Avaliações Chery Crossovers

Avaliação NA – Chery Tiggo 4 – Comportamento e consumo na estrada

Avaliação NA - Chery Tiggo 4 - Comportamento e consumo na estrada

Gostei ainda mais de andar com o Chery Tiggo na estrada do que na cidade. Apesar de seu motor ser um 2.0 de 16v, que supostamente necessitaria de altas rotações para entregar um bom torque, ele conta com torque suficiente para levar uma condução tranquila com baixas rotações.


Andando a 100 km/h, temos 2.500 rotações, um bom número.

É interessante andar na estrada com o Tiggo sempre com baixas rotações, percebendo que o motor tem fôlego para acelerar sem reduções. Acelerando até 120 km/h, ainda ficamos com menos de 3.000 rotações, e temos a vantagem de que nesta velocidade o Chery Tiggo fica em uma faixa de giro mais adequada para suas dezesseis válvulas.

Digo isso pois a 100 km/h o motor não consegue manter uma velocidade constante em algumas subidas mais fortes. Esse é infelizmente um ponto negativo do Tiggo na estrada. Um pequeno ponto negativo que o câmbio longo apresenta. Mas mesmo assim prefiro essas relações longas de marchas.


Entre 100 e 110 km/h, o consumo foi de 12,2 km/l, um pouco alto, assim como aconteceu na cidade. A suspensão macia do Chery Tiggo não foi um problema nas estradas, até porque nas curvas temos a ajuda dos largos pneus 235/60 R16.

As colunas A são bem finas, o que ajuda na visibilidade geral. Um item que falta no Chery Tiggo é um controlador de velocidade, ou piloto automático, item que ele poderia muito bem ter. O nível de ruído interno é um pouco alto, tanto por conta do ruído aerodinâmico nas portas quanto pelo sistema de escapamento.

Nesta unidade especificamente, o silencioso traseiro tinha um princípio de corrosão, o que prejudicou o Tiggo em nossas medições de ruído interno. O que poderia ser revisto é a forração das portas, que parecem não muito bem encaixadas, como acontece às vezes com carros chineses.

Mas de um modo geral, o Chery Tiggo é um carrinho que agrada na estrada, apresenta rotações baixas e também bancos confortáveis para longos trajetos. Se tivesse um interior mais moderno e preço menor, seria ainda mais interessante.

Avaliação NA – Chery Tiggo 4 – Comportamento e consumo na estrada
Nota média 4.5 de 2 votos

Eber do Carmo

Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 13 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.

  • igorcerino

    Mudaram bem a parte frontal na reestilização apresentada agora no Salão da China, com certeza o interior também foi revisto.
    Vamos ver se o preço fica onde está para valer o investimento.

  • juninho1000

    O consumo dele tinha que ser melhor.

  • ubiratamuniz

    "Nesta unidade especificamente, o silencioso traseiro tinha um princípio de corrosão"

    em um carro novo?

    pfff….

    • radiobrasilcombr

      Imagina em 3, 4 anos… em cidades litorâneas… fica TENSO kkk

      • fmarcanzoni

        Nossa, nem precisa tudo isso, com 2 já estaria podre hehe.

    • Acelerando

      Culpa da nossa gasolina hidratada.

  • TiagoMegane

    O consumo dele ta aceitável em vista dos concorrentes apesar que teria que ser melhor por ele ser só a gasolina

  • MecanicoDigital

    "Digo isso pois a 100 km/h o motor não consegue manter uma velocidade constante em algumas subidas mais fortes. Um pequeno ponto negativo que o câmbio longo apresenta"
    Muito bem observado. Este problema acontece com boa parte dos motores multiválvulas que equipam os carros que rodam aqui no Brasil. O motor só possui o torque em um regime muito alto, que na maioria das vezes não é alcançado, deixando de se aproveitar toda a força que o motor possui. E se tentarmos usar o motor constantemente neste regime alto (no caso do Tiggo 2.0, entre 4300rpm e 4500rpm), o carro fica barulhento e gastão, além de ter uma dirigibilidade mais desconfortável .

    • Edson Roberto

      Acredito que a proposta é ter sobra de potencia e para uma ultrapassagem seja bom. Mas não vejo coisa além disso.

  • andre_poa

    Acho legal o design desse carro, mas não arriscaria comprar…. ainda. Carro novo já com escapamento/silenciador corroído e aquela de não abrir a tampa de abastecimento foi medonho.

  • suguii

    Eber, na sua opinião, vale a pena investir neste carro? Faz meses que estou pesquisando qual carro comprar e ainda não tirei esse carro da minha cabeça, apesar de não estar em primeiro da minha lista…

    • Talvez em um usado….. o novo tem preço muito perto de modelos mais tradicionais… deveria custar um pouco menos.

      • giodoesitbetter

        Eber, esse carro foi cedido pela Chery ou é de particular?

        • meu caro, sempre os carros são cedidos pelas montadoras, salvo caso em que deixamos isso claro no texto, como foi o palio, por causa da fiat não nos ceder carros, e o cobalt, que conseguimos com um amigo bem no lançamento, final de dezembro, antes mesmo de a chevrolet começar a ceder cobalts para avaliação.

  • CharlesAle

    Sendo curto e grosso,acho que não vale a pena comprar um tiggo zero,são muitos detalhes(defeitos)tanto no carro,como falhas de fabricação que aborrecem……….

  • Prudencia e um copo de água não fazem mal a ninguém eheheh.

  • YoOdEx

    A única vantagem que vejo em um cambio com relação longas é o resultado em consumo mais moderado. O que não é o caso desse Tiggo. Prefiro ter o carro a 120km/h em 3200 rpms do que em 2800 rpms, sendo os dois modelos com o mesmo consumo.

    • Edson Roberto

      Isso sem contar que esse motor em especifico, mostra que a maior faixa de torque é em uma rotação bem mais elevada…

  • Acport

    Eu prefiro carro com câmbio de relações longas. O conforto, principalmente em viagens longas, é muito bom. Se precisar de mais potência em uma retomada, basta reduzir uma ou duas marchas.
    O brasileiro é engraçado, não gosta de mudar marchas, mas também não gosta muito de câmbio automático. Vai entender.

    • Edson Roberto

      Mas não pode ter um cambio mediano? Eu não gosto para carros comuns, de cambio curtos (close Ratio), mas gostaria de um cambio longo sem ser ao exagero.

      O bom do Tiggo é ter relativa força mesmo em uso em baixa rotação. Mas melhor do que ele, nesse aspecto o Duratec e o ajuste da Ford é perfeito para um cambio com relações longas. (não é exagerado e permite condução com apenas 1500rpm sem comprometer o consumo e ao mesmo tempo o desempenho).

  • crigosp

    Já estão oferecendo o Tiggo aqui em SP por R$ 47.661,00!! Acho que com um BOM CHORO.. cai para a casa dos 46, 45 MIL…

    Ontem fui ver uma Idea versão de entrada motor 1.4 completa, ar+conjunto elétrico, ABS+Airbags, R$ 44 MIL…

    Daí fico na dúvida… entre esses dois Idea (pela confiabilidade da marca FIAT)… ou ir pela emoção num Tiggo.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email