*Featured Avaliações JAC Motors SUVs

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Ele é o “anti-Compass” da JAC Motors no Brasil, posicionando-se acima do T50. Equilibrado, o JAC T60 é a mais recente proposta de SUV da marca chinesa por aqui.


Tendo um visual bem consistente, o T60 trouxe inovação na JAC Motors do Brasil, que agora tem um modelo com motor turbinado numa faixa de preço interessante.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Sim, antes havia o JAC T8, mas era uma minivan. Aqui, o JAC T60 é um “SUV” como diz o mercado e apresenta missão de intermediário entre o compacto T50 e o grande T80.

Custando a partir de R$ 108.990, o SUV da JAC tem um bom conteúdo, apesar de alguns detalhes, além de motor 1.5 Turbo que eleva o nível da proposta, porém, o CVT mata…

Por fora…

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

O JAC T60 tem um porte estranhamente alto, dado seu teto elevado acima das janelas. A frente não é tão elevada e o conjunto ótico chama atenção pelos faróis com LEDs diurnos.

A grade hexagonal é bem mais equilibrada que as propostas anteriores da JAC, tendo elementos cromados interessantes. Os faróis de neblina possuem lentes complexas.

Com saias de rodas quadradas, o T60 lembra um pouco o rival nessa parte, tendo ainda belas rodas aro 17 polegadas com pneus 215/50 e pinças de freio devidamente vermelhas.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Tal como o T50, o T60 tem retrovisores grandes e câmeras do monitoramento em 360 graus nelas. Só não rebatem eletricamente.

As lanternas em LED lembram o Kia Seltos (na verdade, é o contrário) e o defletor de ar mostra como o teto foi erguido para alcançar 1,660 m no total. Tem barras no teto e antena tubarão.

Por dentro…

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Por dentro do JAC T60, o ambiente mostra a evolução da marca em relação aos últimos T50 e T80. O painel tem um design moderno e agradável.

O volante é antigo e merece uma substituição, mas tem couro e comandos de piloto automático, computador de bordo, mídia, telefonia e tema do cluster.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Com ajuste apenas em altura, fica devendo em profundidade. O JAC T60 vem com um cluster digital no Pack 3 (versão avaliada) de ótima qualidade e três temas.

Um lembra o recente da BMW e outro é inspirado na Peugeot. Um terceiro, menos interessante, parece exclusivo. A qualidade visual é muito boa e valeria para o T50 e T80.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Configurável, esse display realmente combina com a multimídia, cuja tela de 10,25 polegadas tem boa resolução e apresentação gráfica apreciável.

Contudo, falta Android Auto e CarPlay, tendo apenas um difícil espelhamento de smartphone. As imagens das câmeras em 360 graus, porém, não acompanham a qualidade do display.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

A parte central do painel tem comandos touchscreen, ótimos com os faróis no modo Auto, no entanto, se tornam quase invisíveis na estrada com os faróis baixos ligados durante o dia.

Isso não é primazia da JAC, a Honda tem modelos com o mesmo problema. Eles não foram feitos para as regras atuais brasileiras.

O ar condicionado digital (não é dual zone) não mede em temperatura, mas gela muito bem. O painel tem ainda revestimento soft costurado em cor bronze, assim como sobre o cluster.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Mesmo o console inferior e a capa da alavanca (assim como o volante), possuem o mesmo acabamento. Há um botão de partida discreto junto aos difusores de ar.

O JAC T60 tem freio de estacionamento eletrônico e função Auto Hold, para bloquear os discos com o carro parado. As portas têm couro costurado e maçanetas de belo visual.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Atrás, o acabamento das portas é o mesmo que na frente, algo bom quando vemos tantos carros até mais caros, empobrecidos nessa parte.

Os bancos são bem envolventes e confortáveis, devidamente em couro com dupla costura bronze (apenas no Pack 3). O do motorista tem ajuste elétrico apenas no assento.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Atrás, existem duas entradas USB, mas não há difusores de ar. De qualquer forma, o espaço para as pernas é bom, e o banco tem apoio de braço central, além de ajuste de encosto.

Com teto solar elétrico apenas de tamanho padrão, o JAC T60 bem que poderia dispor de um vidro panorâmico. O porta-malas tem bom tamanho e 650 litros até o teto.

Ele pode ser ampliado com o rebatimento do banco bipartido e alcançar até 1.210 litros no total. O estepe é simples e de aço. Luzes de leitura e porta-óculos fazem parte do pacote.

Por ruas e estradas…

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

O JAC T60 é um carro esperto. Seu propulsor 1.5 Turbo tem uma boa disposição e números que realmente corroboram para uma performance interessante.

Contudo, o detalhe é que o CVT é chinês… Tendo quatro cilindros com duplo comando de válvulas variável e injeção eletrônica indireta, a gasolina, o motor é um projeto da AVL.

Ele entrega bons 168 cavalos a 5.500 rpm e 21,4 kgfm entre 2.000 e 4.500 rpm, mostrando boa elasticidade. Não é barulhento, exceto acima dos 4.000 rpm.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Se o ruído se traduzisse em desempenho, não reclamaríamos, porém, o CVT tem uma calibragem excessivamente longa para o conforto dos chineses.

Ainda assim, a JAC conseguiu deixar o T60 esperto nas saídas, o que ajuda muito no trânsito urbano, onde não é necessário imprimir velocidades altas.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Nesse ponto, nem parece um carro chinês (geralmente longo demais), tendo uma tocada até gostosa com essa programação, que ainda pode ser alterada nos modos Sport e manual.

Aí, basta jogar a alavanca para a direita e mudar as marchas ou deixar o giro subir em torno de 1.000 rpm. No entanto, acima dos 3.000 rpm o CVT desliza e a resposta não é a mesma.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Nem adianta tentar algo com o modo manual, que também só ouvirá o ronco alto do 1.5 Turbo, já que o CVT não responde na mesma medida.

Por isso, na cidade, o melhor é deixar em Drive e ir embora. Nesse ambiente de anda-e-para, o T60 se mostrou um carro econômico, fazendo 10,4 km/l. O T60 tem ainda Start&Stop.

Na estrada, contudo, o SUV da JAC tem um desempenho mediano, exigindo giros bem altos nos aclives suaves e muito nas ultrapassagens, chegando a 5.000 rpm facilmente.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

O problema aí não é a rotação, mas a disposição do CVT e passar isso para as rodas, sendo que a sensação não corresponde com a audição.

Andando de forma esportiva, ele demora a embalar e, é aquilo, se meter o pé, ele grita muito e reage pouco. Então, sua proposta passa longe da esportividade, como poderia surgir o turbo.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Na rodovia, o T60 fez bons 13,7 km/l e andou a 2.300 rpm aos 110 km/h. Um câmbio automático de seis marchas com conversor de torque faria bem ao SUV.

Andando no dia a dia, o JAC T60 se mostra um carro agradável, mas sua suspensão é bem macia e não combina em nada com a direção extremamente leve.

Em desvios rápidos ou curvas bem fechadas, será preciso atenção com estes dois, ainda mais com volante sem ajuste de profundidade, que deixa o motorista de estatura alta mais longe.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Outro ponto é que a suspensão, como em outros carros da JAC Motors, tem curso pequeno e salta fácil em depressões mais severas ou juntas dilatadas de pontes, por exemplo.

Na frente, McPherson. Atrás, eixo de torção. A estabilidade, por conta desse ajuste para chinês ver, deixa um pouco a desejar. Controles de tração e estabilidade devem valer a pena aí.

Os freios são suficientes para a proposta do JAC T60, que tem discos nas quatro rodas e belas pinças vermelhas.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

A posição de dirigir é boa, mas falta ajuste de profundidade, que seria o ideal. Também faltou o ajuste elétrico do encosto, pois, só existe o do assento.

A visibilidade geral é boa, mas o sistema de desembaçamento é muito lento e torna as coisas bem difíceis em dias ruins. Retrovisores com aquecimento seriam bons nesse caso.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

Rodando em pisos ruins, nota-se algum ruído interno, proveniente do acabamento, mas não que incomode.

As luzes de conversão ajudam muito à noite. Uma projeção JAC no chão é um mimo do Pack 3. O sistema Brake Hold é um auxílio bom no trânsito pesado.

Por você…

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

O JAC T60 tem uma proposta interessante, mas poderia levar mais em consideração seu preço de R$ 112.990 no Pack 3. Falta, por exemplo, airbags laterais e de cortina. Sim, pasme, só existem dois.

Mais conectividade e melhor ergonomia são dicas que a JAC poderia procurar resolver, assim como os ajustes de suspensão e do CVT, apesar deste cumprir sua parte na cidade.

Avaliação: JAC T60 tem proposta boa, mas pode melhorar

No mais, trata-se de um SUV com bom espaço interno e bagageiro para ninguém botar defeito, assim como bom conteúdo, mesmo com ausências importantes.

Até econômico, o JAC T60 mostra avanço da marca chinesa, com conforto a bordo e desempenho suficiente para a cidade.

Vale a pena testar se a pretensão é gastar num SUV dessa faixa de preço.

Medidas e números…

Ficha Técnica do JAC T60 1.5 Turbo 2020

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, turbo

Cilindrada – 1.499 cm³

Potência – 168 cv a 5.500 rpm (gasolina)

Torque – 21,4 kgfm a 2.000 rpm (gasolina)

Transmissão – CVT com simulação de 6 marchas e mudanças manuais na alavanca

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 9,6 segundos

Velocidade máxima – 195 km/h

Rotação a 110 km/h – 2.300 rpm

Consumo urbano – 10,4 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 13,7 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 17 com pneus 215/50 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.410 mm

Largura – 1.800 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.660 mm

Entre eixos – 2.620 mm

Peso em ordem de marcha – 1.365 kg

Tanque – 50 litros

Porta-malas – 650 litros

Preço: R$ 108.990 (preço base) R$ 112.990 (versão avaliada)

JAC T60 2020 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Pelo preço e categoria, existem opções melhores e mais consolidadas. IX35, Tiggo 7, promoções do Compass e etc. Duplo airbag num topo de linha é inaceitável.

    • Luís Paulo

      E pelo que parece o CVT mata o carro! Também procuraria outras opções, como você bem falou.

    • VR6icardoW

      Chinesas burras, talvez se praticassem preços bem melhores que os rivais, como antigamente, talvez venderiam mais!

      • Sino Weibo

        No caso o importador que está errando, pois a JAC em si tem produtos bem modernos, e tem outras marcas chinesas ainda melhores como Haval, Changan, GAC, FAW-Bestune, SAIC-MG-Maxus, Geely etc..

      • 😎.

        Quem coloca preço é o importador brasileiro.

    • radiobrasil

      Se pensar que paguei 125k num Equinox 2.0T em dezembro passado, REALMENTE foi um belo negócio, comparando com essa coisa aí (primo do Territory da Ford huahuahua)

  • Alaor

    O custo-benefício desse carro é simplesmente ridículo.

  • Darlon Anacleto

    O visual é tosco demais, com vincos sem sentido, aquele encontro entre o teto e a vigia na coluna traseira. Até mesmo o Duster, com sua proposta low-cost dá show em design nesse chinês.

  • Gran RS

    Já se foi o tempo que os carros chineses tinham preços agressivos e mais equipamentos que os concorrentes. Hj estão praticamente custando o mesmo que modelos mais consagrados, o que dificulta as suas vendas, sem contar que especialmente os modelos da Jac, que não transmite uma segurança com um possível pós venda, ou em relação a saída do Brasil em um curto espaço de tempo, como aconteceu com a Lifan.

    • Sino Weibo

      A Lifan não saiu, eles vão voltar a produzir no Uruguai, inclusive vão ceder a fábrica para outra marca chinesa, a Brilliance, a parceira da BMW na China. Vão fabricar em conjunto para vender principalmente no Brasil.

      • Gran RS

        Não existem mais carros Okm na Lifan no Brasil, e vc está falando uma coisa que não aconteceu, e depois dessa pandemia, duvido muito que essa marca volte a fabricar no Uruguai.

        • Sino Weibo

          Mas eles próprios anunciaram a parceria com a Brilliance, procura ae nos sites.

          • Gran RS

            Eu sei, mas o que eu estou tentando te dizer, é que isso é uma promessa para o futuro, e todos nós sabemos que depois dessa pandemia, tudo pode mudar, e o cenário atual é que a Lifan não tem mais nenhum modelo Okm a venda no Brasil.

            • Sino Weibo

              E pq eles simplesmente iriam abandonar uma fábrica pronta no Uruguai?

              • Gran RS

                Porque não compensava financeiramente a operação, da mesma maneira que a Ford fechou a fábrica em São Bernardo.

    • De fato não há modelos zero km da Lifan no país, pois a matriz está em crise, mas a marca não saiu do Brasil, estando há quase 11 anos ininterruptamente.
      Particularmente acredito que não voltem mais, ficando a Brilliance no seu lugar.

      • Sino Weibo

        Acredito que a Lifan se mantenha com comerciais e um ou outro modelo pra dar volume. A Brilliance é outro nicho, podem conviver.

        • A grande questão é que o Lifan Group está quase em bancarrota, tendo parado inclusive com a produção de motos. Acredito que logo a Lifan deixará de fabricar carros no mundo, uma vez que já não tem nenhum comercial em sua linha original, uma vez que vendeu vários projetos (incluindo o X60 e o Foison) e a fábrica mais antiga para outra chinesa.

          • Sino Weibo

            A Lifan é uma das maiores produtoras de motores da China. Não acho que caiam tão facilmente. E ainda vendem sim muitas motocicletas.

            • A Lifan já não produz motos, desde o ano passado.
              De fato ainda é a segunda maior produtora de motores do mundo, inclusive de motos, e acredito que irão focar nisto.
              Em carros, atualmente estão com apenas uma fábrica, com capacidade para produzir 250 mil unidadws ao ano, com os modelos X7, X70, X80, M7 e sob licença da CHJ, o 650 EV. O restante foi repassado para a CHJ Automobile, que adquiriu a fábrica mais antiga. Fiz uma matéria sobre isso (https:// www. ouni. com. br/2020/02/em-crise-lifan-vende-parte-das.html)

              Digo isso por ter trabalhado na Lifan e ainda ter contato direto com os gestores lá na China.

              A maior parte dos executivos e funcionários da Lifan, ou foram para a CHJ ou foram para a Jetour, da Chery, que comprou projetos em andamento, como o do Jetour X70, que era pra ser a nova geração do X80 na Lifan.

              O proprietário da Lifan, Yin Mingshan está muito doente, e seu filho não tem interesse em assumir os negócios. Yin já está negociando a Lifan Auto com a Brilliance (que adquiriu a operação uruguaia).

              • Sino Weibo

                Ah sim agora entendi, não sabia da atual situação. Mas estas fusões e aquisições é normal, no fim irão sobrar poucas marcas mas serão mais maduras e fortes, experientes, como esta ocorrendo em outras áreas.

                • Na China, eles precisam parar de inventar marcas (chegam a lançar 50 marcas num ano, as quais, em grande maioria não passam do primeiro ano), mas sim investir firme nas que possuem. É muita fabricante com capacidade inferior a 100.000 unidades anuais, que é difícil de entender, e que duram poucos anos. O Governo Chinês já trabalha em um processo de consolidação das que são propriedade do estado, mas para isso dar certo, novas marcas terão de parar de surgir… toda hora um Governante Local resolve lançar algum fabricante de carros, com foco nos incentivos estatais, acaba que um canibaliza o outro. É surpreendente!

                  • Sino Weibo

                    Mas já estão fazendo isso, hoje vc consegue distinguir claramente quais são os grandes grupos, que não passam de 10. As submarcas e outras aquisições são fruto destas, geralmente são ligadas direta ou indiretamente a elas. Mas é bom sim incentivar startups, principalmente no setor de elétricos, autônomos, quem sabe uma destas aparece com algo revolucionário? Quem dera o Brasil tivesse esse ímpeto e se criasse aqui como se cria na China.

  • Sino Weibo

    O importador ta dormindo no ponto, a própria JAC tem produtos bem mais modernos, e outra, existem N marcas chinesas com bem mais apelo que poderiam estar trazendo como Haval, Changan, FAW-Bestune, GAC, SAIC-MG-Maxus, Geely, BYD (a parte de carros), BAIC, DongFeng DFSK e as de elétricos Xpeng, NIO, Byton, Li Xiang, SOL, etc..

    • Os carros das marcas GWM, Haval, Changan, Faw, Bestune, GAC, MG, Maxus e Geely são de fato interessantes, mas algumas dessas marcas já possuem representantes para a América Latina, como exemplo a MG, a GWM, a Haval, a Changan, Faw e Geely. Maxus, GAC, Faw e Bestune são oportunidades. Baic e DFSK são no mesmo nível da JAC. A Sol já está chegando ao fim. Lixiang é da CHJ, e esta não tem interesse em operar na América Latina, pois sua operação ainda é pequena. Byton e NIO seriam muito caras.

      Sobre a JAC, todos os principais modelos dela, a SHC importa. O T60 é um modelo recente até mesmo lá.

      • Sino Weibo

        A BAIC é um grupo enorme, e eles tem modelos bem modernos na nova marca Beijing Auto, como o recém lançado X7. DFSK seria mais baseado em comerciais leves, tendo um ótimo SUV, o Glory. Agora as outras sim, já deviam estar no Brasil, pois tem presença já em toda a região, mas é questão de tempo e de acordos com representação e concessionários.

  • Bruno

    Mais uma enceradeira pra mofar nos pátios..

  • Gio

    Comprar carro de mais de 100 mil reais, de uma montadora que já entrou 2020 em Recuperação Judicial e tendo que responder por promessas não cumpridas de construção de fábrica, em meio a uma pandemia, sabendo que tal carro não oferece praticamente nada a mais do que carros da mesma faixa de preço de marcas estabelecidas? (Pelo contrário, só tem dois air bags e faltam de itens de conveniência simples). Nem vou entrar no mérito da origem, ficando só nos chineses, se comparar esta compra com a de um Tiggo 7, por exemplo, já fica dificil justificar optar pelo JAC.

    • Sino Weibo

      A JAC não fez fábrica mas quem mudou a regra do jogo foi o governo ao impor o Inovar Auto, que não inovou é nada. Eles tem de responder o que, pegaram algum dinheiro do BNDEs?

      • Gio

        A JAC foi prejudicada pelo governo sim, mas foi pelo Super IPI aplicado em 2011.
        Já pelo Inovar Auto ela foi é beneficiada, recebeu incentivos fiscais em 2013 e 2014 (Inovar Auto já vigente) do Governo da Bahia pela construção da fábrica que nunca saiu do papel.

        Após isto, o Governo da Bahia passou a cobrar a devolução dos incentivos fiscais, e tenho a impressão de que o caso não está solucionado.

        Uma pesquisa por “incentivos fiscais jac motors” no Google traz bastante informação a respeito disto.

  • oscar.fr

    Carros como esse T60 não têm futuro nenhum, custam caro demais e entregam pouca confiabilidade e tradução. Considerando seu valor alto, não se dirigem para qualquer cliente. Quem tem (a partir de) 110 mil reais para colocar nesse carro não vai optar por um carro de uma marca desconhecida apenas para economizar 20 mil reais.

  • marxx3000

    Deixou o ar de ix35 e virou uma mistura de RAV4 com Creta

  • Julio Magalhaes

    Carro ficou bem interessante. Mimos que não é dificil de encontrar em carros de outras categorias. Realmente, esse cluster com a central multimidia elevada e mais retangular do que quadrada é a nova moda.
    Agora, dificil alguem aceitar que terá um carro como esse nas condições da JAC no pais. Se já fosse montado no Brasil (fabrica proxima da Ford em Camaçari/Ba) seria bem atraente, mas…….

  • Henrique12

    Só achei nada a ver essas caixas de roda quadradas, muito feio isso.

  • João Senff

    JAC e Chery tá no mesmo patamar bem longe das tradicionais e anos luz atrás das Premium.

  • Jean Lehn

    Coragem de alguém
    Comprar isso 🤢

  • Andrei Vieira

    se dividir o preço por 2, ainda ficaria em dúvida de pegar.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email