*Destaque *Featured Avaliações Chevrolet Pickups

Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-47 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

O elemento que faltava na extensa gama de opção da picape S10 finalmente chegou. A Chevrolet S10 Flex com transmissão automática de seis velocidades trouxe mais conforto ao dirigir e economia para quem a utiliza mais na cidade e no dia a dia.



Modificações foram feitas não só no motor Ecotec 2.5 SIDI Flex, mas também na caixa de câmbio, bem como na suspensão e no amortecimento da cabine. O resultado é uma Chevrolet S10 com funcionamento mais suave e agradável.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-48 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

A novidade chega com preços partindo de R$ 107.990, mas na Avaliação NA, pegamos a versão mais completa: LTZ 4×4. Essa custa R$ 129.990. Ou seja, existem as opções 4×2 e 4×4 das versões LT e LTZ, em um total de quatro opções.

No mercado, a Chevrolet S10 briga para vencer sua arquirrival Hilux, que continua ganhando em vendas. A picape média da GM vendeu 8.066 unidades de janeiro a abril, enquanto a japonesa emplacou 9.921 exemplares.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-2 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Por fora….

A Chevrolet S10 2018 mantém o visual atualizado recentemente, mas agora com a mudança na nomenclatura existente na carroceria. O nome do modelo agora está estampado no lado esquerdo da caçamba, e a versão fica do lado direito. Nas portas dianteiras, a designação do produto também foi fixada.

No mais, sem novidades, apresentando na versão LTZ faróis duplos com LEDs diurnos, grade com barra em preto brilhante e detalhes cromados, faróis de neblina e sensor de estacionamento dianteiro. As rodas de liga leve aro 18 com pneus 265/60 R18 tem bom aspecto visual.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-13 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

As laterais da Chevrolet S10 LTZ 2.5 Flex AT6 apresentam retrovisores com capa cromada e repetidores de direção, além de basculamento elétrico. As maçanetas são cromadas, assim como detalhes das barras longitudinais no teto. O estribo lateral compõe o visual, sendo bastante útil no dia a dia.

Nas laterais da caçamba, a versão 4×4 ganha identificação exclusiva. A caçamba vem ainda com santantônio personalizado e cromado, capota marítima e ganchos móveis para amarração de carga, além do revestimento em plástico para proteção. A tampa incorpora a câmera de ré e tem maçaneta cromada com fechadura independente. O para-choque tem detalhes laterais cromados, degrau central e sensor de estacionamento traseiro. As lanternas com LEDs não possuem detalhes diferenciados.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-18 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Por dentro….

O ambiente revitalizado com o último facelift deixou a Chevrolet S10 com um bom aspecto em termos de acabamento e visual, especialmente com difusores de ar verticais e revestimento cinza imitando couro na parte central. Essa versão LTZ apresenta conteúdo similar ao da versão diesel.

Destaque para os sistemas de alerta de colisão e aviso de invasão de faixa, acionados no volante e console, respectivamente. Outra novidade é a partida remota pela chave canivete, até então exclusiva da versão diesel, mantendo o veículo trancado e com funções desabilitadas, incluindo a direção. Mas, o ar-condicionado é ativado, mantendo a temperatura interior.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-29 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

O quadro de instrumentos é bem espaçado e tem boa visibilidade, assim como um computador de bordo bem completo, que inclui tensão da bateria, pressão do óleo e pressão dos pneus, entre outros. Ele também avisa sobre a ativação do alerta de colisão, ajustável em três níveis. O volante em couro tem aspecto robusto e funções de mídia e telefonia, bem como piloto automático e o alerta de colisão.

Na parte central, os difusores de ar apresentam acabamento prateado, enquanto a multimídia MyLink 2 vem com tudo incluído: Android Auto, Car Play, OnStar, navegador GPS com mapas em 3D, comandos de voz, envio e recebimento de mensagens, câmera de ré, entre outros. Comandos físicos de mídia e ar-condicionado ficam logo abaixo.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-34 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Pouco acima do console estão as teclas do aviso de invasão de faixa, bem como controle de descida, luz de alerta, desativação do controle de tração/estabilidade e do sensor de estacionamento. Abaixo, duas tomadas de 12V e a nova (na versão Flex) alavanca cromada da transmissão automática. O seletor de tração 4×2, 4×4 e 4×4 com reduzida fica próximo.

As entradas USB e auxiliar (uma de cada) ficam sob o apoio de braço central. A S10 tem vários porta-copos/garrafas/objetos entre os bancos e nas portas. Falando nos assentos, os bancos possuem revestimentos em couro de tonalidade cinza, sendo que o banco do motorista vem com ajustes elétricos. O assento traseiro tem cinto de três pontos central, mas peca por não ter apoio de cabeça nesse caso. Há uma fonte 12V para quem vai atrás.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-26 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

As portas possuem um acabamento bom, tendo detalhes interessantes, como a marca Chevrolet em detalhes metalizados na parte superior. O porta-objetos tem revestimento em camurça. Todos os vidros possuem abertura do tipo um toque para subir e descer. O revestimento central é macio e também em cinza. Os espelhos têm ajuste próximo dos vidros, o que é bom. As maçanetas são cromadas.

A S10 LTZ Flex Automática traz também retrovisor interno eletrocrômico com comandos do OnStar, faróis automáticos, limpadores com sensor de chuva, luzes de leitura, alças nas colunas A para facilitar o acesso, coluna de direção ajustável em altura, porta-luvas com espaço razoável e encaixes para porta-copos no painel, que infelizmente eliminou os dispositivos retráteis anteriores.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-8 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Por ruas e estradas….

A Chevrolet S10 Flex com transmissão automática mantém o bom propulsor Ecotec SIDI 2.5 Flex, que chama atenção por ter injeção direta de combustível, além de ser feito todo em alumínio.

O motor entrega 197 cv com gasolina e 206 cv com etanol, mas em rotações diferentes, sendo 6.300 rpm no derivado de petróleo e 6.000 rpm no produto da cana. Já o torque é de 26,3 kgfm quando com gasolina e 27,3 kgfm no caso do etanol, mas ambos surgem a 4.400 rpm.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-43 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

O 2.5 Ecotec é um motor de funcionamento macio e silencioso, entregando uma boa resposta ao acelerador, mesmo para um veículo 4×4 com 1.934 kg de peso. A disposição com a nova calibragem mantém a rotação na casa de 2.000 rpm durante a condução, subindo para 2.500 rpm em aclives longos, tais como uma serra. Ultrapassagens normalmente não exigem mais do que 3.500 rpm.

Apenas em retomadas mais vigorosas e saindo na frente dos outros é que o ponteiro pulará para entre 4.500 e 5.000 rpm, já se sentindo o ronco mais alto do propulsor, antes bem comedido. O desempenho do Ecotec 2.5 está em harmonia com a caixa de câmbio automática de seis velocidades.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-31 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

A transmissão vem com seis velocidades e funcionalidades novas integradas, tais como o Clutch to Clutch, que torna as mudanças mais rápidas e suaves. Verificamos que, em relação à versão diesel, o câmbio tem engates melhores. Outra novidade desse câmbio é uma embreagem dentro do conversor de torque, que ajuda a transferir mais força para as rodas. Nas reduções, o freio-motor funciona como na versão diesel, poupando freios e o consumo.

A GM modificou bastante o mapeamento do motor e a calibração da caixa de mudanças, a fim de obter um melhor resultado em performance, economia e conforto. Aparentemente, essas alterações surtiram efeito numa condução mais prazerosa dessa S10 Flex Automática. Rodando a 110 km/h, o ponteiro marca pouco mais de 2.000 rpm. Para um controle mais pessoal, a alavanca conta com opção manual, com certa independência do gerenciamento eletrônico.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-30 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

O consumo urbano não foi tão bom quanto o esperado, após a divulgação de números do Inmetro, fazendo 6,4 km/litro na cidade. Já na estrada, foi melhor: 10,4 km/litro. Para um carro de 5,36 m de comprimento, tração 4×4 e quase 2 toneladas, os números são até compreensíveis, com gasolina, é claro.

Com tanque de 76 litros e mantendo-se máxima de 110 km/h, dá para percorrer teoricamente 790 km, o que também não é ruim, especialmente por não ser um veículo diesel. O bom desempenho do conjunto motriz também é compartilhado por outros elementos importantes da Chevrolet S10 Flex AT6.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-28 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

A direção elétrica é leve e tem boa resposta, mas não é tão firme na estrada. Com o tempo, pega-se essa sensibilidade ao volante e a questão está resolvida. Os freios são suficientes para a proposta da picape. Já a suspensão foi levemente recalibrada para oferecer mais conforto ao dirigir. Nas curvas, a tendência natural é sair de traseira, inclinando de forma moderada. Controle de tração e estabilidade ajuda bastante em situações mais exigentes.

O conjunto absorve boa parte das irregularidades, sobrepujando os obstáculos mais difíceis. No dia a dia, a S10 Flex AT6 se mostra um carro agradável em pisos ruins, mas em pisos com buracos lunares e grandes depressões, tende a pular e sacudir bastante, devido também por conta com pneus altos de série 60.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-14 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Com bom curso de suspensão, a Chevrolet S10 Flex Automática tem ângulos de entrada e saída que facilitam muito seu uso no off-road, assim como controle de descida e a redução na tração 4×4, facilmente selecionável no console.

O propulsor mantém um funcionamento adequado em situações que exigem mais força no 4×4. Na vida urbana, assistente de partida em rampa ajuda a manter o veículo em segurança nos aclives.

O alerta de colisão, quando ativado, dispara um alarme com luzes vermelhas sobre o painel e desabilita o piloto automático. Já o alerta de invasão de faixa, também dispara um aviso sonoro e um alerta no painel. Bem que esta função poderia corrigir a trajetória, como no Cruze.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-44 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Por você….

No geral, a Chevrolet S10 Flex AT6 na versão LTZ e com tração 4×4 tem um conjunto bem equilibrado, trazendo vários itens de segurança e tecnologia que antes só estavam presentes na versão diesel, que custa quase R$ 170 mil.

Em desempenho, mostrou disposição e um consumo bom no geral. Conforto ao dirigir e pacote de equipamentos também são destaques, especialmente as funcionalidades do pacote exclusivo do OnStar. Este oferece navegação auxiliar através de setas e as mais variadas informações ao condutor, incluindo um aplicativo com alerta de valet, monitoramento de rota, socorro mecânico, entre outros.

chevrolet-s10-flex-at6-2018-avaliação-NA-45 Avaliação: Chevrolet S10 Flex melhora em conforto com câmbio automático

Assim, por R$ 129.990, essa nova opção se torna muito interessante para quem não necessita de autonomia tão elevada e nem a força de um propulsor diesel, usando-a mais no dia a dia das cidades, especialmente em regiões onde ruas e estradas locais possuem pavimentos muito ruins ou geralmente alagam com chuvas, aproveitando ainda para ir ao campo em fim de semana ou férias. Para quem se encaixa nesse perfil, a S10 Flex AT6 4×4 vale a pena.

Medidas e números….

Ficha Técnica do Chevrolet S10 LTZ 2.5 Flex AT6 4×4 2018

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, flex

Cilindrada – 2.457 cm³

Potência – 197/206 cv a 6.300/6.000 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 26,3/27,3 kgfm a 4.400 rpm (gasolina/etanol)

Transmissão – Automática de seis marchas com mudanças sequenciais na alavanca

Tração – 4×4 com reduzida

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – ND

Velocidade máxima – 9,5 segundos

Rotação a 110 km/h – 2.100 rpm

Consumo urbano – 6,4 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 10,4 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – Braços articulados independentes/Traseira – Eixo rígido com feixe de molas

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e tambores traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 18 com pneus 265/60 R18

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 5.361 mm

Largura – 1.874 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.831 mm

Entre eixos – 3.096 mm

Peso em ordem de marcha – 1.934 kg

Capacidade de carga – 816 kg

Dimensões da caçamba (Comprimento/Largura/Altura) – 1.484/1.534/466 mm

Tanque – 76 litros

Preço: R$ 129.990 (versão avaliada)

Chevrolet S10 LTZ 2.5 Flex AT6 4×4 2018 – Galeria de fotos

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

5.0

  • Tosca16

    Só o consumo por mais que esteja melhorando ainda é um fator decisivo na aquisição de uma picape Flex. já que em robustez e durabilidade ambas, diesel e flex tem se mostrado boas.

    • Louis

      Esse consumo divulgado é do Inmetro, creio que seja mais econômica que isso.

      • Tosca16

        Sim, pelo que sei existe uma correção de 18%… mas o mesmo valeria para as versões Diesel também.

      • Rodrigo Santos

        Não, o Inmetro apurou 7,9 km/l de gasolina em cidade, e 9,4 km/l em estrada. Com etanol ela percorre 5,3 km/l em cidade e 6,4 km/l em estrada.

    • Janduir

      Meu irmão acabou de adquirir uma Toyota Hilux 2010 4×4 3.0 AT Diesel(pagou 85 pila) usada de único dono. O consumo que a vendedora tinha dito 10 na cidade e 17 na estrada, quando puxei no pc de bordo marcava 6.1km/l. Na estrada acho que pra chegar a 12km/l tem que andar pianinho…Portanto 10km/l na estrada com gasolina está muito bom.

    • FearWRX

      Detalhe que ali ta marcando com gasolina. No álcool não deve chegar a 8 em estrada.

  • Louis

    S10 perdeu as lanternas traseiras em LED?

    • Vitor Barcellos

      Parece que LED nas lanternas traseiras só na versão High Country

    • Gustavo Baeta

      Perdeu as lanternas em LED e os “para barro” também, que por sinal ficou bem estranho.

      • Leonardo Balieiro

        Sim. Um absurdo.

  • duhehe

    Teria uma pickup, mas o consumo é de quebrar as pernas
    Ando +- 500 km por semana, daria mais de R$ 1200,00 por mês de gasolina.

    • Tosca16

      E sinceramente por kit GNV numa picape destas é fod* … melhor ir numa diesel 2015/2016 com pouca quilometragem.

    • Leonardo Balieiro

      DIESEL vs FLEX

      Vamos aos números.

      Vamos comparar a pick-up Chevrolet S10 (lembre-se que caso prefira, sempre deve comparar entre as versões das pick-ups que vc escolher, Hillux, L200, Ranger, etc).

      Vamos comparar a LTZ 2.5, FLEX ecotec, 4×4, 2015 com a LTZ 2.8, 4×4, automática, diesel 2015 (ambas a versão topo de linha da Chevrolet S10).
      Preço padrão anunciado pela montadora nesse período de março de 2015 (não estou entrando no mérito de alguma diferença de preço regional ou local que possa existir, ok?!) para a LTZ 2.5, 4×4, Ecotec 2015 é de R$ 106.050,00 e para o mesmo modelo a diesel é de R$ R$ 148.690,00.
      Pois bem, concluímos que a diferença de preço da versão diesel para a versão flex, do MESMO modelo é de R$ 42.640,00. A diesel é expressivamente R$ 42.640 mais cara (Obs.: a diesel conta com câmbio automático de 6 velocidades e a flex com câmbio manual de seis velocidades, portanto isso deve ser considerado também na diferença de preço e é a única diferença, além do motor diesel, é claro).

      Ok, vamos ver se essa diferença compensa.

      Não custa lembrar que as novas versões a diesel só rodam com o diesel s10, o qual está em média 5% mais caro que o diesel tradicional (considerando um panorama geral do país, pois pode haver lugares com maior ou menor variação, ok?!).
      Se considerarmos o preço médio da gasolina COMUM atual em BALSAS – MA (maio de 2015) teremos um valor aproximado de R$ 3,65 o litro (claro, variando conforme o posto). Se considerarmos o mesmo preço médio do período do diesel s10 teremos um valor aproximado de R$ 2,80 o litro[1].

      Agora, partindo da média URBANA de consumo dos dois modelos dessas pick-ups, chegaremos aos seguintes números (ambos os consumos partem de dados médios em que um motorista “civilizado” tenha conduzido o veículo, por condições normais das vias e com a rotação do motor recomentada pelo fabricante):

      LTZ 2.5, 4×4, Ecotec 2015: 7,0[2] km por litro na GASOLINA COMUM (consulte a fonte na nota de rodapé).
      LTZ 2.8, 4×4, DIESEL, 2015: 8,6[3] km por litro no Diesel s10 (consulte a fonte do consumo na nota de rodapé).

      Nesse panorama, temos que cada quilômetro rodado na GASOLINA custa ao motorista R$ 0,52 (=3,65/7,0= 0,53) e cada quilometro rodado no diesel s10 custa R$ 0,32 (=2,80/8,6= 0,32).
      Ok, então com aquela diferença apurada de R$ 42.640,00 seria possível comprar 11.682 litros de gasolina comum e rodar com essa média urbana cerca de 79.594 km.
      Ou seja, com a simples diferença de preço da mesma versão da S10, você poderia rodar 79.594 km sem “sem tirar dinheiro do bolso”.
      Mas tem mais! A versão flex tem um IPVA mais barato (pois a pick up tem menor valor). E o seguro também é mais barato, pelos mesmos motivos.
      Esse índice vai variar muito de local pra local, de acordo com a alíquota do IPVA, uns cobram 2% outros 2,5% e o PR chegou a aumentar pra 3,5%, etc.
      No MA, o valor atual do IPVA é de 2,5% (ano de 2014).

      Então vejamos, uma LTZ 2.5, 4×4, DIESEL, 2015 pagaria aproximadamente R$ 3.700,00 de IPVA[4]. Enquanto uma LTZ 2.5, 4×4, Ecotec 2015 pagaria R$ 2.650,00[5]. Uma diferença de R$ 1.050,00 por ano em IPVA.
      Mas não para por aí, ainda temos a diferença do seguro.
      O seguro de uma pick-up flex, devido a diferença de valor e ser menos visada para furto é cerca de, no mínimo, 38% mais barato[6].
      Por exemplo, a S10 diesel que estamos analisando, no meu perfil de condutor (homem, 30 anos, casado, etc), custaria, na avaliação mais barata cerca de R$ 7.521,00, enquanto a versão flex que estamos analisando, custaria nas mesmas condições de cobertura, cerca de R$ 4.664,00, ou seja, uma diferença a menos na flex de R$ 2.857,00, ou aproximadamente 38%.
      A diferença do IPVA e seguro somam R$ 3.907,00 anuais. Com tal importância, o motorista poderia rodar 7.492 km por ano “sem tirar dinheiro do bolso”. Explico: R$ 3.907,00 dividido por R$ 3,65 = 1070 litros de gasolina, os quais multiplicados pela média de 7,0 kml = 7.492 km.

      Mas não para por aí! Confira-se que rodar na gasolina, é fato, custa R$ 0,20 a mais por quilômetro (=0,52 – 0,32= 0,20). Então, anualmente, pra compensar a diferença do IPVA e seguros MAIS CAROS, o motorista teria que rodar, no mínimo, 19.535 km.

      Explico: R$ 3.907,00 dividido por 0,20 centavos = 19.535 km. Esse é o percurso que você precisaria rodar anualmente para amortizar a diferença de R$ 3.907,00, para dizer que então a sua pick-up a diesel começou a compensar durante o ano em termos de economia (considerando só a diferença de IPVA e seguro).

      Mas não para por aí! Confira-se que rodar na gasolina, como já dito, custa 0,20 a mais por quilômetro (0,52 – 0,32 = 0,20). Mas então, pra você amortizar essa economia que é no diesel, você precisaria rodar durante a vida útil da sua pick-up aproximadamente 213.200 km.

      Explico: R$ 42.640,00 dividido por 0,20 centavos = 213.200 km. Esse é o percurso que você precisaria rodar para amortizar a diferença de R$ 42.640,00 para dizer que então a sua pick-up a diesel começou a compensar a diferença de preço na compra pelo diesel ser mais barato!

      Mas o detalhe, com 213.200 km seu motor diesel já “começou a dar problema” (na bomba injetora principalmente, que não é barata) e mais um monte de coisa do seu motor diesel já deu manutenção (peças que são comprovadamente mais caras do que a manutenção do motor da versão flex). É certo que com 213.200 o motor flex já “estourou por inteiro” também, mas refazer o motor flex é ainda MAIS barato do que a versão a diesel. Fato.

      Mas tem mais! Se o cara ainda for muito economista, aquela diferença de preço das versões de R$ 42.640,00 ainda pode ser deixada no banco, na poupança, naquele índice medíocre e vergonhoso de 0,5% ao mês. Logo 0,5% de R$ 42.640,00 = R$ 213,20 mensais. Transformando isso em gasolina fica = R$ 213,20 / R$ 3,65 = 58,3 litros de gasolina mensais! Com esses 58 litros é possível rodar 408 km por mês “sem tirar dinheiro do bolso.” O equivalente a 4.901 km por ano (408×12).

      Mas agora tenho que responder a aqueles que vão dizer que é besteira deixar dinheiro na poupança, ainda mais se tirar todo mês o dinheiro do rendimento a aplicação não cresceria e o montante de R$ R$ 42.640,00 seria corroído pela inflação. Quem falar isso está certo! Mas lembre-se que se você tivesse gasto R$ 42.640,00 a mais pra rodar com o mesmo modelo da pick-up, seu dinheiro NÃO renderia e a corrosão seria mais rápida, pois carro só desvaloriza, então seu dinheiro não manteria nem sequer o montante inicial dele (42.640,00). Viraria “pó” mais rápido e você ainda não andaria um mísero quilometro a mais mensalmente por isso! Não acha?

      EM SUMA, com esses cálculos de diferença você pode preferir rodar 12.393 km por ano “DE GRAÇA”, resultantes da diferença do IPVA e seguro (7.492 km) e da diferençado preço das pick-ups aplicado na poupança (4.901 km).
      Você também pode concluir que comprar a diesel só vai compensar se rodar mais de 32.325 km por ano, pois você pode preferir somar a diferença do IPVA (1050,00) + diferença do seguro (2.857,00) + mais o rendimento anual da poupança (2.558,40) = 6.465,00. Esse valor amortizado na diferença mais cara por km rodado na flex (0,20 centavos), daria pra concluir que o diesel só se tornou mais barato se rodar mais de 32.325 km anuais (6.308,40 dividido por 0,20 = 32.325 km).

      Por fim, não quero tirar o mérito do motor diesel! É potente, tem mais torque! O que quero dizer é que, motor diesel é pra quem roda MUITO! Pra quem carrega peso! Pra quem exige pra valer da pick-up. Se for só pra andar com a família, fazer passeios, usar pra rodar no dia a dia, pegar uma praia, viajar, rodar menos de 32.000 km ano, compensa, indiscutivelmente, uma flex!

      GOSTARIA DE SABER A OPINIÃO DE ALGUÉM, PRA SABER SE ESTOU LOUCO OU SE O RACIOCÍNIO É ESSE MESMO. OBRIGADO!
      [1] Fonte: pesquisa em postos da cidade, em busca do preço médio.

      [2] http://quatrorodas.abril.com.br/carr…c-809241.shtml
      http://correiobraziliense.vrum.com.b…malditos.shtml

      [3] http://www.novidadesautomotivas.blog…-dupla-lt.html

      [4] Com base no preço de retirada da loja.

      [5] Com base no preço de retirada da loja.

      [6] Tais dados são oriundos de pesquisas que envolveram o mesmo condutor, com as mesmas características e com o mesmo plano de benefício oferecido por cada seguradora. A média encontrada de diferença das versões flex e diesel foi de 38% no IPVA. Por exemplo, o menor preço para o modelo flex em questão foi encontrado na Bradesco Seguros, no valor de R$ 4.664,00 enquanto igualmente o menor preço encontrado na versão diesel em questão também foi na Bradesco Seguros foi de R$ 7.521,00. Logo, na versão flex o seguro ficou R$ 2.857,00 mais barato, ou seja, 38% a menos.

      FONTE : Forum 4×4

      • Thiago C

        Não sou consumidor de pickup, mas se fosse, jamais iria na Diesel. Suas contas fazem total sentido. Muita gente compra sem pensar, e segue as falácias que pickup flex “não presta”.

        • Rarmbrock Pescador Tucunaré

          Diesel tem torque pra duas toneladas… Esse motor dás10 vem pra mudar o jogo…. Excelente negócio…. Só tá muito cara….100 mil no máximo….

          • Leonardo Balieiro

            Eu já coloquei uma máquina de 800kg mais 3 pessoas na Ranger 2.5 flex 2014 e rodei uns 100km tranquilo.

      • duhehe

        Concordo totalmente.
        Mas não tenho $$ para a versão a Diesel e o gasto com combustivel da Flex inviabiliza.
        Terei que ir no cliche e comprar um SUV de shopping, algo que o consumo no etanol seja 10 na cidade.

        • Leonardo Balieiro

          Acho que os SUVs de shopping estão supervalorizados devido estarem na moda, não compraria. Talvez pra você seria bom uma Toro diesel ou a nova com motor 2.4… Dê uma olhada!

        • Claudio

          E tem Suv que faça 10 km/l no etanol?

      • EMJ

        Leonardo Balieiro, concordo com quase tudo o que postou mas voce esqueceu de um detalhe importantíssimo do mercado! A desvalorização/revenda e nisso a diesel é imbatível ainda, e acaba justificando sua compra ao final, explico o pq:

        Pegando o mesmo exemplo que voce deu S10 2.5 FLEX 2015 X S10 LTZ 2.8 AUT. DIESEL 2015.

        Enquanto a flex esta hoje tabelada em 77 mil reais, a diesel esta em 110 mil reais. São 33 mil reais que as separam, o que acaba mantendo a diferença que se economiza na hora da compra. Fora que o reflexo no mercado tambem revela outra faceta. Enquanto a diesel consegue ser vendida por tabela cheia ou quase cheia, a flex tem seu valor jogado ao menos em 20/30% da tabela fipe.

        Outro detalhe importante é o incentivo ao produtor rural para pickups diesel, o que reduz ainda mais o valor desta tabela cheia da montadora. Se para o consumidor comum a diferença é de cerca de 42 mil reais, com os descontos concedidos para CNPJ ou produtor rural já cai para menos de 15/20 mil.

        Entao concluo que isso depende claro da real utilização do veículo, mas o consumidor comum nao pode levar em conta cegamente as tabelas das montadoras. Existem muitos incentivos na hora da compra para levar o diesel e na revenda a diesel é dinheiro na mao e digo isso por experiencia própria.

        • Dp Som

          Concordo plenamente… aí está um detalhe que não levaram em conta, valor e facilidade da revenda… isso muda um pouco o cálculo acima, diminuindo em muito a vantagem da flex, e muitas vezes até invertendo o cenário.

        • adinaldo mundim

          nao sei como sao os descontos pra produtor rural em outras regioes, mas aqui na minha cidade,.. interior de minas,… as PICK UPS FLEX TAMBEM TEM UM BOM DESCONTO PRA PRODUTOR,..tabem nao sei como sao as vendas das Diesel em outras regioes, mas aqui de cada 10 S10 vendidas, 7 sao FLEX. Outra coisa, essa diferença de apenas $ 15/20 mil, aqui nunca existiu., aqui.. e em outras cidades vizinhas, as Diesel tambem nao conseguem serem vendidas por tabela cheia como vc diz, inclusive, conforme o preço do Diesel, tem vez q , desvalorizam mais q as flex. Mas como disse, isso e aqui em nossa regiao, nao sei como e em outras partes. Abraço…

          • Leonardo Balieiro

            Então amigo, isso que acabei de responder acima, as versões flex também possuem desconto para produtor e CNPJ.
            Hoje em dia está muito difícil conseguir preço de Fipe em qualquer veículo usado e semi novo. Motivo: O mercado de veículos usados e semi novos está muito em alta devido ao preço impraticável dos zero km.

        • Leonardo Balieiro

          Com certeza a revenda da diesel é mais fácil que a flex.
          Sobre a diferença de preço delas usadas, é isso mesmo… a diferença continua… mas aí que está o negócio, esse valor da diferença fica atrelado ao veículo enquanto você tiver ele em mãos.
          Sobre percentual abaixo da fipe não creio que seja tanto assim, basta fazer uma pesquisa rápida nos sites de venda de veículos usados.
          Sobre o desconto pra CNPJ e produtor rural, não tenho certeza, mas acho que também vale para as versões flex.
          Com certeza não podemos pegar as tabelas cegamente, o texto foi só uma reflexão.
          Eu por exemplo, paguei em Jan. de 2015 R$ 81.000,00 na Ranger CD XLS 2.5 flex, na tabela da montadora ela era R$ 89.000,00. Ainda ganhei capota marítima, protetor de caçamba e sensor de estacionamento.
          Temos que andar muito e fazer várias pesquisas, ir em mais de uma concessionária da mesma marca e colocarem eles pra “brigarem” entre si nos preços.

      • everton nogueira

        Perfeita avaliação.

      • Janduir

        Hilux 2010 3.0 4×4 At Diesel não passa de 6km/l de Diesel na cidade. O pc de bordo não deixa mentir…

        • Rarmbrock Pescador Tucunaré

          Verdade…

        • Leonardo Balieiro

          Verdade, um amigo tem uma idêntica a que você citou, andando a 140~160km/h ela faz 7km/l na estrada.
          DIESEL COMUM… Lembrando que o Diesel S10 gasta mais.

      • Juliano Amaral Nascimento

        Já fiz estas contas e vc tem razão. Fiz teste driver em flex e diesel. Não se compara a potência. Então acabei de Ranger XLT Diesel, 3.2.
        S10 2018 com 2 Air bag, absurdo. Tenho família. Abraços.

        • Rarmbrock Pescador Tucunaré

          Top…ranger excelente

        • Leonardo Balieiro

          Com certeza não compara, hehehe.
          Se achou a Ranger lenta, ainda bem que nem testou a Hilux flex. hehehe.
          Um amigo tinha uma Ranger 2.5 flex e trocou por uma hilux flex porque queria cambio automático, se decepcionou com o desempenho…
          Você pegou um excelente veículo, irá gostar muito. Só acho uma vergonha a Ford ter colocado aquelas rodas na XLT, poderia ter mantido as rodas da XLS ou colocado as da Limited…
          Eu tenho uma Ranger 2.5 flex 2015, mais de 70.000 km e sem nenhum defeito. Só estou cogitando trocar por uma diesel pois ando muito carregado e estou rodando bastante, beirando os 30.000 km por ano.
          Rapaz, fiquei boquiaberto quando vi que a S10 só tinha 2 Air Bag… mesmo nas versões mais caras. Um absurdo!
          A GM lê o mercado brasileiro de uma forma que nenhum outro faz, basta pegarmos os números de venda do Ônix comparado com os concorrentes. Usa um motor jurássico e sem nenhuma segurança também, mas o brasileiro em geral gosta de carro bonito e som com telinha, mal sabe a importância de Air Bag, ABS, ESP, etc…
          Parabéns novamente pela compra! Se eu tiver condições, fim do ano quero pegar uma dessa, rs.

      • Rarmbrock Pescador Tucunaré

        Motor que roda menos que 500 mil é porque foi negligência…. Ou erro de projeto amigo….

        • Leonardo Balieiro

          Então amigo, por isso coloquei a fonte no fim do texto, rs… Não concordei com essa parte também.
          Eu também acho que fazendo as manutenções no prazo correto e seguindo as recomendações do manual, qualquer veículo chega a 500 mil km facimente, ainda mais essa linha Duratec da Ford com corrente de comando.
          A minha Ranger flex está com mais de 70.000 km e acho que o motor não amaciou 100%, pois ando sempre em velocidades de cruzeiro e rotações baixas. Ando por estradas com muitos animais atravessando a pista. Certa vez a 110km/h não consegui desviar de uma arara e arrebentei a grande do veículo. Prejuízo de R$ 400,00 pra consertar. Uma grade nova R$ 750,00.

      • CLAUDEIR DIAS

        Cara, perfeito sua observação,sempre faco estes cálculos também e ja adianto tu foi econômico, pois eu calculo o ano que a versão diesel empatara coma flex e chaga a quase 500mil KM para empatarem…. Versão diesel so compensa pela diferença de performance, o que é muito pouca nas S10.

      • Luccas Stringger

        Apenas uma ressalva.Na hora da venda a diesel recupera o preço pago a mais,já a gasolina se perde uns 35 % da tabela fipe,faça as contas.

      • Claudio

        Bela explanação.

      • Heleno

        Exatamente, pena que Brasileiro criou a idéia que camionete tem de ser diesel. Isso vem dos anos 80, quando as versões a diesel da famosas F1000 e D20 eram sim muito econômicas em relação aos modelos a gasolina. Hoje e cenário é outro, os motores diesel ganharam cavalos e perderam a economia, enquanto os motores a gasolina ganharam menos potencia mas mais economia. Agora só um detalhe, esses motores tanto a Diesel quanto o Flex rodam facilmente mais de 200mil km sem problemas. No fórum 4×4 mesmo, existem vários relatos desses motores, passando dos 300 mil sem problema algum.

  • Leonardo Balieiro

    Esse veículo com motor amaciado, abastecido com gasolina aditivada e militec deve fazer mais de 11 Km/L.

    • Rarmbrock Pescador Tucunaré

      Sonha

  • Luiz Felipe Mello

    Agora só uma pergunta a dona GMB, porque não lançar uma versão da Trailblazer com o mesmo conjunto mecânico por uns 140 mil reais?

    • Vitor Barcellos

      Acho que não compensaria para a GMB. E 140k deve ser o preço de uma das versões do Equinox

      • Luiz Felipe Mello

        Compensaria antes da existência da Equinox, mesmo com o lançamento dela, acho que a GM poderia lançar essa configuração da Trailblazer, são públicos distintos.

    • oloko

      Tem a equinox, e se for pra pegar uma trailblazer a gasolina tem a v6

    • Rarmbrock Pescador Tucunaré

      O v6 dá trailblazer é o mesmo do Camaro v6….. Avião….

  • nightwishjp

    40mil de diferença e só muda o motor?

    • leandro

      Muito difícil de engolir mesmo.. mais difícil engolir deve ser de fundir um motor desse a diesel a retifica deve passar dos 20 mil reais tb

      • Rarmbrock Pescador Tucunaré

        Só dá retífica por negligência ou erro de projeto

        • leandro

          Exato. Mas dá. Na vida única coisa que não estraga são os medidores de água e eletricidade, o resto todo um dia estraga

          • T1000

            Esses motores darem problema com 200mil km só se o proprietário negligenciar as manutenções mais basicas que envolvem troca de óleo.

  • Rarmbrock Pescador Tucunaré

    Perfeita a análise…. Parabéns…. Sobre o consumo excelente….. Só espero que esse motor dure igual o diesel….

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend