Elétricos Mercado Montadoras/Fábricas Preços Tecnologia

Baterias para carros elétricos estão ficando mais baratas do que as marcas esperavam

tesla-powerwall-1-700x324 Baterias para carros elétricos estão ficando mais baratas do que as marcas esperavam

Provavelmente não vai demorar aos carros elétricos se equipararem aos convencionais em termos de custos. O custo das baterias, que é o maior responsável pelo preço mais elevado dos veículos plugados na tomada, caiu vertiginosamente entre 2007 e 2014.



Em 2007, o custo médio de uma bateria de lítio para automóveis era de US$ 1.000/kWh. Sete anos depois, já era de US$ 450/kWh. A redução foi tão drástica, que superou as estimativas iniciais, que apontavam um valor pouco acima do visto em 2014 para o ano de 2020.

No entanto, esse custo médio ainda está alto e longe dos carros a gasolina. Mesmo assim, já se estima que em 2020, o custo ficará entre US$ 200 e US$ 250 por kWh. O valor mágico para fazer o consumidor comum escolher na hora da compra é US$ 150/kWh.

mitsubishi-baterias-620x380 Baterias para carros elétricos estão ficando mais baratas do que as marcas esperavam

Especialistas dizem que com esse custo médio da bateria de um carro elétrico, o mesmo pode rivalizar em preço com um similar a gasolina. Não se sabe ao certo quando a indústria chegará a ele, mas isso não deve demorar muito, se as previsões forem novamente superadas antes do tempo.

Os custos dos materiais das baterias de lítio estão caindo em uma velocidade acima da expectativa dos fabricantes e já possível, por exemplo, fazer um comparativo de uma bateria estacionária para residência.

Em 2014, uma unidade de lítio residencial custava US$ 23.429 nos EUA, mas no começo desse ano, a Tesla impactou o mercado com a Powerwall custando a partir de US$ 3.500 com mais US$ 500 de instalação. Ou seja, uma redução dramática de um ano para o outro em um mercado ainda pouco explorado.

tesla-powerwall-2-700x366 Baterias para carros elétricos estão ficando mais baratas do que as marcas esperavam

A Tesla Motors está investindo US$ 5 bilhões na já famosa “Gigafactory”, que ficará em Reno, Nevada. Ela está sendo feita em parceria com a Panasonic e deve reduzir ainda mais o custo das baterias dos carros da marca, assim como das estacionárias. Hoje, o custo médio no Model S chega a US$ 310/kWh. Na Nissan, o Leaf registra algo em torno de US$ 300/kWh.

Outros fabricantes não abrem valores, mas é possível imaginar que suas baterias de lítio apresentam custos mais baixos que US$ 450 kWh. A GM aposta no Chevrolet Bolt, um monovolume de US$ 30.000.

Nessa mesma faixa, a Tesla pretende emplacar o Model 3. Os incentivos federais e estaduais nos EUA ajudam bastante o consumidor interessado, pois podem cortar até US$ 12.500 no preço. De modo global, a produção de baterias de lítio – lembrando que até a Itaipu vai faze-las – deverá aumentar muito e o custo cair de forma muito mais rápida.

leaf-v-t-b1-700x465 Baterias para carros elétricos estão ficando mais baratas do que as marcas esperavam

Mercado

A China é atual um grande incentivador dos elétricos, embora ainda eles não tenham recebido uma atenção maior do consumidor, ao contrário das autoridades, que praticamente obrigaram até a criação de submarcas específicas para este segmento.

A Alemanha, por exemplo, quer 1 milhão de elétricos em 2020. Ainda assim, o país espera que os custos caíam por conta própria, evitando dar grandes ajudas ao setor automotivo. Assim, todos os principais mercados do mundo já estão fazendo ajustes para a entrada cada vez maior dos elétricos. No Brasil, a iniciativa é das montadoras e o governo pouco fez até o momento.

[Fonte: ARS Technica]

  • Leo Romano

    Acho que em um futuro próximo, o eletrico será ocarro do dia a dia e o carro a combustivel será o carro do final de semana.

    • Black Cat Dj

      Para mim esse é o futuro ideal, porque o que uma pessoa quer quando dirige um carro a gasolina (principalmente os esportivos) é ouvir o som do motor e a sensação que ele passa ao trocar de marcha. Mas isso no dia a dia fica irritante tendo que enfrentar transito, barulho e outras coisas, e é nisso que o elétrico é ideal que mesmo no transito você não ouve quase nenhum barulho (interno e externo) por conta do isolamento acústico melhor que nos carros comuns.

      • V12 for life

        Com a queda de custos da bateria, para por exemplo se equivaler a um 1.0 pé de boi o elétrico terá o mesmo nível de acabamento, os atuais tem o isolamento melhor por ser isso oque se espera de um carro naquele determinado preço.

      • th!nk.t4nk

        Pensando no Brasil, sim. Mas em muitos países praticamente não se pega trânsito no dia-a-dia. Aí o motivador passa a ser a economia e a eficiência. Acredito que o motor a combustão acabe se tornando um mercado de nicho. Mesmo nos fins de semana as pessoas deverão priorizar os modelos elétricos, já que são ideais pra viagens (considerando que solucionem a questão da autonomia).

        • Martini Stripes

          De onde vc tirou que só tem trânsito no Brasil?

        • Popdogue

          Caraca, eu conheço quase o mundo todo e um dos poucos lugares que eu não vi trânsito, de carros pelo menos, foi em Macklnac Island. Isso pq lá é proibido.

      • Ricardo

        Poderiam baratear os Track Days para desfrutarmos dos carros a combustão!

    • Khusller

      Os híbridos meio que conseguem isso. Usar só a bateria no dia a dia e o motor pra brincar. Vide porsche 918 e Volvo XC90.

      • th!nk.t4nk

        É isso mesmo, mas vale lembrar que os híbridos são uma solução temporária, até que as baterias evoluam. Eles não vieram pra ficar, pois são muito complexos mecanicamente e têm custo elevado.

        • Khusller

          Mais ainda são mais baratos e possuem melhor autonomia. Creio que vá levar alguns anos para isso mudar. Um Tesla, o mais autônomo (90kwh) passa dos 100 mil dólares percorrendo 270 miles. Um híbrido fazendo quase 50km/l custa menos de 80 mil dólares e percorre quase 5000km (supondo um tanque de 100 litros comum em grandes SUVs).

        • Guilherme Eduardo

          Mas eles tem a vantagem de ir mais longe usando a rede atual de distribuição de combustíveis. Acredito que gradualmente o motor 100% elétrico vai ganhando destaque, mas o híbrido ainda tem seu lugar (imagina um 100% eléteico no interiorzão de vários países mais pobres, ia ser dureza).

  • Khusller

    Se aqui no Brasil tivesse aqueles carregadores gratuitos espalhados pelas estradas, seria viável comprar por aqui um Tesla.

    • Doccar

      Se no Brasil tivesse aqueles carregadores gratuitos espalhados pelas estradas, eles seriam furtados por delinqüentes..

      • Khusller

        Duvido não. Mas só dá pra ter elétrico com aquilo. Ter um carro e não poder viajar fica difícil.

      • Filipe Machado

        Nego ia fazer gato pra usar a energia… certeza !

      • Zeca Piroto

        Sem falar da cor da bandeira na conta de energia, que sairia de vermelha pra preta…

    • BillyTheKid

      Cara, com mais de 400km de autonomia que o Tesla tem, já estava excelente pra mim.

      O máximo que eu fiz num dia só foi uns 350km, ida e volta pro litoral, e isso foi 1 vez em quase 2 anos que tenho o carro.

      • Khusller

        Pra quem não gosta de viajar muito como você, talvez seja viável.

      • Rafael

        Pra maioria é sim. Meu máximo foi 950km em um único dia. Mas em 99% das vezes, 300km de autonomia seria o ideal para todos meus usos.

        • BillyTheKid

          Caramba, 950km num dia? Haja paciência/resistência pra dirigir tudo isso! Acho que pra ir tão longe assim eu optaria por ônibus/avião mesmo.

          De qualquer forma, quando a Tesla vier pro Brasil, certamente começarão a montar uma rede de Superchargers, como aconteceu nos outros países onde ela iniciou suas operações.

          • th!nk.t4nk

            Dividindo a direção com alguém, dá pra fazer 1000 km tranquilo num dia… Aí o negócio é parar em algum lugar pra comer e deixar carregando. A nova geração de baterias pode ser carregada 80% em menos de 1 h. É o tempo de almoçar e relaxar um pouco.

            • BillyTheKid

              Pode ser possível fazer, mas mesmo a 100km/h são 10 horas de um mesmo dia trancado dentro de um veículo. Fiz viagens mais longas que isso de ônibus e avião, e já achei cansativo… Imagina num carro de passeio. Com o meu popular sem piloto automático então, seria inviável! Kkkkkkk.

              • Gustavo73

                Não me incomoda dirigir esse tempo todo. O problema são as condições das estradas e o clima. Fui para Diamantina em fevereiro 750 km do Rio de Janeiro. 12 horas com as paradas. O maior incomodo firam as chuvas na serra e perto de BH.

                • Guilherme Eduardo

                  Também me incomoda a condição das estradas. Sou de SP, então ainda passo por algumas das melhores estradas do país, mas nasci no interior de Goiás e quando vou para lá sofro pelas estradas.

                  • Dick Buck

                    Pelo menos agora com a duplicação da BR 060, viajar daqui de Rio Verde-GO até Goiânia está uma maravilha, como diz meu pai, está um tapetinho de tão macio o rodar do carro nela, mas já se for ver as outras rodovias…

          • Gustavobrtt

            Questão de costume. Óbvio que um carro melhorzinho ajuda, mas não é o principal.
            Estrada boa também ajuda a tornar a viagem menos cansativa.

          • defotube .

            Já fiz 1.200 em um dia, estava viajando em ferias, goiania GO x tangara da serra MT, gastei bem mais que 1 tanque, numa freemont. Mas estava em férias e ainda ia andar muito mais! rs rs rs

        • Anderson Lemos

          Gosto de viajar pra caramba. Fiz Uberlandia-MG Arraial D’ajuda-BA das 06:00h as 00:30. Foram 1470 km em um dia. Indo para o Peru tbm fiz 1200 em um dia… E questão de costume né!!

          • defotube .

            É verdade, agente acostuma, na mesma viagem fiz de Curitiba até Paraopebas-MG, depois de lá até Bom Jesus da Lapa, são todos trechos longos, eu nunca tinha feito varios assim. Até tinha um pouco de receio, mas é legal depois que começa!

      • Fabricio Conchon

        950 km em um dia de Moto.. (Shadow 750).
        Cansa, mas dá pra fazer… tem gente que faz até mais.

      • Pedro Gonçalves

        Já fiz 1000km (BH-Curitiba) em um dia, sozinho. Só parei pra abastecer e pra lanchar.

  • V12 for life

    Para mim não adianta se equiparar em preços aos equivalentes a gasolina, ninguém fica 8 horas com carro ligado na bomba.

    • Khusller

      Na Europa e EUA ainda tem aquelas “bombas” que recarregam em minutos. Mas aqui no Brasil…

      • V12 for life

        Essa que recarrega em minutos não li nada a respeito, as mais rápidas que li recarregam 80% em 3 hrs precisando de mais 5 para completar os 20% restantes, e nem o Model S com seus 478 Km autonomia seria útil pra mim esperar todo esse tempo para completar os 22Km a mais que preciso é inviável.

        • Khusller

          São as Superchargers espalhadas pelas estradas dos EUA e Europa. Recarregam em 40 minutos 80% e 100% em 75 minutos.

          • V12 for life

            Para um almoço é um bom tempo, se tiver pressa ta ferrado.

            • Khusller

              Sim kkkk. Eu mesmo prefiro os híbridos com seus quase 50km/l. Pelo preço que tá a energia atualmente, creio que saia até mais em conta.

            • th!nk.t4nk

              Aí a questão é: você viaja 1000 km sempre? Isso é muito raro, então uma parada de 1 h no meio do caminho é aceitável frente às vantagens. E logo logo isso evolui pra uma carga ainda mais rápida.

              • V12 for life

                Duas vezes ao mês, mas minha media diária é de 600, não é nada incomum para quem trabalha no transito.

    • Antonio De Julio

      Não se esqueçam que a Tesla oferece a troca da bateria, que dura poucos minutos…

      • V12 for life

        Sim mas para isso funcionar em uma viagem longa tem ser pré programada, e estamos falando de Brasil onde não se quer o interesse em fornecer esse tipo de estrutura, e não dos países desenvolvidos como além da estrutura existem incentivos

        • Antonio De Julio

          Aqui no Brasil, como disse uma vez nossa “presianta”, energia solar é “fantasiosa”, assim como o carro autônomo…

  • Bruno Rodrigues

    Os automóveis crescem em quantidade,e proporcionalmente a emissão de gases poluentes também cresce, para produzir energia elétrica aos carros elétricos. O importante é mostrar ao vizinho que você é ambientalmente “sustentavel”.
    Tirando esse paradigma, quem ganha somos nós, por poder escolher q tipo de carro comprar. Excluindo, claro, na banania. Aqui temos, ditatorialmente, o “supermegaeconomico” motor flex.

    • th!nk.t4nk

      Só lembre-se de que o carro elétrico polui menos de qualquer forma, já que ele faz um uso muito mais eficiente da energia. Não é simplesmente transferir da gasolina pra usina termoelétrica: a eficiência energética de um motor elétrico é bem superior. Colocando tudo na balança ele polui beeem menos, além de transferir o restante da poluição pra um lugar distante dos grandes centros, onde é mais fácil instalar filtros e administrar o impacto ambiental. Mas concordo que se for só pra mostrar pro vizinho, é ridículo.

    • Antonio De Julio

      Carro elétrico – 80% eficiência energética
      A combustão – 20%

      • Foxtrot

        A combustão chega a 20%? Isso é mais do que eu imaginava. Sempre achei que era uns 10%.

      • Gustavobrtt

        Coloca aí a eficiência de uma usina térmica com ciclo combinado, aproximadamente 50%, mais eficiência na transmissão, de uns 90%, vai dar eficiência total do elétrico na casa dos 36%.
        Fiz uma conta de padeiro, porém acho que não existe mágica.

        O elétrico vai ser vantajoso nos centros urbanos ao evitar poluição e barulho, mas na ponta da geração, vai continuar emitindo CO2 na atmosfera.

        • Joao Paulo Cintra

          busque conhecimento, microgeração distribuída está aí (Resolução ANEEL 482/2012)
          Além de permitir diminuir o consumo de energia da iluminação e dos eletrodomésticos, imagine se o consumidor pudesse gerar em casa a energia para recarregar o carro.

          Seria uma grande vantagem ser menos dependente de postos/distribuidoras que adulteram combustíveis e escapar da insana cadeia de impostos, deixando o carro elétrico recarregar em casa com energia gerada por mini turbinas eólicas e painéis fotovoltaicos, cujo excedente de produção durante o dia pode ser consumido à noite, já que pelo sistema de microgração esse excedente é repassado à companhias elétricas, e elas abatem da sua conta no fim do mês.

          Enquanto as baterias não permitem tanta autonomia a ponto de substituir completamente o carro à combustão, eu manteria meu velhinho flex por muito mais anos, só que poupado dos desgastantes percursos urbanos do tipo anda e para, que apesar de mais curtos, desgastam muito mais o motor e as peças do que os percursos rodoviários. O carro que tenho ainda está bom, mas me ofereceram ninharia por ele só porque passou dos 60mil km, com 6 anos de uso. Para rodar só em estrada, circunstância que não favorece ainda o carro elétrico, mantenho o carro à combustão por mais alguns anos cuidando bem da manutenção e poupado do uso severo do dia-a-dia
          De 12mil km/ano que uso atualmente, iria para menos de 3000 km ao ano no carro à combustão, que vai poder literalmente ficar comigo até quase o fim da vida (espero que dele), reduzindo até custos de manutenção/troca/financiamento.
          Com isso um carro à combustão de 5 anos duraria outros cinco ou ate mais de viagens rodoviárias. Para o dia a dia, um elétrico de autonomia de 100km é suficiente, contando que pode ser recarregado em estacionamento de faculdades, shoppings, escritórios etc.
          Se bem que com esses progressos das baterias, em pouquíssimo tempo surgirão veículos elétricos de custo mais acessível (não precisa ser um Tesla S top) com 200km a 300km de autonomia a um custo bem menor que o de hoje.

          Se gerando energia apenas para atender ao consumo de eletricidade de uma casa um sistema fotovoltaico no Brasil demora 8 a 10 anos para se pagar, imagine se a energia gerada por ele for usada também para recarregar carros elétricos, em substituição à gasolina do posto para reabastecer carro à combustão, talvez em metade do tempo ele se pagaria.

          Mas, no Brasil isso não aconteceria tão fácil, pois não importa o interesse do consumidor, mas sim dos grupos que ganham com o status quo atual.

  • Marcio Almeida

    O que ninguém fala e no aumento do custo da energia elétrica, não secesquecam China, paises europeus, Eua tem boa parte de sua matriz baseada em energias, não renováveis imagina transformar esses carros em elétrico , na boa só acredito em elétricos quando as fontes vierem de energias renovaveis as celulas fotovoltaicas serão cruciaisbpara isso, O Brasil tem um bom modelo com o etanol o ruim e o preço deveria ser menos de 1 real mas vivemos em um pais de monopólios fazer o que

    • Joao Paulo Cintra

      o custo da energia é tributo, além do preço pago pela má gestão e populismos tarifários recentes.
      Além disso é possível gerar energia para auto consumo em casa, através de microgeração distribuída (Resolução ANEEL 482/2012)
      Já combustíveis, não dá para refinar petróleo e estocar gasolina em casa, e nem plantar destilar etanol.

  • Antonio De Julio

    Deixa essa Gigafactory entrar em produção pra ver o “estrago” que ela vai fazer… Panasonic tá se desfazendo de várias de suas linhas de produtos, vai focar nisso aí. Com o apoio da Tesla, será a vingaça do Nicolas, rs rs rs

  • Antonio De Julio

    Acabei de ler no autobloggreen”ponto”com
    Tesla Gigafactory could be biggest building in the world

  • Guilherme Eduardo

    Acredito que quando bateria de carro elétrico/híbrido for igual pilha, padronizada para todos, o preço cairá. Contudo, a curto prazo eu boto mais fé nos híbridos, pois depende menos da rede elétrica dos países e não precisa ficar plugado em tomada.

  • Não a toa as fabricantes tradicionais americanas estão tentando ao máximo boicotar a Tesla. Mas parece que desta vez, ao contrário do início do século XX, não vão conseguir deter o carro elétrico.

  • Economy

    Poderão até mesmo existir kits de conversão de um carro a gasolina para elétrico em breve.

  • Castle_Bravo

    Mas não mais baratas que a gasolina, fora que, ainda há muita margem para redução. Quando as baterias começarem a ficar economicamente viáveis, a OPEP baixa mais o preço do óleo pondo elas de volta ao nicho dos “alternativos”.

  • Héber Cristiano

    Esse Tesla Model S é lindo demais, apenas!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend