Avaliações Jeep SUVs

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

O mundo dos SUVs tomou conta do cenário automotivo brasileiro. Em 2019, esse segmento representou quase 25% das vendas totais, e esse número só vai crescer em 2020.


Mas no meio de tantas opções, poucos podem realmente enfrentar qualquer obstáculo em trechos urbanos ou estradas de terra. É verdade que temos os reis da terra Troller T4 e Suzuki Jimny, ou modelos urbanos com tração 4×4, como Renault Duster 4WD e Ford EcoSport Storm.

Mas se você quiser aliar uma boa capacidade off-road e o conforto para o dia a dia, a melhor opção é o Jeep Renegade Trailhawk.

Com todos os equipamentos que um Renegade pode oferecer, um visual chamativo e o verdadeiro espírito Jeep, essa versão foi avaliada para comprovar se suas qualidades justificam os R$ 145.990 cobrados por ele.

Por fora…

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

O visual do Jeep Renegade agrada, e sua aceitação no mercado brasileiro comprova isso. Em sua versão topo de linha, o modelo faz isso de forma ainda mais acentuada.

Visto como o Renegade que tem o verdadeiro espírito Jeep, o Trailhawk se diferencia das outras versões por ter suspensão com curso mais longo e por ser mais alto em relação ao solo, com 1.725 mm. Isso lhe rende um vão livre maior (22,3 cm, contra 21,6 cm das demais versões), o que rapidamente é percebido pelo motorista ao enfrentar obstáculos, seja na terra ou dentro da cidade.

Outras diferenças no visual externo são as rodas de 17 polegadas com pneus de uso misto e medidas 215/60, as capas na cor cinza nos retrovisores e os chamativos ganchos na cor vermelha (dois na frente e um atrás).

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

O Renegade Trailhawk também vem com um adesivo fosco no capô. E antes que você pense que esse acessório é apenas um detalhe para incrementar o visual, na verdade ele serve para diminuir o reflexo do sol no rosto do motorista, especialmente em trilhas com inclinações.

Recentemente, o Jeep Renegade ganhou faróis e lanternas em LED, o que cumpre seu papel no sentido prático e também melhora o visual, especialmente as luzes diurnas de rodagem. E quando falamos que os faróis cumprem seu papel, podemos dizer que fazem isso até com certo exagero. Em algumas situações outros motoristas reclamavam por achar que estávamos com o farol alto ligado.

Um último detalhe importante no exterior é o teto solar elétrico panorâmico, único opcional do Renegade Trailhawk e que custa R$ 8.200. A versão que testamos tinha esse equipamento, e ele serve para mostrar que se trata do modelo diesel mais caro da linha. Se é prático ou não, depende do uso e da preferência dos ocupantes.

Por dentro…

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

Ao entrar no Renegade Trailhawk não é difícil perceber logo de cara suas qualidades e seus defeitos. A lista de pontos positivos é maior, e isso em si já é um ponto positivo (desculpem a redundância).

O acabamento do Jeep é muito bom, com pouca superfície em plástico rígido. O painel é quase todo emborrachado e tudo é bem montado. O volante tem acabamento em couro, assim como os bancos e o apoio central para os ocupantes dianteiros, itens que vem com costura vermelha que contrasta bem com a sobriedade do restante da cabine.

Outros detalhes chamativos no interior dessa versão são as partes com acabamento em plástico vermelho, como a moldura dos alto-falantes, das saídas de ar-condicionado e no console central.

O motorista tem a vida facilitada pelo fácil acesso aos comandos. Mesmo sendo menos equipado que a versão topo de linha a diesel de seu irmão Compass, o Renegade Trailhawk tem tudo o que você precisa.

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

No painel de instrumentos, o grafismo facilita a rápida leitura, e o centro dele conta com uma boa tela TFT de 7 polegadas. Esse é um dos equipamentos da generosa lista que essa versão traz, que inclui ar-condicionado de duas zonas, central multimídia de 8,4 polegadas com Apple CarPlay e Android Auto, sete airbags, sensor crepuscular e de chuva, piloto automático, entre outros.

Mas o que torna o Renegade topo de linha menos equipado que o Compass mais caro? É a falta de itens como Park Assist, piloto automático adaptativo, monitoramento de mudança de faixa, farol alto automático, monitoramento de ponto cego e partida remota. São equipamentos que certamente tornariam o Renegade Trailhawk ainda mais interessante (e muito mais caro).

Porém, a versão que testamos também tem suas falhas. O que mais sentimos foi em relação ao espaço interno, ou a falta dele. Motorista e passageiro vão bem na frente, mas qualquer adulto que viajar no banco traseiro vai perceber que a altura do assento deixa as pernas um pouco suspensas. Dois adultos e uma criança até cabem ali, mas os joelhos vão encostados nos bancos dianteiros.

O espaço para as malas também é ruim. Se as outras versões do Jeep Renegade já tem um porta-malas apenas razoável (com 320 litros), na versão Trailhawk o espaço é ainda menor. Por usar um estepe de tamanho idêntico aos outros pneus (diferente das outras versões, que utilizam o estepe de uso temporário), o volume no compartimento é de apenas 273 litros. Isso fica abaixo de alguns populares de entrada, como Fiat Uno e Renault Kwid.

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

Outro detalhe negativo, mas menos importante, é a qualidade da imagem da câmera de ré, incompatível com um veículo que custa mais de R$ 150 mil.

Também tivemos dificuldade com o sistema de destravamento das portas. Ao desligar o carro, as portas dos passageiros só abrem quando o motorista abre a sua ou quando aperta o botão de destravamento. Parece um bom sistema de segurança, mas acaba sendo um incômodo quando você desliga o carro e alguém quer descer antes do motorista. A única maneira é fazendo isso manualmente, mexendo na trava perto da maçaneta.

Um último detalhe negativo, e que provavelmente você já ouviu falar em outras avaliações do modelo, é a famosa alavanca de seta boba. Ao dirigir um Jeep Renegade, acostume-se a dar farol alto toda vez que for dar seta. Sim, a alavanca é muito mole e é difícil evitar piscar o farol quando você quer mudar de direção. Um problema aparentemente fácil de corrigir, mas que até hoje não teve a atenção da marca.

Por ruas e estradas…

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

Dirigir o Jeep Renegade Trailhawk se mostrou algo muito prazeroso. Sua altura do solo faz o motorista ficar bem menos preocupado com lombadas ou valetas, obstáculos que o SUV passa com muita facilidade nos trechos urbanos.

A posição de dirigir também deve ser elogiada, já que os ajustes do banco permitem encontrar facilmente o melhor posicionamento. É verdade que a versão mais cara do Renegade poderia ter bancos elétricos, mas isso acaba não fazendo tanta falta.

Outro detalhe interessante, e que até impressionou quem dirigiu o Renegade pela primeira vez, foi a visibilidade que o motorista tem. Seja em manobras, ou com o trânsito pesado de ruas e estradas, o condutor sempre tem uma excelente visão de tudo à sua volta.

Mas o ponto principal para tornar o Renegade Trailhawk tão prazeroso é seu conjunto mecânico. O motor 2.0 Multijet de 170 cavalos e 35,7 kgfm de torque casou muito bem com a transmissão automática de nove velocidades, sendo uma opção muito (muito!) melhor que as versões flex.

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

A arrancada é vigorosa, mesmo sendo feita em segunda marcha pelo câmbio automático. Isso pode ser alterado com a alavanca no modo manual, o que torna sua aceleração ainda mais divertida. Ultrapassagens e retomadas na estrada são uma tarefa simples para o Renegade Trailhawk.

É claro que não estamos falando de um esportivo, mas esse Jeep certamente se destaca em sua categoria quando falamos desse quesito. E o melhor: seu consumo não parece ser tão afetado quando a condução é mais vigorosa.

Na cidade, sempre andando com o ar-condicionado ligado e em uma cidade com muitas subidas e descidas, o Renegade Trailhawk apresentou uma média de 9,5 km/l. É bom destacar que essa média foi feita com uma condução normal, sem nenhum esforço para economizar combustível.

E na estrada? Para ver o quanto o consumo seria afetado pelo estilo de condução, realizamos duas viagens, ambas com quatro ocupantes adultos e ar-condicionado ligado. Na primeira, as retomadas eram sempre fortes, apesar de respeitarmos o limite de velocidade. Na segunda, retomadas mais leves e velocidade máxima de 100 km/h (onde a rotação ficava pouco acima dos 1.500 rpm).

O resultado não foi tão diferente quanto esperávamos: 15,5 km/l na primeira e 16,7 km/l na segunda. Sim, existe uma diferença que, com o tempo, pode pesar no bolso. Mas o fato é que o Renegade diesel é um carro econômico nas mais diversas situações, especialmente na estrada.

Isso não significa, porém, que não tivemos reclamações nessas viagens. E elas novamente aparecem no banco traseiro. Além da falta de espaço, já citada acima, os passageiros citaram um pouco de desconforto com o encosto do banco. Além disso, sentiram falta do apoio central de braço e de uma saída traseira do ar-condicionado, um problema que aparece em quase todas as categorias de veículos no Brasil e que realmente torna a viagem mais cansativa.

Por ruas e estradas de terra

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

Ao avaliar um modelo movido a diesel e com tração 4×4, não poderíamos deixar de sujá-lo na terra. É bom deixar claro que não nos aventuramos em trilhas pesadas, pois o Renegade Trailhawk não foi feito para isso. Nesse caso, ainda é melhor optar por um Suzuki Jimny ou um Troller T4.

Mesmo assim, é fácil perceber que o Renegade Trailhawk é o Jeep mais aventureiro entre todas as versões desse modelo ou do Compass. Não é à toa que essa versão ostenta o selo “Trail Rated” em suas laterais. Esse selo comprova que o modelo é um autêntico Jeep, com tração 4×4 e capacidade off-road. Ou seja, ele faz mais do apenas passear num shopping.

Para conseguir essa certificação, a Jeep coloca seus modelos em seu campo de provas Lyman Trail, em Ann Arbor, nos Estados Unidos. Nesse local eles são avaliados em vários aspectos, como altura do solo, vedação contra água, tração, entre outros.

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

É claro que não levamos o Renegade Trailhawk para algo tão radical, mas mesmo assim ele se mostrou apto para enfrentar trilhas mais leves (as fotos são de estradas que levaram até essas trilhas). Quase não foi preciso usar outros modos de condução off-road, mas quando fizemos isso o Renegade parecia rir do percurso que precisava transpor.

É verdade que a grande maioria de seus compradores nunca vai alterar o modo de condução ou levá-lo a situações extremas em estradas de terra, mas deu pra perceber que o Renegade Trailhawk aguenta muito mais que seus rivais.

Por você…

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

A Jeep tem uma linha bem diversificada no mundo dos SUVs, e isso ajuda a explicar sua liderança na categoria. No caso do Renegade, existem versões com motor 1.8 flex ou 2.0 turbodiesel, com tração 4×2 ou 4×4. Os preços partem de R$ 79.290 na versão flex de entrada.

Mas o fato é que apenas as versões diesel realmente valem a pena em relação ao conjunto mecânico. E entre a versão Longitude ou a Trailhawk, a segunda é mais equipada e com um visual mais interessante. O problema, como todos sabem, são os preços.

Para ter um Renegade diesel é preciso desembolsar R$ 134.990, e se a escolha for pela versão avaliada nessa matéria, o preço sobe para R$ 145.990. E não se esqueça que esse valor não inclui o teto solar panorâmico, que custa R$ 8.200 e eleva o preço para R$ 154.190.

Realmente, é um valor muito alto. Mas em quase todo o país vemos muitos exemplares do Renegade (e de seu irmão Compass, ainda mais caro) nas ruas, e muitos deles são das versões mais equipadas. Será que tanta gente assim acha normal pagar tudo isso?

Avaliação: Jeep Renegade Trailhawk é um SUV valente de verdade

A verdade é que as vendas do Renegade e do Compass se apoiam fortemente nas vendas diretas. Em 2019, o Renegade emplacou 68.726 unidades, sendo o 9º modelo mais vendido do país. Porém, 49.524 exemplares foram em venda direta, o que representa 72% de suas vendas. No caso do Compass vemos a mesma situação: das 60.362 unidades vendidas no ano passado, 40.756 (ou 67,5%) foram nessa modalidade.

Não é sem explicação que os dois modelos da Jeep aparecem entre os mais vendidos quando olhamos apenas as vendas diretas: o Renegade ficou em 3º e o Compass em 5º.

Tudo isso ajuda a explicar que vale a pena ter um Renegade diesel, mesmo na versão mais cara Trailhawk, em sua garagem. Esse é o modelo mais valente de sua categoria, especialmente por ter um conjunto diesel e com tração 4×4.

E se os valores ainda assustam, tente optar pela compra através do CNPJ. Os descontos oferecidos pela Jeep chegam a 17%, além de mais deduções que a própria concessionária pode fazer. Com isso, as versões a diesel do Renegade terão preços entre R$ 112.000 e R$ 121.000.

Se a sua família não for grande e você quiser ter um SUV com ótimo conjunto mecânico e bem equipado, o Renegade Trailhawk certamente é uma boa compra.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Jeep Renegade Trailhawk 4×4 2020

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, diesel

Cilindrada – 1.956 cm³

Potência – 170 cv a 3.750 rpm

Torque – 35,7 kgfm a 1.750 rpm

Transmissão – Automática de nove velocidades

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 9,9 segundos

Velocidade máxima – 190 km/h

Rotação a 110 km/h – 1.800 rpm

Consumo urbano – 9,5 km/litro

Consumo rodoviário – 15,5 km/litro

Suspensão/Direção

Dianteira e traseira – Independente McPherson

Elétrica

Freios

Disco ventilado (dianteira) e discos sólidos (traseira)

Rodas/Pneus

17 polegadas com pneus de uso misto 215/60 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.232 mm

Largura – 1.805 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.725 mm

Entre eixos – 2.570 mm

Peso em ordem de marcha – 1.674 kg

Tanque – 60 litros

Capacidade de carga – 400 kg

Preço: R$ 145.990 (preço básico) R$ 154.190 (versão avaliada)

Jeep Renegade Trailhawk – Galeria de fotos

Viny Furlani

Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 15 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.

  • El Gato!

    Diesel. 4×4. Esse é um Jeep de verdade. Teria fácil, se eu fosse um consumidor do segmento.

    • Baetatrip

      Jeep de verdade é Wrangler+ Cherokee+ Grand Cherokee!

      • More of the punisher

        Esqueceu do Troller.

        • Alfredo Araujo

          Troller não é da MARCA Jeep… rs

          • More of the punisher

            Ok, então eu citaria o Gladiator, que para mim é um “jipe da Jeep com caçamba” :)

          • Baetatrip

            Isso!
            Troller T4 e TX4 sao da marca FORD desde 2009!

      • El Gato!

        Você está mencionando outros modelos de categorias superiores e, o mais importante, de outro patamar de valor.
        Meu comentário salienta aquelas que são as duas principais características de um Jeep (motorização e tração), que fazem com que o carro tenha uma verdadeira inspiração para fora do asfalto, indo ao encontro da filosofia da marca. Exatamente ao contrário da versão flex do mesmo carro, que nada mais é do que um Fiat manco e beberrão.

        • M.Hahne

          Curiosamente a tradição dos Jeeps sempre foram motores a gasolina. Inclusive o Jeep original, conhecido como Willys MB. Acabei de entrar no site Jeep USA e nada de motores diesel.

          • Baetatrip

            Concordo!
            Diesel só vieram nos anos 90..!

  • Andre Studart

    Podem me chamar de doido, mas acho o renegade diesel e o vitara turbo por 120k opçoes interessantíssimas.

    No caso do vitara, nenhum anda tanto bebendo tao pouco e no caso do renegade é um belo pacote de forma geral, principalmente se comprar por cnpj

    • Baetatrip

      Iria de Vitara sem duvida………!
      Apesar de moda de shopp!

    • David Diniz

      Concordo, por esse preço de 120/130mil o Renegade Diesel e o vitara são boas opções.

    • Yo soy Yo

      Eu concordo com vc! Se eu tivesse a grana eu ia de Renegade pq acho ele mais versátil e útil pra vários tipos de terrenos.

  • Capitão Caverna

    Tenho um Renegade e sou alto. Juro que não acho o espaço traseiro apertado, desde que o banco do motorista fique mais elevado, o que é bem legal pois o carro tem boa altura interna e te dará uma visão ainda melhor. Lógico que se você for comparar com um SUV médio, é pequeno, mas dentro do seu segmento está na média, e para Troller e Jimny não tem nem graça. Só acho os bancos duros e podem incomodar um pouco em viagens mais longas, mas nada absurdo. E quanto o porta malas, apesar de perder no volume, tem boa profundidade, então termina sendo MUITO mais prático no dia a dia do que os hatchs citados.

    • Cesar

      Isso só se chama fanatismo.
      Ele é largo e alto. Só perde um pouco em entre eixos e juram que é apertado.
      O extranha é que se ele é apertado o que são veículos menores que ele como EcoSport, Ônix, Argo, HBAGRE20 etc.

      • David Diniz

        Fanatismo só por que ele não acha apertado? Minha nossa…

        • Cesar

          Fanatismo dos haters que acham ele apertado.
          Leia novamente o que escrevi.

          Se ele largo e alto é apertado o que serão outros que são menores que ele como o Ecosporte?

          • Paulo Lustosa

            EcoSport dentro é mais largo que o Renegade, que usa plataforma de Punto italiano alargado para ter maior bitola e melhor proteção contra impacto, tanto que a distância entre ocupantes do Renegade é a mesma distância entre ocupantes do Punto e do Linea, enquanto o do EcoSport, T-Cross, Tracker, e principalmente o Creta, são maiores que o do Renegade/Toro.

            • radiobrasil

              Isso que é resposta! Toma meu like!

            • Bruno Vasconcelos

              Plataforma NÃO TEM NADA A VER: Ecosport tem a mesma do Fiesta e é muito mais largo e comprido. As plataformas variam muito, mesmo de carros derivados. Todos os SUVs compactos são muito parecidos, já entrei em todos, apenas o HRV um pouco maior e o Ecosport um pouco menor.

              • Paulo Lustosa

                Plataforma limita distância entre dois ocupantes em uma mesma fileira sim, lamento ter que informar isso, pois ponto de ancoragem de banco dianteiro em assoalho não muda, tanto que o console central do Renegade é bem estreito diante dos concorrentes.

          • Fabrício Sanches

            Ele não leu tudo não. A preguiça é uma desgraça mesmo.

      • MarcosGojira

        >Renegade
        >Largo

        /quit

        • Cesar

          Vamos lá:
          Renegade: 1.798 mm L
          TCross: 1.760 mm L
          Ecosport: 1.765 mm L
          2008: 1.739 mm L
          HRV: 1.772 mm L
          C4 Cactus: 1.714 mm L
          Duster: 1.822 mm L
          Captur: 1.813 mm L

          Ônix: 1,731 mm L
          Argo: 1.750 mm L
          HBagre20: 1,72 mm L
          Polo: 1.751 mm L

          • Paulo Lustosa

            Largura externa não reflete a largura interna da cabine na maioria das vezes. Maior exemplo disso é o Vectra, que tinha largura interna pior que do Corsa B por conta das colunas serem intrusivas, mesmo sendo plataforma de médio propriamente dito, enquanto o Renegade é feito no SCCS com bitola alargada (B-Wide), que não reflete em aumento de largura interna, apesar de melhorar estabilidade.

          • MarcosGojira

            E? Continua sendo mais apertado que um Focus

  • Allifen Marques

    Viajei num Renegade Longitude (pós-facelift com farol de LED) alugado pela Localiza, e realmente o que foi falado do farol é verdade. O caminho inteiro recebendo sinal de luz alta na cara. A manopla da seta também é bem molinha e vivia dando luz altas para as pessoas. Mas são coisinhas que não desmerecem o conjunto da obra.

    • David Diniz

      No caso era só usar a regulagem elétrica dos faróis que estava resolvido esse problema do farol ofuscar quem vinha em sentido contrário…

  • David Diniz

    Minha mãe está querendo trocar o corolla 2015 dela e estou sugerindo que ela troque por um SUV preciso ir com ela até a uma concessionária JEEP para ela conhecer o Renegade e o Compass.

  • Baetatrip

    Como é valente e morre de medo de encarar 1 poça de agua?!
    Esse carro só é valente em shopping!!
    Nao encara trilha mesmo… Até encara porém nao tem caixa reduzida, somente a 1 marcha!
    Se for pegar estrada de terra ae vai numa boa com algumas erosoes bem light
    Ele fica no meio entre o GV3 e Novo Vitara em relação em “trilha”
    1 passeio be bobo, 1 desse foi, e falei: como está o passeio? Está legal porém raspou 2x o fundo…!
    Ponto forte e encarar estrada com buracos e shopp, resto até vai porem vai arregar com tempo!
    Quando chove, melhor botar snokel pois a entrada de ar e muito baixa (+ baixa que o da flex) pois fica no meio entre pisca e farol)

    • Tiago

      Valente relativo à categoria, óbvio que perde muito em relação ao Wrangler ou Jimny.

      • Fanjos

        É o tipico caolho em terra de cego

        • Tiago

          Imagina a linha cross (VW), adventure (fiat), x (Hyundai), freestyle (Ford)….

      • Baetatrip

        Sim…!
        Só e valente em asfalto/ shopp/ buraquinho de terra…!
        Meter em trilha, ae está o problema
        Até vai, porem vai sofrer consequencia em curto prazo!

  • Vitor C

    145 mil e sem os recursos de segurança passiva que deveria ter por esse preço? O carro é muito bom mas está bem longe de seu ticket justo.
    Sei que não é o mesmo segmento (é superior aliás) e nem a mesma proposta, mas um jetta GLI custa o mesmo é melhor acabado, muito mais equipado, potente e tecnológico.

    • radiobrasil

      E o Equinox… com seus 262cv e 37kg de torque… eu peguei um LT 2.0 Turbão por 125k!

  • G E O

    O único ponto a ser criticado deste carro é o motor que usa gasolina, na minha opinião.

  • Prosecutor

    Ainda não estou convencido de que a economia do diesel vale a pena
    Qualquer sedã 2.0 flex faz uns 14km/L andando sem passar de 100 km/h, como vocês testaram, mesmo com algumas aceleradas em ultrapassagem.
    Se pegar um crossover downsized 1.4 ou 1.5 turbo (Tracker, T-Cross e HRV), aí que a suposta economia se anula, e perde também em desempenho.
    Portanto, sobra o 4×4 para valer o preço, que pode ser útil para quem frequenta algumas estradas/praias afastadas.

  • Aguinaldo Junior

    Talvez seja possível a comparação abaixo: Modelo: Jeep Wrangler
    Preço sugerido: R$ 272.990
    Potência: 271 HP a 5.250 rpm ou o Troller T4 XLS 3.2 MT 4×4 2020 – R$ 140.900 que na minha opinião serve muito bem para off road mas trânsito normal em viagens principalmente affff o conforto é zero!

  • Pedro

    Essas SUV 4×4 são mais focadas para neve, muito comum em países frios, praticamente todas as SUVs tem versões 4×4. Esquece trilha, é para outro tipo de carro como o Troller, Wrangler, Jimmy.

    • Baetatrip

      Isso…..
      4×4 urbano e usa só a 1 marcha “reduzida” como quebra galho!

      • Racer

        Já começa que o 4×4 dele não é o mesmo de um 4×4 padrão. Se assim fosse, o sx4 também seria um offroad nato.

        • Baetatrip

          Sim…
          Sao categorias bem diferentes!

  • beto

    Sensacional esse carro, mesmo na versão flex já me agrada bem.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email