Avaliações Chevrolet Minivans

Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-1-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

A Chevrolet Spin Activ 2015 é a primeira ação da GM no sentido de prover à atual gama nacional um modelo aventureiro. Adicionando um visual diferenciado, robusto e com soluções de ergonomia, o monovolume feito sobre a plataforma Gamma II/GSV entra em um segmento que atrai muito o consumidor brasileiro.



Assim como outras marcas, a GM decidiu mesclar as boas características de espaço, praticidade e conforto da minivan com uma proposta de fora de estrada leve, daqueles que o proprietário pouco ou nunca irá usar. A ideia é no máximo pegar algumas estradas de terra sem muitas pretensões.

Pneus de uso misto, faixas decorativas, protetores adicionais e um estepe externo são os principais itens que denotam a proposta da Chevrolet Spin Activ 2015 de ir um pouco além da cidade e da estrada. Mas, assim como os demais rivais do segmento, há um preço a ser pago por isso e é alto: R$ 68.520 na versão automática e com pintura metálica, como o veículo testado. O valor é semelhante ao que se pagaria em um crossover ou SUV compacto. O preço básico é de R$ 63.340.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-21-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

Por fora…

A Spin Activ adiciona alguns elementos estéticos para mostrar sua proposta. Na frente, os faróis apresentam fundo negro, enquanto o para-choque ganha protetores pretos e peito central prateado. Há dois importantes faróis de neblina nas laterais com moldura em preto brilhante.

Nas laterais, a GM introduziu capas nas saias de rodas, assim como protetores na base das portas com aplique prateado na parte inferior, bem como faixas decorativas com nome Activ e o grafismo que a simboliza. Os retrovisores foram pintados de preto brilhante, enquanto o teto apresenta barras longitudinais cromadas. As rodas de liga leve aro 16 com pneus 205/60 R16 tem visual diferenciado.

Na traseira, as lanternas são escurecidas e a maior mudança técnica atribuída ao modelo, uma articulação para fixação do estepe. Esta peça móvel é emoldurada no novo para-choque, que dispõe de área central prateada, assim como sensores de estacionamento e o nome “Activ” em baixo relevo. Duas luzes de neblina completam o visual. No caso do estepe, o mesmo não possui cobertura, apenas uma pequena máscara central para o centro do eixo.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-23-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

Por dentro…

No interior, a Chevrolet Spin Activ 2015 se destaca pela tonalidade preta do acabamento interno, que é o maior diferencial em relação à Spin normal, cuja cor predominante é o marrom. A aparência ficou melhor assim. O volante multifuncional em couro acompanha a tonalidade e tem base prateada.

O mesmo tom prata aparece na moldura que envolve a multimídia MyLink e os porta-objetos laterais. A alavanca da transmissão automática e sua base, bem como as maçanetas são na mesma tonalidade. Os bancos foram personalizados com tecido diferenciado (mais resistente) e novos grafismos. Todos com o símbolo da versão Activ e costuras brancas contrastantes.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-30-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

Com ambiente interno volumoso, a Spin Activ apresenta vários porta-objetos/garrafas. O porta-luvas é pequeno, mas compensado com os demais espaços reservados no habitáculo. O quadro de instrumentos é de fácil interpretação e a multimídia MyLink é bastante intuitiva.

Os bancos apresentam espuma mais firme e o tecido é áspero, porém parecem aguentar bem o entra e sai, especialmente de crianças. A posição de dirigir é elevada e os principais comandos estão bem posicionados, exceto o ajuste dos retrovisores elétricos, que fica na coluna A e longe do condutor.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-39-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

Na traseira, o espaço é bom e o banco bipartido ainda apresenta ajuste de encosto, podendo ser completamente rebatido de forma separada para aumentar ainda mais o volume do bagageiro, que em posição normal tem 710 litros. O acesso ao compartimento pela tampa traseira pode ser feito mediante um comando no painel ou pela chave canivete.

Um toque destrava a articulação onde está fixado o estepe. Já um segundo toque destrava a tampa traseira, que abre normalmente para cima. O engate do estepe tem uma trava que o mantém afastado do vão de abertura. O acesso assim fica completamente livre. Há muito espaço para viagens, sejam curtas ou longas.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-15-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

Por ruas e estradas…

Com tanto espaço interno para seus cinco passageiros e mais bagagem, bem como apetrechos estéticos (incluindo o estepe externo), a Chevrolet Spin Activ 2015 evidentemente não poderia ser um carro leve. Seus 1.325 kg não seriam problema para o motor 1.8 Ecotec Flex usado pelo Cruze, mas infelizmente o caso é que o 1.8 sob o elevado capô é o velho conhecido Econo.Flex.

Esse é o nome atual de um propulsor da Família 1 da GM, que remonta aos anos 80 e só chegado ao Brasil na década seguinte a bordo do Corsa como um 1.6. Ele não rende o que deveria e apesar de seu bom torque em baixa, falta potência e algo mais para mover com desenvoltura a minivan.

É nítida a falta de força no longevo propulsor 8v, que entrega 106/108 cv a 5.400 rpm e 16,4/17,1 kgfm a 3.200 rpm. Se fosse um carro do porte do Prisma, ele faria algo muito mais positivo, mas nessa minivan aventureira, deixa a desejar. Ele emprega a caixa automática GF6 Gen 2, que possui um melhor gerenciamento nas trocas, possibilitando até a dupla redução de marchas.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-12-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

No entanto, é muito câmbio para pouco motor. O entrosamento não é muito amistoso e observamos um esforço maior por parte do 1.8 para se adequar as exigências da transmissão. As retomadas poderiam ser melhores.

Em subida de serra, o câmbio tenta ajudar e acaba reduzindo muitas vezes para buscar fôlego do quatro cilindros, fazendo o giro subir demais, aumentando o ruído interno e o consumo. Já as reduções são pontuais, não deixando buracos para o propulsor cobrir com torque.

Rodando a 110 km/h, a Chevrolet Spin Activ marca 2.500 rpm. Seria bom para economia em um motor mais moderno, mas aqui ela só conseguiu fazer 10,8 km/litro com gasolina e o ar condicionado devidamente ligado. Na cidade, os 7,5 km/litro também não são convidativos para o dia a dia de trabalho, casa, compras, escola, etc.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-10-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

O nível de ruído do propulsor – quando não está sendo exigido em aclives ou ultrapassagens normais – é bom, mas o maior gerador de barulho é o material rodante. Os pneus de uso misto se fazem notar muito facilmente em viagens, gerando desconforto.

Em frenagem, a Chevrolet Spin Activ 2015 responde agora prontamente (durante o lançamento, a unidade testada necessitava de maior esforço no pedal) e a estabilidade é boa para uma minivan com essa proposta, mas a direção hidráulica poderia ser mais leve, especialmente em manobras.

Já a suspensão tem um ajuste mais firme e oferece confortável razoável no asfalto, mas em pisos ruins, a transmissão das imperfeições é bem mais sentida a bordo. O conjunto apresenta robustez para enfrentar buracos, pedras e valetas em estradas de terra, tendo também boa altura livre do solo, evitando batidas e raspadas na parte inferior do veículo.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-3-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

Por você…

O modelo tem um bom pacote de equipamentos a bordo, contando com ar condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, piloto automático, faróis e lanterna de neblina, rodas de liga leve aro 16, freios ABS com EBD, airbag duplo, multimídia MyLink, Bluetooth, USB/Aux, volante multifuncional, sensor de estacionamento, entre outros. Além disso, conta com um bom espaço interno e um porta-malas pronto para qualquer viagem.

No entanto, o desempenho deixa a desejar. Poderia oferecer mais para compensar os R$ 68.520 aplicados nessa opção familiar e aventureira. O estepe externo não ampliou o porta-malas e não ficou bonito esteticamente, mas a solução para sua articulação e travamento são interessantes.

chevrolet-spin-activ-2015-avaliação-NA-16-700x466 Avaliação: Chevrolet Spin Activ 2015 poderia ter melhor performance

O visual aventureiro e a proposta vão de encontro aos interessados em ter a impressão de maior robustez e segurança, bem como uma proposta de estilo mais jovial e levemente esportivo.

No entanto, além do preço, até a manutenção disso tudo é mais alta em comparação com a Spin 2015, que tem custo de revisões de R$ 2.952 até os 60.000 km. A Activ gasta R$ 3.416. Ou seja, uma diferença de R$ 464. Praticamente uma revisão a mais.

Trata-se de um modelo que tem potencial para melhorar no futuro. Se a performance não for um fator determinante na hora da compra, então pelo restante até que dá para encarar.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Chevrolet Spin Activ 2015

Motor/Transmissão
Número de cilindros – 4 em linha Flex
Cilindrada – 1796 cm³
Potência – 106/108 cv a 5.400 rpm (gasolina/etanol)
Torque – 16,4/17,1 kgfm a 3.200 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão – Automática de seis marchas com mudanças manuais na alavanca

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 12,4 segundos
Velocidade máxima – 165 km/h
Rotação a 110 km/h – 2.500 rpm
Consumo urbano – 7,5 km/litro (gasolina)
Consumo rodoviário – 10,8 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção
Dianteira – McPherson/Traseira – Barra de torção
Hidráulica

Freios
Discos dianteiros e tambor traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 16 com pneus 205/60 R16

Dimensões/Pesos/Capacidades
Comprimento – 4.424 mm
Largura – 1.735 mm
Altura – 1.672 mm
Entre-eixos – 2.620 mm
Peso em ordem de marcha – 1.325 kg
Tanque – 53 litros
Porta-malas – 710 litros
Preço: R$ 68.520 (com pintura metálica)

Galeria de fotos da Chevrolet Spin Activ 2015:

4.0

  • Jad Bal Ja

    “Se a performance não for um fator determinante na hora da compra, então pelo restante até que dá para encarar.” Olha, há algo de muito errado em um carro que na hora de comprar vc pensa: É, ate da pra encarar….

    • Lyn

      Uma coisa chamada falta de concorrência.

      • Cristiano_RJ

        Realmente, em matéria de feiura, ninguém é páreo.

    • Zigeunerweisen

      Os coalas que me perdoem, mas eu não encararia esse coala fantasiado de SUV…

      • th!nk.t4nk

        Que monstro. Não basta ser feio e ter projeto feito nas coxas, ainda tem que ter motor antigo e lento. Pra pagar quase 70 mil nisso ter que ser hiper-mega fã da GM, porque nem sequer espaço interno tem pra justificar.

        • V12 for life

          Antigo o motor com certeza é, mas lento não, tenho um Cobalt com esse motor e anda muito, pelo menos o manual como o meu.

          • th!nk.t4nk

            Pra um carro de 70 mil, mais pesado e com penduricalhos, é um motor fraco. Esse valor por 106 cv, num motor de ferro com cabeçote 8v e tanquinho de partida à frio, é uma insanidade.

            • V12 for life

              Concordo essa família de motores já devia ter sido aposentada, ao o 1.6 do sonic deveriam ter nacionalizado, assim não seriam taxados como os mais beberrões do mercado e ao que parece pelo que tenho lido não vão adotar os motores turbinados tão cedo, apesar de que irão fabricar o 1.4 turbo na Argentina, não acho que será essa opção que vão oferecer por aqui, algum idiota lá dentro ta atolado até o último fio de cabelo nos anos 80.

              • Diego Nameko

                a GM ainda anda mal das pernas, ela não tem dinheiro para investir em mecânica para os países emergentes.

                • Rômulo M.

                  Quando ela pensa em investir um pouquinho leva uma multa bilionária nos EUA e tem que compensar as perdas aumentando o preço do Onix.

                  • Cristiano_RJ

                    O problema, é que quando ela pensa em investir em modernização, se lembra que no Brasil os consumidores se dividem em torcidas organizadas, que amam tanto as marcas do coração que topam qualquer coisa por elas. Aí, decidem deixar o motor da década de 80 mesmo, e os aficionados pela marca compram do mesmo jeito.

                • V12 for life

                  Isso sempre foi conversa meu pai trabalhou lá por 20 anos e todos os anos a conversa era a mesma fechamos no vermelho, o problema foi que assim como no governo corrupto do Brasil, os acionistas retiravam mais dinheiro dos investimentos que o necessário, a crise na GM nunca existiu uma prova disso foi a suspensão da venda da Opel, e o fato de que eles nunca caíram do top de maior venda no mundo

          • Jose Nunes

            Não é lento? Olha o 0-100km/h 12s… Se isso não for lento preciso rever meus conceitos

            • Wesley Moreira

              O Uno Mille Fire Economy faz de 0 a 100 em 12 segundos. Tem um motor fraco, mas o carro é leve pra caramba.

          • RafaCtba

            O Cobalt anda bem melhor por ser bem mais leve que esta Spin aventureira.

          • Luiz Carlos

            Programação do câmbio automático do Cobalt é infinitamente melhor que a da Spin. É irritante dirigir uma Spin automática. Um horror.

        • cabra macho do renegade

          lento não, pense no effa m100 e fale de volta
          pois tenho uma e a potencia do motor parece um cavalo

        • Guily

          Imagine se a estrutura e plataforma se mostrarem “frágeis”, “meia-boca” como no Onix…aí este projeto se mostrará vergonhoso!

          • V12 for life

            A plataforma de todos eles é a mesma, Onix, Prisma, Cobalt, Spin, Tracker, Sonic, que foi lançada no Corsa D que nunca veio pra cá portanto se um é frágil e o outro não, o problema não está na estrutura.

    • para desembolsar quase 70K para encarar, deviam é pagar 70k de indenização para ver este “monstrinho” na rua ;)

    • Rômulo M.

      Tem que ser realmente muito corajoso pra encarar.
      1 – Um carro familiar que não tem espaço? Já andei em vários taxis Spin e no banco traseiro o espaço lateral e para as pernas é praticamente igual ao de um compacto. Discordo quanto aos porta objetos numerosos, podem até ser numerosos, mas a grande maioria inutil pra quem anda com crianças, como aqueles dois “buracos” ao lado da central multimidia que em qualquer freiada deixa cair tudo que tem dentro.
      2 – O acabamento é triste pra um carro de 60/70mil reais, pouca coisa melhor q o acabamento de um Onix, que já não é lá tudo isso.
      3 – Mecânica jurássica.
      4 – Desempenho fraco vazio, imagine com lotação máxima e cheio de bagagem. Consumo pior ainda.
      5 – Custa caro demais.
      O que tem de bom nesse carro? Com 70mil se compra SUV/Crossover ou até sedans médios com mais espaço interno, acabamento superior, desempenho e consumo bem melhores, além de mais bonitos.

      • Diego Nameko

        Na boa o JAC J6 vira luxo perto dela.
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Mais um pouquinho dá pra pegar um Fluence, ou Focus sedã.
        Aí seria compensador

        • Rodrigo

          Infelizmente JAC é um lixo.

          Embreagem dura 35 mil km e custa 3.500 reais pra trocar.

          Meu VW a embreagem esta com 65 mil km e custa 650 a troca.

      • Pietro

        Minha percepção de andar em Spin como táxi ou carro executivo (sempre como carona) não foi igual de carro compacto não. Tenho 1,80 e minhas pernas vão tranquilas no banco de trás, tanto para frente quanto para os lados. Talvez com três pessoas atrás a coisa mude, mas indo sozinho ou com mais uma pessoa eu acho agradável (para carros no Brasil). Nos demais itens (com exceção do 4, pois nunca dirigi o carro), concordo contigo!

    • Pedro Henrique

      eles tinham que aproveitar e jogar no rio de uma vez!! eita gambiarra feia e cara

    • Diego Nameko

      Um carro destes não aguenta nem 1 ano em área rural, nem imagino com este “dá pra encarar”. kkkkkkkkkkkkk

    • 4lex5andro

      tem que ser muito fan de chevrolet e, tambem, gostar de rasgar dinheiro pra comprar essa spin ..

      é brincadeira, um carro para “off-asfalto” nao ter sequer um controle de traçao e estabilidade ..

  • _William

    E testaram o carro na cor certa, marrom capivara… até o lugar ta condizente, uma beira de rio…rs

    • Heitor Borba

      o que sai do rio… sempre volta né…KKKKKKKKK

    • Paulo Rodrigues

      Aqui no interior a gente diz que “se a capivara tá na beira do barranco é para beber água…” rs. Coisa de truqueiro do interiorrrr.

  • Petrucci

    Achei que estava no blog da National Geographic vendo uma Capivaria descansando ao lado do rio…

    • Matheus Lelis

      assim voce ofende as capivaras, elas nao são tão feias quanto a spin

  • Eduardo

    Capivara em seu “habitat” natural.

  • Vellored02

    Eu rodo até que bastante na cidade e nunca vi uma dessas rodando, acho que o pessoal deve estar evoluindo, mas o que eu vejo daquela aberração chamada Onix e meu pensamento muda, o pessoal não tá um pouco mais crítico, mas aí lembro do preço e penso “o que faz alguém pagar essa fortuna num Onix?”, esse carro é horrendo, só ganha do Etios. Cobalt nem um facelift, aquela frente monstruosa, a linha da GM, só escapa TrailBlazer, S10 e Camaro, o Cruze era bonito, mas agora com esse facelift tá aceitável, a GMB precisa melhorar e muito no design e motores, isso principalmente. Eu acho difícil num futuro próximo eu comprar algum GM, TrailBlazer e S10 não são carros que eu usaria na cidade e Camaro não é nada prático pra mim pro dia a dia.

    • Eduardo

      Precisa melhorar também o interior, pois há tanto plástico por todos os lados que dá a sensação de estar dirigindo uma banheira infantil

      • Diego Nameko

        Sério??!!
        entrei na banheira errada.
        kkkkkkk

    • Carlos Alves

      Eu acho o Onix aceitavel, na média da categoria. Cobalt e Spin são feios, alem do finado Agile.

    • Diego Nameko

      Os bons que você citou não foram feitos para o Brasil.
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Carlos Alves

    Pra quem dizia que não tinha como ficar pior, a GM tomou como desafio e cumpriu a missão de forma brilhante.

    • Paulo Reis

      q carro feio, plastico ruim, motor beberrão, mal gosto em tudo…. gm brasil forever and ever

    • V12 for life

      Nunca subestime a capacidade de engenheiros em fazerem merda

      • Marcos Poa

        Mas fazem coisas muito boas se as áreas de vendas e financeira deixarem. Eles chegam pro engenheiro e falam: “faz um carro baratinho mas com jeito que eu possa por uma margem enoooorme”

  • DiegueteCG

    “O estepe externo não ampliou o porta-malas e não ficou bonito esteticamente, mas a solução para sua articulação e travamento são interessantes.”. Solução para um problema que não existia.

    • Rômulo M.

      Nada como cobrar mais caro pra “acrescentar” algo que não acrescenta em p.n.
      Só serve pra chamar atenção de ladrão e aumentar o valor do seguro.

  • Ainda me parece um carro funerário.

    • le0gt

      Essa Spin “aventureira” é pra buscar o defunto no meio do mato! rsrs

      • Diego Nameko

        S.A.M.U. de capivaras!!
        kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Andre Sousa

    Podem jogar pedras, mas em vista de Adventure e livina e doblo eu preferia ela sem pestanejar.. Pensando pelo lado minivan… Mas eh claro que eu não compraria esse tipo de carro no valor em questão

    • Matheus Lelis

      é como você diz, por esse valor não da pra comprar, é um absurdo :/, mas eu iria de Livina. Mas gosto é gosto :D

      • Louis

        Eu iria de Livina Xgear sem dúvidas. O motor 1.8 16V anda muito forte, e apesar de ter 4 marchas, faço 14 km/l na estrada! E ainda economizava mais de R$ 10 mil reais!!!
        1.8 X-Gear AT – R$ 57.990

        A única coisa que me incomoda (e muito) na Livina é a falta de ajuste do cinto de segurança, falha grave no Nissan.

        • Pietro

          Pela experiência de passageiro (que já tive tanto na Spin quanto na Grand Livina), eu prefiro ir acomodado na Spin. Mas pela minha impressão visual dos carros, além dos números, para comprar eu iria de Livina com certeza. Mais barato, bem acabado e com motor melhor.

  • le0gt

    Consegue ser mais feio que o Toyota ET ios…

  • Thiago_NCO

    O “gênio” que inventou esse estepe pendurado fora, num modelo de uso essencialmente urbano (por mais adesivado e xunado que seja), devia ser preso.
    Essa gambiarra só serve pra duas coisas: 1) fazer você perder uma vaga apertada, 2) alimentar um ladrão

    • CorsarioViajante

      3) detonar o carro de trás dando ré
      4) encher o saco. Outro dia estava num supermercado e uma senhora me pediu ajuda para abir e fechar o porta-malas do CrossFox do filho, pq o estepe era pesado e ela não conseguia.

      • ViniciusVS

        sou a favor de estepe temporário, mesmo porque ocupa menos espaço, não fica do lado externo e funciona como Estepe, mas o Brasileiro tem a cultura que Step é roda Extra e não emergência…

        • Wesley Moreira

          Prefiro o step na dimensão original. Step temporário é praticamente um pneu de moto 150! Até a minha moto 250cc tem o pneu traseiro mais largo! Além de comprometer a estabilidade e segurança do carro e te obrigar a andar no acostamento (quando há!) pois não dá pra passar de 80 km/h com aquela bosta, ainda te obriga a fazer 2 serviços: o de colocar o step temporário e o de colocar outro pneu normal (se não se acidentar no caminho). Step normal é o que há, furou o pneu você coloca e vai embora despreocupado, bastando trocar o pneu furado na roda substituída.

          • ViniciusVS

            Mas é claro que obriga a fazer dois serviços, e é claro que não tem que passar de 80km/h, o seu comentário só confirma o que eu falei anteriormente. o povo ainda tem a cultura de achar que Estepe é roda extra o que não é verdade, é apenas um pneu para emergência.

            1- estepe temporário foi feito para não ficar parado horas esperando socorro
            2- o Estepe foi feito para ir até a borracharia mais próxima
            3- 80km/h é pouco?
            4- estabilidade? é só usar a direção defensiva e não fazer manobras bruscas até o caminho da borracharia…

            Enfim tem hora que penso que realmente merecemos viver na idade da pedra.

          • Rômulo M.

            Até onde eu sei estepe serve pra uso temporário. Vc não vai ficar rodando “despreocupado” com o estepe durante um mês até conseguir chegar na borracharia e 80km/h é uma velocidade razoável pra rodar dentro da cidade e até mesmo na estrada, nunca vi ninguém em sã consciência rodando a 80km/h no acostamento.
            Brasileiro que tem mania de querer ficar “despreocupado” e o estepe vira pneu de uso regular até o dia q ele tbm furar e o dono se lembrar q já estava rodando com o estepe. Ai ferrou

            • Wesley Moreira

              Você realmente acha que é seguro descer uma ladeira a 80 km/h com uma carreta carregada atrás de você? Ai você diz “é só dar passagem” mas e se a estrada não tiver acostamento, como muitas no interior do Brasil? Vai deixar a carreta passar por cima? A maioria dos carreteiros aproveita as ladeiras pra meter o pé no acelerador e descer embalado a 120 / 140 km/h. E não se lembrar de trocar o pneu que furou já é burrice, é claro que ao chegar na cidade mais próxima se procuraria um borracheiro pra consertar o pneu ou troca-lo. Não há preço que se pague pra poder ficar despreocupado. Agora se meu pneu fura vou ficar rodando a 80km/h na reta com um pneu de moto em uma das rodas, quase perdendo o controle nas curvas (e tendo que diminuir pra 40 km/h senão aquela merda derrapa)? Tem várias e várias reportagens condenando e mostrando os perigos do estepe temporário, que nada mais é do que um motivo para redução de custos nas montadoras. Quem apoia isso merece o país em que vive.

              • Rômulo M.

                Boa parte das montadoras mundo a fora aboliram o uso de estepe em formato original, uma poque o custo não compensa para um item que vai ser usado muito eventual ou até mesmo nunca usado em alguns casos (sim conheço pessoas que nunca tiveram um pneu furado), outra que toma um grande espaço que poderia ser utilizado de forma mais útil no portamalas, além de alguns testes de segurança mostraem que em caso de capotamento um estepe grande e pesado poderia significar mais risco aos ocupantes do carro.
                BMW, Mercedes, Audi, Volvo, Ferrari, Lamborghini, etc já aderiram ao uso do estepe temporário ou até mesmo aboliram o estepe trocando por pneu runflat ou kit de reparo com compressor.

                • Wesley Moreira

                  Continuo preferindo o estepe original. Muito mais prático. Tem gente que nunca teve pneu furado porque roda pouco ou em boas estradas, e quem roda mais de 500 km por dia na cidade esburacada (taxista?)

                  • ObservadorCWB

                    E o que falar de carros que o espaço do temporário NÃO COMPORTA O PNEU NORMAL ? Já parei em posto ao lado de um Fusion onde a esposa do cara estava levando a roda+pneu no colo…. porque o carro estava cheio de bagagem e com cinco a bordo…imagine a cena e o transtorno….o pneu e roda nãocabiam no lugar do fino temporario.

      • Paulo Rodrigues

        O Corsário…cadê o espírito escoteiro…rsrs…

  • ObservadorCWB

    http://cronicasurbanas.files.wordpress.com/2010/12/capivara.jpg Já falaram tudo. O próximo carro po rfavor…..

    • radiobrasil

      Ei.. não seja injusto!!!!

      A Capivara é muito mais resolvida em “design”

      • Cristiano_RJ

        E também é mais off-road! :-)

    • le0gt

      Foi com base nessa foto que os designers da GM criaram a Spin!

    • Bruno Brizon

      A capivara é mais bonita do que a spin. kk

    • Pietro

      A capivara é bem mais bonita, seu injusto! hahahaahaha

  • Daniel

    Eu fico imaginando exatamente o momento em que na reunião de cúpula da GM, a maioria dos representantes exclamaram: “Perfeito, podemos fabricar!”
    Não existe uma única razão para que um carro horrendo como este receba o aval de ser fabricado.

    • Tosoobservando

      existe uma, tem gente que compra, e nao é pouca! Quer razão melhor? hehe

      • Edu

        Migão:

        As ruas estão cheias de golzinhos (45 mil reais!), unos, clios, etios, doblôs & afins…

        A Spin vende porque está sozinha no segmento. O consumidor que quer andar um pouco mais alto em relação ao solo e opta por ter uma peruona (SUV de pobre), fica limitado entre Spin, Ecosport, Duster o finado Ideazinho…

        Aí vem o fator determinante: Ecosport = 80k; Duster = 75k e Spin = 60k.

        É por isso que vende!

  • parlo

    Feito, agora a GM já tem um aventureiro…colocou o estepe pendurado na tampa como a outras (Ford, VW e Fiat)…Tenha dó…

  • Sérgio Niski Junior

    É uma baita de uma Capivara! que vê saindo do mato na curva kkk

  • CorsarioViajante

    Este monstrinho ficou mais harmônico nesta versão.

  • Eduardo Brito

    Só uma correção: O 1.8 Econo.flex não é derivado do Monza, que era família 2. Este motor é o mesmo que era utilizado no Corsa a partir de 2002, como também é derivado do Corsa B de 1994.

    • Minerius Valioso

      Se fosse do Monza, seria até melhor.

  • peEmBaixo

    Spin, é você?

  • Yuri Chaves Souza

    Não sei até onde estou certo, mas, para mim, esse 1.8 8v Econo.Flex usado na Spin e nos outros GM é da “Familia I” derivada do antigo 1.6 dos Corsa “Bolinha”.
    O “Familia II” era o 1.8 usado no Monza, que foi crescendo para 2.0, 2.2 e até chegar ao 2.4 do Vectra e S10.

    Procede?

    • Rodrigo

      Procede.

      É o mesmo Family 1 de sempre.

  • Rodrigo

    Na boa… Pra andar em estradas rurais como a da foto, qualquer carro anda (ok, Ferraris, Lambos e outros superesportivos não contam!).
    Queria ver como esses pseudo-aventureiros sairiam em estradinhas um pouco mais acidentadas… Não creio que alguns centímetros a mais na suspensão vão prevenir danos e/ou grilos ao longo do tempo. Não é a toa que Fuscas, Brasilias, Kombis (e até mesmo Gol quadrado) reinam absolutos nesse habitat.
    Supostamente, carros com esse apelo deveriam, no mínimo, serem mais reforçados em termos de suspensão (as primeiras Palio Adventure eram, não sei as atuais), não uma panaceia de adereços estéticos de gosto duvidoso.

    • Louis

      Cara, vou te falar que Peugeot sofre em estrada de terra, qualquer irregularidade ele bate o fundo…Mesmo nessas das fotos, já sofreria.

  • Lucas Gomes

    O “Anti-EcoSport” da GM

  • Wagner Lopes

    Parabéns GM por conseguir produzir essa coisa de tão baixo custo, mau gosto e falta de segurança e ainda conseguir vender por mais de 60K !

  • Alex J.

    Se era para usar um motor mais antigo, que usassem então o do Astra/Vectra: 133/140cv e 18,9/19,7 de torque, com gasolina/etanol, respectivamente.
    Por acaso esse carro veio para “substituir” a Zafira? Se for, foi um retrocesso!

    • Gustavo73

      Esse carro veio pra substituir a Zafira e Meriva de uma tacada só.

  • JCosta

    Toda a linha do Ágile deveria morrer com ele (Cobalt e Spin). Esse pneu na tampa traseira é a coisa mais tosca que já vi.

    Sinceramente, a Spin não chega nem aos pés da Meriva, quanto mais da Zafira.

  • Eder Rodrigo Bialeski

    activ? apertei Ctrl+F e escrevi 4wd, não achei nada.

  • Igor da Silva Nascimento

    Bonita paisagem.

  • Rafael

    Andei em uma Spin AT táxi em porto alegre e o taxista reclamou muito do desempenho, principalmente na estrada, me disse que quanto mais o giro subia menos o carro andava, acima de 3000 rpm era só gritaria do motor e nada de entregar desempenho, segundo ele as ultrapassagens eram ridículas. vendo a ficha técnica do carro eu só posso dizer que acredito em tudo.

    • radiobrasil

      Deve entregar o torque maximo em rpm mais baixo… ai nao tem, acelera, aumenta o giro mas nada de potencia

  • ViniciusVS

    Só uma duvida, existe uma tampa tampando a tampa da valvula? é isso mesmo? nem para desenhar uma tampa nova… espero que eu esteja errado…

  • André Maia

    Eu vejo esse painel GM e meus olhos doem com a poluição visual.

  • LeandroBalmant

    Saudades da Zafira…

  • Alexandre Maciel

    Carro horroroso… remendo inaceitável.

  • Carlos Alberto

    Realmente com esse preço exorbitante tende a não vender nada, mas caso a Spin tivesse um preço mais abaixo do que foi proposto no ano de lançamento na casa do 40K e com a LTZ em no máximo 53K seria um pouco mais atraente pelo custo beneficio. Muitos criticam o motor ultrapassado, de fato é um grande erro da GM continuar reformando motores jurássicos e colocando-os no mercado, entretanto não é um motor que deixa muito a desejar. O modelo se iguala a Meriva com motor 1.4, então a Chevrolet trocou 6 por meia dúzia e um pouco mais, levando em consideração as pequenas “melhorias” feitas no bloco. Minha mãe adquiriu uma LT manual, e sinceramente não deixa muito a desejar, obviamente um motor com INCRÍVEIS 108CV de potência não permitem que a Spin tenha o melhor desempenho na categoria das Minivans, entretanto o motor silencioso juntamente com o espaço interno e outras qualidades tornam o carro agradável. Então eu não desprezo a Spin e até recomendo a compra, desde que NÃO SEJA 0Km e havendo a real necessidade de uma aquisição de Minivan e claro que também é necessário um gosto pessoal para avaliar o design, visto que com o preço de uma Spin seminova pode-se comprar carros mais confortáveis e potentes.

  • Gabriel Ferreira

    Sou mais o pálio adventure!

  • daniel germano

    A spin na minha opinião é um lindo carro !!!.

  • Heitor Borba

    a Gm conseguiu fazer sem ajuda: piorar o carro que já era trash…

    *Gm consegui piorar o propulsor que já era pinguço de sexta-feira… agora bebe mais que V6
    *Colocaram tanto plástico que deve ter ficado a prova de bala… kevlar grátis…
    * O pneu pendurado ficou ó…
    * Conseguiram piorar o painel com uma moldura de rebarba monstra ao redor.
    * Aumentaram o preço da revisão
    *Só falta dar Tv de 42” de brinde…

    estou em duvida entre o ETios amarelo agora… duvida cruel.

  • shdn2010

    Os caras das gm devem de estar se rachando de rir, colocando esse motor velho, ao inves do motor do cruze. Mas é aquela velha historia,….”enfia qualquer coisa ai que o brasileiro compra.”

  • Fabricio d

    O NA poderia fazer medição de retomada 80 a 120. Eu particularmente priorizo retomada que 0 a 100.

  • Não vejo razão para não ter o motor 1.8 16v.

  • Diggo

    Pelo menos criticaram fortemente o motor da Spin, não fizeram aquela de elogiar algo que, só pelo números diz tudo. Parabéns.

  • Rodrigo

    Agora escolheram bem os locais das fotos para esta capivara com rodas, bem no meio do mato que é o lugar certo

  • Léo Hung

    PQP, esse estepe na traseira num carro desse tamanho ficou mais tosco do que o original já era…

    MEL DELS!!!!!! :(

    GMB se superando.

  • COMENTARISTA MEDÍOCRE.

    Tenho uma zafira….. a spin ‘e fina por dentro, apertada. Para ela parecer maior fizeram dois calombos nos parachoques. A largura real ‘e a da coluna do meio. E os bancos sao safadamente pequenos….. no mais, ‘e carro pra taxista, se a gm vender versoes com kit gas vai lucrar horrores. Quanto ao preco………………vtnc. 50k t’a MUIIIIIIIITO bem pago por isso ‘ai.

  • Rodrigo Brandão

    Estou de férias e aluguei uma Spin automática por 06 dias na semana passada. O câmbio não se entende com o motor quando você mais precisa. Reduz várias marchas buscando melhor resposta e o barulho do motor invade a cabine sem cerimônia, só que a resposta que você espera não vem. Éramos 04 adultos e 02 crianças e na fileira do meio o espaço é muito apertado para quem mede acima de 1,75m. O sistema de rebatimento dos bancos para acessar a última fileira é um desrespeito ao consumidor. Como podem sair de um sistema tão eficiente como o da Zafira para oferecer esta gambiarra? O consumo médio com etanol, num trajeto plano em balneário camboriú e Penha ficou em 8,5 km/l. Tirem suas conclusões.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend