_Destaque _Featured Avaliações Crossovers JAC Motors

Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-1 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Ele foi apresentado à imprensa brasileira em dezembro de 2014, mas ainda era um protótipo de testes, a versão chinesa. O crossover tinha uma opção interessante, um câmbio CVT. Demorou, mas chegou. E dessa forma, a JAC Motors percebeu o que realmente o consumidor queria, mais conforto ao dirigir o seu T5.

Tão logo chegou às lojas, o JAC T5 CVT começou sua trajetória de boas vendas, reposicionando a marca chinesa e sendo considerado o chinês mais vendido do Brasil em 2017. De janeiro a maio, o utilitário esportivo vendeu 1.003 unidades, praticamente uma média de 250 por mês. Isso dá a ele a 24ª posição no segmento de SUV.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-5 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Ele também vendeu mais que o dobro do rival Lifan X60 no período. Com um visual típico dos carros chineses, mesclando estilos e apresentando muitos cromados, o JAC T5 CVT chama atenção pelos faróis com LEDs diurnos, grade hexagonal enorme, frente longa e corpo volumoso. São 4,32 m de comprimento, que fazem do modelo um dos maiores do seu segmento.

Puxando esse conjunto com entre eixos de 2,56 m, o já conhecido propulsor 1.5 16V JetFlex com seus 127 cv no etanol. Agora com CVT, o motor passa a trabalhar de forma mais mansa, mas isso tem um preço. O valor do modelo começa em R$ 73.490, mas completo, igual ao que avaliamos, sai por R$ 76.990.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-23 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Por fora….

Igual ao modelo chinês, exceto pela leve atualização do mesmo, o JAC T5 CVT tem um aspecto não muito equilibrado, já que sua frente é muito longa, destoando do restante da carroceria, mais equilibrada. Ainda assim, não é de todo ruim.

Os faróis duplos apresentam LEDs diurnos, enquanto os faróis de neblina ficam posicionados bem abaixo. A enorme grade hexagonal vem com frisos cromados. A frente longa, no entanto, tem capô curto, já que o para-brisa invade o eixo dianteiro, como se fosse minivan.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-25 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

As rodas de liga leve aro 16 com pneus 205/55 ficam pequenas diante do volume do JAC T5 CVT. As proteções pretas se elevam em direção à traseira, onde tomam todo o protetor, que vem com luz de neblina e de ré.

As lanternas têm desenho harmônico, mas não são de LED. Maçanetas e outros detalhes são cromados. Há duas barras no teto e os retrovisores com ajustes elétricos possuem repetidores de direção e impressionam pelo tamanho dos espelhos, garantindo boa visibilidade da traseira. Somado a estes, uma câmera de ré com visão no display da multimídia.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-36 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Por dentro….

No interior, sem alterações importantes nesta versão CVT do JAC T5 2017. O painel é longo por causa do para-brisa avançado, apresentando um porta-objetos sem tampa, difusores de ar harmônicos entre si e um acabamento cinza de aparência interessante na base do conjunto.

A multimídia com tela de 8 polegadas domina esse ambiente, apresentando comandos físicos e tela sensível ao toque. Além de Bluetooth, o dispositivo vem com o MirrorLink, espelhamento para diversos smartphones. A JAC tem um link em seu site para os modelos que são aceitos. Há imagem da câmera de ré, reprodução de vídeo, de entradas auxiliar/USB/SD, do rádio AM/FM e da conexão HDMI.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-30 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

O sistema de entretenimento pode ser acessado pelo volante em couro, que ainda tem estilo GM, mas agora vem com piloto automático. Ele e o console, assim como difusores de ar e outras partes do acabamento, possuem tonalidade cinza. O cluster tem boa visibilidade, mas seu computador de bordo é simples. Mesmo assim, vem com alerta de pressão dos pneus.

O ar-condicionado é automático, igual ao câmbio, cuja alavanca tem acabamento cromado e opção de engates manuais, assim como os modos Sport e Inverno. Apesar do tamanho do painel, o porta-luvas é pequeno. Há vários porta-copos, apoio de braço central, maçanetas cromadas e bancos em couro com costura vermelha, a mesma do volante.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-45 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

O espaço geral é muito bom, mesmo se pensarmos que tem apenas 2,56 m de entre eixos, sendo pouca coisa maior que do EcoSport ou do Tracker, por exemplo. Além de espaço para as pernas, há uma boa altura interna.

O banco traseiro é bipartido e tem cinto de três pontos central, bem como Isofix. O ambiente tem teto e colunas claras, enquanto os vidros são escurecidos. No geral, fica bem discreto com a cor preta que domina painel e portas. Já o porta-malas tem 600 litros até o teto, podendo ficar ainda maior.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-27 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

É importante notar que as peças que sustentam os bancos e outros revestidos são protegidos por peças plásticas bem encaixadas. De modo geral, a JAC Motors evoluiu bastante nesse aspecto, assim como na resistência deste ao sacolejar de ruas e estradas brasileiras. Ainda assim, existem muitos plásticos, alguns facilmente riscáveis.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-12 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Por ruas e estradas….

O JAC T5 CVT não apresenta alterações em seu motor 1.5 16V VVT JetFlex, que entrega 125 cv com gasolina e 127 cv com etanol, ambos a 6.000 rpm. O torque é de 15,5 kgfm na gasolina e 15,7 kgfm no etanol, nos dois casos obtidos a 4.000 rpm.

Com preaquecimento de combustível na partida a frio, o propulsor tem funcionamento suave, embora um pouco ruidoso. Ainda assim, apresenta uma boa disposição no plano, garantindo agilidade no trânsito. Mas, a caixa CVT com simulação de seis marchas tem calibração longa, ao gosto dos chineses, o que não agrada muito os brasileiros.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-53 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Dessa forma, uma característica do CVT se apresenta de forma bem rápida, ou melhor, pouco veloz. As respostas são lentas quando ele é exigido mais vigor, mesmo com o motor 1.5 dando tudo de si. O ajuste do câmbio poderia favorecer a economia, mas tem efeito contrário, uma vez que a rotação facilmente passa dos 3.500 rpm em ultrapassagens ou subida de serra.

No modo Sport, o ânimo é um pouco melhor, mas ainda assim incapaz de dar uma performance mais entusiasmante. Ainda assim, o JAC T5 CVT consegue imprimir boa velocidade em estrada e mantém o ponteiro na casa dos 2.700 rpm, o que é bom para o nível de ruído interno. Sua operação quase linear agrada. Nas reduções, a caixa tem boa resposta.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-48 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Nas mudanças manuais, a interferência eletrônica não é tão acentuada, o que é bom. Para contribuir com o conforto, o JAC T5 CVT conta com piloto automático. Com etanol, o crossover chinês não passou de 6,9 km/litro na cidade. Na rodovia, o consumo foi de 9,5 km/litro. Com tanque de somente 45 litros e os 1.210 kg do veículo, nem dá para chegar a 430 km de alcance.

Ao volante, o JAC T5 CVT apresenta posição de dirigir elevada e confortável, tendo bons comandos à mão, exceto retrovisores, ajuste dos faróis e o importante botão de desativação do controle de estabilidade e tração. Junto com estes, há também o assistente de partida em rampa, útil mesmo com um câmbio CVT, já que este tem sua limitação em inclinação.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-38 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Com ótima visibilidade para frente e lados, o JAC T5 CVT apresenta boa dirigibilidade, tendo direção elétrica leve e de progressividade moderada. Poderia ser mais firme na estrada, mas nada que alguns quilômetros de adaptação não resolvam a questão. Os freios são suficientes e apresentam discos nas quatro rodas. Já a suspensão tem uma calibragem mais macia, voltada para o conforto.

Mesmo assim, mantém bem neutra a carroceria em curvas mais fechadas. Sutilmente, o controle de estabilidade ajusta os freios e corta força do motor, a fim de manter o SUV compacto na trajetória. O item é importante, especialmente em trechos de serra ou estradas bem sinuosas, ainda mais com chuva.

Em pisos ruins, a suspensão absorve bem as irregularidades e dificilmente bate no fim do curso, sobrando nesse aspecto. De modo geral, a performance do JAC T5 CVT é mediana, atendendo bem na cidade e devendo uma relação de correias e polias mais adaptada para estrada, buscando assim mais da força do motor.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-11 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Por você….

O JAC T5 CVT com o Pack 3, que inclui todos os itens disponíveis para o modelo, custa R$ 76.990. Menos que um EcoSport SE 1.6, que sai por R$ 78.800 e não tem a maioria dos itens do chinês. Em performance, o melhor é o rival da GM, que custa R$ 5.000 a mais. O Peugeot 2008 THP é outro, mas com câmbio manual ele deixa de ser tão vantajoso para o consumidor deste segmento.

O SUV compacto da JAC Motors vem bem recheado, mas peca por ter apenas airbag duplo na frente. Poderia acrescentar airbags laterais e de cortina. Fora isso, a multimídia vem com tudo, exceto um visual agradável, mas cumpre seu papel. Os vidros escurecidos dão um toque a mais e deixam o ambiente mais sóbrio.

jac-t5-cvt-2017-avaliação-NA-9 Avaliação: JAC T5 CVT ganha em conforto, mas performance é mediana

Ar-condicionado automático, trio elétrico, retrovisor eletrocrômico, câmera de ré, sensor de estacionamento, bancos em couro, multimídia com HDMI e espelhamento, faróis de neblina, rodas de liga leve aro 16, direção elétrica, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, entre outros, acrescentam bom valor agregado.

Mas, a manutenção é considerada cara: R$ 4.420 até 60.000 km, lembrando que a quinta revisão é gratuita, assim como a primeira de 3.000 km. Tudo pago em até cinco vezes. Até 100.000 km, o JAC T5 CVT alcança altos R$ 7.730 em uma década de serviços programados. O carro em si é realmente interessante e vale a pena experimentar, mas o custo de manutenção elevada espanta muita gente.

Medidas e números….

Ficha Técnica do JAC T5 CVT 2017

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, flex

Cilindrada – 1.499 cm³

Potência – 125/127 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 15,5/15,7 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)

Transmissão – Automática CVT com trocas manuais na alavanca

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 176 km/h

Velocidade máxima – 13,8 segundos

Rotação a 110 km/h – 2.700 rpm

Consumo urbano – 6,9 km/litro (etanol)

Consumo rodoviário – 9,5 km/litro (etanol)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 16 com pneus 205/55 R16

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.325 mm

Largura – 1.765 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.625 mm

Entre eixos – 2.560 mm

Peso em ordem de marcha – 1.210 kg

Tanque – 45 litros

Porta-malas – 600 litros (até o teto)

Preço: R$ 76.990 (versão avaliada)

JAC T5 CVT 2017 – Galeria de fotos

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

Send this to a friend