Avaliações Chevrolet Sedãs

Avaliação NA – Chevrolet Cruze 4 – Comportamento e consumo na estrada

chevrolet-cruze-avaliacao-estrada Avaliação NA - Chevrolet Cruze 4 - Comportamento e consumo na estrada

Veja como são as coisas: um câmbio automático que revelou alguns defeitos andando na cidade se torna muito bom na estrada. Por pouco que não podemos definir que ele é “excelente” neste ambiente. São seis marchas na caixa automática do Cruze, indo na direção da tendência mundial de aumento de marchas para privilegiar tanto desempenho quanto consumo.



Em um BMW X5 Sport, são oito marchas no câmbio automático, e você precisa andar a 120 km/h para conseguir com que a oitava marcha entre, abaixo das 2.000 rotações. Em sedãs grandes com câmbio automático de pelo menos cinco marchas, são 2.000 rotações andando a 100 ou 110 km/h. E no Cruze, a tendência segue neste caminho.

O sedã médio da GM consegue manter 2.100 rotações a 100 km/h, 2.300 rotações a 110 km/h e 2.500 rotações a 120 km/h. Muito bom. O ruído interno e o consumo agradecem, embora tenhamos problemas nesta área. No ruído interno, a partir de 120 km/h você já não consegue mais ter uma conversa tranquila com outros ocupantes, pois o barulho aerodinâmico entra na cabine com força, mostrando que a forração pode ser melhor.

E o consumo, é aquele típico de motores Flex, a “Bizarrice Automotiva” preferida de nosso país. Andando a 100 km/h, naquela rotação baixíssima citada, temos médias que ficam entre 13,5 e 14 km/l com gasolina e ar-condicionado ligado. Um bom consumo, mas que poderia ser melhor se o motor do Cruze não fosse flex, é claro.

Aumentando a velocidade e chegando a 120 km/h, a média fica entre 12 e 12,5 km/l, também com gasolina e com ar-condicionado ligado. Números que não são maravilhosos, mas que já deixam o Cruze à vontade para brigar com outros sedãs médios pela preferência de consumidores que querem conforto e elegância, mas que também querem um bom consumo na estrada.

É claro que não podemos comparar diretamente o consumo de um Cruze 1.8 com o de um Corolla 2.0, que avaliamos aqui no NA em outubro. Mas o japonês entregou um consumo pior que o do Cruze, ficando com 12,6 km/l a 100 km/h e 10,5 a 120 km/h. De repente, o sedã da Chevrolet já não é mais tão gastão em comparação com os japoneses.

Isso acontece enquanto o americano tem seis marchas e o japonês tem apenas quatro. Quando o Corolla ganhar um câmbio melhor, poderemos fazer uma comparação mais adequada. Lá no começo da matéria, falei que o câmbio automático do Cruze ficou perto de ser chamado de excelente, mas não foi. Por quê?

Por mostrar alguns pequenos trancos e reduções exageradas também na estrada. Nada que incomodasse muito, mas que ainda revela que ele precisa ter uma calibragem mais suave. Quem sabe isso acontece conforme a GM for aprimorando o Cruze aqui no Brasil, com o passar dos anos.

Outra coisa que não gostei é o modo manual de troca de marchas, que não respeita a indicação vermelha do conta-giros. Ou seja, a rotação do motor não vai até o ponto em que ela chega nas trocas automáticas. Isso faz com que seja difícil usar o modo manual para trocar as marchas em uma aceleração forte.

O resultado é que no modo automático você consegue o melhor desempenho. No modo manual, passa longe disso. Ele segura a troca, e leva algo em torno de meio segundo para efetivamente trocar a marcha, depois que você empurrou a alavanca. Um comportamento estranho.

As relações de marcha não colaboram muito para uma aceleração nitidamente mais rápida do que a de modelos com apenas quatro marchas. Isso porque as duas primeiras marchas são bem curtas e a terceira é um tanto longa, causando uma pequena demora na aceleração neste momento.

Mas deixe de lado estas reclamações e pegue uma estrada cheia de curvas. Você sentirá que a estabilidade do Cruze é ótima. Ele agrada quem quer andar forte e sentir o carro nas mãos.

Resumindo: na estrada com o Cruze você tem ótima estabilidade, baixas rotações em velocidade de cruzeiro, bancos firmes – não muito confortáveis – e uma boa vida a bordo, graças a um interior bonito e também os bons equipamentos de série. Se não se importar com pequenos problemas nas áreas de ruído interno e câmbio automático que citei acima, é uma boa escolha.

4.0

  • eduardo_cz

    essa questão de consumo no brasil vo te contar
    além da questão do motor flex, temos nossos combustiveis
    semana passada estive na fronteira com argentina e completei o tanque com gasolina premium deles (aditivada nossa) da reda YPF (petrobras deles)
    meu carro que sempre fazia no máximo 10,1 na cidade, passou do nada a fazer 11,5-11,9, e na estrada antes não passava de 14, passou a fazer 16. Isso sim a maior prova da porcaria de gasolina que temos por aqui.
    Tenho um agile ltz 1.4 econoflex.

    • Rodrigo

      Bom saber disso. Se tivermos mais relatos de pessoas que fizeram esta comparação deveria ser aberto um tópico e começar a reclamar disso.

      • Edson Roberto

        Rodrigo, se fosse um carro privilegiando o combustivel a gasolina então ou ainda, motor monocombustivel, é ai que vc verá a economia!

        O Marea 2.4 20v manual de um membro do clube do marea, chegou a fazer incriveis 17km/l na estrada (isso no Chile).

        • Sias

          Sempre que abastecia com a gasolina argentina meus carros faziam por volta de 3 km/l a mais. Esta alcoolina que nos vendem é uma porcaria.

          • eduardo82

            Eu não vejo problema em nossa gasolina ser menos econômica, uma vez que ela possui etanol em sua composição. Eu vejo problema é no preço que nós pagamos por ela – deveria ser bem mais barata em função dessa mistura.

            • Sias

              Mas é o contrário…a deles é mais barata. Olhando por este lado a nossa deveria custar a metade do que custa hoje.

    • paganeli

      Gasolina 100%, sem álcool. Isso faz diferença. Só deve-se tomar cuidado, pois nem todo carro flex, nacional ou que vem para o Brasil via oficial, tem calibração para andar com esta gasolina. Não sei do Ágile, mas no prisma 1.4, se colocasse esta gasolina em quantidade grande no tanque, isto é, partindo de um tanque quase vazio, o mesmo causava detonação, ou "batida de pino". Vale dar uma lida no manual antes de usar esta tipo de gasolina.

      • eduardo_cz

        olha, recomendado não é. O manual diz que o motor flex é programado para a gasolina brasileira, com concentração de álcool. Li bastante antes de abastecer, e o problema mesmo diz que está na gasolina conter ou não chumbotetraetila, o qual danificaria o sistema flex e o catalisador. Os atendentes da rede YPF garantiram que a gasolina dessa rede não possui mais esse componente há uns 4 anos, mas tbm não souberam dizer qual o componente que substituiu o chumbo.
        Enfim, coloquei a premium de 97 octanas, retornei ao Brasil rodando 400km, e ainda estou rodando com ela na cidade (está quase acabando), não bateu pino, não superaqueceu, rateou, nada nada….. to começando achar que essa história de que carro flex estraga com gasolina pura é balela e história das distribuidoras brasileiras…

        • Diego Casagrande

          A gasolina da Argentina de fronteira com o Brasil, na maioria dos postos, realmente não existe mais chumbo no combustível apenas no Paraguai se encontra gasolina com chumbo, sabendo também que não é mais pura a gasolina deles tem um adicional de 8% de álcool. A única diferença que a gasolina deles não tem aditivos é apenas gasolina e álcool, o que denomina-se pura pra eles e pra nós, nossa gasolina já é cheia de aditivos para ter uma maior diluição tornando mais explosivo.

      • Tripa-Seca

        Na verdade, apenas Siena Tetrafuel, Renault e Nissan possuem preparo de fábrica para gasolina argentina.

    • DCald

      Ta vendo… o problema nao é o motor flex, é o combustivel batizado! Com meu corsa 1.4 faço 16,5 km/l na estrada, usando gasolina comum (as vezes aditivada) da Ipiranga… já abasteci em posto que a media caiu pra 10km/l de gasolina (pior do que com alcool, que faz 11)…

  • BlueGopher

    Como carro perfeito ainda não existe, é tudo questão do consumidor pesar o que considera importante e o que é secundário para suas necessidades.
    Vai ser interessante acompanhar a do briga do Cruze e do Civic (que está vindo com força) para desbancar o Corolla.
    Creio que o Jetta vai ficar em 4º, limitado pelo motor do Comfortline e pelo preço do Highline.

    • Edson Roberto

      E pensar que para o Jetta ter tudo que se espera é o fato de um motor com mais rendimento…. ele seria a "nata" da escolha. Pois o que falta para a versão "de entrada" dele é apenas motor. Porque ele tem um pacote de itens de série atrativo e em comparação aos seus rivais, ele fica na média em relação a qualidade dos materiais e revestimento.

      • Tripa-Seca

        Acho que abaixo do Sentra, Fluence e 408, não? Acho que ele ainda não seria uma escolha racional.

        • radiobrasilcombr

          Eu queria comprar um Fluence ou 408, MAS como não tem autorizada ha menos de 230 km de minha cidade (que tem 90 mil habitantes) sempre tenho que optar por GM ou VW. E muitos amigos também fazem por isso: REDE AUTORIZADA. Isso pra mim CONTA MUITO…

        • Edson Roberto

          Bem, ele é um que possui um dos melhores aproveitamentos de entre-eixos, o porta malas é um dos maiores da categoria, atualmente perante o 408 ele tem um acabamento pior, mas tem um cambio superior. Enquanto o 408 tem o desempenho interessante (pelo fato do motor entregar boa potencia perante o cambio) ele sofre com o consumo.

          Infelizmente da Peugeot e Citroen para carros médios como Pallas e 408, a desvalorização e o valor cobrado de peças é ultrajante e o preço da revisão do 408 é mais interessante. Curiosamente, o 408 tem peças do exterior muito mais em conta que o Jetta.

          Eu estou avaliando por tudo aquilo que eu considerei apesar de tudo o que o mercado diz ok? Eu nao ligo para a desvalorização, tanto que eu quero fazer o test drive no 408 turbo, pois me interessei nele. O Fluence é otimo, só preciso encontrar uma concessionaria que consiga fechar o preço como CNPJ. Isso foi possivel na Peugeot. (na primeira que eu fui).

          O Sentra, eu infelizmente descarto, pois o atendimento mais proximo de onde moro, possuem 3 e nas 3 eu não fui bem tratado. Apesar de existir no site plano de revisão e até planos para financiamentos, ao chegar na concessionaria, parece que vc está em um lugar totalmente diferente daquilo que vc viu (de informação) em outro.

          Se hoje fosse falar de escolhas, eu ficaria com o Fluence (como sempre disse). Mas eu quero encontrar a possibilidade de compra via CNPJ. Eu quero a versão intermediaria que tem um preço bem interessante para mim.

          Continua…

          • Tripa-Seca

            Então…Vocês dois deram argumentos práticos, que de fato fazem a diferença na hora da escolha. Mas quer apostar que, independente da escolha que fizerem, sempre terá um Pig Soul para falar "Fez besteira: Com esse valor eu pegava um outro carro"…Ou pior "Com o dinheiro desse carro dá para comprar um Série 5 2006 pouco rodado, muito mais carro"..

        • Edson Roberto

          Vamos aos destaques dos carros…

          Sentra: É um carro de espaço mediano, otima disposição ao dirigir, suspensão dura para quem gosta de esportividade está na medida (lembra inclusive o Gol e Polo no comportamento de suspensão), para mim incomoda. Confesso que gosto de um acerto que alia conforto e estabilidade, necessariamente não sendo tão direto na esportividade. Cambio CVT é um show a parte e o motor é fantastico. Senti apenas estranheza em ver o painel do carro com poucos botões. Achei que falta algo. Mas no resumo da opera, problemas na hora de comprar e o carro ser mais duro que o desejado foram motivos de eu desistir da compra.

          Fluence: Não encontro concessionarias que queiram fazer venda por CNPJ. É um carro com otimo acabamento, bom espaço interno, materiais de acabamento são otimos (apenas inferior ao 408, mas superior aos rivais), cambio CVT com trocas sequenciais fantasticas, itens de segurança e de serie maravilhosos… enfim, me cativou. Só falta achar a concessionaria que faça compra por CNPJ, se encontrar essa concessionaria, o Fluence será meu carro.

          408: Otimo acabamento interno, curiosamente anda muito bem apesar do cambio de quatro marchas (que melhorou muito em relação ao comportamento do AL4 no Pallas), um dos melhores espaços internos da categoria e o atendimento foi interessante. Conclusão para não compra-lo: Preço de seguro que é alto para meu perfil, peças de manutenção de motor, suspensão e amortecedores assustadores (e como o carro é novo, dificuldade de encontrar peças de suspensão e amortecedor fora da concessionaria, ao menos do C3 que possuo o preço está na média de mercado dos compactos inclusive 1.0), portanto itens que me chamaram a atenção e principalmente o maior problema vem agora: Apenas ABS e Air Bag duplo. Abri mão por conta disso (o Sentra por exemplo, eu poderia ter pego o modelo SL por um preço ainda mais baixo que o Jetta!). Continua…

        • Edson Roberto

          Jetta: Otimo espaço interno, otimo porta malas, acabamento na média, não é superior ao Fluence e nem ao 408, mas nos demais, o acabamento é praticamente igual, ou seja, emborrachado na parte superior do painel, mas nas portas plasticos. O motor como já disse é o pior da categoria e o acerto do cambio tiptronic, privilegia baixa rotação o que é bom, mas o carro necessita de força para subidas pouco ingrime. Eu imagino esse carro na rodovia alternando entre quinta e sexta a todo momento por conta disso… e não tem jeito, ele é manco.

          Mas veja outros lados bons: Tem uma central multimidia de 6", sem GPS e sem DVD, mas com bluetooth e mp3 player, 4 Air Bags, escolha da cor do interior (pode-se optar por 3 tipos) e o carro possui diversos porta-objetos. Motivos pelo qual deixei de comprar a versão 2.0 flex: Motor, falta de formas de facilitação de compra (nesse momento é mais facil ter os descontos no TSI do que no flex) e quando digo isso, eu digo que mesmo o desconto de R$3000 do flex que eu tive em uma primeira conversa, não foi o suficiente para torna-lo interessante como no Fluence por exemplo. Pena o Fluence não ter o interior nem opcional do Privilege para o Authentique, pois o cinza deixa o interior bem interessante e a pena do ESP ser apenas na versão de topo. (assim como da maioria, exceto o Cruze).

          Se puder me indicar uma concessionaria Renault que faça isso que eu disse… agradeço.

          • Tripa-Seca

            Pois é, recebi um folder com Fluence a 52 mil reais para PJ…Mas não comprei porque, segundo os amigos do blog, eu não gosto de Fluence, como todo brasileiro, gosto de carro pelado, e por isso comprei o Gol. Ou seja: Não foi por falta de dinheiro, foi por preferir o Gol em detrimento do Fluence.

            • Edson Roberto

              Sobre o comentário acima, é uma visita que fiz e consultas também. E olha que eu estou olhando carros de valores variados e nem sempre a escolha é feita por emoção ou aquele que é o "custo x beneficio". Mas avalio sim para tudo que o carro pode me entregar (não apenas na racionalidade, mas pensando nas outras pessoas, claro que falo de minha familia).

              Mas seria possivel me indicar essa concessionaria que vc recebeu esse plano??? Precisa do meu email ou pode me indicar pelo site?

              • Tripa-Seca

                Bem, você é de onde, Edson? Tenho o contato dos vendedores segundo cada região do país (São Paulo Capital, Interior, Sul, Minas/Rio e Espiríto Santo, Nordeste, Centro Oeste e Norte). O anúncio é de 12 de Dezembro, então pode ter mudado alguma coisa. Se for interior, fala com Marcelo Nadaletti, marcelo.nadaletti@renault.com, e se for capital, fala com adriano.d.souza@renault.com. No anúncio, era de 60 mil por 51…Sabe que modelo é esse de 60? É o de entrada?

                • epicentro01

                  Aqui na minha cidade me ofereceram o Fluence Privilege (sem teto e sem Xenon) por R$ 65.000,00 para PJ. Porém era ano/modelo 2011. Se fosse pegar 11/12 já ia para 70K, e 12/12 nem ofereceram. Me pareceu que estão a fim de desencalhar estoque antigo empurrando-os para PJ. Tem que ver isso também.

                • Edson Roberto

                  Eu sou de SP Capital. (Jabaquara, antes era São Bernardo do Campo).

                  Show de bola um pouco da historia dos seus carros….rs Voce fez igual ao slogan da VW…. "use sem dó"…rsrs

                  Isso que dá trabalhar com auto peça hein? Nesse caso falarei com o Adriano certo? Sabe dizer onde fica a concessionaria onde ele trabalha?

                  Sobre o modelo em si, o modelo de R$60000 (antes R$59500) é o modelo de entrada com cambio manual. Logo após vem o modelo CVT e depois o Privilege. Será que eles aceitam eu fazer um financiamento que seja fora da propria concessionaria para PJ? Algo como fazer o financiamento no banco e trazer o dinheiro (ou cheque do financiamento) para pegar o modelo com a compra PJ?

                  Dependendo de quanto for (até uns R$55000 o CVT dynamique) ele com certeza será meu proximo carro. Voce não tem ideia da ansiedade da sua resposta….rsrsrs

                  • Tripa-Seca

                    Acredito que quando o financiamento, seja tranquilo, afinal, o imposto que faz ele ser mais barato é o IOF, não é? E isso independente de financiamento.
                    Esses caras geralmente ficam em uma concessionária, mas na hora do cadastro, perguntam a concessionária da sua preferência. Como o carro será faturado, inicialmente não está atrelado a nenhuma concessionária, você só a usará para recebê-lo. Outro contato é rodrigo.nawotsuka@renault.com. Tenho o telefone, mas acho melhor não divulgar aqui! heheh

                    • Edson Roberto

                      Então por favor, teria como nos comunicarmos por email? assim fica mais facil…rs

                      eds2000@gmail.com

                      Abraços!

  • Brazillian

    Mt show o carro, opniao minha !
    Tem os seus defeitos, mas olho suas qualidades !

  • erickluuh

    Andei em um Cobalt hoje, meeu que tesão de carro, achei um pouco barulhento (motor) mais o uso foi urbano, vi que ele se virou muito bem, imagino ele com os motores 1.6 (do Sonic) e o 1.8 (Cruze), mais no Brasil isso é luxo/sonho, más como sonhar ainda é de graça ^^…

    • selmoar

      ahahah "sonha ainda é de graça " já pensou se fosse tributado !

  • Jr_Jr

    Sinto muitos donos de Corrolla com exlicações infundadas para justificar que um Cruze "beberão" teve consumo melhor na estrada, e agora??? Huahuhauhauha
    Como o próprio Éber falou, Corolla não é ruim, mas basta sair de dentro de um Cruze e entrar em um Corolla para ver o abismo.
    Aposto que o Cruze a cada dia chegará mais perto do líder, mesmo que muitos não gostem.
    Gostei do Cruze, e a cada matéria esta ficando melhor.

    • Marcelo_Machado

      O problema é que sempre defendem o cambio obsoleto de 4 marchas, sem achá-lo um ponto negativo.
      O Corolla com um motor 2.0 recheado de tecnologia (dual vvti) e mais leve que o Cruze gasta mais pela falta de um cambio melhor.
      Já o Jetta com seu 2.0 fraquinho ganha vida com o Tiptronic.

      • Leandro1978

        Algo semelhante ocorre dom o 408. Seu motor 2.0 fica limitado pelo câmbio de 4 marchas defasado, rendendo o mesmo e gastando mais que o Jetta com motor defasado, mas câmbio bem acertado.

      • simoloko

        O Focus, mesmo com quatro marchas, faz 120km/h a 2.900rpm, com consumo médio de 16km/l (mono) na gasolina. E anda e arranca mais que o Cruze.

        • Marcelo_Machado

          É verdade. Mas carros da terra encantada da Ford não vale, estamos comentando só sobre os carros normais…….

          • BSBDriver

            Mas a terra encantada da Ford é um lugar bem legal! Lá, meu Maverick faz 32 km/l na cidade.

            • Tripa-Seca

              Ou seja: Metade do meu Fiesta Benneton Cosworth Zetec Rocam…

        • Acelerando

          O focus do meu irmão faz 13 km/l, 100% estrada, a 120 km/h, cruise control.
          O meu Sentra CVT faz 13,6 km/l nas mesmas condições.
          E a 120 km/h, o motor está a meros 2150 rpm.

          • DougSampaNA

            Só de sacanagem…Fitinho G1 1.35 (não é flex, é gasolina) CVT…20,25 KM/L; sai de Sampa Fui a Sorocaba e voltei…12,3 lts.
            Sai do posto com o tanque babando gasolina, voltei e parei no mesmo posto e abasteci até a boca, na mesma bomba…velocidade média 100 km/h; nada acima disso.
            Quem quiser que acredite.
            Já nop Fit G2 1.35 AT tentei a mesma coisa…na gasolina mal chegou aos 14 km/l….A Honda cagou o consumo pra conseguir 20 cvs a mais no motor, que só aparecem a cima dos 4800 rpms, quando eo cvvt entra em funcionamento, como dono dos 2 eu só posso dizer a Honda…perderam um cliente por terem ferrado o motorzinho economico que havia no G1!Parabens Dona Honda, se a sra. acha que gasolina sai pelas torneiras de casa e eu estou rasgando dinheiro nem tente me vender um outro modelo de voces…Meu dinheiro não é capim e gosto de economia sim senhor!!!

            • DCald

              Fraco esse fitinho… ninguem bate os 25,5km/l do meu BR800…

              Ah, o que ajudava o Fit de primeira geracao era o cambio CVT… tanto é que o manual era muito mais manco e bebia mais… Enquanto as medias com o CVT chegavam a 17km/l facil na estrada, no manual ficava entre 14 e 15…

              • MeekeeB

                Você tem mesmo um BR800, DCald? Sou doido pra comprar um Gurgel hehehe queria um Carajás!

                O Cruze até que me surpreendeu positivamente no consumo, visto que as medições foram feitas com o A/C ligado.

                • DCald

                  Tenho sim, um 89… comprado em Jan/90 com apenas 700km rodados.
                  Tbm sempre quis ter um Carajás… pra transforma-lo em hibrido (gasolina/alcool – eletrico) é qse plug and play! hehe

              • DougSampaNA

                Verdade…o CVT é a alma da economia.
                Não entendo porque a Nissan nao trouxe o Versa 1.6 com cvt para o Brasil, seria um cambio economico montado com um motor projetado para ser economico.Gosto muito mais de dirigir o Fit CVT do que o Fit AT, quem já dirigiu os 2 sabe do que falo.
                Realmente Nissan é incompreeensivel.

      • granrs78

        O Cruze também tem um motor cheio de tecnologia, pois também é dual vvti, e se for analisar pela potência, o 2.0 do Corolla deveria ter muito mais potência do que tem, pois 153cv num motor 2.0 moderno, acho muito pouco em relação ao Lancer que tem 160cv somente a gasolina ou da Sportage que chegou aos 178cv no etanol.

        • YokasHi

          E vc realmente acredita que o motor do Sportage tem 178cv? Ah claro…também acredita em papai noel?

          • granrs78

            E porque não acreditaria na potência divulgada pela Kia? Que eu saiba a Kia não é Caoa, e seus carros até agora estão sendo divulgados os mesmos números de potência tanto no Brasil quanto em outros mercados, bem diferente da Hyundai/CAOA.

            • YokasHi

              Nem se preocupou em investigar antes de falar, né? http://www.kiamotors.com/vehicles/sportage/specif

              Theta II 2.0 D-CVVT Gasoline Engine

              Displacement
              1,998 cc
              Max. Power
              166 ps @ 6,200 rpm
              Max. Torque
              20.1 kg.m @ 4,600 rpm

              O engraçado é que no mundo inteiro é uma potência e só aqui no BRASIL que é outra maior…
              Ah, caso não saiba, 1 PS = 1 CV

              • granrs78

                Aí que vc se engana meu amigo, pois o motor que vc mencionou é somente a gasolina, que mesmo antes de receber etanol tinha essa potência no Sportage por aqui tbm. Agora com etanol essa potência saltou para os 178cv, conforme divulgado pelas revistas e sites. Um exemplo de ganho de potência com etanol foi o do 408 e C4 , que quando tinham somente motor a gasolina desenvolviam 143cv, e com etanol estão nos 151cv.

        • Edson Roberto

          Granrs,
          Tem certeza que o motor da GM é Dual VVTI? Eu acho que ele utiliza o conceito do motor 1.8 da Toyota antes da renovação ( ou seja, comando variavel de uma fase, apenas na admissão).

          • Fla3D

            Ele tem bloco de ferro, mas o comando é variavel na admissão e escape, pelo menos é o que disseram as revistas na época do lançamento.

          • granrs78

            Edson, pelo que andei lendo nos testes em várias revistas "especializadas", o Cruze é realmente dual VVTi como o Corolla.

      • Edson Roberto

        Marcelo, nem o cambio tiptronic (que sempre reforço que para mim, é o melhor cambio dos carros médios, exceto os CVT) faz milagre, pois o que falta de verdade é motor. O problema, é que para ter uma condução com certa dose de animo, somente em S. No D, o carro tem dificuldade de vencer ladeiras simples.

        O Cambio gosta de jogar a marcha para frente (mesmo em baixa e perdendo potencia) o que para o dia a dia, faz o consumo do carro ser maior do que rodar na rotação correta. E também, esse motor apanha ao aumentar o giro. Enquanto qualquer rival consegue subir de giros com certa facilidade, o Jetta sofre a partir de 5000rpm. Obviamente, essa rotação não é a utilizada no dia a dia, mas mesmo uma subida ingreme seria suficiente para sofrer com o veiculo. Creio que para rodar na cidade em trajetos mais planos (com poucas subidas) ele vai bem, afinal o motor empurra razoavelmente bem na faixa dos 2000 até 3200 rpm. Acima disso ele começa a ficar relutante, ruidoso e vibrador. Mas claro que ai…. vem o trabalho (otimo por sinal) da VW para filtrar esse comprotamento. Tanto que com o vidro fechado o motor transmite menos ruido do que com os vidros abertos (totalmente o oposto no Cruze).

    • Pedro_Rocha

      Meu Corolla 2011 1.8 a 120 Km/h está em 2.700 (2.900 com ar ligado) rpm com cerca de 12km/L (ar ligado). O Cruze com 6 marchas em 2.500 rpm a 120 Km/h e a 12,3 km/L para mim é decepcionante, ainda mais considerando a reclamação sobre barulho do motor no habitáculo, reclamação que não escuto sobre o Corolla (já tentei ligar o carro 2 vezes com ele já ligado, de tão silencioso).

      Após ler sobre vários sedãs médios e médio-grandes, cheguei à seguinte conclusão: Corolla oferece pouco, mas oferece com mais qualidade e faz mais com menos. Essa é a receita de sucesso dele.

  • Felix_S

    Eu particularmente torcia para que o Cruze fosse mais silencioso na estrada. O meu carro atual (Focus) também poderia ser melhor nisso… mas também não vai ser o item mais determinante para escolha. Mas não dá pra negar que num sedã isso também revela o cuidado de construção e o Cruze é considerado opção de baixo custo nos EUA e na Inglaterra.

    • granrs78

      Felix, o Cruze não é considerado sedan de baixo custo nos EUA, tanto é que seu preço é praticamente o mesmo dos concorrentes por lá, e ele vende muito bem nos EUA também.

      • Felix_S

        Caro granrs78: não quis desmerecer o Cruze, nem quis dizer que o carro não faz sucesso nos EUA. Apenas quis dizer que o Cruze não tem a sofisticação de carros médios europeus típicos (Astra e Golf europeus, por exemplo). Assim como o Jetta e Passat foram simplificados para vender nos EUA (será que eles estão ficando mais pobres e já não merecem o Passat europeu?). Você chegou a ver o vídeo do Carbuyer sobre o Cruze hatch? Aí vc vai entender o eu quis dizer. Mas fazer o que se para nós o Golf europeu é caro demais…. para meu poder aquisitivo o Cruze já está de bom tamanho e me dou por contente pelo seu nível de segurança e posso relevar seu plásticos duros, farol monoparábola etc.

  • Marcelo K.

    Pelo jeito ainda cabem alguns acertos na calibragem do câmbio do Cruze, mas pelo menos isso é o mais barato de fazer, imagino eu. Entre o câmbio muito bem acertado do Corolla, mas com 4 marchas, e o câmbio de 6 marchas do Cruze, mas ainda cabendo alguns acertos, a Toyota ainda é a que tem que gastar mais.

  • winhater

    O consumo desse carro seria bem melhor se não fosse flex ou se a nossa gasolina fosse de melhor qualidade(acho que isso vale p/quase todo carro…huahuahua).Eu mesmo esperei anciosamente pelo lançamento do cruze.Mas,em novembro de 2011 não resisti ao Bravo,que peguei pelo preço de 60 mil reais(tenho um Bravo Absolute automatizado 11/12,cor metálica).Peguei pelo bom desconto que me deram(cerca de 7500 reais).Hoje ele tem pouco mais de 5000 km rodados e não tenho nenhuma reclamação.A Fiat tem um bom produto,mas ainda não se deu conta disso…
    Recentemente,fiz uma viagem de 405 km e o consumo rodoviário apresentou as seguintes médias: 14.3 km/l a 100 km/h e 12.6km/l a 120 km/h.O combustível era gasolina(V-Power)Achei que foram boas médias.Já na cidade,ele está com média de 7,5 km/l(sempre com o ar ligado 100% do tempo).

    • Marcelo_Machado

      Não sei onde vc mora, mas eu moro em SP capital e tenho um Bravo Dualogic que peguei assim que lançou Dez/10. Tá com 15.000Km.
      Já rodei alguns tanques com gasolina e a maioria com etanol. Na cidade tenho feito média de 6,5 Km/l com etanol. Qdo usei gasolina ficou em 7,8 Km/l. Na estrada em viagens pela Castelo e Marechal Rondon a 120Km/h com piloto automático fica em 11Km/l com etanol e 12,9Km/l com gasolina.

      Ou seja, a proporção etanol/gasolina não fica nos famosos 70%. Ele é mais economico com etanol, que é o combustível que uso em SP o tempo todo por isso.

      Realmente o carro é muito bom e não deixa nada a desejar aos concorrentes do segmento, sendo superior em alguns itens. A Fiat investe pouco em propaganda e o preconceito em relação aos médios da Fiat atrapalham muito suas vendas, mas eu não me importo, fico com um carro muito bom e que não é feito bunda, que quase todo mundo tem.

      • Edson Roberto

        A unica pena é que o Bravo para mim (tenho 1,87m) faz o espaço interno, parece de C3. Porque? porque com o banco ajustado de forma que fiquei totalmente confortavel e bem colocado. Pena que sacrificou o espaço interno. Fora isso é um otimo carro.

        Para mim, o unico problema foi o espaço, que os concorrentes ofertam mais, mas fora isso, ele aparentemente me pareceu utilziar bons materiais, apesar de ter visto rebarbas e montagem com espaçamento além do esperado para o segmento, porém ainda preza pro uma otima posição de dirigir, mais voltado para o lado esportivo (apesar de ser um ajuste adequado para mim) do que conforto (mas a Fiat soube fazer um otimo trabalho).

        Ele com o dualogic podia ter um cambio com trocas mais rapidas, pois os "trancos" são praticamente nulos…. gostei mto do comportamento do cambio e funcionamento robotizado nele.

        • Marcelo_Machado

          Realmente o espaço no banco traseiro deixa a desejar em relação aos outros médios, mesmo comigo que tenho 1,80 ao volante.

          Já o Dualogic no Stilo tinha as trocas mais rápidas, era mais bruto. Os mais recentes, como o Bravo, tiveram as trocas suavizadas, provavelmente devido às criticas. Eu preferia como era no Stilo.

      • O_Corsario

        Isso é um fato, porém poucos atentam para isso.
        Cada fabricante fez seu acerto, portanto cada um rende de um jeito. No caso do 2,0 da VWB, por exemplo, a situação se inverte, e vale a pena botar sempre gasolina.

    • CaiqueSeren

      O meu iCar é melhor!!

      Apple WIns Sempre!!

  • ctnmartins

    Gostei do consumo na estrada, chega a se aproximar de alguns populares de cambio mecanico…

  • Tcalmon

    Foi bom no que se esperava, tirando consumo que de fato foi uma boa surpresa.

    E foi mal no que não devia, o câmbio.

    • Edson Roberto

      Não é tão ruim assim não… se comparar com o cambio de outros modelos, verá que ele te dará o que precisa.

      O Eber felizmente tem parametros de carros superiores para indicar um comportamento "ruim", mas para quem está trocando um médio por outro médio, verá que o Cruze não é tão ruim assim. O que eu acho e concordo com o Eber, é o ruido que omotor passa para dentro da cabine. Isso é nitido de como ele é ruidoso. Achei uma pena, pois o carro é bem interessante.

      Ao contrario do Eber por exemplo, o material plastico utilizado no Cruze eu já não achei de qualdiade assim como do Focus (mas tem uma otima aparencia).

  • Marcelo_Machado

    Definitivamente cambio com conversor de torque não é para ser usado com trocas manuais, com raras excessões (Tiptronic).
    AT convencional é para quem quer que o cambio faça todo trabalho sozinho. Quem quer ter o prazer de trocar as marchas ao seu modo tem que ficar com um automatizado mesmo.

    O consumo, apesar de sempre querermos mais, esta dentro da realidade do segmento. E mostra que quem defende o jurassico 4 marchas do Corolla deve rever seus conceitos. Um 2.0 com duplo comando variável (dual vvti) num carro mais leve tem consumo pior que um pesadão 1.8 com motor não tão moderno como o Cruze.

    • Edson Roberto

      Marcelo, foi como te respondi lá em cima.

      Eu acho que tem que existir um casamento entre motor e cambio. Eu acho que o Cruze tem um bom casamento. Mas como não utilizei muito na opção manual, não posso dar meu parecer. Veja que curioso o Jetta: Ele tem um otimo cambio (isento de tranco), porém o motor só permite (por falta acredito eu de potencia e uma boa relação de entrega de torque) que ele só faz trocas de 6000rpm, apenas de primeira para segunda marcha (no modo esporte ou então sequencial) e de segunda para terceira. Depois disso, é um martirio conseguir.

      Ao contrário dele, até o 408 com seu cambio AT9 (uma atualização do AL4), conseguiu ajudar no comportamento, o cambio realmente ficou com respostas mais rapidas e agradaveis. E o motor tanto manualmente como sequencial responde bem. No caso do 408, o que pegou no motor 2.0 é a arrancada que mesmo querendo sair forte, o carro "segura" e evita rodar em falso mas compromete um pouco na entrega de força em arrancadas. Mas ao menos na entrega final de potencia, ele não faz feio.

      Não pense aqui que eu esteja querendo dizer que um cambio de 4 marchas é superior, por outro lado, adorei o comprotamento de trocas do Cruze, porém é bom citar que tudo depende de um conjunto entregar um compromisso entre configuração, potencia e um bom escalonamento para evitar problemas. O pulo de ajuste do 408 frente ao pallas por exemplo é perfeito, ele tem um kick down forte e preciso (além de rapido), coisa que o Pallas perto dele, se rastejava e vivia a não aceitar o comando solicitado (para diminuir marcha para ter mais potencia).

      Infelizmente, temos que ver o motivo pelo qual a empresa quis atuar com essa mudança de comportamento. Talvez uma maneira de evitar desgaste excessivo do cambio. O 408 já não tem frescura, vai até 6000rpm muito bem, o Fluence tbm (mesmo sequencial) já o Jetta não, apesar de ter um otimo cambio (o problema esta no motor), talvez o Cruze seja configuração.

    • andreHHX

      Não é bem assim!!!

      O Fluence CVT só usa o conversor de torque na arrancada, depois disso o carro fica engatado direto.

      Resultado: não há perda de potência nas trocas sequencias, pois a corrente apenas muda de posição, de forma que o conversor de torque não entra em ação.

      A eficiência é tão boa quanto um de dupla embreagem, com a vantagem de que o conversor de torque tem durabilidade absurda, enquanto que embreagem sempre vai gastando. Fico imaginando esses Jetta TSI daqui a uns anos, quando pode até virar mico porque no mercado de usados todos vão fugir da provável manutenção absurda que a VW vai pedir pra trocar as tais embreagens.

    • Pedro_Rocha

      Meu Corolla 2011 1.8 a 120 Km/h está em 2.700 (2.900 com ar ligado) rpm com cerca de 12km/L (ar ligado). O Cruze com 6 marchas em 2.500 rpm a 120 Km/h e a 12,3 km/L para mim é decepcionante, ainda mais considerando a reclamação sobre barulho do motor no habitáculo, reclamação que não escuto sobre o Corolla (já tentei ligar o carro 2 vezes com ele já ligado, de tão silencioso).

      Após ler sobre vários sedãs médios e médio-grandes, cheguei à seguinte conclusão: Corolla oferece pouco, mas oferece com mais qualidade e faz mais com menos. Essa é a receita de sucesso dele.

  • AndersonDak

    estou gostando cada vez mais desse carro!

  • simoloko

    Olhei a Fenabrave e o Cruze está cinco unidades na frente do Civic e umas doze atrás do Corolla.

    • Tcalmon

      Tem certeza que olhou no site certo?

      Fev/2012
      Corolla 715
      Civic 506
      Cruze 396

      • pedro_bh

        Em janeiro o Cruzeo ficou na frente sim, pois o Civic foi lançado em 17/01.

        Agora este mes, já está normalizando.

        Acredito que este ranking nao mudará até o fim do ano. corolla, civic e cruze ( nesta ordem).

        So mudaria se a Honda baixar o preço um pouco mais… (aumentando suas vendas) ou anunciando o facelift de 2013 ( que os americanos terão no segundo semestre). neste caso diminuindo suas vendas.

        • duduguazzi

          Acho que o facelift americano nao vem para ca como nao deve ir pra mais lugar nenhum, o civic deles já é o mais popularzao de todos só que dessa vez exageraram e o povo reclamou.

  • Rodrigo

    O problema deste carro é que ele é um GM.

    • epicentro01

      E qual o problema nisso?

    • Renanzito

      Fanboy de outra marca detected.

  • Gabriel_Nint

    A maior culpa do consumo exagerado dos carros no Brasil ainda se deve ao péssimo combustível que nós é vendido. Além de caro e com muito etanol, ele é (quase sempre) batizado/adulterado.

    Carros como os sedãs médios conseguiriam fazer uma média de km/l muito maior com combustíveis mais puros, mesmo como o motor flex.

    • andreHHX

      Pois é, se fosse gasolina pura daria uns uns 6% a mais e se não fosse gasolina batizada daria mais uns 5% ou até mais.

  • harfangdneiges

    Já houve ou haverá avaliaçao do New "New" Civic? Depois poderia ser uma boa comparar ambos! (civic e cruze)

  • Adriano_Silva

    E muito engraçado que o Corolla com motor 2.0 e cambio (obsoleto) de 4 marchas não tenha um consumo tão maior do que essa maravilha do Cruze e seu cambio de seis marchas e motor 1.8, isso é o que difere carros de meros rascunhos. rsrsrsrsrsrsrs

    • Caio_Ferrari

      Andando a velocidades constantes a única coisa que importa é a ultima marcha e a do Corolla é longa. O duro é aquela redução de subida de serra em que o japa precisa ir de terceira e a rotação vai lá para casa do chapéu.

      • Pedro_Rocha

        A rotação sobe mesmo quando ele cai para a segunda, que tem um notório degrau entre esta e a terceira. Esse sintoma é mais perceptível quando se utiliza freio-motor.

      • Adriano_Silva

        Mas mesmo assim em rotações muito elevadas o motor não parece estar se esgoelando (Cruze), não sei se você concorda mas é o que já observei.

  • epicentro01

    Verdade. Se não fosse o motor eu iria de Jetta.

  • paganeli

    Não vejo problemas no motor do Jetta. O torque dele é mais alto que do Cruze, e aparece em rotações mais baixas. Portanto, anda mais com certeza. Potência não é e nunca vai ser mais importante, na prática, que o torque. Potência só é mais importante que torque no Marketing.

    • Diego Casagrande

      Realmente, também não vejo problemas no motor do Jetta Comfortline e tem um consumo um pouco melhor que a do Cruze. É só colocar lado a lado numa pista o Cruze e o Jetta e daí poderemos ver a diferença, coisa que não vimos ainda em comparações.

    • DCald

      "O torque dele é mais alto que do Cruze…"

      Jetta 2.0 flex
      116/120cv (G/A)
      17,7/18,4 Kgfm @ 4000rpm (G/A)

      Cruze 1.8 16V Flex
      140/144cv (G/A)
      17,8/18,9 Kgfm @ 3800rpm (G/A)

      Acho que tem algo invertido no seu comentario.. hehe
      Em termos de peso, o Jetta tem 1311Kg e o Cruze 1399Kg…

      • Sias

        Já andei nos dois e o Cruze é bem mais disposto…no Jetta tu sente o peso nas arrancadas.

        • Edson Roberto

          Nas arrancadas? Perto do Cruze parece que o Jetta tem motor 1.6 antigo!

          Eu tenho certeza que no dia a dia, o Cruze vai ser bem mais disposto do que o Jetta. O Jetta em nenhum momento me demonstrou um motor que aceita que faça-o girar. Ele é um motor um tanto amarrado para a cilindrada. O modelo de test drive tinha 10500km, enquanto o Cruze tinha 5000km, ou seja, quem deveria ser o mirrado era o Cruze.

          Mas, ele subiu de giros tranquilamente, a saida dele é muito forte e ele tem força onde precisa. Pelo menos foi essa a impressão que eu tive. Depois de tantos comentarios acerca do motor, vi que ele é um bom carro com um bom motor e cambio. Porém o Jetta não deixa de ser um bom carro, mas o motor dá uma falta de potencia que não deveria ser esperada. Enquanto podemos dizer que parte dos carros 1.6 da VW consegue agilidade pelo motor entregar grande faixa de torque em rotações baixas e intermediarias, o mesmo não posso dizer do Jetta. (com o motor 2.0 claro).

      • epa

        Meu Astra tem 19kgfm @ 3800 e é bem mais leve .. hehehe

      • paganeli

        Versões manuais
        Jetta:
        Aceleração de 0 a 100 km/h – / 10s (A)
        Velocidade máxima: 202 km/h (A)

        Cruze
        Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,8s
        Velocidade máxima: 203 km/h (A)

        Portanto, não adianta ter 20 cavalos à mais, se não fazem nenhuma diferença prática. Apenas marketing. Sou muito mais o 2.0 VW com seus honestos 120CV, e para quem achar realmente importante potência, com pouco mais de R$ 2.000,00 de investimento consegue-se mais de 140 CV e mais de 22kgf de torque.

    • Edson Roberto

      Pois é… ai te pergunto… vc ja andou neles? Apesar do Daniel (DCald) ter mostrado os dados técnicos, eu JA ANDEI nos dois. E te digo com total certeza… o Cruze em TUDO é superior.

      Quando puder teste-os e veja o que eu estou dizendo.

      PS: O Cruze anda com maior facilidade mesmo sem precisar de "S", no modo automatico contra os modos S e M do Jetta.

  • hyundaielantra

    Um exemplo claro é o Hyundai Elantra que chega a fazer 15,9 km por litro de gasolina na estrada e 10,0km na cidade. Isso deve ao fato de não ser flex.

    • mho

      Cara, eu duvidava destas médias mas um dos meus chefes comprou e realmente deu o que você disse.
      Imagina a felicidade do cara ao largar um Civic Flex que fazia 10km/l na estrada para pegar um que faz 16km/l.

  • Caio_Ferrari

    Depois do Ford com motor sigma, esse blablabla de motor Flex não faz mais sentido.

    O Fiesta sigma é muito economico seja no Etanol quanto na gasolina. Se a Ford conseguiu, todos deveriam conseguir.
    Que invistam mais dinheiro e façam um motor que seja decentemente econômico.
    Se focarem em apenas UM combustível, deixando a possibilidade de rodarem com o outro, já será o suficiente.

    Que seja econômico na gasolina e permita rodar com Etanol. É possível fazer isso sem deixar o carro beberrão.

  • Felix_S

    O consumo com gasolina ficou bom sim. Se a média foi naquelas estradas cheias de curvas dos outros testes, o resultado é bem satisfatório. Pelo menos parece que a 100 km/h não houve nenhuma reclamação que o carro ficou "chocho" por causa da baixa rotação. O Jetta para andar devagar achei terrível, pois o câmbio troca aos 2.000 rpm e o motor não acompanha! Até acredito que com câmbio manual deve ficar bom, mas tiptronic naquele 2.0 de Santana não dá mesmo. Já o Corolla não gostei na estrada, pelo menos o 1.8 que andei, pois qualquer coisinha o câmbio reduz pra terceira e irrita por causa do aumento brusco de giro. Embora particularmente prefira o 4 marchas do Corolla na cidade que o 5 do Civic (deve variar do estilo de dirigir de cada um, né?)

  • DOUGLAS_DANIEL

    Eber, fassa um vídeo testando a aceleração do carro de 0 a 100 km/h.

  • Tikolino

    bom todo mundo falando do jetta eu acho o carro incrível mas o turbo porque o 2.0 de 120 cv não anda nada eu voltando de cascavel a curitiba com um prisma 1.4 (97 cv) o jetta 120 cavalos tento de tudo pra andar mais que o prisminha e olha não deu nem graça isso que eu tava com o prisma carregado com mais 3 ocupantes fora eu! fora que na estrada no alcool andando forte o prisma fez médias no alcool de 10,5 km/l indo na média de 130km/h 140km/h batendo nas retonas mais de 180 km/h aí o jetta ficava pra traz mesmo nas retomadas claro esticando o máximo agora o cruze acho um carro bacana mas ainda assim iria de novo civic 2012!

    • Fla3D

      Haja coração pra andar assim em um celta com portamalas…

      • radiobrasilcombr

        Se cuida VW com o novo "concorrente" do Jetta hein! :)

  • daniel_rs

    e se fosse um motor 2.0 seria melhor o consumo?como disse no outro video,porque o vectra não tinha um cambio assim,demoraram tanto…

  • HA HA HA

    Olha, me desculpem. O interior do Cruze é realmente lindo e o carro possui vários opcionais principalmente o controle de estabilidade, já o Corolla está ultrapassado, mas o conforto e dirigibilidade do XEI 2.0 não tem comparação. Precisam calibrar o cambio do Cruze, melhorar a forração acustica, melhorar o consumo, os bancos espartanos. Acredito que após se estabelecer no mercado a sua desvalorização não será tão brutal. Gosto e acredito na GM, mas tem que melhorar e muito para fazer eu gastar 70 mil dilmas no Cruze hoje. O New Civic nem comento, parece piada o preço do veículo. Se quiser controle de tração tem que morrer com 85 mil dilmas, o preço do Jetta TSI.

  • AndersonSM

    Quanto ao cambio automático do Cruze existe uma atualização que segundo os proprietários melhora bastante os inconvenientes.
    Quanto ao desempenho do Jetta segundo os proprietários do clube do Jetta o desempenho dos 2.0 de 120 cv é suficiente para um uso familiar com boas respostas entre 1.500 e 4.500 RPM mesmo com cambio automático. E se precisar tem a opção S.
    Os maiores problemas atualmente são:
    Cruze: barulho no freio (pastilha vibrando). A GM está improvisando colando a pastilha com silicone ou fita adesiva.
    Jetta: Batida seca na suspensão, a VW está começando a encontrar a solução.

  • Tikolino

    sim tranquilo só peguei velocidade altas assim em retonas sem transito nas curvas se fizer isso com o celta com porta malas saio voando huhauhAUHUAHuha mas quem andou em um prisma 1.4 sabe do que eu to falando o bicho é um monstrinho de arranque mas só também freios são razoáveis e estabilidade um lixo talvez trocando os pneus 175/65R14 isso melhore mas pretendo trocar logo de carro mas dentre os populares é um carro show!

  • mikaelbrian

    pra quem ñ sabe o fusion 2.5 faz 14 km na estrada

  • Renanzito

    Fiz test Drive no Cruze e achei o carro fantástico em tudo.. só achei uma pena a central multimidia dele não ler DVD´s.. =/ tirando isso o carro é Show! compraria sem medo.

  • WillSobreira

    Andei no Cruze. Carro muito bom, mas não chega aos pés do FLUENCE da Renault. O Fluence é muito melhor pq tem o câmbio CVT, maior espaço interno e do porta-malas, mais econômico, mais silencioso, o preço muito menor com mais itens de conforto, como chave cartão, 6 airbags, acomoda cinco pessoas com muito mais conforto, entre outros detalhes que fazem a diferença.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend