Argentina Brasil Elétricos Gadgets Montadoras/Fábricas

Argentina Sero Electric pode fazer elétrico urbano também no Brasil

Argentina Sero Electric pode fazer elétrico urbano também no Brasil

Em Foz do Iguaçu, a empresa argentina Sero Electric visitou a Itaipu Binacional, que gerencia a hidrelétrica que fica na fronteira entre Brasil e Paraguai. À convite do Parque Tecnológico de Itaipu, a marca de carros elétricos do país vizinho, conheceu as dependências do instituto, que fica no complexo da usina.


O objetivo do convite à Sero Electric é a produção de seu pequeno carro elétrico no Brasil, onde a PTI já tem experiência com outras marcas, como a Renault, por exemplo, com a qual montou unidades do Twizy. A marca 100% argentina está investindo na fabricação de pequenos veículos elétricos em seu país e pode assim, expandir sua operação para cá.

Argentina Sero Electric pode fazer elétrico urbano também no Brasil

As negociações entre Sero Electric e PTU só estão começando, mas as chances disso acontecer parecem boas, uma vez que na Argentina, apenas cinco clientes comuns emplacaram o modelo, porém, a marca já comercializou diversas unidades para áreas industriais e condomínios, onde não é necessário dispor de uma placa.

Caso venha a acontecer, o mercado nacional terá mais uma opção de carro elétrico de desempenho limitado para atuações específicas, como a marca paranaense Hitech Electric, por exemplo. Algumas cidades do Brasil já possuem serviços de compartilhamento de carros elétricos e Fortaleza é a mais conhecida nesse caso.

Argentina Sero Electric pode fazer elétrico urbano também no Brasil

Além disso, a ilha de Fernando de Noronha quer eliminar todos os carros a combustão nos próximos anos, deixando circular somente elétricos na região. Na Itaipu Binacional, já existe um serviço de compartilhamento também, chamado MoVE, que permite alugar os veículos por hora ou diária, além de carona no estilo Uber Juntos, por exemplo.

Para a Sero Electric, parece que esse aplicativo interessou bastante. Pablo Naya, CEO da empresa, disse: “É exatamente o que precisamos: um aplicativo de compartilhamento de carros. Esses veículos são ideais para esse tipo de projeto e o que vimos no Parque Industrial de Itaipu foi muito interessante”.

[Fonte: Autoblog]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Willie Cicci

    Precisa ser tão feio assim?

    • Rbs

      Parece ser o primeiro critério!

    • Marco Correa

      Pois é! Parece que se esforçam pra deixar feio! kkkk

  • Jad Bal Ja

    Acho que a época desse carrinhos de golfe elétricos já passou.

    •  iSheepOS

      afff se vc soubesse do que está para vir em SP

  • Jack 😎

    Se fosse possível ter um preço favorável para esses mini-carros elétricos, seria excelente.
    Estou falando do preço de uma moto Honda Biz, chegando até uns R$ 15 mil.
    Mas devem precificar na casa de um Kwid, e aí obviamente não vale a pena.

    • leomix leo

      A biz em minha cidade não passa de 10k e a PCX 13k, que biz caríssima essa de 15k,. Já é um absurdo custar 10 pilas, 15 o cara vai logo em um carrinho velho.k

  • Alemão

    Carrinho bom para passear dentre as fileiras do supermercado

  •  iSheepOS

    o designer disso curte Dolly, certeza

  • Josimar Genm Tavares

    Meu Deus, que carro feio, sai dae capeta

  • Josimar Genm Tavares

    Mas o que dói, é que eles pelo menos tem uma montadora nacional (e elétrica), e a gente tem o que Agrale? Troller ?

  • Henrique12

    Porque tão feio?

  • Valdek Waslan

    Olha… eu juro:
    NUNCA MAIS EU CRITICO O ÉTIOS! NUNCA MAIS!!!
    A Toyota está de parabéns… tá vendo como podia ser pior???

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email