Tecnologia

Aumentar a potência mantendo a economia

gerenciador-de-fluxo-GF-30 Aumentar a potência mantendo a economia

É exatamente isso, reduzir o consumo e não perder potência nos motores GNV. Mas, como conseguir isso? Bom, o Brasil possui cerca de 1,6 milhões de automóveis movidos a GNV, sendo dono assim, da quarta maior frota. Assim uma empresa especialista em peças para GNV, a GreenCo, apresentou uma proposta para ampliar o desempenho do gás, porém, sem exagerar no custo.



O engenheiro Roberto Antunes, sócio da GreenCo, desenvolveu o gerenciador de fluxo GF-30, com tecnologia 100% brasileira, e pode chegar ao consumidor a cerca de R$ 250. Com o gerenciador o usuário pode economizar até 30% pois possui um sistema de fluxo de gás variável, aumentando ao acelerar, e reduzindo o fluxo em momentos de espera onde há uma rotação menor do motor, e a necessidade de GNV é bem menor.

Atualmente o fluxo de GNV dirigido ao motor é definido previamente logo na instalação do kit no veículo e é constante, prejudicando assim a potência por beneficiar a economia. Pensando nisso o engenheiro projetou uma solução que permite a própria aceleração e desaceleração determinarem a quantidade de GNV que irá para o motor, sem interferir, no entanto, na elétrica do veículo.

Abaixo estão listados alguns benefícios:

· Melhora o desempenho do motor

· Possui uma instalação simples e rápida

· Economiza em até 30% o consumo

· Não interfere na central eletrônica do veículo

· Reduz a emissão de gases poluentes

· Reduz a ida ao posto

· Reduz back-fire

· Tecnologia nacional

· Produto 100% reciclável

Isso acaba por ser um excelente progresso, já que estamos com um valor tão alto para a gasolina e o consumo com GNV é menor e sem falarmos do valor que também é bem menor, cerca de 50%. Possibilitando ao veículo uma economia de 65% por quilometro rodado.

Essa peça proporciona um ganho que é muito maior do que a economia, sim, falamos da queima completa que existe no gás, fazendo com que uma quantia menor de poluentes seja lançada na atmosfera.

Observe alguns números que informam a eficácia do GNV:

· 76% menos de monóxido de carbono (CO)

· 84% menos de oxido de nitrogênio (NOx)

· 88% menos de hidrocarbonetos pesados (CnHm)

· E praticamente nula a emissão de Benzeno e Formaldeídos cancerígenos.

Por Rodolfo Ribeiro Raimundo, Fontes Motor Dream e GreenCo Peças

  • 000000000000000

    Se cumprir o que promete é um ótimo produto, mas o GNV tem um outro desafio, aumentar a quantidade de postos de reabastecimento. No interior do Brasil é quase impossível achar um.

    • EuMeSmObYmYsElF

      seria preciso um investimento pesado em gasodutos… maas, não interessa ao governo o aumento do uso do GNV, já que compramos grande parte do que utilizamos de outros países do mercosul…

  • macumba_online

    Funciona? Na prática? existem dados?

    • betowmf

      Bom, se funcionar será uma ótima tecnologia para os carros a GNV, porém, acho que deviam investir tmb em carros elétricos e hybridos, coisa que o Brasil não faz ;/

      • Victor Motter

        principalmente os eletricos .!

  • É provável que em duas semanas apareça similares fajutos a venda na internet, sempre acontece…

  • rlpiantino

    o GNV não tem futuro… os investimentos nele não valem a pena pois os híbridos já são uma realidade e com investimento nos híbridos, rapidamente teremos veículos de baixo custo com essa tecnologia…

    • ericsp

      enqto os yankes já estão no hidrogênio, estamos desenvolvendo "tecnologia" p melhorar o desempenho dos carros movidos a GNV… ohhhhh!

      • itanium3

        Tb axo mais prático jogar fora 1.6 milhões de veículos logo.
        /s

        • ericsp

          a questão não é essa! abra a mente e entenderá o que eu disse!

          • Lucas206

            Cara, hidrogênio é uma tecnologia que já nasceu morta. Quando começaram as pesquisas já sabiam que era inviável, foi só para dar sobrevida ao petróleo e adiar os elétricos.
            O GNV é uma boa tecnologia comprovada em todo o mundo. Só faltava algum investimento sério.
            Ta na hora de desenvolver motores pensando no GNV. Fica a dica.

            • ericsp

              ahã..
              da mesma forma que bill gates em 1981 disse que 640K são mais que o suficiente p qq um…

              • akrobatos

                Vc tem um carro com GNV? Eu tenho e entendo um pouquinho da tecnologia. Desculpe a pergunta, mas suas afirmações são disparatadas. A tecnologia do carro híbrido ainda é uma pesquisa cara e na mão de poucos, a do GNV já está consolidada. Sua utilização nos próprios EUA é larguíssima. Assim como na Argentina e na Venezuela.
                Sua utilização no Brasil só não é maior por causa dos interesses econômicos da Petrobrás, que não está interessada em investir na capilarização necessária para o uso automotivo. Seu interesse maior é que o combustível seja utilizado na co-geração de energia elétrica, porque aí o cliente interessado é que paga pela infraestrutura. Enquanto isso a empresa segue desperdiçando o gás que não usa na reinjeção dos poços.

                • ericsp

                  ah sim… agora está explicado: vc tem um carro movido a GNV… hehehehe

                  • akrobatos

                    Eu tenho, mas nem por isso sou ferrenho defensor. Meu carro tem um kit de 3º geração. O que eu acho uma M. Gostaria de botar um kit de quinta geração, mas antes preciso substituir a carburação por injeção eletrônica, mas esse é um investimento que ainda não posso fazer.
                    Eu pensei em tirar o meu kit GNV de tanta raiva, mas depois que fiz uma viagem do Rio para Porto seguro e só gastei R$ 150, quando tinha gasto R$ 400 no ano anterior, me convenci de sua utilidade. Daí decidi investir num kit melhor. O aumento recente do etanol e da gasolina também me mostraram como vale à pena ter uma terceira opção. Na época em que pensei em tirar, o preço ainda era menor, mas já não valia à pena fazer instalações novas. Agora o quadro voltou ao inicial.
                    Mas mesmo um kit de terceira geração talvez não fosse tão ruim se minha instalação fosse completa. O problema do GNV não está no combustível, mas nas adaptações "baratinhas" que são oferecidas no mercado. Leigo, como a maioria dos compradores, não exigi a instalação completa e correta. Depois, insatisfeitos com os resultados, esses compradores fazem a má fama do combustível. Eu apenas segui numa direção diferente e procurei saber mais a respeito e descobrir porque o sistema não funcionava bem, ao invés de condená-lo imediatamente.
                    É por isso que eu aliei o fato de ter um carro GNV ao fato de saber mais sobre GNV. O que quis dizer é que sei mais porque vivenciei a tecnologia e fui estudar sobre ela.
                    Uma instalação bem feita pode fazer o carro funcionar até melhor do que se utilizasse gasolina., porque a perda de potência, num kit de 5ª geração só ocorre acima de 6 mil rpm.

                    Defendo ainda porque sei que é uma tecnologia consolidada e uma matriz que o Brasil tem disponível. Carro híbrido é muito lindo, mas onde vamos arranjar hidrogênio ou metais para as pilhas de combustível? Carro elétrico é legal, mas nós vivemos tendo apagão, pois temos potencial hidrelétrico mas não temos capacidade instalada e ela não surge da noite para o dia (Belo Monte, por ex., não consegue sair do papel. Precisamos de uma tecnologia que não nos deixe dependentes de fontes externas. Temos GNV sobrando, tanto que a Petrobras o descarta. E com o Pré-sal, a disponibilidade ainda vai aumentar.
                    E para que vamos gastar dinheiro para mudar de matriz enérgética se agora temos derivados de petróleo sobrando, além do etanol, e do potencial do diesel de cana?
                    Exportar GNV é difícil, mas exportar petróleo é fácil. Se nossa frota for composta de automóveis movidos a GNV e de utilitários, caminhões e ônibus movidos a diesel de cana, o Brasil pode exportar o petróleo e derivados e ganhar muito dinheiro.

                    E minha preocupação não é ambiental, é econômica e de estado. Ecologia é muito bonito, mas eu quero ver você dizer para China não queimar carvão para gerar eletricidade quando eles não tem outra coisa. Equivale a dizer: "fique atrasado vivendo entre as árvores pelo bem da humanidade, enquanto eu passeio de Hummer e BMW".

                    Ma há raras ocasiões em que é possível ser desenvolvido e ecológico ao mesmo tempo, e ainda ganhar dinheiro. O GNV tem este potencial no Brasil.

            • pfcmacedo

              Hidrogenio esta demorando a sair pois é instavel, um das maiores dificuldades é que o mesmo entra em combustão na presença de oxigenio fazendo seus tanques perigosos, é um elemento abundante e barato. O GNV é muito mais limitado… esse sim é tecnologia temporaria, até as fabricas sabem e por isso não desenvolvem carros a GNV

              • akrobatos

                O GNV é uma fonte tão perto do esgotamento quanto a gasolina. Pois é encontrado toda vez que se abre um poço de petróleo. Pela sua lógica, as fábricas estariam abandonando o carro a gasolina também.
                As fabricas brasileiras estão abandonando o GNV porque não existe uma política governamental clara para esta matriz energética. Os EUA e a Europa continuam lançando veículos de série movidos a GNC (sigla internacional que deveríamos adotar) e também a LPG (nosso GLP). Apenas que esses veículos encontram maior utilização no segmento comercial. O consumidor de carros de passeio não se interessa por eles porque, pelo menos nos EUA, a gasolina é muito barata, e na Europa, os governos incentivam o uso de diesel, combustível que eles têm sobrando. Faça uma pesquisa na internet que você vai descobrir isso fácil.

                • pfcmacedo

                  Quanto a forma que o GNV é encontrado eu sei, eu disse que o GNV é limitado quando comparado com o Hidrogenio (que foi dito acima como tecnologia morta), porem hoje as fabricas estão procurado opções fora do petroleo e subprodutos por isso não ha (ou ha pouco) investimento em carros a GNV, se tivessemos de investir do zero para fazer motores a gasolina hoje ele ficaria tão abandonado quanto ao GNV. EUA e europa já tem uma infraestrutura de GNV pronta pois utilizam em aquecimento, industria e até autos a muito tempo. No Brasil só temos isso em grandes cidades(e nem todas) por isso considero o GNV limitado pois as reservas são limitadas.

                  Não falei que não ha GNV nem mesmo que é pouco só fiz um comparativo entre o mesmo e o hidrogenio

          • itanium3

            Então… não se pode jogar fora uma base instalada tão grande. não é pq não temos a última tecnologia que devemos ignorar melhorias para ela.

            Sabe os Symbians da Nokia ? Eles não tem futuro pq a Nokia vai mudar tudo pra Windows Phone. A Nokia vai jogar fora suporte a 200 milhões de aparelhos só pq o futuro não tem Symbian? D'uh!

            Perceba que é um nicho de mercado no qual há falhas que precisam ser reparadas. Terminando em 4 anos ou 40, elas existem e precisam ser reparadas.

            Ótima tacada!

    • acedaniel

      Para os ecologistas de plantão… as reservas de petróleo só estão aumentando, logo as camadas de pré-sal serão exploradas, e teremos um ''apagão" permanente de metais nobres, alguns não tem perspectiva de mais 25 anos.
      Portanto o máximo que teremos é uma tecnologia híbrida com motores a combustão interna gerando eletricidade para os elétricos, e em termos de eficiência para carros é muito melhor voce craquear o petróleo e usar o gás resultante.

  • Leandro1978

    Não conheço o produto e nem tal empresa, mas isso tem cara daqueles produtos "mágicos" que prometem um monte de coisas e no fim são inúteis. Lembrei daquele produto que passa uma corrente no carro que promete diminuir a ferrugem, mas no fim aumenta. Também lembrei de um produto que "limparia" e "retificaria" o motor só de colocá-lo na gasolina. Isso nos anos 1980. Inclusive a revista Quatro Rodas testou este produto na época e ficou claro que tal milagre não era possível. Desta forma, este tipo de milagre eu só acredito se fizerem testes que comprovem tal eficácia. Até que tal fato ocorra, não gastaria um centavo neste tipo de produto.

    • Anderson_mg

      o funcionamento é simples de tao simples ninguem pensou nele antes nao tem magica so fisica o que é exigido é consumido o que nao é exigido continua armazenado

    • akrobatos

      Também tenho essa impressão.

  • Anderson_mg

    temos muitos bons pensantes no brasil e com capacidade de fazer tecnologias que ultrapassem as consagradas do prieiro mundo o problema é qua santo de casa nao faz milagres veja bem santos dumont

    • akrobatos

      Amigo, Santos Dumont não serve como exemplo para a expressão "Santo de casa não faz milagre". Ele teve e continua tendo muito reconhecimento dentro do pais. Se tornou amigo pessoal da família Imperial, ganhou monumentos e foi escolhido patrono da Força Aérea Brasileira.
      Ele não ter ganho dinheiro com o avião é outra questão que não tem nada a ver com seu reconhecimento. Santos Dumont se recusou a patentear o avião por princípio ético. Ele o considerava fruto da criação coletiva, já que usou alguns aspectos de inventos mal-sucedidos de seus colegas, aperfeiçoando-os e criando o que faltava.. Podemos até dizer que Santos Dumont foi o precursor do conceito que hoje é usado no open software.

  • Romulo_Max

    Como leigo q sou no assunto, a ideia me parece boa. Agora resta saber se cumpre o q promete.

  • DCald

    Normalmente só listam as "vantagens"… mas a lista de desvantagens do GNV é grande!

    • fuzila

      Sim ! São "várias" as desvantagens (rs) … tem que trocar velas e cabos de vela a cada 6 meses …

      Acho que não compensou os mais de R$ 5000,00 em combustível que economizamos aqui em casa nos últimos cinco anos …

      Sem mencionar o fato que não precisamos ir ao mecânico NENHUMA vez em 300.000 km acumulados em três carros (desde um 1.0 8v a um 2.2 16v) …

      Argumente com fatos …

      • X11auto

        Com a regulagem do gás por rste aparelho, os cabos e velas, assim como o cabeçote passam a ter um funcionamento equivalente ao combustível original, logo as trocas de peças passarão a ser normal, reduzindo o gasto, nessa história também entra a embreagem que muita vezes é mais exigida pelo motor mais fraco, logo embreagem também durará mais, então este aparelho é um verdadeiro remédio para os carros a gás, parabéns para seus inventores!

      • DCald

        Adaptação de GNV é uma gambiarra, cheia de coisas para enganar os modulos do carro e tal…
        Carros com GNV geralmente tem problemas de superaquecimento, que diminuem a vida util do motor juntamente com problemas de menor lubrificação do motor…
        Além disso, vc perde espaço no porta-malas, aumenta o desgaste de varios componentes da suspensão e freios por conta do maior peso, furos na lataria podem ser fonte de pontos de oxidação…
        Seu carro é desvalorizado na revenda…

        Agora, economizou 5mil reais em 5 anos em 3 carros… se vc pagou 1500 no kit, já é prejuizo pois os 4500 aplicados em 5 anos renderiam muito mais que 500 reais…
        Kits decentes custam muito mais caro pra instalar de 3 a 5mil reais…

        Sem contar a perda de potencia e autonomia… vistorias mais frequentes etc…

        Pq vc acha que a GM parou de vender o Astra Multipower? Pq ela tinha que dar garantia de um sistema que com certeza desgastava mais o veiculo.

        • X11auto

          Eu acho que hoje não vale a pena colocar gás, pelo custo benefício, mas digo que parte dos problemas citados por mim de fato deixarão de existir ou serão muito minimizados por conta deste regulador, melhorando este custo benefício, para aqueles que insistem em usar o sistema!

        • Gui_Nunes

          Tenho GNV 5 geração e elimina todos os seus argumentos, tive um gol 1.0 e rodei exatamente 160 mil km nele sem ir ao mecânico alguma vez, a suspensão é prõpria para GNV. Nada é feito de gambiarram as css aqui da cidade mantem a garantia do carro colocado GNV.

          • DCald

            Continua os problemas de lubrificação e trabalho em temperatura acima do ideal…

            O GNV é sim uma gambiarra… pode ter algumas mais caprichadas e tal… mas continua sendo gambiarra…

            O menos gambiarra que temos no Brasil é o Siena TetraFuel que é integrado com o sistema de injeção do veiculo…

            • Eduardo Costa

              GNV é uma gambiarra sim, mas como toda gambiarra se for bem instalado e regulado funciona bem. O problema de superaquecimento é causado por uma regulagem excessivamente pobre, fechando ao máximo a torneirinha do misturador, afim de obter o mais baixo consumo. O problema de ressecamento só acontece mesmo nos bicos injetores. Aí é só ligar o carro de manhã na gasolina, os kits mais novos já fazem isso. Quando for vender o carro é só tirar o kit e mandar fechar os buracos e pintar o assoalho da mala, ninguém vai nem saber que o carro teve kit. Agora uma coisa é certa, não pago mais do que 700,00 num kit desses. Tem milhares pra vender usados no jornal. É só ter nota fiscal.

        • fuzila

          Os R$ 5000,00 são lucro … já foram descontados os valores dos kits amigo …

          • DCald

            Já considerando a desvalorização dos carros? então vc roda muito! (taxista?)

            Para quem usa o carro na media (13mil km anuais) ou até um pouco mais que isso não vale a pena…

            Lembro que em 2008 eu fiz os calculos e só valia a pena para acima de 40mil km anuais… hoje teria que refazer as contas pois mudou preço de alcool, gnv, gasolina, custo de instalação, etc…

            • fuzila

              Dcald,

              Vou dar um exemplo. O meu Vectra 2.2 16v faz em média 12 km/m3 de GNV e 8 km/l de gasolina na cidade (trânsito diário).

              Considerando os valores atuais no Rio. Eu gasto atualmente R$ 0,12 por Km com GNV e R$ 0,39 por Km na gasolina. Diferença de R$ 0,27 por Km ….

              Considerando essa diferença eu economizo cerca de R$ 2.700,00 a cada 10.000 Km !

              R$ 2.700,00 a cada 10.000 Km !

              Como só existem vantagens somente com mais de R$ 40.000 km anuais?

              • DCald

                em 2008 eu fiz os calculos e o preço era bem diferente… hoje com o preço abusivo da gasolina (vc tá considerando a situação mais critica para a gasolina a 3,12 e gnv a 1,44)…

                Mas o calculo do km rodado não pode ser tão superficial assim, na epoca eu inclui manutenção prevista… (nem contei com a manutenção surpresa) e fator de segurança… alem do que tem que calcular a oscilação do preço do combustivel durante o ano e a tendencia (queda ou aumento) dos preços…

                depois disso (na epoca eu rodava 30mil km/ano) ainda considerei que iria precisar comprar um sedan (ao inves de um hatch) ou seja, mais dinheiro tirando vantagem do GNV, e tambem iria perder a garantia do carro…

                a conta era com GNV vs Etanol

                Vc fez a conta do GNV vs Gasolina cara… dai, teoricamente vc economiza 2700 a cada 10k km… mas, se o preço da gasolina volta ao normal (2,49) cai para teoricos 1900/ 10000km…
                Agora, compare com um vectra flex que faz 6km/l na cidade (c/AC) e Etanol no preço medio anual decente de 1.39 (o que custava antes do aumento) cai pra 1100/ 10000km…

                Isso considerando um sedan médio "beberrão"… considerando veiculos mais economicos, a conta demora mais pra fechar…

                GNV não é que nem um carro flex que vc pega uma calculadora ve os preços no posto e escolhe entre um e outro… GNV vc altera muita coisa no carro! perde porta-malas… e tem um investimento inicial alto…

                Se até na EUROPA a instalação de Gás é criticada (lá eles preferem os carros a gás de fabrica)… imagina aqui no Brasil com todo o "profissionalismo" das instalações e manutenções…

                • exmarujo

                  Na Europa a instalação de Gás é criticada??? Quem é que lhe disse isso? O problema do gás na Europa é só um e de fácil resolução, os bocais de abastecimento são diferentes entre os países, existem 3 bocais diferentes no total, o que nós fazemos por aqui é comprar os adaptadores e temos o problema resolvido, pode andar pela Europa inteira sem problema, em alguns países é proibido estacionar em parques subterrâneos, mas também não se pode ter tudo não é?

                  • DCald

                    Sim, na europa carro convertido é bastante criticado, e não foi "alguem-que-disse-que-ouviu" que me falou… ouvi com meus proprios ouvidos…
                    O carro a gás de fabrica é bem aceito… o convertido vai direto pra reciclagem… todo mundo sabe que é zica…

                • akrobatos

                  Se a adaptação de GNV é crítica na Europa e eles só aceitam o carro com o combustível de série, por que os kits de adaptação vendidos no Brasil são em sua maioria italianos?

                  • DCald

                    Pq não vendem na italia e despacham para os brasileiros!

  • wesleyfuzatto

    Interessante, mas ainda tenho medo de colocar um tanque de gás dentro do porta malas, ou de alguma conexão dos cabos dar vazamento.. além do mais, aqui em SP os postos de gnv sumiram! :( é difícil achar um no momento! alguem sabe por que sumiram? E tem alguma 'história\dica\curiosidade' sobre o uso de GNV? queria utilizar, mas.. o medo não deixa!

    • cristian_sp

      Já tive em uma strada CE (motor 1.8 das 2006 adv) ….rodei 90mil sem problemas….um cilindro grande na caçamba (se não me engano eram 25m3)….fazia 12km/m na cidade com ar ….e eu particularmente economizei bastante com combustivel na epoca …pois ia e voltava de sp-capital a resende/rj toda semana e praia na baleia nos fds…..

      não tenho do que reclamar, e com esse aparelhinho me parece que vai tirar o único ponto ruim que realmente o carro fica manco, mas óbvio vc só anda nele e com GNV se acosutma e passa a ser normal ….só quando acabava e não achava posto que passava a rodar no alcool e pareceia que tinha "turbinado" a viatura…rs…..mas por algum motivo depois de vc colocar GNV se sente altamente "roubado" andando com outro combustivel, então aproveitava muito pouco essa alegria…

      eu recomendo ….mas coloque em um carro novo e em um lugar decente, mesmo que seja mais caro ….vale se vc rodar muito e dependendo o modelo não desvalorizará muito….a stradinha foi feliz com GNV e tudo e um pouco mais cara do que valeria sem …..pois não comprometia o espaço em si ….a susp traseira não sofreu …..etc…..

    • akrobatos

      Não tenha medo de vazamento. O GN não é tóxico e é leve, subindo e e se dispersando no ar rapidamente. O GLP , por sua vez, é tóxico e pesado, se concentrando e facilitando explosões.

      A instalações tem válvulas mecânicas que fecham a saída de gás se houver queda de pressão no sistema. E se houver aumento da pressão, por incêndio do veículo, por ex. elas funcionam ao contrário, liberando todo o gás rapidamente.

      Os cilindros estão preparados para aguentar o dobro da pressão máxima que a bomba de um posto pode produzir. Eles resistem a tiros até o calibre 45. Só tiros de fuzil o perfuram, mas ainda assim o gás não explode. Os carros movidos a GNV que explodiram em alguns postos tinham gambiarras para aumentar o armazenamento usando cilindros para GLP (botijão e cilindro de empilhadeira), que não aguentam nem um décimo da pressão praticada. Mesmo assim não houve ignição e incêndio, só a expansão do ar.

      O risco de morte se dá apenas porque o vazamento pode expulsar o oxigênio do ambiente.. Se você estiver com janelas abertas ou usando ar-condicionado na função de renovação de ar, esse risco é bem pequeno, até porque antes de faltar ar, você sente o cheiro do gás.

  • garciapepe22

    Concordo plenamente. kkk.

    • Lucas206

      Seria mesmo uma boa um teste sério deste produto.

  • aleneo2

    do jeito que ta a gasolina em bh e como o GNV manteve o preço ta dando pra pensar em converter o carro….

  • X11auto

    Aparelho eficiente que fará com que as peças passem a ser trocadas no tempo certo, velas, cabos, embreagem e até problemas de cabeçotes tender a voltar a ter um desgaste no tempo normal de vida, parabéns a seus idealizadores!

  • Gui_Nunes

    Mas o GNV de quinta geração ja elimina a necessidade disso, já que o mesmo vem incluso todos esses sistemas…

  • itanium3

    Yeah. O ADG gosta das coisas originaizonas mas seria bom ter a opinião dele.

    • PauloECosta

      O ADG já mexeu muito com carros a GNV. Ele tem know how.

  • akrobatos

    Fui ao site da Greenco e achei que as explicações a respeito do funcionamento do produto são básicas demais, limitando-se a descrever a função de um gerenciador de fluxo. Não diz, por ex., para que serve a terceira conexão de mangueira. Será que tem alguma coisa a ver com os principio de funcionamento do carburador? Nesse caso, o aparelho poderia ser usado em carros com injeção?

    Pelo que depreendi da foto no site do fabricante, este produto não é eletrônico. Se for elétrico, como os gerenciadores de fluxo dos kits de terceira geração, que é o kit básico encontrado no mercado brasileiro, a única diferença dele é ser fruto de pesquisa nacional.

    Se este gerenciador é somente mecânico, e supondo que ele funcione, então seria uma inovação e poderia ser utilizado até nos kits de primeira e segunda geração.

    Eletrônico como os gerenciadores que fazem parte dos kits GNV de 5ª geração, capazes até de fazer cut-off, ele não me parece ser. E dizer que não interfere na eletrônica do carro é vago demais. Todos os kits, desde a primeira geração, funcionam em paralelo aos sistemas do carro, pois são adaptações. É por isso que se usa emulador de bicos, por ex., em vez de se mexer na centralina do carro. A excessão, é claro, ocorre em alguns carros que usam GNV de série.

    Isto posto, eu me pergunto por que os engenheiros dos fabricantes tradicionais, que pesquisaram para resolver esse problema, e o resolveram com a evolução da eletrônica, não encontraram no meio do caminho esta solução.

    • Mas será que isso não foi para investir em algo que poderia trazer problemas para manutenção posterior na concessionaria e essa ou a montadora teria que arcar com algum problema?

      Entendo que a Fiat é até hoje que possui o Know How do uso, mas esse tbm, pode ser um problema. Mtos taxistas que tiveram o tetrafuel me falavam que o produto sempre ter que ser revisado. Portanto, para um taxista manter o sistema em funcionamento demandaria mais tempo em levar o carro para manutenção. Como eu vi, vc tem mto entendimento sobre GNV, isso não poderia recair para as montadoras nesse quesito? Ou o tetrafuel atual também se atualizou? Pois faz cerca de 1 ano que ouvi isso qdo viajava mto a trabalho para fora de SP.

  • cristian_sp

    Muito bacana a idéia …..e deveríamos no mínimo ficar orgulhosos por ser um invento "made in Brazil" ….apesar do GNV não ser muito difundido, graças a nossa Petrobrás ….e ser discriminado também na revenda, devido a muitos lugares fazerem uma conversão bastante "porca" ….só faltando vc sair com o botijão da cozinha preso no cinto do banco de trás…rs…

  • andre_0102

    GNV é perfeito p/ taxista, baixa o custo do Km rodado, menos carro na rua, bom p/ todos… Gostei do produto parece uma evolução inteligente do sistema.

  • jluizsc

    Mas a funcao de aumentar ou reduzir fluxo do GNV nao eh do "Motor de Passo" instalado na tubulacao que vai da valvula ateh a entrada de ar? (algum conhecedor de sistemas de GNV ai?)

  • pfcmacedo

    O que foi dito sobre a injeção de GNV atual é verdade, a solução que ele propoe é obvia porem mesmo coisas simples precisam de desenvolvimento e estudo pois tem de ser perfeito. 1,6 Mi para uma pesquisa desse tipo não é tão absurdo não. Já ouvi falar de sistemas do genero, inclusive o da fiat que equipa o siena é bem melhor que outros sistemas e tem uma serie de coisa a mais justamente para melhorar consumo e desempenho

  • evotremex

    meu carro é a gás, quando será q vão começar a vender essa peça?

  • akrobatos

    Esse funcionamento descreve o funcionamento dos kits de 1ª e 2ª geração. O de terceiro já tem gerenciador de fluxo. Ocorre que os consumidores não instalam o kit completo.

  • wololo

    Façam um teste com isto please.

  • akrobatos

    Todos os carros movidos a GNV, mesmo os de série, usam cilindros. Existem pesquisas para recipientes de outros formatos, mas elas não evoluiram.

    Apenas que no carro de série que é 100% GNV, os cilindros, geralmente, são colocados sob o assoalho em posição bem baixa.

    Se sua restrição não é ao combustível mas ao tipo de adaptação, então não faz sentido que você defenda o desestímulo a esse. Já externar restrições ao tipo de adaptação e defender o uso de carros GNV somente se ele for de série é um direito seu. São restrições parecidas com as de algumas a respeito de carros flex, comparativamente a veículos movidos só a álcool ou só a gasolina.

    Mas não se deve impedir quem deseja a adaptação de fazê-la cumprindo os trâmites legais. Como um dono de carro a gasolina que o converte para etanol antes do surgimento dos flex. Ninguém pode impedir você de converter seu carro de um combustível legalmente permitido para outro combustível legalmente permitido.

    A instalação de cilindro na mala não aumenta o centro de gravidade do veículo. Isso só iria ocorrer se ele fosse instalado no teto, como permitem na Itália. Os cilindros mais modernos pesam, cheios, média de 80 kg, o peso de um passageiro (nem é preciso mais que as molas do carro sejam trocadas) e estão no mesmo nível dos assentos, ou seja, no mesmo centro de gravidade que o carro já possui. Os cilindros antigos são mais pesados, mas por isso a legislação leva a troca por molas reforçadas, ou o carro não passa na vistoria do Inmetro. Ainda assim, em ambos os casos, não há aumento do risco de capotamento por causa do peso do cilindro, talvez haja até diminuição.

    Todo automóvel é capaz de transportar mais peso que os dos cinco ocupantes para levar bagagem. Como o cilindro rouba espaço da bagagem, dificilmente ser irá ultrapassar a tara do automóvel. Exceto no caso de proprietários muito imprevidentes que resolvam transportar objetos pequenos mas de muita densidade, como pedras ou sacos de cimento. Mas se em vez de automóvel estamos falando de um utilitário, ele provavelmente vai poder fazer isso sem problemas.

    A instalação de GNV seguindo as especificações legais não representa nenhum risco à segurança viária, nem de seus usuários nem de terceiros.

    • DCald

      Sou contra gambiarras…
      Se o cara vai converter um carro de gasolina para alcool e apenas troca o gigle ou os bicos (ou poe uma caixinha para enganar a injeção – flextrecos da vida) vai ficar uma porcaria…

      Agora, se o cara abre o motor, troca pistão, cabeçote (para ter taxa para o alcool) coloca carburador niquelado, bicos proprios, troca bomba de combustivel, intala partida a frio… vai ficar qse ou tão bom quanto um alcool original… o problema é: qual o custo disso? não vale a pena comprar logo um carro a alcool ou flex?

      No caso do gnv, é a mesma coisa…

      Agora, qto aos tanques, existem sim em formato não cilindrico… tem um que é como se fosse 2 cilindros juntos na horizontal, mas "embalados" tem um em formato de rosquinho (que vai no compartimento do estepe)…

      Qto ao centro de gravidade, aumenta sim… pois o tanque original normalmente fica abaixo dos bancos, no mesmo nivel das rodas… com o GNV normalmente fica no nivel acima dos bancos (e em alguns casos tem que ir um cilindro sobre o outro para poder acessar o estepe) e fica acima do nivel das rodas, mudando o centro de gravidade (até pq o tanque de combustivel liquido provavelmente estará vazio)… em alguns casos em que é posto sobre o assoalho (no lugar da caixa de estepe (modificando a estrutura de deformação do carro!) vc tem o centro de gravidade sendo transferido para tras… pois vc acrescenta peso apos o eixo (e sabemos que o melhor é ter a distribuição entre-eixos)… e isso altera o comportamento do carro em situações mais criticas (não dá pra perceber indo na padaria, mas numa serra cheia de curvas já dá pra notar!)

      • akrobatos

        Me diz onde tem esse cilindro curvo envelopado para vender que eu quero comprar. Mesmo que seja preciso importar não tem problema. Vou ver o preço e começar minha poupança.

        • DCald

          aonde tem pra vender, não me pergunte!!!

          O do formato de estepe tem foto aqui: http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQIsm4CZb
          é usado tbm internemente qdo o compartimento do estepe tem acesso interno…

          o outro que parece 2 cilindros emendados e envelopados não achei foto… mas vi numa Focus perua num eleva-car numa oficina em Milano…

          • akrobatos

            Eu acho que estes produtos ainda são cilindros, apenas foram forjados em curva.

            Quando me referi a outros formatos, foi porque no Brasil uma universidade estava pesquisando um recipiente para GNV que poderia ser feito em qualquer formato. Não entendi bem o princípio, mas parece que seu interior seria forrado com um tipo de material que diminuiria a pressão do gás e assim seria feita a mágica de dispensar o cilindro em seu formato tradicional.

            Nessa pesquisa, você não teria um cilindro seguindo a curva de um pneu para se encaixar no espaço do estepe. Você teria uma caixa redonda que aceitaria um bom volume de GNV para ser encaixada no espaço do estepe. Em um cilindro curvo seguindo um aro de roda cabe muito pouco GNV. A autonomia deve ser ridícula. Talvez sirva para o uso urbano nas cidades italianas porque a rede de abastecimento é farta, mas provavelmente na estrada iria ser preciso usar a gasolina. Nas cidades espraiadas brasileiras acho que não compensaria comprar um desse.

            Essa pesquisa brasileira também estudou o formato de uma caixa retangular para ser usada no chão da caçamba da picape. Mas foi deixada de lado por causa do desinteresse ecônomico no GNV depois da primeira crise do apagão, quando o governo disse que não queria Gás Natural em automóveis. Isso criou uma tremenda insegurança jurídica.

            Foi por isso também que não temos carros de série com GNV como na Itália. Para uma fabricante só vai interessar produzir um carro de GNV de série, e não adaptado, se a rede de abastecimento crescer mais e se houver uma política de preços consistente. Ou o consumidor não se interessa pagar a mais pelo carro, que fica mais caro que o equivalente a gasolina. Se não há essas duas condições, ele apenas faz parcerias com convertedoras e dá garantia para atender casos pontuais, como a Ford está fazendo com a picape Explorer.

            Sobre a "gambiarra" pros kits de 5ª geração é o termo não é exatamente justo. Os equipamentos são idênticos aos usados em carros GNV de série. Continua sendo uma adaptação apenas porque não se pode decodificar a centralina da injeção eletrônica. Mas, teoricamente, se você estiver convertendo um carro que tenha versão GNV de série no exterior, pode até pensar em importar uma centralina dessa versão.

            • DCald

              Tendo a opção de fabrica para se basear, fica "menos pior"…
              Segundo um mecanico italiano, os GPL de fabrica tem diferenças no sistema de lubrificação (usam oleo diferente tbm) e sempre devem ter gasolina no tanque (assim como o tetrafuel que constantemente aciona o combustivel liquido) para não ter problemas…
              Minha intenção era comprar um Sandero GPL que custava apenas 6mil euros, mas tinha mais um incentivo municipal de 1000 euros, ou seja, 5000 euros por um carro GPL de serie e 0km… foi ai que pesquisei sobre revenda (pois não ia ficar muito tempo por lá) e vi que os GPL adaptado ninguem queria, e iam direto para a reciclagem, todos reclamavam da baixa durabilidade e problemas de maior manutenção… GPL de fabrica até passava, tbm desvalorizando bastante…
              acabei fazendo as contas e foi mais barato (e menos burocratico) eu alugar carros a diesel (usei 500, Corsa D e Grande Punto todos com o mesmo 1.3MJet)… ainda acabei saindo no lucro pq durante um bom tempo fiquei com um carro emprestado por um amigo, uma Scenic 1.6 16V que era beberrona perto das outras opções, mas saia mais barato por não ter o custo de aluguel…

              • akrobatos

                No Brasil não tem carros de GPL – Gás Liquefeito de Petróleo. Só de GNV – gás natural veicular. Conhecido internacionalmente como GNC – gás natural comburente. Hoje foi publicado uma reportagem sobre Corsa GPL no site e entendi. Aquele reservatório que fica no estepe não é para GNV, é para GPL, que só tem 15 bar de pressão enquanto o GNV tem 200. É por isso que o GPL aceita ser armazenado em vasilhame (garrafa, tanque, etc). O GNV só aceita cilindros.

  • eletricojah

    GNV tem uma vantagem ambiental: Não necessita de transporte por caminhões como os combustíveis líquidos. Menos poluição, menos trânsito, menos perigo.

  • akrobatos

    Sobre carros elétricos, de nada adiantam tomadas em que a eletricidade não chega. O Brasil está perto do limite de sua capacidade de produção de energia elétrica e a capacidade de aumentar essa produção sem recorrer a energia fóssil ou nuclear é uma incógnita. Embora todos saibam do potencial hidrelétrico, a legislação ambiental é restritiva.

    Além disso, a eletricidade pode ser energia renovável, mas os metais nobres necessários para confecção das baterias são raros e caros. Por isso nem o carro híbrido resolve o problema. Metade do custo de um automóvel elétrico são as baterias e elas duram cerca de uns cinco anos. Com este uso em larga escala, chegaríamos rapidinho ao esgotamentos das reservas e seriamos obrigados a voltar para o combustível fóssil. Além de ter que dar adeus a celulares, notebooks, tablets e tudo mais que depender de bateria recarregável.

    Enquanto isso, além de termos auto-suficiência em combustíveis fósseis, parte dele, justamente o GNV, está sendo jogado fora. E existe perspectiva de aumento de produção, dos derivados do petróleo e do GNV também, pois os dois costumam ser encontrados juntos.

    • DCald

      O problema do Brasil não é geração de energia… mas é o PICO de consumo… se vc for inteligente, vc não vai colocar um carro eletrico para abastecer das 18 as 22 horas… durante a madrugada e até mesmo durante o dia sobra energia!

      Se a população trocasse os chuveiros eletricos por sistemas solares ou a gãs… se tivessem uma instalação eletrica correta bem dimensionada (que não perde energia por aquecimento dos fios e cabos)… etc etc etc dava pra trocar TODOS os carros por eletricos sem precisar mexer no que já se tem de geração de energia…

      O GNV pode ser usado em termoeletricas (como já é usado) e teriamos um custo muito menor de infra, já que precisariamos apenas de gasodutos para transporta-lo até as termoeletricas…

      E nada impede de usar o GNV num carro hibrido… com um motor adequado pra isso (com taxa de compressão adequada) e com o carro todo desenvolvido desde o começo para receber esse combustivel…

      • akrobatos

        Mesmo assim primeiro é preciso se chegar a uma bateria renovável, o que ainda não se conseguiu. Talvez as pesquisas com bateria de sal mostrem um caminho, mas ainda são pesquisas, ou seja, você não pode estimular uma demanda que ainda não se pode atender. Já o uso de GNV é factível.

        Sobre as termelétricas, o problema é que elas usam muita água. Atualmente ficam paradas e só são usadas em situações de emergência. Se forem utilizadas continuamente voltamos a ter um problema ambiental parecido com o causado pelas construções de hidrelétricas.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend