Avaliações Honda SUVs

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

De fato, ele nunca foi barato quando zero e mesmo usado, o Honda CR-V conserva um bom valor de revenda. Na atual geração, parece que a tradição do produto deverá continuar. Completamente novo, o SUV também muda uma parte de sua proposta, para melhor.


Em sua quarta geração, o Honda CR-V 2018 continua sua carreira no Brasil, mas por enquanto, apenas em versão única e topo de linha, a Touring. Isso significa que, além de bom conteúdo e acabamento, o utilitário esportivo vem também em configuração mecânica plena.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Pode não ser a mais eficiente do modelo no mundo, mas o CR-V traz ao Brasil um novo conjunto propulsor, que promete acabar com um dos males do SUV, seu elevado consumo. Abastecido com gasolina, o 1.5 VTC tem bons 190 cavalos e 24,5 kgfm.


Para sua proposta, o conjunto é mais do que o esperado, ainda mais aliado à transmissão CVT, que ajuda na frugalidade e compensa o “Real Time” da tração integral. Tudo muito bom, mas o preço assusta, e muito: R$ 189.000. E olha que desde março, ficou quase R$ 10 mil mais caro! Vale?

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Por fora….

O Honda CR-V 2018 ficou mais sofisticado com o novo visual, um pouco mais agressivo e volumoso que o anterior, embora mantendo o DNA de parte das linhas. A frente tem um olhar cerrado com faróis full LED de design futurista.

A grade volumosa com a barra cromada é característica básica da Honda, enquanto o para-choque vem com faróis de neblina em LED, que ajudam muito durante a noite. As rodas de liga leve aro 18 polegadas também tem um aspecto esportivo e acabamento muito bom.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

A carroceria é bem ampla e alta, passando a impressão real de um habitáculo muito espaçoso. Nas colunas D, o corte em “Z” da geração anterior se manteve e desta vez com extensão das lanternas em LED elevadas, mais envolventes. A agressividade se mantém até olhando para trás.

A base da carroceria é toda envolvida com protetores e o escape duplo na traseira reforça o compromisso com performance da versão Touring. O Honda CR-V 2018 tem apenas um teto solar simples, poderia ser no mínimo panorâmico. Barras integradas no teto e retrovisores grandes marcam o restante do visual.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Por dentro….

No interior, o acabamento da versão Touring é bom, apesar da imitação de madeira no painel e portas. O conjunto mantém a posição elevada da alavanca de câmbio, que fica bem mais próxima da mão do condutor.

Além disso, traz ainda um cluster semelhante ao do Civic, assim como o mesmo volante multifuncional em couro, dotado de paddle shifts e ajuste touch para volume. Interessante mesmo é o HUD colorido com dados de performance e navegação.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Outro recurso para ajudar o motorista é o LaneWatch, que permite visualizar na tela da multimídia a lateral direita do veículo em movimento e através de linhas, estabelecer quando é seguro ultrapassar. Funciona bem até de noite e é muito útil.

Com boa posição de dirigir, o Honda CR-V Touring tem bancos dianteiros com ajustes elétricos, mas o do condutor tem mais regulagens e duas memórias. O revestimento geral em couro é bom e pelo espaço oferecido, até poderia ter sete lugares, mas apenas cinco se acomodam bem em assentos macios.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

O ar-condicionado dual zone tem saídas para o banco traseiro, que oferece muito conforto e espaço. O teto solar, como dito, é pequeno demais e poderia entreter mais os pequenos durante a viagem. Falando nisso, a multimídia vem com GPS, Android Auto, Car Play, climatização e câmera de ré com três visualizações, por exemplo, sem novidades.

Bom mesmo é o console entre os bancos dianteiros, que tem ajustes modulares para acondicionar diversos objetos e ainda vem com duas entradas USB, mais HDMI e fonte de 12V. Atrás, tem mais duas entradas USB para carregamento. Há muitos porta-trecos espalhados pelo carro. O sistema de som atende bem.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

O porta-malas com 522 litros é bem espaçoso e possui sistema de rebatimento automático do banco traseiro, mas o acesso é interessante: tampa de acionamento automático com sensor de movimento (no para-choque) e operação manual pelo painel, maçaneta ou chave. No geral é bom, mas poderia ter um pouco mais pelo preço.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Por ruas e estradas….

O Honda CR-V Touring parece pesado visualmente e realmente é, já que tem 1.607 kg. Se ainda insistisse no velho 2.0 i-VTEC FlexOne, realmente se arrastaria. Mas, agora é a vez do 1.5 VTC – sim, sem VTEC, mas igualmente variável – com duplo comando no cabeçote.

Feito todo em alumínio, o novo motor vem ainda com injeção direta de combustível, chamado Earth Dream na Honda, além de turbocompressor. A receita é aquela, pequeno no tamanho, grande na resposta. Já usado no Civic Touring, no CR-V Touring a coisa fica um pouco melhor.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

O propulsor tem calibração diferente, mais forte, entregando 190 cavalos a 5.600 rpm e 24,5 kgfm a 2.000 rpm. Bem elástico, ele mantém seu torque máximo até 5.000 rpm, o que permite uma condução prazerosa em quase a totalidade do dia a dia.

Silencioso, o 1.5 VTC Turbo tem respostas interessantes, suprindo as necessidades de desempenho do CR-V Touring, onde só o atendimento em caso de aceleração mais forte é um pouco atenuado pela caixa CVT, mesmo com simulação de sete marchas.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Mas, mesmo devido ao peso do carro e característica do câmbio, o Honda CR-V Touring surpreende pelo desempenho. Nas retomadas, o SUV japonês também não fica devendo, sempre de forma linear e agradável.

O câmbio CVT até poderia ter mais marchas simuladas, mas as sete cumprem bem a tarefa de manter sempre uma rotação ideal e ao mesmo tempo uma boa resposta do propulsor. Na cidade, o ponteiro fica na casa dos 1.500 rpm e garante uma condução agradável.

O consumo urbano então, não poderia ser diferente: 10,3 km/l. Na estrada, a rotação em cruzeiro de 110 km/h é de 1.800 rpm, mantendo o ronco baixo e a frugalidade alta: 13,5 km/l. Poderia ser um pouco melhor, se pudesse desligar a tração integral, que fica sempre ativa.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Aliás, mesmo sem ter o torque total nessa situação, o CR-V não se ressente de subidas íngremes e muito menos de ultrapassagens, sempre seguras e confortáveis, ainda mais com o LaneWatch.

Com mudanças manuais, o CR-V responde bem ao ser exigido, ainda mais no modo Sport, que mantém o giro alto para buscar sempre mais potência do que torque. A intervenção do condutor no câmbio é parcial, mas agrada.

No modo Econ, mesmo com redução no uso de sistemas de bordo e também na calibragem do motor, o CR-V Touring não se furta na hora de responder em qualquer situação. Ou seja, desliga-se a economia e libera-se o desempenho.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Na dinâmica de condução, o Honda CR-V 2018 mantém a tração nas quatro rodas em tempo real e com transferência de força entre os eixos. Pena não poder ser desligada, o que reduziria o arrasto e também o consumo.

Ela distribui bem o torque nas rodas e dá ao SUV um equilíbrio muito bom em aceleração, curvas e mesmo no fora de estrada leve. O sistema agora pode ser acompanhado através da tela TFT de 7 polegadas do painel, que revela a atividade do conjunto.

Apesar do tamanho, o CR-V 2018 curva bem e fornece um bom controle do motorista, ainda mais com a direção elétrica leve e integrada com o controle de estabilidade. Com um SUV desse porte na mão, o conforto é muito bom.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

A suspensão tem um ajuste mais para o conforto e nem por isso compromete a estabilidade. Filtra bem as irregularidades do solo ou os buracos de estrada de terra, mesmo com rodas aro 18, garantindo assim muito mais conforto. Os pneus de série 60 ajudam muito nisso também.

Da mesma forma, os freios cumprem com o compromisso de segurança, mas pena que o SUV veio na versão “básica”. Como assim? Pelos R$ 189.000, o utilitário esportivo da Honda poderia ter trazido o pacote Sensing.

Sim, a economia da Honda nos faz sentir falta do conjunto de sistemas de segurança que inclui controle de cruzeiro adaptativo, alerta de manutenção de faixa com correção, frenagem automática de emergência e alerta de saída de estrada com correção e frenagem.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

A Honda disse que o pacote elevaria ainda mais o preço… Pois é, nesse porte e preço, deveria ser um item de série. O modelo poderia ter o pacote adicional e manter o preço, mas aí as grandes margens de lucro seriam comprometidas.

Mas, falando do que está disponível, o Honda CR-V tem ainda partida remota na chave, útil para deixar o ambiente climatizado antes de entrar, assim como monitor de atenção e o Brake Hold, que mantém o carro parado e engatado no trânsito.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Por você….

Como vimos, o Honda CR-V Touring melhorou muito, especialmente no conjunto motriz. Faltam alguns itens que realmente atenderiam mais quem busca um SUV de porte médio com uma proposta mais luxuosa e custando quase R$ 200.000.

Sim, existem opções no mercado com menos potência e preço próximo, como o Peugeot 5008 (R$ 181.990) ou mais potente até, como o VW Tiguan R-Line por R$ 179.990. Nem dá para esquecer do Chevrolet Equinox Premier por R$ 162.990.

São apenas alguns exemplos, mas o salto que o SUV da Honda deu sem nenhuma compensação para os clientes da marca, especialmente aqueles que queriam trocar o antigo pelo novo, realmente foi absurda.

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)

Por isso, a marca previu um lote de apenas 500 carros para todo o ano de 2018 e, como dados da Fenabrave apontam, o CR-V não está nem entre os 40 mais vendidos. E olha que tem muitos na lista que custam bem mais do que ele.

Isso mostra que, apesar de seus atributos, que não são poucos, o Honda CR-V 2018 ficou aquém do esperado pelo mercado em termos de preço e, sem dúvida, isso atrapalha muito na hora de apostar no SUV, que realmente agrada pelo conjunto e é recomendável até, exceto por esse detalhe muito importante.

Medidas e números….

Ficha Técnica do Honda CR-V Touring 2018

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, turbo e injeção direta

Cilindrada – 1.498 cm³

Potência – 190 cv a 5.600 rpm (gasolina)

Torque – 24,5 kgfm a 2.000 rpm (gasolina)

Transmissão – CVT com sete marchas virtuais e trocas manuais na alavanca e no volante

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,1 segundos

Velocidade máxima – 201 km/h

Rotação a 110 km/h – 1.800 rpm

Consumo urbano – 10,3 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 13,5 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Multilink

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 18 com pneus 235/60 R18

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.591 mm

Largura – 1.855 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.667 mm

Entre eixos – 2.660 mm

Peso em ordem de marcha – 1.607 kg

Tanque – 57 litros

Porta-malas – 522 litros

Preço: R$ 189.000 (versão avaliada)

Honda CR-V Touring 2018 – Galeria de fotos

Avaliação: Honda CR-V 2018 anda bem e bebe pouco (mas preço é elevado)
Nota média 5 de 3 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • rkimwb

    Bom conjunto mecânico, visual chamativo, mas não oferece nenhum diferencial frente à concorrência fora o HUD.

    Já vi nova Tiguan, 3008, 5008, nova Sorento, XC40, XC60,… Mas ainda não vi nenhum CR-V dessa nova geração nas ruas.

    • REDDINGTON

      Vi uma…mas não sei se conta porque era da dona da ccs Honda da minha cidade kkkk ela tinha uma 2015 vinho, agora tem uma branca.

    • Ric53

      Também não..

    • Edson Fernandes

      Eu vi uma em estrada.

      Era de um consumidor final, mas era preta. Só fui perceber que não era um HR-V (ainda que as dimensões tenham me chamado atenção) quando vi a traseira. Ficou claro que aquela mistura de Fit com XC60 se tratava de uma CR-V.

      • TchauQueridos

        Achei que ficou uma cópia da WR-V.

        • REDDINGTON

          A WRV foi baseada na CRV, já que foi lançada depois…

        • Edson Fernandes

          Na verdade é o inverso…rs

          Mas mtos elementos da CR-V foram aproveitados inicialmente do Accord (que foi o carro que cedeu o visual para os demais).

          Essas lanternas traseiras que me lembram a XC60, são de origem da CR-V em que a Honda quis colocar em Fit/WR-V. Achei que a Honda perdeu a inspiração para a traseira dos carros (obviamente minha opinião).

    • what_the_hell??

      Carro bacana, bem completo, motor decente… Se custasse em torno de 150mil seria uma opção viável dentro dos nossos parâmetros! Mas por 190 se torna, na minha opinião, um dos piores custoxbenefício do segmento, como a própria matéria já cita os concorrentes! Se quiser um motor melhor, tem a Equinox; se quiser mais tecnologia, tem o 3008

      Só um detalhe: o preço deveria ser comparado ao Peugeot 3008, e não ao 5008, já que o CRv só tem 5 lugares! O que o torna uma opção ainda pior!

    • Fernando Dias

      Minha Tiguan Allspace da um banho de custo-beneficio! 128 com teto panorâmico e câmera de ré instalada na ccs. Carro simplesmente top!

  • Diogo Reis

    Excelente carro, mas nessa faixa, Tiguan 350 R-Line e Equinox são opções mais recheadas. Acho difícil deslanchar nas vendas.

    • REDDINGTON

      Vc acha difícil?? Cravo pra vc, é IMPOSSÍVEL!! A honda errou feio nesse preço. É um bom produto, mas o preço está impraticável, o cara tem AMAR a CRV pra comprar. AMAR MESMO!!!

      • Mas essa foi a idéia deles: trouxeram pouquíssimas unidades e jogaram o preço lá em cima, exatamente só para quem ama pagar.

        • REDDINGTON

          Pelas vendas baixas as pessoas estão amando mais o dinheiro delas rs rs rs.

          • Sim, concordo. Só pra complementar, parece que seriam apenas 500 unidades à venda durante todo o ano. Tentei achar os números, mas como o veículo é importado e acho que a Honda não faz parte da ABEIFA, não consegui achar.

            • REDDINGTON

              Também não achei, nem na FENABRAVE.

      • Thales Sobral

        Rapaz, desde que eu conheço CR-V é assim, vem mais cara e menos equipada que os concorrentes, só compra quem é fissurado no carro. A Toyota resolveu fazer parecido com o RAV4 também.

        • REDDINGTON

          Se vc observar a quantidade de modelos 2008 a 2012 que vc encontra na rua, vai perceber que nem sempre foi assim. Não mesmo, esse carro já teve um dos melhores custo-benefício do segmento. Antes de comprar uma em 2015 ela entregava mais e estava mais barata que uma IX 35 por exemplo ambas top, olhei uma RAV 4 a mesma coisa, menos carro,mais preço. Hoje esse modelo está impraticável, acredito ser um carrão, mas por esse preço não vai vender nada.

  • th!nk.t4nk

    Carro muito equilibrado, só o preço que realmente tá deslocado demais (pro seu tamanho). De motor o 1.5 é bem surpreendente pela cilindrada, mil vezes melhor que o antigo 2.0. Mas se for pra pagar tão caro, o Tiguan oferece um conjunto ainda melhor, IMHO.

    • Edson Fernandes

      Isso porque o que mais chama atenção é o fato do motor 1.5 os 190cv. Fazendo alusão ao Civic que incrivelmente tem um 0-100 matador, esse aí fica bem aquem andando na média do segmento que tem motores 1.4 e 1.6 turbo. E me decepcionou o consumo na estrada tbm.

      • th!nk.t4nk

        Putz entao o acerto deve ser diferente, e/ou o arrasto aerodinâmico pesa nele também. De qualquer forma vou te dizer que nunca achei um SUV que tivesse um consumo realmente bom. O Escalade (Kuga) foi o melhorzinho nesse aspecto pra mim até hoje, mas ainda assim bebe um tanto a mais que um carro baixo equivalente. Pra quem pega muita estrada acho SUV uma escolha bem contestável.

        • Edson Fernandes

          Aí é objetivo do produto. Ou o compromisso está em aliar altura com certo conforto, ou ir de encontro a um produto otimizado. Mas considerando a altura de produtos como o Escalade, ou considerando os compactos altinhos do Brasil, a ideia é trazer apenas uma performance decente.

          Repare que a maior preocupação do brasileiro antes mesmo do consumo é se o carro “aguenta” andar com pessoas. (por mais que uma grande maioria vá andar sozinho ou no muito com 2 pessoas, existe essa preocupação do “SE”).

          E então vemos carros que tem uma relação curta de marchas para privilegiar uma tocada mais agil com o produto (com prejuizo ao consumo além de considerar outras variaveis daquele projeto como a altura).

          No Brasil outro ponto que tem causado esse aumento no consumo é essa tatica das fabricantes em antecipar o ponto da aceleração. O que é isso? Vc pisa 10% do pedal do acelerador, mas ele na verdade atua com 30%, vc pisa 30% do acelerador, e ele está atuando com 80% da pressão e assim por diante. A mais agressiva nesse ponto é a Hyundai. (tanto que o indice de consumo no uso real tem sido ruim para os motores 1.0 e 1.6 da fabricante mesmo em suas versões manuais).

          As que procuram evitar esse uso acentuado em alguns produtos é a VW e PSA. A VW só usa esse artificio no seu 1.0 aspirado, já nos 1.6, 1.0 turbo, 1.4 turbo e 2.0 turbo, ele tem a progressão normal (e até reclamam do delay do acelerador).

          Na PSA é a mesma coisa: 1.2 tem essa antecipação, mas os motores 1.6 aspirado e 1.6 turbo tem uma progressão normal. Já a Fiat tem usado bem nos motores (exceto o Etorq 1.8), Nissan já apela para relações curtas e por aí vai. A propria Honda usa esse tipo de artificio em Fit/City/HR-V. Já o Civic e CR-V (além de Accord) tem uma tocada progressiva.

          Isso faz dos carros perderem parte do conforto de marcha ou de rodagem porque ser “tudo ou nada” nem sempre´e bom. A Renault tem feito isso para os carros que usam os motores 1.0 e 1.6. Não preciso dizer do RS pois esse é esportivo e tem o apelo de ser apimentado.

          Enfim… só dizendo sobre alguns pontos em que as fabricantes tem usado e que as vezes ajudam na piora do consumo tbm.

          • th!nk.t4nk

            Hehe isso me lembrou do antigo Celta 1.0 com seu acelerador “on/off”. Foi uma grande sacanagem da GM na época, mas incrivelmente muita gente gostava desse comportamento (até pra manobrar era ruim, tamanha a sensibilidade do pedal). Tá aí um ponto que me agrada nos automáticos, onde dá pra escolher entre diversos modos de conduçao (eco, confort, sport, sport+, etc). Poderia ter um botão desses nos manuais também, nem que fosse algo simplificado. Com o preço atual da gasolina, seria algo bem-vindo.

            • Edson Fernandes

              Opa se seria!

              Realmente era ruim no Celta. Meu pai teve (e hoje é da minha irmã) e é justamente como vc disse.

              Me lembro do tal tranco de acelerar em primeira marcha sem que exatamente esse tranco de aceleração fosse um ganho notavel de velocidade, era só uma força desnecessária em primeira marcha.

              Enjoei de ver meu pai saindo de segunda marcha por conta disso…rs

              A marcha “mais confortavel” era a terceira. Não era raro nas vezes que andei, rodarem terceira marcha para evitar os trancos de aceleração. Claro que qdo era possivel usar essa marcha.

              Eu já tinha o C3 nessa epoca e me lembro que foi terrivel: Eu viajei para Poços de Caldas com o Celta. Com o C3, era uma viagem de 4 a 5 horas tranquila, curtindo paisagem, subindo a serra de Aguas da Prata para Poços numa boa. Chegava no mesmo dia trabalhando a todo vapor.

              Quando tive que ir com o Celta, já estranhei a compania do motor ao meu lado, qualquer aceleradinha a mais (se vc estivesse andando de cruzeiro e pegasse um aclive que precisava só acelerar um pouco mais) e o tranquinho sem exatamente ter ganho de velocidade. Qdo eu cheguei em Poços, eu sentia como se tivesse andado 10 horas sem parar de carro. (e sempre fiz o mesmo, paro uma vez no posto, tomo café da manhã e depois vou na boa, sempre no limite da via)

              Eu estava DESTRUIDO para trabalhar. Para me ajudar, caiu um diluvio no fim do dia e o carro não tinha ar (O c3 sim, esse dia eu senti falta do ar viu…rs), carro todo embaçado, toalhinha para limpar e os temiveis tranquinhos com 4 pessoas dentro do carro. Todo mundo morrendo de valor pq a chuva estava tão forte que eu tive que ligar o ventilador forçado (deixei o recirculador desativado pq afinal, em um carro sem ar não faz sentido), vidro embaçando a cada 3 minutos e lá indo para o hotel…rs

              Foi terrivel. Eu cheguei no hotel era coisa de 18:30 e nem jantei. Dormi direto…rs

  • Phantasma

    É um perfeito Honda, cobra a mais, entrega menos equipamentos. Teóricamente entrega um melhor pós-venda

    • Leandro

      Isso aí. Só cuidado para não ser apedrejado pelos fãs da Honda, rs

    • fsjal

      apenas teoricamente

  • 1945_DE

    Um monstro deste com 24,5Kgfm de torque. É uma vergonha. Um Golf 1.4L TSI tem mais que isto. A Tiguan R-Line então humilha. Não vale o que cobram. Vai ser sempre um lanterninha.

    • Edson Fernandes

      Mas se vc for ver na média do segmento que tem ainda motores 2.0, 1.4 e 1.6 turbo, verá que está na média.

      A grande questão é que no Civic esse motor brilha de forma que o aproxima em performance do Jetta 2.0 TSI. Já esse na CR-V, não brilha e fica na média. Na pratica, não vale o que custa. Qto ao torque: O THP tem o mesmo numero de torque com até 173cv de potencia e na VW o 1.4 tem 150cv com 25,5kgmf de torque. Então é similar na pratica.

  • Alexandre TRE

    Vou de RAV 4 mesmo, mais barato e é um Toyota.

    • REDDINGTON

      Não tem comparação, em NADA…Equipamentos, motor…vc não quer que a toyota coloque o RAV 4 a 190 mil oferecendo um motor 2.0 né?! Ah top custa 145 mil, também não é uma pechincha, nunca pagaria isso numa RAV 4, como também não pago 190 numa CRV.

      • Edson Fernandes

        O RAV 4 topo de linha tem motor 2.5. Ainda assim é EXTREMAMENTE MAL EQUIPADO.

        Olha que interessante… se fosse entre o CR-V e o RAV4, eu iria no primeiro… agora se fosse pelo dinheiro, esses nunca verão como escolha minha.

        • Filipo

          Não mais, a RAV4 trazida ao Brasil atualmente só dispõe do 2L de 4 cilindros.
          O RAV4 também está caríssimo para o que oferece. Ele é bem espartano e tem motor antiquado, uma vergonha!
          Parece que o novo será lançado por aqui em novembro, durante o salão. Este é superior em quase tudo. Só o achei bem feio, mas isso é subjetivo.

          • Edson Fernandes

            Bem… a Toyota precisa parar com essa economia franciscana em seus carros. Mesmo na Europa eles costumam ser bem mal equipados diante da concorrencia. Não consigo enxergar optar por um carro japones na Europa (ao menos da Toyota).

        • REDDINGTON

          Mas a 2.5 não é oferecida desde 2016 se não me engano. Mesmo se morasse nos Estados Unidos, com modelos equivalentes eu iria na CRV, acho mais bonita.

          • Edson Fernandes

            Isso pq vc está falando das japonesas. Pelo preço, talvez eu iria num banheirão até maior que a CR-V de outras marcas…rs

            • REDDINGTON

              SIM entre as duas…Mas lá há centenas de carros mais interessantes, BEM mais interessantes!!! A própria Pilot eu acho bonita.

        • Lucas

          Não tem mais rav4 2.5.

          • Edson Fernandes

            Eu pensava que havia, foi um erro meu.

            Absurdo maior ser o motor 2.0. A Toyota por conta do Corolla e Hilux acham que os demais produtos se vendem pela marca… coitada.

    • Lucas

      Conseguiu citar um carro com pior custo-benefício que a CRV, tá de parabéns.

    • Leandro

      Sim, assim como um Tiguan é um VW, um 3008 é um Peugeot, um Crv é um Honda, um Equinox é um Chevrolet… Ser Toyota é um adjetivo agora?

    • fsjal

      Se tem um carro que é pior que o CRV em custo x benefício, é o RAV 4

  • Fanjos

    Equinox, 3008, 5008, XC40 ou mesmo a Tiguan R Line, esse carro, nesse valor faz ZERO sentido, impossível cogitar a compra.

    • REDDINGTON

      SEM chances!!!

    • Diego Sampaio

      “Mas é um honda!”

    • Mauro Schramm

      E ainda tem o Compass diesel 4×4 por um valor bem menor.

    • Edson Fernandes

      Falando em XC40… eu imaginava que ele seria mto menor que o XC60…. vi um pessoalmente essa semana (um lindo azul por sinal) e ele grandinho! Gostei dele.

    • Marcelo Amorim

      Ficaria entre um Tiguan e um 3008,mas lembrei de duas coisas:Nem tenho grana pra isso e aqui em Natal nao tem concessionária Peugeot mais,kkkkkk!

    • Felippe2010

      Não esquece da Outlander 3.0 GT hehe

  • REDDINGTON

    Acho esse carro lindo. Mas esse preço matou o carro!! E pelo valor inicial de 179.000 deveria vir sim com o Honda Sensing (oferecido em TODOS os Civic 2019 no USA), park assist…Aí aumentam o valor pra 189 mil…A Honda só trouxe pra marcar território. Deveria ser feito aqui, com mais modelos, mais cores, preço mais acertado, mercado tem, já que os SUV só aumentam as vendas. Eu não sabia que esse AWD ficava ativado direto, pois até a 2016 o AWD é ativado sob demanda. Lindo, mas preço proibitivo. Fico com a minha 2015 feliz!!!

    • Louis

      Marcar território, exatamente. Assim como Accord e Camry, colocaram preços para não vender mesmo.

    • Edson Fernandes

      O AWD é sob demanda. O problema é que o da Honda nessa atual geração ficou mais intrusivo porque ele era o oposto na outra geração. Tão pouco intrusivo que mesmo em testes, anteriormente o AWD não funcionava.

      • REDDINGTON

        Valeu pela resposta, matou minha curiosidade. A propósito belíssimas fotos, parabéns Edson!!!

      • Leandro

        Esse awd era bem mequetrefe, tem teste no reino unido que ele não funciona de jeito nenhim, ao ponto do apresentador duvidar se ele realmente existe.

        • Edson Fernandes

          Pois é…rs

          Agora a Honda fez diferente, por não conseguir fazer um AWD que funcionasse tão bem, configurou o AWD para ser mais intrusivo… logo, ele atua na maior parte do tempo (fazendo assim, maior consumo de combustivel para usar o AWD em situações em que sequer haveria necessidade).

  • Charlis

    169 mil tem a XC40 zeradinha e linda!
    Por bem menos, temos a Tiguan, Equinox, e a Q3 (mudando o modelo).
    Chances de eu ir numa CR-V seria 0%.

    []s

  • Filipo

    Este veículo era pra custar cerca de R$ 160.000,00 na Banânia!

    • GreatU2

      Já na versão mais cara possível, com todos os acessórios

      • Mr. Pereba

        Tem que ser na versão mais cara mesmo, porque dirigi uma versão básica nos EUA e ela não tem nem metade dos refinamentos e materiais dessa mais cara. Mais ou menos a mesma coisa que pegar um Polo básico e um Polo completão com painel digital e tudo mais. Parece outro carro.

  • GreatU2

    CRV a preço de SW4.
    HRV a preço de CRV
    Civic a preço de Accord

    E assim a Honda continua desafiando a lei da idiotice humana

    • Debraido

      É que a quantidade de idiotas é enorme.

    • Edson Fernandes

      Achou que com o Civic deu certo e tentou com o CR-V…. se deu mal.

  • Leonardo azevedo

    Pqp de todos as marcas creio que Honda é a que mais cobra so por ter sua marca… não é melhor em nada e o preço la em cima a Toyota segue praticamente o mesmo caminho

    • É_BomDemai_Junio

      VW idem. Ou seja, todas, amigo!

      • TchauQueridos

        A situação tá feia!
        Muito feia por sinal…

  • Schack Bauer

    Se pelo menos tivesse 7 lugares e o Honda Sensing, dava pra argumentar, mas desse jeito é realmente pra vender só 500 num ano.

    • REDDINGTON

      Acho que nem os 500 vão vender viu.

  • kravmaga

    “Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,1 segundos

    Velocidade máxima – 201 km/h”

    Anda bem ?! Claro que a CR-V melhorou MUITO em relação à geração anterior, que usava um motor 2.0 aspirado fraco demais para o carro, mas esses números são apenas razoáveis, números de carros compactos 1.6 ou 1.8 aspirados.

    Quem pode dizer que anda bem nesse segmento é o Equinox e a Tiguan AllSpace 2.0 TSI.

    • Edson Fernandes

      No maximo esse desempenho até pela potencia declarada de 190cv, que anda como os 1.4 e 1.6 turbo do mercado (mas me refiro aos altinhos).

      Realmente carece. Eu pensaria com muito carinho no 3008 griffe pack ou então pensaria no Equinox ou Tiguan 2.0.

  • Eduardo T

    Que loucura, quase 200 mil reais num Suv(zinho) médio…Mais seguro e IPVA proporcionais… Não tenho esse dinheiro todo (ao menos não pra gastar em carro), mas mesmo que tivesse, não vejo nenhum diferencial necessário pra mim, que não tenha na minha velha Outlander 2009 (3.0 V6 com 220cv e 30kgfm). Que paguei 60 mil em 2013 e hoje vale uns 40. Eu sou repetitivo, mas “old scholl” que sou, fico louco em imaginar que desses 190mil, pelo menos 100 é pra pagar por firulas tecnológicas, telinhas, câmeras, leds…

  • Josh Pádua

    Quanto custa nos EUA?

    Fazendo conversão burra sem flutuação de dólar com 4,5 ela sai a 40 mil dólares, pra versão top de linha, vendo toda quantidade de imposto em cima de imposto que paga, ouso até dizer que está razoável. O problema é que ganho em real e ainda por cima ganho pouco em real, mas a Honda ta se lixando pra isso.

    • REDDINGTON

      32.750 U$ na TOURING SEM opcionais.

  • Ricardo

    Gostaria que todos os SUVs começassem a ficar muito caros para ver se essa modinha acaba!

    • TchauQueridos

      Corolla já ultrapassou os limites aceitáveis e vende cada vez mais…

      • Marcus Vinicius

        vai ganhar na próxima geração sobre a TNG a versão híbrida Flex !

      • Ricardo

        Mas é o único que não é SUV e nem popular que vende bem.

  • Thiago Moraes

    Pro cara manter um carro desses tem que ganhar no mínimo uns 10 mil por mês, estou longe disso rsrsrs Viva a bananalândia.

  • fsjal

    O cara que compra esse carro tem que ser um completo imbecil pra pagar quase 200 mil num carro que tem como concorrentes a Tiguan R-Line, Peugeot 5008 e Volvo XC40 e Equinox.

    É a síntese de um Honda: muito preço e pouco conteúdo.

  • Rodrigo Sanvido

    Sei que gosto é subjetivo, mas eu achei horrorosa!!! Parece um WR-V bombado… pegaram um design horroroso, aumentaram e o resultado ficou pior ainda!!!

  • Gastando 20mil menos tem um Passat com tudo quem tem de melhor te esperando.

  • Guilherme Soares

    Um dia normal num escritório da Honda:

    – Então, lançamos o WR-V com aquela traseira ridícula e fez o maior sucesso… O que podemos fazer para ganhar mais com isso?
    – Já sei! Vamos redesenhar um clássico que custa quase 3x mais e por uma traseira mais ridícula ainda…
    – Yeaahhhh!
    – Sensacional!
    – Chefe, você é o melhor…

    Alguns meses depois, sai isso aí…

    • REDDINGTON

      Vc só esqueceu de um detalhe…a CRV foi lançada PRIMEIRO e serviu de inspiração pro WRV…

      • Guilherme Soares

        Vc também só esqueceu de um detalhe…
        No meu texto eu falo: “Vamos redesenhar um clássico…” . O clássico é a CRV, sacou?
        Se eu não soubesse que a CRV veio antes do WRV, caramba…
        Não era nem pra eu estar aqui vendo post do NA…
        Flw

        • REDDINGTON

          Tá Serto então rs rs rs.

  • afonso200

    em 2010 um Azera V6 custava TOP 82 mil reais, e a CRV EXL Top custava 105mil reais…. ou seja, na inflação de hoje(nesse periodo), ela continua cara como sempre……. nao seria melhor baixar o preço e vender mais unidades e ter rotatividade na CCS Honda nas revisoes e venda de serviços e etc.

  • Peter Bishop

    Melhor um Liffan X80

  • Leandro

    Com tantas opções no mercado nessa faixa de preços, só sendo muito fã da Honda para pagar esse valor num CRV.

  • Alessandro Rodrigues

    Acho lindo o interior. Uma pena: preço proibitivo. Uma pena que essa multimídia engane tanto, as bordas são gigantes, parece até que fica apenas 5″, ao ligar. O visual… Dentre os novos Honda’s, é o menos ruim.

  • Natán Barreto

    Dessa vez nem os doentes por Honda caíram nessa falácia. E não foi pq quiseram e sim por falta de dinheiroc afinal quem comprava CRV até outro dia hoje é obrigado a comprar HRV.

    Só um louco pagaria isso nesse CRV tendo Tiguan R Line pelo mesmo preço ou, pior, Equinox Premier 20 mil mais barato.

  • Cosi fan Tutti

    No Brasil Honda e “preço elevado” são sinônimos, então colocar isso na mesma frase fica redundante!

  • P500

    Fico com a XC60 mesmo, obrigado, denada.

  • RIP Brazil

    #o_cartel_vive

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email