Audi Europa Híbridos Sedãs

Audi A8 L 60 TFSI e-quattro é o topo de linha finalmente eletrificado

Audi A8 L 60 TFSI e-quattro é o topo de linha finalmente eletrificado

Em busca de reduzir sua média de emissão de CO2 para atender a legislação europeia de 2021, a Audi levou a hibridização até seu modelo topo de linha, o Audi A8 L 60 TFSI e-quattro.


A variante longa do sedã mais caro da marca alemã agora recebe um conjunto híbrido plug-in para cortar boa parte de sua emissão e assim ficar limpo para a próxima década.

Com 5,30 m de comprimento, o Audi A8 L 60 TFSI e-quattro chega ter consumo médio de 40 km/l com emissão mínima de 57 g/km de CO2. Tudo isso num carro que pesa em torno de duas toneladas.

Audi A8 L 60 TFSI e-quattro é o topo de linha finalmente eletrificado


O Audi A8 L 60 TFSI e-quattro tem autonomia de 46 km no modo elétrico, sendo equipado com baterias de lítio de 14,1 kWh de energia e tensão de 385V. Elas ficam abaixo do porta-malas.

Para move-lo, a Audi introduziu o motor V6 3.0 TFSI de 340 cavalos e 50,8 kgfm, que trabalha com um propulsor elétrico montado dentro da caixa de câmbio, que é automático de oito marchas, entregando mais 136 cavalos e 35,7 kgfm. No final, a força combinada é de 449 cavalos e 71,1 kgfm.

Audi A8 L 60 TFSI e-quattro é o topo de linha finalmente eletrificado

Tudo isso é suficiente para que o Audi A8 L 60 TFSI e-quattro vá de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos e com velocidade final limitada a 250 km/h. Na propulsão elétrica, o luxuoso sedã pode alcançar 135 km/h. Com tração nas quatro rodas, o topo de linha da marca pode recuperar 25 kW em desacelerações e até 80 kW em frenagens regenerativas.

Gerenciado pela multimídia MMI, o condutor pode usar o controle de cruzeiro adaptativo para obter o máximo de eficiência inclusive nas acelerações, sendo que o sistema rodará sempre de modo a obter maior rendimento. O Audi Select Drive tem os modos “conforto”, “eficiência”, “automático” e “dinâmico”, além do “EV”.

Audi A8 L 60 TFSI e-quattro é o topo de linha finalmente eletrificado

Na segurança, embora tenha todos os recursos possíveis, o Audi A8 L 60 TFSI e-quattro tem um sistema chamado AVAS, que gera um som audível até 20 km/h, através de um alto-falante na caixa de roda dianteira direita, de modo a alertar os pedestres. Conforme a velocidade aumenta, ele diminui de intensidade.

Audi A8 L 60 TFSI e-quattro é o topo de linha finalmente eletrificado
Nota média 5 de 1 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • tiago

    O consumo de um plugin hybrid é o quanto a montadora quiser que ele seja, rsss

  • FFSB

    É um baita de um carro, né? Mas visualmente é tão “meh”… Falta aquela presença exclusiva de um modelo topo de linha, que faz a gente virar o pescoço não de estranheza pelo tamanho do barco, mas pela beleza, pela imponência, pela exclusividade.

    • Luis Burro

      E isto q tah bem melhor ao anterior q foi a pior geracao da Audi pra mim em design!

    • Saraiva

      Infelizmente o público consumidor não quer o arrojo. Prefere a discrição. Apesar disso ainda eh muito classudo

    • th!nk.t4nk

      É carro de executivo e políticos fortes na Europa. Esses caras querem um carro bom e discreto, por isso o A8 vende bem.

  • Luis Burro

    Bem lembrada esta preocupação com o barulho no modo elétrico,teve até um estudo ou lei no Japão pra montadoras sonorizarem seus veículos elétricos por causa do aumento nos atropelamentos!

  • Josimar Genm Tavares

    Achei essa grande um tanto quanto novo HB20, mas passa. O S80 T8 me agrada mais, parece ser mais harmonioso, e barato também.

  • Apopololo

    Bem que a Audi poderia fazer uma versão RS8

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email