_Destaque _Featured Avaliações Chevrolet Lançamentos Sedãs

Avaliação: Novo Chevrolet Cruze LTZ 2017

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (1)

O Novo Chevrolet Cruze 2017 chegou com grande impacto sobre o mercado nacional. O sedã médio da GM muda de nacionalidade e chega completamente renovado, focando agora em eficiência energética, estilo e conforto.

Muito mais atraente que o anterior, o Novo Cruze continua sendo oferecido nas versões LT e LTZ, mas a topo de linha ganha um pacote adicional opcional, que eleva seu preço para R$ 107.450. O valor é bem superior ao anterior e reflete uma tendência do segmento de sedãs médios, infelizmente.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (2)

Com tudo dentro, o Chevrolet Cruze 2017 realmente chama atenção, ostentando um pacote com estacionamento automático, partida remota, multimídia com Car Play e Android Auto, acabamento em couro, alerta de colisão e aviso de invasão de faixa com correção, por exemplo.

Mas além de um bom conteúdo, o Cruze LTZ 2017 vem com um conjunto mecânico desejado há muito tempo. O motor 1.4 Ecotec Turbo entrega até 153 cv e despeja um bom torque em baixa rotação, mas a transmissão continua sendo a automática GF6 de seis marchas, atualizada. O Start&Stop é outro item que indica o novo caminho que a GM quer trilhar para o modelo no Brasil.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (3)

Por fora…

Em estilo, o Novo Cruze se mostra um carro bem equilibrado. Mais agressivo, o visual do sedã se destaca pelo conjunto ótico de dupla parábola bem desenhado. Infelizmente ele não tem projetores de xênon ou LED, apenas LEDs diurnos. Ainda assim, o facho é adaptativo.

A grade menor e mais afilada lembra bastante Malibu e Camaro, dando um ar mais esportivo. O para-choque com spoilers integrados é bonito e reforça a impressão de melhor performance.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (6)

A carroceria com estilo mais próximo de um cupê é também elegante e a queda suave na traseira também se destaca. A traseira tem porte robusto, reforçado pelas lanternas bipartidas de tamanho considerável.

Maçanetas cromadas, rodas de liga leve aro 17 com desenho aerodinâmico e frisos cromados realçam o visual da versão topo de linha. Apesar disso, os retrovisores – com basculamento elétrico – não possuem repetidores de direção. A antena ajustável também não parece se encaixar no visual.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (33)

Por dentro…

No interior, o Novo Cruze evoluiu muito. O acabamento ficou bem melhor, ganhando agora dupla tonalidade de cinza, mantendo um visual equilibrado, mas ainda com materiais plásticos em grande parte do ambiente interno. O volante novo tem bom acabamento dos comandos, incluindo os de alerta de colisão e invasão de faixa. A empunhadura é muito boa, assim como seus ajustes.

Já o quadro de instrumentos deixa de lado o Ice Blue e apresenta um ambiente mais amplo, com iluminação branca e computador de bordo bem mais sofisticado que o anterior, que tinha aparência antiquada. Agora, tem até medidor de pressão dos pneus, bem como dados de navegação, mídia, telefonia, ajuste do alerta de colisão e estacionamento automático.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (41)

A multimídia MyLink 2 vem com Android Auto, Car Play, OnStar (que mantém os comandos clássicos no teto), navegador 3D e câmera de ré. O dispositivo está mais intuitivo e de fácil operação, podendo ainda ser comandado por voz. Climatização é outro item que entra na lista de funcionalidades do sistema. O OnStar agora indica que o manobrista andou mais do que deveria com o carro e avisa se é o dia de rodízio, por exemplo.

Os bancos ficaram mais confortáveis e o do condutor tem ajustes elétricos. O ar-condicionado automático é muito eficiente. O porta-luvas tem espaço adequado e há bons porta-copos e objetos no console central e portas.

O Novo Cruze LTZ traz ainda carregamento indutivo para smartphones, além de entradas USB e auxiliar. Até a chave eletrônica é nova, mas os retrovisores não rebatem sozinhos ao travar as portas. Com botão de partida, o sedã da GM permite igualmente ligar à distância e travar as portas em qualquer das entradas.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (31)

A alavanca de transmissão possui o indicativo de acionamento dos freios, a fim de permite a partida do veículo ou sua ativação completa após acionamento remoto do motor. Mais à frente, comandos de desligamento de controles de tração e estabilidade, assistente de estacionamento e sensores de estacionamento.

No ambiente em geral, o conforto é muito bom, especialmente na traseira, com espaço para pernas mais generoso. Tem apoios de braço central, cintos e apoios de cabeça para todos, assim como luzes de leitura. Faltou somente difusores de ar traseiros.

Há também ausência de teto solar elétrico, um item que compensaria o preço pedido pelo carro, assim como piloto automático adaptativo. Afinal, a tecnologia em parte está disponível a bordo. Faróis de xênon ou LED também seriam bem-vindos. No caso do porta-malas, o sedã perdeu 10 litros, mas ainda tem tamanho adequado.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (21)

Por ruas e estradas…

O Novo Cruze ganhou muito em performance e especialmente em dirigibilidade. O motor 1.4 Ecotec Turbo SIDI de 150/153 cv a 5.200 e 24,0/24,5 kgfm a 2.000 rpm, entrega muita disposição em praticamente qualquer regime de trabalho.

Sem opção Sport, já que o foco é eficiência energética, o propulsor não se ressente desse detalhe e responde muito rapidamente, elevando o giro para além de 6.000 rpm. Rodando a 110 km/h, o Novo Cruze 2017 se mantém em apenas 2.000 rpm, o que é muito bom para o conforto.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (58)

Para quem quer economizar, o modo Eco entra sempre que o pé dá um alívio no pedal. As retomadas são muito boas, assim como a aceleração. A GM fala de 0 a 100 km/h em 9 segundos. A sensação de força é atenuada um pouco com o ajuste voltado para o consumo, mas nada que impeça o Novo Cruze de sair primeiro no semáforo.

O câmbio GF6 de seis marchas foi atualizado e apresenta trocas suaves e respostas igualmente rápidas, tendo relações mais do que adequadas para o novo propulsor. O conjunto assim permitiu fazermos 10,1 km/litro na cidade e 15,4 km/litro na estrada, ambos com gasolina. Os números são apenas bons, se considerarmos alguns rivais dotados de turbo e injeção direta de combustível. Ser Flex também influencia negativamente nesse caso.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (43)

O Star&Stop ajuda também no ciclo urbano, entrando rápido e sem permitir engasgos do motor. No velocímetro há uma faixa que indica seu funcionamento. O religamento é suave e silencioso.

Aliás, o Novo Cruze tem um nível de ruído interno muito bom, especialmente em marcha-lenta, quando mal se percebe o funcionamento do propulsor. Ainda cabe mencionar que o acesso ao motor tem capô com acionamento duplo, dispensando trava mecânica para sua abertura.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (22)

Se o motor é bom e o câmbio adequado, o Chevrolet Cruze 2017 chama mesmo atenção é pela dirigibilidade. A agilidade do sedã supera em muito a do anterior. Com tendência a sair mais de traseira, o modelo ficou mais na mão e vem com direção elétrica ativa, que auxilia os movimentos praticamente o tempo todo. Uma mudança rápida de trajetória é feita de forma mais segura com ajuda do sistema. O equilíbrio dinâmico é excelente, permitindo maior sensação de prazer ao volante.

Além disso, a direção também corrige na função de alerta de faixa, mas de forma menos sutil do que no Jaguar XF, por exemplo. O leitor de faixa ativa automaticamente após acionado e facilmente traz o carro de volta se o condutor se distrair.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (23)

O conjunto de suspensão também contribui para a boa dirigibilidade do Cruze 2017, mesmo com eixo de torção na traseira. O ajuste é uma boa mescla de conforto e estabilidade, garantindo filtragem adequada das imperfeições do piso e equilíbrio em curvas e desvios rápidos. Controles de tração e estabilidade também atuam de forma eficaz. Os freios também atendem bem a proposta.

No meio urbano, estacionar com o sistema automático é uma vantagem. Tanto vagas paralelas quanto perpendiculares são acessadas de forma simples e segura. O condutor apenas obedece os comandos no display do cluster e controla a velocidade no freio. Ainda em estacionamento, o Cruze bem que poderia ter recebido um sistema eletrônico.

chevrolet-cruze-ltz-2017-avaliação-NA (20)

Por você…

Sem dúvidas o Novo Chevrolet Cruze 2017 é um carro bem superior ao anterior. O modelo ficou mais atraente, equipado, seguro e confortável. Os vários itens integrados à versão LTZ completa, o deixam com um dos pacotes mais interessantes do mercado, mas ainda com algumas ausências, entre elas um sistema de frenagem automática de emergência, algo presente no Focus, por exemplo.

Infelizmente não dá para ter tudo, sempre acabará faltando algo. Ainda assim, por salgados R$ 107.450, o consumidor vai levar um belo sedã com performance e economia pontuais, assim como conforto e segurança dignos de nota.

Com ele, a GM quer se destacar no segmento médio, onde o líder Corolla se mantém bem confortável. Chegar até o Toyota não vai ser fácil, mas para o Cruze, o momento agora é de alcançar a garagem de quem procura um sedã completo e com muitos atributos. Essa tarefa, pelo visto, não será tão complicada assim.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Chevrolet Cruze LTZ 2017

Motor/Transmissão
Número de cilindros – 4 em linha, turbo e injeção direta
Cilindrada – 1399 cm³
Potência – 150/153cv a 5.200 rpm (gasolina/etanol)
Torque – 24,0/24,5 kgfm a 2.000 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão – Automática com seis marchas e mudanças sequenciais

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 9 segundos (etanol)
Velocidade máxima – 214 km/h (etanol)
Rotação a 110 km/h – 2.000 rpm
Consumo urbano – 10,1 km/litro (gasolina)
Consumo rodoviário – 15,4 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção
Dianteira – McPherson/Traseira – Barra de torção
Elétrica

Freios
Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 17 com pneus 215/50 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades
Comprimento – 4.665 mm
Largura – 1.807 mm (sem retrovisores)
Altura – 1.484 mm
Entre-eixos – 2.700 mm
Peso em ordem de marcha – 1.321 kg
Tanque – 52 litros
Porta-malas – 440 litros
Preço: R$ 107.450 (versão LTZ completa)

Galeria de fotos do Novo Chevrolet Cruze 2017:





  • Zema

    Bom carro mas os preços estão surreais (todos os carros). Não sei onde nosso mercado/país vai parar.

    • Tosoobservando

      Resposta: não vai parar, aqui o céu é o limite (os brazucas gostam pq isso as separa dos que tem menor poder aquisitivo, senao ninguem pagava ne)

      • marck007171 .

        Acho que você matou a charada: as pessoas GOSTAM de pagar caro. Acham que coisas caras dão status e as diferenciam…

        • Mr. On The Road 77

          Sim! Da batatinha, ao carro, até a casa onde mora.
          Quanto mais caro, mais status!

      • carlos rodrigues

        É triste, mas é a realidade… Quem sabe bem tirar proveito disso é a Toyota, pois embute nos preços dos seus produtos um tal de status. E o mais curioso é que muita gente compra Corolla/Hilux, só pq é caro e o vizinho não pode pagar… Virou atestado de riqueza. rsrsrsrsrsrs

    • Leonel

      Existe um comodismo exacerbado por parte dos brasileiros, em todos os sentidos. Não lutam por melhor qualidade de vida, educação, segurança e afins. Só sabem se dividir em grupos e brigar entre si, quando o problema real está lá, no congresso. Para piorar, com a falta de informação (porque quer, fontes não faltam) e ignorância (no sentido de baixo nível educacional), muitos se aproveitam para lucrar. É uma infeliz realidade.

      Sobre o carro, ao menos subiram o valor com algo que é realmente novo, feito do zero. No mais, eu me limitaria a no máximo ao LTZ, pois o LTZ Plus deixa a desejar em equipamentos para um carro que bate a casa dos R$108 mil.

      • Gustavo73

        Os 10k a mais entrea a LTZ e a LTZ II também não me convencem. E acho que todo carro acima de 70 deveria ter pacote full de airbags esp/tc.

        • Deadlock

          De fato, a diferença é grande. O problema no Brasil é que vc não pode configurar os equipamentos individualmente. Há países em que isso é possível, mas aguarda alguns dias, pois fabricam conforme o pedido. Às vezes vc só quer um opcional, mas tem que comprar o pacote e acaba desistindo. Estamos longe do consumidor ser respeitado por aqui.

          • Gustavo73

            Aqui o pessoal gosta fe pacote fechado alguns dizem que facilita a revenda e se perde menos dinheiro. As japonesas fazem assim e vendem bem. Eu também prefiro ter alguma liberdade.

            • Eu tbm prefiro pacotes fechados. vejam o caso da VW, eles tem pacotes surreais que as vezes aumentam em quase 50% o preço do carro.
              na hora de revender, é velocidade 5 na dança do créu! nunca recupera o que gastou.

              • Gustavo73

                Nem acho que o problema seja os opcionais. Mas no caso da VW normalmente até itens que deveriam ser de série estão vomo opcionais. Veja o caso do Golf Highline, o pacote de segurança é completo (nesse caso desde a versão básica) mas no Highline de mais de 90 mil as rodas de 17″ e até simples controle de velocidade estão no primeiro pacote de opcionais, pacote esse que deveria ser de série. Já o ACC, Park Assist, Xénon e teto poderiam ser opcionais já que tem gente sem interesse nesses itens.

                • The Dark Side Of The Moon

                  Não Gustavo. Piloto automático é de série no Highline desde o lançamento. As rodas 17 são um opcional separado mesmo para o Highline básico (e a maioria dos básicos já chegam nas concessionárias com elas).
                  Mas concordo que deviam incorporar o pacote elegance (chave presencial, partida por botão, seletor dos modos de condução, GPS na central e as rodas 17) ao Highline básico.

                • Cristiano_RJ

                  Pois é, a ausência do controle de velocidade em uma versão top de linha de um modelo da faixa de preço do Golf é algo que dispensa comentários de tão absurdo que é. Mas além disso, a VW pede valores surreais pelos tais pacotes opcionais. Sinceramente acredito que algumas poucas versões completas, complementadas com opcionais “supérfluos” mas com preços civilizados seria o ideal. Não faz sentido nenhum a FIPE tabelar o Golf Highline A/T 2016 em R$ 95.911 e o preço de tabela de um Golf Highline completo ser de R$ 132.377. São R$ 36.466 ou 38% do valor inicial só em opcionais.

                  • Gustavo73

                    O Golf é mais equipado que os rivais mas não justifica diferença de quase 30 mil ebtre ele o Focus por exemplo essa é a questão . O TSi não vale tanto.

              • Marcelo Ceno Dutra

                Pior que a maioria das marcas do grupo VW são assim, principalmente Porsche e Audi.

        • Mr Andrey

          Cabe o consumidor achar qual deve pegar , eu nao quero aqueles sistemas todos de alerta de faixa e o escambal ,apenas o park assist estaria bom .

  • Gustavo73

    Apesar da ausência de alguns equipamentos pelo preço, Ar-condicionado digital dual zone e faróis de xénon(esse na versão top). A GMB acertou na minha opinião no Cruze.

    • Caparroz

      Finalmente né? Porque o modelo anterior passava era vergonha ante a concorrência

      • Juvenal Sensato

        O anterior passava vergonha ante a concorrência em que? Em 2011 quando o Cruze foi lançado aqui no brasil, já veio de série com controle de tração e estabilidade, coisa que o líder do segmento na atualidade, não tem nem como opcional, em pleno 2016.

    • Edson Fernandes

      O que exatamente Gustavo?

      Pra mim ela faz frente a alguns mas perde para outros, principalmente em conteudo de série. Por R$90000 é possível pegar o C4 Lounge (e com o opcional do Xenon) que acaba ficando mais completo. Por isso pergunto, em que exatamente?

      Perante um Focus? Perante um Jetta? Pode até ser, mas ele perante o mercado, ainda fica disputando com os modelos de valor proximo porém da fila de baixo. O Civic acredito eu que ao trazer a versão atualizada vá lá para primeiro lugar seguido do Corolla que será no facelift melhor equipado (só quero ver do que além do ESP).

      • Gustavo73

        Nem estou pensando em posições nas vendas Edson. Mas fora o Jetta é o único que oferece um motor turbinado em todas as versões. Falando no VW como já conversamos ele.perde em equipamentos e preços o destaque seria o ar dual zone mas esse só no.modeli de 106 mil que tem só 4airbags. O Corolla não oferece um motor tão moderno e seus preços são próximos, o Civic só terá o 1.5 na versão que acredito custará bem mais que o LTZ II a aspirada teremos que ver os equipamentos mas o Cruze tem novamente a vantagem do motor (o Jetta se não fissem os preços poderia fazer mais frente). O Focus tem pacote de equipamentos interessantes (tendo inclusive o que falta no Cruze além do Park Assist)mas os problemas com o PS e a ausência do Ecoboost não ajuda. O C4 é interessante na versão top pelos preços e lista de equipamentos mas nas outras só oferecem o básico em segurança. Antes o Cruze não se destacava em nada, talvez a LT por ter esp/tc

        • Eduardo Brito

          O Cruze tem park assist sim, só não sei se ele tá na LTZ básica ou na top.

          • Gustavo73

            Bem lembrado Eduardo é na LTZ II teve até o vídeo no lançamento aqui no NA.

            • Eduardo Brito

              Sim, pena que ele é muito caro pelo que oferece.

              • Gustavo73

                Sim, se tivesse o dual zone e Xénon estaria melhor.

        • Mr. On The Road 77

          A versão antiga se destacou por ter ESP e 4 AB em todas as versões. Até hoje tem médio que na versão básica e intermediária vem só com 2 AB e sem ESP…

          • Gustavo73

            4 airbags e até 6 já tinham concorrentes que ofereciam como o Jetta e o Fluence, apesar de realmente não ser o padrão . Mas esp esse sim era exclusividade sendo de série. O controle de tração o Jetta também tinha de série mas o esp durante muito tempo foi exclusividade do Highline 2.0 Tsi.

        • Rodrigo

          O Jetta é um ótimo carro, melhor agora com motor 1.4 TSI. Porém, pra mim, existem 2 pecados que a VW comete com esse carro:
          1. Preço muito elevado (levando em conta que é praticamente o mesmo carro, só que com um motor atualizado);
          2. A VW precisa atualizar o interior do carro urgentemente. Só colocar um volante e multimídia novos não vai fazer frente à concorrência.

        • Edson Fernandes

          Então, mas o problema é que as fabricantes que querem recuperar terreno ao meu ver quando entram para ganhar, entram com tudo melhor. Ainda falta isso nachevrolet. Essa coisa a conta gotas dela que me incomoda muito.

        • Cristiano_RJ

          Cara, depois do lançamento do Cruze, estou curioso para aseber se a Honda vai calçar as “sandálias da humildade” ou se vai mesmo colocar o 1.5 turbo para competir com os sedans premium de entrada. Vamos ver se os japas ainda comem sushi ou adubo mesmo.

          • Gustavo73

            Não tenho a menor dúvida de qual será o comportamento do japoneses. É só olhar os preços e equipamentos dos HRV e cia. Até porque mesmo no primeiro muno 1.5 t só na versão top. E aqui o 2.0 não é o mesmo de lá sendo mais simples é um com comando simples no cabeçote.

      • Wellington Myph13

        Falando apenas do C4, a Citroen não tem a força que a GM tem… Como muitos já disseram, tem cidade que tem 2 CSS, ou é GM e Fiat ou GM e VW…
        No final, o C4 ainda vai ter mais desvalorização também.
        O Cruze veio na faixa de preço dos concorrentes, oferecendo um bom pacote, ele só nunca vai conseguir liderar sem colocar um 1.8 ou 2.0 nele e vender por 70k como faz o Corolla. De resto, ele vai brigar legal pelo segundo lugar.
        A Honda esta adorando o HR-V, o foco dela no Civic vai ser diferente, pode apostar que vem na mesma pegada do Cruze, só preço alto e possivelmente menos equipamento, só apoiando no peso da marca e novo design…

        • Fábio Henrique

          Sem contar o peso da marca, o c4 é mega careta.

        • Edson Fernandes

          Concordo.

          Mas eu acho que foi errado a Chevrolet não ter mantido versões 1.8 nessa faixa de preço. Ela esta empurrando o preço do produto para os compactos atuarem… mas não acho acertado porque o buraco que sobra para tentar vender os produtos dela, deveriam ter um salto de qualidade que hoje não possuem para garantir o aumenjto dos preços.

    • Brasileiro

      Concordo,tanto na beleza externa quanto no interior e no conjunto mecânico. Parece ser um carro bem acertado.

      • Gustavo73

        Nem acho o melhor interior principalmente em matérias poderiam ter dadoima atenção maior a traseira (lanternas) mas no geral ficou bem legal.

        • Matthew

          É um carro correto. Não surpreende em quase nada mas também não tem nenhuma falha grave pra realidade do nosso mercado. Entrei em um na concessionária ontem, achei que falta “volume” aos bancos, dianteiros e traseiros. Não sei expressar ao certo essa sensação e talvez nem influencie no dia-a-dia. Senti a ausência do ajuste lombar também, e nenhuma parte do painel tem material soft touch, embora a montagem no geral seja boa. Achei a regulagem do apóia braço muito sensível (dava pra movê-lo com o cotovelo), e aqueles botões de borracha do volante tenho quase certeza que vão ressecar e quebrar com o tempo. O conceito de cupê 4 portas foi levado ao extremo de tal modo que a visibilidade traseira é péssima nos carros de hoje, sendo o sensor de ré indispensável.
          Enfim, de modo geral eu o vejo como um Classic dos norte-americanos, um carro correto e honesto pro dia-a-dia (deles).

          • Gustavo73

            Aqui acho que powertrain se destaca pois é algo ainda incomum principalmente em todas as versões, tem o Jetta mas esse peca nos preços e equipamentos do 1.4. A dirigibilidade também tem sido elogiada. De resto é isso mesmo. Mas veja que o Civic na atual geração (aqui e a anterior do Corolla eram de plástico duro e nunca impediram o seu sucesso. Na verdade aqui vom o tempo e preços é que os sedans médios alcançaram um aura que no passado já foi de Passat, Accord e Carmy.

  • Absurdo

    A pergunta que ficou.. Qual estrada é esta??

    • Guilherme Eduardo

      No GPS está SP-148. É a Estrada Velha de Santos.

  • Charlis

    Pleonasmo dizer que está caro hein pessoas !!!

    Ps: Um sedanzão, 107 mil, sem uma saidinha de ar para os passageiros de trás.

    • Edson Fernandes

      E ar digital de uma zona….

      • Gustavo73

        Acho que nem é digital e sim automático.

        • José Eduardo D’Acampora Guazzi

          Tem uma foto que da de ver que é digital, com numero no centro do próprio botão de ajuste.

          • Gustavo73

            Obrigado José na maior parte do tempo vejo pelo celular e oerco alguns detalhes.

            • José Eduardo D’Acampora Guazzi

              Tranquilo, fui procurar nas fotos quando vi seu comentario justamente por que fiquei intrigado de não ser automatico.
              Não seria surpresa se não fosse visto o A3 sedan que esta nessa faixa de preço não ser.

              • Gustavo73

                Automático poderia ser mas o digital é diferente justamente com um controle maior da temperatura. E sim o A3 tem powertrain e equipamentos de segurança no padrão mas de extra mesmo só o bixenon de resto bancos em tecido e ar manual ne GPS ou espelhamento de celular tem de série.

        • Guily

          kkkk Sandero Dynamic mandou abraços humildes com seu ar automático!

        • Edson Fernandes

          Cara… se eu pudesse ter apenas o powertrain desse downsizing no meu carro, eu não trocaria o restante dele por conta do resto que falta.

          Desse ou o 1.4 TSI (que pudesse ser DSG ou tiptronic mesmo)

          • Gustavo73

            Mas aí tema questão do preço e equipamentos. É só lembrar do Jetta 1.4, o powertrain está lá mas …

  • Marco Douglas de Paula

    Os numeros de aceleração estão acompanhados de (etanol), agora os de consumo não diz nada ao lado, suponho que sejam gasolina, mas seria bom colocar, nao custa nada.

  • celso

    As lanternas traseiras destoam de todo o restante do carro, que é muito bonito.

  • Lucas086

    Rodas feias, as do modelo LT pós face lift são mais bonitas. Eu fui ver esse carro ao vivo, o carro tem porte, a falta de repetidores de direção na lateral chama atenção. Realmente gostei do espaço e o acabamento ficou muito bom, não vi peças desalinhadas. Como as concessionárias querem lascar com um carro, a versão top está sendo oferecida a 109,990.

  • Igor Brunnel

    O carro ficou legal, relativamente completo, motor bom, desempenho legal mas por esse valor compensa pagar mais por um carro premium, quem tem 107 mil tem 150 ou 200, então, vale mais partir pra um BMW, Audi, Mercedes ou equivalentes…

    • Gustavo73

      Cara quem têm 100 consegue gastar 50/100% fácil? Eu acho que não, lembrando que isso acarreta em gastos maiores com impostos de propriedade e seguro. Falandoa alemães ainda tem o custo de manutenção.

      • E quem tem 150, tem 200, 250… Consegue carros bem melhores.

        • Danilo Melo

          e quem tem 250 compra um de 500 e financia em 18x sem juros.. kkk

          • Heheheh… E já que a pessoa tem 500, porque não uma Murciélago? É logo ali!

        • Franco da Silva

          Fico pensando que na minha cidade tem um bairro novo, bem perto do centro – lugar muito bom. Os terrenos custam R$ 150.000,00. Resultado:
          Nem f……….. pago 100.000 num carro! Esses 100 viram 60 rapidinho! Melhor comprar um terreno…

          • Ah sim… Em comprei um carro literalmente para rodar.. E investi na aquisição de imóvel. Mas para moradia..
            No meu grupo de compradores, vejo muita gente que está reclamando que não valorizou nada, que se arrependeu do “investimento”… Na verdade o mercado caiu desde a compra até agora. Acho que comprar para morar como eu fiz ainda era um bom negócio (Seria melhor ainda uns 3, 4 anos antes), mas para investir já não era um bom momento. Hoje não investiria em imóvel, porque agora tenho o meu, e não estou completamente consciente que o mercado irá melhorar. Fora a baixa liquidez.

      • Igor Brunnel

        As pessoas que podem pagar mais de 100 mil em um carro pertencem a um outro patamar, os pontos de vista são diferentes, claro que uma pessoa que ganha 5 mil reais por mês consegue comprar um carro de 100 mil se quiser mas vai se matar pra conseguir manter e pra essa pessoa sim cara real a mais fará falta no decorrer do ano, mas quem pode não liga em pagar mais caro em seguro e ipva, a qualidade do carro é muito superior, quanto a manutenção, é valor de revisão apenas, esses carros não quebram, não dão problemas assim tão fácil e mesmo que aconteça o que é bem difícil, a garantia cobre, então sem preocupações, os benefícios são muito maiores e se a pessoa pode, compensa pagar mais por isso.

        • Igor, mas quem garante que a pessoa que está no patamar de comprar um carro de 100 mil, está em um patamar de comprar um carro de 150 mil? Já pensou que talvez ela pudesse comprar um carro de 80, 90 mil e acabou dando uma “esticada” até os 100 mil.
          E não existe carro inquebrável, em faixa de preço nenhuma. Sabia que a Toyota tem globalmente mais satisfação dos proprietários que a Ferrari?

          • Igor Brunnel

            Com certeza ferraris quebram mais que corollas por exemplo, isso por razões óbvias, quanto a pessoa que tem 80 e quer esticar mais pra pegar um carro de 100, nesse caso ela ja esta tentando ir além das possibilidades, neste caso é outro cenário, inadequado eu diria porém cada um com suas finanças, todos são livres, é apenas o meu ponto de vista.

            • Olha que curioso, Igor:

              Para você quem tem 80, e quer comprar um carro de 100 (25% a mais) está indo além das possibilidades.
              Mas quem tem 100 e vai comprar um carro de 150 (50% a mais) está dentro de suas possibilidades.

              Isso não faz sentido! Seria como você falar que não existe salário de 16 mil, 18 mil reais. Ou a pessoa vai ganhar 15 ou irá ganhar 20! Não existe esse “patamar mágico” que quando a pessoa chega o céu é o limite.
              Quando comprei um carro zero, pretendia gastar 22 mil. Tinha um pouco, iria financiar uma parte. Pelos juros do carro zero serem menores, consegui chegar nos 27, e com taxa de juros, histórico de bancos etc, cheguei a duas opções: Celta ou Gol G5. Optei pelo VW. Não foram poucos que falaram “Ah, mas por esse valor eu iria de Corsa 1.4, está 31 mas você consegue por 29”.
              No mundo da internet tudo é possível, mas não: Não sei onde o cidadão morava, mas na minha cidade estava 33 mil. Mesmo que o que ele falasse fosse verdade, 29 não é 27. “Ah, mas você foi além das suas possibilidades”. Não, não fui. Até tive menos gasto financeiro, porque paguei menos de parcela. E a manutenção que seria de valor desconhecido, passou a ser completamente do meu controle. Mas não faltou gente para dizer o que era melhor fazer com meu dinheiro.

              • Igor Brunnel

                Eu quis dizer quem pode, não quem quer…

                • Heheh… Continua sendo uma falácia falar que tem um determinado valor não PODE (se preferir) gastar 25% a mais, mas a partir de um valor quem tiver PODE gastar 50% a mais, como se 100 mil fosse um valor mágico que separa a classe média dos ricos. Isso hoje não compra nem casa em invasão. E por falar em casa: Comprei uma casa 2 dormitórios por bem mais que o dobro de 100 mil, não me apertei mas não teria condições de pagar 30 mil a mais em uma 3 dormitórios nem se quisesse.

                • Cristiano_RJ

                  Anyway, é um grande erro afirmar que quem compra carro de R$ 100 ou R$ 110 mil pode comprar (ou está disposto a) um de R$ 150 ou R$ 200 mil.

              • Igor Brunnel

                E ali foi só a minha opinião e o que eu faria, não o que todos devem fazer, pra mim vale muito mais a pena pegar um carro de 150~180 mil a pagar quase 110 em um cruze.
                Dentro do meu ponto de vista, uma pessoa que pode pagar mais de 100 mil em um carro ja está com a vida tranquila, ja tem um imóvel confortável, contas pagas e por aí vai, nesse caso pra esse tipo de realidade, ter 50 mil a mais em cima desse valor não seria problema algum já que o produto a ser comprado seria de uma qualidade melhor, mas repito, é apenas o meu ponto de vista dentro da minha visão de mundo, não quer dizer que todos devem fazer isso ou não, cada um com suas possibilidades e pontos de vista, o mundo é livre pra fazer o que quer, no seu caso ali em sua compra, vc escolheu o que era melhor pra você e fez o certo, o que importa é o que é melhor pra você e não o que os outros acham, eu apenas tenho uma opinião e ponto de vista que talvez é contrária a sua mas isso não diz q eu estou certo ou errado, apenas seguimos o que é melhor pra nós, sempre vão ter comentários de terceiros reprovando nossas escolhas, experimenta comprar uma moto esportiva pra ver, 90% das pessoas ou mais vão dizer que vc é louco em pagar tal valor em uma moto e poderia ter comprado um carro com o dinheiro, o mundo é cheio de pessoas com opiniões diferentes mas isso não nos faz inimigos, é só respeitar o que cada um pensa e está tudo certo, abraço.

                • Eu entendo Igor, e acredite, não é uma questão de opinião ou de ponto de vista, é de realidade. Tanto faz o seu ou o meu ponto de vista, isso não muda o fato de que muita gente pode ter uma Cayenne e comprará um Corolla Altis, muita gente poderia comprar um Toyota intermediário e estenderá até o Altis sacrificando algumas coisas, muita gente poderá comprar o Altis e não um Fusion Hybrid… São situações que existem independente de pontos de vista.

        • Gustavo73

          Mantendo a mesma proporção quem compra carro de 150 200 mil está também acima de quem compra carro de 100mil. Na minha visão deveria ganhar no mínimo 50% a mais. Não consigo conceber que quem ganhe 5 mil compre um carro de 100mil reais afinal são quase dois anos de trabalho exclusivamente para adquirir um bem que só desvaloriza depois. Inclusive eu acho que usando um imóvel como parâmetro o carro deveria custar no máximo 20% do valor do imóvel que a pessoa possui. Quer um exemplo de manutenção que independente do carro, pneus principalmente nesse Brasil. Uma BMW ou MB usa pneus runflat um buraco nem tão difícil de se encontrar pode acabar com m desses, e não é difícil custarem 1500 reais fora algum dano a roda de liga leve . Pronto já viu o tamanho do estrago em quem não tem bala na agulha para bancar revisões desses bichinhos beiram os mil reais e o BMW não tem km definida não raro ocirrem entre 5-8 mil km. Veja a matéria sobre os custos de uma 320i postada acho que semana passada aqui e veja uma revisão alcançar os 5 mil reais na css por troca de pastilhas e sensores de freio. Custos bem maiores que de um carro de 100mil.

          • Mas tem que considerar renda bruta ou líquida. E outra , se for casado e cada um ganha 5 mil de renda liquida considero sim perfil para comprar um carro de 100 mil.

            • Lembrando que ninguém vai comprar um carro de 100 mil sem entrada.

              • Mr. On The Road 77

                Pois é. Geralmente tem um carro de uns 50~60 mil, mais uma poupança de uns 10~15 mil e financia o resto…

            • Gustavo73

              Sempre penso na líquida a disponível de fato para”gastar” e acho que desses pelo menos 15/20% devem ser poupados. E então outros fatores tem casa própria quitada? Se tiver filho/s aí a conta tem que ser refeita um bom colégio e plabos de saúde são caros. Claro que estou levando em consideração o custo aqui no Rio de Janeiro .

            • Magnamox

              Me fala em que país que com essa renda dá para comprar um carro de 100.000… ganho mais do que isso e tenho um carro de 30.000.

              Agora se voce falar que o cara ja tem uma casa quitada, não precisa pagar faculdade, e não tem filhos até concordo que da para comprar um carro desse valor…

              Eu prefiro trocar meu AP por uma casa maior…mais cada um faz o que quer com seu dinheiro…

            • Mr. On The Road 77

              Tem que considerar sempre a renda líquida né? A bruta é uma coisa que não existe…

            • Só no Brasil, onde carro é super hiper status, pra um casal que ganha 10.000 comprar um carro de 100.000 e achar isso normal.

              • Mas para ter uma renda liquida de 10 mil devemos considerar o bruto na faixa de 15 mil. Nesse caso considere que estamos limitando bastante a parte da população brasileira que ganha isso. Pois se fosse assim não se venderia tantos carros nessa faixa de preço. É outra, considere que o casal já tem um carro para dar na troca. No mais hoje se encontra casais com renda liquida de 3 mil mensais andando de carro popular na faixa dos 35 mil. Logo perceba que há uma proporção. Pois se fosse vender carro de 100 mil somente para quem ganha 20 mil líquido (isso da uns 28 bruto mais ou menos ) o mercado para esses carros seria muito limitado. E também me refiro a profissionais que a anos tem essa renda. Não a um jovem casal que paga financiamento da casa e que recém se formaram e que por ventura ganham esse valor . Creio que quem tem casa quitada e filhos já encaminhados com 10 mil de renda liquida consegue ter um carro de 100 mil tranquilamente.

                • Cristiano_RJ

                  “Mas para ter uma renda liquida de 10 mil devemos considerar o bruto na faixa de 15 mil.”

                  Continua sendo muito pouco para comprar um carro de R$ 100 mil.

            • Lucas Furtado

              Deveria repensar seus conceitos. 10.000 líquido é pouco para ostentar um carro de 100.000.

            • Cristiano_RJ

              R$ 5 mil de renda líquida por cônjuge é perfil para comprar carro de R$ 100 mil? Achas mesmo? Sabes quanto custa manter um carro desses? O cara pode até mesmo gastar mais da metade do salário em uma única revisão. Se for contar o seguro e o IPVA* então?…

              * Obs. O IPVA corresponde a 4% do valor do automóvel. no caso de um de R$ 100 mil, paga-se R$ 4 mil de IPVA.

            • Flauber Gouveia

              Na minha opinião o parâmetro razoável seria possuir um carro que não te consuma mais de 6 meses da renda líquida de uma pessoa (não da família).

          • Igor Brunnel

            Nunca paguei mais de 2k em uma revisão, quanto a pneu, os danos seriam grandes com ou sem runflat, entortaria roda e etc, ai vai da sorte, apenas coloquei meu ponto de vista aqui, relaxa…

            • Gustavo73

              O runflat oelos relatos que tenho lido são bem duros e suscetíveis e sofrerem danos mesmo sem afetarem as rodas pel rigidez das bandas laterais. Mas o meu também é só um ponto de vista.
              Abraços

              • Igor Brunnel

                Sim, são duros, perde bastante em conforto, mas se vc fura um pneu na estrada a noite não precisa parar no meio do nada pra trocar, da pra seguir até um lugar mais seguro andando com calma, é ruim pq perde em conforto mas se um dia precisar pode te salvar de um assalto, é algo “ruim” que te salva de algo pior.

        • José Eduardo D’Acampora Guazzi

          Problema é que carros comuns estão invadindo esse faixa de 100. São os modelos que a dita classe média comum consumia e estão ficando distantes, mas vão continuar consumindo. Os que pagavam 100 tranquilo eram compradores de serie 1 e 3, A3 e Classe A, os quais já foram para proximos de 150.

    • Também penso assim. Pagar 107 mil pra andar de Cruze, eu faria um esforço e pegava um Audi ou BMW.
      Mal comparando, dá pra comprar um Audi A3 sedã.

      • Gustavo73

        O A3 básico dá acho que custa nessa faixa, teria um powertrain no mesmo nível e até bixenon que o Cruze de 107 não mas faltaria outros tantos que o Cruze tem. Mas na tabela 0km qualquer BMW e MB custaria bem. mais.

      • José Eduardo D’Acampora Guazzi

        Grande problema dos Premiuns Alemães é terem saído da faixa de 100mil para 150mil, justamente pois as marcas comuns começaram a encostar neles em preço.
        Veja que por exemplo o Serie 1 que era 109mil hoje sai 150mil. Única exceção por hora são as versões de entrada do A3 sedan, o que me parece ser o motivo de ver tantos aqui em Floripa.

      • Uma boa parcela do mercado comprador de carros novos não entra nos alemães pelo custo de manutenção e também de seguro. Eu já tive alemães novos mas depois que vi o tanto que tava gastando (no meu raciocínio jogando fora – pagando R$ 1.000 em troca de óleo) larguei mão e passei a comprar carros “normais”. Hoje gasto muito menos, ando com carro novo, confortável, tenho o “plus” de não chamar muita a atenção nas ruas e sinto que estou valorizando mais o meu dinheiro.

    • Cristiano_RJ

      Cara, que bobagem você está falando. Meu carro atual foi comprado em novembro passado por R$ 120 mil. Eu procurava algo entre R$ 100 e R$ 110 mil, mas pela completa falta de opções que me atendessem nessa faixa, dei uma esticada para R$ 120 mil. Isso não quer dizer que eu possa ou queira gastar R$ 150 mil em um automóvel. Já R$ 200 mil está completamente fora de cogitação. Delírio geral.

      PS. Sim, comprei um BMW. Só que hoje, esse mesmo modelo que comprei por R$ 120 mil custa R$ 160 mil. Ou seja, por R$ 107 mil um premium está longe de ser opção ao Cruze LTZ 2. A não ser que seja o peladíssimo (e inaceitável) Audi A3 sedan de entrada.

      • Igor Brunnel

        Dentro do seu ponto de vista pode ser bobagem, ok, respeito a sua opinião, porém o que eu disse condiz apenas com o que eu faria de acordo com a minha realidade e as minhas condições, simples assim, não quer dizer que é o que todos deveriam fazer, apenas o que EU faria dentro da minha realidade, respeito o seu ponto de vista e não o considero como uma bobagem mesmo que seja diferente do meu, o que é certo pra alguns pode ser errado para outros, não existe verdade absoluta, cada um faz o que acha mais adequado pra si e assim todos são felizes, abraço.

  • Tosoobservando

    Vai leva uma surra tao grande do Civic.

    • beto

      Onde vc viu as versões e preços do civic nacional?

      • Tosoobservando

        Precisa? kkkkk

        • Cristiano_RJ

          Claro que sim. A depender dos preços, o Civic turbo será mosca branca no mix de vendas, E o prognóstico não é nada bom. Falam em preços próximos aos sedans premium de entrada.

  • Marcelo

    A GM acerta por um lado e erra por outros. Um carro de 110.000 reais (e que não é de uma marca premium) deveria por obrigação ter faróis de xênon ou led, teto solar, painel de espuma macia, ar dual zone. Isso sem falar daquele triangulo medonho pendurado na lateral do porta malas com velcro Eu não gosto do interior claro, mas é meu gosto. O carro é bacana mas o preço é fora da casinha, mesmo estando nivelado com a concorrência ( que tb esta toda fora da casinha)…

  • Duda Haddad

    Pelas fotos o farol não é dupla parábola, é uma só. visto que no canto de dentro é a seta, correto?

  • Eduardo Brito

    Só Cruze pode ser uma boa opção na LT e LTZ básica, na top é melhor pegar um A3 sedan.

    • José Eduardo D’Acampora Guazzi

      Problema é o A3 sedan ser pelado perto deste Cruze LTZ II. O A3 hoje só é negocio na versão 2.0T mas dai salta para seus 120mil ou mais.

      • Eduardo Brito

        A3 pelado é o de 99K, 109K vc leva um carro com bastante coisa.

        • Mr Andrey

          td que a versao de entrada do cruze custa , meu irmao tem um a3 sedan 1.4T stronic por 108k , isso a uns 4 meses atraz , bom o cruze ltzII tem mais equipamentos que ele.

          • Cruze pode ter o que for, mas não tem as quatro argolas! kkkk

            • th!nk.t4nk

              Quisera fossem só as argolas a diferença. O Cruze tem projeto bem mais simples e pensado pra ser barato. Não estou dizendo ser ruim, mas vem meio degrau abaixo em termos construtivos (justamente o que o povo não vê).

    • Cristiano_RJ

      Por que? As únicas vantagens do A3 sedan são a qualidade do acabamento e o status conferido. Porque em espaço e conteúdo, perde. Em power train, depois da simplificação sofrida pelo modelo nacional, esse Cruze responde à altura. E eixo de torção, mabos possuem.

      • th!nk.t4nk

        Você está avaliando por cima. As diferenças entre eles vão beeem além disso.

        • Cristiano_RJ

          Objetivamente falando, avaliando itens como desempenho, consumo, espaço interno, porta malas, acabamento, qualidade construtiva, comportamento dinâmico, segurança, conteúdo, ergonomia, design, preço de aquisição e preço de propriedade, quais são as vantagens que você vê em relação ao Cruze?

  • beto

    Difícil por defeitos neste carro, teria um facilmente. Não achei o preço tão absurdo.

    • funcionário da GM detected.
      107 mil num médio não é absurdo? não é pq todos outros vão custar isso que faz com o que o preço não seja absurdo.

      • Alexandre

        kkkkkkkkkk! Funcionario GM detected, rachei!

  • rodrigo

    alguem ai viu a propaganda desse cruze na pista com um concorrente que dessa vez camuflaram pra fazer o teste? pela lanterna traseira me parecia uma mercedes classe C.

    • Gustavo73

      É o C sim só não sei qual a versão se a 180 à venda aqui ou é a de 136cv.

      • rodrigo

        Ah sim, acho que a chevrolet esta com o olho maior que a barriga, ou, tentando elevar o nivel de qualidade do cruze contra os demais concorrentes, tipo “nao tem sedan nacional pra competir com o cruze, vamos fazer o teste com um mercedes”, sem duvidas eu iria de mercedes mesmo que fosse a versao mais basica, é outro nivel de qualidade, acabamento interno, conforto(nao andei no cruze mas imagino), e claro, aquilo que querendo ou nao sempre nos atrai, marca, status..

        • Gustavo73

          Até porque aceleração de 0/100 em um sedan dessa categoria nem é o mais importante para a maioria dos consumidores desses veículos. Senão a escolha mais lógica seria o Jetta 2.0 Tsi mesmo que o “básico”.

  • Fabão Rocky

    estacionamento automático, alerta de colisão e aviso de invasão de faixa com correção.

    Os barbeiros de plantão q tiveram CNH comprada agradecem.

    • rodrigo

      Com certeza. isso no brasil sera um otimo recurso para as pessoas ficarem grudadas no celular enquanto dirige. Enquanto isso nos EUA estao aplicando multas carissimas e ate mesmo criando aparelhos para descobrir se no momento de um acidente a pessoa estava no celular.

      • Fabão Rocky

        Lá tbm tem mtas câmeras de segurança espalhadas pela cidade, aqui tem mas ainda são poucas!

  • Guily

    Essas faltas de alguns itens como pisca, xenon etc são para justificar modelos posteriores, por exemplo linha 2018.. a GM já fez algo assim com Onix, implementou um botãozinho aqui outro ali no painel em anos/modelos posteriores ao lançamento.

  • Maçaranduba o Porradeiro.

    Pelo que eu li esse carro cobra de mais pelo o que tem a oferecer…

  • Alexandre

    A GMB é mestre em economizar em coisas idiotas. Sem teto solar num carro desse valor? E também outra besteirinha que só a GMB poderia fazer: sem repetidores nos retrovisores.

    • Mr Andrey

      Realmente sao besteiras mesmo , so que eu prefiro um carro com partida a distancia ,do que uns piscas nas laterais.

      • Nossa, partida a distância muda a nossa vida.
        Só não muda mais do que sensor de chuva e de farol.
        keyless tbm é indispensável pra impressionar as menininhas.

        • Tosoobservando

          Pra quem paga essa fortuna, isso é pouco, o carro devia ate voar … hehe

        • Mr Andrey

          Nossa , um pisca na lateral e indispensavel mesmo ! O carro nao presta pq nao tem *pisca* na lateral !

          • Alexandre

            Aqui o pessoal é mestre em distorcer palavras. Me diz, em que momento disse que o carro não prestava? E outra, isso é uma coisa que o custo de produção é bem baixo e reduz em muito acidentes. Essa é a questão, não é se o carro se tornou “vagabundo” ou não…

            • Mr Andrey

              Discordo

    • Renato

      Caro Alexandre, concordo com você, e vou além, nem digo teto solar…
      O carro regrediu em alguns aspectos bobos, que não poderia, tendo em vista seu valor e categoria:

      – Painel superior com acabamento em plástico duro, em vez do material macio / emborrachado presente no Vectra*;
      – Para Brisa não é Degradê… ACREDITEM!;
      – Espaço dos ocupantes no banco traseiro: Se você tiver mais de 1.80m, certamente vai se incomodar com o “teto lateral”, onde é baixo e bate a cabeça facilmente;
      – Sustentação do Capô aberto feito por haste, e não por amortecedor, como no Vectra*;
      – Haste do Porta malas estilo pescoço de Ganso, em vez dos Pantográficos (Existente no Vectra*);
      – Faltou Ar Condicionado de duas Zonas;
      – Faltou a troca sequencial das marchas através das borboletas no volante;
      – Air Bag para o Joelho;
      – Duto de Ar para os ocupantes traseiros;
      – Porta malas menor que o do último Vectra* (que tinha 526 litros) e menor que o Cruze anterior, mesmo o carro sendo maior;
      – Pinos nas portas (tinha sido retirado no Vectra e voltou no Cruze);
      – Não tem um botão interno para abertura do porta malas. Somente atráves do controle remoto;

      • Cristiano_RJ

        “Painel superior com acabamento em plástico duro, em vez do material macio / emborrachado presente no Vectra”

        Lembrando que a geração anterior do Cruze também não tinha painel com materiais soft touch.

        • th!nk.t4nk

          E tem gente (veja comentários acima) que acha que o Cruze tá no nível de BMWs e Audis haha :)

        • Renato

          Sim, verdade Cristiano. Foi apenas uma comparação entre o modelo que o Cruze substituiu, onde os materias empregados tinham uma qualidade melhor, e foram retiraram no Cruze, e não colocaram novamente nessa nova versão do Cruze, que visa atender outros patamares, outros horizontes.

  • Kenedy

    Por 110 mil ele disputa diretamente com o Jetta 2.0 tsi

    • Alexandre

      Por 110k eu vou de TSi (sem dúvidas). Afinal 0-100 em 7,3s não é pra qualquer um.

  • Pacheco

    Duas coisas ruins nesse carro: Os botões do volante e a manopla do cambio com cara de carro manual.

  • FranciscoAdrianoSilva

    Só em saber que o conforto melhorou em especial nos bancos, já é um avanço, mas essas rodas são muito feias.

  • T1000

    Pô NA dá uma ajuda, esse popup do Duster trava meu celular inteiro. Só dá pra acessar o site de vocês pelo PC.

  • Renato

    O Novo Cruze melhorou sua aparência, peso e motorização, e a utilização das tecnologias, mas regrediu em outros aspectos, e o valor cobrado por ele é abusivo!

    Esse valor é para quem está no topo, líder de um segmento, e não quem quer chegar lá, que é o caso dele!

    Para ser cobrado esse valor, teria que ter uma confiabilidade grande, como Toyota e Honda conquistaram ao longo desses anos, e mesmo a Gm fabricando a décadas os carros no Brasil e com seu maior número de Concessionárias, não alcançou esse nível de confiabilidade!

    E não podemos mais culpar só os impostos, visto que esse veículo é feito na Argentina, e tem-se acordos de baixos ou até isenções de impostos para veículos fabricados por lá!
    É preciso verificar os valores das revisões e o tempo das mesmas, antes de tomar a decisão da compra.

    Sobre alguns detalhes específicos (Principalmente tratando-se de um veículo que chega a custar 107,5 mil !!!):

    – Painel superior com acabamento em plástico duro, em vez do material macio / emborrachado presente no Vectra*;
    – Para Brisa não é Degradê… ACREDITEM!;
    – Espaço dos ocupantes no banco traseiro: Se você tiver mais de 1.80m, certamente vai se incomodar com o “teto lateral”, onde é baixo e bate a cabeça facilmente;
    – Sustentação do Capô aberto feito por haste, e não por amortecedor, como no Vectra*;
    – Haste do Porta malas estilo pescoço de Ganso, em vez dos Pantográficos (Existente no Vectra*);
    – Faltou Ar Condicionado de duas Zonas;
    – Faltou a troca sequencial das marchas através das borboletas no volante;
    – Air Bag para o Joelho;
    – Teto Solar;
    – Duto de Ar para os ocupantes traseiros;
    – Porta malas menor que o do último Vectra* (que tinha 526 litros) e menor que o Cruze anterior, mesmo o carro sendo maior;
    – Pinos nas portas (tinha sido retirado no Vectra e voltou no Cruze);
    – Não tem um botão interno para abertura do porta malas. Somente atráves do controle remoto;

    *Obs: Comparativo feito com o Vectra, pois trata-se do mesmo fabricante.

    O quadro de instrumentos analógicos, e sua cor lembra um pouco do antigo Ford Del Rey. Acho que poderiam ter feito algo melhor nesse aspecto. Ponto positivo foi a tela digital ao centro do painel de instrumentos.

    • Eduardo

      Só um comentário:

      -Compre um vectra rsrs

      • Renato

        É que geralmente quem posta nesse canal são pessoas que conhecem carros e opinamos sobre os mesmos, inclusive de qualidade dos materias neles empregados.
        Mas “muito” boa a piada fera, começa na quinta-feira na Praça é Nossa!
        Seu senso de humor é fantastico!

  • Luciano Assunção

    Por esse preço achamos mais completos, não oferecer teto-solar, foi uma das maiores mancadas da GM e R$ 100k por um Cruze ou qualquer outro sedan é um absurdo.

  • Lucas Furtado

    Estava coçando para pegar um carro zero, mas bateu, felizmente, a razão e acabei de pegar um usado. Estou com um automático, com 7 airbag, esp, ar digital bizone, volante com múltiplos comandos, sensor de chuva e farol, 3 anos de uso e 29.000km. Paguei 49.000. Com isso daria para levar apenas 1.0 para casa.

    • MAXI

      qual modelo?

      • Lucas Furtado

        C4 Picasso.

        • Tosoobservando

          C4 é linda mesmo, meu sonho é uma Mitsubishi Grandis, mas o 2.4 dela deve ser gastão. Um dia pego.

  • CanalhaRS

    Esse carro seria um sucesso estrondoso de vendas se a GM não tivesse despirocado com o preço. Uma pena.

    • Gerson Luiz

      A melhor opinião até agora, falou tudo , sei que temos liberdade de opinião mas como tem fanboys e vendedores de outras marcas dando pitaco ou seja esse carro podia ter tudo isso e custar uns 80 que iam achar um defeito … tá louco hehe

      • CanalhaRS

        Cara, infelizmente a maioria defende carros e marcas como se fosse religião. Eu já fui fã da GM nos anos 90 e hoje quero distância. Mas isso não me impede de reconhecer quando um produto deles é bom ou mostra evolução. Abraço.

  • Marcelo Ceno Dutra

    Excelente. Só dois pontos na minha opinião a serem criticado: essas rodas pintadas em tom escuro e a falta de xénon/led’s.

  • predadordemarea .

    Olha, a unica coisa que eu queria na LTZ2 era o teto solar.

  • Deivid

    Faltou freio de estacionamento elétrico

  • Felipe S. Rangel

    Até agora não vi a versão LT pra saber como é…

  • Pedro Cunha

    A questão do preço esconde(ou melhor. deixa velada) uma estratégia de obter margem(ainda) maior nos modelos menores(versões de entrada, intermediárias e compactos “premium”): Quanto mais se pede em Cruze/Corolla/Civic/Sentra/Golf/Focus, mais espaço há para digamos, “esticar” os preços de New Fiesta(já ultrapassa os R$70k)/Fox/Etios/Cobalt/City/G-siena/Prisma/Voyage e cia.
    O que estamos vendo aqui não tem nada á ver com inclusão de novas tecnologias ou aumento de portfólio, mas sim só uma estratégia bem suja(típica do mercado nacional) de obter um lucro cada vez maior. Isso é “meio ajudado” pelo governo estúpido que temos, que em momentos de crise ao invés de fomentar o consumo para movimentar comércio e indústria, taca imposto em todo mundo, gera desemprego e sucateamento do país, nesse embalo, as montadoras para poderem seguir “dando algum lucro”, precisam recorrer á estratégias para ganhar “mais com menos”.

  • vidgal

    NENHUM SITE AUTOMOTIVO AVALIOU A VERSÃO ”LT”.
    É A MELHOR VERSÃO CUSTO X BENEFÍCIO E NÃO TEVE UM SITE SE QUER PRA MOSTRAR E AVALIAR ESSA VERSÃO…QUEM TERÁ A PRIMAZIA!!!

  • augusto lino

    Sem dúvida um belissimo carro e excelente projeto para nosso mercado. Está à frente dos principais concorrentes. Infelizmente os preços são proibitivos. E imaginar que no mercado americano ainda há Malibu e Impala acima do Cruze. A que preços chegariam aqui?!

  • Hernan Carlos Granda

    Na argentina os medios que testaron o carro acharon bem positivo o resultado, so criticaron um barulho da suspensao traseira e de rodadura de pneus

  • vidgal

    Diz, quem já viu o carro, que ele tem o acabamento do teto de baixa qualidade, não compatível com o preço e nível do carro.
    Quem já viu concorda?

  • André Pavini

    Caros, eu peguei o meu LTZ 2 tem uns 5 dias. Confesso que sim, existem coisas que não ter em um carro que me custou 110k, me deixa chateado. Sinto falta de um teto solar, setas nos retrovisores (me pediram 2.200 reais pra colocar! absurdo! obvio q nao coloquei), nao ter regulagem de altura para os sinto de segurança, e peca um pouco os encaixes do acabamento, em fim. Mas confesso que o carro é “melhor” do que qdo comecei a ver em fotos. Obvio que é muito pouco tempo, mas gostei muito do carro como um todo, motor anda bem, muito gostoso na estrada e os mimos do LTZ2 são bem legais. Nao me arrependi. Lembrando que olhei tb fiz um test drive com o Civic 2017. Como não queria pagar os 125k da versão turbo, pra mim, me pareceu mais racional o cruze.



Send this to friend