BMW Ecologia Europa Governamental/Legal SUVs

Assim como Audi e JLR, BMW vai matar seu V8 diesel por média de CO2

Assim como Audi e JLR, BMW vai matar seu V8 diesel por média de CO2

As novas regras de emissão da União Europeia continuam a extinguir alguns motores considerados acima dos limites que a comissão de Bruxelas estabeleceu a partir de 2021. A maior extinção aí é a dos V8 diesel.


A Volkswagen foi a primeira a matar o V8 4.0 TDI, que equipava principalmente os carros da Audi. No entanto, outra montadora europeia também teve que abandonar seu V8 4.4 diesel, que nós já provamos aqui no Brasil.

Tal como a VW, a Jaguar Land Rover colocou um fim seu engenho de 339 cavalos, substituído por um seis em linha 3.0 da família Ingenium, contudo, este hibridizado, seguindo a mesma linha da Daimler.

Assim como Audi e JLR, BMW vai matar seu V8 diesel por média de CO2

Já a BMW, que tem seu B57S o suprassumo da engenharia automotiva relacionada com motor diesel, também se extinguirá, sendo confirmado seu fim pela montadora de Munique.

Com quatro turbos, o B57S é um V8 4.4 que gera 400 cavalos e 77,2 kgfm, equipamentos os SUVs X5 M50d e X7 M50d, o que os permite ir de 0 a 100 km/h em 5,2 segundos com máxima limitada em 250 km/h. Até uma edição final foi feita para esse fim…

Usado inicialmente no BMW 750d, o B57S não será o único motor grande que a marca alemã matará esse ano. O V12 6.0 que equipa o 760Li também sairá de cena definitivamente.

Assim como Audi e JLR, BMW vai matar seu V8 diesel por média de CO2

Tudo isso mostra como é o impacto das novas regras do Euro 6d ou Euro 7 para o próximo ano. E pensar que há 10 anos, coisas como o Audi Q7 V12 TDI Quattro, com seus 500 cavalos e 101,9 kgfm, eram totalmente possíveis.

A grande redução da média de 130 g/km para 95 g/km de CO2 está impactando a engenharia de muitas marcas. Alguns fabricantes já cancelaram o desenvolvimento de novos motores grandes.

Como alento, a hibridização ainda manterá alguns motores V8 a gasolina em funcionamento em boa parte da década que se inicia, mas a tendência de extinção é inevitável. Fazer apenas para o mercado americano não compensa financeiramente. Então, o caminho é um só…

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Rossbf

    O B57 é um motor 6 cilindros em linha com 3.0L. O número 5 no segundo algarismo da designação dos motores BMW, sempre representa motor de 6 cilindros.

    • Paulo Lustosa

      Exato, o V8 saiu de linha tem 11 anos

  • Paulo Lustosa

    O v8 4.4 dos LR não era pelo fato do motor ser Ford? Porque lembro que o 3.0 V6 é feito na fábrica da Ford na Inglaterra e o 4.4 V8 no México, assim como os motores AJ que a Jaguar e Land Rover também usam são da Ford.

  • Paulo Lustosa

    B57S é 3.0 6cil quad-turbo de 394hp, nunca vi BMW diesel V8, no máximo seis cilindros, o código do motor inclusive é B57D30S0.

    Errata: existiu um BMW V8 diesel, era o M67 4.4 biturbo de 335 cv e 76kgfm que saiu de linha em 2009 quando a Série 7 tinha trocado de geração.

  • Como alento, a hibridização ainda manterá alguns motores V8 a gasolina em funcionamento em boa parte da década que se inicia, mas a tendência de extinção é inevitável. Fazer apenas para o mercado americano não compensa financeiramente. Então, o caminho é um só: os carros 100% ELÉTRICOS para o mundo todo! Adorei esta parte!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email