Avaliação 365 Chevrolet Hatches

Avaliação 365 – Chevrolet Onix – Andando com o carro cheio

chevrolet-onix-365-interior-1-620x413 Avaliação 365 - Chevrolet Onix - Andando com o carro cheio

Chegamos a quatro meses completos de uso do Chevrolet Onix LT 1.0 de nossa Avaliação 365. Ele já está com 10.087 quilômetros rodados. Neste ritmo será tranquilo alcançarmos os 30.000 quilômetros previstos para o ano inteiro de uso, que terminará no final de novembro. Então iremos vender o Onix e comprar outro modelo, que seja também um importante lançamento do mercado nacional para fazer nossa próxima Avaliação 365.



Nosso planejamento inicial era de comprar dois carros por ano para isso. Mas não o fizemos ainda pois não temos certeza que conseguiremos alcançar 30.000 quilômetros rodados com os dois no ano. Estamos vendo maneiras de fazer isso, e assim que conseguirmos iremos comprar outro modelo.

O nosso Chevrolet Onix tem se mostrado um carrinho confortável, espaçoso, com boa mecânica e desempenho satisfatório para um 1.0. Andar nele com apenas uma ou duas pessoas a bordo é tranquilo, mas e quando precisamos colocar quatro ou cinco pessoas mais bagagem, como ele se comporta?

Pelo menos duas vezes por semana ele é usado assim, cheio. Uma vez para uma viagem curta aqui na região e outra vez para percursos urbanos. Em termos de espaço, quando colocamos quatro pessoas no Onix, tudo acontece de maneira bem tranquila. Ele tem muito espaço para os ocupantes, quer na frente quer atrás, e está muito acima de populares mais baratos e menores.

Quando colocamos cinco pessoas no Onix, o negócio já aperta um pouco. É necessário verificar quem são os ocupantes maiores e os colocar na frente, para que atrás as pessoas não sofram muito. Mas para deslocamentos dentro da cidade ou em pequenas viagens o sacrifício não é tão grande. O porta-malas é adequado para um hatch popular, mas é claro que a bagagem de cinco pessoas acaba tendo de ser reduzida um pouco pois não cabe tudo na traseira de um hatch, ainda mais compacto.

chevrolet-onix-365-interior-2-620x413 Avaliação 365 - Chevrolet Onix - Andando com o carro cheio

Quer levemos quatro ou cinco pessoas, temos um bom espaço para as pernas, desde que essas pessoas tenham até 1,80 ou 1,85 de altura. O desempenho do Onix com o carro cheio fica mais complicado quando juntamos dois fatores negativos: uso urbano em cidades com muitas subidas e ar-condicionado ligado.

Mas se tiramos fora um destes dois fatores, a situação já fica bem melhor. Ande com o Onix 1.0 em cidades mais planas e você não terá nenhum tipo de aborrecimento. E ande em cidades com muitas subidas sem ar-condicionado que ele também se comporta bem.

Já na estrada, acreditamos que o desempenho não sofra muito mesmo com cinco pessoas a bordo – já vimos muitos populares mais lentos por aí. O único problema é naquela subida longa, onde a velocidade vai caindo e é necessário colocar uma quarta marcha rapidamente para não cair ainda mais. Mas se você pega um embalo razoável na descida, vai bem.

Adotamos este tipo de “pilotagem” em uma viagem até Santa Catarina e notamos que até mesmo em serra o Onix consegue ter um desempenho razoável se o motorista souber tirar dele seu máximo. Carros 1.4 e 1.6 vão ficando pra trás e você passa com seu 1.0, com ar-condicionado ligado. Aliás, quer na cidade quer na estrada, o ar-condicionado do Onix 1.0 gela muito bem.

E um ponto que destacamos mais uma vez é quão gostoso de dirigir o Onix é. Ele tem bancos confortáveis, uma boa posição de dirigir, câmbio com engates razoáveis e embreagem leve.

Neste mês rodamos mais de 3.200 quilômetros com nosso Chevrolet Onix, e a única aferição de consumo que tivemos foi de álcool na estrada: 11,1 km/l.

5.0

  • canino_preto

    Onix com 5 ocupantes e motor 1.0…só fazendo mágica…mas ele não está sozinho…todos os 1.0 são incompatíveis com tal situação!

    • fse

      O problema de muittas motoristas de carros 1.0 na estrada, é que depois que engatam a 5 marcha esquecem das outras. Ai quando chega em uma ladeira o carro fica se arrastando.

      • MarceloAmorim

        Junte a isso motoristas que ''acostumam'' o carro todo manhoso,ae que lasca mesmo,kkkkk!Tive um Mille Way quadradinho,tirei zero e amaciei ele muito bem…nao fazia raiva em estradas nao.

      • joel

        É isso mesmo meu caro fse. Meu pai tem um Classic e curiosamente comigo o carro anda muito bem sem perder aceleração, justamente porque tenho a paciência de ficar trocando a marcha quando necessário. O motor VHCE é ótimo mas com meu pai, a rotação cai tanto que fica quase parando na estrada e mesmo assim, ele teima em nao passar a marcha porque tem a ideia de que o consumo aumenta.

        E isso não é só com donos de carro 1.0. Faz uns meses que dirigi um Prisma 1.4 de meu tio com ele e mais 2 pessoas atras e ar ligado. Ele só queria que eu andasse de 5º marcha, quando reduzia por ter alguma fila de carros à frente, o carro ameaçava morrer.

        Os motoristas mais "antigos" tem alguns ideiais estranhos.

        • Archimedes

          Esse é o segredo, pros carros mais fracos. Não pode ter preguiça de usar cambio… e nem agonia com giro alto e consumo, Tem carro fraco, reduz a marcha e pronto! Tenho muito paciencia pra isso, mas noto que pouca gente tem, aí fica o povo se amarrando na rua.

          • Marcos-DF

            Por isso que para viagens prefiro carros de cilindrada maior, que mantém o torque não sendo necessária a redução de marchas. Assim o consumo se iguala ou se aproxima dos 1.0. Carro 1.0 na minha opinião é mais eficiente no trânsito urbano.

            • Herbet23

              Cilindrada maior ou Turbo, claro ;)

        • Vitão

          Toh com o Corsinha 1.0 VHC e digo q o carro eh valente… Não me decepcionou em subida de serra, etc….

          Quem compra carro 1.0 tem q saber eh trocar as marchas no tempo certo, sabendo isso não tem problema…..

          Mas é lógico q precisa de um pouco mais de paciência, mas isso é o de menos……

          • leoleeo

            Também tenho um Corsa VHC, o meu é o Joy, anda muuuito esse carro, nem parece 1.0, saber usar o câmbio é fundamental

        • Nyck_o

          Sim pois é… Eu tmb tem um Classic 12/13 VHCE, com o porta malas cheio, 5 ocupantes e AC, ele encara muito a estrada… gosto desse carro…

          • Aliissonmelo

            Meu pai tambem tem um classic 11/12,ele anda muito para um 1.0 e o condumo,todos falam mal da gm mas ele faz 16 até 17,2 km/l na estrada

          • Marcos-DF

            É verdade. Em uma viagem a João Pessoa alugamos um classic e adorei o carro. Com o Ar desligado parece que está dirigindo um 1.4. Quando voltei para casa e peguei meu siena 1.0 parecia que estava passando de uma lebre a uma tartaruga…kkkkk.

            • Leandro

              O único problema do Vhc é q vc fica mal acostumado, eu tenho um e sempre achei as críticas ao carro mil exageradas, mas quando tive que dirigir um palio 1.0 entendi pq essa litragem é tão odiada.
              O palio 1.0 pra chegar a 80 km/h é uma canseira, 100 km/h é utopia.

      • Viníciusk

        Concordo. Tem gente que não sabe usar as marchas. Esse pessoal tem que ter carro automático ou automatizado.

  • BlueGopher

    O incentivo de impostos menores deveria ser baseado não no tamanho do motor, mas em outros fatores, tais como baixo consumo e adequação familiar.
    Se isto acontecesse, teríamos carros muito mais interessantes que os famosos 1.0 rodando por aí, e que poderiam ser facilmente exportados para o resto do mundo.

    • Castle_Bravo

      O problema é que qualquer "incentivo" seja ele qual for, vai prejudicar alguém. Hoje os de 1.0L prejudicam a nós que não queremos este tipo de motorização, em teu exemplo hipotético, prejudicaria alguém que quisesse algo diferente, e por aí vai.

      O ideal seria todos os carros terem o mesmo tipo de tributação e deixar as pessoas escolherem o que de melhor lhe servir.

      • BlueGopher

        Concordo, mas já que a bolsa-carro (assim como as demais bolsas) não vai deixar de existir tão cedo, gostaria que ela fosse mais adequada às necessidades da população.
        O ideal seria que os impostos normais fossem mais bem aplicados, principalmente em educação, para que cada cidadão fosse preparado para obter renda suficiente para não depender de agrados e esmolas governamentais.
        A Coréia de Sul seria um excelente exemplo a ser seguido.

    • gcarlos

      Mas em outros lugares do mundo existem, até com menos potencia. Inclusive na Europa.

      • BlueGopher

        A Europa é bem diferente do Brasil, suas cidades têm ruas estreitas e as distâncias entre cidades e países são pequenas (comparadas com as nossas distâncias) .
        Lá, adequada a esta realidade, há motores menos potentes, mas muito mais evoluídos e econômicos que os nossos, como os diesel, os multiair e/ou turbos.
        Nossos 1.0 não seriam aceitos por lá.
        Como tudo no Brasil, nossa legislação força a produção de produtos que são específicos para o mercado local, o que exige de quem quer exportar manter outras linhas de produção, aumentando seus custos.
        Como exemplo, veja nossa TV Pal-M, nossas tomadas elétricas, nossas redes digitais de telecomunicação, etc, etc.
        O Brasil tende a comer mortadela e arrotar caviar…

        • Castle_Bravo

          E agora nosso padrão de TV digital também, que é a mais nova jabuticaba nacional, só tem aqui.

  • Filipe_GTS

    Muito bom avisar que reduzindo as marchas o 1.0 anda razoavelmente bem. Tem mídia TELEVISIVA que alerta os motoristas pra não utilizar altas RPM. Lamentável.

    Obs.: se meu comentário sumir novamente vou ficar puto… Parece que os únicos comentários que esperam aqui são:
    "quem compra Hyundai é otário"
    "brasileiro é burro"
    "carro velho é melhor que novo"
    Sensacionalismo puro… Criticar Hyundai e preços altos de zero no Brasil é feijão com arroz
    Traduzir preço de Camaro de Dólar pra Real é coisa de quem acabou de se formar no mobral…
    Quero ver é quem tem olhar e conhecimento de sociedade pra dizer algo a favor de alguma mudança, em vez de apenas bradar que "brasileiro é otário". Todo post alguém diz isso e ganha umas três dúzias de "curtir". Aliás, eu acho que comentam só pra ganhar "curtir" ou "joinha". Assim não dá. Por mais que seja um blog na internet, seria muito bom se os comentários fossem nivelados pela seriedade… Em vez de retirar comentários críticos. Críticas negativas deveriam ser aceitas… Mas o que é aceito, ao que me está parecendo, é o "brasileiro otário". Pra mim, quem comenta isso é mais otário ainda.
    A cada 10 comentários, 4 dizem que alguém é idiota por comprar determinado carro. É muito triste ter que ler isso de gente que, possivelmente, nem tem carro ou anda com um pior do que o "modelo defasado" que ilustra o post. Acho que ter CNH deveria ser requisito obrigatório pra quem frequenta fóruns automotivos… Parece que os adolescentes estão dominando. Sim, porque não há outra explicativa pra ficar chamando os 4 ventos de "idiota" e "brasileiro otário", que não seja um alto grau de infantilidade.

    • Como assim "Parece que os únicos comentários que esperam aqui". Como assim, os leitores esperam ou o NA espera?

      Você falou em nivelar os comentários pela seriedade, mas imagine o que é moderar 400, 500 comentários todos os dias. Como vamos aceitar apenas comentários sérios e deletar os outros? Precisamos de regras claras.

      • Filipe_GTS

        Os comentaristas em geral positivam de forma absurda os comentários do tipo daqueles que eu citei… É o que muitos gostam de repetir todos os dias
        Eu gosto do site, do conteúdo gratuito, as propagandas não me incomodam, gosto dos vídeos
        Realmente, reclamo de muitos comentários, acho chato e desrespeitoso pessoas que chamam uns aos outros aqui de idiota e/ou otário
        Se todos somos brasileiros e convivemos com preços de carros altos, então somos todos otários?!
        Quem pode comprar um bom carro critica, não concorda, não aceita… Mas não cria essa raiva excessiva. Eu noto essa raiva e "vontade de xingar" em quem não tem carteira de habilitação ou não tem condições para comprar um bom carro zero, v.g. um sedã médio de R$ 75mil reais. Não é preconceito e nem valoração de status social ou financeiro, é crítica a quem xinga os outros de otário e idiota por comprar carros de determianda fabricante.
        Mas, de fato, é necessário entender que são muitos comentários aqui… Seria bem pior se tivessem que ser aprovados antes de aparecerem no site, tem blogs que funcionam assim e eu não acho adequado
        O único jeito é ignorar os infelizes

        • Paullo_Oliveira

          Concordo em tudo dito por você, ou melhor, quase tudo. A parte que você diz que só quem deveria ter CNH deveria comentar foi desnecessária, pois tenho 16 anos, não tenho habilitação, sei dirigir e não ando comentando idiotices por aí, pois procuro embasamento antes de falar qualquer coisa, porém ao mesmo tempo não posso discordar totalmente, por ter consciência das inúmeras besteiras que são ditas. Mas muitos comentários infantis, preconceituosos, equivocados e afins, vem também de pessoas habilitadas e até certos graus avançados de escolaridade. Por tanto o senso crítico é algo bastante variável de indivíduo para indíviduo.

          • Filipe_GTS

            Ok, desculpe incluir vc nessa generalização. Eu mesmo assino a 4rodas desde os 8 anos… Na verdade eu quis dizer que muitas pessoas maiores de idade aqui comentam como se tivessem 15 e nunca tivessem lido nada a fundo sobre esse assunto. Ao passo que temos boas exceções de pessoas sem CNH que demonstram bom senso crítico e opinião formada. Opinião sempre vai divergir, cada um pensa a seu modo, o importante é ter alguma e saber defendê-la

            • Paullo_Oliveira

              Verdade. Eu tenho 16 anos, inclusive tenho um blog automotivo e sempre procuro debater sobre o que realmente sei e conheço e sem fanatismo ou "haterismo". Acho que cada um tem o que pode ter, seja um Chevette de R$5.000 ou um Range Rover de R$600.000, mas uma coisa é fundamental, o respeito. E outra, realmente enche o saco a turbilhão de bobagens ditas aqui, praticamente já é um clichê, em quase todas as matérias você encontrá isso: Caro, Brasileiro é idiota, Maldito governo, Malditas montadoras, Um roubo, com esse preço nos EUA eu compro um jato supersônico e mimimimi… Por isso as vezes até evito ler.

              • guto05

                jato supersonico foi otimo. Adorei. rsssss
                Parabens pelo comentario!!!

        • DougSampaNA

          Bom dia Filipe, eu penso que a critica tem que existir, e ferrenhamente, porque temos o Governo sangue suga sobre nós, sugando 40% do valor de um carro na média, que tem no máximo 60% da qualidade de um mesmo modelo feito na Europa. Está aí a situação do Étios, que antes do lançamento tinha um "PREÇO ESTIMADO",; NO LANÇAMENTO já lançaram abaixo do estimado, e pela gritaria na web, incluso auxilio de NA nos protestos, está sendo vendido bem abaixo dos preços "se colar colou".
          Tudo bem que xingar não é o caminho, mas a maioria parece que faz papel de ensandecido ao ver um lançamento e como discutimos ontem na materia do prisma, tem gente aceitando pagar ágio pra ficar na fila…isso não é e nem pode ser normal; apenas fomenta o mercado a pedir cada vez mais e ficar inflexivel na negociação.
          Porque aqui a margem de lucro tem de ser a mais alta do mundo? Os impostos os mais caros do mundo , assim como os preços finais, SEM A DEVIDA QUALIDADE E SEGURANÇa?
          Devemos nos calar? Eu meto a boca porque abomino o que acontece neste país, e tambem elogio quando o produto merece, mas concordar com preços de 80/90 em carro de 55/60 (ou em outros modelos e preços), e ficar quieto não dá.

          • Paullo_Oliveira

            DougSampa. Também acho válida sua opnião, mas o problema é que são pouco que sabem discutir essas questões com um mínimo de maturidade e respeito. Chegam logo chingando, fazendo uma verdadeira baderna e com comentários irrelevantes. Sendo que maioria destes, não tem nem um carro na garagem.

          • Filipe_GTS

            Eu concordo com a crítica. Temos mesmo é que nos insurgir contra os abusos e inustiças. Só gosto de ser respeitado.
            Veja que eu tenho um ponto de vista um pouco diferente. Eu já tive um Uno Mille '06, obviamente sem airbag, ABS e demais parafernálias eletrônicas de segurança, inclusive com o tal do estepe logo na minha frente, que poderia invadir o habitáculo numa colisão.
            De outro norte, o carrinho me recompensava com uma economia que nenhum outro moderno e seguro é capaz hoje em dia, além de praticidade e amplo espaço interno, dada as dimensões do carro.
            Outro exemplo é o ágio. Se eu tiver dinheiro sobrando e quiser me dar o luxo de andar na rua com um modelo recém lançado, sabendo que estou pagando 1 ou 2 mil reais acima do preço tabelado, desde que receba o carro rapidamente, isto é, conscientemente, não vejo problema.
            O grande problema é comprar compulsivamente, movido pelo marketing e pelo consumismo exacerbado. Comprar com ágio sem precisar de um carro novo (e deixar o velho por um preço irrisório), movido pela propaganda na revista, tentando afirmar pseudo status social, enfim, tal qual os que dormem na fila pra comprar o novo iPhone (e rejeitar o aparelho antigo na lixeira).
            Sobre o aspecto dos equipamentos de segurança, destaco também que, caso eu queira comprar um carro sem airbag e ABS, não o faço porque sou otário, faço porque quero um transporte barato, leve, econômico e prático para a cidade. Se for assim, todo motociclista (aqui vale o velho bordão das "pernas como parachoque") e usuário de transporte público lotado é otário e suicida.
            Ah, sem esquecer dos que não têm dinheiro pra comprar um carro zero e andam de Gol "bola", de Fusca (o velho), de Corcel… São otários e fadados a morrer em qualquer batida? Não é por aí…

            • tbc_

              Mais chato que ler "quem compra hyundai é otário" é ler esse bla bla bla de vocês. Isso aqui virou blog de auto ajuda e reflexão agora? Bah!

              • Pablo

                Então por que leu? kkk

        • Felipe

          Carros 0km são absurdamente caros e cheios de impostos e têm custo final desproporcional ao salário mínimo do brasileiro, muito maior do que o custo de produção. Pagam tal preço no carro como se fosse normal, só se for normal para as montadoras e para o governo no Brasil.

          Se não somos otários somos o que então além de cidadãos brasileiros?

          Talvez não sejamos otários mas cá entre nós: você acha legal pagar um preço da qual o carro nem vale? Em um país que pagamos impostos absurdos e que se preocupa pouco com saúde e educação? Pagar 30 000 reais em um Uno Economy ou 20 000 reais em um Focus GLX? Isso pagando à vista em um dos dois, pois se financiar aí já é outra coisa.

          Não se preocupam com o preço do carro brasileiro e sua qualidade? E quem se preocupa e não pode mudar de país? Como faz?

          Por causa de um pensamento como esse que os preços são altos: nós nos satisfazemos com pouco.

          Respeito a quem vende sua alma em um zero quilômetro? E o respeito das montadoras que fazem carros de qualidade desproporcional ao preço para nós, elas têm?

          Se pensar em quem pode ou quem não pode, onde esse país vai parar? O dinheiro é da pessoa? Sim, e na hora de reclamar do preço do combustível e do seguro além do preço do carro?

    • Paullo_Oliveira

      Concordo em tudo dito por você, ou melhor, quase tudo. A parte que você diz que só quem deveria ter CNH deveria comentar foi desnecessária, pois tenho 16 anos, não tenho habilitação, sei dirigir e não ando comentando idiotices por aí, pois procuro embasamento antes de falar qualquer coisa, porém ao menos tempo não posso discordar totalmente por ter consciência das inúmeras besteiras que são ditas. Mas, muitos comentários infantis, preconceituosos, equivocados e afins, vem também de pessoas habilitadas e até certos graus avançados de escolaridade. Por tanto o senso crítico é algo bastante variável de indivíduo para indíviduo.

    • JPaulo10

      Filipe,
      Também acho muito difícil o Eber moderar tantos comentários, e mais ainda retirar aqueles depreciativos ou radicais. Primeiro, porque soa censura: todos tem o direito de opinião, desde que obedeçam regras. Segundo, porque existem pessoas maduras que são jovens como também o contrário, então não dá para estabelecer muitos critérios de seleção além dos já colocados no blog (acho até que o Eber faz bastante, quando adverte e depois expulsa aqueles fanáticos que acabam por destruir blogs, tais como o dito cujo robertoford faz no Quarentena do AE).
      Para melhorar minha leitura, eu mesmo faço meu "filtro": debato com quem realmente tem algo a dizer.
      Lendo as postagens todo dia, você acaba descobrindo as pessoas certas para um bom papo.
      Os outros comentários, tipo fanáticos, torcedores e vendedores, esses eu passo reto.

      • É, isso que acaba parecendo quando deletamos comentários sem noção: censura. Se conseguirmos achar uma boa solução, quem sabe….

    • canino_preto

      Ora, ora, ora veja, Filipe_GTS…leia o seu próprio comentário, presunçoso e autoritário, e diga se quem rotula brasileiro de otário, burro, imbecil, não tem razão…essa fama já vai longe e se tornou, digamos, internacional. Tô entendendo que você criou uma nova categoria de consumidor asno, sem ofensa aos bichinhos inocentes: a do consumidor otário com CNH – carteira nacional de hanalfabetismo!

      • Pablo

        "carteira nacional de hanalfabetismo"

        Ah, tá!

    • Brunocarro1998

      Concordo com quase tudo o que você falou e tenho 14 anos. Acho que a mentalidade vai de cada um, pois tem pessoas mais velhas que fazem comentários totalmente sem noção e pessoas mais jovens com capacidade de fazer comentários mais sensatos e sem sensacionalismo. Tem pessoas que parecem ser desesperadas por joinhas, só para ficar "bem", e sempre com os mesmos comentários, certas marcas são sempre lixo, outras são salvadoras da pátria. Creio que o principal objetivo dos comentários é de se trocar informações, promover diálogo e poder analisar outros pontos de vista. Tem coisas que não acrescentam em nada e só faz rebaixar o nível das conversas, totalmente desnecessários.

    • Fabio D.

      Um bom tapa nos cornos de muita gente por aí… =)

      Mais ou menos o que eu sempre repito: tá revoltado que no Brasil é assim, que carro custa caro e nos EUA é melhor?? Vai pra lá, catso! É muito revoltadinho de internet pra pouca gente que vai pra rua, acorda cedo e tenta mudar algo de verdade, suando e batalhando. Eu hein!

      • Leandro

        No tempo da ditadura foi dito algo parecido, peraí, como era mesmo? Ah, sim.. Brasil, ame-o ou deixe-o!
        É fácil fugir dos problemas, do país, difícil é encará-los, assim como é fácil criticar pela internet e não fazer nada pra mudar, e também é fácil ser um acomodado acordando cedo todo dia pra ser sugado e não se importar com isso hora nenhuma.

        A internet é um meio dessa informação chegar até nós, o único problema é que ninguém sabe ao certo o que fazer com essa informação, se vc tiver alguma sugestão diz ae, pq chamar geral de revoltadinho de internet tbm não vai mudar porra nenhuma.

  • DougSampaNA

    O problema dos 1.0 na estrada quando carregados, é o fato de um motorista ficar impaciente atrás de um caminhão por muito tempo e fazer burrada com ultrapassagem e matar a famila dele e/ou dos outros.
    Já passou da hora dos 1.0 serem obrigatoriamente CVVTs, pois com este recurso há um pequeno aumento da margem de segurança nas ultrapassagens com estes motores.
    MAS na miunha opnião, já passou da hora do Governo taxar os 1.4 como populares, assim como na Colombia e Venezuela. Não somos os bonzões? Então que nosso Governo Federal seja menos arrogante e ajuste isso.

    Sobr eo consumo medio do Onix 1.0 na estrada, ele é igual ao que tiro no New Fit 1.4 AT, então nas mesmas condições por pior que seja ainda estou na vantagem por usar motor e cambio superiores. Só estou comentando…antes que me atirem pedra.

    • Louis

      Fala Doug, blz?
      Cara, esse consumo de 11 km/l que vc disse que consegue com o Fit é com álcool ?!?! Se sim, está excelente !
      Recentemente comprei uma Livina AT para minha esposa, está fazendo 7,5 km/l de álcool na estrada e 11km/l com gasolina! Beberrão pra caramba.

      • DougSampaNA

        Fala meu chapinha, blz…sim é na estrada a 110 na média, eu a mulher e magagem que parece que tem 4 pessoas no carro…hahhahahhaha
        Realmente não tá tão mau, mas na cidade o consumo é que irrita, de 6,3 a 5,7 no alcool, dependendo do uso do ar cond. ou não.
        Da Livina eu sei porque meu irmão tem uma e reclama muito do consumo, este motor era muito bom quando era gasolina, AÍ…veio o frex…treconologia brasileira E ACABOU COM A QUALIDADE DO MOTOR.

        Mas eu ando no Fit G1 cvt no trabalho, agora hora do almoço to no escritório, mas normalmente rodo uns 60 kms dia só dentro de bairro, consumo de gasolina 11,5 km/l, aí no fim de semana uso o New,,,8,3 km/l na gasolina dentro da cidade…sem comentários;
        a Honda ferrou o Fit ao tirar o CVT e por um AT do civic só pra ter uma unicalinha de cambio, porque esta é a verdade, não o papo pra bobo de que o novo motor não conversava com o cambio cvt…abraço!

        • JPaulo10

          O segredo dos motores Nissan: ande sempre com gasolina.

      • fschulz84

        Nossa… Você tirou a Livina 0km? Ainda está pouco rodada?

        Meu irmão tem uma 2010, 1.8 AT também, se andar na estrada a 110km/h a média na gasolina vai pra 14km/l…

        • Louis

          Não, já está bem rodada. Comprei porque foi uma oportunidade, era de um parente que tentava vender há 6 meses e não conseguia, paguei valor muito abaixo da tabela por conta disso. É 2010 com 85 mil km rodados, mas revisões feitas na concessionária.
          Vou ter que verificar velas, filtro de ar, etc pra ver se melhora o consumo, mas já li relatos de outros donos de Livina que reclamam bastante do consumo também…

          • fschulz84

            É realmente… Meu irmão mesmo estranha pois já ouviu relatos de outros donos que reclamam do consumo também.

            O que sei que ele fez recentemente foi trocar tudo que você mencionou, inclusive as velas ele colocou aquelas Iridium e o consumo começou a melhorar ali.

      • Herbet23

        O meu antigo Siena 1.8 2005 flex faz 11,4 no alcool com 2 pessoas e ac ligado… É aquela coisa também, manutenção em dia, pneus 195/55, velas denso e não ficar apertando o acelerador que nem maluco, nem usar freio demais….

    • mauricar20

      Cara, depende de onde você mora. Acho que o consumo do Onix em Minas tá bom, já que tem muita serra. Depende da velocidade que se roda na estrada também. Consigo no meu Punto 1.6 16v o mesmo consumo desse Onix, só que andando na Rodovia dos Bandeirantes, situação na qual o Onix seria bem mais econômico.

  • MecanicoDigital

    Já estava sentido falta da avaliação 365 ;)

  • Moy

    Eber, show de bola essa tua avaliação, fazendo o mais real possível do uso por pessoas comuns.
    Tenho uma hatch médio pro meu uso diário e não me lembro a última vez que andei com 5 pessoas nele. No máximo eu e minha esposa.
    Venho pensando em trocar por um carro compacto, não popular, e o Onix seria uma opção (não tão compacto assim).
    Não penso na questão do status. Apenas foco na praticidade do dia a dia.

  • yuri calmon

    A GM sabe dimensionar o arcondicionado dos seus carros, diferente dos DACIA/Renault !!!!B)

    • Mr. Potato

      Ao contrário. A GM é a que MENOS sabe dimensionar ar-condicionado em seus carros. O Celta 1.0 quando liga o ar vira uma carroça. Já num Sandero a perda de força é bem menor. Mas gela menos? Depende de onde você vive. Onde moro é mais fresco e não se nota diferença. Já pra quem mora no RJ por exemplo é problema sim. Mas carro 1.0 já anda muito no limite, por isso precisa sim de compressores reduzidos. Isso que é prioridade nesse tipo de carro. Simplesmente não se pode ter tudo num "mil".

      • canino_preto

        Vira do avesso vc quer dizer…pois carroça ele já é!

        • guto05

          rsssssssssssss

      • vitimsl

        Já tive GM e meu pai sempre teve algum (hj tem um Vectra) e digo que o ar da GM gela muito, muito mesmo. O carro que eu tive da marca foi um Agile (carro criticado pela maioria mas que me atendeu muito bem, sem nehhum problema) e foi um dos melhores ar condicionado que já vi em um carro "normal". Mas aí vem a parte negativa: os carros perdem e muito em desempenho e economia… Pelo menos o Agile desligava o ar quando pisava fundo… Obs.: Até meu Focus 2.0 faz isso.

        • Ubaldir

          O Agile só tem o estilo controverso. Mas com certeza é um carro eficiente. A plataforma do antigo Corsa é boa, proporciona bom espaço interno e comportamento dinâmico agradável. E os motores 1.4 da GM, se não são modernos (esse bloco é o mesmo do Corsa GL de 1994), ao menos são experimentados, de fácil manutenção (assim como os VW 1.6 e 2.0, acha-se peça para eles em qualquer loja de autopeças) e, para motores de 8 válvulas, até que produzem uma potência digna de nota. Os 106 cavalos que se tira da versão mais atual desse motor são um assombro para unidades de força com essa concepção.

          • Mr. Potato

            Quando não se tem preocupação nenhuma com emissões, é fácil tirar alta potência específica.

            • LS7

              Como assim? Leio muitas revistas e sites automotivos, mas não vi nenhum teste de emissões com esse motor 1.4 SPE da GMB.
              Aliás, quanto mais eficiente o motor, maior será a potência e menor o nível de emissão de poluentes, ao contrário dos motores antigos (como o do Fusca ou o do Opala), em que a potência específica era baixa e o índice de emissões era altíssimo.
              O consumo dos motores mais eficientes também é mais baixo quando comparado com outros de mesma potência, e o SPE já mostrou, inclusive neste blog, que seu consumo é um dos melhores.

            • Ughadoo

              Seguem as notas do Onix no programa Nota Verde do Ibama / Proconve:

              Onix 1.0 – 5 estrelas (nota máxima)
              Onix 1.4 manual – 4 estrelas
              Onix 1.4 automático – 5 estrelas (nota máxima)

              Os testes do Ibama / Proconve levam em conta as emissões de CO, NMHC, NOx e CO2 e se o veículo usa combustível fóssil, renovável, híbrido ou elétrico.

              Para comparação, seguem os valores de outros modelos próximos:

              Hyundai HB20 1.0 e 1.6 – 5 estrelas (nota máxima)
              Ford Fiesta 1.0 – 4 estrelas
              Ford Fiesta 1.6 – 3 estrelas
              Renault Sandero 1.6 – 4 estrelas
              Renault Sandero 1.0 16V e 1.6 16V – 3 estrelas
              VW Gol 1.0 e 1.6 – 4 estrelas
              Fiat Palio ELX 1.0 e 1.4 ou Fire Economy 1.0 – 3 estrelas

      • CleSilva

        celta vira carroça com ar ligado? pelo jeito vc não dirigiu um celta vhc-e com ar ligado… eu tenho um 2012 e moro em fortaleza que quase todo dia é 30 graus, so ando com ar ligado e o carro anda muito bem!

        • AMLAJD

          O CELTA não precisa virar carroça…

        • gcarlos

          CleSilva, é por q uma boa parte dos leitores do NA, só possuem carrão, nem q seja virtual, aí só sabem falar CARROÇAS, os compradores chamam de OTÁRIOS, e assim por diante… Deveriam comentar de acordo com a proposta do carro observado. Acho q todo mundo sabe se por q se compra um popular 1.0. A maioria por q o preço é mais acessível !?, ou por q precisa de um auto pra se locomover, etc.

      • mateusandrade1

        Tenho um sandero 1.0 e posso te dizer com toda certeza que é um ar condicionado bem fraquinho, ele nao puxa muita força do motor, mas aqui onde moro, em salvador, ao meio dia fica impossivel de refrigerar o interior do sandero com o ar condicionado, mesmo colocando na velocidade 2 ou 3. Na velocidade 4 ele dissipa muito e mais ventila do que resfria. Mas o conjunto fica agradavel em temperaturas mais baixas

      • nightsky14

        Meu Corsa 1995 1.4 tem um sistema no AC que ao solicitar muito o motor o compressor se desliga, e funciona mesmo, quando preciso ultrapassar, piso forte, o AC desliga, depois de colocar a 5º e ficar tranquilo o ar volta a funcionar. Mas foi retirado esse recurso para diminuir custos de fabricação.

        As montadoras sucateiam cada vez mais os populares.

    • Castle_Bravo

      O do Sandero 1.6L não tenho críticas, ao menos o que conheço gela decentemente.

    • _Schneider

      Tenho um Sandero 1.6 e o ar gela bem. Se quer ser hater de uma marca pelo menos pesquise bem antes de arrotar tolices, ou explique melhor o que você quer dizer.

      • Ughadoo

        Creio que ele estava se referindo ao Sandero 1.0 e ao Logan 1.0. Não teria sentido comparar o impacto do ar condicionado no desempenho do Onix 1.0 com o que provoca em motores 1.6.

        Mas concordo; faltou explicar melhor o comentário.

      • yuri calmon

        Eu tenho um Logan, e já tive Celta, Meriva e Corsa. Sei o que estou Dizendo meu chapa!!!!B)

  • maria

    Sedã 1.0 não da,ja hatch 1.0 flex ja acho ruim

    • Mr. Potato

      Imagina viajando com a família e porta-malas carregado. Não sei por que insistem em lançar sedãs 1.0.

      • yuri calmon

        A diferença de peso entre o ônix e o novo Prisma é de apenas 12Kg !!!! Não muda nada em desempenho!!!! KKKK

    • Ughadoo

      A diferença em peso não é muito grande, então o motor que é capaz de tocar um hatch acaba tocando um sedan de modo similar. O peso é geralmente quase igual devido aos reforços necessários na estrutura dos hatches para compensar a grande abertura traseira.

      A única diferença significativa está na capacidade do porta malas, mas aí basta pensar um pouco ao usar; o fato do carro ter um porta-malas acima de 450 litros não quer dizer que se possa carregá-lo com paralelepípedos de granito. Normalmente o espaço a mais é usado para mais roupas, travesseiros, cobertores, comida, etc., enquanto que em um hatch seria necessário se concentrar apenas no básico – esse tipo de carga extra (mais roupas, travesseiros, cobertores, comida) não acrescenta muito peso.

  • maria

    Prefiro you tube do que facebook acho melhor ver videos de carros

    • CleSilva

      vc ta bem?

  • Rafa_el

    Carro com motor pequeno tem botar para girar mesmo.

    Tem que saber explorar o motor com reduzidas e kicks no acelerador antes das reduzidas.

    Meu carro tem motor 1.4 que gera 83 cv no álcoo.

    Para dar conta de subir com quatro pessoas tem que encher o motor.

    Se souber usar ele vai bem. Não perde muita velocidade.

    Nas ultrapassagens o motorista tem que ter perícia. Não é brincadeira. Parece que se está remando contra a maré sem sair do lugar. Pisa, pisa e o caminhão ainda está lá, quase andando junto.

    • guto05

      Dá-lhe Tsi neste caminhao, rsss.

    • Diler

      Carro com motor 1.4 de 83 cavalos? Só pode ser um Peugeot, só peugeot, renault e citroën têm carros tão ruins assim, qualquer 1.0 de hoje tem 80 cv, 1.4 da chevrolet passa dos 100 cv

      • Leandro

        Esqueceu a Fiat?

  • Ezequiel

    Tendo em vista a rápida evolução dos motores hoje em dia, porque ainda temos motores 1.0, se os 1.4 e 1.6 já estão num patamar de consumo muito bom?

    • No Brasil, carro com motor 1.0 paga menos imposto.

    • Vitão

      Em relação aos motores 1.0 a solução seria vir com 1.0 Turbo, injeção direta….. MAS…. As montadores não querem investir novas tecnologias aqui……

      • Pablo

        MAS… os consumidores e oficinas ainda tem medo de novas tecnologias por aqui.

        Não adianta vender carro que não vai ter rede de manutenção. Exemplo: se você tiver um problema com um câmbio DSG hoje, vai ter muita dor de cabeça pra fazer o reparo.

  • Arthur_SS

    Eber,
    "Nosso planejamento inicial era de comprar dois carros por ano para isso. Mas não o fizemos ainda pois não temos certeza que conseguiremos alcançar 30.000 quilômetros rodados com os dois no ano. Estamos vendo maneiras de fazer isso, e assim que conseguirmos iremos comprar outro modelo."
    Estou à disposição ;) rs

    • fschulz84

      Dois!!! E olha que testo no trânsito caótico de SP! :D

    • haha, pois é… mas é aquilo, precisaria ser aqui na nossa cidade, se não fica complicado…

      • racs63

        Não poderia ser em Poços de Caldas? rss

    • DCald

      Pois eh… eu tbm estou a disposição… meu C4 que peguei em novembro já está com 10400km rodados

      • guto05

        Rsss, eu tbem, meu astra de 2009 esta com 9 mil. rsssss. Rodo pouco mesmo.

    • Ricardo Rangel

      Hahaaaa… Sou de Pouso Alegre também e rodo em torno de 5000 a 6000 km/mês nas principais otas Sul Mineiras a trabalho com um Corsa 1.4. Caso precise, basta entrar em contato.

  • mauricar20

    Em casa temos dois 1.0, um 1.4 e outro 1.6 16v. Posso dizer que não exite diferença entre eles rodando nas rodovias paulistas e na cidade. Qualquer um deles mantem 120 km/h mesmo com 4 pessoas, e sim, só ando no máximo até 120 km/h, porque esse é o limite das estradas brasileiras. A diferença aparece quando é necessário andar em estradas vicinais de pistas simples que exigem ultrapassagens ou serras, e mesmo assim, conhecendo os limites do carro, tendo responsabilidade, da pra fazer uma viagem tranquila.
    O carro 1.0 só é econômico se dirigi-lo como um veiculo 1.0. Concordo com o Eber, não dá pra ter os dois mundos em um carro "mil", então: carro cheio = ar desligado. Precisa andar com o carro cheio e o ar ligado? Compre um carro de maior cilindrada. Se apenas uma das situações ocorrer, o 1.0 vai bem.
    Também não adianta querer esgoelar para não ser ultrapassado ou fazer com ele ande como um carro de motor maior. Cada um tem seu limite. Quer andar mais? Compre um carro mais potente, adequado ao seu interesse. Percebo isso quando mantenho 100 km/h no 1.6 e depois subo para 120 km/h. O consumo aumenta pouco, ou seja, andar à 100 km/h se faz pouca economia em relação à 120 km/h. Já no 1.0, rodando a 100 km/h ele é bem mais econômico que a 120 km/h. O 1.4 fica no meio termo dos dois, tendendo mais para o comportamento do veiculo 1.0 (menos velocidade, mais economia).

    Meu carro é 1.6 16v, pois praticamente ando só na estrada. Se utilizasse somente em trecho urbano, desde que a diferença de preço fosse significativa (o 1.0 fosse bem mais barato), eu optaria pelo 1.0, tranquilamente, ainda mais pq os "mil" de hoje, andam bem.

    • AMLAJD

      Claro que existe diferença. Chega numa subida você cai para 80, cai a rotação, tem que reduzir e o outro mantem a velocidade sem forçar. Veja a retomada de 40-80 km num ONIX 1.0 e num 1.4. O Gol 1.0 vazio tem retomada melhor que o ONIX 1.0 vazio e mesmo assim falta força nas retomadas. Se fosse como você diz, para que carro 1.4; 1.6; etc?

      • mauricar20

        Olha o contexto. Eu falei, nas rodovias paulistas. Quem dirige na Rodovia do Bandeirantes, por exemplo, me entenderá. Estradas planas, não tem diferença não. No transito de São Paulo, menos ainda. Claro que para o uso normal e respeitando os limites de velocidade.
        Eu tb falei: "…A diferença aparece quando é necessário andar em estradas vicinais de pistas simples que exigem ultrapassagens ou serras…" bem claro e simples.

        Para as condições que eu falei, digo com toda propriedade, que não existem diferenças, já que dirijo as 3 motorizações no mesmo percurso regularmente, e todos em casa, têm a mesma opnião.

        A escolha de um carro depende do uso. Pra que vou comprar um carro com 120 cv de potência para usar o carro exclusivamente no transito de uma grande cidade? Por isso existem diversas cilindradas. Os carros 1.0 atendem o uso urbano muito bem, e permitem a utilização esporádica na estrada tranquilamente.

  • Guga

    Concordo, o que mais se vê aqui são comentários agredindo os outros usuários e os brasileiros em geral… por esse motivo eu raramente leio os comentários

  • Max

    Muito bom acompanhar esta avaliação, mas espero dados mais detalhados do consumo! Precisam avalaiar com os 2 combustíveis, cidade e estrada.

    • Veja na nossa página de avaliações… lá temos o histórico do Onix na Avaliação 365… e mostramos o consumo que conseguimos nos outros meses, com gas/alc em cidade e estrada.

  • LeandroBalmant

    Qual é o tamanho do porta-malas do Onix?

    • Eugenio C.

      1 motorista e 3 cunhados. :p

      Falando sério, a capacidade divulgada é de 280 litros, praticamente a mesma coisa que o Gol G5 (285 litros).

      Seria interessante postar as medidas (largura x altura x profundidade), embora isso não signifique nada quando se trata de hatches pequenos.

  • giovanne

    eu tenho um onix 1.0 lt
    viajei com ele até o sudoeste da bahia com 5 pessoa e porta malas cheio
    andei 1400km o carro foi otimo tem muitas rodovias simples e tem que ultrapassar muitos caminhões.
    vijei tranquilamente com o ar ligado e não tive grande problemas.
    o unico foi para ultrapassagens na subida
    ai era preciso desligar o ar um pouco
    mas fora isso adorei o carro muito comfortável e economico
    pois gastei apenas um tanque é meio de combustivel.

    • CleSilva

      ultrapassagem na subida? ta louco amigo? o.0

  • oliveirajc

    Pra quem sabe dar potência ao motor, não vai reclarmar de falta de potência em motores 1,0. É um absurdo alguém que diz gostar de carros e mesmo assim ter medo de rpm e carga (abertura de acelerador), não dá pra entender.

    • Ubaldir

      Uma boa comparação para ilustrar esse seu comentário: os motores 1.0 de hoje têm potência até maior que os 1.6 do início dos anos 90, que eram referência de desempenho na época. Os motores 1.6 CHT geravam 75 cavalos no final de sua evolução. O próprio motor AP1600 da VW redia seus 80 cavalos, o que é mais ou menos o que um "milzinho" dá hoje.
      O problema maior que eu vejo no desempenho dos motores mil está na força, o bom e velho torque. Os 1.6 antigos rendiam na casa dos 13 kgfm, enquanto nossos melhore mil estão patinando ainda na casa dos 10. Isso faz muita diferença na condução. Por isso a necessidade de botar o pé no fundo para fazer o motor girar perto da rotação de potência máxima. O baixo torque em qualquer rotação mata a elasticidade e obriga rotações mais altas.
      Só discordo do lance de "ter medo de RPM". Não é bem isso. Principalmente nossos carros mil pecam quando o assunto é isolamento acústico. Altos giros implicam em muito ruído, alto consumo, trabalho excessivo no pé direito, no esquerdo e no câmbio. É divertido guiar "agressivamente" em curtos períodos de tempo. Mas para o dia-a-dia, não há dúvidas que conseguir bom desempenho de um carro em rotações mais baixas garante mais conforto.

      • LS7

        Quando se fala em torque, é necessário também falar da redução final da transmissão. Um 1.6 dos antigos, com 13 Kgmf de torque e câmbio de 4 marchas, não seria muito diferente de um 1.0 de mesmo peso, torque de 10 Kgmf, mas com câmbio de 5 marchas com relações bem mais curtas.
        Há algum tempo atrás, nos testes comparativos entre o Civic Si e o Golf GTI, apesar do torque muito superior do Golf (cerca de 26 Kgmf contra 19 Kgmf), a retomada de 40 a 100 Km/h em 5ª marcha era mais rápida no Civic, que tinha 6 marchas contra 5 do Golf. A 5ª do Civic era bem mais curta que a do Golf, e a 6ª, apesar de dizerem que era uma overdrive, tinha redução final equivalente à 5ª do Golf. É apenas um exemplo do quanto o torque pode ser multiplicado com as reduções das marchas.

        • Ubaldir

          Bom, mas no início dos anos 90 os veículos nacionais eram praticamente todos (senão todos) dotados de câmbio de 5 marchas. Tanto é que não existe Gol CHT (exemplo que usei) com 4 marchas. Na comparação com os 1.0 de hoje, basta andar em um Golzinho CHT 1.6 e um dos carros mil de hoje e verás que, mesmo contando com potência menor que a grande maioria dos nossos populares atuais, o Gol velhão se apresenta significativamente mais agradável de guiar, passando uma sensação de desempenho superior.
          Quanto ao torque, não é que ele seja multiplicado pelo número de marchas. A coisa é mais simples. Em um carro de 4 marchas há um "espaço" maior entre cada uma das marchas, fazendo com que o giro caia muito na mudança de uma para outra, ou que o carro ande muito "enforcado" em altas velocidades, o que acaba atrapalhando o aproveitamento do motor como um todo.

      • oliveirajc

        O problema todo é que ficou o conceito errado de que usar mais as rotações ou a carga no acelerador vai estragar o motor ou significa dirigir esportivamente. Na verdade, só se está usando o motor dentro daquilo para o qual foi previsto. É até importante o motorista aprender a dar desempenho máximo ao motor para usar quando precisa, até mesmo por segurança, como, por exemplo, fazer uma ultrapassagem no menor tempo possível.

        • Ubaldir

          Acho que não tem a ver muito com o conceito de haver dano ao motor em giros altos, não. Até que isso era realidade a uns 20 anos atrás, quando utilizar um motor frequentemente em giros elevados encurtava mesmo sua vida útil. Mas atualmente, acho que já está bem difundida a ideia da "faixa vermelha". Abaixo dela, está nas especificações de uso do motor.
          A questão mesmo está no fato de que é desagradável e trabalhoso andar em altas rotações. Raras exceções em nosso mercado, isso gera desconforto, ruído interno além do razoável, muito trabalho na direção, trocando muito de marchas e usando demais os pés direito e esquerdo. Andar em rotações elevadas incondicionalmente leva a uma forma de guiar que tem que ser mais agressiva. Como eu disse, isso é até legal em períodos curtos de utilização. Mas andar assim "full time", ao menos para o motorista comum, é bem cansativo.

          • oliveirajc

            Não é pra andar todo tempo assim, mas quando precisa é fundamental. Consatantemente vejo gente que deixa de acompanhar a fluidez do tráfego por preguiça de usar o câmbio ou pra economizar combustível.

      • Stark

        "O baixo torque em qualquer rotação mata a elasticidade e obriga rotações mais altas. "

        Esses 1.0 de hoje estão tendo torque plano em qualquer rotação e estão bem elásticos sim. A diferença é que o torque que tem em todas as rotações, não é muito.

        • oliveirajc

          O problema é esse, dirigir usando o motor em regimes que ele ainda não tem potência palpável. É sód ar mais rotação ao motor que o problema acaba.

        • Ubaldir

          Ter curva de torque plana, mas com torque máximo baixo, não dá a um carro "elasticidade". Motor "elástico" é aquele que une curva de torque plana desde as rotações mais baixas com números de torque máximo bons. Carro com 10 kgfm de torque máximo não consegue ser elástico de jeito nenhum, independende de sua curva de torque.

      • zeuslinux

        Eu até entendo esses argumentos e concordo com eles, mas dirigir um carro tendo que "esgoelar" para ter um desempenho razoável é um absurdo.

        Já tive 2 carros, um Gol 1.6 CHT daqueles quadradões e um Escort Hobby 1.6 CHT. O desempenho do Escort Hobby era um lixo por causa do câmbio horrível e regulação ruim e tomei tanta raiva dele que vendi antes de terminar a garantia. Já o Gol era bem valente e gostoso de dirigir. Não precisava esgoelar para fazer uma ultrapassagem segura e nem em subidas de serra.

        Eu particularmente gosto mais de motores "torcudos", que são espertos em baixas rotações. Tive um Astra 2.0 que era uma delícia de carro. Mais gostoso de dirigir até do que um Corolla 2.0 que tive depois, mesmo sendo mais potente que o Astra (que tinha apenas 116 cv, dos primeiros, sem ser flex).

        Um dos carros mais impressionantes que dirigi até hoje foi um Jetta 2.5, que mesmo tendo cerca de 170 cv, parecia ser muito mais potente. Talvez fosse o torque.

        • oliveirajc

          Em certos motores, é só o motorista entender que não dá para ficar o tempo todo querendo usar apenas 2000 rpm, que o problema de falta de desempenho acaba.

          • Ubaldir

            Bom, nesses casos resolve-se o problema de desempenho levando o carro sempre a giros altos, sendo que na troca de marchas, não se deixa cair o regime de rotações abaixo dos 3000 RPM. Mas isso não elimina o fato de que este tipo de condução é desagradável e cansativa, além de levar o consumo a patamares também desagradáveis. Ao menos ao meu gosto, não serve para o dia-a-dia.

        • Ubaldir

          Bom, meus argumentos foram bem destinados a dizer o que você está dizendo, Zeuslinux. Eu também sou entusiasta dos motores com curva de torque plana e valores absolutos altos. Eu tive dois Vectras com o motor 2.0. Realmente ótimos de guiar. Aquele motor da 2.0 da GM tinha comportamento muito semelhante aos motores aspirados do Jetta de hoje. A diferença está só no fato de que os VW entregam seu torque máximo uns 500 giros abaixo dos GM, acentuando essa característica de muita força desde as primeiras rotações.
          Quanto ao Escort e o Gol, a despeito de terem o mesmo motor, o Escort tinha acima de 100 kg a mais que o Gol, o que jogava contra o carro da Ford. A relação de marchas muito longas também não era adequada ao motor, dando até sono de guiá-lo. O Gol já tinha uma relação de marchas bem adequada ao CHT, sendo que realmente era um carrinho em que não se ressentia da falta de desempenho. A despeito de ele ter um probleminha de durabilidade do comando de válvulas, pouco deixou sentir a troca dos ótimos AP por ele.
          Já esse Jetta 2.5 era realmente uma gostosura de carro. Eu só penso aquilo com um bom câmbio manual. Aí sim, estaria no meu gosto… rs.

  • Jason

    Bom, os motores de 1.0 de hoje já tem mais do que os antigos que de fato, se arrastavam. Eu mesmo com um Gol G5 1.0, consigo bons números na estrada. Outro dia em uma reta, com o carro vazio, consegui fechar 140km/h. Com o carro carregado, já viajei na estrada, e o desempenho foi apenas mediano. Dava pra manter o carro a uns 100/120km/h em algumas retas, mas quando chegava a subida, tinha que ficar do lado direito da pista e, às vezes, levantar o carro em terceira marcha. E isso, sem ar condicionado (não temos esse opcional). Se bem que não faria diferença, pois o motor desativa o ar condicionado quando precisa de um pouco mais de fôlego. Mas acho que, se eu tivesse ac nesse carro, teríamos um consumo ruim e uma velocidade de 'tartaruga'.

    • Mr. Potato

      Antigamente era muito pior. Nos anos 90 o Corsa tinha inicialmente 50 cv. O Gol tinha 53 cv. Pra alcançar os 100 km/h precisava de muita paciência, e morros mais fortes às vezes só se subia de 2ª em plena estrada (inacreditável, mas é verdade!). Quem andou em algum modelo daquela época sabe o terror que eram.

      • Jason

        Sim, Potato! Tinhamos um Gol 1000 1993 e aquele carro era um sofrimento pra pegar velocidade – embora eu não dirigisse na época, lembro bem. Hoje em dia, seria perigoso pegar uma BR com um motor desses. As carretas passando ao lado, com muito mais velocidade.

        • Ubaldir

          Rapaz, além da potência muito baixa, aquele Golzinho tinha uma relação de marchas simplesmente horrível. Primeira e segunda ridiculamente curtas, terceira loooooonga (era possível levar o carro a quase 120 com ela) e quarta e quinta praticamente iguais à terceira. Muito ruim, mesmo. Agora, pior que o Gol 1000 tinha Escort Hobby e Chevette Júnior. Aí sim, era sofrimento.

  • Lexfamulus

    A questão é que tem bastante gente por aí acreditando que "motor gritando" é sinônimo de excesso. Como exemplo, cito minha irmã, proprietária de um Fox 09/09 1.0. Sempre reclamou de que o carro era muito fraco e etc. Depois que mostrei a ela que o carro não vai explodir se passar das 3000 rpm, as reclamações cessaram, e ela passou a se sentir mais à vontade para explorar melhor as faixas de rotação mais adequadas a cada caso.
    E Éber, como aposentado tendo muito tempo vago que sou, coloco-me à disposição para efetuar os testes dos carros que forem necessários, e até mesmo publicar minhas impressões. Não cobro absolutamente nada por isso, e ainda pago pela gasolina. Estes testes que vem tentando fazer são extremamente úteis, pois permitem que os compradores tenham uma noção bem melhor do carro, completamente diferente das matérias pagas veiculadas por aí.

  • Felipe

    Eber, queria saber se esse Onix de vocês possui uma cavidade no assoalho atrás do banco do motorista. Descubri essa cavidade ontem no meu, mas acho que é alguma falha de montagem, pois o pé afunda mesmo no carpete.

  • Mathw12

    Tenho um Corsa Wind 1.0 MPFI ano 2000 com 200 mil kms originais. Ele só tem 60 cavalos (bem menos que os 80 do Onix) e é da época em que as montadoras ainda não ficavam encurtando as relações de marcha para ganhar agilidade. Para os padrões atuais, é um câmbio bem aberto até pra um carro de 1 litro. Mas realmente tem que saber dirigi-lo para ter alguma desenvoltura. O meu não tem o conta-giros por ser a versão básica, mas tenho q fazer o motor "gritar" um pouco sim pra trocar as marchas. Na estrada, dentro os limites legais (120 km/h) ele vai, mas já cheguei aos 150 km/h no velocímetro, a real deveria ser por volta de uns 140 km/h. Loucura! Parece que o motor vai explodir e o carro perde completamente a estabilidade direcional. Em condições normais de uso, misto entre cidade/etrada, consigo algo entre 12~13 km/l, sem ter que me preocupar muito em dirigir visando a economia.
    Certa vez eu o levei no meu mecânico e nós tivemos que sair com ele pra dá uma volta para ouvir um barulho, ele ficava trocando marcha muito cedo, aí que o carro não andava mesmo. Vc tem q esticar sem dó. E quanto ao peso ele sente bem, sim. Diria que o limite aceitável pra ele é 3 pessoas, mais que isso fica complicado, pq vc sente na direção mesmo.

    • Eugenio C.

      Na época em que eu viajei com um Corsa Wind 1.0 MPFI ano 96, em estrada de pista dupla bem pavimentada, mantendo a média de 110km/h, consegui fazer cerca de 18km/l de gasolina. Mas na hora de voltar, com carga total no carrinho (banco rebatido e lotado de caixas de livros), a coisa ficou feia… e o consumo caiu para 12,5km/l.

    • Ubaldir

      O duro desse Corsa Wind era se tivesse ar condicionado. Minha esposa teve um 4 portas (ano 2000 também, aquele com relógios do painel brancos) por 3 anos. Com o ar ligado era realmente muito desagradável andar nele. E ainda tinha o recurso do "ar inteligente". Quando se afundava o pé no acelerador o ar se desligava sozinho. Quando se aliviava o pé ele religava. Olha, isso dava uma sensação tão ruim… parecia que o carro estava com defeito. Você saía com o carro arrastando, dando pé no acelerador, quando de repente ele dava um tranco pra frente na hora que o ar desligava. Daí a pouco, tu ia passar de marcha e aliviava o pé um pouco, era outro tranco pra trás com o ar religando. A sensação era de que o carro estava com problemas de alimentação… rs.

  • YoOdEx

    Parece que Ônix e HB20 são os primeiros "populares" que começam a entregar o que realmente deve ser entregue. Bom espaço, design bonito (vai de gosto), motores no mínimo suficientes, interior bonito. As outras terão que remar (menos o Gol que o brasileiro já o trata como segundo Deus).

  • Stark

    Os motores mais antigos e simples do mercado estão sendo os mais econômicos na prática.
    Era pra ser o contrário…

  • gcarlos

    O Prisma vem forte nas vendas de março, já tem 527 unidades emplacadas, pode está dividindo a produção com o irmão Onix ou canibalizando as suas vendas, como o Onix tá perdendo demais em relação ao HB .
    Veremos adiante….

  • Cezar

    Coisas que sei de motores 1.0.
    Gastam mais que 1.4, andam menos e fazem mais barulho(devido a rpms altos para andar satisfatoriamente gerando maior consumo)
    O mínimo de cilindrada para um carro do porte do Onix é um motor 1.4. (com esse motor terá o melhor dos "2 mundos" economia e "performance")

    1.0 é piada … só leigo ou desinformado compra um veiculo 1.0 com arc condicionado e direção hidráulica.(2 itens que roubam força do motor)
    Obs: a unidade comprada pelo NA se justifica pelo fato de ser carro de teste e mostrado para milhares de pessoas.
    Mas não indicaria a ninguém um Onix 1.0 completo com ar e direção. é tocar dinheiro fora.

    • zeuslinux

      Concordo plenamente.

      E quem diz que o cara compra carro 1.0 zero km só porque são mais baratos, digo que o carro realmente popular sempre foi o carro usado ! Se não tem dinheiro para comprar um 1.6 zero km, basta comprar um 1.6 ou maior semi-novo. É muito mais negócio.

      Trocar de carro em pouco tempo também é receita para perder dinheiro. É melhor comprar um carro bom (e consequentemente mais caro) e ficar com ele mais tempo para amortizar a diferença no custo. É melhor andar num hatch ou sedã médio potente do que um popular 0km fraco e pelado. E ainda dão menos problemas mecânicos (se foram comprados em boas condições e mantidos de forma correta), já que utilizam materiais e construção melhores.

    • anderson_sp

      Recomendar é uma coisa, a outra é a pessoa ter dinheiro no momento para pegar só um 1.0.

      • Cezar

        Dai vai da maturidade de inteligência de cada pessoa. Antes esperar e ter o dinheiro para comprar algo melhor(motorização melhor) do que comprar o que pode naquele momento sendo uma porcaria. Não existe a menor possibilidade de eu comprar um carro 1.0 completo(ar e direção) sei que é tocar dinheiro fora, vai gastar mais que 1.4 e seria uma economia burra de minha parte fazer isso.
        Abraçao …

        • Ubaldir

          Vai do uso. Quem comprar carro 1.0 pra querer arranca desempenho dele ou andar muito em rodovia, vai ter em troca o consumo maior que o de um 1.4. É a outra moeda do discurso "basta levar o carro a giros mais altos e não ter preguiça de trocar marcha". Pra andar na cidade respeitando a baixa cilindrada do motor, pode ser opção. Eu particularmente não gosto. Mas pode se encaixar nos anseios de outros, a despeito de "maturidade e inteligência".

    • mauricar20

      Cara, descordo. Depende do uso. Para utilização apenas urbana e no carro uma ou duas pessoas, o mil de hoje dão conta do recado.

      • Cezar

        Mauricar
        Sem problema amigo. Ande no seu 1.0, mas saiba que para mim e meia dúzia de pessoas que pensam, seu carro não tem valor nenhum. O carro 1.0 não compensa em nenhum sentido, simplesmente nenhum, … Não te da segurança se precisar de motor, não tem ultrapassagem, não te da conforto, te da stresse, e pior de tudo o que menos tem é a tal economia desejada, pois carros 1.0 só rendem razoavelmente se vc deixar ele cheio, e nesse caso, ele gasta ate mais que 1.4 ou 1.6 em viagens, etc… outra… 1.0 com ar ligado é piada né :) acaba com o motor que já não existe. Carros 1.0 so para carros "pés de boi" pelados, sem ar e sem direção, e mesmo assim vai andar e render menos que um 1.4 completo.
        Abraços

  • Diggo

    1.4 e 1.6 ficando para trás é só se o dono quiser, não por falta de potência deles.

  • alencar

    Gosto de tecnologia, mas o Feijao com arroz as vezes funciona melhor, eu possuia um astra 2.0 nao flex….aquele motor de monza melhorado mesmo e fazia 13,5km em BR, com ar ligado……esses novos flex, com cabeçote duplo, comando variavel estao cobrando a potencia no consumo. Hoje possuo um golf 2010 1.6 com o velho conheci APzão, nao é o mais forte, se por 5 e ar ligado tem que baixar marcha…mas se andar até os 100 faz uma baita media. A vantagem é que o torque em baixa rotação aliado a relacao curta torna-o um dos carros mais gostosos que ja dirigi, o que lhe falta era uma direção eletrica apenas. Nao podemos querer que carros com mais potencia, pneus maiores, rodas maniores, peso maiores, ar condicionado melhores/potentes. façam a mesma media que faziamos com corsinha wind, uno mille, pois tinham motor fraco, cambio longo, pneu 165, pelados…. Tenho um ditado, cavalo que corre, come!!….rsss Outra coisa, estao enchendo de firulas os carros, sou muito mais funcionalidade do que firulas….vejam a Land Rover o interior de um, voce tem o que precisa, e funcionam sempre, ponto.

    • Marciomaster

      Voçe tem razão sim, nem todos os projetos modernos estão surtindo efeito, não que seje o caso do onix. Uma correção: o motor do teu golf não é e nem tem nada haver com o AP, é sim o EA111. Abçs

  • luizfelipebc1

    Haa Pessoal esse carro é ridículo, sou mais o Argile.

  • anderson_sp

    Mesmo sendo antigo é valente, não sei a que ponto ficaria se o atualizasse com bloco muti-válvulas e comando variável, chuto que a potência bateria fácil os 90cv e o torque lá perto dos 12kgfm para um 1.0 é bom.

  • W_Costa

    Pelos relatos da avaliação 365 parece que a GM conseguiu o impossível nesse motor, aumentar potência e torque sem alterar (leia-se "gastar") quase nada, mesmo assim eu não compraria um 1.0, nem mesmo esse "surpreendente" Onix, seguindo a lógica o 1.4 deva ser ainda melhor e agradável de guiar, lembro que o Celta já tinha essa boa característica de bom rendimento, pelo menos na cidade, então seu sucessor tem a obrigação de fazer melhor.

  • Marciomaster

    Estava empolgado na semana passada, entrei numa revenda e comprei um SONIC LT 1.6 16v ,e andando com o carro esses poucos dias reparei como o carro é confortavel e espaçoso. Acho que como no onix, essa nova linha da GM previlegia o espaço, a posição de dirigir, o interior é realmente muito bom. Mais dois itens que chamaram atenção foi o cambio que é preciso e de engates curtos e o criticado painel é ótimo, e muito bem posicionado.

    • 16vti

      Os consumidores brasileirinhos, sempre comprando na empolgação e deixando para perceber o conforto e o espaço do carro depois de assinarem o cheque. É realmente chocante o comportamento do consumidor nesse mercado.

      • Marciomaster

        16vti,quando me referi a empolgação, não foi no intuito de comprar sem pesquisar, mas itens como conforto, economia etc, só sabemos apos ter o carro, testes driver não permitem isso,apenas compartilhei com os leitores e com as observações do testador desse onix em questão a melhora no quesito conforto e espaço dessa nova geração da GM

  • sergiopsy

    Põe na minha mão que ele vai rodar 30000 km, facinho, afinal uso o carro quase diariamente para trabalhar, pois são 140 km diários de minha casa ao trabalho, ida e volta.

  • Herbet23

    Eu fazia 11,3 ~ 11,4 km/l na estrada com um Siena 1.8 2005 com AC ligado, 2 pessoas e 2 mochilas. Trajeto São Gonçalo-RJ até Paraty-RJ. Esse motor deveria fazer, pelo menos, 12km/l. Ta aí mais uma prova que economia e motor 1.0 não são sempre aliados.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend