necessidade de manutenção, fora casos em que apresente defeito. Compressor não deve ser aberto para manutenção com 30 mil km, até porque, a maioria desses não possui peças de reposição. Não apresentando vazamentos de fluido refrigerante e/ou óleo, nada precisa ser feito. Defeitos mais comuns são vazamentos em mangueiras, válvulas de serviço, trincas ou furos no condensador e evaporador, selo do compressor. Sempre que notar baixa eficiência no resfriamento da cabine, levar o veículo a uma oficina especializada, a falta do fluido refrigerante aumenta substancialmente o risco de quebra do compressor, uma vez que o óleo não circula na rede de forma satisfatória.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email