*Destaque *Featured Avaliações Sedãs Volkswagen

Avaliação: Volkswagen Virtus MSI pede câmbio automático dos hermanos

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-1

O Volkswagen Virtus começa sua jornada comercial com duas propostas bem distintas. A primeira leva um bom conteúdo, com motor pequeno, potente e econômico, mas somente automático.


Na outra ponta, uma configuração mais tradicional, digamos, popular. Um motor de tamanho médio e um ambiente simples, funcional e espaçoso, porém, apenas com câmbio manual. É nesse espaço que se enquadra a versão MSI, que leva o motor de mesma designação comercial na Volkswagen.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-40

Custando R$ 59.990, o Virtus MSI chegou com um preço que, ao ser revelado, não surpreendeu. Com apenas dois pacotes de opcionais, ele nem chega a R$ 63 mil e parece indicar que falta algo. E realmente isso fica evidente quando se observa a diferença de preço para a versão Comfortline. Sim, o que falta mesmo é um câmbio automático e a lacuna é totalmente preenchível.


Intermediário nato entre Voyage, na base de entrada, e Jetta, no segmento médio, o Virtus tem tudo para vender bem, ou melhor, quase tudo. E no mercado? Em fevereiro, seu primeiro mês, o sedã compacto “grande” vendeu 1.455 exemplares, o que lhe rendeu a 29ª posição entre os automóveis.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-4

Por fora….

Simples e funcional, o Volkswagen Virtus MSI tem um desenho elegante e conservador, sem abusar de modismo ou linhas agressivas para chamar a atenção, diferente de seu concorrente mais recente, o Fiat Cronos.

Discreto, o sedã não consegue esconder o seu tamanho maior, ainda mais com a traseira bem proeminente e um entre-eixos longo bem aparente. Ainda assim, a frente exibe alguns elementos mais joviais como herança do Polo, enquanto a traseira é comportada, mas não sem graça como alguns hatches que viraram sedã no passado. O Virtus nasceu para ser sedã.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-42

Nesta versão MSI, tem faróis com máscara negra e uma grade estreita com friso cromado simples. Rodas de liga leve aro 15 polegadas fazem parte do pacote de opcionais mais completo, que custa R$ 2.950. Aplique lateral MSI identifica a versão, enquanto os retrovisores dispensam repetidores de direção. Vincos pronunciados nas laterais reforçam as linhas do produto.

Na traseira, o porta-malas é proeminente, mas não de forma exagerada, como ocorre no Nissan Versa. Graças aos 2,65 m de entre-eixos, essa parte da carroceria não chega a ficar tão evidente. As lanternas seguem um estilo que a VW compartilha com outros carros, lembrando de Audi A3 Sedan até o novo A6, além de ser quase igual ao do Novo Jetta.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-16

Por dentro….

O ambiente é funcional e bem simples. Apesar disso, não é de todo cansativo. O quadro de instrumentos é completo e de boa visibilidade. Já o sistema de áudio Composition Touch que vem no pacote de opcionais Connect, traz Google Android Auto, Apple Car Play e MirrorLink, podendo assim utilizar-se os apps Waze, Maps e o WhatsApp.

Ele tem entradas USB no painel e no suporte para celular, onde o carregamento é mais rápido. Bluetooth também está integrado e o volante, de acabamento fosco, tem comandos de mídia e telefonia. Os bancos têm padronagem agradável e conforto aceitável para sua proposta. O painel tem muitos plásticos duros, como é de praxe, infelizmente, assim como tom de cinza fosco na parte central.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-14

Com vidros elétricos nas quatro portas e travamento central, o Volkswagen Virtus MSI parece atender bem em termos de comodidade, mas isso não ocorre. Como já falamos na avaliação do Polo MSI, alguns itens faltantes deverão chegar mais adiante como “novidades” de ano/modelo.

Nisso, o Volkswagen Virtus MSI peca por não ter retrovisores elétricos e nem coluna de direção ajustável. Não adianta buscar nos opcionais, pois não estarão lá. Para um carro de mais de R$ 60 mil, completamente imperdoável.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-15

Podia ser simples? Sim, mas não exagerar em itens necessários. Basta olhar para o teto e ver as luzes leitura de (4), espelhos iluminados nos para-sóis e porta óculos, para perceber um contraste absurdo na proposta do MSI. O Polo MPI segue a mesma tocada…

Se faltam itens importantes como esses, sobra espaço. Atrás, o Volkswagen Virtus MSI se candidata a carro de aplicativo, táxi e de família com pessoas altas. A altura interna é boa e o vão entre os bancos para as pernas é generoso. O mesmo em relação ao bagageiro, que tem bons 521 litros.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-36

Por ruas e estradas….

Quando a Volkswagen decidiu trocar o EA111 1.6 8V pelo EA211 1.6 16V, acreditava-se que este motor não renderia muito bem devido ao torque obtido em 4.000 rpm ante os bons 2.500 rpm do antigo. Bom, nunca foi de todo ruim, mas na calibração atual, esse propulsor ficou mais esperto.

Em um Polo MSI, por ser menor e mais leve, evidentemente ele faria bem. Mas no Volkswagen Virtus MSI, ele mostra que tem disposição para empurrar os quase 4,5 m que, no entanto, pesam pouco mais de 1,1 mil kg. O EA211 “MSI” agradou não só no desempenho urbano, mas também no rodoviário e, de quebra, se mostra econômico.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-34

Com 110 cv na gasolina (117 cv quando abastecido com etanol) e 15,8 kgfm a 4.000 rpm (16,5 kgfm no etanol), o Virtus revela ser um carro bem ágil no dia a dia. Apesar da rotação alta, o motor entrega uma boa parte dessa força em baixa, garantindo assim fôlego para saídas adequadas e uma condução sem vacilos.

O vigor chega a lembrar o de um motor de três cilindros, o que é bom para o conforto ao dirigir. Mas, é claro, está longe de obter respostas como o 1.0 TSI em rotações mais elevadas. Diferentemente deste, que tem turbo e injeção direta, o 1.6 MSI sente assim falta de ar quando o assunto é subir uma serra, por exemplo. O giro vai lá para cima também, isso infelizmente é uma característica de todo motor aspirado, não tem jeito.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-20

De qualquer forma, a boa relação de marchas do câmbio MQ-200, não deixa o EA211 ficar totalmente na mão e proporciona um desempenho adequado em várias situações, inclusive com lotação completa e mais bagagem.

Rodando livremente, ele aponta para 3.000 rpm aos 110 km/h. Basta uma subida longa ou ultrapassagem para se chegar aos 4.000 rpm, mas, ainda assim, cumpre o que promete. No consumo, com gasolina, fizemos 11 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada, um resultado bom no segundo caso, embora em ciclo urbano não tenha sido de todo ruim para uma cidade litorânea.

O câmbio é gostoso. Curto, macio e preciso. A embreagem também corresponde. Só a posição de dirigir é que precisa de ajuste na coluna de direção, pois fora isso, é correta. O nível de ruído a bordo é aceitável e a visibilidade idem. Já a direção elétrica tem boa progressividade e leveza quando necessário. Nas manobras, há o auxílio do sensor de estacionamento.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-41

Bem equilibrado, o conjunto da MQB no Volkswagen Virtus MSI proporciona uma boa dirigibilidade. A suspensão tem mais compromisso com o conforto, mas senta o carro bem nas curvas.

O controle dinâmico no geral é igualmente eficiente, com saída de traseira mínima e praticamente sem a necessidade de uso do controle de estabilidade (opcional junto com controle de tração, bloqueio eletrônico do diferencial e assistente de partida em rampa).

Buracos e pisos irregulares – e até estradas de terra – não são problema para o Volkswagen Virtus MSI, que foi projetado de fato para enfrentar o que temos por aqui. Os freios, mesmo sem os discos traseiros do TSI, atendem de forma correta.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-54

E o que falta? Além dos itens mencionados, mais atenção da VW para com esta importante versão do Virtus. Custando menos de R$ 63 mil “completo”, o sedã pode oferecer um câmbio automático Tiptronic de seis marchas, como oferecido agora na Argentina.

Adicionando-se a média de R$ 5.000 desse tipo de equipamento, mais retrovisores elétricos e coluna ajustável, além de apoio de braço central e o útil piloto automático, poderia custar menos de R$ 70 mil completo. Isso atenderia os clientes PCD e pessoas que precisam de um sedã automático, especialmente taxistas ou “ubers”.

Até R$ 65 mil, seria um preço interessante para uma proposta que só os argentinos receberam, conforme publicado recentemente. O motor EA211 não teria problemas com esse tipo de câmbio, embora a aceleração acabaria acima de 10 segundos, no mínimo. Em busca de conforto, esse seria o preço a pagar.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-7

Por você….

Para quem não liga para a falta de um câmbio automático e ainda não quer ver o preço disparar com opcionais demais, o Volkswagen Virtus MSI é uma proposta interessante. A diferença para o básico não chega a R$ 3 mil e torna o pacote atrativo pelos itens de segurança e conectividade, lembrando ainda que o sedã já vem com quatro airbags.

Ele também já vem com vidros e travas elétricas, bem como ar-condicionado e a direção elétrica. Depõe contra a falta de ajustes elétricos nos espelhos exteriores e a coluna ajustável. Até poderia ter mais equipamentos, mas, por ora, a simplicidade é levada nesse nível.

volkswagen-virtus-msi-2018-avaliação-NA-3

O desempenho agrada devido ao tamanho dele, mas realmente seria interessante um câmbio automático como opção mais simples, algo na casa dos R$ 65 mil sem o pacote Connect. Isso pode acontecer mais adiante, como também a introdução de mais conteúdo.

Por enquanto, a VW está preocupada em vender mais as versões com motor TSI, inclusive com a introdução de mais um pacote de equipamentos na Comfortline. Bom, mas e o MSI, vale a pena? Entre virtudes e pecados, essa versão do Virtus tende muito mais para o primeiro. Então, a resposta é sim.

Medidas e números….

Ficha Técnica do Volkswagen Virtus 1.6 MSI 2018

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, flex

Cilindrada – 1598 cm³

Potência – 110/117 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 15,8/16,5 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)

Transmissão – Manual de cinco marchas

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 9,8 segundos (etanol)

Velocidade máxima – 195 km/h (etanol)

Rotação a 110 km/h – 3.000 rpm

Consumo urbano – 11,0 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 15,1 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e tambores traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga Leve aro 15 com pneus 195/65 R15

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.482 mm

Largura – 1.751 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.472 mm

Entre eixos – 2.651 mm

Peso em ordem de marcha – 1.134 kg

Tanque – 52 litros

Porta-malas – 521 litros

Preço: R$ 59.990 – Versão avaliada: R$ 62.940

Volkswagen Virtus MSI 2018 – Galeria de fotos

4

COMPARTILHAR:
  • Luciano RC

    A VW deve lançar o 1.6 AT6 na versão MSI e Confortline. Depois devemos ter um modelo GTS com o 1.0 TSI manual. Esses devem ser os ajustes que a VW fará no Virtus/Polo.

    • Douglas

      Luciano, você viu em algum lugar o GTS será 1,0 manual?

      • Luciano RC

        Não vi… mas espero que lance. Deixe o Highline com o AT6 e o GTS manual.

      • Pedro Henrique

        ja saiu uma matéria no G1 que o diretor da vw brasil informou que o GTS vai ser 1.4, ele disse que vão trabalhar em cima do 1.4 então quase certo ser automático né, já que vai herdar o conjunto do golf

        • Fernando Fagundes

          isso significa que o novo jetta virá a preços proibitivos

          • Cláudio Modesto

            O Jetta será mais caro que o A3.

            • Fernando Fagundes

              As versões topo com todos os opcionais, com certeza!

    • Ricardo

      Deveria ser o GT com 1.0T manual, GTS com 1.4T manual e GTi igual da Europa.

      • Luciano RC

        Muitos modelos esportivos para um mercado tão ruim quanto o nosso.

        • Ricardo

          Esportivo de verdade só o GTi.

          • Luciano RC

            Em desempenho sim, mas em nomenclatura são Esportivos. Sabemos que brasileiro prefere versão Cross a Sport. E o seguro vai ser tudo uma facada.

          • Mr. Pennybags

            e o sandero RS!

            • Ricardo

              Mais ou menos!

          • Constantino José Rocha Cronemb

            GTi com nota de comsumo D? D de dispenso!

    • Cesar.A.T.M.
      • Luciano RC

        Seria muito bom… mas ainda acho que no final, vem com o 1.0 Turbo. Espero que o T-Cross venha com o 1.4 Turbo para brigar com o HR-V e Creta.

        • Cesar.A.T.M.

          Pelo que pesquisei e informações os T-Cross de teste estão rodando com o 1.4…..quanto aos GTS não tinha/tem nada definido mesmo…mas não faz sentido versão GTS com o TSI 1.0 mesmo que com câmbio manual….

          • Luciano RC

            O GTS com 1.0 Turbo manual de 6 marchas vai andar muito bem. Com bom kit esportivo, equipamentos e um acerto dinâmico legal, ele pode ser a versão mais interessante.

            O T-Cross deve ficar mesmo com o 1.4 e o AT6.

        • Wellington Myph13

          Até cheguei a aceitar a ideia do 1.0T MT quando você sugeriu, mas pensando melhor, não daria pra VW pedir mais do que a versão Highline, sendo que viria equipado na faixa da Comfortline + Rodas 16″, e ainda perderia o AT6… Acho que a 1.4T cumpre bem o papel de pegar os fãs de hatches esportivos “de verdade” + uma parcela dos clientes do Golf… Além de ajudar a lucrar mais ainda.

    • Rodrigo

      Li em outro site que as versões GTS de Polo e Virtus serão equipadas com o 1.4 TSI. Fazem referência, inclusive, como tendo sido declarado pelo próprio Pablo Di Si. Aguardemos…

      • Luciano RC

        Eu falei e saiu as matérias. Confirmaram o 1.4 com o AT6. Pelo menos vai ser bem legal.

        • Rodrigo

          E bem caro também, imagino.

  • beto

    E esse interior de gol?

    • Cláudio Modesto

      O acabamento desses Polos é pavoroso mesmo. Já fui olhar mais de uma vez e não me convence. 70 conto num carro com acabamento de gol é puxado.

      • Chris

        Pra falar a verdade eu achei até “bom” o acabamento, pois tem bons arremates, porém a cor usada nos plásticos e falta de materiais que agradam aos olhos deixam o interior com um aspecto bem pobre… Tive um polo ( geração anterior a essa) e até hoje lembro com um ótimo gosto do carro, quando fui olhar o atual, não se se foi excesso de expectativa, mas… não me convenceu muito bem também não..

  • EDU

    Desculpem mas EUZINHOO com 60 mil na mao compraria um bommm Sonata com 54, 55 mil reais com as revisoes todas feitas e seria muito mais feliz . Digo Sonata pois fui proprietario de um e fiquei 100% satisfeito com o carro e com a rede . Mesmo o virtus sendo 0km bla bla bla aquela historia que todo mundo sabe. So dizendo meu gosto e 60 milao na mao.

    • Lucas Alves

      Isso mesmo Edu, o gasto seria maior, mas a satisfação seria muito superior, sem comparação.

      • EDU

        Foi o que comparei na epoca Lucas mas confesso que as revisoes tabeladas dele um 2012 na epoca saia muito mais em conta que muito hatch medio nacional . comprei semi novo de um senhor que morava perto da mina casa pois o mesmo tinha ido para o novo Azera so troquei o Sonata com dor no coraçao porque fui tambem para um Azera . Hoje to na Ford mas doido pra voltar para a Hyundai. Nao descartaria outro Sonata acho muito mais carro e vantagem que este virtus , por equipamento , acabamento e segurança. Lembrando que esses Hyundais sao super bem vendidos nos E.U.A . logo sao super seguros se nao os yankes nao compram .

        • Ramon Santos

          Mas até um cruze usado está valendo mais, muito mais conforto e equipamentos.

    • Ubiratã Muniz Silva

      pra trabalhar não serve, não se esqueça que para trabalhar em uber/táxi boa parte das cidades coloca limite de idade de 5 anos para o carro.

      para uso particular, vai do gosto de cada um.

      • EDU

        Exato Ubirata foi o meu caso . Famila , viagems , Era completo super equipado , seguro , economico pelo porte e de manutençao abaixo de muito carro nacional . Compraria outro sem duvidas

    • Thales Sobral

      Eu ia de BMW V8 1992 de procedência revisado por mecabico de confiança!!! Truco!!!

    • Lucas086

      Já eu comprava uma Mercedes ML por 40 mil e gastava 20 pra deixar ela andando kkkkkkkkkkk mermão, a galera não cansa de comparar carro novo com usado.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Câmbio automático, sensor de estacionamento e retrovisores elétricos

    • Mr. On The Road 77

      Sensor traseiro já tem.

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        quem foi o asno que me disse que o msi não tinha? Então AT6 e retrovisores eletricos

        • Wellington Myph13

          O Polo MSI não tem (nem no pacote), mas no Pacote Connect do Virtus, adicionaram 300 reais no preço e lá esta ele, o sensor de estacionamento.
          Chuto eu que o AT6 vem na linha sem sobrenome, só adicionando o cambio mesmo e possivelmente lancem o 1.6 na Comfortline… Só assim já “resolve” o problema.

  • Ricardo

    Estranho que em testes e números o motor 16v parece ser bem melhor que o 8V, mas na prática parece que o 8v ainda é mais esperto. Acho que como todo motor 16v a diferença só é sentida acima dos 140 km/h, até aí o 8v é mais divertido e esperto.

    • Vinicius LMS

      Se na prática for isso mesmo, então esse motor é ruim, se tem uma coisa que o EA111 1.6 8V não é, é ser esperto e divertido, o Polo anterior que tinha 1200kg que o diga.
      Só andava de forma decente em carros leves.

      • Wellington Myph13

        Ele deve estar pensando no Voyage e Gol que são leves e bem espertos com esse 1.6 8V… No Polo um pouco mais pesado não deve ficar bom, além de “morrer” acima de 4500RPM…

        • Vinicius LMS

          Era fraco em baixa e só tinha força em média rotação. Era a versão pré-VHT, sei que tiveram modelos de Polo com câmbio encurtado para disfarçar o rendimento fraco.

      • Ricardo

        Existem poucos 1.6 8v no mercado que andam mais que o da VW.

        • Vinicius LMS

          Pela idade do projeto ficaram poucos mesmo, já que o motor foi oferecido aqui quando já existiam concorrentes mais potentes com motor 16v.

          • Ricardo

            E o atual 16v da VW só anda menos que o HB20 e March.

    • Thales Sobral

      Não é velocidade, e rotação… Como a maioria dos motoristas não passa dos 3000 rpm “porque senão vai fundir o motor”, o 1.6 8v parece que anda mais mesmo. Até essa rotação ele tem mais força que a maioria dos 1.6 16v do mercado.

      • Ricardo

        E o 16v só é útil em rodovias retas com o carro vazio, em subidas e/ou com o carro cheio, precisou de retomada é um desespero.

        • Thales Sobral

          Não é bem assim não… Só é não ter medo de passar marcha.

  • Hoffmann

    O acabamento grita a falta de qualidade.

    Será que vai ser igual ao Polo, que já está cheio de reclamações por aí?

    • Thales Sobral

      O interior e igual ao do Polo, e ele custa ainda mais. Então pode ser que tenha até mais reclamação.

  • Costarlc

    Vi um MSI na rua hoje. Estava estacionado mas gostei das dimensões, o carro como um todo é proporcional e elegante, mesmo com rodas pequenas e de cor branca, o carro tem um tamanho interessante.

  • Hernan Carlos Granda

    eu reclamaria cambio manual de 6 , nao automatico

    • Leonardo Lima

      Penso como você, Hernan. O conjunto 1.0TSi + MT6 do Golf cairia como uma luva na dupla Polo/Virtus. O consumo em rodovia ficaria fantástico. É uma pena que o mercado brasileiro neste momento só tenha olhos para caixas automáticas. Talvez a demanda do mercado argentino por caixas manuais poderia nos ajudar nesse sentido.

  • ÓQUEI

    A foto com o cachorro ficou sensacional kkkkk S2

    • marcos souza

      Ainda prefiro a do gato com o chery qq XD

  • alfista

    Possuo um polo msi 1.6, e o motor tem otimo desempenho e muita economia, o que falta mesmo e a coluna de direcao com regulagem

    • Ubiratã Muniz Silva

      é, coluna de direção com regulagem até o march 1.0 da dona patroa tem. é um item de custo baixíssimo que bem poderia ser oferecido de série

      (meu atual hb20 1.6 AT 2014 também não tem – e assim como o polo/virtus também fica devendo os espelhos elétricos – que meu antigo March 1.6 tinha – na verdade a troca de um pelo outro foi uma situação familiar complicada, melhor não explicar – é uma troca que eu não faria se não fosse a situação).

    • wagner

      Diria apenas bom desempenho e razoável economia de combustível, já que o Polo nessa configuração tem desempenho semelhante de carros 1.3 e 1.4, porém, consumindo muito mais combustível.
      O projeto do Polo merecia algo mais moderno esse motor 1.6.
      Câmbio nota 9 e Motor nota 6 apenas.

      • Leonardo Lima

        Sobre desempenho razoável imagino que vc se refira à aceleração 0-100. Porque em retomada, o torque do 1.6 fala mais alto do que o Argo 1.3 e Onix 1.4 (este com ajuda da caixa MT6). No uso quotidiano mais importante do que números de testes feitos com o pé no fundo é como o carro se comporta a meia carga de pedal, em regimes mais baixos de giro. Em uso civilizado o 1.6 é muito mais agradável e quase tão econômico quanto.

  • Lucas Alves

    O interior abusa da simplicidade ao extremo, as montadoras adoram fazer isso para valorizar as versões superiores, eu me sentiria um abobado se investisse 60 mil nisso, fala sério!

  • Ronaldo G. Ribas

    A Volkswagen exagerou nos preços do Virtus. Por isso o Fiat Cronos deverá vender maior volume. Se a VWB lançar o VW Virtus AT6 com motor EA211 1.6 MSI vai piorar bem o consumo e o desempenho. Seria melhor tirar o câmbio AISIN AT6, com conversor de torque lento e com baixa eficiência, e dispor nas versões Confortline e Highline o câmbio MQ250 manual de de 6 marchas. Outra opção seria usar o motor EA211 1.4 TSI com transmissão ZF AT8 em versão esportiva, como já utilizada nos EUA em outros modelos da VW.

  • wagner

    Bom… O carro ganharia em conforto e utilidade sem dúvida. Porque essa versão 1.6 de entrada de é doer, ainda se considerado que é dentro do carro o convívio do dono.
    Ainda que ganhe em conforto, certamente o desempenho será bem prejudicado, posto que o manual é tem um desempenho mediano equiparável aos motores 1.3 e 1.4 da concorrência e isso com um consumo mais elevado de combustível.
    Acredito que o desempenho piore um pouco, passando da casa dos 12,5 para 13/13,5 seg, no 0-100, mantendo o consumo atual de combustível

  • Fabricio Guassaloca

    Seria bom colocar retrovisor elétrico e ajustes de coluna de direção, isso sim….Porta corpo parece ser feito em VacumForm…Sério acho o carro lindo mas esse descaso com o interior em um carro de 60mil é f……

  • Wellington Myph13

    Indo pra reunião semana passada eu vi uma mulher (e que loira!) em um Highline preto com painel digital, as rodas pareciam 16″ mesmo. Que sedan lindo… Ver de perto no showroom já é um espetáculo, mas na rua de longe e passando do lado ficou show demais, e ainda com o extra da motorista.

  • Vattt

    Pensava que as saídas de ar eram de série em todas as versões do Polo e Virtus!!!! Que pobreza!!!

  • Leonardo M. G.

    Por enquanto fico com meu Versa, mas bem que podiam pelo menos incluir nos pacotes de opcionais (ou deixar de série, pelo amor de D’Us!) a regulagem da coluna de direção e os espelhos elétricos nesse MSi manual… Ficaria bem interessante pra mim.

  • Diego

    Um empresa como a VW que fraudou dados de emissão de poluentes essa ficha técnica soa como um “talvez”

  • Gustavo Pi

    Adoraria ter a mesma empolgação que os demais nesses lançamentos da VW.

  • joao vicente da costa

    Até o Versa 1.0 tem retrovisores elétricos… Economia burra.

  • Thiago André

    Já já vai ganhar 1.0 dos seus primos sem ser turbo. Foi o que o vendedor me disse, quando perguntei se vai ter uma cilindrada menor e vai ser meiados do ano.

  • Hodney Fortuna

    Muito tem se falado sobre um problema crônico nos motores MSI da VW! O consumo de óleo um tanto excessivo! Aos 2 mil km é relatado uma redução no nível anormal! Esse problema tem ocorrido com outros modelos da marca onde há vídeos relatando esse defeito! Espero que a VW tenha tomado o conhecimento desse problema e sanado!

  • Licergico

    nossa e eu achando que meu civic 2.0 14/15 at tava sendo pouco econômico com seus 18,5 km/l na estrada ( media feita em 180 km de estrada) …

    • Thales Sobral

      Você dirigiu o Virtus no mesmo percurso?

    • O_Domador_d_Xana

      Pra fazer uma média dessas tu não deve passar dos 90 km, só pode. Meu carro anterior era um LXR, na estrada a média era uns 11 km/L, mas só que eu tenho pé pesado (vel 130 km pra cima), juntamente com trechos com lombadas.

  • Ricardo Blume

    Acredito que logo sairá a versão MSI AT6 pois há boatos de que até a linha Gol vai ter este câmbio.

  • Verdades sobre o mercado

    “Rodando livremente, ele aponta para 3.000 rpm aos 110 km/h. Basta uma
    subida longa ou ultrapassagem para se chegar aos 4.000 rpm,”, NA, favor explicar isso, do jeito que está escrito tem-se a impressão que em uma subida o motor mantendo-se a mesma marcha vai subir a rotação até 4.000 rpm para poder manter a mesma rotação, o que é uma informação totalmente errada em se tratando de um câmbio manual. Se o veículo está a 110 km/h e sua rotação é 3.000 rpm (certamente em 5a marcha no caso do Virtus MSI), independe se é subida, descida ou plano a rotação será a mesma na mesma marcha e mesma velocidade. Só estará em rotação superior na mesma velocidade se estiver em marcha inferior. A 4.000 rpm na mesma marcha(5a) a velocidade estará em aprox. 140 km/h.

  • Johnny Boris

    Muita gente deixaria de comprar o confortline que é TSI para comprar um 1.6 AT. (Eu, por exemplo.) Mais fácil lançarem um TSI AT pelado. Acho que é o que vai acontecer.

  • Caulazaro

    Abri um Polo para olhar, e quando olhei o acabamento da porta… me deu até um sentimento ruim.
    Tem carro popular, que tem um acabamento muito melhor nas portas do que Polo/Virtus.
    Nojo!

  • Caulazaro

    Eu prefiro um carro bonito por dentro e por fora não ser tão bonito, do que o carro ser bonito por fora e ser lamentável por dentro.
    No interior do carro, é onde eu passarei mais tempo olhando para ele.
    Só de ser bonito por dentro, já relaxa a cabeça e dá um conforto.
    O interior feio, deprime.

    • Chris

      Achei que só eu pensava assim rs… sempre dou essa justificativa.

  • afonso200

    comandos de AC de Santana………realmente falta cambio AT no 1.6

  • Lucas086

    Se a VW tivesse compaixão e melhorasse as cores do interior… esse cinza mata o carro, apesar de bem montado e blá blá blá. Tirando esse fato, um carro bem construído e seguro, apesar que a quantidade de reclamações está assustando um pouco.

  • Joaquim Grillo

    o painel desse carro bruxa tirando isso é lindão

  • Cristian Dorneles

    Será que só eu acho feio pra caralho essas televisões no painel?

  • Constantino José Rocha Cronemb

    Eu quero o contrário, quero o câmbio manual com o motor TSI!

    • Constantino José Rocha Cronemb

      Só que não quero GTS nenhum

  • Ricardo Alexandre da Rocha Bri

    Para mim o VW Virtus 1.6 será o grande destaque nas vendas do Virtus. O carro ficou com um custo beneficio excelente ao meu ver. Pois oferece o que acho necessário dentro da proposta de um sedã familiar como o Virtus. Eu mesmo possuo um sedã pequeno, um Prisma Joy 2016/2017, e pretendo trocá-lo por um Virtus 1.6 completo. Se for comparar com os adversários do Virtus 1.6 em preço e tamanho ele ganha disparado ao meu ver. Pensava em trocar meu carro por outro Prisma LTZ completo, ou mesmo por um sedã maior como o Cobalt. Mais depois que o Virtus foi lançado ficou meio sem sentido cogitar outro carro nessa mesma faixa de preços. Para mim o Virtus oferece um design maravilhoso, um espaço interno absurdo, um acabamento muito melhor do que os adversários, e acima de tudo um nível de segurança que os outros ficam devendo e muito. Quem pensava em pegar um sedã pequeno completo como eu, ou mesmo um outro sedã compacto concorrente direto do Virtus como o Cobalt, acho que não compensa mais. Acho que ficou meio sem sentido cogitar esses sedãs pequenos completos perto do custo beneficio quê o VW Virtus 1.6 completo oferece. Eu acredito que á versão 1.6 responderá por uns 50% de tudo que for vendido do Virtus nesta primeira etapa. E acredito que poderá aumentar um pouco mais depois que for lançada á versão 1.6 automática, junto com os faróis de neblina, os espelhos elétricos, e á coluna de direção com regulagem de altura e profundidade. Itens que deveriam ser ofertados como opcional ou mesmo de série na versão manual. Minha única ressalva ao meu ver sobre o VW Virtus 1.6 MSI.

  • Vinicius Vasques

    Bem, estava cogitando um Polo MSI. Mas com o aumento de preço do hatch, o Virtus acabou ficando super interessante por pouco a mais no preço. As “falhas” são imperdoáveis pelo preço, mas passam desapercebidas no contexto. Dificilmente um carro como este possui mais de um condutor, além da regulagem de altura do banco supre a visualização tradicional do painel (diferente do 208, Etios ou Civic)

  • Thales Sobral

    É só aqui ou a formatação da página está toda bagunçada?

  • HugoCT

    Deveria o Fiat cronos ter o At6 isso sim, asim como o virtus tbm na msi.

  • Marciofilho Santos

    ja vi varias versões e cores dele na rua, mas hoje passei por um CRONOS, o carro é visualmente bem menor que ele ( porte do grand Siena) mas em visual é muito bonito. era o basico e prata, o que o Virtus básico tem de carro apagado o Cronos se destaca. uma pena não ter um cambio automático decente para o motor 1.3

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email