Audi Combustíveis Ecologia Europa Montadoras/Fábricas

Audi desenvolve diesel sintético a partir do dióxido de carbono

audi-e-diesel-1-1 Audi desenvolve diesel sintético a partir do dióxido de carbono

Após gás metano obtido por meio de CO2, agora a Audi aposta em mais um combustível sintético, o e-Diesel. A busca da marca alemã é por combustíveis sintéticos, que teriam impacto importante nas emissões de CO2 e retardariam muito a introdução de carros elétricos, aproveitando ainda a matriz energética em vigor e atendendo à frota de carros de motor a combustão que ainda estão sendo vendidos.



Desta vez, a Audi construiu uma usina de produção em Laufenburg, Suíça, feita em parceria com as empresas locais Ineratec e a Energiedienst. O empreendimento prevê a produção de 400 mil litros por ano de diesel sintético. Reiner Mangold, chefe de desenvolvimento de produtos sustentáveis da Audi diz: “No projeto de Laufenburg, graças às novas tecnologias, seremos capazes de produzir o e-Diesel com eficiência em unidades compactas, tornando-a mais econômica. O complexo piloto combina potência, calor e mobilidade, tornando possível armazenar energia renovável”.

Embora com baixa produção, o projeto da Audi objetiva alcançar quase o carbono neutro na produção e consumo do e-Diesel, que é obtido através de uma planta que consumo energia hidrelétrica. A eletricidade é usada no processo de eletrólise da água, a fim de obter hidrogênio para o processo químico, que ainda necessita de CO2, extraído da atmosfera ou de gases biogênicos.

audi-e-diesel-2-1 Audi desenvolve diesel sintético a partir do dióxido de carbono

O processo químico consiste na conversão de hidrogênio e gás carbônico em gás sintético, feito em um reator dentro de uma usina compacta e de baixo consumo de energia. Cadeias de hidrocarbonetos são criadas a partir desse processo, que acaba resultando em óleo combustível sintético e ceras, que são usadas na indústria química. O processo ainda produz gás para abastecimento doméstico.

O e-Diesel, segundo a Audi, é totalmente compatível com os motores usados atualmente e deverá abastecer exclusivamente a frota de carros da marca de luxo. A empresa já produz diesel sintético com a Sunfire (foto acima), em Dresden. No entanto, o processo é diferente.

Nesse caso, a Sunfire utiliza a energia eólica para fornecer eletricidade para o processo de eletrólise da água, que resulta em oxigênio e hidrogênio. Este último é enviado para um reator, que também é alimentado com CO2 proveniente de filtros da Climeworks, que captam o gás da atmosfera.

Em um processo de dois estágios, hidrogênio e CO2 são convertidos em um produto químico chamado Blue Crude. O processo resulta apenas em água. O produto criado pode ser refinado para se obter o diesel sintético ou pode ser convertido em subprodutos para diversas aplicações.

A Audi ainda produz gás (metano) sintetizado em Wertle, norte da Alemanha, que abastece as versões g-tron de A3, A4 e A5. Em Ingolstad, a montadora pesquisa a produção de gasolina sintética com empresas terceirizadas.

[Fonte: Motor24]

  • Elfo Safadão.

    E-diesel…
    É mesmo?

    • Deadlock

      Isso está me parecendo ser uma vitrola moderna…

    • Eraldo Simões

      Esta tecnologia remonta à 2ª Guerra Mundial
      Hitler esta ficando sem petróleo para mover sua máquina de guerra e ordenou o desenvolvimento de novas fontes de combustível.
      Os técnicos alemães desenvolveram vários tipos de combustíveis sintéticos.
      A Audi deve ter resgatado algum dos procedimentos de síntese e está aperfeiçoando o processo

      • Uau!

        …veja mais em history channel, aqui no Net Virtua.

  • Louis

    Pode ser uma alternativa temporária, para período de transição, mas o futuro é dos 100% elétricos mesmo.

    • CarlooW

      Futuro 100% elétrico é utopia.
      Queimar carvão, derivados, ou outra fonte de combustível para gerar energia elétrica está longe de ser o futuro inteligente e sustentável.
      Motor elétrico está na mesma faixa tecnológica de um motor a combustão.
      Somente outras tecnologias que não dependam da queima de combustível de qualquer natureza será o futuro promissor que tanto vislumbramos.

      • Louis

        Placas foto-voltaicas e eólica.

        • CarlooW

          Está olhando apenas no minúsculo contexto brasileiro, amigo.
          Se depender do governo associado à negligência e falta de consciência do brasileiro seremos os últimos a abraçar matrizes energéticas limpas.
          O fato é que muitos países dependem da matriz energética baseada na queima de combustíveis para gerar energia elétrica, e não há muito o que explorar na pífia demanda das placas foto-voltaicas ou eólicas.
          Futuro 100% elétrico é utopia, camarada.

          • Louis

            Você entendeu errado meu ponto de vista. Eu não disse que o futuro seria 100% elétrico, mas sim dos carros 100% elétricos (ou seja, quem vai dominar serão os veículos movidos exclusivamente por eletricidade, os híbridos tendem a desaparecer).
            Sei que a substituição da frota será lenta, mas a tecnologia de veículos elétricos vai evoluir muito ainda.

            • CarlooW

              Volto a descrever. Futuro com carros 100% elétrico é utopia.
              Motor elétrico está no mesmo patamar tecnológico de um motor a combustão. Se não poluem em funcionamento, poluem na sua construção e destinação, quando obsoletos. Ainda não foi criado um sistema de reciclagem de baterias que não utilize a matriz energética da queima de combustível. São milhares de toneladas de CO2 para reciclar uma simples bateria de 50 kwh.
              Outras tecnologias surgirão em breve e deverá dividir adequadamente a fatia de mobilidade no futuro a longo prazo.
              Alguns países, como o Japão, apostam no hidrogênio, embora a melhoria das tecnologias híbridas se mostram bastantes adequadas a médio e logo prazo.
              Há quem aposte em outras fontes termo-elétrica, como o retorno de usinas nucleares baseados em outros princípios, mas ainda segue bastante questionável e ainda mais incerto.
              O fato é que o futuro a longo prazo ainda será predominantemente baseado na queima de combustível de qualquer natureza.
              Nisso não há o que argumentar.

              • Nicolas_RS

                Daqui a pouco alguém vai escrever “Quando os carros elétricos dominarem o mercado, acharemos uma solução para o problema da bateria”.

              • Deadlock

                Hidrogênio também é elétrico, usinas nucleares também geram energia elétrica. No Brasil vão insistir no etanol e nos derivados do petróleo.

        • Ricardo

          Se as placas forem 100% recicláveis e o problema das eólicas são as grandes áreas que devem ser ocupadas. Difícil uma alternativa 100% não poluente!

          • Louis

            100% não poluente não existe mesmo. O que eu queria dizer é que os carros elétricos dominarão, e as fontes renováveis estão se popularizando agora.

            • Ricardo

              Impossível só fontes renováveis de energia darem conta de todos os carros elétricos no mundo!

      • AlemãoMoreira

        Concordo 100% amigo, no caso da matriz energética brasileira então nem se fala. Apesar da parte “verde” por usar hidroelétricas hoje não tem estrutura para carregar tantos carros elétricos no futuro, e até o momento nada foi feito para mudar isso. Europa e cia também ainda dependem de termoelétricas para gerar energia, então por enquanto carro elétrico é bonito só no discurso.

        • Nicolas_RS

          Uma coisa que não vejo é as pessoas falar da onde que vem o material da bateria, é extremamente prejudicial ao meio ambiente. alem de usar mão de obra escrava.

          • FrankTesl

            ainda utilizando falácias, usar um exemplo isolado para generalizar?
            Se for usar do mesmo expediente de generalizações, é possível dizer que todo usineiro usa mão de obra irregular, promove queimadas e infesta o ar das cidades do interior com fuligem de cana queimada, e que toda empresa de petróleo é comparsa do terrorismo internacional, que todo refinador e distribuidor de combustíveis é adulterador e sonegador como aquela empresa do RJ mancomunada com o governador preso do RJ

            • Nicolas_RS

              Voce é problemático, falar um coisa, não nega outra, em sites que falam da Apple eu falo que ela usa mão de obra escrava ! Muita gente apoia os carros elétricos por acharem que não polui, quando na verdade polui e MUITO !

      • FrankTesl

        busque a luz, pesquise microgeração distribuída.

        • CarlooW

          Micro-geração contorna o problema mas não resolve.
          O buraco é bem mais embaixo.

          • FrankTesl

            belo contorno. Só pago tarifa mínima e em menos de 9 meses de uso já tenho créditos excedentes acumulados para abastecer um carro elétrico por um ano inteiro sem pagar um centavo a mais na conta de eletricidade… Isso porque o meu kit instalado é relativamente pequeno, de 8 placas. Imagine se fosse como uma daquelas casas da Alemanha, Espanha etc onde as pessoas literalmente forram o telhado com placas. Numa mera hipótese, se todas as casas do meu bairro tivessem um kit com umas 20 placas (esse pessoal tem telhado e recursos para isso), geraria energia suficiente para metade da cidade onde moro. A própria rede elétrica seria melhor utilizada… e várias outras vantagens.

      • Nicolas_RS

        O pior é essa gente falando de fonte renováveis que só existe em testes ou na imaginação, colocar na pratica é outros 500.

        • Louis

          Você nunca viu uma geradora de energia eólica? Será que o que eu vi era miragem?

          • Nicolas_RS

            Energia Eólica afeta a migração das aves, depende da natureza logo não funciona 24h, precisa de grandes espaços, e pode cair com ventos forte como aconteceu no RS que deixou mais de 300 mil imoveis sem luz.

            • FrankTesl

              imaginem então vazamentos de petróleo… aves forradas de óleo cru…

              • Nicolas_RS

                Você mesmo entregou o jogo, quando acontece isso é pq deu algum problema, já na energia eólica… mesmo que não aconteça nenhum acidente já afeta o meio ambiente.

          • FrankTesl

            Os luditas agora deram para ser dons Quixote e lutar contra moinhos de vento…

      • Helio Natori

        O carro elétrico é melhor que o carro a gasolina, tem menos manutenção e muitas outras qualidades, agora de onde vai vir a eletricidade para carregar os carros, pode ter a certeza que a engenhosidade do homem vão encontrar uma solução, talvez num primeiro momento paliativa, e progredindo com o tempo, sempre foi assim com as novas tecnologias, e não é agora que vai ser diferente.

  • th!nk.t4nk

    Faz tempinho que a Audi trabalha em cima disso, mas já é tarde no setor automotivo. Se fosse há uns 15 anos atrás ainda teria chances. O problema é que mesmo sendo carbono-neutro, em carros ele ainda vai concentrar emissoes no centro das grandes cidades. O que podem fazer, é destinar esse óleo pra aquecimento residencial (grande parte das casas na Europa têm aquecedores a diesel, vai aprox. 1000 litros/ano por residência).

    • Louis

      “1000 litros/ano por residência” caramba, é muito diesel!!!
      Agora fiquei curioso, não sabia que havia aquecedor a diesel… Como funciona, gerador de energia elétrica a diesel, ou é queima do óleo mesmo ??
      Na patagônia, perguntei para um morador, ele disse que era tudo gás, e que era subsidiado pelo governo.

      • Cássio

        Será que não é como os aquecedores a óleo comuns? Eu tenho um aquecedor a óleo. Vc liga na tomada, a resistência aquece o óleo, que fica circulando pelo aquecedor, que aquece o ambiente.

        • Louis

          Se for, nesse caso não há queima de óleo, o óleo apenas troca calor (sem considerar a geração da energia, claro).

          • th!nk.t4nk

            Nos países de primeiro mundo queimam óleo mesmo. Sao tanques enormes no subsolo, com um queimador/boiler. Claro que hoje em dia queima-se mais gás, porém o diesel ainda tem grande participaçao. Há inclusive queimadores bem modernos, de baixa emissao de poluentes. Por ser mais comum nas pequenas cidades e zonas rurais, nao chega a representar um grande problema. Podem ir pra Suíça, Alemanha, Noruega, etc. Em todos esses países queima-se óleo pra aquecer as casas no interiorzão (além de lenha muitas vezes).

        • th!nk.t4nk

          Hehe nao, o óleo como fluido de aquecimento é pra tubos irradiadores. Falo do combustível pra alimentar o sistema mesmo. Há locais aqui na Europa que usam até energia elétrica pra isso (um grande desperdício), mas tem absolutamente de tudo (até uso de energia geotermal nas casas de altíssimo padrao, com tubos espetados por 100-200 metros abaixo do solo!). E o diesel ainda é super comum, inclusive o sistema é bem vendido ainda.

  • Ricardo

    Tudo que parece bom demais para ser verdade sempre tem um porém!

  • FrankTesl

    A ex geranta foi vingada, acharam a forma de estocar a ENERGIA do vento, e não o vento em si.

    mesmo assim, é muito intensivo no consumo de eletricidade, embora pareça interessante como um meio de aproveitamento dos excedentes não consumidos de eletricidade produzida por fontes intermitentes como a eólica. Ao invés de acumular em baterias, usam para produzir combustíveis extraindo hidrogênio da água e o dióxido de carbono do ar para sintetizando um hidrocarboneto.

    • D136O

      Também acho interessante pelo fato de acumular energia em fluido bastante versátil e remover co2. Melhor ainda se pudessem produzir algum combustível usado em células combustíveis, que não o problemático H2. Ainda acho que a proposta da nanoflowcell com o QUANTiNO é a melhor alternativa, mas parece bom de mais pro ser verdade.

  • Leonel

    Interessante. No fundo, a maior preocupação é em como evitar perdas milionárias (quiçá bilionárias) e maximizar a lucratividade. Nada contra, inclusive, considero até interessante. Só fica complicado acreditarmos em algo deste naipe depois de um escândalo mundial como o dieselgate. Será que de fato foi resolvido em sua totalidade?

    No mais, eu vejo que investir em outras fontes, como hidrogênio e eletricidade são ótimos caminhos. Um, tem que resolver a questrão do transporte, devido ao custo e periculosidade do produto. O outro, as fontes/modelos que serão adotados para extrair a eletricidade. Porque depender somente de carvão e ou hidreletrica,

    Veremos o que o futuro nos reserva, só espero que façamos nossa parte para presever, de fato, o meio ambiente, caso contrário, podemos angariar uma “dívida” impossível de ser paga.

  • Diego

    Um dos melhores combustíveis renováveis é o Etanol, ainda mais agora com a possibilidade de utilizar o bagaço da cana de açúcar entre outras fontes, o impacto gerado é menor quando comparado na totalidade do processo com os carros elétricos ( produção das baterias, utilização, descarte – produção da energia ( nuclear, térmica a base carvão, diesel… )

    Brasil é nº 1 nesta tecnologia, apesar dos pesares o carro flex é um avanço em termos sustentáveis, combinado com novas tecnologias como motores Três cilindros que a cada dia ficam mais econômicos vai felizmente perdurar por anos, falta interesse econômico para difundir o Etanol

    • FrankTesl

      etanol só tem preço competitivo em três ou quatro dos 26 Estados brasileiros.
      Isso porque os canaviais já infestaram as melhores terras agricultáveis do interior de SP. Nem se o Brasil inteiro fosse um imenso canavial daria para abastecer todos os motores à combustão com etanol.

      Células de etanol para gerar eletricidade para motores elétricos é outra história.
      Mas os usineiros e seus lobistas preferem sabotar inovações na eletrificação ao invés de investir junto com montadoras e universidades para desenvolver soluções popularizar carros com célula de etanol .

      A única empresa que faz isso é a Nissan, isso porque é do Japão, país com zero lavoura de cana – Os usineiros da UNICA – BR deveriam ser os primeiros a entrar junto nessa e investir pesado em inovações nessa área, para dar novas utilidades ao seu produto.

      O velho exemplo do “não foram as fábricas de vela que inventaram a lâmpada elétrica”

  • Celso

    Interessante que esse Blue Crude é um petróleo sem nenhum enxofre, um grande poluente, e seus derivados obviamente também são livres de enxofre.
    Não tenho certeza, mas pelas informações que recebi a energia solar, em futuro breve, tende a ser mais barata que a hidrelétrica, o que viabiliza a eletrólise da água para produzir hidrogênio. Se a solar se tornar tão barata assim, não faz mais sentido investir em hidrelétricas.

  • Osdrubal Pafuncio

    E o preço por litro? deixa advinhar apenas R$ 9.999,99

  • Eraldo Simões

    Esta tecnologia remonta à 2ª Guerra Mundial
    Hitler esta ficando sem petróleo para mover sua máquina de guerra e ordenou o desenvolvimento de novas fontes de combustível.
    Os técnicos alemães desenvolveram vários tipos de combustíveis sintéticos.
    A Audi deve ter resgatado algum dos procedimentos de síntese e está aperfeiçoando o processo

  • Vitor Santos

    O que me encanta da Audi, é a sua busca constante por melhorias não só nos automóveis, mas como em combustíveis também! Muito diferentes de outras marcas premium que só visam na estética e motorização bruta. Aparentemente é uma empresa consciente

  • Luis Burro

    Claro q iria evitar muito mais poluição.Só de estarmos vivos já poluimos,então nao tem esta história de produzir sem poluir!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend