Avaliações Honda SUVs

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

De fato, ele nunca foi barato quando zero e mesmo usado, o Honda CR-V conserva um bom valor de revenda. Na atual geração, parece que a tradição do produto deverá continuar. Completamente novo, o SUV também muda uma parte de sua proposta, para melhor.


Em sua quarta geração, o Honda CR-V 2018 continua sua carreira no Brasil, mas por enquanto, apenas em versão única e topo de linha, a Touring. Isso significa que, além de bom conteúdo e acabamento, o utilitário esportivo vem também em configuração mecânica plena.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Pode não ser a mais eficiente do modelo no mundo, mas o CR-V traz ao Brasil um novo conjunto propulsor, que promete acabar com um dos males do SUV, seu elevado consumo. Abastecido com gasolina, o 1.5 VTC tem bons 190 cavalos e 24,5 kgfm.


Para sua proposta, o conjunto é mais do que o esperado, ainda mais aliado à transmissão CVT, que ajuda na frugalidade e compensa o “Real Time” da tração integral. Tudo muito bom, mas o preço assusta, e muito: R$ 189.000. E olha que desde março, ficou quase R$ 10 mil mais caro! Vale?

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Por fora….

O Honda CR-V 2018 ficou mais sofisticado com o novo visual, um pouco mais agressivo e volumoso que o anterior, embora mantendo o DNA de parte das linhas. A frente tem um olhar cerrado com faróis full LED de design futurista.

A grade volumosa com a barra cromada é característica básica da Honda, enquanto o para-choque vem com faróis de neblina em LED, que ajudam muito durante a noite. As rodas de liga leve aro 18 polegadas também tem um aspecto esportivo e acabamento muito bom.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

A carroceria é bem ampla e alta, passando a impressão real de um habitáculo muito espaçoso. Nas colunas D, o corte em “Z” da geração anterior se manteve e desta vez com extensão das lanternas em LED elevadas, mais envolventes. A agressividade se mantém até olhando para trás.

A base da carroceria é toda envolvida com protetores e o escape duplo na traseira reforça o compromisso com performance da versão Touring. O Honda CR-V 2018 tem apenas um teto solar simples, poderia ser no mínimo panorâmico. Barras integradas no teto e retrovisores grandes marcam o restante do visual.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Por dentro….

No interior, o acabamento da versão Touring é bom, apesar da imitação de madeira no painel e portas. O conjunto mantém a posição elevada da alavanca de câmbio, que fica bem mais próxima da mão do condutor.

Além disso, traz ainda um cluster semelhante ao do Civic, assim como o mesmo volante multifuncional em couro, dotado de paddle shifts e ajuste touch para volume. Interessante mesmo é o HUD colorido com dados de performance e navegação.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Outro recurso para ajudar o motorista é o LaneWatch, que permite visualizar na tela da multimídia a lateral direita do veículo em movimento e através de linhas, estabelecer quando é seguro ultrapassar. Funciona bem até de noite e é muito útil.

Com boa posição de dirigir, o Honda CR-V Touring tem bancos dianteiros com ajustes elétricos, mas o do condutor tem mais regulagens e duas memórias. O revestimento geral em couro é bom e pelo espaço oferecido, até poderia ter sete lugares, mas apenas cinco se acomodam bem em assentos macios.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

O ar-condicionado dual zone tem saídas para o banco traseiro, que oferece muito conforto e espaço. O teto solar, como dito, é pequeno demais e poderia entreter mais os pequenos durante a viagem. Falando nisso, a multimídia vem com GPS, Android Auto, Car Play, climatização e câmera de ré com três visualizações, por exemplo, sem novidades.

Bom mesmo é o console entre os bancos dianteiros, que tem ajustes modulares para acondicionar diversos objetos e ainda vem com duas entradas USB, mais HDMI e fonte de 12V. Atrás, tem mais duas entradas USB para carregamento. Há muitos porta-trecos espalhados pelo carro. O sistema de som atende bem.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

O porta-malas com 522 litros é bem espaçoso e possui sistema de rebatimento automático do banco traseiro, mas o acesso é interessante: tampa de acionamento automático com sensor de movimento (no para-choque) e operação manual pelo painel, maçaneta ou chave. No geral é bom, mas poderia ter um pouco mais pelo preço.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Por ruas e estradas….

O Honda CR-V Touring parece pesado visualmente e realmente é, já que tem 1.607 kg. Se ainda insistisse no velho 2.0 i-VTEC FlexOne, realmente se arrastaria. Mas, agora é a vez do 1.5 VTC – sim, sem VTEC, mas igualmente variável – com duplo comando no cabeçote.

Feito todo em alumínio, o novo motor vem ainda com injeção direta de combustível, chamado Earth Dream na Honda, além de turbocompressor. A receita é aquela, pequeno no tamanho, grande na resposta. Já usado no Civic Touring, no CR-V Touring a coisa fica um pouco melhor.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

O propulsor tem calibração diferente, mais forte, entregando 190 cavalos a 5.600 rpm e 24,5 kgfm a 2.000 rpm. Bem elástico, ele mantém seu torque máximo até 5.000 rpm, o que permite uma condução prazerosa em quase a totalidade do dia a dia.

Silencioso, o 1.5 VTC Turbo tem respostas interessantes, suprindo as necessidades de desempenho do CR-V Touring, onde só o atendimento em caso de aceleração mais forte é um pouco atenuado pela caixa CVT, mesmo com simulação de sete marchas.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Mas, mesmo devido ao peso do carro e característica do câmbio, o Honda CR-V Touring surpreende pelo desempenho. Nas retomadas, o SUV japonês também não fica devendo, sempre de forma linear e agradável.

O câmbio CVT até poderia ter mais marchas simuladas, mas as sete cumprem bem a tarefa de manter sempre uma rotação ideal e ao mesmo tempo uma boa resposta do propulsor. Na cidade, o ponteiro fica na casa dos 1.500 rpm e garante uma condução agradável.

O consumo urbano então, não poderia ser diferente: 10,3 km/l. Na estrada, a rotação em cruzeiro de 110 km/h é de 1.800 rpm, mantendo o ronco baixo e a frugalidade alta: 13,5 km/l. Poderia ser um pouco melhor, se pudesse desligar a tração integral, que fica sempre ativa.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Aliás, mesmo sem ter o torque total nessa situação, o CR-V não se ressente de subidas íngremes e muito menos de ultrapassagens, sempre seguras e confortáveis, ainda mais com o LaneWatch.

Com mudanças manuais, o CR-V responde bem ao ser exigido, ainda mais no modo Sport, que mantém o giro alto para buscar sempre mais potência do que torque. A intervenção do condutor no câmbio é parcial, mas agrada.

No modo Econ, mesmo com redução no uso de sistemas de bordo e também na calibragem do motor, o CR-V Touring não se furta na hora de responder em qualquer situação. Ou seja, desliga-se a economia e libera-se o desempenho.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Na dinâmica de condução, o Honda CR-V 2018 mantém a tração nas quatro rodas em tempo real e com transferência de força entre os eixos. Pena não poder ser desligada, o que reduziria o arrasto e também o consumo.

Ela distribui bem o torque nas rodas e dá ao SUV um equilíbrio muito bom em aceleração, curvas e mesmo no fora de estrada leve. O sistema agora pode ser acompanhado através da tela TFT de 7 polegadas do painel, que revela a atividade do conjunto.

Apesar do tamanho, o CR-V 2018 curva bem e fornece um bom controle do motorista, ainda mais com a direção elétrica leve e integrada com o controle de estabilidade. Com um SUV desse porte na mão, o conforto é muito bom.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

A suspensão tem um ajuste mais para o conforto e nem por isso compromete a estabilidade. Filtra bem as irregularidades do solo ou os buracos de estrada de terra, mesmo com rodas aro 18, garantindo assim muito mais conforto. Os pneus de série 60 ajudam muito nisso também.

Da mesma forma, os freios cumprem com o compromisso de segurança, mas pena que o SUV veio na versão “básica”. Como assim? Pelos R$ 189.000, o utilitário esportivo da Honda poderia ter trazido o pacote Sensing.

Sim, a economia da Honda nos faz sentir falta do conjunto de sistemas de segurança que inclui controle de cruzeiro adaptativo, alerta de manutenção de faixa com correção, frenagem automática de emergência e alerta de saída de estrada com correção e frenagem.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

A Honda disse que o pacote elevaria ainda mais o preço… Pois é, nesse porte e preço, deveria ser um item de série. O modelo poderia ter o pacote adicional e manter o preço, mas aí as grandes margens de lucro seriam comprometidas.

Mas, falando do que está disponível, o Honda CR-V tem ainda partida remota na chave, útil para deixar o ambiente climatizado antes de entrar, assim como monitor de atenção e o Brake Hold, que mantém o carro parado e engatado no trânsito.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Por você….

Como vimos, o Honda CR-V Touring melhorou muito, especialmente no conjunto motriz. Faltam alguns itens que realmente atenderiam mais quem busca um SUV de porte médio com uma proposta mais luxuosa e custando quase R$ 200.000.

Sim, existem opções no mercado com menos potência e preço próximo, como o Peugeot 5008 (R$ 181.990) ou mais potente até, como o VW Tiguan R-Line por R$ 179.990. Nem dá para esquecer do Chevrolet Equinox Premier por R$ 162.990.

São apenas alguns exemplos, mas o salto que o SUV da Honda deu sem nenhuma compensação para os clientes da marca, especialmente aqueles que queriam trocar o antigo pelo novo, realmente foi absurda.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado

Por isso, a marca previu um lote de apenas 500 carros para todo o ano de 2018 e, como dados da Fenabrave apontam, o CR-V não está nem entre os 40 mais vendidos. E olha que tem muitos na lista que custam bem mais do que ele.

Isso mostra que, apesar de seus atributos, que não são poucos, o Honda CR-V 2018 ficou aquém do esperado pelo mercado em termos de preço e, sem dúvida, isso atrapalha muito na hora de apostar no SUV, que realmente agrada pelo conjunto e é recomendável até, exceto por esse detalhe muito importante.

Medidas e números….

Ficha Técnica do Honda CR-V Touring 2018

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, turbo e injeção direta

Cilindrada – 1.498 cm³

Potência – 190 cv a 5.600 rpm (gasolina)

Torque – 24,5 kgfm a 2.000 rpm (gasolina)

Transmissão – CVT com sete marchas virtuais e trocas manuais na alavanca e no volante

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,1 segundos

Velocidade máxima – 201 km/h

Rotação a 110 km/h – 1.800 rpm

Consumo urbano – 10,3 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 13,5 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Multilink

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 18 com pneus 235/60 R18

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.591 mm

Largura – 1.855 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.667 mm

Entre eixos – 2.660 mm

Peso em ordem de marcha – 1.607 kg

Tanque – 57 litros

Porta-malas – 522 litros

Preço: R$ 189.000 (versão avaliada)

Honda CR-V Touring 2018 – Galeria de fotos

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco, mas preço é elevado
Nota média 5 de 3 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email